The Role of Children and Youth in Cell Ministry

coaches_robLAY-web

By Robert Lay, www.celulas.com.br

I want to interpret cell multiplication from a futuristic point of view. When children grow up in an intergenerational cell atmosphere, they participate in all stages of cell life. They learn to worship, share, live community life, pray for specific needs, and participate in prayer answers and often miracles. Children become teen agers and have already formed a life style and cell culture. It is in their blood and DNA.

When they become youth, they are ready to lead a cell. They have all the experience they need and have formed the habit of cell life. With some further equipping in leadership, they are ready to fly. This means, once the cell culture has been adopted by the church long-term, the wheel of multiplication will turn almost by itself. The Pastor has only to do the normal maintenance in oiling the machine.

These former children, now leaders, have learned that a cell has to grow in order to multiply. Multiplication is not traumatic to them. They understand it and are able to explain it to the new converts, showing them that multiplication is actually critical to the cell. I’m referring, of course, to healthy multiplication and not only numbers.

For adult new converts to become leaders, it’s much harder because it requires step-by-step instruction, discipleship, and so forth.

Help us God to prioritize the children and youth,

Robert M. Lay, Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Papel das Crianças e dos Jovens no Ministério Celular

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

Eu quero interpretar a multiplicação celular de um ponto de vista futurístico. Quando as crianças crescem em uma atmosfera de células intergeracional, elas participam de todas as fases da vida da célula. Elas aprendem a adorar, compartilhar, viver em comunidade, orar por necessidades específicas, participar de respostas de oração e muitas vezes milagres. As crianças se tornam adolescentes com um estilo de vida e cultura de células já formado. Isso está no sangue e DNA delas.

Quando eles se tornam jovens, eles estão prontos para liderar uma célula. Eles tem toda a experiência que precisam para formarem o hábito de vida celular. Com mais alguns treinamentos em liderança, eles estão prontos para voar. Isto significa que, uma vez que a cultura de células foi adotada pela igreja a longo prazo, a roda da multiplicação vai girar quase que por si só. O pastor tem apenas que fazer a manutenção normal, lubrificando a máquina.

Estes antigas crianças, agora líderes, aprenderam que uma célula tem de crescer, a fim de multiplicar. A multiplicação não é traumática para eles. Eles entendem isso e são capazes de explicar para os novos convertidos, mostrando-lhes que a multiplicação é realmente muito importante para a célula. Estou me referindo, é claro, à multiplicação saudável e não apenas de números.

Para adultos novos convertidos se tornarem líderes, é muito mais difícil, porque isso requer instruções passo-a-passo, discipulado, e assim por diante.

Que Deus nos ajude a priorizar as crianças e os jovens,

Robert M. Lay, Ministério de Igreja em Células no Brasil.

Spanish blog: 

El papel de los niños y jóvenes en el Ministerio celular

Por Robert Lay, www.celulas.com.br

Quiero interpretar la multiplicación celular desde un punto de vista futurista. Cuando los niños crecen en un ambiente celular intergeneracional, participan en todas las etapas de la vida celular. Ellos aprenden a adorar, compartir en vivo la vida comunitaria, orar por necesidades específicas, y participar en las respuestas a la oración y, muchos milagros. Los niños crecen y llegan a ser adolescentes y ya han formado un estilo de vida y una estructura celular. Está en su sangre y ADN.

Cuando llegan a ser jóvenes, ellos están listos para dirigir una célula. Tienen toda la experiencia que necesitan y están formados en el hábito de la vida celular. Con un poco de equipamiento adicional en el liderazgo, ellos están listos para volar. Esto significa que, una vez que la estructura celular ha sido adoptada por la iglesia a largo plazo, la rueda de la multiplicación pasara por sí misma. El Pastor sólo tiene que hacer el mantenimiento normal de engrasar la máquina.

Estos niños, ahora líderes, han aprendido que una célula tiene que crecer con el fin de multiplicarse. La multiplicación no es traumática para ellos. Ellos lo entienden y son capaces de explicar a los nuevos convertidos, mostrándoles que la multiplicación es realmente crítica para la célula. Me refiero, por supuesto, a la multiplicación saludable y no sólo números.

Para que los adultos y los nuevos conversos se conviertan en líderes, es mucho más difícil, porque requiere de instrucciones paso a paso, el discipulado, y así sucesivamente.

Dios ayúdanos a dar prioridad a los niños y jóvenes,

Robert M. Lay, Iglesia Celular Ministerio Brasil

Children and Youth in the Cell Church

coach_mario2016speaking

by Mario Vega, www.elim.org.sv

Cell ministry is a long-term strategy. While results should be expected in the short and medium terms, we must not forget that the ultimate purpose is to achieve a paradigm shift in the way we do church. I’m referring to moving from the traditional way of doing church to the New Testament church. Cell ministry is not a temporary program or a campaign of two or three years; Rather, it is about achieving a new culture of mutual aid and ministry of all the saints. When speaking of a new culture, we refer to a lifestyle that is adopted permanently.

When a church realizes that cell ministry is long term, the role of children and youth becomes very important. Remember that in ten years, children and youth will be the eligible men and women who teach others. But if we think that ten years is too far in the future, it’s because our thinking is temporal. The universal priesthood of all believers is not for one season only; it is for life. Just as the priesthood was transferred from parents to children, the ministry of all believers must pass from one generation to another. This means that we have to take children and youth seriously and make sure they are discipled. When the church involves the next generation it ensures a new and fresh source of new leaders who are willing to enter the battle and become the next generation of ministers.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Crianças e Jovens na Igreja em Células

Por Mario Vega

O ministério celular é uma estratégia de longo prazo. Embora os resultados devam ser esperados a curto e médio prazos, nós não podemos esquecer que o propósito final é conseguir uma mudança de paradigma na forma como fazemos igreja. Eu me refiro a mudança do modelo tradicional de fazer igreja para a igreja do Novo Testamento. O ministério celular não é um programa temporário ou uma campanha de dois ou três anos, pelo contrário, isso é sobre a aquisição de uma nova cultura de ajuda mútua e do ministério de todos os santos. Quando se fala de uma nova cultura, nós nos referimos a um estilo de vida que é adotado de forma permanente.

Quando a igreja percebe que o ministério celular é a longo prazo, o papel das crianças e dos jovens se torna muito importante. Lembre-se que em dez anos, crianças e jovens serão os homens e mulheres elegíveis que irão ensinar outros. Mas se nós pensarmos que dez anos está em um futuro muito longe, é porque nosso pensamento é temporal. O sacerdócio universal de todos os crentes não é só para um período, é para a vida. Assim como o sacerdócio é transferido de pais para filhos, o ministério de todos os crentes deve ser passado de uma geração para outra. Isso significa que nós devemos levar as crianças e os jovens a sério e garantir que eles sejam discipulados. Quando a igreja envolve a próxima geração isso garante uma fonte nova de novos líderes que estão dispostos a entrar na batalha e se tornarem a próxima geração de ministros.

Spanish blog:

Los niños y jóvenes en la iglesia celular

por Mario Vega

El trabajo celular es una estrategia a largo plazo. Si bien se esperan resultados en el corto y mediano plazo, no debemos olvidarnos que el propósito último es lograr un cambio de paradigma en la forma de ser iglesia. Es decir, se trata de pasar de la manera tradicional de ser iglesia a la manera de la iglesia del Nuevo Testamento. No estamos, pues, ante un programa temporal o una campaña de dos o tres años; se trata de lograr una nueva cultura de ayuda mutua y de ministerio de todos los santos. Al hablar de nueva cultura, nos referimos a un estilo de vida que se adopta de manera permanente.

Cuando la idea es que el modelo se sostenga en el largo plazo, el papel de los niños y jóvenes se vuelve muy importante. En unos diez años ellos serán los hombres idóneos que enseñarán también a otros. Pero si pensar en diez años nos parece que es un tiempo demasiado extenso es porque se está pensando en un esfuerzo temporal. El sacerdocio universal de los creyentes no es para una temporada solamente, es para toda la vida. De igual manera que el sacerdocio se trasladaba de padres a hijos, el ministerio de todos los creyentes debe pasar de una generación a otra. Eso, indudablemente, implica que hay que tomar a los niños y jóvenes bajo procesos muy serios de discipulado. Cuando la iglesia logra involucrar a la nueva generación asegura una fuente fresca y numerosa de nuevos líderes dispuesto a la batalla.

Developing the Next Generation through Multiplying Cells

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

By Daphne Kirk, www.daphnekirk.org

Normal development means we train babies to be toddlers, toddlers to be children, children to be teenagers and teenagers to be adults.  Nothing too profound about that–until it comes to church life! The disconnection between the various stages of life means that we have to start over each time. When a church has one vision and one strategy for the whole church (which includes every generation) then natural growth takes place and healthy adults are the result.

Applying this to Cell life means that babies need to be part of a cell with their parents and grow in that community.  If they experience church within the context of a healthy cell, it will be automatic to live that out as they grow.  It is experiential training at its very best, and it’s in this natural God-given way we learn.

Sadly, one of the things I find myself doing is helping people to understand this simple concept and not waiting until teenage or even adulthood to give people the opportunity for cell life.

The responsibility of developing a generation in healthy cells can be equated to the responsibility to raise them in healthy families. Both will result in multiplication and growth because healthy relationships have this natural outcome.

If this all sounds too simple, well, it is! So, what hinders us from bringing every member of the body of Christ to experience His kingdom together? Only our preconceived ideas, traditions and a lack of focus on the emerging generation.

Go go go! It really is this simple, and we are here to help!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Desenvolvendo a Próxima Geração Multiplicando Células

Por Daphne Kirk, www.daphnekirk.org

O desenvolvimento normal significa que treinamos bebês para serem infantes, infantes para serem crianças, crianças para serem adolescentes e adolescentes para serem adultos. Não há nada muito profundo sobre isso – até se tratar da vida da igreja! A desconexão entre as várias fases da vida significa que nós temos que começar de novo a cada vez. Quando uma igreja tem uma visão e uma estratégia para toda a igreja (que inclui todas as gerações), então o crescimento natural acontece e adultos saudáveis são o resultado.

Aplicando isso para a vida celular, significa que os bebês precisam ser parte de uma célula com seus pais e crescer naquela comunidade. Se eles vivenciam  a igreja dentro do contexto de uma célula saudável, vai ser automático viver isso à medida que crescem. Isso é o treinamento experimental em sua melhor forma, e é dessa forma natural dada por Deus que nós aprendemos.

Infelizmente, uma das coisas que eu me vejo fazendo é ajudando as pessoas a compreender este conceito simples e não esperar até que na adolescência ou até mesmo na idade adulta as pessoas tenham oportunidade de vivenciar a vida celular.

A responsabilidade de desenvolver uma geração em células saudáveis pode ser equiparada à responsabilidade de criá-la em famílias saudáveis. Ambas irão resultar em multiplicação e crescimento, porque relacionamentos saudáveis têm esse resultado natural.

Tudo isso soa simples demais e bem, realmente é! Então, o que nos impede de trazer todos os membros do corpo de Cristo para experimentar o Seu reino juntos? Somente as nossas ideias preconcebidas, tradições e uma falta de foco na geração emergente.

Vamos, vamos, vamos! É muito simples e nós estamos aqui para ajudar!

Spanish blog: 

Desarrollando la siguiente generación a través de la multiplicación de la célula

Por Daphne Kirk, www.daphnekirk.org

El desarrollo normal significa que formamos a los bebés para que sean como niños pequeños, niños pequeños para que sean como niños, los niños para sean como adolescentes y adolescentes a ser adultos. Nada demasiado profundo en eso – hasta que llega a la vida de la iglesia. La desconexión entre las distintas etapas de la vida significa que tenemos que empezar de nuevo cada vez. Cuando una iglesia tiene una visión y una estrategia para toda la iglesia (La cual incluye todas las generaciones), entonces el crecimiento natural se lleva a cabo y los adultos sanos son el resultado.

Aplicando esto a la vida celular significa que los bebés necesitan ser parte de una célula con sus padres y crecer en esa comunidad. Si experimentan la iglesia en el contexto de una célula sana, será automática el vivir de eso manera y crecer de esa manera. Es la formación de la experiencia en su mejor momento, y es en esta forma natural, dada por Dios en la que aprendemos.

Por desgracia, una de las cosas que encuentro a mí mismo haciendo es ayudar a la gente a entender este concepto simple y no esperar hasta la adolescencia o incluso la edad adulta para dar a la gente la oportunidad de la vida celular.

La responsabilidad de desarrollar una generación de células sanas se puede equiparar a la responsabilidad de criarlos en familias saludables. Ambas darán lugar a la multiplicación y al crecimiento debido a las relaciones sanas que tienen este resultado natural.

Si todo esto suena demasiado simple, bueno, ¡lo es! Por lo tanto, ¿Que nos impide llevar a todos los miembros del cuerpo de Cristo para experimentar su reino juntos? Sólo nuestras ideas preconcebidas, las tradiciones y la falta de enfoque en la generación emergente.

¡Vamos! ¡Vamos! ¡Vamos! ¡Realmente es así de simple, y estamos aquí para ayudar!

Multiplication is Possible

coach_freddynoble

By Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Some time ago one of my projects for my doctorate degree was to carry out a multiplication of cells in our church. Twenty-four leaders agreed to meet with me once every two weeks for  sixteen weeks.

During that time, I gave them a message of inspiration, taught them about evangelism and discipleship, and then assigned them certain tasks to fulfill. The goal was to ensure that half of the participants  could multiply their cell.

At the end of the project they ended up being part of the original nineteen twenty-four leaders and the end result was that eight new cells were established. The goal was almost accomplished.

For me the experience was interesting and taught me several lessons. First that the multiplication of cells must be intentional. That is, this should be one of the goals of the cell groups. The tendency of groups to withdraw into themselves is necessary that from the beginning let alone multiply.

Second, multiplication, demand effort. Not just a goal or vision must take action. Multiplication requires people to evangelise because if we do not go they will not come. You should go and share the Word with friends and acquaintances. At the same time you have to disciple new believers and train new leaders. There are no short cuts

The other lesson was that whenever we work and strive in prayer can achieve some results. .In The book will be multiplication EPE: A Re-Revolution Discipleship use in the project, it said that all fields do not produce the same harvest but all can be harvested! After all, in the parable of the sower he produced one hundred, another fifty and another thirty.

In other words, they are not going to produce the same results despite deploy similar efforts in every workplace but there will be some results! Sometimes we feel intimidated by the large numbers of cells of the large church or the speed or abundance of multiplication in other places and we can become discouraged if we do not see the same results in our environment.

So what I’ve learned is not necessarily going to see the same results as I am that I hear from other places, but there is no doubt there will be some fruit. So I have to keep doing is to continue encouraging people to evangelize, disciple and train others with the aim of multiplying new cells because we can surely reap some fruit and see new cells established! We must continue striving!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Multiplicação é Possível

Por Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org

Algum tempo atrás, um dos meus projetos para o meu doutorado foi realizar uma multiplicação de células em nossa igreja. Vinte e quatro líderes concordaram em se encontrar comigo uma vez a cada duas semanas durante dezesseis semanas.

Durante esse tempo, eu dei a eles uma mensagem de inspiração, ensinei-lhes sobre evangelismo e discipulado, e depois atribui a cada um deles tarefas de evangelismo e discipulado. O objetivo era garantir que metade dos participantes pudesse multiplicar sua célula.

Dezenove dos vinte e quatro líderes terminaram o projeto e o resultado final foi o estabelecimento de oito novas células. O objetivo foi quase realizado.

Para mim a experiência foi interessante e me ensinou várias lições. Em primeiro lugar, a multiplicação celular deve ser intencional. Ou seja, ela deve ser um dos objetivos das células. A tendência dos grupos de se fecharem em si mesmos faz com que seja necessário nós falarmos de multiplicação desde o início.

Em segundo lugar, a multiplicação exige esforço. Não é suficiente apenas ter um objetivo ou uma visão, é necessário agir. A multiplicação exige que as pessoas evangelizem, porque se nós não formos até as pessoas, elas não virão. Temos de ir e compartilhar a Palavra com amigos e conhecidos. Ao mesmo tempo, precisamos discipular novos convertidos e treinar novos líderes. Não há atalhos.

A outra lição é que a oração é fundamental. Sempre que trabalhamos e nos esforçamos em oração, nós vamos ver os resultados. Haverá multiplicação. No livro EPE: A Re-Revolution of Discipleship, que eu usei no projeto, está escrito que todos os campos não produzem a mesma colheita, mas todos os campos podem ser colhidos! Afinal de contas, na parábola do semeador um produziu cem, outro cinquenta e outro trinta.

Em outras palavras, eles não vão produzir os mesmos resultados apesar de investir esforços semelhantes em cada local, mas sempre haverá resultados! Às vezes nos sentimos intimidados pelo grande número de células nas grandes igrejas ou pela velocidade ou abundância de multiplicação em outros lugares e podemos ficar desanimados se não vemos os mesmos resultados em nosso ambiente.

Então, o que eu aprendi é que onde eu estou eu não vou ver necessariamente os mesmos resultados que ouvi de outros lugares, mas não há dúvida de que haverá algum fruto. Então o que eu tenho que continuar fazendo é encorajar as pessoas a evangelizar, discipular e treinar outras pessoas com o objetivo de multiplicar novas células, porque podemos certamente colher alguns frutos e ver novas células sendo estabelecidas! Temos que continuar a lutar!

Spanish blog: 

Multiplicacion Posible

Por Freddy Noble

Hace algún tiempo lleve a cabo un proyecto de multiplicación de células en nuestra iglesia como parte de los requisitos para un grado en Ministerio en uno de nuestros seminarios. En el mismo participarían 24 líderes de células, que se reunirían conmigo una vez cada dos semanas durante unas dieciséis semanas.

Durante ese tiempo, yo les daba un pequeño mensaje de inspiración, les daba algunas orientaciones sobre evangelización y discipulado y luego les asignaba algunas tareas de evangelización personal y de discipulado. La meta era que la mitad de los participantes pudieran multiplicar su célula.

Al final del proyecto terminaron siendo parte del mismo diecinueve de los veinticuatro lideres originales y el resultado final fue que se establecieron ocho nuevas células. La meta fue casi cumplida.

Para mí la experiencia fue interesante y me enseno varias lecciones. En primer lugar que la multiplicación de células debe ser algo intencional. Es decir, esta debe ser una de las metas de los grupos celulares. La tendencia de los grupos  a encerrarse en si mismos hace necesario que desde el principio hablemos de multiplicarnos.

En segundo lugar, que la multiplicación, demanda esfuerzo. No basta con una meta o visión hay que llevarla a la acción. La multiplicación requiere que la gente evangelice porque si nosotros no vamos ellos no vendrán. Hay que ir y compartir la Palabra con los amigos y conocidos. A la vez hay que discipular a los nuevos creyentes y entrenar a nuevos líderes. No hay atajos

La otra lección fue, que siempre que trabajamos y nos esforzamos en oración podremos lograr algún resultado. Habrá multiplicación .En el libro EPE: Una Re-Revolución del Discipulado que use en el proyecto, se dice que todos los campos no producen la misma cosecha ¡pero que todos pueden ser cosechados! Después de todo, en la parábola del sembrador uno produjo cien, otro cincuenta y otro treinta.

En otras palabras, no se van a producir los mismos resultados a pesar de desplegar  esfuerzos  parecidos en cada lugar de trabajo ¡pero habrá algún resultado! En ocasiones, nos sentimos intimidados por los grandes números de células de las iglesia grandes o por la rapidez o abundancia de la multiplicación en otros lugares y podemos desalentarnos si no vemos los mismos resultados en nuestro medio.

Asi que lo que he aprendido es que no necesariamente voy a ver los mismos resultados donde estoy que los que escucho de otros lugares, pero no hay dudas que habrá algún fruto. Así que lo que tengo que seguir haciendo es continuar animando a la gente a evangelizar, discipular y entrenar a otros con la mira de multiplicar nuevas células porque seguramente podremos cosechar algún fruto y veremos nuevas células estableciéndose! Hay que seguir esforzandose!

Multiplying Cells

coach_freddynoble

By Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Early on, we adopted Joel Comiskey’s original cell definition: “a group of three to fifteen people who meet weekly outside the church building for the purpose of evangelism, community, and spiritual growth with the goal of multiplication.” Thus, from the beginning we saw the need to multiply.

In the process, some people wondered why we were emphasizing multiplication. They were concerned that we wanted to become a megachurch or were overly concerned about numbers. And yes, we had to guard against subtle, hidden motivations. However, the truth is that the multiplication of cells is one of the most effective ways to reach people with the gospel and to change a neighborhood for Jesus Christ.

Multiplication is a natural way to fulfill the Great Commission because new cells translate into new opportunities to share the gospel with new people and families. Ralph Neighbour says in one of his books that multiplication pierces the darkness and brings Christ’s light to a fallen world.

I believe it’s essential that a pastor has the vision of multiplication and continually shares this vision with the leaders and members. The tendency in groups is to feel comfortable with each other and therefore to remain as they are without including new people or involving them in the multiplication process.

It is necessary, therefore, that the pastor emphasize cell multiplication from the beginning, showing the biblical foundations and its advantages and blessings.

Since multiplication requires new leaders, there must be a diligent effort to develop leaders. Thus, each church should have a clear equipping “path” to train church members and help them become potential cell leaders.

And each cell leader should develop his or her “Timothy” who are being prepared to multiply the cell group and is intimately involved in the cell on a weekly basis.

Finally, the pastor’s role is critical to enable multiplication. He must be convinced of the importance of it and believe that it is possible to achieve. He should establish goals and encourage the leaders to fulfill those goals. And when the goals are not fulfilled, the leadership team should examine that situation and try again.

Multiplication involves time and effort, but yes, it is worth it. We must persist!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Multiplicando Células, www.iglesiabautistanyc.org 

Por Freddy Noble

Logo no início, nós adotamos a definição original do Joel Comiskey sobre células: “Um grupo de três a quinze pessoas que se reúnem semanalmente fora do prédio da igreja com o propósito de evangelismo, comunidade e crescimento espiritual com o objetivo de multiplicar”. Assim, desde o início nós vimos a necessidade de multiplicar.

No processo, algumas pessoas se perguntaram por que nós estávamos enfatizando a multiplicação. Elas estavam preocupadas de que nós quiséssemos nos tornar uma mega igreja ou que estivéssemos excessivamente preocupados só com números. E sim, nós tivemos que nos proteger contra motivações sutis e ocultas. No entanto, a verdade é que a multiplicação celular é uma das maneiras mais eficazes para alcançar as pessoas com o Evangelho e para transformar um bairro para Jesus Cristo.

A multiplicação é um caminho natural para cumprir a Grande Comissão, porque novas células se traduzem em novas oportunidades de compartilhar o evangelho com novas famílias e pessoas. Ralph Neighbour diz em um de seus livros que a multiplicação perfura a escuridão e traz a luz de Cristo a um mundo caído.

Eu acredito que é essencial que um pastor tenha a visão de multiplicação e compartilhe continuamente esta visão com os líderes e membros. A tendência em grupos é sentir-se confortável uns com os outros e, assim, permanecerem como estão, sem incluir novas pessoas ou envolvê-las no processo de multiplicação.

É necessário, portanto, que o pastor enfatize a multiplicação celular desde o início, mostrando os fundamentos bíblicos, suas vantagens e bênçãos.

Já que a multiplicação exige novos líderes, deve haver um esforço diligente para desenvolver líderes. Dessa forma, cada igreja deve ter um “caminho” de treinamento bem definido para treinar os membros e ajudá-los a se tornarem líderes de célula em potencial.

E cada líder de célula deve ter seu “Timóteo”, alguém que está sendo preparado para multiplicar a célula e que está intimamente envolvido na célula toda semana.

Finalmente, o papel do pastor é fundamental para permitir a multiplicação. Ele deve estar convencido da importância dela e deve acreditar que é possível alcançá-la. Ele deve estabelecer metas e incentivar os líderes a cumprirem essas metas. E quando as metas não forem cumpridas, a equipe de liderança deve examinar essa situação e tentar novamente.

A multiplicação envolve tempo e esforço, mas sim, ela vale à pena. Nós devemos persistir!

Spanish blog:

Multiplicando Células

Por Freddy Noble, www.iglesiabautistanyc.org 

Al adoptar una de las definiciones sobre células que nos compartió Comiskey   como un “grupo de tres a quince personas que se reúnen semanalmente fuera del templo para evangelización, edificación y compañerismo, con el fin de multiplicarse” nosotros tuvimos presente desde el principio la necesidad de multiplicar las células.

En ese proceso algunas personas se preguntaron cuál era la razón para ese énfasis puesto que se podría tratar de un simple afán de números o un intento de convertirnos en una “mega iglesia”. Y ciertamente  esta podría ser una motivación escondida detrás de este énfasis. Sin embargo, la verdad es que la multiplicación de células es una de las maneras más eficaces para alcanzar con el evangelio a nuevas personas y vecindarios.

Es una manera natural de cumplir con la gran comisión ya que nuevas células significan nuevas oportunidades para compartir la Palabra del evangelio con nuevas personas y familias. Es, como dice Neighbour en uno de sus libros, penetrar la obscuridad con la luz del evangelio.

Esa es la razón por la que el pastor debe tener la visión de la multiplicación ante sí y compartirla continuamente con sus líderes y con el pueblo en general. La tendencia de los grupos es a sentirse cómodos unos con otros y por tanto a mantenerse tal como están sin la incorporación de nuevas personas ni la separación que implica la multiplicación.

Es necesario por tanto, que el pastor enfatice el tema de la multiplicación desde el comienzo del trabajo, mostrando sus fundamentos bíblicos y a la vez  sus ventajas y bendiciones.

Pero por supuesto, dado que la multiplicación requiere de nuevos líderes, debe haber un continuo trabajo para desarrollar líderes. Una “senda” de capacitación debe estar en el núcleo del trabajo de la iglesia a fin de capacitar a los miembros de la iglesia y ayudarlos a convertirse en potenciales líderes de células.

Al mismo tiempo, cada uno de los lideres debe buscar su propio “Timoteo” con quien comparta sus conocimientos y a quien ayude a entrenar de manea practica en el trabajo de conducir las reuniones y guiar alguno de los aspectos de la reunión semanal.

En fin, el papel del pastor es clave para hacer posible la multiplicación. Es necesario que él esté convencido de la importancia de la misma y crea que es posible lograrla. Conviene que establezca metas y anime a sus líderes a cumplirlas. Y cuando estas no se cumplan, conviene reexaminar la situación y volver a intentarlo.

La multiplicación implicará tiempo, y esfuerzo. Pero vale la pena. Hay que persistir!

Yearly Multiplication is the Goal

coach_paulomazonniweb

Paulo Mazoni, www.ibcbh.com.br

I shared yesterday that the multiplication of cells is just as supernatural as the multiplication of the loaves and fishes. Multiplication depends on the power of God. At the same time, we can not disregard the human participation. Scriptures says, “For we are laborers together with God (1 Cor 3.9).” Just as the multiplication of the loaves passed through the hands of the disciples, cell multiplication also depends on our active and intentional participation. Multiplication happens when, motivated by compassion and faith, the church decides to cooperate with God to invest seriously, sacrificially, and strategically in evangelism, discipleship and in building healthy cells.

In our church, the goal is clear: Each cell must be multiplied in another healthy cell once a year. The emphasis is on “healthy” word, indicating that we do not want any new cell multiplied without proper quality and without the minimum conditions to become a living cell, edifying and winning. On the contrary, as we want healthy cells, with the goal of multiplying the cell annually established five subgoals that will guide the actions and help the assessment by leading every month to multiplication. They are:

(1) Increase the presence of God in the cell, so that everyone understands the love and the supernatural work of the Spirit in the lives of its members

(2) Set the cell with a date for the next multiplication

(3) Having a new well prepared leading up to the date of the multiplication

(4) Steady new participants in the cell, reaching a minimum of committed members of God and the cell to multiply

(5) Raise a new host that offers residence to the new cell.

We have no fear or embarrassment to set clear goals for our cells, since the goals help us stay focused and work with intentionality. The goal and subgoals work in our favor, because they allow us to evaluate the preparation and commitment of leaders and cells throughout the year. Counting with proper supervision, which teaches, encourages and disciple leaders of cells, good care of the leaders and the increasing quality of the cell inevitably result in numerical growth and greater unity of all around the vision of the church.

We have experienced in our church multiplication that never even dreamed of. It is the result of supernatural action of God and compassionate Savior we serve, and a committed and focused church with the fulfillment of the Great Commission in our generation.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A multiplicação anual é a nossa meta

Paulo Mazoni

www.ibcbh.com.br

Como sempre afirmamos, a multiplicação de células é um milagre tão sobrenatural como foi a multiplicação de pães. Depende do poder de Deus, mas não podemos desconsiderar a participação humana. “Pois nós somos cooperadores de Deus (1 Co 3.9)”, disse o apostolo Paulo. Assim como a multiplicação dos pães passou pelas mãos dos discípulos, a multiplicação de células também depende de nossa participação ativa e intencional. A multiplicação acontece quando, motivada por compaixão e fé, a igreja decide cooperar com Deus, doar-se de forma sacrificial e investir séria e estrategicamente na evangelização, no discipulado e na edificação de células saudáveis.

Em nossa igreja, a meta é clara: Cada célula deve se multiplicar em uma outra célula saudável uma vez ao ano. A ênfase está na palavra “saudável”, indicando que não desejamos qualquer célula nova, multiplicada sem a devida qualidade e sem as condições mínimas para tornar-se uma célula viva, edificante e vencedora. Pelo contrário, como desejamos células saudáveis, junto com a meta de multiplicar a célula anualmente, estabelecemos cinco submetas que irão nortear as ações e ajudar a avaliação pelo líder mês a mês até a multiplicação. São elas:

(1) Aumentar a presença de Deus na célula, de tal modo que todos percebam o amor e a ação sobrenatural do Espírito na vida de seus membros

(2) Definir com a célula uma data para a próxima multiplicação

(3) Ter um novo líder bem preparado até a data da multiplicação

(4) Firmar novos participantes na célula, alcançando um mínimo de membros comprometidos com Deus e com a célula até a multiplicação;

(5) Levantar um novo anfitrião que ofereça sua residência para a nova célula.

Não temos medo ou qualquer constrangimento de estabelecer metas claras para as nossa células, uma vez que as metas nos ajudam a manter o foco e a trabalhar com intencionalidade. A meta e as submetas trabalham a nosso favor, pois permitem que avaliemos o preparo e o comprometimento dos líderes e das células ao longo do ano. Contando com a devida supervisão, que ensina, encoraja e discipula os líderes das células, o bom cuidado dos líderes e a crescente  qualidade da célula resultarão inevitavelmente no crescimento numérico e na maior unidade de todos em torno da visão da igreja.

Temos experimentado em nossa igreja uma multiplicação que nunca sequer sonhamos. É fruto da ação sobrenatural do Deus Salvador e compassivo a quem servimos, e de uma igreja comprometida e focada com o cumprimento da Grande Comissão em nossa geração.

Spanish blog: 

La multiplicación anual es la meta

Paul Mazoni, www.ibcbh.com.br

En el blog de ayer, compartí que la multiplicación de las células es tan sobrenatural como la multiplicación de los panes y los peces. La multiplicación depende de la potencia de Dios. Al mismo tiempo, no podemos prescindir de la participación humana. Las escrituras dice: “Porque nosotros somos colaboradores de Dios (1 Cor 3,9)” Al igual que la multiplicación de los panes paso por las manos de los discípulos, la multiplicación celular también depende de nuestra participación activa e intencional. La Multiplicación sucede cuando, motivado por la compasión y la fe, la iglesia decide cooperar con Dios para invertir seriamente, con sacrificio, y estratégicamente en el evangelismo, discipulado y en la construcción de las células sanas.

En nuestra iglesia, el objetivo es claro: Cada célula se multiplica en otra célula sana una vez al año.

El énfasis está en la palabra “saludable”, lo que significa que no queremos ninguna nueva multiplicación que no es saludable, cualitativo, y que cumple con las condiciones mínimas de vida, vibrante, evangelizadora.

Debido a nuestro compromiso con la salud, hemos establecido cinco sub-objetivos que nos ayudan a orientar y evaluar el proceso de la multiplicación:

  1. Incrementar la presencia de Dios en la célula, de modo que todo el mundo entienda  el amor y la obra sobrenatural del Espíritu en la vida de sus miembros
  2. Asegúrese de que cada célula tiene una fecha para la siguiente multiplicación
  3. Prepare nuevos líderes que estén listos para la fecha de la multiplicación
  4. Haga que la gente nueva participe activamente en la célula
  5. Desarrolle nuevos huéspedes que están dispuestos a abrir su casa

No tenemos miedo o vergüenza a establecer metas claras para nuestras células, porque sabemos que las metas nos ayudan a mantener la concentración y trabajamos con intencionalidad. La meta y sub-objetivos trabajan a nuestro favor, ya que nos permiten evaluar la preparación y el compromiso de los líderes y las células de todo el año. Nos damos cuenta de que para mantener la multiplicación año tras año tenemos que hacer un trabajo excelente al entrenar a nuestros líderes celulares. También tenemos que asegurarnos de que nuestras células se mantengan saludables y que les dan la visibilidad adecuada en nuestros servicios de la iglesia. Los resultados de calidad en el crecimiento numérico y una mayor unidad de visión en la iglesia.

Hemos experimentado la multiplicación de la iglesia de una manera que nunca hubiéramos soñado. Es el resultado de la acción sobrenatural de Dios y la compasión de nuestro maravilloso Salvador. Somos una iglesia comprometida y concentrada en el cumplimiento de la Gran Comisión en nuestra generación.

The Miracle of Multiplication

coach_paulomazonniweb

Paulo Mazoni, www.ibcbh.com.br

[I, Joel Comiskey, am pleased to introduce Paulo Mazoni, who is one of the leading cell church voices in Brazil. Paulo’s Baptist church has over 1000 cell groups and 10,000 members and regularly holds pastor’s conferences  to teach cell church principles]

Thank God, in these fifteen years of implementation of the cell church model, our church never ceased growing and multiplying our cells. We could mention several reasons for this related to the cell church model, to the intense training of leaders, or other factors more technical, but the truth is that multiplication is a miracle of God. It is the result of supernatural intervention. So some people ask me: But why does this miracle happen?

I believe that, as in the fish multiplication reported in Mark 6, the miracle depends on a correct motivation. The harsh reality is that our church didn’t grow for  decades because we didn’t care about the world without salvation. As we were closed within the four walls of the church building, there was no compassion for the lost.

Many today are seeking a magical vision that produces growth, but I believe that the multiplication will only be generated when the church in compassionate about reaching the lost. When we started to preach intentionally about the condition of the lost world, which is like a flock without a shepherd, and lead our people to see the world through the eyes of Jesus, multiplication started to happen. Because only compassion is able to make a church accept a daunting challenge as “to feed” a great multitude, to cooperate for the fulfillment of the Great Commission. Only compassion leads a church to leave the comfort zone and sacrifice themselves for others.

Many Christians don’t get involved because they think that what they can do is very little, like offering their home, being an assistant leader, or having a few hours per week to lead a cell. But little in the hands of Jesus becomes much. Every delivery, sacrifice and renunciation when motivated by compassion always attract divine intervention, because the God that challenges is the same that empowers. In the miracle of the multiplication of loaves and fishes, the disciples chose not to do everything themselves, but began working  with Jesus and under His orders.

The fields are white for the harvest. And I believe that whenever we are willing to give what we can give and offer something of value to Jesus, motivated by love, the Lord frees up power and grace to a genuine multiplication.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A multiplicação é um milagre

Paulo Mazoni, www.ibcbh.com.br

[Eu, Joel Comiskey, tenho o prazer de apresentar Paulo Mazoni, que é uma das vozes que têm liderado o mover da igreja em células no Brasil. A igreja batista de Paulo tem mais de 1000 células e 10.000 membros, e realiza regularmente conferências de pastores para ensinar os princípios da igreja em células]

Graças a Deus, nestes quinze anos de implantação do modelo celular, nossa igreja nunca deixou de crescer e de multiplicar as suas células. Poderíamos citar várias razões para isso ligadas ao modelo celular, à intensa capacitação dos líderes, ou outros fatores mais técnicos, mas a grande verdade é que a multiplicação é um milagre de Deus. É fruto de intervenção sobrenatural. Então alguns nos perguntam: Mas por que acontece este milagre?

Creio que, assim como na multiplicação dos peixes, relatado em Marcos 6, o milagre depende de uma motivação correta. A dura realidade é que nossa igreja nunca cresceu ao longo de décadas porque não se importava com o mundo sem salvação. Fechados dentro das quatro paredes da igreja-prédio, não havia compaixão pelos perdidos. Muitos buscam hoje uma visão mágica que produza crescimento, mas eu creio que a multiplicação só será gerada num ambiente de compaixão. Quando nós começamos a pregar intencionalmente sobre a condição do mundo perdido, que é como um rebanho sem pastor, e a levar o nosso povo a enxergar o mundo com os olhos de Jesus, a multiplicação começou a acontecer. Porque só a compaixão é capaz de fazer uma igreja aceitar o desafio tão assustador de “dar de comer” a tão grande multidão, de cooperar para o cumprimento da Grande Comissão.  Só a compaixão leva uma igreja a sair da zona de conforto e a se sacrificar pelo próximo, entregando para Jesus o pouco que tem para que ele possa multiplicar. Muitos cristãos não se envolvem porque pensam que o que podem fazer, como oferecer a sua casa, ou ser um líder auxiliar, ou dispor de poucas horas por semana para liderar uma célula, seja muito pouco. Mas o pouco nas mãos de Jesus torna-se muito. Toda entrega, sacrifício e renúncia quando motivados por compaixão sempre atraem uma intervenção divina, porque o Deus que desafia é o mesmo que capacita. No milagre da multiplicação de pães e peixes, os discípulos escolheram não tentar fazer tudo sozinho e na própria força, mas trabalhar com Jesus e sob as suas ordens.

Os campos estão brancos para a colheita. E eu creio que sempre que estivermos dispostos a dar o que podemos dar e a oferecer algo de valor a Jesus, motivados por amor, o Senhor liberará poder e graça para uma genuína multiplicação.

Spanish blog:

El Milagro de Multiplication

Paulo Mazoni, www.ibcbh.com.br

[Yo, Joel Comiskey, me complazco en presentarles a Paulo Mazoni, que es una de las voces principales de la iglesia celular en Brasil. La Iglesia Bautista de Paulo tiene más de 1000 grupos celulares y 10.000 miembros y regularmente organiza conferencias de pastores para enseñar los principios de la iglesia celular]

Gracias a Dios, en estos quince años de implementación del modelo de la iglesia celular, nuestra iglesia nunca dejó de crecer y multiplicar células. Podríamos mencionar varias razones relacionadas con el modelo de la iglesia celular, a la intensa formación de líderes, u otros factores de carácter más técnico, pero la verdad es que la multiplicación es un milagro de Dios. Es el resultado de una intervención sobrenatural. Así que algunas personas me preguntan: Pero ¿por qué sucede este milagro?

Creo que es, como la multiplicación de los peces reportado en Marcos 6, el milagro depende de la motivación correcta. La dura realidad es que nuestra iglesia no creció durante décadas porque no nos preocupamos por el mundo sin salvación. A medida que nos estaban cerrados dentro de las cuatro paredes del edificio de la iglesia, no había compasión por los perdidos.

Muchos hoy en día están buscando una visión mágica que produce el crecimiento, pero yo creo que la multiplicación sólo se genera cuando la iglesia es compasiva en alcanzar a los perdidos. Cuando comenzamos a predicar intencionadamente sobre la condición del mundo perdido, el cual es como un rebaño sin pastor, y dirige a nuestro pueblo a ver el mundo a través de los ojos de Jesús, la multiplicación comenzó a ocurrir. Debido a que sólo la compasión es capaz de hacer una iglesia aceptar un desafío de enormes proporciones como “alimentar” una gran multitud, a cooperar para el cumplimiento de la Gran Comisión. Sólo la compasión dirige una iglesia a salir de la zona de confort y sacrificarse por los demás.

Muchos cristianos no se involucran porque piensan que lo que pueden hacer es muy poco, como ofrecer su casa, siendo un asistente del líder, o tener un par de horas por semana para dirigir una célula. Pero poco en las manos de Jesús se hace mucho. Cada entrega, el sacrificio y la renuncia cuando está motivado por la compasión siempre atraer a la intervención divina, porque el Dios que desafías es el que te da poder. En el milagro de la multiplicación de los panes y los peces, los discípulos decidieron no hacerlo todo por sí mismos, pero comenzaron a trabajar con Jesús y bajo sus órdenes.

Los campos están llenos para la siega. Y yo creo que cada vez que estamos dispuestos a dar lo que podemos dar y ofrecer algo de valor a Jesús, motivados por el amor, el Señor libera el poder y la gracia a una verdadera multiplicación.

Multiplication through New Believers

coach_mario2016speaking

by Mario Vega, www.elim.org.sv

When a church makes its transition to cell ministry, it starts off with a very important foundation: the mature members of the congregation. In the early years it’s  not difficult to find new leaders  since the congregation already has mature people with leadership ability. However, when the initial leadership well runs dry, the ability to multiply stagnates. At this point, the question arises: Where does the church find new leaders? The answer is that they must be generated through the new people entering the church.

To make this possible, a church needs to care for the new believers and to prepare them to become disciples who eventually become the new leaders.  An important tool to achieve this is the Leader’s Route or training course. The Leader’s Route normally goes from conversion to leadership. Thus, every believer in a cell church follows a path that will lead him to become a new cell leader. Of course this process takes time. But once the route has been established, it becomes a continuous flow of new believers on their way to leadership. As time passes by, more and more people are trained on the Leader’s Route and there is a continual flow of new people that produces new cell leaders.

For this to succeed a church needs to involve all new believers in the Leader’s Route. In other words, it’s essential to close the back door to retain the fruit of evangelism in cells. In this way, the cell cycle feeds on itself and the multiplication capacity extends over time. It will probably not be as aggressive as in the beginning, but it will be sustained and constant.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Multiplicação através dos novos crentes

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Quando uma igreja faz a sua transição para o ministério celular, ela começa com uma base muito importante: os membros maduros da congregação. Nos primeiros anos, não é difícil de encontrar novos lideres, desde que a congregação já tenha pessoas maduras com a habilidade de liderança. No entanto, quando o poço da liderança inicial seca, a capacidade de multiplicar estagna. Neste ponto, surge a pergunta: Onde é que a igreja irá encontrar novos líderes? A resposta é que eles devem ser gerados através das novas pessoas que entram na igreja.

Para tornar isso possível, a igreja igreja precisa cuidar dos novos crentes e prepará-los para se tornarem discípulos que, eventualmente se tornarão os novos líderes. Uma ferramenta importante para alcançar este objetivo é o trilho de liderança ou curso de formação. O trilho de liderança normalmente acontece desde a conversão até a liderança. Assim, cada crente de uma igreja em células segue um caminho que vai levá-lo a se tornar um novo líder de célula. É claro que este processo leva tempo. Mas, uma vez que a rota foi estabelecida, isso se torna um fluxo contínuo de novos crentes a caminho da liderança. Com o passar do tempo, mais e mais pessoas são treinadas nos trilhos de liderança, e há um fluxo contínuo, de novas pessoas, que produz novos líderes de célula.

Para isso funcionar, a igreja precisa envolver todos os novos crentes no trilho de liderança. Em outras palavras, é é importante “fechar a porta dos fundos” para manter os frutos do evangelismo nas células. Dessa forma, o ciclo celular alimenta a si mesmo e a capacidade de multiplicação se estende ao longo do tempo. Ela provavelmente não será tão agressiva como no início, mas vai ser sustentada e constante.

Spanish blog:

Multiplicación a partir de los nuevos creyentes

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Cuando una iglesia hace su transición al trabajo celular parte de una base muy importante: los miembros maduros de la congregación. En los primeros años no será difícil encontrar nuevos candidatos a líderes dado que la congregación ya cuenta con personas maduras en la fe y con cierta habilidad para el liderazgo. No obstante, cuando esa base inicial se agota la capacidad de multiplicación tiende a decrecer. En ese punto es donde surge la pregunta: ¿De dónde se obtendrán nuevos líderes? La respuesta es que deben ser generados a partir de las personas nuevas que van ingresando a la iglesia.

Para hacer eso posible se necesita cuidar de los nuevos creyentes y hacerlos discípulos hasta que se conviertan en nuevos líderes. Una herramienta importante para lograrlo es la Ruta del Líder o curso de entrenamiento. Normalmente la Ruta del Líder va de la conversión al liderazgo. De esa manera, toda persona que cree en una iglesia celular sigue un camino que le conducirá a convertirse en un nuevo líder de célula. Por supuesto que ese proceso toma su tiempo. Pero, una vez la Ruta ha sido establecida, se convierte en un flujo continuo de nuevos creyentes que van camino al liderazgo. En la medida que el tiempo pasa, cada vez son más las personas siendo entrenadas en la Ruta del Líder. Aunque la primera promoción tomará su tiempo en completar su entrenamiento, la siguiente semana vendrá otra y así sucesivamente.

Para que eso tenga éxito se necesita involucrar a todo nuevo creyente en la Ruta del Líder. En otras palabras, cerrar la puerta trasera para retener el fruto de la evangelización en las células. De esa manera, el ciclo celular se alimenta a sí mismo y la capacidad de multiplicación se extiende en el tiempo. Tal vez no de manera tan agresiva como al principio, pero sí de manera sostenida y constante.

Healthy Cells Multiply

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

Joel Comiskey has taught us a lot about the danger of putting too much focus on numerical multiplication and not enough focus on discipleship. As I look back on our successes and failures in multiplication, I see a couple of key principles. The first one is obvious. Healthy cells reproduce healthy cells. Unhealthy cells do not reproduce. Others have emphasized this principle.

Second, new leaders begin new cells. This is why it is so important to have a leader in training who the group understands will be forming a new cell when the mother cell multiplies. I would say that if a group does not have a new leader in training, they probably don’t expect to multiply. A few years ago when we started our prototype, the goal was to have the members of the group all start their own groups. As I look at our groups today, the groups that have not multiplied do not have a leader in training. Is this a merely a coincidence or an undesired result?

Thirdly, if you don’t expect to reach the unchurched, you probably won’t. Your group will love one another, encourage one another and pastor one another, but you probably won’t open yourselves up to people who do not know Christ. Without some intentionality, you won’t prepare a “Blessing List.” You won’t look for ways to connect your unchurched friends and family with the people in your cell. In fact, you may not even attempt to develop any friendships with the unchurched. However, when you are intentional about making friendships with people around you who do not know Jesus, you will find them.

Fourth, the pastor/leader must keep this vision in front of the cell and the church. Multiplication is a necessary part of life. When our cells stop multiplying, we die. The longer a cell waits to multiply, the harder it will be to give birth to a new cell. Members will feel so close to one another that they won’t want to leave to form a new cell. Intimacy will eventually hinder outsiders from feeling welcome and ultimately, the cell will grow old and die.

There are thousands of churches that say they are friendly. I think most churches believe that they are friendly. Most would long to have some new people attend and even become believers. However, most churches in America are not growing. I wonder. Could it have something to do with the principles I have mentioned above? Healthy cells multiply.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Células Saudáveis Multiplicam

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Joel Comiskey nos ensinou muito sobre o perigo de colocar muito foco na multiplicação numérica e não colocar foco o suficiente no discipulado. Quando olho para os nossos sucessos e falhas em multiplicar, eu vejo alguns princípios-chave. O primeiro é óbvio. Células saudáveis produzem células saudáveis. Células doentes não reproduzem. Outras pessoas já enfatizaram este princípio.

O segundo princípio é que novos líderes iniciam novas células. É por isso que é tão importante ter um líder em treinamento que o grupo entenda que vai formar uma nova célula quando a célula-mãe multiplicar. Eu diria que se uma célula não tem um novo líder em treinamento, ela provavelmente não espera se multiplicar. Alguns anos atrás quando nós começamos o nosso grupo protótipo, o objetivo era que todos os membros começassem suas próprias células. Quando olho para nossos grupos hoje, vejo que as células que não multiplicaram não têm um líder em treinamento. Isso é uma mera coincidência ou um resultado indesejado?

Em terceiro lugar, se você não espera alcançar os não convertidos, você provavelmente não vai conseguir alcançá-los. Os membros de seu grupo vão amar uns aos outros, encorajar uns aos outros e pastorear uns aos outros, mas vocês provavelmente não vão se abrir para as pessoas que não conhecem a Cristo. Sem intencionalidade, vocês não vão preparar uma “Lista de Bênçãos” (lista de oração). Vocês não vão procurar formas de conectar seus amigos e familiares não convertidos com as pessoas em sua célula. Na verdade, vocês podem nem tentar desenvolver qualquer amizade com quem não é cristão. No entanto, quando você é intencional sobre fazer amizade com pessoas ao seu redor que não conhecem Jesus, você vai encontrá-las.

Em quarto lugar, o pastor/líder deve manter a visão na frente da célula e da igreja. A multiplicação é uma parte necessária da vida. Quando as células do nosso corpo param de se multiplicar, nós morremos. Quanto mais tempo uma célula espera para multiplicar, mais difícil será para ela dar à luz a uma nova célula. Os membros se sentirão tão próximos uns dos outros que não vão querer sair para formar uma nova célula. A intimidade eventualmente vai impedir que as pessoas de fora se sintam bem-vindas e, por fim, a célula vai envelhecer e morrer.

Existem milhares de igrejas que se dizem amigáveis. Eu acho que a maioria das igrejas acredita que são amigáveis. A maioria gostaria de ter novas pessoas frequentando e até se convertendo. Contudo, a maioria das igrejas na América do Norte não está crescendo. Eu me pergunto: será que isso está relacionado aos princípios que eu mencionei acima? Células saudáveis multiplicam.

Spanish blog:

Células sanas se multiplican

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Joel Comiskey nos ha enseñado mucho sobre el peligro de poner demasiado énfasis en la multiplicación numérica y no lo suficiente en el enfoque del discipulado. Cuando miro hacia atrás en nuestros éxitos y fracasos en la multiplicación, veo un par de principios clave. El primero es obvio. Las células sanas reproducen células sanas. Las células enfermas no se reproducen. Otros han hecho hincapié en este principio.

En segundo lugar, los nuevos líderes comienzan nuevas células. Es por esto que es tan importante tener un líder en la formación del grupo, el cual entiende cual será la formación de una nueva célula cuando la célula madre se multiplica. Yo diría que, si un grupo no tiene un nuevo líder en formación, ellos probablemente no van a multiplicarse. Hace unos años, empezamos nuestro prototipo, el objetivo era que todos los miembros del grupo comenzaran sus propios grupos. Cuando miro a nuestros grupos de hoy en día, los grupos que no se han multiplicado no tienen un líder en formación. ¿Es esta una mera coincidencia o un resultado no deseado?

En tercer lugar, si usted no espera alcanzar a los inconversos, es probable que no lo hará. Su grupo amara los unos a otros, se animan el uno a otro y el pastor entre sí, pero es probable que no se va a abrir a las personas que no conocen a Cristo. Sin una cierta intencionalidad, no se preparará una “Lista de Bendición”. Usted no va a buscar la manera de conectar sus amigos y familiares inconversos con las personas en su célula. De hecho, puede que ni siquiera intente desarrollar cualquier amistad con los inconversos. Sin embargo, cuando se está intencionado en hacer amistades con personas a su alrededor que no conocen a Jesús, se dará cuenta de ellos.

En cuarto lugar, el pastor/líder debe mantener esta visión en la parte delantera de la célula y la iglesia. La multiplicación es una parte necesaria de la vida. Cuando nuestras células dejan de multiplicarse, morimos. Cuanto más tiempo tome una célula para multiplicarse, más difícil será dar a luz a una nueva célula. Los miembros se sienten tan cerca uno del otro que no van a querer salir para formar una nueva célula. La intimidad con el tiempo obstaculizará la sensación de bienvenida y en última instancia, la célula envejecerá y morirá.

Hay miles de iglesias que dicen que son amigables. Creo que la mayoría de las iglesias creen que son amigables. La mayoría amaría tener algunas nuevas personas asistiendo e incluso convirtiéndose en creyentes. Sin embargo, la mayoría de las iglesias en los Estados Unidos no están creciendo. Me pregunto. ¿Podría tener algo que ver con los principios que he mencionado anteriormente? Las células sanas se multiplican.

Do Not Get Too Comfortable

coaches_angel

By Angel Manuel Hernandez Gutierrez, www.misionmoderna.com

“And God spoke to Israel in the visions of the night, and said, Jacob, Jacob. And he said, Here am I. And he said, I am God, the God of your fathers: do not fear to go down into Egypt; for I will be with you there and make of you a great nation”(Gen. 46: 2-3). As a result of the famine in the land, Jacob and his sons went into exile to experience the abundance of Egypt.

Entering into Egypt, a prototype of the world, is an easy thing. It’s far more difficult to leave. In fact, leaving Egypt was so difficult that it became the most important event in the history of Israel. God brought the children of Israel to Egypt to increase and multiply, not to stay there permanently. But it was time for them to leave, they held on to the comforts of Egypt and didn’t want to leave.

When a group becomes comfortable—like the children of Israel in Egypt, it hinders the possibilities of multiplication. And it’s easy to become comfortable in groups. Fellowship is important but it should never be an excuse not to multiply. In fact, multiplication is not an option for the people of God. If we do not multiply we will disappear.

As Christians, we are in the world but not of the world (Jun. 15:19 Phil. 3:20). We are in this world to multiply and bear fruit, and to do so, we must not get too comfortable.

Angel

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Não Fique Muito Confortável

Por Angel Manuel Hernandez Gutierrez, www.misionmoderna.com

“E falou Deus a Israel em visões de noite, e disse: Jacó, Jacó! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Eu sou Deus, o Deus de teu pai; não temas descer ao Egito, porque eu te farei ali uma grande nação” (Gênesis 46: 2-3). Como resultado da fome na terra, Jacó e seus filhos foram para o exílio para experimentar a abundância do Egito.

Entrar no Egito, um protótipo do mundo, é uma coisa fácil. Sair é muito mais difícil. De fato, deixar o Egito foi tão difícil que se tornou o evento mais importante na história de Israel. Deus tirou os filhos de Israel ao Egito para eles crescerem e se multiplicarem, não para ficarem lá permanentemente. Mas chegou a hora de eles saírem, e eles se apegaram ao conforto do Egito e não queriam sair.

Quando um grupo fica confortável, como os filhos de Israel no Egito, isso dificulta as possibilidades de multiplicação. E é fácil ficar confortável nos grupos. A união é importante, mas ela nunca deve ser uma desculpa para não multiplicar. Na verdade, a multiplicação não é opcional para o povo de Deus. Se não multiplicarmos, vamos desaparecer.

Como cristãos, nós estamos no mundo, mas não somos do mundo (João 15:19, Filipenses 3:20). Nós estamos neste mundo para multiplicar e dar frutos, e para isso nós não devemos ficar muito confortáveis.

Angel

Spanish blog:

No Te Acomodes

Por Angel Manuel Hernandez Gutierrez, www.misionmoderna.com

“Y habló Dios a Israel en visiones de noche, y dijo: Jacob, Jacob. Y él respondió: Heme aquí. 3 Y dijo: Yo soy Dios, el Dios de tu padre; no temas de descender a Egipto, porque allí yo haré de ti una gran nación” (Gen. 46:2-3).

Como consecuencia del hambre en la tierra, Jacob y sus hijos tienen que exiliarse en la abundancia de Egipto. Entrar en Egipto, tipo del mundo es fácil, lo difícil es salir de el. Salir de Egipto fue tan difícil, que constituyó el hecho mas importante en la historia de Israel. El hecho mas importante en la vida de un cristiano también es su salida del mundo, tipo de Egipto (1Cor 10:1-5). ¿Por qué le dijo Dios a Jacob que entrara en Egipto? No fue por causa de su supervivencia porque a Isaac que también experimento lo mismo le dijo que se quedara en Canaan y allí lo sostuvo.

Sin embargo, la entrada en Egipto no fue por causa de la supervivencia de Jacob, recordemos que Isaac vivió una situación semejante, pero Dios le prohibió entrar en Egipto (Gen 26:2-5). La razón por la que Dios le dijo a Jacob que entrara en Egipto fue la multiplicación, por eso dice  “porque allí yo haré de ti una gran nación”. Pero ¿por qué a Isaac se le multiplicó sin tener que entrar en Egipto (Gen 26:4)? Porque Isaac era extranjero todavía en la tierra de Canaan, sin embargo, Jacob ya se había asentado y apropiado de la tierra de Canaan, que la consideraba suya. Pero eso llevo a Jacob a tal acomodamiento que sus hijos comenzaron enfrentarse unos a los otros, llegando a incluso a querer matar a uno de sus hermanos, de hecho José le dijo a sus hermanos cuando los despidió para que trajeran a su padre, en “Génesis 45:24 … No riñáis por el camino”.

Cuando el grupo está acomodado destruye las posibilidades de multiplicación, porque se consumen unos a otros, como dijo el Apóstol Pablo en “Gálatas 5:15 Pero si os mordéis y os coméis unos a otros, mirad que también no os consumáis unos a otros”. Todo grupo que se acomoda se consume y no se multiplica. Cuando un grupo no tiene un plan misional, ese grupo termina desapareciendo o enfrascándose en críticas y murmuraciones. La multiplicación no es una opción en el pueblo de Dios, es la única forma de supervivencia en este mundo. Si no nos multiplicamos desapareceremos.

Dios no envía a su pueblo a Egipto para sostenerlo, sino para multiplicarlo, pero lo coloca en una región separada (Gen 46:31-34), porque Israel estuvo en Egipto pero no fue nunca de Egipto ni se mezcló con el. Como nosotros los cristianos, que estamos en el mundo, pero no somos del mundo (Jun. 15:19, Filip. 3:20).

Estamos en el mundo para multiplicarnos, no nos acomodemos.

Bendiciones de lo Alto

Ángel Manuel Hernández Gutierrez

www.misionmoderna.com