Counting the Cost of Cell Ministry

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Some pastors rush to become cell churches because it’s the latest and greatest thing to do, like adding a  new programs such as  AWANA, Evangelism Explosion, Vacation Bible School, or a new program from their denomination.

Programs normally have a built-in life-cycle which can be discontinued after a semester, one year, or when the church decides to change programs. Many pastors approach starting cell church ministry in a programmatic way. They want to take it out of the box, set it up, and then delegate others to make it work. They view the cell church strategy as a technique or program that can be used for a time and then discontinued.

Cell church is not another program. It’s a way of life that focuses on people. Cell church ministry asks potential leaders to go through a specified training. Those who become cell leaders (or part of the leadership team) need on-going coaching. Pastors need to realize this and count the cost to make sure training and coaching takes place.

When a church moves forward with a vision, there will always be people who attack it. Whenever a leader goes in a particular direction and asks people to follow, some will resist, preferring another direction or keeping things just as they are.

It’s one thing for the senior leader to be on board, but it’s also critical that every member of the leadership team also supports the vision. When this happens, a team can go forward together. Cell church is really all about leadership development and the leadership team is the steering wheel of the cell church. If the leadership team is united and guiding the cell church vision, there’s a good chance the rest of the church will follow.

Some churches even lose people in the process. Ramon Justamente is a southern Baptist pastor in Florida. He counted the cost to become a cell church by studying the literature and visiting various cell churches (he and his wife even visited our cell church in Quito, Ecuador in 1999). He was totally convinced he should transition his church.

I don’t think Ramon was ready for what happened next: four hundred people left the church. Yet, Ramon believed God had called him to cell church ministry, and he wasn’t going to back down.

When I held a seminar in his church ten years after the transition, I saw a vibrant cell church. God has not only won back far more than four hundred who had left, but the people were excited, motivated, and serving Jesus with zeal and passion.  I spoke on how to transition a church, and Ramon gave his testimony.

If Ramon was just “testing the waters” he would have only lasted a few months. His commitment to the vision and values of cell church ministry helped him to “weather” the violent storms and stay afloat when things got rough. Ramon’s church is now a great model for those doing cell ministry in Florida.

Pastors who have successfully planted or transitioned to the cell church model have done their homework and are ready to stick with it for the long haul. Have you counted the cost?  Are you committed long term?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Contando o Custo do Ministério das Células

Por Joel Comiskey

Alguns pastores apressam-se a se tornar igrejas celulares porque é a última e melhor coisa a fazer, como a adição de novos programas, como AWANA, Evangelismo Explosão, Vacation Bible School (Escola Bíblica de Férias) ou um novo programa de sua denominação.

Os programas normalmente possuem um ciclo de vida incorporado que pode ser descontinuado após um semestre, um ano ou quando a igreja decide mudar de programa. Muitos pastores abordam o início do ministério da igreja celular de forma programática. Eles querem tirá-lo da caixa, configurá-lo e, em seguida, delegar outros para fazê-lo funcionar. Eles vêem a estratégia da igreja celular como uma técnica ou programa que pode ser usado por um tempo e depois descontinuado.

A igreja celular não é outro programa. É um modo de vida que se concentra nas pessoas. O ministério da igreja celular pede que líderes potenciais passem por um treinamento específico. Aqueles que se tornam líderes de células (ou parte da equipe de liderança) precisam de treinamento contínuo. Os pastores precisam perceber isso e contar o custo para se certificar de treinamento e equipamento.

Quando uma igreja avança com uma visão, sempre haverá pessoas que a atacam. Sempre que um líder vai em uma direção particular e pede às pessoas que sigam, algumas resistirão, preferindo outra direção ou mantendo as coisas exatamente como elas são.

É uma coisa para o líder sênior estar a bordo, mas também é crítico que cada membro da equipe de liderança também suporte a visão. Quando isso acontece, uma equipe pode avançar juntos. Igreja celular é realmente tudo sobre desenvolvimento de liderança, e a equipe de liderança é o volante da igreja celular. Se ela estiver unida e guiando a visão da igreja celular, há uma boa chance de o resto da igreja seguir.

Algumas igrejas até perdem as pessoas no processo. Ramon Justamente é um pastor batista do sul na Flórida. Ele contava o custo para se tornar uma igreja celular, estudando literatura e visitando várias igrejas celulares (ele e sua esposa até visitaram nossa igreja celular em Quito, Equador em 1999). Ele estava totalmente convencido de que ele deveria mudar sua igreja.

Não acho que Ramon estivesse pronto para o que aconteceu depois: quatrocentas pessoas deixaram a igreja. No entanto, Ramon acreditava que Deus o havia chamado para o ministério da igreja celular,
e ele não iria recuar.

Quando realizei um seminário em sua igreja dez anos após a transição, vi uma igreja celular vibrante. Deus não só ganhou mais de quatrocentos que partiram, mas as pessoas estavam entusiasmadas, motivadas e servindo a Jesus com zelo e paixão. Falei sobre a transição de uma igreja, e Ramon deu seu testemunho.

Se Ramon estivesse “testando as águas”, ele só duraria alguns meses. Seu compromisso com a visão e os valores do ministério das igrejas celulares o ajudaram a “resistir” às violentas tempestades e manter-se a flutuar quando as coisas ficaram difíceis. A igreja de Ramon é agora um ótimo modelo para aqueles que fazem o ministério celular na Flórida.

Os pastores que plantaram com sucesso ou fizeram a transição para o modelo da igreja celular fizeram seus trabalhos de casa e estão prontos para ficar com ele para o longo prazo. Você contou o custo? Você está comprometido por longo prazo?

Spanish blog:

Considerando el costo del Ministerio Celular

Por Joel Comiskey

Algunos pastores se apresuran en convertir su congregaciones en iglesias celulares porque es lo más nuevo, lo más grande, así también agregan nuevos programas como AWANA, Explosión Evangelistica, Escuela Biblica en Vacaciones o un nuevo programa de su  denominación.

Los programas normalmente tienen un ciclo de vida incorporado que se puede descontinuar después de un semestre, un año o cuando la iglesia decide cambiar de programa. Muchos pastores se acercan a el ministerio de la iglesia celular de una manera programática. Quieren presentarlo, configurarlo y luego delegar a otros para que lo hagan funcionar. Ven el modelo de la iglesia celular como una técnica o programa que se puede utilizar por un tiempo y que luego se puede suspende.

La iglesia celular no es programa un más, es una forma de vida que se centra en las personas. El ministerio de la iglesia celular le pide a los líderes potenciales que realicen una capacitación específica. Aquellos que se convierten en líderes celulares (o parte del equipo de liderazgo) necesitan entrenamiento continuo. Los pastores deben darse cuenta de esto y tener en cuenta el costo para asegurarse de que entrenen y capaciten.

Cuando una iglesia avanza con una visión, siempre habrá personas que la atacarán. Cada vez que un líder va en una dirección particular y le pide a la gente que lo siga, algunos se resistirán, van a preferir ir en otra dirección o simplemente  mantener todo de la misma manera.

Una cosa es que el líder principal esté a bordo, pero también es fundamental que cada miembro del equipo de liderazgo también apoye la visión. Cuando esto sucede, un equipo puede avanzar. La iglesia celular realmente tiene que ver con el desarrollo del liderazgo y el equipo de liderazgo es el volante de la iglesia celular. Si el equipo de liderazgo está unido y guía la visión de la iglesia celular, hay una buena probabilidad de que el resto de la iglesia lo siga.

Algunas iglesias incluso pierden miembros en el proceso. Ramón Justamente es un pastor bautista sureño en Florida. Experimentó el costo de convertirse en una iglesia celular, estudiando la literatura y visitando varias iglesias celulares (él y su esposa incluso visitaron nuestra iglesia celular en Quito, Ecuador en 1999). Estaba totalmente convencido de que debería hacer la transición de su iglesia.

No creo que Ramón estuviera preparado para lo que sucedió a continuación: cuatrocientas personas abandonaron la iglesia. Sin embargo, Ramón creía que Dios lo había llamado al ministerio de la iglesia celular, y él no iba a retroceder.

Cuando tuve un seminario en su iglesia diez años después de la transición, vi una vibrante iglesia celular. Dios no solo ha ganado más de cuatrocientos de los que se habían ido, sino que la gente estaba emocionada, motivada y sirviendo a Jesús con celo y pasión. Hablé sobre cómo hacer una transición a una iglesia y Ramón dio su testimonio.

Si Ramón solo estaba “probando las aguas”, solo habría durado unos pocos meses. Su compromiso con la visión y los valores del ministerio de la iglesia celular lo ayudó a “resistir” las tormentas violentas y mantenerse a flote cuando las cosas se pusieron difíciles. La iglesia de Ramón, ahora es un gran modelo para quienes desarrollan el ministerio celular en Florida.

Los pastores que han plantado o hecho la transición con éxito al modelo de la iglesia celular, han hecho su tarea y están listos para seguirlo a largo plazo. ¿Has calculado el costo? ¿Estás comprometido a largo plazo?

Learning from Mistakes

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

I know pastors who tried cell church ministry, failed at it, and then became cell church critics. They say, “Oh yes, I tried cell church, and it didn’t work.” Or they might say, “Cell church works great in Korea and Africa  but not here in my city.” But often these pastors didn’t keep trying. They were not willing to make mid-course corrections, such as seeking out a coach, visiting another cell church, or reading relevant cell church literature.

The reality is that we rarely get things right the first time. Often we don’t do them right the third and fourth time either. In fact, we grow and mature through the trials and errors we make. Failure is the back door to success and God will bless our efforts.  Pastors and leaders who make it in cell ministry keep pressing on and don’t give up. They practice the title of John Maxwell’s book, Failing Forward. Making mistakes is part of life.  Proverbs 24:16 says, For though a righteous man falls seven times, he rises again, but the wicked are brought down by calamity.”

The cell church training track, for example, is rarely perfected the first time. A pastor and leadership team has to make numerous auto-corrections to perfect the training track. The same is true for any part of cell ministry such as coaching, vision casting, keeping statistics, setting goals, evangelizing, and disciple-making.

Whenever I think of giving up, I’m encouraged by those who overcame failure through persistence:

  • When Thomas Edison invented the light bulb, he tried over two thousand experiments before he got it to work. A young reporter asked him how it felt to fail so many times. He said, “I never failed once. I invented the light bulb. It just happened to be a two thousand-step process.”
  • Winston Churchill failed sixth grade. He did not become prime minister of England until he was sixty-two and then only after a lifetime of defeats and setbacks. His greatest contributions came when he was a “senior citizen.”
  • Albert Einstein did not speak until he was four years old and didn’t read until he was seven. His teacher described him as “mentally slow, unsociable, and adrift forever in his foolish dreams.” He was expelled and refused admittance to the Zurich Polytechnic School.
  • After years of progressive hearing loss, by age forty-six German composer Ludwig van Beethoven had become completely deaf. Nevertheless, he wrote his greatest music—including five symphonies during his later years.

Don’t worry about failed outcomes. Worry about the chances you miss when you don’t even try. Most good things come through testing and making mid-course corrections. If you wait to try until everything is perfect, you most likely will never get there. “But wait a minute,” you might say. “I want everything to be perfect before I try.” Sorry it doesn’t work that way. We learn from our mistakes.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Aprendendo com os Erros

Por Joel Comiskey

Eu sei que os pastores tentaram o ministério da igreja celular, falharam nisso e então se tornaram críticos da igreja celular. Eles dizem: “Oh sim, eu tentei a igreja celular, e isso não funcionou”. Ou eles podem dizer: “A igreja da célula funciona muito bem na Coreia e na África, mas não aqui na minha cidade”. Mas, muitas vezes, esses pastores não mantiveram tentando. Eles não estavam dispostos a fazer correções no meio do caminho, como procurar um treinador, visitar outra igreja celular ou ler literatura relevante da igreja celular.

A realidade é que raramente conseguimos as coisas bem na primeira vez. Muitas vezes, não os fazemos direito na terceira e na quarta vez também. Na verdade, crescemos e amadurecemos através das tentativas e erros que cometemos. A falha é a porta de trás do sucesso e Deus abençoará nossos esforços. Pastores e líderes que fazem isso no ministério celular continuam pressionando e não desistem. Eles praticam o título do livro de John Maxwell, Failing Forward (Falhando para Frente, em tradução livre). Cometer erros é parte da vida. Provérbios 24:16 diz: “Pois, embora um homem justo cai sete vezes, ressuscita, mas os ímpios são derrubados pela calamidade”.

O trilho de treinamento da igreja celular, por exemplo, raramente é aperfeiçoado pela primeira vez. Um pastor e equipe de liderança tem que fazer numerosas auto-correções para aperfeiçoar a pista de treino. O mesmo é verdade para qualquer parte do ministério das células, como o treinamento,  a seleção da visão, a manutenção de estatísticas, a definição de objetivos, a evangelização e a formação de discípulos.

Sempre que penso em desistir, sou encorajado por aqueles que superaram o fracasso através da persistência:

  • Quando Thomas Edison inventou a lâmpada, ele tentou mais de dois mil experimentos antes de começar a trabalhar. Um jovem repórter perguntou-lhe como sentiu em falhar tantas vezes. Ele disse: “Nunca falhei uma vez sequer. Eu inventei a lâmpada. Aconteceu um processo de dois mil passos “.
  • Winston Churchill falhou na sexta série. Ele não se tornou o primeiro-ministro da Inglaterra até os sessenta e dois anos de idade, e só depois de uma vida de derrotas e contratempos. Suas maiores contribuições vieram quando ele era um “cidadão senador”.
  • Albert Einstein não falou até os quatro anos de idade e não leu até os sete. Seu professor o descreveu como “mentalmente lento, insociável e à deriva para sempre em seus sonhos tolos”. Ele foi expulso e recusou a admissão na Escola Politécnica de Zurique.
  • Após anos de perda auditiva progressiva, aos 45 anos, o compositor alemão Ludwig van Beethoven ficou completamente surdo. No entanto, ele escreveu sua maior música – incluindo cinco sinfonias- durante seus últimos anos.

Não se preocupe com resultados falhados. Preocupe-se sobre as chances que você sente quando não tenta. A maioria das coisas boas ocorrem testando e fazendo correções intermediárias. Se você esperar para tentar até que tudo seja perfeito, você provavelmente nunca chegará lá. “Mas espere um minuto”, você pode dizer. “Quero que tudo seja perfeito antes de tentar.” Desculpe, não funciona assim. Nós aprendemos com nossos erros.

Spanish blog:

Aprendiendo de los errores

Por Joel Comiskey

Conozco pastores que intentaron implementar el ministerio de la iglesia celular, fracasaron en ello, y luego se convirtieron en críticos de esta. Ellos dicen: “Oh, sí, he intentado con la iglesia celular, y no funcionó.” O podrían decir, “La iglesia celular funciona muy bien en Corea y África, pero no aquí, en mi ciudad.” Pero a menudo estos pastores no siguen intentado. No estaban dispuestos a hacer correcciones a medio camino, como buscar un entrenador, visitar otra iglesia celular o leer literatura relevante de la iglesia celular.

La realidad es que raramente hacemos las cosas bien la primera. A menudo no las hacemos bien la tercera y cuarta vez tampoco. De hecho, crecemos y maduramos a través de los ensayos y errores que cometemos. El fracaso es la puerta trasera del éxito y Dios bendecirá nuestros esfuerzos; los pastores y los líderes que logran tener éxito en el ministerio celular siguen presionando y no se rinden. Ponen en practica el título del libro de John Maxwell, Failing Forward (El lado positivo del fracaso). Cometer errores es parte de la vida. Proverbios 24:16 dice:”Porque siete veces cae el justo, y vuelve a levantarse; Mas los impíos caerán en el mal.”

La pista de entrenamiento de la iglesia celular, por ejemplo, rara vez se perfecciona la primera vez. Un pastor y su equipo de liderazgo tiene que hacer numerosas auto-correcciones para perfeccionar la pista de entrenamiento. Lo mismo ocurre para cualquier parte del ministerio celular, como capacitaciones, visión, mantener estadísticas, establecer metas, evangelizar y hacer discípulos.

Cada vez que pienso en renunciar, me siento alentado por aquellos que superaron el fracaso a través de la persistencia:

  • Cuando Thomas Edison inventó la bombilla, probó más de dos mil experimentos antes de hacelo funcionar. Un joven reportero le preguntó cómo se sentía al fallar tantas veces. Él dijo: “Nunca fracasé. Inventé la bombilla, simplemente fue un proceso de dos mil pasos “.
  • Winston Churchill repitió sexto grado. No se convirtió en primer ministro de Inglaterra hasta los sesenta y dos años y sólo después de una vida de derrotas y contratiempos. Sus mayores contribuciones llegaron cuando él era un “anciano”.
  • Albert Einstein no habló hasta que tenía cuatro años y no leyó hasta que tenía siete años. Su maestro lo describió como “mentalmente lento, inadaptado y siempre a la deriva con sus sueños tontos”. Fue expulsado y se le negó ser admitido en la Escuela Politécnica de Zurich.
  • Después de años de pérdida auditiva progresiva, a los cuarenta y seis años, el compositor alemán Ludwig van Beethoven se había quedado completamente sordo. Sin embargo, escribió su mejor música, incluyendo cinco sinfonías durante sus últimos años.

No te preocupes por los resultados fallidos, preocúpate de las posibilidades que te pierdas cuando ni siquiera lo estas intentas. La mayoría de las cosas buenas vienen a través de pruebas y al hacer correcciones a mitad de curso. Si esperas a intentar hasta que todo sea perfecto, lo más probable es que nunca lo logres. “Pero espera un minuto”, podrías decir. “Quiero que todo sea perfecto antes de intentarlo.” Lo siento, no funciona de esa manera. Aprendemos de nuestros errores.

Persistence in Cell Ministry

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Persistence. Determination. Pressing on. Successful cell church ministry is like running a marathon and not a 50-yard dash. The race requires persistence. Many begin well but don’t finish. The difference? Persistence.

Often pastors become excited about cell ministry because of the large cell churches around the world. They dream about being the next David Cho and seeing their church grow as large as Yoido Full Gospel Church. And yes, church growth is wonderful when God gives it. The problem is that often pastors take short-cuts to obtain that growth. They copy other churches, seminars, or books that promise quick growth or the latest anointing.

These instant growth schemes remind me of the difference between a tomato plant and a coconut tree. The tomato plant grows quickly and provides immediate results, but it dies at the end of one year and needs to be replanted. The coconut tree, on the other hand, is planted only once, but it lasts for a lifetime. Persistence in cell ministry that comes from belief in biblical values is like planting a coconut tree. Taking short-cuts might bring immediate results but the fruit won’t last. Are you planting a coconut tree or a tomato plant?

I know one pastor who is struggling right now in cell ministry. Some members are leaving because of the demands of cell life. But this pastor has a bedrock conviction that what he is doing is biblical. He persists because he wants to make disciples and not just hearers. In fact, he’s focused on future generations, so he’s developing children and youth cells. This pastor is planting a coconut tree. He has a dream and is willing to persist until he sees the reality.

Colin Powell, the famous U.S. general, once said, ” A dream doesn’t become reality through magic, it takes sweat, determination and hard work.” All pastors and churches fail at times, but those who succeed keep moving forward.

As I do seminars around the world, I like to give the illustration of Mario Vega handing out plaques for those who had led a cell for 25 years or more. For those who received the plaques that evening (and I happened to be present), cell ministry was a lifestyle. For these people, it would be very hard not to lead a cell group.

Don’t give up. Persistence and determination are the ingredients for cell church victory over time. You will see the breakthrough. The best is yet to come-if you persist. Let’s talk about persistence in October. We’ll cover:

  • October 01-07. Cell ministry as a lifestyle. The journey might start because of the great examples of growing worldwide cell church but it will only continue due to heartfelt convictions based on the biblical foundations.
  • October 08-14. Failure is the backdoor to success. Many, many have tried cell church and stopped. Often the reason is because they viewed cell church as a quick growth strategy and not as a long-term lifestyle based on biblical convictions. The key is learning from mistakes and not giving up.
  •  October 15-21.  Counting the cost. Asking members to take the extra time to be in a cell group, equipping, and possible coaching is a big commitment. It will take time to make this a lifestyle, especially when “the church down the street” only asks people to come to an incredible service. The good news is that faithful persistence will eventually lead to lifestyle.
  • October 22-28. Keeping leaders refreshed and pressing forward. Leaders get tired. How can they remain on the cutting edge? Many cell churches hold conference, reward cell leaders, and budget monies for materials and coaching. We’ll look at how to keep leaders and supervisors moving forward.
  • October 29-November 04.  The Best is yet to come. Through patient persistence in developing disciples, God gives the results and the fruit becomes manifest to everyone. The great cell church examples around the world didn’t happen overnight. Their persistence eventually paid off.

Feel free to share your journey about persistence in cell ministry here.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Persistência no Ministério das Células

Persistência. Determinação. Pressão. O ministério bem sucedido da igreja celular é como correr uma maratona e não uma corrida de 50 jardas. A corrida requer persistência. Muitos começam bem, mas não terminam. A diferença? Persistência.

Muitas vezes, os pastores ficam entusiasmados com o ministério celular devido às grandes igrejas celulares ao redor do mundo. Eles sonham em ser o próximo David Cho e ver sua igreja crescer tanto quanto a Igreja do Evangelho Completo de Yoido. E sim, o crescimento da igreja é maravilhoso quando Deus o dá. O problema é que muitas vezes os pastores recebem atalhos para obter esse crescimento. Eles copiam outras igrejas, seminários ou livros que prometem crescimento rápido ou a mais recente unção.

Esses esquemas de crescimento instantâneo me fazem lembrar a diferença entre um tomateiro e um coqueiro. O tomateiro cresce rapidamente e fornece resultados imediatos, mas morre no final de um ano e precisa ser replantada. O coqueiro, por outro lado, é plantado apenas uma vez, mas dura toda a vida. A persistência no ministério celular que vem da crença em valores bíblicos é como plantar um coqueiro. Pegar atalhos pode trazer resultados imediatos, mas o fruto não durará. Você está plantando um coqueiro ou um tomateiro?

Conheço um pastor que está lutando agora no ministério celular. Alguns membros estão saindo por causa das demandas da vida celular. Mas este pastor tem convicção de que o que ele está fazendo é bíblico. Ele persiste porque quer fazer discípulos e não apenas ouvintes. Na verdade, ele está focado em gerações futuras, então ele está desenvolvendo células de crianças e jovens. Este pastor está plantando um coqueiro. Ele tem um sonho e está disposto a persistir até ver a realidade.

Colin Powell, o famoso general dos EUA, disse uma vez: “Um sonho não se torna realidade através da magia, é preciso suor, determinação e trabalho árduo”. Todos os pastores e igrejas falham às vezes, mas aqueles que conseguem continuam andando em frente.

Enquanto faço seminários em todo o mundo, eu gostaria de dar a ilustração de Mario Vega distribuindo placas para aqueles que lideraram uma célula por 25 anos ou mais. Para aqueles que receberam as placas aquela noite (e eu estava presente), o ministério celular era um estilo de vida. Para essas pessoas, seria muito difícil não liderar um grupo de células.

Não desista. Persistência e determinação são os ingredientes para a vitória da igreja celular ao longo do tempo. Você verá o avanço. O melhor ainda está por vir – se você persistir.

Vamos falar sobre a persistência em outubro. Vamos abordar:

  • 01 a 07 de outubro. Ministério das células como estilo de vida. A jornada pode começar devido aos ótimos exemplos de crescente igreja celular mundial, mas só vai continuar devido a convicções sinceras baseadas nas bases bíblicas.
  • 08 a 14 de outubro. A falha é a camuflagem para o sucesso. Muitos, muitos tentaram a igreja celular e pararam. Muitas vezes, o motivo é que eles viram a igreja celular como uma estratégia de crescimento rápido e não como um estilo de vida de longo prazo com base em convicções bíblicas. A chave é aprender com erros e não desistir.
  • 15 a 21 de outubro. Contando o custo. Pedir aos membros que tomem um tempo extra para estar em um grupo de células, equipar e possivelmente treinar é um grande compromisso. Vai levar tempo para tornar este um estilo de vida, especialmente quando “a igreja na rua” apenas pede às pessoas que venham a um culto incrível. A boa notícia é que a persistência fiel acabará levando ao estilo de vida.
  • 22 a 28 de outubro. Manter os líderes atualizados e pressionados para ir em frente. Os líderes ficam cansados. Como eles podem permanecer na frente? Muitas igrejas celulares realizam conferências, recompensam líderes de célula e separam um orçamento para materiais e treinamento. Veremos como manter líderes e supervisores avançando.
  • 29 de outubro a 04 de novembro. O melhor ainda está por vir. Através da persistência paciente nos discípulos em desenvolvimento, Deus dá os resultados e o fruto se torna manifesto para todos. Os exemplos da grande igreja celular em todo o mundo não aconteceram de um dia para o outro. A sua persistência eventualmente foi recompensada.

Sinta-se livre para compartilhar sua jornada sobre a persistência no ministério celular aqui.

Spanish blog: 

La Persistencia en el Ministerio Celular

Persistencia. Determinación. Presión. El ministerio de la iglesia celular que es exitoso es parecido a correr una maratón y no una carrera de 50 yardas. La maratón requiere persistencia. Muchos comienzan bien pero no la terminan. ¿Qué hace la diferencia? La persistencia.

A menudo los pastores se entusiasman con el ministerio celular debido a las grandes iglesias celulares de todo el mundo, sueñan con ser los próximos David Cho y ver su iglesia crecer tan grande como Yoido Full Gospel Church. Y sí, el crecimiento de la iglesia es maravilloso cuando Dios lo da; el problema es que a menudo los pastores toman atajos para obtener ese crecimiento. Imitan a otras iglesias, seminarios o libros que prometen un crecimiento rápido o la última unción.

Estos esquemas de crecimiento instantáneo me recuerdan la diferencia entre una planta de tomate y una palma de coco. La planta de tomate crece rápidamente y proporciona resultados inmediatos, pero muere al final de un año y necesita ser replantada. La palma de coco, por el contrario, se siembra una sola vez, pero dura toda la vida. La persistencia en el ministerio celular, que viene de la creencia en los valores bíblicos es similar a plantar una palma de coco. Tomar atajos puede traer resultados inmediatos, pero el fruta no durará. ¿Estás plantando un planta de coco o una planta de tomate?

Conozco a un pastor que ahora mismo está luchando en el ministerio celular. Algunos miembros se están yendo debido a las demandas de la vida celular, pero este pastor tiene la convicción de que lo que está haciendo es bíblico. Él persiste porque quiere hacer discípulos y no sólo oyentes, de hecho, se ha centrado en las generaciones futuras, por lo que está desarrollando células para niños y jóvenes. Este pastor está plantando una palma de coco, él tiene un sueño y está dispuesto a persistir hasta que vea la realidad.

Colin Powell, el famoso general estadounidense, dijo una vez: “Un sueño no se convierte en realidad a través de la magia, se necesita sudor, determinación y trabajo duro”. Todos los pastores e iglesias en ocasiones fallan, pero los que tienen éxito siguen avanzando.

Al realizar seminarios en todo el mundo, me gusta dar el ejemplo  de Mario Vega, repartiendo placas de reconocimiento, para aquellos que han liderado una célula por 25 años o más. Para aquellos que recibieron las placas reconocimiento esa noche ( yo estaba presente), el ministerio celular era un estilo de vida. Para estas personas, sería muy difícil no dirigir un grupo celular.

No te rindas. La persistencia y la determinación son los ingredientes para la victoria de la iglesia celular a través del tiempo. Verás el avance. Lo mejor está por venir, si persisten. Vamos a cubrir los siguientes temas:

  • Octubre 01-07. El ministerio celular como estilo de vida. El viaje podría comenzar por los grandes ejemplos de la creciente iglesia celular mundial, pero sólo continuará debido a las convicciones de corazón basadas en los fundamentos bíblicos.
  • Octubre 08-14. El fracaso es la puerta trasera del éxito. Muchos, muchos han intentado trabajar con la iglesia celular y se detuvieron. A menudo la razón es porque vieron a la iglesia celular como una estrategia de crecimiento rápido y no como un estilo de vida a largo plazo basado en convicciones bíblicas. La clave es aprender de los errores y no darse por vencido.
  • Octubre 15-21. Cuenta el costo. Pedir a los miembros que se tomen el tiempo extra para estar en un grupo celular, equiparlos y entrenarlos, es un gran compromiso. Tomará tiempo para hacer de este un estilo de vida, especialmente cuando “la iglesia” sólo pide a la gente a venir a un servicio increíble. La buena noticia es que la persistencia fiel, conducirá al estilo de vida.
  • Octubre 22-28. Mantener a los líderes actualizados y con animos de seguir adelante. Los líderes se cansan. ¿Cómo pueden permanecer a la vanguardia? Muchas iglesias celulares celebran conferencias, recompensan a líderes de células y proporcionan dinero para materiales y entrenamiento. Veremos cómo mantener a los líderes y supervisores avanzando.
  • 29 de octubre-04 de noviembre. Lo mejor está por venir. Mediante la persistente paciencia en el desarrollo de los discípulos, Dios da los resultados y el fruto se manifiesta a todos. Los grandes ejemplos de iglesias celulares en todo el mundo no ocurrieron de la noche a la mañana. Su persistencia terminó dando resultados.

Siéntete libre de compartir tu viaje sobre la persistencia en el ministerio celular, aquí­.

Clearly Defined Cells Make More and Better Disciples

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Some people think I’m too fanatical about cells. I surprise them when I tell them I’m not passionate about cells in and of themselves. Rather, my focus is on making disciples who make disciples (helping people become more like Jesus). God’s purpose is to make disciples, and he chose to do this in a small group (Matthew 28:18-20).

The cell has all the elements necessary to raise up ministers. Effective cell leaders pastor, evangelize, train, counsel, encourage, listen, and challenge Christ followers. Those who lead cells do what pastors do.

Some churches broaden their cell definition to include Sunday school classes, the choir, elders, committees, women’s circles, and so forth. In the desire not to offend anyone, they call everything a cell group. The problem with this mentality is that discipleship suffers. A cell group, unlike many small groups, includes evangelism, leadership development, and multiplication.

Churches are tempted to label everything a small group because it’s a way to quickly adapt a church to small-group ministry, but in the end, few disciples are formed. It’s what I call faulty integration.

Discipleship also suffers when churches lower the bar and encourage their groups to meet every 15 days, break for three months in the summer, and two months in the winter. The motivation is to give busy people more time. The reality is that disciples are rarely formed in such infrequent meetings and people lose interest.

To make sure that disciples are formed, it’s important to start with a quality, holistic definition of a cell group. Here’s the one I advocate and noticed in the worldwide cell churches: Groups of three to fifteen people who meet weekly outside the church building for the purpose of evangelism, community, and spiritual growth with the goal of making disciples who make disciples, which results in the multiplication of the cell.

Multiplication simply gives the context for a disciple to minister. Big Bear Christian Center defines their cell groups in a similar way but with a different emphasis:  At the core of Big Bear Christian Center are life groups of three to fifteen people that meet weekly throughout Big Bear Bear Valley. Empowered by the Holy Spirit through prayer, their purpose is to make disciples through spiritual growth, community, and evangelism, resulting in group multiplication.

Cells have a lot of liberty with regard to where they will meet, the lesson they will follow, their homogeneity, level of participation, and what they call themselves. However, since the cell is the church and where disciples are formed, it is essential that cells maintain a high level of quality.

Cells must maintain a fine balance between quality (e.g., clear definition) and flexibility (e.g., location, name, homogeneity, lesson, participation, etc.). Like the early house churches, modern day cell churches believe the cell is the church and deserves a quality definition. Cell churches prioritize the definition of the cell because they believe it’s the best way to make disciples.

What about you? How do you define your cell groups?

Joel

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Células Claramente Definidas Fazem Mais e Melhores Discípulos

Por Joel Comiskey

Algumas pessoas pensam que eu sou muito fanático sobre células. Eu as surpreendo quando eu digo a elas que não sou apaixonado pelas células por si só. Em vez disso, meu foco é fazer discípulos que fazem discípulos (ajudando as pessoas a se tornarem mais como Jesus). O propósito de Deus é fazer discípulos, e Ele escolheu fazer isso em um pequeno grupo (Mateus 28: 18-20).

A célula possui todos os elementos necessários para criar ministros. Líderes de células eficazes pastoreiam, evangelizam, treinam, aconselham, encorajam, ouvem e desafiam os seguidores de Cristo. Aqueles que lideram as células fazem o que os pastores fazem.

Algumas igrejas ampliam sua definição celular para incluir as aulas da escola dominical, o coral, os anciãos, os comitês, os círculos femininos e assim por diante. Na intenção de não ofender ninguém, eles chamam tudo de um grupo de células. O problema com essa mentalidade é que o discipulado sofre. Um grupo de células, ao contrário de muitos pequenos grupos, inclui evangelismo, desenvolvimento de liderança e multiplicação.

As igrejas são tentadas a rotular tudo de um grupo pequeno porque é uma maneira de adaptar rapidamente uma igreja ao ministério de pequenos grupos, mas no final, poucos discípulos são formados. É o que eu chamo de integração defeituosa.

O discipulado também sofre quando as igrejas diminuem o compasso e encorajam seus grupos a se encontrarem a cada 15 dias, um intervalo de três meses no verão e dois meses no inverno. A motivação é dar às pessoas ocupadas mais tempo. A realidade é que os discípulos raramente são formados em encontros não frequentes e as pessoas perdem o interesse.

Para garantir que os discípulos se formem, é importante começar com uma definição holística de qualidade de um grupo de células. Aqui é o que eu defendo e reparei nas igrejas celulares em todo o mundo:

Grupos de três a quinze pessoas que se encontram semanalmente fora do prédio da igreja com o propósito de evangelismo, comunidade e crescimento espiritual, com o objetivo de fazer discípulos que fazem discípulos, resultam na multiplicação da célula.

A multiplicação simplesmente dá o contexto para um discípulo para ministrar. Big Bear Christian Center define seus grupos de células de forma semelhante, mas com uma ênfase diferente:

No centro do Big Bear Christian Center estão grupos de vida de três a quinze pessoas que se encontram semanalmente no Big Bear Bear Valley. Empoderados pelo Espírito Santo através da oração, seu propósito é fazer discípulos através do crescimento espiritual, da comunidade e do evangelismo, resultando em multiplicação de grupo.

As células têm muita liberdade em relação a onde elas se encontrarão, a palavra que elas seguirão, sua homogeneidade, nível de participação e como elas chamam a si mesmas. No entanto, uma vez que as células são a igreja e onde os discípulos são formados, é essencial que elas mantenham um alto nível de qualidade.

As células devem manter um equilíbrio adequado entre qualidade (por exemplo, definição clara) e flexibilidade (por exemplo, localização, nome, homogeneidade, palavra, participação, etc.). Como as primeiras igrejas domésticas, as igrejas celulares modernas acreditam que a célula é a igreja e merece uma definição de qualidade. As igrejas celulares priorizam a definição da célula porque acreditam que é a melhor maneira de fazer discípulos.

E você? Como você define seus grupos de células?

Joel

Spanish blog:

Las células claramente definidas hacen más y mejores discípulos

Por Joel Comiskey

Algunas personas piensan que soy demasiado fanático con las células. Les sorprendo cuando les digo que no soy un apasionado de las células en sí. Más bien, mi enfoque es hacer discípulos que hagan discípulos (ayudando a las personas a ser más parecidas a Jesús). El propósito de Dios es hacer discípulos, y él escogió hacer esto en una célula (Mateo 28: 18-20).

La célula tiene todos los elementos necesarios para levantar ministros. Líderes celulares eficaces pastorean, evangelizan, entrenan, aconsejan, alientan, escuchan y desafían a los seguidores de Cristo. Los que dirigen las células hacen lo que hacen los pastores.

Algunas iglesias amplían la definición de sus células para incluir las clases de la escuela dominical, el coro, los ancianos, los comités, los círculos de mujeres, etc. Con el deseo de no ofender a nadie, pero llaman a todo un grupo de células. El problema con esta mentalidad es que el discipulado sufre, un grupo de células, a diferencia de muchos grupos pequeños, incluye evangelismo, desarrollo de liderazgo y multiplicación.

Las iglesias son tentadas a etiquetar todo como un pequeño grupo, ya que esta es una manera de adaptar rápidamente una iglesia al ministerio célular, pero al final, pocos discípulos se forman. Es lo que yo llamo integración defectuosa.

El discipulado también sufre cuando las iglesias bajan las metas y animan a sus células a reunirse cada 15 días, descansar durante tres meses en el verano, y dos meses en el invierno. La motivación es dar a las personas ocupadas más tiempo, pero la realidad es que los discípulos rara vez se forman en reuniones tan poco frecuentes y la gente pierde el interés.

Para asegurarse de que se formen discípulos, es importante comenzar con una definición holística de calidad de un grupo de células. Este es con el que yo me identifico y el que he notado en las iglesias celulares mundiales:

Grupos de tres a quince personas que se reúnen semanalmente fuera del edificio de la iglesia con el propósito de evangelizar, tener comunión y crecimiento espiritual con el objetivo de formar discípulos que formen más discípulos, lo que da como resultado la multiplicación de la célula.

La multiplicación simplemente da el contexto para que un discípulo pueda ministrar. Big Bear Christian Center define sus grupos celulares de una manera similar, pero con un énfasis diferente:

En el centro de Big Bear Christian Center son grupos celulares de tres a quince personas que se reúnen semanalmente a lo largo del Big Bear Bear Valley. Empoderados por el Espíritu Santo a través de la oración, su propósito es hacer discípulos a través del crecimiento espiritual, la comunión y el evangelismo, resultando en la multiplicación celular.

Las células tienen mucha libertad con respecto a dónde se reunirán, la lección que seguirán, su homogeneidad, nivel de participación e incluso en el nombre que quieran usar. Sin embargo, ya que la célula es la iglesia y es donde se forman los discípulos, es esencial que las células mantengan un alto nivel de calidad.

Las células deben mantener un equilibrio fino entre calidad (por ejemplo, definición clara) y flexibilidad (por ejemplo, ubicación, nombre, homogeneidad, lección, participación, etc.). Al igual que las primeras iglesias en casas, las iglesias celulares modernas creen que la célula es la iglesia y merece una definición de calidad. Las iglesias celulares priorizan la definición de la célula porque creen que es la mejor manera de hacer discípulos.

¿Que hay acerca de ti ? ¿Cómo defines los grupos celulares?

Joel

Integration: Discover Your Giftedness in a Cell

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Some people have reacted to the idea that everyone should be in a cell group. “Wouldn’t this stifle creativity and a person’s giftedness?” they say. “Isn’t it better if some join a cell while others join a particular program in the church?”

Many pastors believe that if someone has an urge to do something, he or she should start a new program. Or perhaps there’s already a program operating in the church that will compliment that gifting. If not, the church should create a new ministry for the person. Is this how the early church operated?

The truth is that the cell group is the best place to discover spiritual gifts.

Earlier on in my cell ministry, a person tried to convince me to add additional programs, so that people could find and exercise their spiritual gifts. “But in the small groups they’ll have a chance to exercise their gifts,” I countered. “Those with the gift of mercy will have the opportunity to minister to those in need—both in and outside the group. The person with the gift of teaching can clarify a passage of scripture. Those with the gifts of service or helps will have plenty of chances to use their gifts in the cell.”

He didn’t really hear what I was saying and our conversation that night ended in a stalemate. We both had strong opinions. But the conversation was a blessing in disguise because it forced me to revisit the issue of spiritual gifts and cell groups. The conversation stirred me to go back to scripture for answers.

I realized afresh that when Paul wrote about the gift passages, he was writing to believers meeting in home groups (Ephesians 4; Romans 12 and 1 Corinthians 12-14). In all three passages about the gifts, he connects giftedness with the body of Christ. The only way to know where a person fits in the body of Christ is to discover his or her giftedness. The home atmosphere of the early church gave each person ample opportunity to test, prove and discover their own spiritual giftedness and place in the body of Christ.

I encourage cell leaders to study the gifts of the Spirit and to approach cell members about their gifts. One thing I discovered when writing the book, The Spirit-Filled Small Group: Leading Your Group to Experience the Spiritual Gifts, was that when a person knows and uses his or her spiritual gift, he or she will feel more responsible and needed. The person doesn’t want to miss the cell, knowing that he or she is needed in the body of Christ.

Gift Discovery that helps form disciples is a key reason for prioritizing cell involvement.  When a church or pastor asks a person to be in a cell group as a requirement for other programs and ministries, the reason is to help him or her discover God’s purpose and to become an active disciple of Jesus Christ.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Integração: Descubra o seu talento em uma célula

Por Joel Comiskey

Algumas pessoas reagiram à ideia de que todos deveriam estar em um grupo de células. “Isso não sufocaria a criatividade e o talento de uma pessoa?”, Dizem. “Não é melhor se alguns se juntarem a uma célula enquanto outros se juntam a um programa específico na igreja?”

Muitos pastores acreditam que, se alguém tiver vontade de fazer algo, ele ou ela deve começar um novo programa. Ou talvez já haja um programa que opere na igreja que complementará esse talento. Caso contrário, a igreja deve criar um novo ministério para a pessoa. É assim que a igreja primitiva operava?

A verdade é que o grupo celular é o melhor lugar para descobrir dons espirituais.

Mais cedo no meu ministério celular, uma pessoa tentou convencer-me de adicionar programas extras, para que as pessoas pudessem encontrar e exercer seus dons espirituais. “Mas nos grupos pequenos eles terão a chance de exercer seus dons”, eu respondi. “Aqueles com o dom da misericórdia terão a oportunidade de ministrar aos necessitados – tanto dentro como fora do grupo. A pessoa com o dom de ensinar pode esclarecer uma passagem das Escrituras. Aqueles com dons de serviço ou ajuda terão muitas chances de usar seus dons na célula “.

Ele realmente não ouviu o que estava falando e nossa conversa naquela noite terminou em um impasse. Nós dois tínhamos opiniões fortes. Mas a conversa foi uma benção disfarçada porque me forçou a revisitar a questão dos dons espirituais e dos grupos de células. A conversa me animou a voltar às Escrituras para obter respostas.

Eu percebi de novo que quando Paulo escreveu sobre as passagens de dons, ele estava escrevendo aos fiéis reunidos em grupos de origem (Efésios 4, Romanos 12 e 1 Coríntios 12-14). Em todas as três passagens sobre os dons, ele conecta o talento com o corpo de Cristo. A única maneira de saber onde uma pessoa se encaixa no corpo de Cristo é descobrir seu talento. A atmosfera doméstica da igreja primitiva deu a cada um ampla oportunidade para testar, provar e descobrir seu próprio talento espiritual e colocar no corpo de Cristo.

Encorajo os líderes celulares a estudar os dons do Espírito e a abordar os membros das células sobre seus presentes. Uma coisa que eu descobri quando escrevi o livro, O Grupo pequeno cheio de espírito: levando o seu grupo a experimentar os presentes espirituais, foi que quando uma pessoa conhece e usa seu dom espiritual, ele ou ela se sentirá mais responsável e necessário. A pessoa não quer perder a célula, sabendo que ele ou ela é necessária no corpo de Cristo.

A descoberta de que dons ajudam a formar discípulos é uma razão fundamental para priorizar o envolvimento celular. Quando uma igreja ou um pastor pede a uma pessoa que esteja em um grupo celular como requisito para outros programas e ministérios, a razão é ajudá-la a descobrir o propósito de Deus e se tornar um discípulo ativo de Jesus Cristo.

Spanish blog:

Integración: Descubre tu don en una célula

Por Joel Comiskey

Algunas personas han reaccionado a la idea de que todo el mundo debe estar involucrado en una célula. Algunos dicen “¿Esto no sofocará la creatividad y el talento de una persona?”,  “¿No es mejor que algunos se unan a una célula mientras otros se unan a un programa en específico en la iglesia?”

Muchos pastores creen que si alguien tiene el impulso de hacer algo; esta persona debe comenzar un nuevo programa, o si ya hay un programa que opera en la iglesia, la persona puede integrarse  para que complemente su don. Y si no hay un programa, la iglesia debe crear un nuevo ministerio para la persona. ¿Era así como la iglesia primitiva operaba?

La verdad es que la célula es el mejor lugar para descubrir los dones espirituales.

Al inicio, en mi ministerio celular, una persona trató de convencerme de agregar programas adicionales, para que las personas pudieran encontrar y ejercitar sus dones espirituales. “Pero en las células tendrán la oportunidad de ejercitar sus dones”, contesté. “Aquellos con el don de misericordia tendrán la oportunidad de ministrar a los necesitados, tanto dentro como fuera del grupo. La persona con el don de la enseñanza puede aclarar un pasaje de las Escrituras. Aquellos con los dones de servicio o ayuda tendrán muchas oportunidades de usarlos en la célula”.

En realidad, esta persona no escuchó lo que le estaba diciendo y nuestra conversación esa noche terminó en un punto muerto. Ambos teníamos opiniones fuertes. Pero la conversación fue una bendición disfrazada porque me obligó a revisar el tema de los dones espirituales y los grupos celulares. La conversación me animó a volver a las Escrituras para encontrar respuestas.

Nuevamente me di cuenta que cuando Pablo escribió acerca de los pasajes de los dones, Él estaba escribiendo a los creyentes que se reunían en casas (Efesios 4, Romanos 12 y 1 Corintios 12-14). En los tres pasajes acerca de los dones, El conecta el don con el cuerpo de Cristo. La única manera de saber dónde una persona encaja en el cuerpo de Cristo es descubriendo su don. El ambiente hogareño de la iglesia primitiva le dio a cada persona una amplia oportunidad para probar, demostrar y descubrir su propio don espiritual y su lugar en el cuerpo de Cristo.

Animo a los líderes celulares a estudiar los dones del Espíritu y a acercarse a los miembros de la célula para conocer acerca de sus dones. Algo que descubrí al escribir el libro The Spirit-Filled Small Group: Leading Your Group to Experience the Spiritual Gifts, fue que cuando una persona conoce y usa su don espiritual, se sentirá más responsable y necesitado. La persona no querrá perderse la célula, porque sabe que él o ella es necesaria en el cuerpo de Cristo.

El descubrimiento de dones, que ayuda a formar discípulos es una razón clave para priorizar la participación en las células. La razón por la que una iglesia o un pastor le piden a una persona que se involucre en una célula, como un requisito para participar en otros programas y ministerios, es para ayudarlo a descubrir el propósito de Dios y convertirse en un discípulo activo de Jesucristo.

Integration: Cells as the Base of the Church

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Celyce and I recently ministered in Ministerio Sabaoth, a vibrant cell church in Milan Italy. This 1000 member church has planted 50 cell churches throughout Europe. The church uses dance, drama, and the media to reach out, knowing that the arts have been an important part of Italian culture for centuries. But this church is also a pure cell church and wants everyone to first be intimately involved in the life of the cell. They don’t want some involved with the arts while others only participating in cell ministry.

Ministerio Sabaoth asks all those involved with their varied ministries to first become cell leaders. Their level of integration is above and beyond what most cell churches require. The majority of cell churches ask those involved in church ministries (e.g., usher, worship team) to first be actively participating in a cell group.

Cell integration is one of the key distinguishing features between a cell church and a church with cells.

A “church with cells” promotes cells as one ministry among a variety of possibilities. Some members participate with cells, if they have time. Others choose to serve in the varied ministries of the church. Many only come to the Sunday celebration.

Some churches, on the other hand, practice what I call faulty integration. That is, they don’t clearly define their cell groups and call everything a small group (e.g., prison ministry, worship team, elders). Some do this because they want to report rapid growth in their small group ministry.

Cell churches, on the other hand, start with a holistic cell definition because it’s the base of the church and the primary place where disciples are made and sent forth.  They realize that ministries and programs don’t make disciples like cell groups. They realize that the transition to becoming a cell church is  a slow process and complete cell integration is one of the last steps. The lead pastor’s direction and involvement in cell ministry is critical in making this happen. As the cells grow and multiply, the church can expect cell attendance as a prerequisite for ministry involvement.

Why is integration important? Because people have limited time and can only do a few things well. Cell churches have chosen to prioritize cell involvement, knowing that disciples are formed in the cell and spiritual gifts are also best discovered in the small group atmosphere. Cell churches concentrate on the small and large group (celebration), citing the New Testament as their guide.

In the month of September we’ll talk more about integration. Cell church pastors will write 20 blogs on this important topic throughout the month of September. We’ll cover:

  • September 03-09. Why should holistic small groups become the base of the church? We’ll cover the biblical base for cell ministry and that’s it’s not another program but the life of the church and equal to celebration.
  • September 10-16.  Why it’s not asking too much for people to be involved in a cell as a prerequisite for involvement in other ministries. The reality is that in the New Testament, people discovered their gifts within the small house churches. The small group as also Christ’s strategy to make disciples. Ministries have their place in the church, but they are not designed for discipleship to occur.
  • September 17-23. The importance of the definition. Without a clear definition, cells become another program, another ministry. Many churches have a tough time growing  and maintaining their cells. To give the appearance of more growth, they count all groups that are small and a group (ushers, worship team, elders, etc.). I advice churches not to do this. Start with a holistic definition.
  • September 24-September 30. Patience and grace in transition. Asking everyone to first participate in a cell before ministry involvement is part of the transition process. In fact, it’s the last stage. It’s best to wooo people into cell ministry, rather than to pressure them. In a church plant, this can be an immediate requirement.

Where are you in the process of cell integration. Feel free to share your experiences here.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Integração Celular

Celyce e eu ministramos recentemente no Ministério Sabaoth, uma igreja celular vibrante em Milão, Itália. Esta igreja de 1000 membros plantou 50 igrejas celulares ao longo da Europa. A igreja usa a dança, o drama e a mídia para alcançar, sabendo que as artes têm sido uma parte importante da cultura italiana há séculos. Mas esta igreja também é uma igreja celular pura e quer que todos sejam intimamente envolvidos na vida da célula. Eles não querem alguns envolvidos com as artes, enquanto outros só participam do ministério celular. O ministro Sabaoth pede a todos os envolvidos com seus ministérios variados para se tornar líderes celulares. O seu nível de integração está acima e além do que a maioria das igrejas celulares requerem. A maioria das igrejas celulares pede aos envolvidos nos ministérios da igreja (p. Ex., O presidente da equipe de adoração) para participarem ativamente de um grupo de células.

A integração celular é uma das principais características distintivas entre uma igreja celular e uma igreja com células.

Uma “igreja com células” promove células como um ministério entre uma variedade de possibilidades. Alguns membros participam das células, se tiverem tempo. Outros optam por servir nos diversos ministérios da igreja. Muitos só chegam à celebração do domingo.

Algumas igrejas, por outro lado, praticam o que eu chamo de integração defeituosa. Ou seja, elas não definem claramente seus grupos celulares e chamam tudo de um pequeno grupo (por exemplo, ministério da prisão, equipe de adoração, anciãos). Alguns fazem isso porque querem relatar um crescimento rápido no ministério do pequeno grupo.

As igrejas celulares, por outro lado, começam com uma definição de célula holística porque é a base da igreja e o principal lugar onde os discípulos são feitos e enviados. Eles percebem que ministérios e programas não fazem discípulos como grupos celulares. Eles percebem que a transição para se tornar uma igreja celular é um processo lento e a integração completa da célula é uma das últimas etapas. A direção e o envolvimento do pastor principal no ministério celular são fundamentais para que isso aconteça. À medida que as células crescem e se multiplicam, a igreja pode esperar o comparecimento celular como pré-requisito para o envolvimento do ministério.

Por que a integração é importante? Porque as pessoas têm tempo limitado e só podem fazer algumas coisas bem. As igrejas celulares escolheram priorizar o envolvimento celular, sabendo que os discípulos são formados na célula e os dons espirituais também são melhor descobertos na atmosfera de pequenos grupos. As igrejas celulares concentram-se no grupo pequeno e grande (celebração), citando o Novo Testamento como seu guia.

No mês de setembro, falaremos mais sobre integração. Os pastores das igrejas celulares vão escrever 20 blogs sobre este assunto importante ao longo do mês de setembro. Vamos abordar:

  • 03 a 09 de setembro. Por que grupos holísticos e pequenos se tornam a base da igreja? Vamos cobrir a base bíblica para o ministério das células e não é outro programa, mas a vida da igreja e igual à celebração.
  • 10 a 16 de setembro. Por que não ê pedir demais que as pessoas estejam envolvidas em uma célula como um pré-requisito para o envolvimento em outros ministérios? A realidade é que, no Novo Testamento, as pessoas descobriram seus dons nas igrejas da pequena casa. O pequeno grupo, como também a estratégia de Cristo para fazer discípulos. Os ministérios têm seu lugar na igreja, mas não são projetados para que o discipulado ocorra.
  • 17 a 23 de setembro. A importância da definição. Sem uma definição clara, as células se tornam outro programa, outro ministério. Muitas igrejas têm dificuldade em crescer e manter suas células. Para dar a aparência de mais crescimento, eles contam todos os grupos que são pequenos e um grupo (adotivos, time de adoração, anciãos, etc.). Eu aconselho as igrejas a não fazerem isso. Comece com uma definição holística.
  • 24 de setembro a 30 de setembro. Paciência e graça em transição. Pedir a todos que participem primeiro de uma célula antes que o envolvimento do ministério seja parte do processo de transição. Na verdade, é a última etapa. É melhor atrair pessoas para o ministério celular, em vez de pressioná-las. Em uma igreja, isso pode ser um requisito imediato.

Onde você está no processo de integração celular? Sinta-se à vontade para compartilhar suas experiências aqui.

Spanish blog:

Integración: Células Como la Base de la Iglesia

Celyce y yo recientemente ministramos en el Ministerio Sabaoth, una vibrante iglesia celular en Milán, Italia. Esta iglesia de 1000 miembros ha plantado 50 iglesias celulares en Europa. La iglesia utiliza la danza, el teatro y los medios de comunicación para alcanzar las almas, sabiendo que las artes han sido una parte importante de la cultura italiana durante siglos. Pero esta iglesia es también una iglesia de células puras y quiere antes que nada, todos estén íntimamente involucrados en la vida celular. No quieren involucrarse con las artes, mientras que otras sólo participan en el ministerio celular. El Ministerio Sabaoth pide a todos los involucrados con sus diversos ministerios que se conviertan en líderes celulares. Su nivel de integración está por encima y más allá de lo que la mayoría de las iglesias celulares requieren. La mayoría de las iglesias celulares piden a las personas involucradas en sus ministerios (por ejemplo, diacono, equipo de adoración) que participen activamente en un grupo de células.

La integración celular es una de las principales características distintivas entre una iglesia celular y una iglesia con células.

Una “iglesia con células” promueve las células como un ministerio entre una variedad de posibilidades. Algunos miembros participan en las células, si tienen tiempo. Otros eligen servir en los diversos ministerios de la iglesia y muchos sólo vienen a la celebración del domingo.

Algunas iglesias, por otro lado, practican lo que yo llamo integración defectuosa. Es decir, no definen claramente sus grupos celulares y llaman a todo,  pequeño grupo (por ejemplo, ministerio de cárceles, grupo de adoración, ancianos). Algunos hacen esto porque quieren reportar un crecimiento rápido en su ministerio de grupos.

Las iglesias celulares, por otro lado, comienzan con una definición de célula holística, porque es esta la base de la iglesia y el lugar principal, donde los discípulos son forman y luego son enviados al campo. Estas iglesias se dan cuenta de que los ministerios y los programas no hacen discípulos como los grupos celulares. Se dan cuenta de que la transición a convertirse en una iglesia celular, es un proceso lento y la integración celular completa es uno de los últimos pasos. La dirección y la participación del pastor principal en el ministerio celular es crítica para que esto suceda; a medida que las células crecen y se multiplican, la iglesia puede contar con la asistencia celular como un requisito previo para la participación en el ministerio.

¿Por qué es importante la integración? Porque las personas tienen tiempo limitado y sólo puede hacer algunas cosas de excelente manera. Las iglesias celulares han elegido priorizar la participación en las células, sabiendo que los discípulos se forman en esta y los dones espirituales son  descubiertos de mejor manera  en la atmósfera de un grupo pequeño. Las iglesias celulares se concentran en el grupo pequeño y grande (celebración), citando el Nuevo Testamento como su guía.

En el mes de septiembre hablaremos más sobre la integración. Los pastores de iglesias celulares escribirán 20 blogs sobre este importante tema durante todo el mes.  Cubriremos:

  • Del 03 al 09 de Septiembre). ¿Por qué deberían los pequeños grupos holísticos convertirse en la base de la iglesia? Cubriremos la base bíblica para el ministerio celular y esto no es otro programa, sino la vida de la iglesia, e igual a la celebración.
  • Del 10 al 16 de septiembre. ¿Por qué no es pedir demasiado a la personas que participen en una célula como un requisito previo para la participación en otros ministerios. La realidad es que en el Nuevo Testamento, las personas descubrieron sus dones dentro de las iglesias en casas. También la célula como  la estrategia de Cristo para hacer discípulos. Los ministerios tienen su lugar en la iglesia, pero no están diseñados para hacer discípulos.
  • Del 17 al 23 de septiembre. La importancia de la definición. Sin una definición clara, las células se convierten en otro programa, otro ministerio. Muchas iglesias tienen dificultades para crecer y mantener sus células. Para dar la apariencia de más crecimiento, cuentan todos los grupos que son pequeños (el diaconado, el equipo de adoración, los ancianos, etc.). Yo aconsejo a las iglesias que no hagan esto. Comience con una definición holística.
  • 24 de septiembre – 30 de septiembre. Paciencia y gracia en la transición. Pedir a todos que primero participen en una célula antes de que se involucren en un ministerio, es parte del proceso de transición, de hecho, es la última etapa. Lo mejor es atraer a las personas al ministerio celular, en lugar de presionarlos. En una iglesia central, esto puede ser un requisito inmediato.

¿Dónde te encuentras en el proceso de integración celular? No dudes en compartir tus experiencias aquí­.

Take a Day Off

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

I overworked one spring to the point of exhaustion. I didn’t faithfully keep my day off, didn’t take care of my body, and eventually caught bronchitis. I had a teaching commitment at the time that I couldn’t cancel. I remember the sleepless nights wheezing and coughing, knowing that I had to teach the next day. As I look back at those exhausting days, I now realize that I tried to cram way too much work into a limited time period and ended up imbalanced.

God made the human body to run effectively for only six days out of the week—not seven. Genesis 2:2–3 declares, “By the seventh day God had finished the work he had been doing; so on the seventh day he rested from all his work. And God blessed the seventh day and made it holy, because on it he rested from all the work of creating that he had done.”

I don’t believe that we need to rest on one specific day (e.g., Saturday or Sunday). Pastors, for example, are busiest on Sundays, and have a hard time resting on that day. Whatever day you choose, the goal is to truly rest on that day.

Your 24-hour day of rest should not have a lot of rules and regulations (e.g., can’t do this, can’t do that, etc.). You will need to do some work, for example, to survive—like washing the dishes and taking out the trash. But as much as possible try to avoid the regular, job-related work that you do the other six days of the week. Leviticus 23:7–8 says, “On the first day hold a sacred assembly and do no regular work. For seven days present an offering made to the Lord by fire. And on the seventh day hold a sacred assembly and do no regular work.” The emphasis is on “regular work.” On your day off you should cease to do those things that are part of your normal work load. Give yourself a break and do only those things that help you relax and feel refreshed.

On my day off, for example, I try to avoid anything and everything that sounds like normal work. I only read books that are non-work related. I don’t check my email on my day off, and as a family we don’t answer the phone. My wife and I have both agreed not to talk about stressful, work-related topics between ourselves on our day off. I want to rest my mind—not engage it with the problems and stresses of the other six days. I do sleep a lot, take walks, and enjoy family, food, and anything that is restful.

Remember that after six days, we just naturally run out of gas. If we go against God’s norms, we’ll eventually pay a costly price. I don’t believe any of us are so indispensable that we can neglect our own bodies and souls by not taking a day off.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Tire um dia de folga

Por Joel Comiskey

Eu sobrecarregava uma primavera até o ponto de exaustão. Eu não mantive fielmente meu dia de folga, não cuidei do meu corpo e, eventualmente, peguei bronquite. Eu tinha um compromisso de ensino no momento em que não consegui cancelar. Lembro-me das noites sem dormir engasgando e tossindo, sabendo que eu tinha que ensinar no dia seguinte. Enquanto olho para esses dias cansativos, agora percebo que tentei trabalhar muito em um período de tempo limitado e acabei desequilibrado.

Deus fez o corpo humano correr efetivamente por apenas seis dias fora da semana – e não sete. Gênesis 2: 2-3 declara: “No sétimo dia, Deus havia concluído o trabalho que fazia; Assim, no sétimo dia, ele descansou de todo o seu trabalho. E Deus abençoou o sétimo dia e o fez santo, porque nisto descansou de todo o trabalho de criar o que tinha feito “.

Eu não acredito que precisamos descansar em um dia específico (por exemplo, sábado ou domingo). Os pastores, por exemplo, estão mais ocupados aos domingos, e têm dificuldade em descansar naquele dia. Seja qual for o dia que você escolher, o objetivo é realmente descansar nesse dia.

Seu dia de descanso de 24 horas não deve ter muitas regras e regulamentos (por exemplo, não pode fazer isso, não pode fazer isso, etc.). Você precisará fazer algum trabalho, por exemplo, para sobreviver – como lavar a louça e tirar o lixo. Mas, tanto quanto possível, tente evitar o trabalho regular, relacionado ao trabalho que você faz nos outros seis dias da semana. Levíticos 23: 7-8 diz: “No primeiro dia, mantenha uma assembleia sagrada e não faça nenhum trabalho regular. Por sete dias apresente uma oferta feita ao Senhor por fogo. E no sétimo dia mantenha uma assembleia sagrada e não faça nenhum trabalho regular. “A ênfase é no “trabalho regular “. No seu dia de folga, você deve deixar de fazer as coisas que fazem parte da sua carga de trabalho normal. Dê uma pausa e faça apenas as coisas que ajudam você a relaxar e se sentir atualizado.

No meu dia de folga, por exemplo, tento evitar tudo e qualquer coisa que pareça um trabalho normal. Eu só leio livros que não são relacionados ao trabalho. Não verifico meu e-mail no meu dia de folga e, como família, não atendemos o telefone. Minha esposa e eu concordamos em não falar de tópicos estressantes e relacionados ao trabalho entre nós no nosso dia de folga. Eu quero descansar a minha mente – não engajá-la com os problemas e tensões dos outros seis dias. Eu durmo muito, faço caminhadas e aprecio a família, a comida e tudo o que é de repouso.

Lembre-se de que, após seis dias, simplesmente ficamos sem gás. Se nos opormos às normas de Deus, acabaremos pagando um preço dispendioso. Eu não acredito que nenhum de nós é tão indispensável que podemos negligenciar nossos próprios corpos e almas ao não tirar um dia de folga

Spanish blog:

Tómate  un día libre

Por Joel Comiskey

En una primavera me sobrecargé  hasta llegar al punto del agotamiento. No guardé de manera fiel mi día libre, no cuidé mi cuerpo, y con el tiempo una bronquitis me atrapó. En ese momento tenia un compromiso para enseñanzar, el cual no podía cancelar. Recuerdo esas noches sin dormir mientras estaba temblando y tosiendo, sabiendo que tenía que enseñar al día siguiente. Ahora, al mirar hacia atrás y recordar esos días agotadores, me doy cuenta de que traté de hacer demasiado trabajo en un limitado período de tiempo y todo terminó en desequilibrio.

Dios hizo que el cuerpo humano funcionará de manera eficaz por sólo seis días de la semana, no siete. Génesis 2: 2-3 declara: “Al llegar el séptimo día, Dios descansó porque había terminado la obra que había emprendido. Dios bendijo el séptimo dia, y lo santificó, porque en ese día descansó de toda su obra creadora”.

No creo que necesitamos descansar en un día específico (por ejemplo, el sábado o el domingo). Los pastores, por ejemplo, están más ocupados los domingos y tienen dificultades para descansar ese día. Cualquiera que sea el día que elijas, el objetivo es que realmente descanses ese día.

Tu día de descanso de 24 horas no debería tener muchas reglas y regulaciones (por ejemplo, no puedes hacer esto, no puedes hacer eso, etc.). Tendrás que hacer algún trabajo, por ejemplo, para sobrevivir, como lavar los platos y sacar la basura. Pero, en la medida de lo posible, trata de evitar el trabajo, relacionado con el trabajo que realizas los otros seis días de la semana. Levítico 23: 7-8 dice: “El primer día celebraran una fiesta solemne en su honor; ese día no harán ningún trabajo. Durante siete días presentaran al Señor ofrendas por fuego, y el septimo día celebraran una fiesta solemne en su honor; ese día no harán ningún trabajo.” El énfasis está en “ningún trabajo.” En tu día libre debes dejar de hacer las cosas que son parte de tu carga de trabajo normal. Darse un respiro y hacer sólo aquellas cosas que te ayudan a relajarte y sentirte fresco.

En mi día libre, por ejemplo, trato de evitar cualquier cosa y todo lo que suene parecido a trabajo diario. Sólo leo libros que no están relacionados con el trabajo, no reviso mi correo electrónico, y como familia hemos acordado no contestar el teléfono. Mi esposa y yo también hemos acordado no hablar de temas estresantes, relacionados con el trabajo en nuestro día libre. Quiero descansar mi mente, no comprometerme con los problemas y las tensiones de los otros seis días. Duermo mucho, tomo paseos, y disfruto de la familia, la comida y todo lo que sea relajante.

Recuerda que después de seis días, naturalmente nos quedamos sin gasolina. Si vamos en contra de las normas de Dios, al final pagaremos un precio muy alto. No creo que ninguno de nosotros sea tan indispensable que podamos descuidar nuestros propios cuerpos y almas al no tomar un día libre.

Long-term Leadership

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Satan hates pastors and leaders. They are his primary target. Peter Wagner argues in Prayer Shield (pp. 66-75) that pastors and Christian leaders are attacked more frequently because:

  1. Pastors have more responsibilities and accountability
  2. Pastors are more subject to temptation
  3. Pastors are more targeted by spiritual warfare
  4. Pastors have more influence on others
  5. Pastors have more visibility

The same is true for cell leaders, supervisors, and church planters because they are also caring for the flock and influencing others. Today I read the headline, “Popular Megachurch Pastor Busted in Prostitution Sting.” These headlines are becoming commonplace. Wagner writes, “Over the past couple decades, an alarming number of pastors have dropped out of the ministry for two main reasons: pastoral burnout and sexual immorality. The numbers have reached epidemic proportions” (Prayer Shield, p.17). A 2016 USA study  by the Josh McDowell and George Barna found, “Most pastors (57%) and youth pastors (64%) admit they have struggled with porn, either currently or in the past.” The shocking finding was that 21 percent of youth pastors and 14 percent of pastors admit they currently struggle with using porn.

As leaders in Christ’s church, what can we do to protect ourselves and reverse this trend? Allow me to suggest three things:

  1. Prioritize prayer. I’m referring here to two things: First, make sure you have a dynamic quiet time each day. Second, develop a prayer shield of people who are committed to praying for you.
  2. Prioritize your spouse and family. John Maxwell once said, “Success is having those closest to you love and respect you the most.” Don’t allow spouse and family to take a back seat to ministry.
  3. Prioritize rest. Are you taking a day off? How about regular vacations? What about getting enough sleep each night? I remember one missionary boasting that he never took a day off. This is nothing to boast about. Leaders who come away frequently to rest are more energized in ministry. God is a God of rest. He commanded his people in the Old Testament to rest one day out of the week, along with required festivals where no “regular work” was permitted. He required these things because he knew his human creation  needed to be recharged.

Ministry in general is demanding, and so is cell ministry. But spiritual disciplines and family priorities come before ministry. They are the leader’s wellspring and keys to long-term success. When pastors and cell leaders fail to receive Christ’s living water and do not come away to rest frequently, Satan has an opportunity to deceive and destroy.

In August, let’s talk about these three qualities. We’ll cover:

  • August 06-12. Soul care through personal time with Jesus; let’s talk about the daily need for the quiet time and developing a prayer shield. Personal growth with Jesus is the foundation of all effective ministry.
  • August 13-19. No blogging
  • August 20-26. Soul care through day off and vacation time. Pastors and leaders need to be refreshed through the discipline of rest. I’m referring to day off, vacations, and getting enough sleep.
  • August 27-September 02. Prioritizing those relationships closest to the pastor or the leader. There’s always the danger in prioritizing ministry to the neglect of spouse and children.

What have you been learning about long-term leadership? Feel free to comment here .

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Liderança a Longo Prazo

Por Joel Comiskey

Satanás odeia pastores e líderes. Eles são o principal alvo dele. Peter Wagner argumenta em Prayer Shield que pastores e líderes cristãos são atacados com mais freqüência porque:

  • Os pastores têm mais responsabilidades e prestação de contas
  • Os pastores estão mais sujeitos à tentação
  • Os pastores são mais alvo da guerra espiritual
  • Os pastores têm mais influência sobre os outros
  • Os pastores têm mais visibilidade (pp. 66-75)

O mesmo é verdade para líderes de célula, supervisores e implantadores de igrejas, porque eles também estão cuidando do rebanho e influenciando os outros. Hoje eu li a manchete, “Pastor Megachurch Popular Busted in Prostitution Sting” (Pastor de Mega Igreja Pego em Segmento de Prostituição, em tradução livre). Essas manchetes estão se tornando comuns. Wagner escreve: “Ao longo das últimas duas décadas, um número alarmante de pastores abandonaram o ministério por dois motivos principais: burnout pastoral e imoralidade sexual. Os números atingiram proporções epidêmicas” (Prayer Shield, p.17).

Um estudo dos EUA de 2016 dos Josh McDowell e George Barna descobriu: “A maioria dos pastores (57%) e pastores juvenis (64%) admitem ter lutado com a pornografia, atualmente ou no passado”. A descoberta chocante foi que 21 por cento dos jovens pastores e 14 por cento dos pastores admitem que atualmente lutam com o uso de pornografia.

Como líderes na igreja de Cristo, o que podemos fazer para nos proteger e reverter essa tendência? Permita-me sugerir três coisas:

  1. Priorize a oração. Estou me referindo aqui a duas coisas: Primeiro, certifique-se de ter um tempo de silêncio dinâmico a cada dia. Em segundo lugar, desenvolva um escudo de oração de pessoas que estão empenhadas em orar por você.
  2. Priorize seu cônjuge e sua famí­lia. John Maxwell disse uma vez: “O sucesso é ter mais próximos os que você ama e respeita mais”. Não permita que o cônjuge e a família tomem um assento traseiro no ministério.
  3. Priorize o descanso. Você está tirando um dia de folga? Que tal as férias regulares? O que é fazer o suficiente para descansar todas as noites? Lembro-me de um missionário se vangloriando de que ele nunca tirou um dia de folga. Isso não é para se gabar. Os líderes que se afastam freqüentemente para descansar são mais energizados no ministério. Deus é um Deus de descanso. Ele ordenou ao seu povo no Antigo Testamento que descansasse um dia fora da semana, juntamente com os festivais necessários onde não era permitido “trabalho regular”. Ele exigiu essas coisas porque ele sabia que sua criação precisava ser recarregada.

O ministério celular é exigente. E é uma maratona. As disciplinas espirituais e as prioridades familiares vêm antes do ministério. Elas são a fonte do líder e as chaves para o sucesso a longo prazo. Quando pastores e líderes de célula não conseguem receber a água viva de Cristo e não se afastam para descansar com frequência, Satanás tem a oportunidade de enganar e destruir.

Em agosto, vamos falar sobre essas três qualidades. Vamos cobrir:

  • 06-12 de agosto. Cuidado da alma através do tempo pessoal com Jesus; Vamos conversar sobre a necessidade diária do tempo de silêncio e desenvolver um escudo de oração. O crescimento pessoal com Jesus é o fundamento de todo o ministério efetivo.
  • 13-19 de agosto. Não há blogs
  • 20 a 26 de agosto. Cuidado da alma durante o dia de folga e o tempo de férias. Pastores e líderes precisam ser atualizados através da disciplina de descanso. Estou me referindo a dias de folga, férias e dormir o suficiente.
  • 27 de agosto a 02 de setembro. Priorizando os relacionamentos mais próximos do pastor ou do líder. Há sempre o perigo de priorizar o ministério à negligência do cônjuge e dos filhos.

O que você tem aprendido sobre a liderança de longo prazo? Não hesite em comentar aqui.

Spanish blog:

Liderazgo a Largo Plazo

por Joel Comiskey

Satanás odia a los pastores y a los líderes. Ellos son su objetivo principal. Peter Wagner argumenta en Prayer Shield (Escudo de Oración) que los pastores y lí­deres cristianos son atacados con más frecuencia ya que:

  • Los pastores tienen más responsabilidades
  • Los pastores estan más expuestos a la tentación
  • Los pastores son más el blanco de la guerra espiritual
  • Los pastores tienen más influencia en los demás
  • Los pastores están bajo la mirada de todos (pp. 66-75)

Lo mismo ocurre con los lí­deres celulares, los supervisores y los fundadores de iglesias, porque están al cuidado del rebaño y también están influenciando a los demás. Hoy he leído el titular, “Pastor de Popular Mega-iglesia arrestado por participar en red de prostitución.” Estos titulares se están convirtiendo en algo común.

Wagner escribe: “Durante las últimas dos décadas, un número alarmante de pastores han abandonado el ministerio; esto ha sucedido principalmente por dos razones: el agotamiento pastoral y la inmoralidad sexual, los números han alcanzado proporciones epidémicas” (Escudo de Oración, p.17). En un estudio en los Estados Unidos, realizado por Josh McDowell y George Barna, se encontró con que “la mayoría de los pastores (57%) y los pastores de jóvenes (64%) admiten que ya sea ahora o en el pasado han luchado con la pornografía”. El sorprendente hallazgo fue que el 21 por ciento de los pastores de jóvenes y el 14 por ciento de los pastores admiten que actualmente luchan con el uso de pornografía.

Como líderes en la iglesia de Cristo, ¿qué podemos hacer para protegernos y revertir esta tendencia? Permítanme sugerir tres cosas:

  1. Da prioridad a la oración. Me refiriendo a dos situaciones: Primero, asegúrate de tener un tiempo de silencio dinámico cada día. Segundo, desarrolla un escudo de oración de personas que estén  comprometidas a orar por ti.
  2. Da prioridad a tu cónyuge y familia. John Maxwell dijo una vez: “El éxito es tener a los más cercanos a ti, los que te quieran y te respeten más”. No permitas que tu cónyuge y familia tomen un asiento trasero en el ministerio.
  3. Da prioridad al descanso. ¿Te estas tomando un día libre? ¿ unas vacaciones? ¿Qué hay de descansar lo suficiente cada noche? Recuerdo un misionero alardeando que él nunca se tomó un día libre; esto no es algo para jactarse. Los líderes que con frecuencia se toman un momento para descansar, tienen más energía para trabajar en el ministerio. Dios es un Dios de reposo. Él ordenó a su pueblo en el Antiguo Testamento que descansarán un día en la semana, junto con los fiestas donde no se permitía “trabajo regular”. Él requirió estas cosas porque sabía que su creación necesitaba ser recargada.

El ministerio celular es exigente; es maratónico. Las disciplinas espirituales y las prioridades familiares vienen antes del ministerio. Estas son la fuentes del líder y las claves del éxito a largo plazo. Cuando los pastores y los líderes celulares no reciben el agua viva de Cristo y no vienen a descansar con frecuencia, Satanás tiene la oportunidad de engañar y destruir.

En agosto, hablemos de estas tres cualidades. Cubriremos:

  • 06-12 de agosto. Cuidado del alma a través del tiempo personal con Jesús; Hablaremos de la necesidad diaria de un momento de tranquilidad y el desarrollo de un escudo de oración. El crecimiento personal con Jesús es el fundamento de todo ministerio efectivo.
  • 13-19 de agosto. No habrá blogs
  • 20-26 de agosto. Cuidado del alma durante los días libres y las vacaciones. Pastores y líderes necesitan ser refrescados a través de la disciplina del descanso. Me estoy refiriendo a días libres, vacaciones, y dormir lo suficiente.
  • 27 de agosto – 02 de septiembre. Priorizar las relaciones más cercanas al pastor o al líder. Siempre existe el peligro de dar prioridad al ministerio por el descuido de el cónyuge e hijos.

¿Qué ha estado aprendiendo acerca del liderazgo a largo plazo? Siéntete libre de comentar aquí.

Generosity and Open Sharing

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Generosity and open sharing should be a trademark for all those in Christ’s church, but more specifically to this blog, all those involved in cell-based ministry.

There are certain key principles that connect those in the cell church movement, like  the importance of meeting in both large and small groups and the role of the pastor to develop lay people to do the work of the ministry, rather than doing it personally. But house to house ministry is not a secretive, hidden philosophy that only certain people can understand or implement.

Sadly, certain pastors would like for others to believe that they have the only correct formula that everyone should follow. The human tendency to be superior and to exclude others is as old as the fall of mankind in the book of Genesis. Certain models have fallen into this trap and erect walls and barriers around a few of their formulas.

This mentality has saddened me in the cell church because God’s principles must be freely shared, and they should be open for all and for everyone to experience. I think of the Elim Church. Elim is a very generous cell church that welcomes people to taste and see, use their resources, study their system, and take what’s best. They do have distinctions, like each cell nucleus having a weekly planning meeting to prepare for the Saturday cell groups. But you’ll never hear Elim talking about their planning meeting as a “secret formula” that separates them from everyone else, or makes them better than other cell churches. Rather, in humility, Elim chooses to emphasize common cell church principles and especially the biblical values that undergird cell ministry.

Generosity comes from the heart of God. I’ve always been concerned about those churches that exclude rather than welcome. I love to highlight Paulo Mazonni’s church in Belo Horizonte. Each year, the Central Baptist Church holds a DNA conference in which they freely give away their resources  while inviting pastors and leaders to experience what God has done in their church. Their motivation is to freely share what has propelled them to 2200 cells and 12,000 people in their celebration services.

Robert Lay is another example of generosity. He places all PowerPoints on his website for people to freely download and use. Robert realizes that God is much bigger than one model and it’s his goal to freely resource the body of Christ.

Unlike those who separate from the larger body of Christ, the cell church movement needs to be marked by Christ’s own words, “Freely you have received; freely give” (Matthew 10:8).

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Generosidade e compartilhamento aberto

Por Joel Comiskey

A generosidade e o compartilhamento aberto devem ser uma marca registrada para todos aqueles na igreja de Cristo, mas mais especificamente para este blog, todos os envolvidos no ministério baseado em células.

Existem certos princípios fundamentais que conectam aqueles no movimento da igreja celular, como a importância de se reunir em grupos grandes e pequenos e o papel do pastor para desenvolver leigos para fazer o trabalho do ministério, em vez de fazê-lo pessoalmente. Mas o ministério da casa em casa não é uma filosofia secreta e escondida que apenas algumas pessoas podem entender ou implementar.

Infelizmente, certos pastores gostariam que outros acreditassem que eles tinham a única fórmula correta que todos deveriam seguir. A tendência humana de ser superior e excluir outros é tão antiga quanto a queda da humanidade no livro de Gênesis. Certos modelos caíram nesta armadilha e erguem paredes e barreiras em torno de algumas de suas fórmulas.

Essa mentalidade me entristeceu na igreja celular porque os princípios de Deus devem ser compartilhados livremente, e devem estar abertos para todos e para todos experimentarem. Penso na Igreja de Elim. Elim é uma igreja celular muito generosa que acolhe pessoas para provar e ver, usar seus recursos, estudar seu sistema e tomar o melhor. Eles têm distinções, como cada núcleo de célula que tem uma reunião de planejamento semanal para se preparar para os grupos de células de sábado. Mas você nunca ouvirá Elim falar sobre sua reunião de planejamento como uma “fórmula secreta” que os separa de todos os outros, ou os torna melhores do que outras igrejas celulares. Em vez disso, com humildade, Elim escolhe enfatizar os princípios comuns da igreja celular e, especialmente, os valores bíblicos que sustentam o ministério das células.

A generosidade vem do coração de Deus. Sempre me preocupei com as igrejas que excluíam em vez de receber. Eu amo destacar a igreja de Paulo Mazonni em Belo Horizonte. Todos os anos, a Igreja Batista Central realiza uma conferência de DNA em que eles cedem livremente seus recursos enquanto convidam pastores e líderes a experimentar o que Deus fez em sua igreja. Sua motivação é compartilhar livremente o que os impulsionou para 2200 células e 12 mil pessoas em seus cultos de celebração.

Robert Lay é outro exemplo de generosidade. Ele coloca todos os PowerPoints em seu site para que as pessoas baixem e usem livremente. Robert percebe que Deus é muito maior do que um modelo e é seu objetivo livremente explorar o corpo de Cristo.
Ao contrário dos que se separam do corpo maior de Cristo, o movimento da igreja celular precisa ser marcado pelas próprias palavras de Cristo: “Livremente você recebeu; Livremente dê “(Mateus 10: 8).

Spanish blog:

La generosidad y el compartir

Por Joel Comiskey, Asesoramiento acá

La generosidad y el compartir  debe ser una marca registrada de todos en la iglesia de Cristo, pero más en específico de los que leen este blog y los que están envueltos en el ministerio célular.

Hay ciertos principios clave que unen a todos los que están en el movimiento célular, por ejemplo la importancia de reunirse en grupos grandes y pequeños, así también el rol del pastor de desarrollar a los miembros en general para que realicen el trabajo ministerial en lugar de hacerlo personalmente. El ministerio casa por casa no es un secreto, no es una filosofía escondida, que solo un grupo de personas puede entender e implementar.

Tristemente, a algunos pastores les gustaría hacer creer que solo ellos tienen la formula correcta, la que todos deberían seguir. La tendencia humana a ser superiores y excluir a los demás es tan antigua como la caída de la raza humana en el libro de Génesis. Ciertos modelos han caído en esta trampa y han construido muros y  barreras alrededor de estas fórmulas.

Esta mentalidad me ha hecho entristecer porque los principios de Dios deben ser compartidos libremente y deberían ser proporcionados a todos y cada uno y así poder experimentarlos. Pienso en la Iglesia Elim. Elim es una iglesia celular muy generosa que da la bienvenida a todas las personas para que puedan saborear, ver, usar sus recursos, estudiar su sistema, y tomar lo mejor de ello. Tienen distinciones, como por ejemplo, una reunión de planificación en la semana para preparar la célula del día sábado. Pero nunca escucharan que la Iglesia Elim habla de estas reuniones de planificación de manera “secreta” aparatando a los demás, o que esto los hace mejores que los otras iglesias celulares. En lugar de eso, con humildad la iglesia Elim elige enfatizar en los principios comunes de la célula y en específico los valores bíblicos que conforman el ministerio celular.

La generosidad viene del corazón de Dios. Siempre he estado consternado con las iglesias que excluyen en vez de dar la bienvenida. Me encanta el detalle de la iglesia de Paulo Mazonni en Belo Horizonte. Cada año la iglesia Bautista Central tiene una Conferencia ADN en la cual, entregan sus fuentes  y al mismo  tiempo invitan a otros pastores y líderes para que puedan experimentar lo que Dios ha hecho en la iglesia. Su motivación es compartir libremente lo que ha hecho crecer a 2200 células y 12,000 personas en sus servicios de celebración.

Robert Law es otro ejemplo de generosidad. El sube todas sus presentaciones PowerPoint en su sitio web para que todos puedan descargarlas y usarlas. Robert entiende que Dios es mucho más grande que cualquier modelo y que la meta es proveer de recursos al cuerpo de Cristo.

Contrario a otros que separan del grande cuerpo de Cristo, el movimiento de la iglesia celular necesita ser marcado por las propias palabras de Cristo, “ lo que ustedes recibieron gratis denlo gratuitamente” (Mateo 10:8)