Going Back to Day One: the Cell Church

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

What does it mean to go back to day one in cell ministry? Mario Vega said it well, “There has to be a break with the idea that the main purpose is numerical growth and then to start focusing on making disciples as the essential goal. This reorientation of goals is the fundamental element that makes the difference between stagnation and the constant renewal of passion” (JCG blog on Wednesday, February 14, 2018).

Discipleship is the main purpose behind cell ministry. But what does it mean to be a disciple of Jesus? Paul tells us in Romans 8:29, “For those God foreknew he also predestined to be conformed to the image of his Son, . . .” We were predestined to be like Jesus! John says something similar, “But we know that when Christ appears, we shall be like him, for we shall see him as he is”(1 John 3:2). Being like Jesus is the goal of discipleship. The more we reflect Jesus in thought, word, and action, the closer we are to being like Jesus. Jesus chose the cell atmosphere to make his disciples like him, and so should we.

The cell church, however, is more than the cell. The celebration is also essential to help believers to become more like Jesus. The early Christians “. . . devoted themselves to the apostles’ teaching and to fellowship, to the breaking of bread and to prayer” (Acts 2: 42). Those believers were transformed into the image of Christ through the preaching of the Word. God has ordained pastors and leaders to preach the Word and perfect the saints (Ephesians 4:11-12).

Cell and celebration are critical components to transform believers. But cell churches have also noticed that a step-by-step equipping also helps believers become more like Jesus. In other words, certain in-depth biblical truths aren’t adequately covered in cell or celebration. Thus, the equipping helps believers in areas like basic doctrine, holiness, evangelism, devotions, and cell leadership. To learn more about equipping, click here. But what about those who are leaders? Current cell leaders need coaching. When someone becomes a cell leader, he or she must not be left alone. Coaching is essential to help the leader stay close to Jesus, keep the fire burning, and to stay balanced in the Christian life.

Cell church ministry is very simple: making disciples who make disciples through cell, celebration, equipping, and coaching. The goal is to become like Jesus. Prayer covers everything and is like the air the church breathes. When we talk about going back to day one, we’re talking about going back to the basics: cell, celebration, equipping, and coaching.

How are you doing on each of these areas? Remember the goal is helping others become more like Jesus. And the good news is that Jesus is alive and well and will give an abundance of wisdom and guidance—and we are even told he sits at the right hand of the Father and prays for us! (Romans 8:34). He is the head of the church and more interested than we are to make disciples who make disciples.

Korean blog (click here)

Portuguese  blog:

Voltando ao Primeiro Dia: a Igreja Celular

Por Joel Comiskey

O que significa voltar ao primeiro dia no ministério celular? Mario Vega disse isso bem: “Tem que haver uma ruptura com a ideia de que o objetivo principal é o crescimento numérico e então começar a focar em fazer discípulos como o objetivo essencial. Essa reorientação dos objetivos é o elemento fundamental que faz a diferença entre a estagnação e a constante renovação da paixão” (Blog do JCG na quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018).

O discipulado é o principal propósito por trás do ministério celular. Mas o que significa ser um discípulo de Jesus? Paulo nos diz em Romanos 8:29: “ Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, …” Nós fomos predestinados a ser como Jesus! João diz algo semelhante: “…. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é.” (1 João 3: 2). Ser como Jesus é o objetivo do discipulado. Quanto mais refletimos Jesus em pensamento, palavra e ação, mais próximos estamos de ser como Jesus. Jesus escolheu a atmosfera celular para tornar seus discípulos como Ele, e assim nós também devemos fazer.

A igreja celular, no entanto, é mais do que a célula. A celebração também é essencial para ajudar os fiéis a se tornarem mais como Jesus. Os primeiros cristãos “. . . perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” (Atos 2: 42). Esses crentes foram transformados na imagem de Cristo através da pregação da Palavra. Deus ordenou pastores e líderes para pregar a Palavra e aperfeiçoar os santos (Efésios 4: 11-12).

A célula e a celebração são componentes críticos para transformar os crentes. Mas as igrejas celulares também notaram que um equipamento passo a passo também ajuda os crentes a se tornarem mais como Jesus. Em outras palavras, certas verdades bíblicas em profundidade não são adequadamente cobertas na célula ou na celebração. Assim, o equipamento ajuda os crentes em áreas como doutrina básica, santidade, evangelismo, devocionais e liderança celular. Para saber mais sobre equipamento, clique aqui. E quanto aos que são líderes? Líderes celulares atuais precisam de treinamento. Quando alguém se torna um líder celular, ele ou ela não deve ser deixado sozinho. O treinamento é essencial para ajudar o líder a ficar perto de Jesus, a manter o fogo queimando e a permanecer equilibrado na vida cristã.

O ministério da igreja celular é muito simples: fazer discípulos que fazem discípulos através da célula, celebrações, equipamento e treinamento. O objetivo é se tornar como Jesus. A oração cobre tudo e é como o ar que a igreja respira. Quando falamos sobre voltar ao primeiro dia, estamos falando sobre voltar ao básico: célula, celebração, equipamento e treinamento.

 Como você está indo em cada uma dessas áreas? Lembre-se que o objetivo é ajudar outros a se tornarem mais como Jesus. E a boa notícia é que Jesus está vivo e bem e dará uma abundância de sabedoria e orientação – e até mesmo nos diz que Ele se senta à direita do Pai e intercede por nós! (Romanos 8:34). Ele é o ca?beça da igreja e mais interessado do que nós em fazer discípulos que fazem discípulos.

Spanish blog:

Volviendo al primer día: la iglesia celular

Por Joel Comiskey

¿Qué significa volver al primer día en el ministerio celular? Mario Vega lo dijo muy claro: “Tiene que haber una ruptura con la idea de que la finalidad principal es el crecimiento numérico y luego comenzar a centrarse en hacer discípulos como el objetivo esencial. Esta reorientación de los objetivos es el elemento fundamental que marca la diferencia entre el estancamiento y la renovación constante de la pasión “(blog de JCG el miércoles 14 de febrero de 2018).

El discipulado es el principal  propósito del ministerio celular. Pero, ¿qué significa ser un discípulo de Jesús? Pablo nos dice en Romanos 8:29, “Porque a los que antes conoció, también los predestinó para que fuesen hechos conformes a la imagen de su Hijo,. . . “¡Fuimos predestinados a ser como Jesús! Juan dice algo similar: “Pero sabemos que cuando él se manifieste, seremos semejantes a él, porque le veremos tal como él es” (1 Juan 3: 2). Ser como Jesús es el objetivo del discipulado. Cuanto más reflejamos a Jesús en pensamiento, palabra y acción, más nos acercamos a ser como Jesús. Él eligió la atmósfera celular  para hacer que sus discípulos fueran como él, y nosotros también debemos hacerlo.

La iglesia celular, sin embargo, es más que la célula. La celebración también es esencial para ayudar a los creyentes a ser más como Jesús. Los primeros cristianos “. . . se consagraron a las enseñanzas de los apóstoles, a la comunión, a el partir del pan y a la oración “(Hechos 2: 42). Esos creyentes fueron transformados a la imagen de Cristo a través de la predicación de la Palabra. Dios ha ordenado pastores y líderes para predicar la Palabra y perfeccionar a los santos (Efesios 4: 11-12).

La célula y la celebración son componentes críticos para transformar a los creyentes. Pero las iglesias celulares han notado que un equipamiento paso a paso también ayuda a los creyentes a ser más como Jesús. En otras palabras, ciertas verdades bíblicas profundas no están cubiertas adecuadamente en la célula  o en el servicio de celebración. Por lo tanto, el equipamiento ayuda a los creyentes en áreas como la doctrina básica, la santidad, el evangelismo, las devociones y el liderazgo celular. Para obtener más información sobre el equipamiento, haga clic aquí. ¿Pero qué hay de aquellos que son líderes? Los actuales líderes celulares necesitan entrenamiento; cuando alguien se convierte en líder de una célula, no deben dejarlo solo. El entrenamiento es esencial para ayudar al líder a permanecer cerca de Jesús, mantener el fuego encendido y mantener el equilibrio en la vida cristiana.

El ministerio de la iglesia celular es muy simple: hacer discípulos que hacen discípulos a través de la célula, la celebración, el equipamiento y el entrenamiento. El objetivo es llegar a ser como Jesús. La oración lo cubre todo y es como el aire que respira la iglesia. Cuando hablamos de volver al primer día, estamos hablando de volver a lo básico: célula, celebración, equipamiento y entrenamiento.

¿Cómo te va en cada una de estas áreas? Recuerda que la meta es ayudar a otros a ser más como Jesús. Y la buena noticia es que Jesús está vivo y muy bien y dará una abundancia de sabiduría y guía, ¡e incluso se nos dice que se sienta a la diestra del Padre y ora por nosotros! (Romanos 8:34). Él es el líder de la iglesia y está más interesado que nosotros en hacer discípulos que hagan discípulos.

Day One in the Cell

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

So many things can go wrong in a small group:

  • Those who talk too much or too little
  • Extra grace required people
  • No place to meet
  • Dirty house after the group meets
  • People showing up late or staying too late
  • Boring lessons with too many questions

The list could goes on and on.

Books, websites, and ministries have been developed to resolve these small group problems. And most of the material and insight is excellent.

But is leading a small group mainly about solving problems? Is it all about the search for the perfect small group? Is there ever a time when problems will cease? The answer is no, no, and no. The reality is that God has a higher purpose for you and your small group.

To keep the “day one” excitement, it’s essential to understand a higher purpose for small groups. Jesus summed this purpose up when he told his small group to make disciples who make disciples. They understood what he was talking about. After all, they were formed and molded by Jesus for three years in an intimate small group. Before the ascension, Jesus told them to go out and make more discipleship groups (Matthew 28:18-20). And that’s just what they did after Pentecost as they formed house churches and made disciples (Acts 2:42-46).

The reality is that small group problems are here to stay. Cells are messy because they are intimately tied up in the lives of people who have problems. We all do. However, when the theme of making disciples who makes disciples motivates cell ministry, it makes sense. It becomes worthwhile.

I think of my own Life group. We know each other very well, both our strengths and weaknesses. But we meet weekly because we know Jesus wants us to become more like him, and he has chosen the small group atmosphere to mold us to be like him. This knowledge keeps us fresh as we practice the one-anothers, transparent sharing, reaching out, and multiplying new disciples. An unchurched neighbor joined our group recently. We have grown in the process of welcoming him into the life of the group.  Is it messy? Yes, the process of integrating new members is a challenge. is it worthwhile? Definitely. Why? Because there’s an eternal purpose behind it: making disciples who make disciples.

My book Making Disciples in the Twenty-First Century Church talks about the why of cell ministry. Have you read it?  Here’s a sample chapter.

Don’t get caught up in the external, outward problems or techniques of small group life. Take a step back and understand the broader purpose. You have the privilege of participating in Christ’s work of making disciples who make disciples. Pinch yourself. You are very fortunate indeed. Yes, God has chosen you and your group to further his kingdom purpose of multiplying house churches and making disciples in the process. Go back to day one.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Dia Um na Célula

por Joel Comiskey

Muitas coisas podem dar errado em um pequeno grupo:

• Pessoas que falam muito ou muito pouco
• Pessoas que requerem uma dose extra de graça
• Não ter um lugar para se reunir
• Casa suja depois da reunião
• Pessoas chegando tarde ou ficando até tarde após o término do grupo
• Estudos chatos com muitas perguntas

Essa lista poderia continuar sem fim.

Livros, sites e ministérios têm sido desenvolvidos para resolver esses problemas celulares. E a maior parte do material e das ideias são excelentes.

Mas liderar um pequeno grupo se trata principalmente de resolver problemas? Trata-se da pesquisa para ter um grupo perfeito? Chegará um tempo em que os problemas vão acabar? A resposta é não, não é não. A realidade é que Deus tem um propósito maior para você e seu pequeno grupo.

Para manter a emoção do “primeiro dia”, é essencial entender um propósito mais elevado para os pequenos grupos. Jesus resumiu este propósito quando ele disse a seu pequeno grupo para fazerem discípulos que fazem discípulos. Eles entenderam o que ele estava falando. Afinal, eles foram formados e moldados por Jesus por três anos em um pequeno grupo íntimo. Antes da ascensão, Jesus disse-lhes para saírem e fazerem mais grupos de discipulado (Mateus 28:18-20). E foi exatamente o que eles fizeram depois do Pentecostes quando formaram igrejas domésticas e fizeram discípulos (Atos 2:42-46).

A realidade é que os problemas celulares estão aqui para ficar. As células são bagunçadas porque estão intimamente ligadas à vida de pessoas que têm problemas. Todos nós temos. No entanto, quando o tema de fazer discípulos que fazem discípulos motiva o ministério celular, isso faz sentido. Tudo vale a pena.

Penso no meu próprio grupo Life. Nós nos conhecemos muito bem, tanto os nossos pontos fortes quanto os fracos. Mas nos encontramos semanalmente porque sabemos que Jesus quer que nos tornemos mais como ele, e ele escolheu a atmosfera do pequeno grupo para moldar-nos para sermos como ele. Este conhecimento nos mantém frescos à medida que praticamos o “uns aos outros”, o compartilhamento transparente, o alcance/evangelismo e a multiplicação de novos discípulos. Um vizinho que não é da igreja juntou-se ao nosso grupo recentemente. Crescemos no processo de recebê-lo na vida do grupo. É bagunçado? Sim, o processo de integração de novos membros é um desafio. Vale a pena? Definitivamente. Por quê? Porque há um propósito eterno por trás disso: fazer discípulos que fazem discípulos.

Meu livro Making Disciples in the Twenty-First Century Church (“Fazendo Discípulos na Igreja do Século Vinte e Um”, em tradução livre) fala sobre o porquê do ministério celular. Você já o leu? Aqui está um capítulo de amostra.

Não fique preso nos problemas externos ou em técnicas de vida em grupos pequenos. Dê um passo atrás e compreenda o propósito maior. Você tem o privilégio de participar da obra de Cristo de fazer discípulos que fazem discípulos. Belisque-se. Você é muito afortunado. Sim, Deus escolheu você e seu grupo para promover o propósito de Seu Reino de multiplicar igrejas domésticas e fazer discípulos no processo. Volte para o primeiro dia.

Spanish blog:

El primer dia en la célula

Por Joel Comiskey

Muchas cosas pueden salir mal en una célula:

  • Los que hablan demasiado o muy poco
  • Las personas que requieren más gracia
  • Cuando no hay lugar para reunirse
  • Casa sucia después de que el grupo se reúne
  • La gente llega tarde o se queda hasta demasiado tarde
  • Lecciones aburridas con demasiadas preguntas

La lista podría seguir y seguir.

Se han desarrollado libros, sitios web y ministerios para resolver estos problemas en las células. Y la mayor parte del material y la percepción de este, es excelente.

Pero, ¿liderar una célula, se trata principalmente de resolver problemas? ¿Se trata de la búsqueda de la célula perfecto? ¿Hay algún momento en que los problemas cesan? La respuesta es no, no y no. La realidad es que Dios tiene un propósito más elevado para ti y tu célula.

Para mantener el entusiasmo del “primer dia”, es esencial comprender un propósito más elevado para las células. Jesús resumió este propósito cuando le dijo a su célula que hiciera discípulos que hicieran discípulos. Ellos entendieron de lo que estaba hablando; después de todo, fueron formados y moldeados por Jesús durante tres años en un pequeño grupo íntimo. Antes de la ascensión, Jesús les dijo que fueran y crearan más grupos de discipulado (Mateo 28: 18-20). Y eso es exactamente lo que hicieron después de Pentecostés, ya que formaron iglesias en hogares y se hicieron discípulos (Hechos 2: 42-46).

La realidad es que los problemas de los grupos pequeños llegaron para quedarse. Las células son complicadas porque están íntimamente ligadas a la vida de las personas que tienen problemas; todos tenemos problemas. Sin embargo, cuando el tema de hacer discípulos que hacen discípulos motiva el ministerio celular, todo tiene sentido. Vale la pena.

Pienso en mi propia célula. Nos conocemos muy bien, tanto nuestras fortalezas como nuestras debilidades, pero nos reunimos semanalmente porque sabemos que Jesús quiere que nos parezcamos más a él, y él ha elegido la atmósfera de la célula para moldearnos y para que seamos como él. Este conocimiento nos mantiene frescos mientras juntos practicamos, compartimos de manera transparente, alcanzamos y multiplicamos nuevos discípulos. Un vecino, que no asiste a una iglesia se unió a nuestro grupo recientemente; hemos crecido en el proceso de darle la bienvenida a la vida de la célula. ¿Es esto desordenado? Sí, el proceso de integración de nuevos miembros es un desafío. ¿Vale la pena? Seguro. ¿Por qué? Porque hay un propósito eterno detrás de esto: hacer discípulos que hagan discípulos.

Mi libro Making Disciples in the Twenty-First Century Church (Haciendo Discípulos en la Iglesia del Siglo XXI) habla sobre el porqué del ministerio celular. ¿Lo has leído? Aquí hay un capítulo de muestra.

No te dejes atrapar por lo externo, los problemas o técnicas externas de la vida en célula. Da un paso atrás y entiende el propósito más amplio. Tienes el privilegio de participar en la obra de Cristo, de hacer discípulos que hacen discípulos. Pellizcate; eres muy afortunado en verdad. Sí, Dios te ha elegido a ti y a tu célula para promover el propósito de su reino de multiplicar las iglesias en hogares y hacer discípulos en el proceso. Regresa a ese primer día.

Day One in the Cell Vision

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Jeff Bezos, founder of Amazon, is the richest man in the world and Amazon is one the most successful companies. One reason for Bezo’s success is keeping the company’s vision fresh. “It’s Always Day One” has been Bezos’s mantra ever since he founded the company 24 years ago, and this phrase guides Amazon today.

Some cell churches need to go back to day one. They’ve lost the initial excitement of house to house ministry. They’ve forgotten the pure joy of making disciples who make disciples through cell groups. They’ve become bogged down with complicated methods and programs.  Cell ministry subtly has become “old hat” and even boring. “We are supposed to do it this way,” becomes the  guiding theme and this mentality excites no one.  It’s even possible to become legalistic, especially if the church is following someone else’s model, rather than biblical principles. Churches, like individuals, need renewal and refreshment–to go back to day one.

One pastor I’ve been coaching for five years recently asked me to help the church  “re-imagine” or “re-vitalize” their vision. They wanted to go back to day one. This pastor was referring to a re-dedication or renewal in the vision. This church didn’t want to reinvent the cell vision and were actually doing quite well. But they also noticed that some people were simply going through the motions and had lost the “why” of cell ministry. This church wanted their people to experience the joy of cell ministry once again.  They wanted to go back to day one.

Is God calling your church to go back to day one? The first place to start is a re-dedication to the biblical base for cell ministry. Without the biblical passion running through the entire cell vision, people can forget the reason behind the cell church. In February, experienced pastors and leaders will write twenty blogs on this theme. We’ll cover:

  • Week 1 (February 04-10). Re-dedication to the why of cell ministry. We’ll talk about the biblical base, one-anothers, house to house ministry in the New Testament. After all, the Bible, along with the Spirit of God is the only true source for renewal.
  • Week 2: February 11-17). Re-dedication to making disciples through the cell. This might mean encouraging leaders to rejoice in the progress already made in discipleship in the cell. It might mean a renewal for evangelism, use of the spiritual gifts, and multiplication-which are all part of the discipleship process.
  • Week 3: February 18-24; due date). Re-dedication to making disciples through the cell system. I’m referring here to equip members to become leaders, new focus on coaching existing leaders, and renewal of discipling people in the celebration service. This might call for testimonies on Sunday, value-based sermon on cell principles, and so forth.
  • Week 4: February 25-March 03; due date: February 23). Re-dedication to prayer: Prayer is the air of the cell church vision. Cells are the conduits of the Holy Spirit’s work. We can’t pray enough, and we need to rededicate ourselves to prayer.

Feel free to share about your journey in staying fresh in the cell vision and living in day one.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Dia Um na Visão Celular

Por Joel Comiskey

Jeff Bezos, fundador da Amazon, é o homem mais rico do mundo, e a Amazon é uma das empresas mais bem-sucedidas. Um dos motivos do sucesso de Bezos é manter a visão da empresa fresca. “É Sempre o Dia Um” tem sido o mantra de Bezos desde que ele fundou a empresa há 24 anos, e essa frase guia a Amazon hoje.

Algumas igrejas celulares precisam voltar ao primeiro dia. Elas perderam a emoção inicial do ministério de casa em casa. Elas esqueceram a pura alegria de fazer discípulos que fazem discípulos através de grupos de células. Elas ficaram atoladas com métodos e programas complicados. O ministério da célula sutilmente tornou-se um “chapéu velho” e até mesmo chato. “Nós devemos fazer isso dessa maneira”, torna-se o tema orientador e essa mentalidade não estimula ninguém. É ainda possível se tornar legalista, especialmente se a igreja está seguindo o modelo de outra pessoa em vez de princípios bíblicos. As igrejas, como os indivíduos, precisam de renovação e frescor para voltar ao primeiro dia.

Um pastor que eu tenho treinado há cinco anos recentemente me pediu para ajudar a igreja a “re-imaginar” ou revitalizar sua visão. Eles queriam voltar ao primeiro dia. Este pastor estava se referindo a uma “rededicação” ou renovação na visão. Esta igreja não queria reinventar a visão celular e na verdade estava indo muito bem. Mas eles também notaram que algumas pessoas simplesmente estavam passando pelos movimentos e perderam o “porquê” do ministério celular. Essa igreja queria que suas pessoas experimentassem a alegria do ministério celular mais uma vez. Elas queriam voltar ao dia um.

Será que Deus está chamando sua igreja para voltar ao primeiro dia? O primeiro lugar para começar é uma “rededicação” à base bíblica para o ministério das células. Sem a paixão bíblica correndo por toda a visão celular, as pessoas podem esquecer o motivo por trás da igreja celular. Em fevereiro, pastores e líderes experientes escreverão vinte blogs sobre esse tema. Se você quiser receber esses blogs diariamente em sua caixa de e-mail, clique aqui. Vamos abordar:

  • Semana 1 (04 a 10 de fevereiro). “Rededicação” ao porquê do ministério celular. Falaremos sobre a base bíblica, sobre uns aos outros, sobre o ministério de casa em casa no Novo Testamento. Afinal a Bíblia, juntamente com o Espírito de Deus, é a única fonte verdadeira de renovação.
  • Semana 2 (11 a 17 de fevereiro). “Rededicação” para fazer discípulos através da célula. Isso pode significar encorajar líderes a se alegrar do progresso já feito do discipulado na célula. Pode significar uma renovação para o evangelismo, o uso dos dons espirituais e a multiplicação – que são todos parte do processo do discipulado.
  • Semana 3 (18 a 24 de fevereiro; data prevista). “Rededicação” para fazer discípulos através do sistema celular. Estou me referindo aqui em equipar os membros para se tornarem líderes, um novo foco no treinamento de líderes já existentes e a renovação do discipulado das pessoas no culto de celebração. Isso pode pedir por testemunhos no domingo, um sermão baseado nos valores dos princípios das células e assim por diante.
  • Semana 4 (25 de fevereiro a 03 de março; data prevista: 23 de fevereiro). “Rededicação” à oração: a oração é o ar da visão da igreja celular. As células são os condutores da obra do Espírito Santo. Não podemos orar o suficiente, e precisamos nos “rededicar” à oração.

Sinta-se livre para compartilhar  sobre sua jornada em permanecer fresco na visão celular e em viver no primeiro dia.

Spanish blog:

Siempre es el Primer Dia en la Visión Celular

Por Joel Comiskey

Jeff Bezos, fundador de Amazon, es el hombre más rico del mundo y Amazon es una de las compañías más exitosas. Una de las razones del éxito de Bezo es mantener fresca la visión de la compañía. “Siempre es el primer día” ha sido el mantra de Bezos desde que fundó la compañía hace 24 años, y esta frase guía a Amazon en la actualidad.

Algunas iglesias celulares deben volver al primer día. Han perdido la emoción inicial del ministerio celular. Han olvidado la alegría pura, de hacer discípulos que hacen discípulos a través de los grupos celulares; se han estancado con métodos y programas complicados. El ministerio celular se ha vuelto sutilmente “viejo” e incluso aburrido. “Se supone que debemos hacerlo de esta manera” esta frase se convierte en el tema rector y esta mentalidad no entusiasma a nadie. Incluso es posible volverse legalista, especialmente si la iglesia está siguiendo el modelo de otra persona, en lugar de los principios bíblicos. Las iglesias, al igual que los individuos, necesitan renovación y refrescarse (para volver al primer día.)

Un pastor al que he estado entrenando durante cinco años, recientemente, me pidió que ayudara a la iglesia a “volver a imaginar” o “revitalizar” su visión; querían volver al primer día. Este pastor se refería a una nueva dedicación o renovación en la visión. Esta iglesia no quería reinventar la visión celular y en realidad les estaba yendo bastante bien. Pero también notaron que algunas personas simplemente estaban haciendo trámites y habían perdido el “por qué” del ministerio celular. Esta iglesia quería que su gente experimentara la alegría del ministerio celular una vez más. Querían volver al primer día.

¿Está Dios llamando a tu iglesia para que regrese al primer día? El primer lugar para comenzar es una nueva dedicación a la base bíblica para el ministerio celular. Sin la pasión bíblica que atraviesa toda la visión de la célula, las personas pueden olvidar la razón detrás de la iglesia celular. En febrero, pastores y líderes experimentados escribirán veinte blogs sobre este tema. Cubriremos:

  • Semana 1 (del 04 al 10 de febrero). Dedicación renovada al porqué del ministerio celular. Hablaremos sobre la base bíblica, el ministerio de casa en casa en el Nuevo Testamento. Después de todo, la Biblia, junto con el Espíritu de Dios es la única fuente verdadera de renovación.
  • Semana 2: (del 11 al 17 de febrero). Nueva dedicación para hacer discípulos a través de la célula. Esto podría significar alentar a los líderes a regocijarse en el progreso ya hecho en el discipulado en la célula. Podría significar una renovación para el evangelismo, el uso de los dones espirituales y la multiplicación, que son parte del proceso de discipulado.
  • Semana 3: (del 18 al 24 de febrero; fecha de vencimiento). Nueva dedicación para hacer discípulos a través del sistema celular. Aquí, me refiero, a equipar a los miembros para que se conviertan en líderes, a un nuevo enfoque para entrenar a los líderes existentes y en la renovación de discipular a las personas en el servicio de celebración. Esto podría requerir de testimonios el domingo, un sermón basado en el valor en los principios de las células, y así sucesivamente.
  • Semana 4: (del 25 de febrero al 3 de marzo; fecha de vencimiento: 23 de febrero). Dedicación renovada en la oración: La oración es el aire de la visión de la iglesia celular. Las células son los conductos del trabajo del Espíritu Santo. No podemos orar lo suficiente, y tenemos que volver a dedicarnos a la oración.

Siéntete libre de compartir tu viaje para mantenerse fresco en la visión de la célula y vivir como en el primer día.

Power to Persist in Life and Ministry

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

I spoke last week at the Elim children’s cell leader conference in San Salvador, El Salvador. 1300 children’s cell leaders packed the local theater. Most of them were youth, converted in a children’s cell, and now leading a children’s cell. One of them was Jenny. I had written her story in my book, Children in Cell Ministry, but I met her for the first time at the conference.

Jenny was sent to open a children’s cell in a very poor house in the center of San Salvador. An older lady and her eight-year-old grandson, Leonel, lived in a small, messy house. The neighborhood children packed the house to overflowing each week. Jenny recalls the messiness of the home and lack of space as the children crammed in each corner to hear God’s Word, memorize Scripture, worship God, and pray together. Leonel’s rooster would often peck at Jenny as she gave the lesson. Despite the difficulties, Jenny pressed on for the sake of the children.

Jenny noted that Leonel was very depressed and sometimes spoke about not wanting to live anymore. Jenny asked if something was wrong, but Leonel always avoided talking about his problems. Over time, and after talking to the grandmother, Jenny pieced together Leonel’s history. Leonel’s mother was impregnated at the age of thirteen by a gang member and turned Leonel over to the grandmother. Leonel’s father had to flee the country, and Leonel never heard from him. He had only seen a photo of him. To survive, Leonel and his grandmother tried selling roasted bananas on the city streets.

The good news was that Leonel received Jesus in the children’s cell and began the process of discipleship week after week. He memorized the verses and faithfully attended each meeting. Leonel’s mood changed dramatically, although he would sometimes become discouraged because of his living conditions. Many of the neighbors around Leonel were gang members, and Jenny knew he was vulnerable. She gave Leonel special attention, praying fervently that he would stay strong. She asked him to help her in the cell, which made him feel important
and needed.

Leonel did make it through those difficult times. He’s now seventeen and testifies of God’s grace in his life. “Before I didn’t care about even living, but now I have a new purpose in life,” Leonel says. “Jesus is my priority now, and he’s helped me to avoid the mistakes of those around me.” Leonel now attends an Elim youth cell as well as the weekly celebration services. He is currently finishing high school and his dream is to study mechanical engineering in college. He’s polite, respectful, and a trophy of God’s grace—someone who was rescued by an Elim cell group in the dark, broken city of San Salvador.

Whether you’re a pastor, cell leader, or member, the power to persist in ministry—like Jenny—is the result of spending daily time with Jesus Christ. Having a consist daily devotions and then praying without ceasing is the formula for successful life and ministry.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Poder para Persistir na Vida e no Ministério

por Joel Comiskey

Eu falei na semana passada na conferência de líderes de células infantis de Elim em San Salvador, El Salvador. 1300 líderes de células infantis encheram o teatro local. A maioria deles era jovem, convertidos em uma célula infantil e agora lideram uma célula infantil. Um deles era Jenny. Eu escrevi sua história em meu livro, Children in Cell Ministry, mas a encontrei pessoalmente pela primeira vez na conferência.

Jenny foi enviada para abrir uma célula de crianças em uma casa muito pobre no centro de San Salvador. Uma senhora idosa e seu neto de oito anos, Leonel, moravam em uma casa pequena e bagunçada. As crianças do bairro enchiam a casa a ponto de transbordar a cada semana. Jenny lembra a bagunça do lar e a falta de espaço quando as crianças se abarrotavam em cada canto para ouvir a Palavra de Deus, memorizar as Escrituras, adorar a Deus e orar juntos. Leonel tinha um galo que frequentemente picava a Jenny enquanto ela dava a lição. Apesar das dificuldades, Jenny seguiu em frente para o bem das crianças.

Jenny observou que Leonel estava muito deprimido e às vezes falava sobre não querer viver mais. Jenny perguntou se algo estava errado, mas Leonel sempre evitava falar sobre seus problemas. Ao longo do tempo, e depois de conversar com a avó, Jenny juntou a história de Leonel. A mãe de Leonel ficou grávida aos 13 anos de um membro da gangue e entregou Leonel para a avó. O pai de Leonel teve que fugir do país, e Leonel nunca ouviu falar dele. Ele só tinha visto uma foto dele. Para sobreviver, Leonel e sua avó tentaram vender bananas assadas nas ruas da cidade.

A boa notícia foi que Leonel recebeu Jesus na célula das crianças e começou o processo de discipulado semana após semana. Ele memorizou os versículos e frequentou fielmente cada reunião. O humor de Leonel mudou drasticamente, embora às vezes ele se desanimasse por causa de suas condições de vida. Muitos dos vizinhos de Leonel eram membros de gangue, e Jenny sabia que ele era vulnerável. Ela deu uma atenção especial a Leonel, orando fervorosamente para que ele ficasse forte. Ela pediu que ele a ajudasse na célula, o que o fazia sentir-se importante
e necessário.

Leonel conseguiu sobreviver esses tempos difíceis. Hoje ele tem dezessete anos e testemunha a graça de Deus em sua vida. “Antes que eu não me importava nem em viver, mas agora eu tenho um novo propósito na vida”, diz Leonel. “Jesus é minha prioridade agora, e ele me ajudou a evitar os erros daqueles que me rodeiam”. Leonel agora participa de uma célula jovem em Elim, bem como dos cultos de celebração semanal. Atualmente está terminando o ensino médio e seu sonho é estudar engenharia mecânica na faculdade. Ele é educado, respeitoso e um troféu da graça de Deus – alguém que foi resgatado por uma célula da Igreja Elim na cidade escura e quebrada de San Salvador.

Se você é pastor, líder de célula ou membro, o poder de persistir no ministério como Jenny fez é o resultado de passar o tempo diário com Jesus Cristo. Ter uma devoção diária consistente e depois orar sem cessar é a fórmula para ter vida e ministério bem sucedidos.

Spanish blog:

Poder para persistir en la vida y el ministerio

Por Joel Comiskey

La semana pasada hablé en la conferencia de líderes de células infantiles de Elim en San Salvador, El Salvador. 1300 líderes de células infantiles llenaron el teatro local. La mayoría de ellos eran jóvenes, que se convirtieron en una célula para niños y ahora dirigen una de ellas. Una de estas líderes era Jenny, había escrito su historia en mi libro, Children in Cell Ministry, pero la conocí por primera vez en la conferencia.

Elim a menudo se orienta a las áreas de la ciudad plagadas de crimen con la esperanza de rescatar a los niños antes de que sean reclutados por pandillas. Jenny, por ejemplo, fue enviada para comenzar una célula infantil en una casa muy pobre en el centro de San Salvador. Una señora mayor y su nieto de ocho años de edad, Leonel, vivían en una casa pequeña y desordenada. Los niños del barrio llenaban la casa a rebosar cada semana. Jenny recuerda el desorden de la casa y la falta de espacio ya que los niños se ubicaban como les fuera posible en cada esquina para escuchar la Palabra de Dios, memorizar las Escrituras, adorar a Dios y orar juntos. El gallo de Leonel a menudo picoteaba a Jenny mientras ella daba la lección. A pesar de las dificultades, Jenny siguió adelante por el bien de los niños.

Jenny notó que Leonel estaba muy deprimido y a veces habló de no querer vivir más. Jenny le preguntó si algo andaba mal, pero Leonel siempre evitaba hablar de sus problemas. Con el tiempo, y después de hablar con la abuela, Jenny descifró la historia de Leonel. La madre de Leonel se embarazó a la edad de trece años por un miembro de la pandilla y entregó a Leonel a su abuela. El padre de Leonel tuvo que huir del país, y Leonel nunca supo de él. Sólo había visto una foto de él. Para sobrevivir, Leonel y su abuela intentaban vender plátanos asados en las calles de la ciudad.

La buena noticia fue que Leonel recibió a Jesús en la célula infantil y comenzó el proceso de discipulado semana tras semana. Memorizó los versículos y asistió fielmente a cada reunión. El humor de Leonel cambió dramáticamente, aunque a veces podía desanimarse a causa de las condiciones en las que vivía. Muchos de los vecinos de Leonel eran miembros de pandillas y Jenny sabía que él era vulnerable. Ella le dio a Leonel atención especial, orando fervientemente por que se mantuviese firme. Ella le pedía que le ayudara en la célula, lo que le hacía sentirse importante y necesario.

Leonel logró atravesar esos tiempos difíciles. Él tiene ahora diecisiete años y da testimonio de la gracia de Dios en su vida. “Antes no me importaba incluso vivir, pero ahora tengo un nuevo propósito en la vida”, dice Leonel. “Jesús es mi prioridad ahora, y Él me ha ayudado a evitar los errores de aquellos que me rodean.” Leonel ahora asiste a una célula juvenil de Iglesia Elim, así como a los servicios de celebración semanales. Actualmente está terminando la escuela secundaria y su sueño es estudiar ingeniería mecánica en la universidad. Es amable, respetuoso, y un trofeo de la gracia de Dios—alguien que fue rescatado por un grupo celular de Iglesia Elim en la oscura y rota ciudad de San Salvador.

Si usted es pastor, líder de célula o miembro, el poder de persistir en un ministerio como Jenny es el resultado de pasar un tiempo a diario con Jesucristo. Tener una consagración de devociones diarias y orar sin cesar es la fórmula para la vida y el ministerio exitosos.

Avoiding Common Errors with Spending Time with God

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

God spoke words of beauty through the prophet Isaiah: “Come, all you who are thirsty, come to the waters; and you who have no money, come, buy and eat! Come, buy wine and milk without money and without cost” (Isaiah 55:1- 3).

Having a daily quiet time will help you to know God, feed from His word, and be empowered by his Spirit. In the quiet time, you’ll worship the King of kings, listen to his voice, and receive direction for each day. You’ll feel empowered to serve others. However, many leaders have a thwarted view of spending time with Jesus daily.

  • Religious Ritual

Spending daily quiet time is not a meritorious act to make us worthy in God’s sight. We don’t do it to prove ourselves before God, to offer Him another good work. Rather, our quiet time is a response to His love. Because Jesus loves us and has made us righteous by His blood, we desire to spend time with Him and know Him more intimately. We long to be with Him—not because we have to, but because we want to.

A. W. Tozer, a spiritual leader of the twentieth century, says, “We pursue God because and only because He has first put an urge within us that spurs us to pursuit.” God’s grace births a desire in us to spend time with him. We simply respond to His love and desire to enter His presence.

Sometimes, unforeseen circumstances make it impossible to spend time with God. On those days, simply say, “God, I thank you for Your grace, and I thank You that there is no condemnation for those who are in Christ Jesus.”

  • 1,2,3 Formula

Spending daily time with God does not mean following a two-step formula or keeping a legalistic checklist of “must do” activities. After all, “Variety is the spice of life;” it’s usually best to be flexible in spending time with God. When I feel overwhelmed, I like to pour out my heart to God. On other occasions, I desire to read the Word more. Getting to know God involves the same kind of spontaneous interaction needed to grow any relationship.

When a husband and wife sit down together to talk, they don’t have a checklist of topics to discuss. Instead, there is a natural ebb and flow in the conversation. Why? Because the goal is to get to know one another. In the same way, spending time with God is all about getting to know God. The purpose is to develop a relationship with Jesus Christ.

  • Limiting the Quiet time to One Thing

The Bible provides the spiritual sustenance of devotional time, but spending time with God is more than Bible reading. Prayer is only a part of quiet time. It should also include reading God’s Word, worship, confession, and listening.

  • Reading a Devotional Guide

It’s great to have a plan, but it’s important to go beyond the plan and enter into the presence of God Himself.

The power to minister is the overflow of God’s love. The only thing leaders have to give is what God has already given to them. Devotional time is the time to get charged and refreshed in order to refresh others. Just remember that spending time with him is a relationship with the living God, not a duty to be performed.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Evitando Erros Comuns ao Passar Tempo com Deus

por Joel Comiskey

Deus falou lindas palavras através do profeta Isaías: “Venham, todos vocês que estão com sede, venham às águas; e, vocês que não possuem dinheiro algum, venham, comprem e comam! Venham, comprem vinho e leite sem dinheiro e sem custo” (Isaías 55:1-3).

Ter um tempo de silêncio diário irá ajudá-lo a conhecer a Deus, alimentar-se da Sua palavra e ser fortalecido pelo seu Espírito. Na hora do silêncio, você vai adorar o Rei dos reis, ouvir Sua voz e receber direção para cada dia. Você se sentirá capacitado para servir os outros. No entanto, muitos líderes têm uma visão frustrada de passar um tempo com Jesus diariamente.

  • Ritual Religioso

Passar um tempo de silêncio diário não é um ato meritório para nos tornar dignos aos olhos de Deus. Não o fazemos para provar a nós mesmos diante de Deus, para oferecer-Lhe outro bom trabalho. Em vez disso, nosso tempo de silêncio é uma resposta ao Seu amor. Porque Jesus nos ama e nos fez justos pelo Seu sangue, desejamos passar tempo com Ele e conhecê-Lo mais intimamente. Desejamos estar com Ele – não porque devemos, mas porque queremos.

A. W. Tozer, um líder espiritual do século XX, diz: “Nós buscamos Deus porque, e só porque, Ele primeiro colocou um impulso dentro de nós que nos estimula a buscar”. A graça de Deus gera em nós um desejo de passar tempo com Ele. Simplesmente respondemos ao Seu amor e desejo de entrarmos em Sua presença.

Às vezes, circunstâncias imprevisíveis faz com que seja impossível passarmos tempo a sós com Deus. Nesses dias, simplesmente diga: “Deus, te agradeço por sua graça, e te agradeço por não haver condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus”.

  • 1, 2, 3 Fórmula

Passar um tempo diário com Deus não significa seguir uma fórmula de dois passos ou manter uma lista de verificação legalista das atividades “obrigatórias”. Afinal, “Variedade é o tempero da vida”; geralmente é melhor ser flexível ao passar tempo com Deus. Quando me sinto sobrecarregado, gosto de derramar meu coração a Deus. Em outras ocasiões, desejo ler mais a Palavra. Conhecer Deus envolve o mesmo tipo de interação espontânea necessária para desenvolver qualquer relacionamento.

Quando um marido e mulher se sentam juntos para conversar, eles não têm uma lista de tópicos para discutir. Em vez disso, há um fluxo natural na conversa. Por quê? Porque o objetivo é conhecer um ao outro. Da mesma forma, passar tempo com Deus é sobre conhecer Deus. O objetivo é desenvolver uma relação com Jesus Cristo.

  • Limitar o Tempo a Sós com Deus a Uma Coisa

A Bíblia fornece o sustento espiritual do tempo devocional, mas passar o tempo com Deus é mais do que ler a Bíblia. A oração é apenas uma parte do tempo de silêncio. Esse momento também deve incluir a leitura da Palavra de Deus, adoração, confissão e ouvir o que Ele está dizendo.

  • Ler um Guia Devocional

É ótimo ter um plano, mas é importante ir além do plano e entrar na presença do próprio Deus.

O poder para ministrar é o transbordamento do amor de Deus. A única coisa que os líderes devem dar é o que Deus já lhes deu. O tempo de devoção é o momento de ser carregado e renovado para renovar os outros. Basta lembrar que passar um tempo com Ele é um relacionamento com o Deus vivo, não um dever a ser executado.

Spanish blog:

Evitando errores comunes en los momentos de comunión con Dios

por Joel Comiskey

Dios habló palabras de belleza a través del profeta Isaías: “A todos los sedientos: Venid a las aguas; y los que no tienen dinero, venid, comprad y comed. Venid, comprad sin dinero y sin precio, vino y leche”. (Isaías 55: 1- 3)

Tener un tiempo de quietud a diario te ayudará a conocer a Dios, alimentarte de su palabra y ser fortalecido por su Espíritu. En ese momento de silencio, adorarás al Rey de reyes, escucharás su voz y recibirás instrucciones para cada día. Te sentirás empoderado para servir a los demás. Sin embargo, muchos líderes tienen una visión frustrada de tener un tiempo con Jesús todos los días.

  • Ritual Religioso

Tomar un tiempo de tranquilidad a diario no es un acto meritorio, para hacernos dignos ante los ojos de Dios. No lo hacemos para probarnos ante Dios, o para ofrecerle otro acto de trabajo. Más bien, nuestro tiempo de comunión es una respuesta a su amor. Debido a que Jesús nos ama y nos ha hecho justos por su sangre, deseamos pasar tiempo con Él y conocerlo más íntimamente. Anhelamos estar con Él, no porque tengamos que hacerlo, sino porque queremos hacerlo.

W. Tozer, un líder espiritual del siglo XX, dice: “Perseguimos a Dios porque y solo porque, primero ha puesto un deseo dentro de nosotros que nos impulsa a perseguirlo”. La gracia de Dios nos da el deseo de pasar tiempo con él. Simplemente respondemos al amor y deseo de entrar a su presencia.

En ocasiones, circunstancias imprevistas hacen que sea imposible pasar tiempo con Dios. En esos días, simplemente dí: “Dios, te agradezco por Tu gracia, y te agradezco que no haya condenación para los que están en Cristo Jesús”.

  • Fórmula 1, 2, 3.

Tener un tiempo todos los días con Dios no significa seguir una fórmula de dos pasos o mantener una lista de verificación legalista de actividades “obligatorias”. Después de todo, “la variedad es la sal de la vida”; por lo general, lo mejor es ser flexible al pasar tiempo con Dios. Cuando me siento abrumado, me gusta entregar mi corazón a Dios. En otras ocasiones, deseo leer la Palabra un poco más. Conocer a Dios implica el mismo tipo de interacción espontánea necesaria para cultivar cualquier relación.

Cuando un esposo y una esposa se sientan juntos para hablar, no tienen una lista de verificación de temas para discutir. Al contrario, hay un flujo y reflujo natural en la conversación. ¿Por qué? Porque el objetivo es llegar a conocernos. De la misma manera, al pasar tiempo con Dios tratamos llegar a conocerle. El propósito es desarrollar una relación con Jesucristo.

  • Limitar el tiempo de comunión a una cosa

La Biblia proporciona el sustento espiritual del tiempo devocional, pero pasar tiempo con Dios es más que leer la Biblia. La oración es solo una parte del tiempo de comunión. También debe incluir la lectura de la Palabra de Dios, adoración, confesión y escucha.

  • Lectura de una Guía Devocional

Es genial tener un plan, pero es importante ir más allá del plan y entrar en la presencia de Dios mismo.

El poder de ministrar es el desbordamiento del amor de Dios. Lo único que los líderes tienen para dar es lo que Dios ya les ha dado. El tiempo devocional es el momento para recargarse y actualizarse para poder refrescar a los demás. Solo recuerda que pasar tiempo con Él, es una relación con el Dios viviente, no un deber que se debe cumplir.

Starting the Year Right with Jesus

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Because a school in Texas didn’t have a functioning sprinkler system, 200 people perished when a fire burned down the buildings. The principal began to rebuild the school after the initial shock had passed. They called in a leading company in fire prevention equipment to install a sprinkler system. When the new school was opened for public inspection, the principal pointed out the new sprinklers in each room, to remove fears of another disaster. The school operated without a problem for a number of years, but then they needed to add on to the existing structure. As work progressed, they made a startling discovery. The new fire extinguishing equipment had never been connected to the water supply! They had the latest in technology and equipment, yet it was useless.

Jesus said,  “Let anyone who is thirsty come to me and drink. Whoever believes in me, as Scripture has said, rivers of living water will flow from within them” (John 7: 37-38). Some leaders go through the motions and perform their religious duties but they’re not connected to the source of living water Everything might appear to be in order, but there’s no life, no abundance of living water.

In small group ministry, it’s easy to depend on curriculum and not the Spirit of God. Endless study guides have been published and online video studies offer an instant solution. The understanding of many is that unless there is excellent content, the people won’t return. The key is to find great material and then to make it work perfectly. But is it possible to have the best material without the water supply?

Chapter 7 in our upcoming book Groups that Thrive is entitled “Quit Studying So Much and Start Praying!”  One of the surprises Jim Egli and I discovered is that spiritual preparation is far more important that lesson preparation. Fruitful leaders stay in tune with Jesus, hear his voice for their groups, and minister out of the abundance of living water.

I drink black tea almost every afternoon. After boiling the water, I leave the bags in the tea long enough to allow the tea to disperse into the hot water. If I take them out too quickly, the tea doesn’t dissolve fully. If I only dip the tea into the hot water, I can barely taste the tea. A great cup of black tea is first thoroughly dissolved into the hot water.

Effective leaders follow a similar pattern. They don’t just dip in and out of the Spirit’s presence. Rather, they allow themselves to be fully immersed, so that the Spirit will permeate their entire beings. Then when they minister, they have an unseen sense of direction and power. God is working in them and the people know it.

If you’re a pastor, commit yourself afresh to spending time with Jesus each day in 2018. He’ll give you daily direction and wisdom to take the right steps. If you’re a cell leader, remember that spiritual preparation is more important than lesson study for your group.

In January, we’ll write twenty blogs on placing Jesus first in our lives. Experienced pastors and leaders will write on this theme. If you’d like to receive these blogs daily in your inbox, click here. We’ll cover:

  • January 07-13: Drinking in the living Water–how to start the year right and prioritize Jesus above sermon or lesson preparation. As I coach pastors and leaders, I often notice that the devotional time suffers in the busyness of ministry.
  • January 14-20:  False Cisterns. We’ll write about areas we can become dependent on apart from Christ, such as good works, busyness, or ministry success. Jesus talk about how the church in Ephesus had left their first love (Revelation 2).
  • January 21-27: Commitments. Thinking of new year’s resolutions, we’ll talk about committing ourselves afresh to spending quality time with Jesus
  • January 28-February 03:  Learning to hear his voice and following his lead.

Feel free to share about your journey with making God the priority in your life.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Começando o Ano Bem com Jesus

Como uma escola no Texas não tinha um sistema de sprinklers (borrifadores de água ativados em incêndios) funcional, 200 pessoas morreram quando um incêndio queimou os edifícios. O diretor começou a reconstruir a escola após o choque inicial ter passado. Eles convocaram uma empresa líder em equipamentos de prevenção de incêndios para instalar um sistema de sprinklers. Quando a nova escola foi aberta para inspeção pública, o diretor apontou os novos sprinklers em cada sala, para tirar o medo de outro desastre. A escola funcionou sem um problema por vários anos, mas então eles precisaram expandir a estrutura existente. À medida que o trabalho progrediu, eles fizeram uma descoberta surpreendente. O novo equipamento de extinção de incêndio nunca foi conectado ao abastecimento de água! Eles tinham a última novidade em tecnologia e equipamentos, mas ela era inútil.

Jesus disse: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva” (João 7:37-38). Alguns líderes passam pelos movimentos e desempenham seus deveres religiosos, mas não estão conectados à fonte da água viva. Tudo parece estar em ordem, mas não há vida nem abundância de água viva.

No ministério de pequenos grupos, é fácil depender do currículo e não do Espírito de Deus. Guias de estudo sem fim foram publicados e estudos de vídeos on-line oferecem uma solução instantânea. A compreensão de muitos é que, a menos que haja conteúdo excelente, as pessoas não retornarão. A chave é encontrar um ótimo material e depois fazê-lo funcionar perfeitamente. Mas é possível ter o melhor material sem o abastecimento de água?

O capítulo 7 do nosso próximo livro Groups that Thrive (“Grupos que Prosperam”, em tradução livre) é intitulado “Pare de estudar tanto e comece a orar!”. Uma das surpresas que Jim Egli e eu descobrimos é que o preparo espiritual é muito mais importante que o preparo das aulas. Líderes frutíferos mantêm-se em sintonia com Jesus, ouvem Sua voz para seus grupos e ministram através da abundância de água viva.

Eu bebo chá preto quase todas as tardes. Depois de ferver a água, deixo as bolsas no chá o suficiente para permitir que o chá se disperse na água quente. Se eu os tirar rapidamente, o chá não se dissolve completamente. Se eu apenas mergulhar o chá na água quente, mal posso provar o chá. Uma boa xícara de chá preto é completamente dissolvida na água quente.

Líderes efetivos seguem um padrão similar. Eles não apenas mergulham dentro e fora da presença do Espírito. Em vez disso, eles se deixam estar totalmente imersos, de modo que o Espírito penetre em totalmente em seu ser. Então, quando ministram, eles têm um senso de direção e poder invisíveis. Deus está trabalhando neles e as pessoas sabem disso.

Se você é um pastor, comprometa-se novamente a passar tempo com Jesus todos os dias em 2018. Ele lhe dará diariamente direção e sabedoria para dar os passos certos. Se você é um líder celular, lembre-se de que a preparação espiritual é mais importante do que a lição de estudo para o seu grupo.

Em janeiro, escreveremos vinte blogs sobre colocar Jesus em primeiro lugar em nossas vidas. Pastores e líderes experientes vão escrever sobre este tema. Se você quiser receber esses blogs diariamente em sua caixa de entrada, clique aqui. Vamos abordar:

  • 07 a 13 de janeiro: Beber na Água viva – como começar o ano certo e priorizar Jesus acima do sermão ou da preparação da lição. Ao treinar pastores e líderes, muitas vezes percebo que o tempo devocional sofre na correria do ministério.
  • 14 a 20 de janeiro: Falsas Cisternas. Vamos escrever sobre áreas em que podemos nos tornar dependentes ao invés de em Cristo, como um bom trabalho, ocupação ou mesmo sucesso do ministério. Jesus fala sobre como a igreja em Éfeso deixou seu primeiro amor (Apocalipse 2).
  • 21 a 27 de janeiro: Compromissos. Pensando nas resoluções do ano novo, vamos falar sobre nos comprometermos novamente a passar um tempo de qualidade com Jesus
  • 28 de janeiro a 03 de fevereiro: Aprendendo a ouvir Sua voz e a seguir o Seu comando.

Sinta-se livre para compartilhar sobre sua jornada em fazer com que Deus seja a prioridade da sua vida.

Joel Comiskey

Spanish blog:

Comenzando bien el año con Jesús

Por Joel Comiskey

Debido a que una escuela en Texas no tenía un sistema de rociadores en funcionamiento, 200 personas perecieron cuando un incendio quemó los edificios. El director comenzó a reconstruir la escuela después de que el shock inicial había pasado. Llamaron a empresas líderes en equipos de prevención de incendios, para instalar un sistema de rociadores. Cuando se abrió la nueva escuela para inspección pública, el director mostro los nuevos rociadores en cada habitación, para eliminar los temores de un nuevo desastre. La escuela funcionó sin problemas durante varios años, pero se necesito agregar algunas mejoras a la estructura existente. A medida que el trabajo avanzaba hicieron un descubrimiento sorprendente. ¡El nuevo equipo de extinción de incendios nunca se había conectado al suministro de agua! Tenían lo último en tecnología y equipamiento, pero era inútil.

Jesús dijo: “Si alguno tiene sed, venga a mí y beba. El que cree en mí, como dice la Escritura, de su interior correrán ríos de agua viva.” (Juan 7: 37-38). Algunos líderes hacen los procedimientos correctos y llevan a cabo sus deberes religiosos, pero no están conectados a la fuente del agua viva. Todo parece estar en orden, pero no hay vida, ni abundancia de agua viva.

En el ministerio celular, es fácil depender del plan de estudios y no del Espíritu de Dios. Se han publicado interminables guías de estudio y videos en línea que ofrecen una solución instantánea. La comprensión de muchos es que, a menos que haya un contenido excelente, la gente no volverá. La clave es encontrar material excelente y luego hacerlo funcionar perfectamente. Pero, ¿es posible tener el mejor material sin el suministro de agua viva?

El Capítulo 7 de nuestro próximo libro Grupos que prosperan, se titula “¡Deja de estudiar tanto y comienza a orar!”. Una de las sorpresas que Jim Egli y yo descubrimos, es que la preparación espiritual es mucho más importante que la preparación de la lección. Los líderes fructíferos se mantienen en sintonía con Jesús, escuchan su voz para sus células ministran de la abundancia de agua viva.

Tomo té negro casi todas las tardes. Después de hervir el agua, dejo las bolsas de té el tiempo suficiente para permitir que el este se disperse en el agua caliente. Si los saco demasiado rápido, el té no va a disolberse por completo, y si solo meto el té en el agua caliente, apenas podré probar el té. Una gran taza de té negro primero se disuelve completamente en el agua caliente.

Los líderes efectivos siguen un patrón similar, no solo entran y salen de la presencia del Espíritu; más bien, se permiten sumergirse por completo, de modo que el Espíritu impregne a todos su ser. Luego, cuando ministran, tienen un sentido invisible de dirección y poder. Dios está trabajando en ellos y la gente lo sabe.

Si eres pastor, comprométete a pasar tiempo con Jesús todos los días en este 2018. Él te dará la dirección y la sabiduría a diario para dar los pasos correctos. Si eres un líder celular, recuerda que la preparación espiritual es más importante que el estudio de la lección para tu célula.

En enero, escribiremos veinte blogs sobre poner a Jesús primero en nuestras vidas. Pastores y líderes experimentados escribirán sobre este tema. Si deseas recibir estos blogs a diario en tu bandeja de entrada, haz clic aquí. Cubriremos:

  • Enero 07-13: Bebiendo del agua viva – cómo comenzar el año correctamente y cómo priorizar a Jesús por encima del sermón o la preparación de la lección. Mientras entreno a pastores y líderes, a menudo noto que el tiempo devocional sufre del ajetreo del ministerio.
  • Enero 14-20: Cisternas falsas. Escribiremos sobre áreas en las cuales nos podemos volver dependientes, aparte de Cristo, como las buenas obras, el ajetreo o el éxito en el ministerio. Jesús habló acerca de cómo la iglesia en Efeso había dejado su primer amor (Apocalipsis 2).
  • Enero 21-27: Compromisos. Pensando en las resoluciones de año nuevo, hablaremos sobre comprometernos de nuevo a pasar tiempo de calidad con Jesús
  • Enero 28- Febrero 03: Aprender a escuchar su voz y seguir su ejemplo.

Ten la libertad de compartir acerca de tu viaje, en el cual haces de Dios la prioridad de tu vida.

Joel

Final Encouragements for 2017

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

We’ve come to the end of another year of blogging. We will start blogging again on January 07, 2018. We are thankful that we now have 29,000 people receiving the blogs daily in their email. God has truly blessed this ministry of daily blogging.

I wanted to express my sincere appreciation for all those who have blogged on JCG throughout 2016.

Special thanks to our regular bloggers: Rob Campbell, Steve Cordle, Mario Vega, Gerardo Campos, Jeff Tunnell, Bill Mellinger, Daphne Kirk, Michelle Geoffrey, and Robert Lay.

I am very grateful for those who have been working behind the scenes by faithfully translating each blog. Our translators are: Abdias Galvis & Sergio Ramirez (Spanish blog), Beatriz and Bella Fabretti (Portuguese blog), and Christian Jeong (Korean blog). We at JCG really appreciate their time and commitment, which allows the blog to reach many more people.

We look forward to resourcing the worldwide cell church movement in 2018 through the JCG blogs and resources. We look forward to sending to you the next blogs on January 07, 2018.

Have a blessed time with family and friends this Christmas as you celebrate Christ’s birth.

Joel Comiskey

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Encorajamento Final para 2017

Por Joel Comiskey

Chegamos ao fim de mais um ano de blogs. Vamos começar a enviar os blogs novamente em 07 de janeiro de 2018. Agradecemos que agora tenham 29 mil pessoas recebendo os blogs diariamente em seu email. Deus realmente abençoou este ministério.

Eu gostaria de expressar meu apreciação sincera por todos aqueles que escreveram no blog Joel Comiskey Group durante o ano de 2016. Um agradecimento especial aos nossos blogueiros frequentes: Rob Campbell, Steve Cordle, Mario Vega, Gerardo Campos, Jeff Tunnell, Bill Mellinger, Daphne Kirk, Michelle Geoffrey, e Robert Lay.

Sou muito grato por aqueles que tem trabalhado nos bastidores, traduzindo fielmente cada blog. Nossos tradutores são: Abdias Galvis e Sergio Ramirez (blog em espanhol), Beatriz e Bella Fabretti (blog em Português), e Christian Jeong (blog em coreano). Nós na Joel Comiskey Group (JCG) realmente agradecemos pelo seu tempo e compromisso, o que permite que o blog atinja muito mais pessoas.

Nós desejamos capacitar o movimento da igreja em células ao redor do mundo em 2018, Blogs e recursos da JCG.  Estamos ansiosos para enviar-lhes os próximos blogs, em 07 de janeiro de 2018.

Tenha um tempo abençoado com suas famílias e amigos neste Natal, quando você comemora o nascimento de Cristo.

Deus te abençoê

Joel

Spanish blog:

Estímulos finales para 2017

Por Joel Comiskey

Hemos llegado al final de otro año de blogs. Comenzaremos con los blogs nuevamente el 07 de enero del 2018. Estamos agradecidos de que ahora tenemos 29.000 personas que reciben los blogs diariamente en su correo electrónico. Dios realmente ha bendecido este ministerio.

Quiero expresar mi sincero aprecio a todos aquellos que han colaborado con los blogs en JCG a lo largo del 2017. Quiero expresar un especial agradecimiento a nuestros escritores regulares de los blogs: Rob Campbell, Steve Cordle, Mario Vega, Gerardo Campos, Jeff Tunnell, Bill Mellinger, Daphne Kirk, Michelle Geoffrey, and Robert Lay.

Estoy muy agradecido por aquellos que han estado trabajando traduciendo fielmente cada blog. Nuestros traductores son: Abdias Galvis y Sergio Ramírez (blog en español), Beatriz y Bella Fabretti  Tamara Soares (blog portugues) y Christian Jeong (blog coreano). En JCG realmente apreciamos su tiempo y compromiso, lo que permite que el blog llegue a muchas más personas.

Esperamos con gozo continuar el ministerio de ofrecer recursos al movimiento mundial de las iglesias celulares en el 2018 a través de los blogs y recursos de JCG. Esperamos poder enviarles los próximos blogs el 07 de enero del 2017.

Reciban un tiempo de gran bendición con su familia y amigos en esta Navidad mientras celebran el nacimiento de Cristo.

Dios les Bendiga,

Joel

Jesus is the Reason for the Season

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

The angels in Luke 2 couldn’t contain the good news about an extraordinary babe in the manger. And this season we celebrate the God-man who came to give us:

Knowledge: Jesus gave us true knowledge of the Father. He portrayed a loving, caring Father–so different from the impersonal deities of that time period. Jesus showed us that God is love. In fact, He loved the world so much He came down Himself to die for the sins of the world.

Purpose: The incarnation, death, and resurrection of Jesus gives us reason to live. Christ’s birth and death sets us free to live holistic, joyful lives. We are not a freak accident of nature. Rather, God has a perfect plan for each of us, and one day we will live forever with Him in heaven.

Dignity: Christ’s birth among the lowly reminds us that God desires to reach all of His creation. While on earth, Jesus demonstrated his love for the oppressed, the impoverished, the sick, and those on the margins of society. Jesus gave new dignity to women. Christ’s birth gives new new confidence and hope.

Christmas is all about Christ, and it’s a privilege to share this knowledge with others. Christmas is a great time to invite people to the cell group to focus on  Jesus, enjoy a meal, or reach out through meeting needs as a group.

Since cell church is a two wing ministry, the cells come together to celebrate Christ and to invite those who don’t know Jesus. This year, Christmas eve is December 24, so it’s a great opportunity to exalt Jesus and share the good news that Christ came to rescue men and women from death to life.

In December, let’s talk about focusing on Jesus in cell and celebration. We will only blog for two weeks and then take a break from December 17, 2017 to January 07, 2018. We’ll cover:

  • December 03-09. Exalting Jesus in the cell. Jesus loves sinners and he would be honored to have a special house party in his name where non-Christians would be present. Or maybe a gift exchange while honoring the greatest gift, Christ’s coming to this earth
  • December 10-16.  Celebrating Jesus in the larger gathering. Sunday celebration is a great time to invite pre-Christians who feel obligated to attend a religious Christian service. Cell members can also participate in honoring Jesus during the celebration service by inviting people and taking part in the service.

Feel free to share about how you are honoring Jesus this year.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Jesus É A Razão Da Temporada

Por Joel Comiskey

Os anjos em Lucas 2 não poderiam conter as boas notícias sobre um bebê extraordinário na manjedoura. E nesta temporada celebramos o Deus-homem que veio nos dar:

Conhecimento: Jesus nos deu o verdadeiro conhecimento do Pai. Ele retratou um pai amoroso e atencioso – tão diferente das divindades impessoais desse período de tempo. Jesus nos mostrou que Deus é amor. Na verdade, Ele amou o mundo tanto que Ele mesmo desceu Ele para morrer pelos pecados do mundo.

Objetivo: a encarnação, a morte e a ressurreição de Jesus nos dá razão para viver. O nascimento e a morte de Cristo nos libertam para viver uma vida holística e alegre. Não somos um acidente raro da natureza. Pelo contrário, Deus tem um plano perfeito para cada um de nós, e um dia viveremos para sempre com Ele no Céu.

Dignidade: o nascimento de Cristo entre os humildes nos lembra que Deus deseja alcançar toda a Sua criação. Enquanto estava na terra, Jesus demonstrou seu amor pelos oprimidos, os empobrecidos, os doentes e os que estão à margem da sociedade. Jesus deu nova dignidade às mulheres. O nascimento de Cristo dá nova confiança e esperança.

O Natal é tudo sobre Cristo, e é um privilégio compartilhar esse conhecimento com os outros. O Natal é uma ótima ocasião para convidar as pessoas para o grupo celular a se concentrar em Jesus, desfrutar de uma refeição ou alcançar as necessidades da reunião como um grupo.

Uma vez que a igreja celular é um ministério de duas asas, as células se juntam para celebrar Cristo e convidar aqueles que não conhecem Jesus. Este ano, a véspera de Natal é 24 de dezembro, por isso é uma ótima oportunidade para exaltar a Jesus e compartilhar as boas novas de que Cristo veio resgatar homens e mulheres da morte à vida.

Em dezembro, vamos falar sobre focar em Jesus na célula e no culto de celebração. Nós só teremos o blog por duas semanas e depois daremos uma pausa de 17 de dezembro de 2017 a 07 de janeiro de 2018. Vamos abordar:

  • 03 a 09 de dezembro. Exaltando Jesus na célula. Jesus ama os pecadores e Ele ficaria honrado em ter uma festa especial da casa em Seu nome onde os não-cristãos estarão presentes. Ou talvez uma troca de presentes enquanto honra o maior presente, a vinda de Cristo a esta terra.
  • 10 a 16 de dezembro. Comemorando Jesus na reunião maior. A celebração do domingo é um ótimo momento para convidar pré-cristãos que se sentem obrigados a participar de um culto religioso cristão. Os membros da célula também podem participar na honra de Jesus durante o serviço de celebração, convidando as pessoas e participando do culto.

Sinta-se livre para compartilhar sobre como você está honrando Jesus neste ano.

Spanish blog:

Jesús es la razón de la celebración 

por Joel Comiskey

Los ángeles en Lucas 2, no podían contener las buenas noticias sobre un bebé extraordinario que estaba en el pesebre. Y esta temporada celebramos al Dios-hombre que vino a darnos:

Conocimiento: Jesús nos dio el verdadero conocimiento del Padre. Representó a un Padre amoroso y afectuoso, tan diferente de las deidades impersonales de ese tiempo. Jesús nos mostró que Dios es amor; de hecho, Él amó tanto al mundo que descendió para morir por los pecados del mundo.

Propósito: la encarnación, la muerte y la resurrección de Jesús nos da una razón para vivir. El nacimiento y la muerte de Cristo nos hace libres para tener vidas holísticas y alegres. No somos un extraño accidente de la naturaleza, más bien, Dios tiene un plan perfecto para cada uno de nosotros, y un día viviremos para siempre con Él en el cielo.

Dignidad: el nacimiento de Cristo entre los humildes nos recuerda que Dios desea alcanzar toda su creación. Mientras estuvo en la tierra, Jesús demostró su amor por los oprimidos, los pobres, los enfermos y los marginados de la sociedad; Jesús le dio nueva dignidad a las mujeres. El nacimiento de Cristo nos da una nueva confianza y esperanza.

La Navidad se trata de Cristo, y es un privilegio compartir este conocimiento con otros. La Navidad es un buen momento para invitar a las personas al grupo celular y enfocarnos en Jesús, disfrutar de una comida o discutir las necesidades de la reunión en grupo.

Como la iglesia celular es un ministerio de dos áreas, las células se unen para celebrar a Cristo e invitar a aquellos que aun no le conocen. Este año, la víspera de Navidad es el 24 de diciembre, por lo que es una gran oportunidad para exaltar a Jesús y compartir las buenas nuevas de que Cristo vino a rescatar a hombres y mujeres de la muerte para vida.

En diciembre, hablemos de centrarnos en Jesús en nuestra célula y en los servicios de celebración. Solo publicaremos blogs por dos semanas y luego tomaremos un descanso del 17 de diciembre de 2017 al 7 de enero de 2018. Cubriremos:

  • Diciembre 03-09. Exaltando a Jesús en la célula. Jesús ama a los pecadores y se sentiría honrado de tener una fiesta especial en su nombre donde los no cristianos estén presentes. O tal vez un intercambio de regalos mientras se honra el mayor regalo, el regreso de Cristo a esta tierra.
  • Diciembre 10-16. Celebrando a Jesús en la reunión más grande. La celebración del domingo es un buen momento para invitar a los pre-cristianos que se sienten obligados a asistir a un servicio cristiano religioso. Los miembros de la célula también pueden participar honrando a Jesús durante el servicio de celebración invitando a las personas y participando en el servicio.

Siéntete libre de compartir acerca de cómo honras a Jesús este año.

Permanent Versus Rotating Hosts

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Should cells rotate or is it best to have one “permanent” place? There are solid arguments for both sides. I don’t believe there is one right answer. Some believe that the Scripture teaches that cells must rotate on a regular basis. Yes, Scripture does say, “Day after day, in the temple courts and from house to house, they never stopped teaching and proclaiming the good news that Jesus is the Christ” (Acts 5:42). But is this verse prescriptive or descriptive? In other words, is God commanding a pattern to follow (prescriptive) or simply describing the reality of the early church? It seems to me that this verse is more descriptive because Paul also referred to stationary house churches:

  • the church in the house of Mary (Acts 12:12
  • the church in the house of Aquila and Priscilla (1 Corinthians 16:19)
  • the church in the house of Nympha (Colossians 4:15)
  • the church in the home of Archippus (Philemon 2)

It seems that the early house churches both rotated from house to house and enjoyed a more or less permanent location.

Rotation works well because it helps other members to share the hosting load and creates new opportunities for evangelism. But having one place is also a good idea because it capitalizes on the giftedness of one host (i.e., if you have a gifted host, why move the group around?), helps everyone to remember where the cell meets, and more effectively reaches the people of one particular area.

My own Life group rotates between my house, Brent’s house, and Jose’s restaurant where we meet in an outside, secluded table. Sharing the load works well for us, but in other situations, it’s best to meet in one home, especially if the person or couple has God-given gifts that enhance their role as host.

For example, those with the gift of helps, service, pastor, giving, or mercy normally make great hosts. And I believe that God has placed an abundance of the gifts of helps and service in the body of Christ. Those hosts who possess “hospitality type” gifts make excellent “permanent” hosts. Yet, I also believe that all Christians should grow in hospitality and learn to become better hosts.

The Elim Church uses both permanent hosts and rotating cells. Mario writes,

Here at the Elim Church we have both types of meetings, and both have been a blessing. Rotating cells work well to reach new spheres of influence because they move from one house to another. The fact that the cell is a novelty in a home becomes an element of attraction for the neighbors.

On the other hand, permanent cells, even though they maintain their sphere of influence without any variation, they have the virtue of consistency. This type of cell has more extensive follow-up on the same people each week and provide more opportunities for neighborhood people to attend.

What has worked best for you? Feel free to share here.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Anfitriões Permanente Versus Anfitriões Rotativos

por Joel Comiskey

As células devem girar ou é melhor ter um lugar “permanente”? Existem argumentos sólidos para ambos os lados. Não acredito que haja uma resposta certa. Alguns acreditam que a Escritura ensina que as células devem girar regularmente. Sim, a Escritura diz: “Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo.(Atos 5:42). Mas esse versículo é prescritivo ou descritivo? Em outras palavras, Deus está comandando um padrão a seguir (prescritivo) ou simplesmente descrevendo a realidade da Igreja Primitiva? Parece-me que este versículo é mais descritivo porque Paulo também se referiu às igrejas de casas estacionárias:

  • a igreja na casa de Maria (Atos 12:12)
  • a igreja na casa de Aquila e Priscilla (1 Coríntios 16:19)
  • a igreja na casa de Ninfa (Colossenses 4:15)
  • a igreja na casa de Arquipo (Filemom 2)

Parece que as primeiras igrejas domésticas giraram de casa em casa e desfrutavam de um local mais ou menos permanente.

A rotação funciona bem porque ajuda outros membros a compartilhar a carga de hospedagem e cria novas oportunidades para o evangelismo. Mas ter um lugar também é uma boa ideia, porque ele capitaliza o dom de um anfitrião (ou seja, se você tem um anfitrião com dons, por que mover o grupo?), Ajuda a todos a lembrar onde a célula se encontra, e mais efetivamente alcança as pessoas de uma determinada área.

Meu próprio grupo de células gira entre minha casa, a casa de Brent e o restaurante de José, onde nos encontramos em uma mesa externa e isolada. O compartilhamento da carga funciona bem para nós, mas em outras situações, é melhor se encontrar em uma casa, especialmente se a pessoa ou casal tem dons dados por Deus que aumentam seu papel de anfitrião.

Por exemplo, aqueles com o dom de ajuda, serviço, pastor, doação ou misericórdia geralmente fazem ótimos anfitriões. E eu acredito que Deus colocou uma abundância dos dons de ajuda e serviço no corpo de Cristo. Os anfitriões que possuem dons de tipo “hospitalidade” fazem excelentes anfitriões “permanentes”. No entanto, eu também acredito que todos os cristãos devem crescer na hospitalidade e aprender a se tornar melhores hospedeiros.

A Igreja Elim usa tanto anfitriões permanentes quanto células rotativas. Mario escreve:

Aqui, na Igreja de Elim, temos dois tipos de reuniões, e ambos tem sido uma benção. As células rotativas funcionam bem para alcançar novas esferas de influência porque se mudam de uma casa para outra. O fato de que a célula é uma novidade em uma casa se torna um elemento de atração para os vizinhos.

Por outro lado, as células permanentes, embora mantenham sua esfera de influência sem qualquer variação, têm a virtude da consistência. Este tipo de célula tem um acompanhamento mais extenso nas mesmas pessoas por semana e oferece mais oportunidades para as pessoas do bairro participarem.

O que funcionou melhor para você? Sinta-se livre para compartilhar aqui.

Spanish blog:

Anfitriones permanentes o rotativos

Por Joel Comiskey

¿Deben rotar las células o es mejor tener un lugar “permanente”? Hay argumentos sólidos para ambos lados. No creo que haya una respuesta correcta. Algunos creen que las Escrituras enseñan que las células deben rotar regularmente. Sí, las Escrituras dicen: “Y todos los días, en el templo y por las casas, no cesaban de enseñar y predicar a Jesucristo” (Hechos 5:42). Pero, ¿este versículo es prescriptivo o descriptivo? En otras palabras, ¿está Dios ordenando un patrón a seguir (prescriptivo) o simplemente describiendo la realidad de la iglesia primitiva? Me parece que este versículo es más descriptivo, porque Pablo también se refirió a iglesias de casas estacionarias:

  • la iglesia en la casa de María (Hechos 12:12
  • la iglesia en la casa de Aquila y Priscila (1 Corintios 16:19)
  • la iglesia en la casa de Ninfas (Colosenses 4:15)
  • la iglesia en el hogar de Arquipo (Filemón 2)

Parece que las primeras iglesias en casas rotaron de casa en casa y disfrutaron de una ubicación más o menos permanente.

La rotación funciona bien porque ayuda a otros miembros a compartir la carga de alojamiento y crea nuevas oportunidades de evangelismo. Pero tener un solo lugar también es una buena idea, porque saca provecho de los dones de un anfitrión (es decir, si tienes un anfitrión con dones, ¿por qué mover al grupo?), Ayuda a todos a recordar dónde se encuentra la célula y llega más efectivamente al personas de un área en particular.

Mi grupo celular rota entre mi casa, la casa de Brent y el restaurante de José, donde nos encontramos en una mesa aislada y al aire libre. Compartir la carga funciona bien para nosotros, pero en otras situaciones, lo mejor es reunirse en una casa, especialmente si la persona o la pareja tiene dones de Dios que mejoran su papel como anfitrión.

Por ejemplo, aquellos con el don de ayuda, servicio, pastorado, ofrenda o misericordia normalmente son grandes anfitriones. Y creo que Dios ha puesto una abundancia de los dones de ayuda y servicio en el cuerpo de Cristo. Aquellos anfitriones que poseen dones de “hospitalidad” son excelentes anfitriones “permanentes”. Sin embargo, también creo que todos los cristianos deben crecer en hospitalidad y aprender a ser mejores anfitriones.

La Iglesia Elim implementa anfitriones permanentes y rotativos en sus células. Mario escribe:

Aquí en la Iglesia Elim tenemos ambos tipos de reuniones, y ambas han sido una bendición. Las células rotativas funcionan bien para alcanzar nuevas esferas de influencia porque se mueven de una casa a otra. El hecho de que la célula sea una novedad en el hogar se convierte en un elemento de atracción para los vecinos.

Por otro lado, las células permanentes, a pesar de que mantienen su esfera de influencia sin ninguna variación, tienen la virtud de la consistencia. Este tipo de célula tiene un seguimiento más extenso de las mismas personas cada semana y brinda más oportunidades para que la gente del vecindario asista.

¿Qué funcionó mejor para ti? No dudes en compartir tu experiencia aquí.

God is Calling His Church to be Hospitable

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

I admire hospitable people. I’m referring to those who are always willing to open their homes and sacrifice for others. That’s what I want to be like. Why? Because that’s what God is like. God loves people  and is in constant community with the other members of the Trinity. He calls the church His family and promotes love above all other characteristics. In fact, he said that by our love the world would know that we are his disciples.

Hospitality is hard. My wife and I have been leading Life groups for the last 20 years. Most of that time, we’ve not only led the group but hosted it in our home. I think it’s better to have a permanent host, but that has not been our experience. It’s difficult when people leave late and clean-up awaits. It’s hard  when thinking about the many tasks on my plate to be hospitable. Yet, my prayer is that the Trinity would make me more like him.

I remember when we first planted the church in Moreno Valley, CA, using our house as the launching pad. I struggled with the constant barrage of people in our home and the resulting messiness. I found it hard to practice hospitality and was on my knees a lot, asking God for patience and grace to deal with certain people.  God continually had to remind me that my home and possessions are not my own. They belong to Him, and He wants to use them to bless others.

In today’s society, hospitality is becoming a lost art. People are often possessed by their possessions, insist on their personal time, and open their homes less and less.

In New Testament times, hospitality portrayed the message of God’s love through the new family of God. Because the early church met in homes, hospitality was a natural and necessary practice. It helped to foster family-like ties among believers and provided a setting in which to shape and to reinforce a new identity.

Paul encourages the church in Rome to practice hospitality (Romans 12:13), the writer of Hebrews reminds believers not to neglect hospitality (Hebrews 13:1-3), and Peter challenges the community to offer hospitality ungrudgingly (1 Peter 4:9). Hospitality, in each of these passages, is a concrete expression of love for the household of God and beyond to strangers, just as we see in the Old Testament.

Such hospitality was not only practical, but was seen as actually participating in the gospel ministry. John the apostle says, “You are faithful in what you are doing for the brothers, even though they are strangers to you. . . . It was for the sake of the Name that they went out, receiving no help from the pagans. We ought therefore to show hospitality to such men so that we may work together for the truth” (3 John 1:5-8).

God is calling us, his church, to open our hearts and homes to others. Let’s be hospitable, like the Trinity.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Deus Está Chamando Sua Igreja Para Ser Hospitaleira

por Joel Comiskey

Admiro pessoas hospitaleiras. Estou me referindo àquelas que sempre estão dispostas a abrir suas casas e se sacrificar pelos outros. É assim que eu quero ser. Por quê? Porque é assim que é Deus. Deus ama as pessoas e está em constante comunidade com os outros membros da Trindade. Ele chama a igreja de Sua família e promove o amor acima de todas as outras características. Na verdade, Ele disse que, pelo nosso amor, o mundo saberia que somos seus discípulos.

A hospitalidade é difícil. Minha esposa e eu lideramos grupos de vida nos últimos 20 anos. Na maioria das vezes, nós não apenas lideramos o grupo, mas hospedamos em nossa casa. Penso que é melhor ter um anfitrião permanente, mas essa não foi nossa experiência. É difícil quando as pessoas vão embora tarde e espera-se a limpeza. É difícil quando penso em muitas tarefas para ser hospitaleiro. No entanto, minha oração é que a Trindade me faça mais como Ele.

Lembro-me quando plantamos a igreja em Moreno Valley, CA, usando nossa casa como plataforma de lançamento. Eu lutei com a constante barragem de pessoas em nossa casa e a bagunça resultante. Eu achei difícil praticar hospitalidade e estava sempre de joelhos, pedindo a Deus paciência e graça para lidar com certas pessoas. Deus continuamente teve que me lembrar que minha casa e pertences não são meus. Eles pertencem a Ele, e Ele quer usá-los para abençoar os outros.

Na sociedade de hoje, a hospitalidade está se tornando uma arte perdida. As pessoas são muitas vezes possuídas por suas posses, insistem em seu tempo pessoal e abrem suas casas cada vez menos.

Nos tempos do Novo Testamento, a hospitalidade retratou a mensagem do amor de Deus através de Sua nova família. Porque a Igreja Primitiva se encontrava em casas, a hospitalidade era uma prática natural e necessária. Isso ajudou a promover laços familiares entre os crentes e proporcionou um cenário para moldar e reforçar uma nova identidade.

Paulo encoraja a igreja em Roma a praticar a hospitalidade (Romanos 12:13), o escritor de Hebreus lembra aos fiéis que não negligenciem a hospitalidade (Hebreus 13: 1-3) e Pedro desafia a comunidade a oferecer hospitalidade sem arrependimento (1 Pedro 4: 9 ). A hospitalidade, em cada uma dessas passagens, é uma expressão concreta de amor para a família de Deus e além de estranhos, tal como vemos no Antigo Testamento.

Essa hospitalidade não era apenas prática, mas era vista como realmente participar do ministério evangélico. João, o apóstolo, diz: “Amado, procedes fielmente em tudo o que fazes para com os irmãos, e para com os estranhos, Que em presença da igreja testificaram do teu amor; aos quais, se conduzires como é digno para com Deus, bem farás; Porque pelo seu Nome saíram, nada tomando dos gentios.

Portanto, aos tais devemos receber, para que sejamos cooperadores da verdade.” (3 João 1:5-8)

Deus está nos chamando, sua Igreja, para abrir nossos corações e casas para os outros. Vamos ser hospitaleiros, como a Trindade.

Spanish blog:

Dios está llamando a su iglesia a ser hospitalaria

Por Joel Comiskey

Admiro a la gente hospitalaria. Me refiero a aquellos que siempre están dispuestos a abrir sus hogares y sacrificarse por los demás; así es como quiero ser. ¿Por qué? Porque así es Dios. Dios ama a las personas y está en comunidad constante con los otros miembros de la Trinidad. Él llama a la iglesia su familia y promueve el amor por encima de todas las demás características. De hecho, dijo que por nuestro amor el mundo sabría que somos sus discípulos.

Ser hospitalarios es difícil, mi esposa y yo hemos estado dirigiendo grupos celulares durante los últimos 20 años. La mayor parte de ese tiempo, no solo hemos liderado el grupo sino que lo hemos alojado en nuestro hogar; creo que es mejor tener un anfitrión permanente, pero esa no ha sido nuestra experiencia. Es difícil cuando la gente sale tarde y la limpieza espera. Es difícil cuando pienso en las muchas tareas que tengo al ser hospitalario, sin embargo, mi oración es que la Trinidad me hará más como él.

Recuerdo cuando plantamos la iglesia en Moreno Valley, California, usando nuestra casa como la plataforma de lanzamiento. Luché con el aluvión constante de personas en nuestra casa y el desorden resultante. Me resultó difícil practicar la hospitalidad y estaba de rodillas, pidiéndole a Dios paciencia y gracia para tratar con ciertas personas. Dios continuamente tuvo que recordarme que mi hogar y posesiones no son mías, le pertenecen a Él, y Él quiere usarlas para bendecir a otros.

En la sociedad actual, la hospitalidad se está convirtiendo en un arte perdido. Las personas a menudo están poseídas por sus posesiones, insisten en su tiempo personal y abren sus hogares cada vez menos.

En los tiempos del Nuevo Testamento, la hospitalidad representaba el mensaje del amor de Dios a través de la nueva familia de Dios. Debido a que la iglesia primitiva se reunía en los hogares, la hospitalidad era una práctica natural y necesaria. La hospitalidad ayudó a fomentar lazos familiares entre los creyentes y proporcionó un entorno en el que moldeaba y reforzaba una nueva identidad.

Pablo alienta a la iglesia en Roma a practicar la hospitalidad (Romanos 12:13), el escritor de Hebreos les recuerda a los creyentes que no descuiden la hospitalidad (Hebreos 13: 1-3), y Pedro desafía a la comunidad a ofrecer hospitalidad a manos abiertas (1 Pedro 4: 9) La hospitalidad, en cada uno de estos pasajes, es una expresión concreta de amor por la familia de Dios y aún más por los extraños, tal como lo vemos en el Antiguo Testamento.

Tal hospitalidad no solo era práctica, sino que se la veía como una participación en el ministerio del evangelio. El apóstol Juan dice: “Te comportas fielmente en todo lo que haces por los hermanos, aunque no los conozcas.”. . . . Ellos salieron por causa del Nombre, sin nunca recibir nada de los paganos. Por lo tanto, debemos brindarles hospitalidad, y así colaborar con ellos en la verdad.” (3 Juan 1: 5-8).

Dios nos esta llamando, a su iglesia, para abrir nuestros corazones y hogares a otros. Seamos hospitalarios, como la Trinidad.