Every Believer Can Become a Leader

by Gerardo Campos

When I led the youth in a traditional structure, I believed that very few of them could lead. I realized how wrong I was when the church made its transition to the cell model. I saw those who had been overshadowed by my subjective judgment shining. As time passed by I understood the principle that every believer can become a leader.

The growth of each congregation is also proportional to the depth of the spiritual life of the senior pastor. That gives the church a great opportunity to be well-formed in their Christian life, so that every teaching during the celebration services will prepare the saints for the work of the ministry and will nourish the vision of those who lead cells.

The ministering of the Word of God in the congregation is the best place of equipping in the preparation of new leaders. In the district that I coordinate, this preparation is complemented by the accompaniment of the cell supervisors (coaches), who must be clear on the principle of “generating more leaders than are needed” to achieve the established goals. They must be willing to empower the members by becoming themselves true mentors to contribute to their development. In this way, the supervisors  will be able to make every Christian shine for the glory of God.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Ser um Cristão é Ser um Líder

Por Gerardo Campos

Quando eu liderava jovens em uma estrutura tradicional, eu acreditava que pouquíssimos deles poderiam liderar. Eu percebi o quão errado eu estava quando a igreja fez a sua transição para o modelo de células. Eu vi aqueles que tinham sido ofuscados porque meu julgamento estava brilhando. Com o passar do tempo compreendi o princípio de que todo crente pode se tornar um líder.

O crescimento de cada congregação também é proporcional à profundidade da vida espiritual do pastor sênior. Isso dá à igreja uma grande oportunidade de ser bem formada em sua vida cristã, de modo que todo ensinamento durante os cultos de celebração vai preparar os santos para a obra do ministério e nutrir a visão daqueles que lideram as células.

A ministração da Palavra de Deus na congregação é o melhor modo para equipar no preparo de novos líderes. No distrito que eu coordeno, esta preparação é complementada pelo acompanhamento dos supervisores de células (treinadores), que devem ser claros sobre o princípio de “gerar mais líderes do que são necessários” para atingir as metas estabelecidas. Eles devem estar dispostos a capacitar os membros tornando-se mentores verdadeiros para contribuir com o seu desenvolvimento.

Desta forma, os supervisores serão capazes de fazer todo cristão brilhar para a glória de Deus.

Spanish blog:

Sere Cristiano Es Ser Líder

por Gerardo Campos

Cuando lideraba a los jóvenes en la congregación de organización tradicional, creía que eran muy pocos los que entre ellos tenían liderazgo. Comprendí cuán equivocado estaba cuando la iglesia hizo su transición al modelo celular. Miré brillar a aquellos que habían estado eclipsados por mi criterio subjetivo. Con el pasar del tiempo entendí el principio de que todo creyente puede llegar a ser un líder.

El crecimiento de cada congregación es también proporcional a la profundidad de la vida espiritual del pastor principal. Eso proporciona a la iglesia una gran oportunidad de ser bien formados en su vida cristiana, de tal manera que cada enseñanza durante los servicios de celebración capacitará a los santos para lo obra del ministerio y alimentará la visión de los que lideran células.

La ministración de la Palabra de Dios, en la congregación, es el mejor lugar de equipamiento en la preparación de nuevos líderes. En el distrito que coordino esa preparación se completa por el acompañamiento de los supervisores de células, quienes deberán tener claro el principio de “generar más líderes de los que se necesitan” para alcanzar las metas establecidas, y buscarán potenciar a los miembros convirtiéndose ellos en verdaderos mentores para contribuir a su desarrollo.

Los supervisores saben entonces, que si trabajan de la mejor manera la movilización de las personas a la congregación, y que si son buenos asesores, podrán lograr que cada cristiano en cierto momento brille para el Dios que los ha escogido.

Preparation – Source of Confidence

coaches_jeffTun2011By Jeff Tunnell

There are many among us who are eager to serve the Lord. The general response when asked to start serving in a cell group is apprehensiveness due to feeling unqualified. Some of us have worked that out ourselves and understand the nervous place of uncertainty. No one enjoys failing.

Preparation is a source of confidence. Equipping potential new leaders is more than discipleship. Equipping is focused on providing knowledge and skills necessary to accomplish an important task. It follows spiritual formation and discipleship. It is an additional and intentional step toward becoming useful in the service of our Lord.

Information is shared and skills are practiced under the supervision of someone who already demonstrates proficiency with the information and skills involved in the new leader’s equipping. They are being prepared to lead on their own, while working alongside a seasoned coach.

When sufficient ability is reached, the coach steps back to observe from a distance as the new leader practices what they have learned, (Think – soccer, baseball, acting, orchestra, etc).

When the new leader’s preparation becomes their source of confidence, they will excel. At this point, the coach will take a position of adviser and encourager, ensuring the longevity of the student.

Equipping should be ongoing in the cell church, helping to discover those eager to serve. Regular vision casting from the leadership via all church correspondence, whether written or spoken supports the new leader by keeping them focused on the overall work of the kingdom.

All will then say, “That of which I am a part, is greater than the part I play. But the part I play is extremely important!”

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Preparação – Fonte de Confiança

Por Jeff Tunnell

Há muitos entre nós que estão ansiosos para servir ao Senhor. A resposta geral que recebemos quando pedimos para alguém começar a servir em uma célula é a apreensão devido ao sentimento de ser desqualificado(a). Alguns de nós passaram por isso e compreendem o nervoso que a incerteza traz. Ninguém gosta de falhar.

A preparação é uma fonte de confiança. Equipar novos líderes em potencial é mais do que discipulá-los. O equipamento está focado em fornecer conhecimento e habilidades necessárias para realizarem uma tarefa importante. Ele segue a formação espiritual e o discipulado. É um passo adicional e intencional para se tornar útil ao serviço de nosso Senhor.

A informação é compartilhada e as habilidades são praticadas sob a supervisão de alguém que já demonstra proficiência com as informações e habilidades envolvidas no equipamento do novo líder. Eles são preparados para liderar por conta própria enquanto trabalham ao lado de um treinador experiente.

Quando a habilidade suficiente é alcançada, o treinador se afasta para observar a distância à medida que o novo líder pratica o que aprendeu (Pense – futebol, beisebol, atuação, orquestra, etc).

Quando o preparo do novo líder se torna a fonte de confiança deles, eles vão se destacar. Neste ponto, o treinador terá uma posição de conselheiro e incentivador, garantindo a longevidade do aluno.

O processo de equipamento deve ser contínuo na igreja em células, ajudando a descobrir aqueles que estão ansiosos para servir. O lançamento regular da visão da liderança para toda a igreja, seja de modo escrito ou falado, sustenta os novos líderes, mantendo-os focados no trabalho geral do reino.

Então, todos dirão: “Aquilo de que sou parte, é maior do que a parte que eu desempenho. Mas a parte que eu desempenho é extremamente importante!”

Jeff

Spanish blog:

Preparación – Fuente de confianza

Por Jeff Tunnell

Hay muchos entre nosotros que están ansiosos de servir al Señor. La respuesta general cuando preguntan es que comience a servir en un grupo de células eso es la aprensión debido a la sensación de incompetencia. Algunos de nosotros hemos trabajado eso nosotros mismos y entendemos el lugar nervioso de la incertidumbre. Nadie disfruta fallar.

La preparación es una fuente de confianza. Equipar posibles nuevos líderes es más que discipulado. El equipamiento se concentra en proporcionar conocimientos y habilidades necesarias para llevar a cabo una tarea importante. Sigue la formación espiritual y el discipulado. Es un paso adicional e intencional para llegar a ser útil en el servicio de nuestro Señor.

La información es compartida y las habilidades se practican bajo la supervisión de alguien que ya demuestra habilidad con la información y habilidades involucradas en el equipamiento del nuevo líder. Están siendo preparados para dirigir por su cuenta, mientras trabajan junto con un entrenador experimentado.

Cuando se alcanza la habilidad suficiente, el entrenador retrocede para observar a distancia mientras el nuevo líder practica lo que ha aprendido, (Piense – fútbol, béisbol, actuación, orquesta, etc.).

Cuando la preparación del nuevo líder se convierta en su fuente de confianza, sobresaldrán. En este punto, el entrenador tomará una posición de consejero y animador, asegurando la longevidad del estudiante.

El equipar debe estar en curso en la iglesia de la célula, ayudando a descubrir aquellos dispuestos a servir. La visión regular de la dirección a través de toda la correspondencia de la iglesia, ya sea escrito o hablado, apoya al nuevo líder al mantenerlos enfocados en el trabajo general del reino.

Todos dirán entonces: “Lo que yo soy parte es mayor que la parte que toco. ¡Pero la parte que toco es extremadamente importante!”

Jeff

From Cell Leader to Church Pastor

By Jairo Garcia

I believe it is extremely important that as a group leader, you make sure all members go through the new leader’s training course. But it is also important to assign responsibilities to the group members. Some of those responsibilities may include, leading worship and prayer, inviting friends, and teaching bible study. These empower the members to become part of the leadership team of the group and will prepare them to lead a group in the future. The following story relates the message more clearly.

I started as a cell leader when I was 16 years old. I had the honor to have a new adult believer join my group. I remember that he was hungry to learn about God (because he would ask me a lot of questions about the Bible). Through time, he went through the new leader’s training course and was invited to be involved in the group. He became part of the leadership of the cell group and participated in leading worship and prayer; he invited a lot of new people; and eventually became a group leader as well. In a short period of time, he was able to multiply his group, and he even became a successful coach to other group leaders. After that, God called him to become the Elder of the church. A few years ago, God put on his heart the desire to plant a new Elim Church in East Los Angeles. His name is Martin Gamino and he is the Pastor of Elim Church in East Los Angeles. I have the great honor to have been a witness of the spiritual growth of Pastor Gamino. From cell leader to church pastor.

This is a live example of what God is able to do with people when we do our part as group leaders. The cell ministry is worth it! It bears much fruit!

 Korean blog (click here)

Portuguese blog:

De Líder de Célula a Pastor de Igreja

Por Jairo Garcia

Acredito que é extremamente importante que, como líder de grupo, você se certifique de que todos os membros passem pelo curso de treinamento do novo líder. Mas também é importante atribuir responsabilidades aos membros do grupo. Algumas dessas responsabilidades podem incluir liderar a adoração e oração, convidar amigos e ensinar o estudo bíblico. Isso capacita os membros a se tornarem parte da equipe de liderança da célula e vai prepará-los para liderar um grupo no futuro. A história seguinte relaciona a mensagem com mais clareza.

Eu comecei como um líder de célula quando eu tinha 16 anos de idade. Tive a honra de ter um novo convertido adulto se juntando ao meu grupo. Eu me lembro que ele estava com fome de aprender sobre Deus (porque ele me fazia muitas perguntas sobre a Bíblia). Com o tempo, ele passou pelo curso de formação do novo líder e foi convidado a participar no grupo. Ele se tornou parte da liderança da célula e participou liderando a adoração e o momento de oração; ele convidou um monte de pessoas novas; e eventualmente também se tornou um líder de grupo. Em um curto período de tempo, ele foi capaz de multiplicar o seu grupo, e ele mesmo se tornou um treinador de sucesso para outros líderes de célula. Depois disso, Deus o chamou para se tornar o Ancião da igreja. Alguns anos atrás, Deus colocou em seu coração o desejo de plantar uma nova igreja Elim na região East Los Angeles. Seu nome é Martin Gamino e ele é o pastor da Igreja Elim em East Los Angeles. Tenho a grande honra de ter sido testemunha do crescimento espiritual do Pastor Gamino. De líder de célula a pastor de igreja.

Este é um exemplo vivo do que Deus é capaz de fazer com as pessoas quando fazemos a nossa parte como líderes de célula. O ministério celular vale a pena! Ele dá muitos frutos!

Spanish blog:

De líder de célula a pastor de la iglesia

por Jairo Garcia

Creo que es muy importante que el líder de la célula se asegure que los miembros reciban el entrenamiento para nuevos líderes (Ruta de Líder). Pero además pueda involucrar a los miembros de la célula con responsabilidades tales como: cantar alabanzas, traer invitados, llevar la oración, compartir el tema bíblico, etc. El hacer esto, va a permitir que los miembros se conviertan en parte del equipo de liderazgo de la célula y les permite estar preparados para cuando ellos lleguen a ser líderes de una célula. La siguiente historia explica mejor lo que trato de comunicarles.

Cuando yo comencé de líder a la edad de 16 años, tuve el gran privilegio que a mi célula asistiera un adulto recién convertido. Recuerdo que él tenía gran hambre por aprender de la palabra de Dios (porque me hacía muchas preguntas de la Biblia). Con el tiempo, el recibió el entrenamiento para nuevos líderes. También se involucró en la célula llevando los cantos, la oración, trayendo invitados, compartiendo el tema bíblico y se convirtió en un líder de célula. En poco tiempo, él tuvo el privilegio de multiplicar su célula varias veces y llegó a ser un supervisor de células con mucho éxito. Después Dios lo llamó a ser anciano de la Iglesia y hace algunos años Dios puso en su corazón comenzar una nueva obra de Elim y ahora es el pastor de Iglesia Elim Este De Los Ángeles, y su nombre es Martin Gamino. Tengo el gran honor de haber sido testigo del crecimiento espiritual del pastor Gamino. De líder de célula a pastor de la iglesia.

Esto es lo que Dios puede hacer con las personas si tan solo hacemos nuestra parte en la obra de Dios como líderes. El trabajo en las células no es en vano. Trae mucho fruto!

Empowering Cell Group Members for Multiplication

By Jairo Garcia

[I, Joel Comiskey, am pleased to introduce Jairo L. Garcia, a long-time member of an Elim Church for some 16 years and still continues his relationship with Elim by attending cell conferences and maintaining a friendship with various pastors from Elim. Starting at the age of 16, Jairo has served in various roles such as cell leader and coach, church treasurer and other areas of ministry as well. He currently attends Gateway Church in North Texas, is involved in a men’s cell group and his wife is a host for a woman’s cell group in their home. Jairo met me and the JCG team back in 2011 in a conference in Dallas. Then in 2012 and 2013 he collaborated with the JCG team with organizing other conferences in Dallas. Jairo continues to have a passion for learning more about the cell movement and is thankful to the JCG team for providing so much learning material and support through books and conferences.]

I believe that one of your responsibilities as a group leader is to make sure all of the members of your group go through the new leader’s training course. Here are two great benefits:

  1. When a group member goes through the new leader’s training course, it provides a broader knowledge about the cell ministry in general. But the main benefit is that it teaches the need for multiplying. By learning and understanding these principals, it allows the member to cooperate with the group leader when the time to multiply the group has come. The cell leader will need all the support possible from the cell members for a new cell group to be born.
  2. Having gone through the new leader’s training course allows the group member to have the necessary training to become a group leader when multiplication arrives. Even if the group member has not expressed an interest in becoming a group leader, when multiplication arrives, he/she will have the tools needed to assist in the process.

In conclusion, I believe it is important that as a group leader, you make sure that all of your members go through the new leader’s training course. This will aid them in their spiritual growth and understanding of the cell ministry but it will also provide them with the training and tools needed to assist in the process of multiplication.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Empoderando os Membros da Célula para a Multiplicação

Por Jairo Garcia

[Eu, Joel Comiskey, tenho o prazer de apresentar Jairo L. Garcia; ele foi um membro de uma Igreja Elim por cerca de 16 anos e ainda continua seu relacionamento com a Elim participando de conferências de células e mantendo uma amizade com vários pastores da Elim. Começando com 16 anos de idade, Jairo serviu em vários papéis, tais como líder de célula e treinador, tesoureiro da igreja e em outras áreas do ministério também. Ele atualmente frequenta a Gateway Church no norte do Texas, está envolvido em uma célula de homens e sua esposa é uma anfitriã para uma célula de mulheres em sua casa. Jairo encontrou a mim e a equipe do Joel Comiskey Group (JCG) em 2011 em uma conferência em Dallas. Então, em 2012 e 2013, ele colaborou com a equipe JCG com a organização de outras conferências em Dallas. Jairo continua a ter uma paixão por aprender mais sobre o movimento celular e é grato à equipe JCG por fornecer tanto material de aprendizagem e apoio através de livros e conferências].

Acredito que uma de suas responsabilidades como líder de célula é certificar-se de que todos os membros de seu grupo passem pelo curso de treinamento para o novo líder. Aqui estão dois grandes benefícios:

1- Quando um membro do grupo passa pelo curso de treinamento de novo líder, ele recebe um conhecimento mais amplo sobre o ministério celular em geral. Mas o principal benefício é que ele aprende sobre a necessidade de multiplicar. Ao aprender e compreender esses princípios, o treinamento permite que o membro coopere com o líder quando chega o momento de multiplicar o grupo. O líder da célula precisará de todo o apoio possível dos membros para uma nova célula nascer.

2- Passar pelo curso de formação do novo líder permite que o membro do grupo tenha a formação necessária para se tornar um líder de célula quando a multiplicação chegar. Mesmo se o membro não tenha manifestado interesse em se tornar um líder de grupo, quando a multiplicação chega, ele(a) terá as ferramentas necessárias para ajudar no processo.

Para concluir, acredito que é importante que, como líder de grupo, você se certifique de que todos os seus membros passem pelo curso de treinamento do novo líder. Isso irá ajudá-los em seu crescimento espiritual e compreensão do ministério celular, mas também irá fornecer-lhes o treinamento e as ferramentas necessárias para auxiliar no processo de multiplicação.

Spanish blog:

Capacitando a los miembros del grupo para la multiplicacion

por Jairo Garcia

[Yo, Joel Comiskey, estoy contento de presentar a Jairo L. Garcia, un miembro de una iglesia de Elim por unos 16 años y todavía continúa su relación con Elim asistiendo a conferencias celulares y manteniendo una amistad con varios pastores de Elim. A partir de la edad de 16 años, Jairo ha servido en varios papeles, como líder de la célula y entrenador, tesorero de la iglesia y otras áreas del ministerio también. Actualmente asiste a Gateway Church en el norte de Texas y está involucrado en una célula de hombres y su esposa es anfitriona de una célula de mujeres en su hogar. Conocí a Jairo en 2011 en una conferencia en Dallas. Luego en 2012 y 2013 colaboró con el equipo de JCG con la organización de otras conferencias en Dallas. Jairo continúa teniendo una pasión por aprender más sobre el movimiento celular y está agradecido al equipo de JCG por proporcionar tanto material de aprendizaje y apoyo a través de libros y conferencias.]

Yo creo que una de las responsabilidades de los líderes es el de asegurarse que las personas que asisten a su célula puedan recibir el entrenamiento para nuevos líderes. También conocido como “Ruta de Líder”. Hay dos razones muy importantes para lo antes mencionado:

  1. Cuando el miembro de la célula recibe el entrenamiento o Ruta de Líder, le permite obtener un conocimiento más amplio del trabajo celular. Pero también le permite entender el beneficio por la que las células necesitan multiplicarse. Al haber entendido estos fundamentos permite que cuando la célula se llegue a multiplicar, el miembro pueda colaborar. El líder necesitará mucha ayuda de los miembros para que una nueva célula pueda nacer.
  2. El haber recibido el entrenamiento para nuevos líderes o Ruta de líder, le permite al miembro de la célula estar preparado para convertirse en líder en el momento de la multiplicación. Y aunque no llegue a ser líder, pero estará preparado para ayudar en el proceso de multiplicación.

En conclusión, yo creo que es muy importante que como líder puedas asegurarte que cada nuevo miembro que se agrega a tu célula pueda tomar el entrenamiento o Ruta de Líder. Le servirá de edificación y estará preparado con las herramientas necesarias para ser de apoyo en el proceso de la multiplicación.

Don’t Overlook Anyone

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, pastoral coaching available: www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html  (free first session available for those interested in receiving coaching)

In our upcoming 2017 book Groups that Thrive, Jim Egli and I point out that anyone who loves God and loves others is a super candidate for small group leadership. It doesn’t matter if group leaders are married or single, younger or older, highly educated or illiterate. It also does not matter if they are male or female, rich or poor.

We also discovered that the personality type and the spiritual gifts of the leaders don’t matter. Introverts are just as successful in leading their groups to growth as extroverts. Leaders lacking the gift of evangelism are just as likely to have a growing group as those who do have the gift. The gift of teaching, a highly valued gift in many churches,  also makes no difference in a group’s long-term growth.

One very encouraging implication is that all of the factors outside of a leader’s control don’t matter to the success of a group. You can’t control how old you are, what type of personality you have or what your spiritual gifts are—but none of these things make a significant difference. The differences between successful leaders and unsuccessful ones all relate to controllable behaviors, not to predetermined traits. The research reveals that anyone can be a successful leader, no matter what his or her personality or place in life, if the leader looks to God and reaches out to others in caring ways.

Small group leaders should be encouraged by our research.  Whether you’re male or female, educated or uneducated, married or single, shy or outgoing, a teacher or an evangelist, you can grow your group. The anointing for multiplication doesn’t reside with just a few. These statistics reveal that gender, age, marital status, personality, and gifting have little to do with effectiveness as a small group leader. As we’ll see in the following chapters, thriving groups depend on simple basics that anyone can put into practice.

I encourage small group leaders to view all members as “potential leaders” (disciple-makers) and sponsor all of them to eventually become part of a leadership team. I’ve noticed that there are far too many “assistant small group leaders” who do nothing but occupy a title. Such a title draped over one or two people often hinders other members from assuming the role of leader.

Granted, not everyone will lead a group for a variety of reasons. But as soon as a small-group system is infected with the thinking that only certain people can lead a group, many believers will become frustrated, forever classified as incapable. The body of Christ belongs to the Body of Christ. As leaders, it’s important to commit to train each believer to minister. We must commit ourselves 100% to the priesthood of all believers. I believe that we will reap a mighty harvest, as we commit ourselves to prepare and use young Christians, women, the less likely, and everyone else in the congregation.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Não Esqueça Ninguém

Por Joel Comiskey, treinador pastoral Disponível: www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html (primeira sessão gratuita para os interessados em receber treinamento)

Em nosso próximo livro de 2017 Groups that Thrive (Grupos Que Prosperam, em tradução livre), Jim Egli e eu apontamos que qualquer um que ama a Deus e ama os outros é um super candidato para a liderança de pequenos grupos. Não importa se os líderes de grupo são casados ou solteiros, mais jovens ou mais velhos, altamente educados ou analfabetos. Também não importa se eles são homens ou mulheres, ricos ou pobres.

Descobrimos também que o tipo de personalidade e os dons espirituais dos líderes não importam. Os introvertidos são tão bem-sucedidos em liderar seus grupos para o crescimento quanto os extrovertidos. Líderes que não têm o dom do evangelismo são tão propensos a ter um grupo em crescimento quanto aqueles que têm o dom. O dom do ensino, um presente altamente valorizado em muitas igrejas, também não faz nenhuma diferença no crescimento de um grupo a longo prazo.

Uma implicação muito encorajadora é que todos os fatores fora do controle de um líder não importam para o sucesso de um grupo. Você não pode controlar quantos anos você tem, que tipo de personalidade você tem ou quais são seus dons espirituais – mas nenhuma dessas coisas faz uma diferença significativa. As diferenças entre os líderes bem-sucedidos e os malsucedidos se relacionam com comportamentos controláveis, e não com traços predeterminados. A pesquisa revela que qualquer pessoa pode ser um líder bem-sucedido, não importa qual a sua personalidade ou momento na vida se o líder olha para Deus e alcança os outros de maneiras cuidadosas.

Os líderes de pequenos grupos devem ser incentivados por nossa pesquisa. Se você é homem ou mulher, educado ou não educado, casado ou solteiro, tímido ou extrovertido, um mestre ou um evangelista, você pode crescer o seu grupo. A unção para a multiplicação não reside em apenas algumas pessoas. Essas estatísticas revelam que gênero, idade, estado civil, personalidade e dons têm pouco a ver com a eficácia para um líder de pequeno grupo. Como veremos nos capítulos seguintes, grupos prósperos dependem de princípios básicos simples que qualquer pessoa pode colocar em prática.

Eu encorajo os líderes de pequenos grupos a verem todos os membros como “líderes potenciais” (discipuladores) e a patrocinarem todos eles para que, eventualmente, se tornem parte de uma equipe de liderança. Tenho notado que existem muitos “líderes assistentes de pequenos grupos” que não fazem nada, mas possuem um título. Um título como este sobre uma ou duas pessoas muitas vezes impede outros membros de assumirem o papel de líder.

É verdade que nem todo mundo vai liderar um grupo por uma variedade de razões. Mas assim que um sistema de pequenos grupos é infectado com o pensamento de que apenas certas pessoas podem liderar um grupo, muitos crentes se tornarão frustrados, sempre classificados como incapazes. O corpo de Cristo pertence ao Corpo de Cristo. Como líderes, é importante nos comprometermos a treinar cada convertido para ministrar. Devemos nos comprometer 100% com o sacerdócio de todos os santos. Eu acredito que nós colheremos uma colheita poderosa porque nós nos empenhamos para preparar e usar cristãos jovens, mulheres, os menos prováveis, e todos os outros na congregação.

Spanish blog:

No pase por alto a nadie

Por Joel Comiskey, entrenamiento pastoral disponible: www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html (primera sesión gratis disponible para aquellos interesados en recibir entrenamiento)

En nuestro próximo libro para el 2017 Los Grupos que prosperan, Jim Egli y yo señalamos que cualquiera que ama a Dios y ama a los demás es un súper candidato para el liderazgo en grupos pequeños. No importa si los líderes de grupo son casados o solteros, jóvenes o mayores, con altos niveles de educación o analfabetos. Tampoco importa si son hombres o mujeres, ricos o pobres.

También descubrimos que el tipo de personalidad y los dones espirituales de los líderes no importan. Los introvertidos son igual de exitosos en dirigir los grupos al crecimiento como extrovertidos. Los líderes que carecen del don de la evangelización son igual de probables de tener un grupo creciente como aquellos que sí tienen el don. El don de la enseñanza, un don altamente valorado en muchas iglesias, tampoco hace ninguna diferencia en el crecimiento a largo plazo de un grupo.

Una implicación muy alentadora es que todos los factores fuera del control de un líder no importan para el éxito de un grupo. No puedes controlar cuántos años tienes, qué tipo de personalidad tienes o cuáles son tus dones espirituales, pero ninguna de estas cosas marca una diferencia significativa. Las diferencias entre los líderes exitosos y los infructuosos se refieren a comportamientos controlables, no a rasgos predeterminados. La investigación revela que cualquiera puede ser un líder exitoso, sin importar cuál sea su personalidad o lugar en la vida, si el líder mira a Dios y se extiende a otros de maneras cuidadosas.

La investigación debe alentar a los líderes de grupos pequeños. Si usted es hombre o mujer, educado o sin educación, casado o soltero, tímido o saliente, profesor o evangelista, usted puede crecer su grupo. La unción para la multiplicación no reside sólo con unos pocos. Estas estadísticas revelan que el género, la edad, el estado civil, la personalidad y los dones tienen poco que ver con la efectividad como líder de un pequeño grupo. Como veremos en los siguientes capítulos, los grupos prósperos dependen de conceptos básicos simples que cualquiera pueda poner en práctica.

Animo a los líderes de grupos pequeños a que vean a todos los miembros como “líderes potenciales” (discipuladores) y patrocinen a todos ellos para que finalmente se conviertan en parte de un equipo de liderazgo. He notado que hay demasiados “líderes asistentes de grupos pequeños” que no hacen otra cosa que ocupar un título. Tal título cubierto por una o dos personas a menudo impide que otros miembros asuman el papel de líder.

Por supuesto, no todos liderarán un grupo por una variedad de razones. Pero tan pronto como un sistema de grupos pequeños está infectado con el pensamiento de que sólo ciertas personas pueden dirigir un grupo, muchos creyentes se frustrarán, clasificados para siempre como incapaces. El cuerpo de Cristo pertenece al Cuerpo de Cristo. Como líderes, es importante comprometerse a entrenar a cada creyente a ministrar. Debemos comprometernos 100% al sacerdocio de todos los creyentes. Creo que cosecharemos una cosecha poderosa, ya que nos comprometemos a preparar y utilizar a los jóvenes cristianos, las mujeres, las menos probables, y todos los demás en la congregación.

Joel

Fear of Being a Leader

coach_mario2016speaking

By Mario Vega, www.elim.org.sv

Eugenia was one of the first cell leaders I personally trained. Eugenia did not miss any of the training meetings. At the end of the course, I announced to the new group of leaders that soon I would tell them what cell they would start leading.

A few days later Eugenia came looking for me in my small office and burst into tears. Between tears she asked me to please not give her a cell. She did not feel capable of being a leader. She cried  inconsolably, so I told her not to worry. I told her that if she thought she did not have the qualities to be a leader that I would not force her to be one. She calmed down and went away satisfied. But on the next day Eugenia came back again, crying inconsolably. She told me that she had not been able to sleep the night before. She said she felt like she had said no to God and so she was now willing to be a leader.

She received her cell and started to exercise her leadership role. The big surprise happened one Sunday. I was at the entrance of the church when I saw a bus full of guests arriving. As it stopped in front of the church, Eugenia was the first one to step down. She was full of joy and explained to me that that bus full of people were the guests of her cell. Eugenia became the first woman leader who alone took a bus full of guests to the celebration. She turned out to be an excellent leader after overcoming her personal fears. The only thing that limited her was her own fear.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Medo de Ser um Líder

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Eugenia foi uma dos primeiros líderes de célula que eu treinei pessoalmente. Eugenia não perdeu nenhuma das reuniões de treinamento. No final do curso, eu anunciei ao novo grupo de líderes que logo eu lhes diria qual célula eles iriam começar a liderar.

Poucos dias depois, Eugenia veio me procurar no meu pequeno escritório e explodiu em lágrimas. Entre lágrimas, ela me pediu para não lhe dar uma célula. Ela não se sentia capaz de ser uma líder. Ela chorou inconsolavelmente, então eu disse a ela para não se preocupar. Eu disse a ela que se ela pensou que não tinha as qualidades para ser uma líder, eu não iria forçá-la a ser uma. Ela se acalmou e saiu satisfeita. Mas no dia seguinte, Eugenia voltou, chorando inconsolavelmente mais uma vez. Ela me disse que não tinha conseguido dormir na noite anterior. Ela disse que sentiu como se tivesse dito não a Deus e por isso agora estava disposta a ser uma líder.

Ela recebeu sua célula e começou a exercer seu papel de liderança. A grande surpresa aconteceu num domingo. Eu estava na entrada da igreja quando vi um ônibus cheio de convidados chegando. Quando parou na frente da igreja, Eugenia foi a primeira a descer. Ela estava cheia de alegria e explicou-me que aquele ônibus cheio de pessoas eram os convidados de sua célula. Eugenia se tornou a primeira mulher líder que sozinha levou um ônibus cheio de convidados para o culto de celebração. Ela acabou sendo uma excelente líder depois de superar seus medos pessoais. A única coisa que a limitava era seu próprio medo.

Spanish blog:

El temor a ser líder

por Mario Vega

Eugenia fue parte de los primeros líderes de célula que capacité personalmente. Eugenia no faltó a ninguna de las reuniones de entrenamiento. Al final del curso les anuncié al nuevo grupo de líderes que próximamente les indicaría la célula que comenzarían a atender.

Unos días después Eugenia me buscó en mi pequeña oficina y se echó a llorar. Entre lágrimas me pidió que por favor no le diera una célula. Ella no se sentía capaz de ser una líder. Ella lloraba de una manera inconsolable, de manera que le dije que no se preocupara. Que si ella pensaba no tener las cualidades para ser una líder que no la obligaría a que lo fuera. Ella se tranquilizó y se retiró satisfecha. Pero, al día siguiente, Eugenia volvió a llegar otra vez llorando desconsoladamente. Ella me dijo que no había podido dormir la noche anterior. Que al decirme que no podía ser líder sintió como que era a Dios a quien le decía que no. Así que ahora sí estaba dispuesta a ser líder.

Ella recibió su célula y comenzó a ejercer su rol de lideresa. La gran sorpresa ocurrió un día domingo. Yo estaba en la entrada de la iglesia cuando vi llegar un autobús lleno de invitados. Al detenerse frente a la iglesia Eugenia fue la primera en bajar. Ella iba llena de alegría y me explicó que ese bus lleno de personas eran los invitados de su célula. Eugenia se convirtió en la primera mujer líder que llevó ella sola un autobús lleno de invitados a la celebración.

Ella resultó ser una excelente líder después de superar sus temores personales. Lo único que la limitaba era su propio temor.

What if I Fall?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

Have you watched an child  move through the stages of development eventually learning how to walk? Someone once said that the reason children are born small is so that they don’t have far to fall. The fact is that a toddler learns to walk by crawling, rolling, stretching, wobbling, and falling. Can you imagine trying to teach a toddler to walk by giving them a book, a PowerPoint presentation, or showing them a video? If they could understand any of them, could they really hold still long enough to hear the whole lesson?

My six-month old grandson is slowly trying to push himself across the floor. He stands on shaky legs if you hold him in an upright position. His main method of learning is by placing things in his mouth. Today he learned that strawberries are not always sweet and his faced expressed his reaction.

Surely, I am stating the obvious. A baby learns to walk by trial and error, by doing and falling. That is how people learn to lead as well. I don’t say “walk” to my grandson and then let him go. Neither would I tell a new believer to lead a group without step by step support.

This week a man called me to ask about the Life Group that meets in our home. He said that he is not worthy to attend. When he shared how angry he was with God because of the death of his child, I understood some of his reservation. While he has tried to attend our Sunday celebration, I do realize that this man will need help before he is ready to lead others in a cell setting. However, this same person asked me to invite his friend to the Life Group. . He had tried to get this person to attend without him. Interesting, he is already on the road of leadership development.

Some of the members of our group have difficulty reading out loud. Some are introverted and quiet. However, I recall a time recently when I had to hand the notes to one of them and asked them to read the questions. This person did an excellent job even though they would never think they could lead. During a group meeting, I work to involve everybody in the conversation, sometimes even limiting the participation of those who are most talkative. It is amazing to hear some of the insights of people who do not normally share.

Is there really any better method to learn than by doing and falling?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

E Se Eu Cair?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Você já assistiu uma criança avançando pelos estágios de desenvolvimento e, eventualmente, aprendendo a andar? Alguém disse uma vez que a razão pela qual as crianças nascem pequenas é para que elas não tenham que cair do alto. O fato é que uma criança aprende a caminhar rastejando, rolando, se esticando, balançando e caindo. Você pode imaginar tentar ensinar uma criança a andar dando-lhe um livro, uma apresentação em PowerPoint, ou mostrando-lhe um vídeo? Se elas pudessem entender qualquer uma dessas coisas, elas conseguiriam realmente esperar o suficiente para ouvir toda a lição?

Meu neto de seis meses está tentando lentamente se empurrar através do chão. Ele fica com as pernas trêmulas se você segurá-lo em uma posição vertical. Seu principal método de aprendizagem é colocar as coisas em sua boca. Hoje ele aprendeu que os morangos nem sempre são doces e seu rosto expressou sua reação.

Certamente, estou afirmando o óbvio. Um bebê aprende a andar por tentativa e erro, fazendo e caindo. É assim que as pessoas aprendem a liderar também. Eu não digo “ande” para o meu neto e depois o deixo ir. Muito menos diria a um novo convertido para liderar um grupo sem um apoio de passo a passo.

Esta semana um homem me chamou para perguntar sobre o Grupo de Vida (célula) que se reúne em nossa casa. Ele disse que não é digno de participar. Quando ele compartilhou quão zangado estava com Deus por causa da morte de seu filho, eu entendi o motivo de suas reservas. Embora ele tenha tentado assistir a nossa celebração de domingo, eu percebo que este homem vai precisar de ajuda antes de estar pronto para liderar outras pessoas em um ambiente celular. No entanto, esse mesmo homem me pediu para convidar seu amigo para o Grupo de Vida. Ele tinha tentado fazer com que essa pessoa comparecesse sem ele. Interessante, ele já está no caminho do desenvolvimento da liderança.

Alguns dos membros do nosso grupo têm dificuldade em ler em voz alta. Alguns são introvertidos e quietos. No entanto, eu me lembro de um momento recentemente quando tive que entregar as notas para um deles e pedi-lhe para ler as perguntas. Esta pessoa fez um excelente trabalho mesmo que nunca pensasse que poderia liderar. Durante uma reunião de grupo, eu trabalho para envolver todos na conversa, às vezes até mesmo limitando a participação daqueles que são mais falantes. É incrível ouvir algumas das percepções de pessoas que normalmente não compartilham.

Existe realmente algum método melhor para aprender do que fazendo e caindo?

Spanish blog:

¿Qué pasa si me caigo?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

¿Has visto a un niño moverse a través de las etapas del desarrollo eventualmente aprendendo a caminar? Alguien dijo una vez que la razón por la cual los niños nacen pequeños es para que no tengan mucho que caer. El hecho es que un niño pequeño aprende a caminar gateando, rodando, estirándose, bamboleando y cayéndose. ¿Se puede imaginar tratando de enseñar a un niño pequeño a caminar dándoles un libro, una presentación en PowerPoint o mostrándoles un video? Si ellos pudieran entender cualquiera de ellos, ¿Podrían realmente mantenerse quietos lo suficiente para escuchar toda la lección?

Mi nieto de seis meses está tratando lentamente de empujarse por el suelo. Se pone de pie en las piernas temblorosas si usted lo mantiene en una posición vertical. Su principal método de aprendizaje es poner las cosas en su boca. Hoy se enteró de que las fresas no siempre son dulces y su cara expresó su reacción.

Seguramente, estoy declarando lo obvio. Un bebé aprende a caminar por ensayo y error, por hacer y por caer. Así es como la gente aprende a liderar también. No le digo “camina” a mi nieto y luego lo dejo ir. Tampoco diría a un nuevo creyente que dirija a un grupo sin apoyo paso a paso.

Esta semana un hombre me llamó para preguntarme acerca del Grupo de Vida que se reúne en nuestra casa. Dijo que no es digno de asistir. Cuando compartió lo airado que estaba con Dios por la muerte de su hijo, entendí algunas de sus reservas. Mientras él ha tratado de asistir a nuestra celebración del domingo, me doy cuenta de que este hombre va a necesitar ayuda antes de que esté listo para dirigir a otros en un entorno celular. Sin embargo, esta misma persona me pidió que invitara a su amigo al Grupo de Vida. Había intentado que esa persona asistiera sin él. Interesante, ya está en el camino del desarrollo del liderazgo.

Algunos de los miembros de nuestro grupo tienen dificultades para leer en voz alta. Algunos son introvertidos y callados. Sin embargo, recuerdo un tiempo reciente cuando tuve que entregar las notas a uno de ellos y les pedí que leyeran las preguntas. Esta persona hizo un trabajo excelente a pesar de que nunca pensaría que podría dirigir el grupo. Durante una reunión de grupo, trabajo para involucrar a todos en la conversación, a veces incluso limitando la participación de aquellos que son más habladores. Es increíble escuchar algunas de las ideas de personas que normalmente no comparten.

¿Hay realmente un mejor método para aprender, aparte de hacer y caer?

Bill

Made, not born

coaches_steveCordleCropped

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Sometimes you either have it or you don’t.

For example, some people are just born with exceptional musical ability. They can hear a tune once and then play it back. They take very little time to master an instrument or to create a song.

Other people don’t have that musical ability. They make animals howl when they try to sing. They might think, “I’ll never be able to play like my gifted friends,” and they will be right. If they put in a huge amount of work and effort they might be able to improve a bit, but they will never be the musicians that those who are born gifted are. You either have the talent or you don’t.

Fortunately, group leaders are made, not born.

Thanks to Joel’s research, we know that there is no such thing as the spiritual gift of group leadership, and that there is no one spiritual gift mix that is best for leading a group. Prayer, love, and other common traits of disciples are what is needed to succeed in group ministry.

So if you lead a group ministry, let me ask you a few important questions that will determine the future of your disciple-making:

  • do you see everyone in your group as a potential, future leader?
  • do you have a clearly-defined, step-by-step process of what it takes to become a leader? If I were in your ministry and asked, “How do I become a leader?”, what would you tell me?
  • does everyone know what that process is?

The most important part of developing leaders is a mindset. We don’t find leaders, we develop them. Their level of Bible knowledge and gifting is not nearly as important as their willingness to grow spiritually and move through your process.

Steve

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Feitos, Não Nascidos

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Às vezes você tem ou não.

Por exemplo, algumas pessoas simplesmente nascem com uma habilidade musical excepcional. Elas conseguem ouvir uma melodia uma vez e depois reproduzí-la. Elas levam pouquíssimo tempo para dominar um instrumento ou para criar uma música.

Outras pessoas não têm essa habilidade musical. Elas fazem animais uivar quando tentam cantar. Elas podem pensar: “Eu nunca vou ser capaz de tocar como meus amigos talentosos”, e estão certas. Se investirem uma quantidade enorme de trabalho e esforço elas podem ser capazes de melhorar um pouco, mas nunca serão os músicos que aqueles que nascem talentosos são. Você tem o talento ou não.

Felizmente, líderes de célula são feitos, não nascidos.

Graças à pesquisa de Joel, sabemos que não há algo como um dom espiritual da liderança de grupo, e que não há uma mistura de dons espirituais que seja melhor para liderar um grupo. Oração, amor e outros traços comuns de discípulos são o que é necessário para ter sucesso no ministério celular.

Então se você lidera um ministério de grupos, deixe-me fazer algumas perguntas importantes que determinarão o futuro da sua capacidade de fazer discípulos:

• Você vê todos no seu grupo como um potencial futuro líder?
• Você tem um processo passo a passo bem definido para alguém se tornar líder? Se eu estivesse em seu ministério e perguntasse: “Como me torno líder?”, o que você me diria?
• Todos sabem qual é esse processo?

A parte mais importante do desenvolvimento de líderes é uma mentalidade. Nós não encontramos líderes, nós os desenvolvemos. O nível de conhecimento da Bíblia e os dons deles não chegam a ser tão importantes quanto a vontade de crescer espiritualmente e de avançar através de seu processo.

Steve

Spanish blog:

Hecho, no nacido

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

A veces lo tienes o no lo tienes.

Por ejemplo, algunas personas simplemente nacen con una habilidad musical excepcional. Pueden escuchar una melodía una vez y luego reproducirla. Les toma muy poco tiempo para dominar un instrumento o para crear una canción.

Otras personas no tienen esa habilidad musical. Hacen que los animales aúllen cuando tratan de cantar. Podrían pensar: “Nunca seré capaz de tocar como mis amigos con esos dones”, y tendrán razón. Si ponen en una gran cantidad de trabajo y esfuerzo que podría ser capaz de mejorar un poco, pero nunca serán los músicos como los que nacen con ese don. Usted tiene el talento o no.

Afortunadamente, los líderes de grupo se hacen, no nacen.

Gracias a la investigación de Joel, sabemos que no hay tal cosa como el don espiritual del liderazgo grupal, y que no hay una mezcla espiritual de dones que sea mejor para dirigir un grupo. La oración, el amor y otros rasgos comunes de los discípulos son lo que se necesitan para tener éxito en el ministerio grupal.

Así que si ustedes dirigen un ministerio en grupo, déjenme hacerles algunas preguntas importantes que determinarán el futuro de su discípulo:

  • ¿Ve a todos en su grupo como un líder potencial, futuro?
  • ¿Tiene un proceso claramente definido, paso a paso, de lo que se necesita para convertirse en un líder? Si yo estuviera en su ministerio y preguntara, “¿Cómo me hago líder?”, ¿Qué me dirías?
  • ¿Todos saben lo que es ese proceso?

La parte más importante de desarrollar líderes es una mentalidad. No encontramos líderes, los desarrollamos. Su nivel de conocimiento bíblico y de dones no es tan importante como su disposición a crecer espiritualmente y a moverse a través de su proceso.

Steve

Hanging between Two Worlds

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

I like what Peter Scazzero writes in his book, The Emotionally Healthy Church.

“My most effective discipleship is to be an incarnational presence to another person.  It was for Jesus.  It is, I believe, for all his followers.  Jesus….was fully God…He was also fully human, tasting suffering and death….by entering our world, he invited sorrow and pain into his life….He died a naked, lonely death on a cross, hanging literally between heaven and earth.  It was, in a word, messy.”

Scazzero continues, “When we choose to incarnate, we hang between our own world and the world of another person.  We are called to remain faithful to who we are, not losing our essence, while at the same time entering into the world of another….We can be assured that as Jesus’ incarnation and death brought life, so our choice to do the same will also result in resurrection life and much fruit in us and others…I am aware of the truth that when we go out of ourselves and live briefly in the world of another person, we never return to our own lives the same person.  God changes us into the image of his Son through the process.  We learn to die to the ugly parts of ourselves.  Our feet are kept on the ground.”

What’s the point?  Discipleship means time spent with another individual.  Prioritize it.  Do it.  Two lives will be forever changed.

Comments?

by Rob Campbell

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Pendurado Entre Dois Mundos

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Eu gosto do que Peter Scazzero escreveu em seu livro The Emotionally Healthy Church (A Igreja Emocionalmente Saudável, em tradução livre)

“Meu discipulado mais eficaz é ser uma presença encarnada para outra pessoa. Foi assim para Jesus. Creio que seja assim para todos os seus seguidores. Jesus… era plenamente Deus… Ele também era plenamente humano, experimentando o sofrimento e a morte… ao entrar em nosso mundo, ele convidou o sofrimento e a dor para sua vida… Ele morreu numa morte nua e solitária em uma cruz, pendurado literalmente entre o céu e terra. Foi, em uma palavra, uma bagunça”.

Scazzero continua: “Quando escolhemos encarnar, ficamos entre nosso próprio mundo e o mundo de outra pessoa. Somos chamados a permanecer fiéis a quem somos, a não perder a nossa essência, ao mesmo tempo que entramos no mundo de outro… Podemos ter certeza de que, como a encarnação e a morte de Jesus trouxeram vida, a nossa escolha de fazer o mesmo também resultará em vidas ressurretas e muitos frutos em nós e em outros… Estou ciente da verdade de que quando saímos de nós mesmos e vivemos brevemente no mundo de outra pessoa, nunca voltamos para nossas próprias vidas os mesmos. Deus nos transforma na imagem de Seu Filho através do processo. Aprendemos a morrer para as partes feias de nós mesmos. Nossos pés são mantidos no chão”.

Qual é o ponto? Discipulado significa tempo gasto com outro indivíduo. Priorize-o. Faça-o. Duas vidas serão mudadas para sempre.

Comentários?

por Rob Campbel

Spanish blog:

By Pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Colgando entre dos mundos

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Me gusta lo que escribe Peter Scazzero en su libro, Una Iglesia emocionalmente sana.

“Mi discipulado más eficaz es ser una presencia encarnacional para otra persona. Fue para Jesús. Creo que es para todos sus seguidores. Jesús … era plenamente Dios … Él también era plenamente humano, saboreando el sufrimiento y la muerte … Al entrar en nuestro mundo, invitó el dolor a su vida … Él murió una muerte desnuda y solitaria en una cruz, colgando literalmente entre el cielo y tierra. En una palabra, estaba desordenado.

Scazzero continúa: “Cuando elegimos encarnar, colgamos entre nuestro propio mundo y el mundo de otra persona. Estamos llamados a permanecer fieles a lo que somos, no a perder nuestra esencia, al mismo tiempo que entramos en el mundo de otro … Podemos estar seguros de que como la encarnación de Jesús y la muerte trajeron la vida, nuestra elección para hacer lo mismo También dará lugar a la vida de resurrección y mucho fruto en nosotros y otros … Soy consciente de la verdad de que cuando salimos de nosotros mismos y vivimos brevemente en el mundo de otra persona, nunca volvemos a nuestras propias vidas la misma persona. Dios nos transforma en la imagen de su Hijo a través del proceso. Aprendemos a morir a las partes feas de nosotros mismos. Nuestros pies se mantienen en el suelo”.

¿Cuál es el punto de? Discipulado significa tiempo pasado con otra persona. Hazlo. Dos vidas cambiarán para siempre.

¿Comentarios?

Rob Campbell

The Perfect Leader Doesn’t Exist

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, pastoral coaching available: www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html  (free first session available for those interested in receiving coaching)

When you look out at your current cell group and wonder, “Which of these people could lead the next group,?”   the correct answer is, “All of them!” Sure, some people are more ready now. Some people need to get equipped or trained. But there is no key characteristic you should look for. Quiet people can lead just as effectively as exuberant outgoing people. People with the gift of service can lead a growing group just like people with the gift of teaching or evangelism.

Jim Egli and I have been studying this question for many years. We have both discovered in separate statistical studies that particular characteristics don’t matter. In fact, every time we create a new research questionnaire we ask the small group leaders to answer basic questions about themselves. How old are they? How long have they been following Jesus? Are they married or single? Do they have a quiet or an outgoing personality? What is their primary spiritual gift? We compared leaders of different ages, varying educational levels, men and women, marrieds and singles.

We found that none of those things make a significant difference. We discovered that effective small group leaders don’t have a certain personality type, a specific gift, or a specific position in life. Anyone has the potential to become a great small group leader. To be honest,  we should probably quit asking these questions because every time we look at people’s answers and compare them to the growth of their groups, we get the same results from our statistical studies.

There is no perfect leader. The perfect leader is the person who depends on Jesus and others to do the work. What matters are several key behaviors that relate to loving God and loving others. Which people in your current group can obey the two greatest commandments, to love God with all they are and to love others like they love themselves (Mark 12:28-31)? All of them can! And this means that all of them have the potential to lead a thriving small group.

Participation is the key to growth. As members participate they become ministers of Jesus Christ.  They learn how to love one another,  use their gifts, and evangelize. They realize that it’s okay to fail—as long as they learn from their mistakes and keep trying.  Jesus molds them as they minister, and they become disciple-makers in the process.

Thoughts?

Joel

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

O Líder Perfeito Não Existe

Por Joel Comiskey, www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html (Primeira sessão gratuita disponível para aqueles interessados em receber treinamento)

Quando você olha para a sua célula atual e se pergunta: “Qual dessas pessoas poderia liderar o próximo grupo?”, a resposta correta é: “Todas!”. Claro, algumas pessoas estão mais prontas agora. Algumas pessoas precisam ser equipadas ou treinadas. Mas não há uma característica principal que você deve procurar. As pessoas quietas podem liderar de modo tão eficaz como as extrovertidas. Quem tem o dom do serviço pode liderar um grupo em crescimento assim como quem tem o dom do ensino ou de evangelismo.

Jim Egli e eu estamos estudando esta questão há muitos anos. Ambos descobrimos em estudos estatísticos separados que características particulares não importam. De fato, cada vez que criamos um novo questionário de pesquisa, pedimos aos líderes de pequenos grupos que respondam a perguntas básicas sobre si mesmos. Quantos anos eles tem? Há quanto tempo eles estão seguindo Jesus? Eles são casados ou solteiros? Eles têm uma personalidade silenciosa ou extrovertida? Qual é o seu dom espiritual primário? Comparamos líderes de diferentes idades, variando níveis educacionais, homens e mulheres, casados e solteiros.

Nós descobrimos que nenhuma dessas coisas faz uma diferença significativa. Descobrimos que os líderes de grupos pequenos eficazes não têm um certo tipo de personalidade, um dom específico ou uma posição específica na vida. Qualquer pessoa tem o potencial de se tornar um grande líder de pequeno grupo. Para sermos honestos, provavelmente devemos deixar de fazer essas perguntas porque toda vez que olhamos para as respostas das pessoas e as comparamos com o crescimento de seus grupos, obtemos os mesmos resultados de nossos estudos estatísticos.

Não existe um tipo de líder perfeito. O líder perfeito é a pessoa que depende de Jesus e dos outros para fazer a obra. O que importa são vários comportamentos-chave que se relacionam com amar a Deus e amar os outros. Quais pessoas do seu grupo atual podem obedecer aos dois maiores mandamentos, amar a Deus com tudo o que são e amar os outros como amam a si mesmas (Marcos 12:28-31)? Todos podem! E isso significa que todos eles têm o potencial de liderar um pequeno grupo próspero.

A participação é a chave para o crescimento. À medida que os membros participam, eles se tornam ministros de Jesus Cristo. Eles aprendem como amar uns aos outros, usar seus dons e evangelizar. Eles compreendem que não tem problema falhar, contanto que aprendam com seus erros e continuem tentando. Jesus os molda enquanto ministram, e eles se tornam discípulos no processo.

Pensamentos?

Spanish blog:

El líder perfecto no existe

Por Joel Comiskey, www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index_es.html (primera sesión gratis disponible para aquellos interesados en recibir entrenamiento)

Cuando miras a tu grupo celular actual y te preguntas, “¿Cuál de estas personas podría dirigir el siguiente grupo?”, La respuesta correcta es “¡Todos pueden!” Claro, algunas personas están más listas ahora. Algunas personas necesitan equiparse o entrenarse. Pero no hay ninguna característica clave que usted deba buscar. La gente tranquila puede dirigir con la misma eficacia que las personas exuberantes y salientes. Las personas con el don del servicio pueden dirigir a un grupo creciente al igual que las personas con el don de la enseñanza o el evangelismo.

Jim Egli y yo hemos estado estudiando esta pregunta por muchos años. Ambos hemos descubierto en los estudios estadísticos separados que las características particulares no importan. De hecho, cada vez que creamos un nuevo cuestionario de investigación pedimos a los líderes de grupos pequeños que respondan preguntas básicas sobre sí mismos. ¿Qué edad tienen? ¿Cuánto tiempo han estado siguiendo a Jesús? ¿Están casados o solteros? ¿Tienen una personalidad tranquila o saliente? ¿Cuál es su don espiritual primario? Comparamos líderes de diferentes edades, niveles educativos variables, hombres y mujeres, casados y solteros.

Encontramos que ninguna de esas cosas hace una diferencia significativa. Descubrimos que los líderes efectivos de grupos pequeños no tienen un cierto tipo de personalidad, un don específico o una posición específica en la vida. Cualquiera tiene el potencial de convertirse en un gran líder de grupo pequeño. Para ser honesto, probablemente deberíamos dejar de hacer estas preguntas porque cada vez que observamos las respuestas de las personas y las comparamos con el crecimiento de sus grupos, obtenemos los mismos resultados de nuestros estudios estadísticos.

No hay un líder perfecto. El líder perfecto es la persona que depende de Jesús y de otros para hacer el trabajo. Lo que importa son varias conductas clave que se relacionan con amar a Dios y amar a los demás. ¿Qué personas de su grupo actual pueden obedecer los dos mandamientos más grandes, amar a Dios con todo tu corazón y ama a tu prójimo como a tí mismos (Marcos 12: 28-31)? ¡Todos pueden! Y esto significa que todos ellos tienen el potencial de dirigir un próspero pequeño grupo.

La participación es la clave del crecimiento. A medida que los miembros participan se convierten en ministros de Jesucristo. Aprenden a amarse unos a otros, a usar sus dones y a evangelizar. Se dan cuenta de que está bien fallar, siempre y cuando aprendan de sus errores y sigan intentándolo. Jesús los moldea a medida que ministran, y se convierten en discípulos en el proceso.

¿Pensamientos?

Joel