M.A.W.L.

By Jim Corley, Pastor, writer, and leader, J. Michael Corley has preached in churches from San Francisco to Moscow; and done training events on four continents. He currently lives in Arizona with his wife, Lynetta. His most recent book, Shadowing Jesus, The Pioneer is available at Amazon.

Jesus repeated one command, “Follow me!” I think he meant, “Do what I do. Do it the same way I do it.” What did Jesus do?

There were remarkable miracles. Over one hundred gallons of water was turned into wine, as good as Chateau Lafite Rothschild 2009 ($1,200/bottle).

Lazarus was raised from the dead. Deaf people, without the benefit of cochlear implants, could hear laughter, and eavesdrop on the whisper of rain on thatched roofs.

Jesus also told compelling stories. Two thousand years later, people cannot consider themselves well-informed if they’ve never heard of camels squeezing through a needle’s eye or prodigal sons being baby boomerangs.

Jesus did all those attention-getting things. We could try to do those things. But what occupied the bulk of his time? Wasn’t it his strategic investment in a bunch of guys? Between the big events, Jesus quietly practiced a persistent lifestyle of developing disciples. Maybe that should be our focus.

Wolfgang Simson claims that the secret sauce in Jesus’ discipleship coaching ministry was a strategy he labels M.A.W.L.

Model: The Coach demonstrated how to practice the art of discipling.

Assist: The Master discipler assisted those being discipled to do what was demonstrated.

Watch: The Master observed his apprentices practice the skills being trained.

Leave: The Coach removed himself from the ministry context to allow the disciples to take responsibility.

Jesus recruited twelve. He discipled them for three years. Then, like a hot-air balloon, he ascended into the clouds with a promise, “You finish the job. I’ll be back!”

Surprisingly, for many years, none of the Apostles left Jerusalem. Even after persecution erupted, the Twelve didn’t budge:

And there arose on that day a great persecution against the church in Jerusalem, and they were all scattered throughout the regions of Judea and Samaria, except the apostles. . . Acts 8:1

There are hints that a variation on the leaving theme was emerging. It doesn’t seem to have been intentional on the part of the Apostles. Rather, it looks like it was inadvertently kick-started by a young terrorist called Saul of Tarsus.

After persecution erupted, Peter left Jerusalem on a short-term missions trip. He traveled as far as Caesarea. At Cornelius’ villa, Peter had a startling revelation:

Then Peter began to speak: “I now realize how true it is that God does not show favoritism but accepts from every nation the one who fears him and does what is right. Acts 10:34-35

During the Christmas season, we celebrate Jesus coming into the world. Wherever you might be in the MAWL process, you can help those you are discipling by helping them focus of God’s priceless gift.

Modeling Idea: Host a Christmas party with great food where the gift theme is for a family in need. Then invite that family to the party.

Assisting Idea: Help your apprentice leader put together an expanded worship time that expresses joy in the fact that Immanuel came into our world.

Watching Idea: Urge your apprentice leader to help the group host a free child care event so parents can go Christmas shopping. Then stand back and see how they handle the pressure of leading. Be ready to celebrate what they did well.

Leaving Idea: Schedule a Children’s Birthday Party for Jesus that your group will host in your absence. Express your confidence in their ability. Then celebrate the results.

Next we’ll look at that second flavor of M.A.W.L.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

M.A.W.L.

Por Jim Corley, pastor, escritor e líder, J. Michael Corley pregou nas igrejas de San Francisco a Moscou e realizou eventos de treinamento em quatro continentes. Ele atualmente mora no Arizona com sua esposa, Lynetta. Seu livro mais recente, Shadowing Jesus, The Pioneer (Imitando Jesus, O Pioneiro, em tradução livre) está disponível aqui.

Jesus repetiu um comando: “Siga-me!” Eu acho que Ele quis dizer, “Faça o que eu faço. Faça da mesma maneira que eu faço.” O que Jesus fez?

Havia milagres notáveis. Mais de cem galões de água foram transformados em vinho, tão bons quanto o vinho Chateau Lafite Rothschild 2009 (US $ 1.200/garrafa).

Lázaro foi ressuscitado dentre os mortos. As pessoas surdas, sem o benefício de implantes cocleares, podiam ouvir risos e escutar o sussurro de chuva em telhados de palha.

Jesus também contou histórias convincentes. Dois mil anos depois, as pessoas não podem se considerar bem informadas se nunca ouviram falar de camelos passando pelo buraco de uma agulha ou filhos pródigos indo e voltando para casa por razões financeiras.

Jesus fez todas essas coisas que chamavam a atenção. Poderíamos tentar fazer essas coisas. Mas o que ocupou a maior parte de Seu tempo? Seu investimento estratégico não estava em um grupo de caras? Entre os grandes eventos, Jesus praticou silenciosamente um estilo de vida persistente de desenvolvimento de discípulos. Talvez esse seja nosso foco.

Wolfgang Simson afirma que o tempero secreto no ministério de treinamento de discipulado de Jesus era uma estratégia que ele chama de M.A.W.L. (M.A.A.D. em tradução livre).

Modelo: o Treinador demonstrou como praticar a arte do discipulado.

Ajuda: o Discipulador Mestre ajudou aqueles que eram discipulados a fazer o que foi demonstrado.

Assista: o Mestre observou que seus aprendizes praticavam as habilidades treinadas.

Parta: o Treinador se retirou do contexto do ministério para permitir que os discípulos assumissem a responsabilidade.

Jesus recrutou doze. Ele os discipulou por três anos. Então, como um balão de ar quente, ele subiu às nuvens com uma promessa: “Vocês terminam o trabalho. Eu voltarei!”

Surpreendentemente, por muitos anos, nenhum dos Apóstolos deixou Jerusalém. Mesmo depois que a perseguição entrou em erupção, os Doze não se moveram:

Atos dos Apóstolos 8 –  1. Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judeia e da Samaria.

Há sugestões de que uma variação no tema do êxodo estava emergindo. Não parece ter sido intencional por parte dos Apóstolos. Em vez disso, parece que foi inadvertidamente iniciado por um jovem terrorista chamado Saul de Tarso.

Depois que a perseguição entrou em erupção, Pedro deixou Jerusalém em uma viagem de missões de curto prazo. Ele viajou até Cesareia. Na villa de Cornélio, Pedro teve uma revelação surpreendente:

Atos dos Apóstolos 10 –  34. Então Pedro, tomando a palavra, disse: Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas; 35. mas que lhe é aceitável aquele que, em qualquer nação, o teme e pratica o que é justo.

Durante a época do Natal, celebramos a chegada de Jesus ao mundo. Onde quer que você esteja no processo MAWL, você pode ajudar aqueles que você está discipulando, ajudando-os a se concentrar no presente inestimável de Deus.

Ideia de Modelagem: Tenha em sua casa uma festa de Natal com comida gostosa, onde o tema do presente é para uma família que precisa. Em seguida, convide essa família para a festa.

Ideia de ajuda: ajude o seu líder aprendiz a juntar um tempo de adoração expandido que expressa a alegria no fato de que o Emanuel entrou em nosso mundo.

Ideia de Observação: Estimule o seu aprendiz de líder a ajudar o grupo a hospedar um evento gratuito de cuidado de crianças para que os pais possam ir às compras de Natal. Então permaneça e veja como eles lidam com a pressão de liderar. Esteja pronto para comemorar o que eles fizeram bem.

Ideia de partir: Programe uma Festa de Aniversário Infantil para Jesus que o seu grupo irá hospedar na sua ausência. Expresse sua confiança em suas habilidades. Em seguida, comemore os resultados.

Em seguida, veremos esse segundo sabor do M.A.W.L.

Spanish blog:

M.A.M.R.

Por Jim Corley, pastor, escritor y líder, J. Michael Corley ha predicado en iglesias desde San Francisco hasta Moscú; realizo eventos de entrenamiento en cuatro continentes. Actualmente vive en Arizona con su esposa, Lynetta. Su libro más reciente, Shadowing Jesus, The Pioneer está disponible aquí.

Jesús repitió una orden: “Sígueme”. Creo que él quiso decir: “Haz lo que yo hago”. Hazlo de la misma manera que yo lo hago “. ¿Qué hizo Jesús?

Hubo milagros notables. Más de cien galones de agua se convirtieron en vino, tan bueno como el Chateau Lafite Rothschild 2009 ($ 1,200 / botella).

Lázaro fue levantado de la muerte. Las personas sordas, sin ayuda de los implantes cocleares, podían escuchar la risa y escuchar el susurro de la lluvia en los techos de paja.

Jesús también contó historias convincentes. Dos mil años más tarde, las personas no pueden considerarse bien informadas si nunca han oído hablar de camellos que se abren paso por el ojo de una aguja o de hijos prodigios que siendo pequeños bumerans.

Jesús hizo todas esas cosas que llaman la atención. Podríamos intentar hacer esas cosas, pero, ¿qué ocupaba la mayor parte de su tiempo? ¿No fue su inversión estratégica en un grupo de muchachos? Entre los grandes eventos, Jesús silenciosamente practicó un estilo de vida persistente en los discípulos que desarrolló. Quizás ese debería ser nuestro enfoque.

Wolfgang Simson afirma que la salsa secreta en el ministerio de entrenamiento de discipulado de Jesús fue una estrategia que llama M.A.M.R.

Modelar: El entrenador demostró cómo practicar el arte de discipular.

Asistir: el discipulador maestro ayudó a los discipulados a hacer lo que se demostró.

Mirar: el Maestro observó que sus aprendices practican las habilidades que se están entrenando.

Retirarse: el Entrenador se retiró del contexto del ministerio para permitir que los discípulos asuman la responsabilidad.

Jesús reclutó doce. Él los discipuló por tres años, luego, como un globo de aire caliente, ascendió a las nubes con una promesa: “Terminen el trabajo. ¡Vuelvo enseguida!”

Sorprendentemente, durante muchos años, ninguno de los Apóstoles salió de Jerusalén. Incluso después de que la persecución estalló, los Doce no se movieron:

En aquel día hubo una gran persecución contra la iglesia que estaba en Jerusalén; y todos fueron esparcidos por las tierras de Judea y de Samaria, salvo los apóstoles… Hechos 8:1

Hay indicios de que estaba surgiendo una variación en el tema de la partida. No parece haber sido intencional por parte de los Apóstoles. Por el contrario, parece que fue inadvertidamente iniciado por un joven terrorista llamado Saulo de Tarso.

Después de que la persecución estalló, Pedro salió de Jerusalén en un viaje misionero a corto plazo; viajó hasta Cesarea. En la villa de Cornelio, Pedro tuvo una revelación sorprendente:

Entonces Pedro, abriendo la boca, dijo: En verdad comprendo que Dios no hace acepción de personas, sino que en toda nación se agrada del que le teme y hace justicia. Hechos 10:34-35

Durante la temporada de Navidad, celebramos a Jesús viniendo al mundo. Donde sea que te encuentres en el proceso MAMR, puedes ayudar a aquellos a quienes estás discipulando; ayudáles a enfocarse en el regalo invaluable de Dios.

Idea para modelar: Organiza una fiesta de Navidad con buena comida, donde el tema del regalo es para una familia necesitada. Luego invita a esa familia a la fiesta.

Idea para asistir: ayuda a su líder aprendiz a armar un tiempo de adoración amplio que exprese alegría por el hecho de que Emmanuel vino a nuestro mundo.

Idea para mirar: solicita a tu líder aprendiz que ayude a la célula  a organizar un evento gratuito de cuidado infantil para que los padres puedan ir de compras navideñas. Luego retírate y mira cómo manejan la presión de liderar. Prepárate para celebrar lo que hicieron bien.

Idea para retirarse: Programa una fiesta de cumpleaños para Jesús, que tú célula organizará en tu ausencia. Expresa tu confianza en su habilidad, luego celebra los resultados.

A continuación, veremos ese segundo sabor de M.A.M.R.

One thought on “M.A.W.L.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *