Soccer Coaches Can Be Obnoxious

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

Do you know much about the game of soccer? It is a wonderful sport that allows people of all sizes to compete against one another. I have had the privilege to coach and referee soccer. My experience on the field as a referee has influenced my coaching and caused me to value the coaches who quietly watch a match without hollering constant instructions from the sidelines. In the middle of the field, much of what is hollered from the sidelines is just noise. This is true with youth and adult soccer. Of course, sometimes that noise gets annoying and even hostile. When that happens at a youth soccer match, the referee has to step in and stop the dissent or even the over coaching of those on the sidelines.

What does this view of soccer have to do with a cell group? As members of a cell, we are like the coach who watches the game without interruption waiting for appropriate moments like a substitution or half time to give guidance to the team. We need to listen, listen and listen some more before sharing thoughts with someone in the group. In other words, we need to avoid giving advice.

In our Group Covenant, we make a commitment to “LISTEN to each person when they speak, whether in words, actions, or attitudes.” People don’t need our advice and frankly, they probably won’t follow it when we give it. What they will listen to is our love and prayer support that we give by listening. Too many people have great ideas for what someone else should do and we are all too willing to share those ideas as advice.

When people share a problem, we need to listen. Of course, if you want people in your group to stop sharing personal issues, give them advice. Pretty soon, you will find that transparency is decreasing and people are not sharing significant personal concerns. Like the players on the field, your advice will go unheard because of the noise or it will become obnoxious and rejected.

Occasionally, someone in the group may actually say that they want to get the advice of the group. Even when this happens, the group needs to practice active listening, asking questions and hearing the issue from the view of the one sharing and avoid advice as much as possible. God may give you a word, but it is important to listen to the person sharing and listen to the Lord. Keep your advice to yourself. Oops! I just gave you some advice. LISTEN!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Treinadores de Futebol Podem Ser Desagradáveis

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Você entende muito sobre o jogo de futebol? É um esporte maravilhoso que permite que pessoas de todos os tamanhos compitam um contra o outro. Tive o privilégio de treinar e arbitrar futebol. Minha experiência no campo como um árbitro influenciou minha forma de treinar e me fez valorizar os treinadores que observam silenciosamente uma partida sem gritar instruções constantes do lado de fora. No meio do campo, muito do que é gritado das laterais é apenas barulho. Isso é real para o futebol juvenil e o adulto. E claro, às vezes esse barulho é irritante e até hostil. Quando isso acontece em um jogo de futebol juvenil, o árbitro deve intervir e parar a dissensão ou mesmo os conselhos excessivos daqueles que estão à margem.

O que essa visão do futebol tem a ver com uma célula? Como membros de uma célula, somos como o treinador que observa o jogo sem interrupção esperando momentos apropriados como uma substituição ou o meio tempo para dar orientação ao time. Precisamos ouvir, ouvir e ouvir um pouco mais antes de compartilhar pensamentos com alguém do grupo. Em outras palavras, precisamos evitar dar conselhos.

Em nosso Acordo do Grupo, nos comprometemos a “ESCUTAR a cada pessoa que falar, seja em palavras, ações ou atitudes”. As pessoas não precisam do nosso conselho e, francamente, provavelmente não irão segui-lo quando o damos. O que elas vão ouvir é o nosso apoio de amor e de oração que nós damos ao ouvir. Muitas pessoas têm grandes ideias para o que alguém deveria fazer e todos estamos dispostos a compartilhar essas ideias como conselhos.

Quando as pessoas compartilham um problema, precisamos ouvir. Se você quer que as pessoas do seu grupo parem de compartilhar problemas pessoais, dê-lhes conselhos. Em breve, você achará que a transparência está diminuindo e as pessoas não estão compartilhando preocupações pessoais significativas. Como os jogadores no campo, seu conselho ficará inaudível por causa do ruído ou se tornará desagradável e rejeitado.

Ocasionalmente, alguém do grupo pode realmente dizer que deseja obter o conselho do grupo. Mesmo quando isso acontece, o grupo precisa praticar a escuta ativa, fazer perguntas e ouvir a questão do ponto de vista de quem está compartilhando e evitar dar conselhos o máximo quanto possível. Deus pode dar uma palavra, mas é importante ouvir a pessoa compartilhar e ouvir o Senhor. Mantenha seu conselho para si mesmo. Opa! Eu acabei de te dar alguns conselhos. OUÇA!

Spanish blog:

Los entradores fútbol pueden ser fastidiosos

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

¿Conoces mucho acerca del fútbol? Es un deporte maravilloso que permite a personas de todos los tamaños competir entre sí. He tenido el privilegio de ser entrenador y árbitro de fútbol. Mi experiencia siendo árbitro ha influenciado mi manera de entrenar y ha causado que valore a los entrenadores que ven tranquilamente un partido sin gritar constantes instrucciones desde la banda. En la mitad de la cancha, la mayor parte de todo lo que se grita desde la banda, es solo ruido. Esto es pasa en el fútbol juvenil y mayor. Claro que en ocasiones ese ruido es molesto e incluso hostil. Cuando esto ocurre en un partido de fútbol juvenil, el árbitro tiene que intervenir y detener la inconformidad o incluso el exceso de instrucciones de los que están en las bandas.

¿Qué tiene que ver esta visión del fútbol con un grupo celular? Como miembros de la célula, somos como el entrenador que ve el partido sin interrupciones, esperando el momento indicado, como una sustitución o el medio tiempo para dar indicaciones al equipo. Necesitamos escuchar, escuchar y escuchar un poco más antes de compartir nuestros pensamientos con alguien en la célula. En otras palabras, necesitamos evitar dar consejo.

En nuestro Grupo Covenant, nos comprometemos a “ESCUCHAR a cada persona cuando hablan, ya sea en palabras, acciones o actitudes.” Francamente las personas no necesitan nuestro consejo, probablemente no lo sigan si se los damos.  Lo que escucharan es el amor y las oraciones que les brindaremos al escuchar.  Muchas personas tienen grandes ideas para lo que alguien más debe hacer y estamos muy dispuestos a compartir esas ideas como consejo.

Cuando las personas comparten un problema, necesitamos escuchar. Por supuesto, que si quiere que las personas en la célula dejen de compartir asuntos personales, deles consejo. Muy pronto, descubrirá que la transparencia disminuye y los miembros no compartirán problemas personales importantes. Al igual que los jugadores en la cancha, su consejo pasara inadvertido debido al ruido o será fastidioso y desechado.

En ocasiones, alguien en la célula puede realmente decir que quiere el consejo de los miembros. Incluso cuando esto sucede, la célula necesita practicar la escucha activa, hacer preguntas y escuchar el problema desde la visión de compartir y evitar el asesoramiento tanto como sea posible. Dios puede darle una palabra, pero es importante escuchar a la persona que comparte y escuchar al Señor. Mantenga su consejo para usted. ¡Vaya! acabo de darle un consejo. ¡ESCUCHE!

So What?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

When we began the transition to a cell church, I asked all of our groups to do sermon-based lessons. This week our youth minister asked for permission to do some lessons on identity, purity, and some other subjects related specifically to youth. We discussed the value of sermon-based groups and the more important principle of our groups being focused on biblical application.

I think that the unity developed with groups applying the sermon to their lives has been invaluable in the development of our ministry. Participants of all ages have been studying and applying the same biblical message. This focus has greatly enhanced our unity and shared vision for ministry.

A friend of mine used to tell me that whenever he taught or preached a sermon, he always asked the question “So what?” Think of any biblical text. For example, we are not that far from Easter. Let’s say that you are preaching about Simon the Cyrene carrying Jesus’ cross. You might have some great insights into this man who was able to carry the cross of Jesus. However, without answering the “So what” question you may just have an interesting story. The story takes on meaning when you are able to apply the story or message to your own life. So what? This question forces the speaker to consider how to apply the text.

I think that all groups studying and applying the same text has strengthened our church. It has meant that you could participate in any of our groups and participants would be learning the same lessons. It has also meant that only one person needed to develop the lesson material. Of course, we adapted lessons to apply to the participants. Many of the questions would be the same while some questions get changed for the youth or even for a women’s group.

Today, some of our groups use creative curriculum for their lessons. Most of our groups remain focused on sermon-based lessons. The subject material has not been our chief concern. We want people to apply the Word of God to their lives. It is great when the whole church is on the same subject. This is no longer a requirement for our groups, although it is still my preference.

The next time you prepare a lesson or a sermon, ask yourself, “So what?” What is the point of your message? How will people apply it? This questions keeps you focused on action not just entertainment. Go ahead and “So what?” this blog.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

E Daí?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Quando começamos a transição para uma igreja em células, pedi a todas as nossas células que fizessem lições baseadas no sermão. Esta semana nosso ministro de jovens pediu permissão para fazer algumas lições sobre identidade, pureza e alguns outros assuntos especificamente relacionados à juventude. Discutimos o valor das células baseadas na pregação e o princípio mais importante de nossos grupos serem focados na aplicação bíblica.

Penso que a unidade desenvolvida com as células que aplicam o sermão às suas vidas tem sido inestimável no desenvolvimento do nosso ministério. Participantes de todas as idades têm estudado e aplicado a mesma mensagem bíblica. Este enfoque aumentou muito a nossa unidade e a visão compartilhada para o ministério.

Um amigo meu costumava me dizer que sempre que ele ensinava ou pregava um sermão, ele sempre fazia a pergunta “E daí?”. Pense em qualquer texto bíblico. Por exemplo, não estamos muito longe da Páscoa. Vamos dizer que você está pregando sobre Simão de Cirene carregando a cruz de Jesus. Você pode ter algumas grandes ideias sobre este homem que foi capaz de carregar a cruz de Jesus. No entanto, sem responder à pergunta “E daí?”, você pode apenas ter uma história interessante. A história assume significado quando você é capaz de aplicar a história ou mensagem para sua própria vida. E daí? Esta questão obriga o orador a considerar como aplicar o texto.

Acho que o fato de todos os grupos estudarem e aplicarem o mesmo texto fortaleceu a nossa igreja. Isso significou que você poderia participar de qualquer um dos nossos grupos e os participantes estariam aprendendo as mesmas lições. Significou também que somente uma pessoa tinha que desenvolver o material da lição. É claro que nós adaptamos as lições para aplicar aos participantes. Muitas das perguntas permanecem as mesmas, enquanto outras são adaptadas para os jovens ou mesmo para uma célula mulheres.

Hoje, alguns de nossos grupos tem um currículo criativo para suas lições. A maioria dos nossos grupos permanece focada em lições baseadas nos sermões. O assunto não tem sido nossa principal preocupação. Queremos que as pessoas apliquem a Palavra de Deus em suas vidas. É ótimo quando toda a igreja está no mesmo assunto, mas isso não é mais um requisito para nossas células, embora ainda seja minha opção preferida.

A próxima vez que você preparar uma lição ou uma pregação, pergunte a si mesmo: “E daí?”. Qual é o ponto de sua mensagem? Como as pessoas vão aplicá-la? Essas perguntas mantêm você focado na ação, não apenas no entretenimento. Vá em frente e pergunte “E daí?” para este blog.

Spanish blog:

¿Y qué?

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Cuando comenzamos la transición a la iglesia celular, pedí a todos nuestros grupos que hicieran lecciones basadas en la predicación. Esta semana nuestro ministro juvenil pidió permiso para hacer algunas lecciones sobre identidad, pureza, y algunos otros temas relacionados específicamente con la juventud. Discutimos el valor de los grupos basados ​​en la predicación y el principio más importante de que nuestros grupos estén enfocados en la aplicación bíblica.

Creo que la unidad desarrollada con los grupos que aplican la predicación a sus vidas ha sido inestimable en el desarrollo de nuestro ministerio. Los participantes de todas las edades han estado estudiando y aplicando el mismo mensaje bíblico. Este enfoque ha mejorado mucho nuestra unidad y nuestra visión compartida en el ministerio.

Un amigo mío solía decirme que siempre que enseñaba o predicaba, siempre hacía la pregunta “¿Y qué?” Piensa en cualquier texto bíblico. Por ejemplo, no estamos tan lejos de la Pascua. Digamos que usted está predicando sobre Simón el Cirene llevando la cruz de Jesús. Usted puede tener algunas grandes ideas sobre este hombre que fue capaz de llevar la cruz de Jesús. Sin embargo, sin responder a la pregunta “¿Y qué?”, ​​Puede que tengas una historia interesante. La historia toma sentido cuando se puede aplicar la historia o el mensaje a su propia vida. ¿Y qué? Esta pregunta obliga al orador a considerar cómo aplicar el texto.

Creo que todos los grupos que estudian y aplican el mismo texto han fortalecido a nuestra iglesia. Esto significa que usted podría participar en cualquiera de nuestros grupos y los participantes estarían aprendiendo las mismas lecciones. También ha significado que sólo una persona necesita desarrollar el material de la lección. Por supuesto, hemos adaptado las lecciones para aplicar a los participantes. Muchas de las preguntas serían las mismas mientras que algunas preguntas se cambian para la juventud o incluso para un grupo de mujeres.

Hoy en día, algunos de nuestros grupos usan el currículo creativo para sus lecciones. La mayoría de nuestros grupos se concentran en las lecciones basadas en la predicación. El tema no ha sido nuestra principal preocupación. Queremos que la gente aplique la Palabra de Dios a sus vidas. Es grande cuando toda la iglesia está sobre el mismo tema. Esto ya no es un requisito para nuestros grupos, aunque sigue siendo mi preferencia.

La próxima vez que prepare una lección o un sermón, pregúntese: “¿Y qué?” ¿Cuál es el punto de su mensaje? ¿Cómo lo aplicará la gente? Esta pregunta te mantiene concentrado en la acción no sólo entretenimiento. Adelante y “¿Y qué?” Este blog.

The Best Outreach Activities

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

What are some of the outreach activities that have worked for you? Before you knew Christ, how did you get to know a Christian? What activities drew you closer to a Christian and closer to Christ? It would be interesting to hear what God used in your life. In fact, what helps you to connect to other Christians? Won’t those same things work to help you connect to unbelievers?

From what I can see, nothing works better than prayer. We need to pray to the Lord of the Harvest to send out workers (Matthew 10), and we need to be willing to be the workers. Nothing can substitute for our prayers for and with people in our Oikos who do not know Jesus. Frankly, I wonder if this is the one task that we fail the most at when doing outreach. We need to pray for God to change their heart of stone into a heart of flesh (Ezekiel 36:28). We need to listen to needs that are shared and pray with our friends for their needs. We need to pray about our hearts as well. What would happen if we asked an unchurched friend to pray for us.

There are many creative ideas for connecting to other people: sports party, block party, barbecue, dinner with friends, movie night, baby sitting for couples needing a night out, needs of the poor, marriage workshops, neighborhood cleanup, host neighborhood watch meeting, food co-op and more. Outreach activities that work are anything that helps you to build a relationship with someone who does not know Jesus. Some excellent ideas have been presented on this blog this month. When it comes down to it, the most creative idea is anything that helps us to build a personal relationship with someone who does not know Jesus.

We do our best outreach through our relationships, inviting people into our homes; doing things with the unchurched that they enjoy; becoming vulnerable and transparent; and anything else that builds genuine friendship. What do you need to do to love someone like Jesus does? Get to know them and introduce them to your friends, family, and your best friend Jesus Christ.

Pray with your cell for the people in your Oikos who do not know Jesus. Introduce your friends to your cell members. Spend time with them and for them in prayer. Expect Jesus to love your friend through you and to soften their heart towards him. Do it!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

As Melhores Atividades de Evangelismo

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Quais são algumas das atividades de evangelismo que funcionam para você? Antes de conhecer Cristo, como você conheceu um cristão? Que atividades o atraíram para mais perto de um cristão e mais perto de Cristo? Seria interessante ouvir o que Deus usou em sua vida. Na verdade, o que ajuda você a se conectar com outros cristãos? Essas mesmas coisas não ajudarão você a se conectar com os incrédulos?

Do modo que eu vejo, nada funciona melhor do que a oração. Precisamos orar ao Senhor da seara para enviar trabalhadores (Mateus 10), e precisamos estar dispostos a ser os trabalhadores. Nada pode substituir nossas orações pelas pessoas em nossos Oikos (círculos de relacionamentos) que não conhecem Jesus. Francamente, eu me pergunto se esta é a tarefa que nós mais falhamos ao fazer evangelismo. Precisamos orar para que Deus mude os corações de pedra em corações de carne (Ezequiel 36:28). Precisamos ouvir as necessidades que são compartilhadas e orar com nossos amigos por suas necessidades. Precisamos orar por nossos corações também. O que aconteceria se pedíssemos a um amigo sem igreja que orasse por nós?

Há muitas idéias criativas para se conectar a outras pessoas: festa de esportes, festa de quarteirão, churrasco, jantar com amigos, noite de cinema, cuidar de crianças para casais que precisam tirar uma noite de descanso, necessidades dos pobres, workshops de casamento, limpeza de bairro, confraternização com comidas e muito mais. Atividades de evangelismo que funcionam são qualquer coisa que te ajuda a construir um relacionamento com alguém que não conhece Jesus. Algumas ideias excelentes foram apresentadas neste blog este mês. Quando se trata disso, a ideia mais criativa é qualquer coisa que nos ajude a construir um relacionamento pessoal com alguém que não conhece Jesus.

Fazemos o nosso melhor evangelismo através de nossos relacionamentos, convidando as pessoas para nossas casas; fazendo coisas com os que não têm igreja; tornando-nos vulneráveis e transparentes; e qualquer outra coisa que construa uma amizade genuína. O que você precisa fazer para amar alguém como Jesus ama? Conhecê-los e apresentá-los aos seus amigos, familiares e seu melhor amigo Jesus Cristo.

Ore com sua célula para as pessoas em seu Oikos que não conhecem Jesus. Apresente seus amigos aos membros de sua célula. Passe tempo com eles e por eles em oração. Espere que Jesus ame seu amigo através de você e suavize seu coração para ele. Faça isso!

Spanish blog:

Las mejores actividades de alcance

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

¿Cuáles son algunas de las actividades de alcance que han funcionado para ti? Antes de conocer a Cristo, ¿cómo conociste a un cristiano? ¿Qué actividades te acercaron más a un cristiano y más cerca de Cristo? Sería interesante escuchar lo que Dios usó en su vida. De hecho, ¿Qué te ayuda a conectarte con otros cristianos? ¿Funcionarían esas mismas cosas para ayudar a conectarse con los inconversos?

Por lo que puedo ver, nada funciona mejor que la oración. Necesitamos orar al Señor de la Cosecha para que envíe trabajadores (Mateo 10), y tenemos que estar dispuestos a ser los trabajadores. Nada puede sustituir nuestras oraciones por y con la gente de nuestro Oikos que no conoce a Jesús. Francamente, me pregunto si esta es la única tarea en la que más fallamos para alcanzar almas. Necesitamos orar para que Dios cambie su corazón de piedra en un corazón de carne (Ezequiel 36:28). Necesitamos escuchar las necesidades que se comparten y orar con nuestros amigos por sus necesidades. Necesitamos orar también por nuestros corazones. ¿Qué pasaría si pedimos a un amigo inconverso que orara por nosotros?

Hay muchas ideas creativas para conectarse con otras personas: fiestas deportivas, fiestas de barrio, barbacoa, cena con amigos, noche de cine, cuidado de bebes para parejas que necesitan salir por la noche, necesidades de los pobres, talleres matrimoniales, limpieza del vecindario, Cooperativa de alimentos y más. Las actividades de extensión que funcionan son cualquier cosa que te ayude a construir una relación con alguien que no conoce a Jesús. Algunas ideas excelentes han sido presentadas en este blog este mes. Cuando se trata de ello, la idea más creativa es cualquier cosa que nos ayude a construir una relación personal con alguien que no conoce a Jesús.

Hacemos nuestro mejor alcance a través de nuestras relaciones, invitando a la gente a nuestros hogares; Haciendo cosas con los inconversos que disfrutan; Vulnerabilidad y transparencia; Y cualquier otra cosa que construya amistad genuina. ¿Qué necesitas hacer para amar a alguien como Jesús? Conocerlos y presentarlos a sus amigos, familiares y su mejor amigo Jesucristo.

Oren con su célula por las personas en su Oikos que no conocen a Jesús. Presente sus amigos a los miembros de su célula. Pasen tiempo con ellos y oren con ellos. Espere que Jesús ame a su amigo a través de usted y suavice su corazón hacia él. ¡Hazlo!

How Healthy Is Your Body?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

Don’t most of us realize that one of the best things we can do when we are depressed is to go serve someone else? Don’t we also understand how much better we feel when we get some exercise? Our bodies are made to be active in order to stay healthy. Isn’t this also true of the Body of Christ? Just the simple process of breathing, inhaling and exhaling are necessary for the human body and they are necessary in the Body of Christ as well. Don’t you agree?

Jesus said that we are the salt of the earth and we need to be careful that we don’t lose our saltiness (Matthew 5:13). In the very next verse he says that we are the light of the world and then challenges us with the instruction to “let your light shine before others, that they may see your good deeds and glorify your Father in heaven” (Matthew 5:14).

I am amazed that Jesus sent out the disciples in groups of two within months of inviting them to follow him. He didn’t wait for them to understand everything about his mission before he sent them on mission. In case you think this was just for the original twelve, look at Luke 10 when Jesus sends out the 72 to do the same ministry that the twelve did six months earlier.  What really amazes me is that these men were on the other side of Pentecost and ministering before Jesus died on the cross. If they were doing outreach, shouldn’t we all be doing it too?                                                              

I have not had great success meeting strangers and inviting them to faith in Jesus Christ. However, I have seen many people come to know Christ through relationships especially when those relationships are connected to others who know Christ as well.

Most people come to know Christ through their relationships with friends or family, their Oikos. Last night one of our leaders shared how a coworker invited him and his wife to a Billy Graham Crusade. His wife was sure that he would say no because he was openly hostile towards God. However, he had always wanted to hear Billy Graham. That night, he and his wife gave their lives to Christ and they soon joined the church of his wife’s coworker. Wasn’t this Oikos evangelism? Even mass evangelism is affected by our relationships. Pray to the Lord of the Harvest to send out workers into his harvest field (Luke 10:2). Pray with your cell and pray for opportunities to be those workers through your relationships. The world and someone you know is waiting for you to care.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quão Saudável É o Seu Corpo?

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

A maioria de nós não percebe que uma das melhores coisas que podemos fazer quando estamos deprimidos é ir servir alguém? Também não entendemos o quão melhor nos sentimos quando fazemos algum exercício? Nosso corpo é feito para ser ativo, a fim de se manter saudável. Isto também não é verdadeiro no Corpo de Cristo? O simples processo de respirar, inalar e exalar é necessário para o corpo humano e ele também é necessário no Corpo de Cristo. Você não concorda?

Jesus disse que somos o sal da terra e precisamos ter cuidado para não perdermos a salinidade (Mateus 5:13). No versículo seguinte, ele diz que somos a luz do mundo e então nos desafia com a instrução de “brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (Mateus 5:16).

Fico espantado por Jesus ter enviado os discípulos em duplas depois de tê-los convidado a segui-lo há alguns meses. Ele não esperou que eles entendessem tudo sobre sua missão antes de enviá-los em missão. No caso de você pensar que isto era apenas para os doze originais, olhe para Lucas 10 quando Jesus envia os 72 discípulos para fazerem o mesmo ministério que os doze fizeram seis meses antes. O que eu realmente acho incrível é que esses homens estavam do outro lado do Pentecostes e ministraram antes que Jesus morresse na cruz. Se eles estavam evangelizando, não deveríamos todos fazer isso também?

Eu não tive grande sucesso encontrando estranhos e convidando-os para a fé em Jesus Cristo. No entanto, tenho visto muitas pessoas conhecendo Cristo através de relacionamentos, especialmente quando esses relacionamentos estão ligados a outras pessoas que também conhecem Cristo.

A maioria das pessoas conhece Cristo através de seus relacionamentos com amigos ou familiares, seus Oikos (círculos de convivência). Ontem à noite um de nossos líderes compartilhou como um colega de trabalho o convidou junto com sua esposa para uma Cruzada do Billy Graham. Sua esposa tinha certeza de que ele diria não porque ele era abertamente hostil a Deus. No entanto, ele sempre quis ouvir Billy Graham. Naquela noite, ele e sua esposa deram suas vidas a Cristo e logo se juntaram à igreja do colega de trabalho de sua esposa. Isso não foi um evangelismo de Oikos? Até o evangelismo em massa é afetado por nossos relacionamentos. Ore ao Senhor da seara para enviar trabalhadores para Sua seara (Lucas 10:2). Ore com sua célula e orem por oportunidades para serem esses trabalhadores através de seus relacionamentos. O mundo e alguém que você conhece estão esperando pelo seu cuidado.

Spanish blog:

¿Qué tan saludable es tu cuerpo?

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

¿No nos damos cuenta de que una de las mejores cosas que podemos hacer cuando estamos deprimidos es ir a servir a alguien? ¿No comprendemos también que nos sentimos mejor cuando hacemos ejercicio? Nuestros cuerpos están hechos para ser activos para mantenerse saludable. ¿No es esto también cierto del Cuerpo de Cristo? Sólo el simple proceso de respiración, inhalación y exhalación son necesarios para el cuerpo humano y también son necesarios en el Cuerpo de Cristo. ¿No estás de acuerdo?

Jesús dijo que nosotros somos la sal de la tierra y necesitamos tener cuidado de no perder nuestra salinidad (Mateo 5:13). En el versículo siguiente dice que somos la luz del mundo y luego nos desafía con la instrucción de “que tu luz brille delante de los demás, para que vean vuestras buenas obras y glorifiquen a vuestro Padre que está en los cielos” (Mateo 5:14).

Me sorprende que Jesús envió a los discípulos en grupos de dos después de meses de invitarlos a seguirlo. No esperó a que entendieran todo acerca de su misión antes de enviarlos en misión. En caso de que pienses que esto fue solo para los doce originales, mira Lucas 10 cuando Jesús envía a los 72 para hacer el mismo ministerio que los doce hicieron seis meses antes. Lo que realmente me asombra es que estos hombres estuvieron al otro lado de Pentecostés y ministraron antes de que Jesús muriera en la cruz. Si ellos estuvieron evangalizando, ¿no deberíamos todos hacerlo también?

No he tenido gran éxito conociendo a extraños e invitándolos a la fe en Jesucristo. Sin embargo, he visto a muchas personas llegar a conocer a Cristo a través de las relaciones, especialmente cuando esas relaciones están conectadas con otros que conocen a Cristo también.

La mayoría de la gente viene a conocer a Cristo a través de sus relaciones con amigos o familiares, sus Oikos. Anoche uno de nuestros líderes compartió cómo un compañero de trabajo lo invitó a él y a su esposa a una Cruzada de Billy Graham. Su esposa estaba segura de que no diría porque estaba abiertamente hostil hacia Dios. Sin embargo, siempre había querido escuchar a Billy Graham. Esa noche, él y su esposa dieron su vida a Cristo y pronto se unieron a la iglesia del compañero de trabajo de su esposa. ¿No era este evangelismo de Oikos? Incluso la evangelización en masa es afectada por nuestras relaciones. Oremos al Señor de la Cosecha para que envíe obreros a su campo de la cosecha (Lucas 10: 2). Ore con su célula y ore por las oportunidades de ser esos trabajadores a través de sus relaciones. El mundo y alguien que usted conoce le está esperando para cuidar.

What if I Fall?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

Have you watched an child  move through the stages of development eventually learning how to walk? Someone once said that the reason children are born small is so that they don’t have far to fall. The fact is that a toddler learns to walk by crawling, rolling, stretching, wobbling, and falling. Can you imagine trying to teach a toddler to walk by giving them a book, a PowerPoint presentation, or showing them a video? If they could understand any of them, could they really hold still long enough to hear the whole lesson?

My six-month old grandson is slowly trying to push himself across the floor. He stands on shaky legs if you hold him in an upright position. His main method of learning is by placing things in his mouth. Today he learned that strawberries are not always sweet and his faced expressed his reaction.

Surely, I am stating the obvious. A baby learns to walk by trial and error, by doing and falling. That is how people learn to lead as well. I don’t say “walk” to my grandson and then let him go. Neither would I tell a new believer to lead a group without step by step support.

This week a man called me to ask about the Life Group that meets in our home. He said that he is not worthy to attend. When he shared how angry he was with God because of the death of his child, I understood some of his reservation. While he has tried to attend our Sunday celebration, I do realize that this man will need help before he is ready to lead others in a cell setting. However, this same person asked me to invite his friend to the Life Group. . He had tried to get this person to attend without him. Interesting, he is already on the road of leadership development.

Some of the members of our group have difficulty reading out loud. Some are introverted and quiet. However, I recall a time recently when I had to hand the notes to one of them and asked them to read the questions. This person did an excellent job even though they would never think they could lead. During a group meeting, I work to involve everybody in the conversation, sometimes even limiting the participation of those who are most talkative. It is amazing to hear some of the insights of people who do not normally share.

Is there really any better method to learn than by doing and falling?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

E Se Eu Cair?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Você já assistiu uma criança avançando pelos estágios de desenvolvimento e, eventualmente, aprendendo a andar? Alguém disse uma vez que a razão pela qual as crianças nascem pequenas é para que elas não tenham que cair do alto. O fato é que uma criança aprende a caminhar rastejando, rolando, se esticando, balançando e caindo. Você pode imaginar tentar ensinar uma criança a andar dando-lhe um livro, uma apresentação em PowerPoint, ou mostrando-lhe um vídeo? Se elas pudessem entender qualquer uma dessas coisas, elas conseguiriam realmente esperar o suficiente para ouvir toda a lição?

Meu neto de seis meses está tentando lentamente se empurrar através do chão. Ele fica com as pernas trêmulas se você segurá-lo em uma posição vertical. Seu principal método de aprendizagem é colocar as coisas em sua boca. Hoje ele aprendeu que os morangos nem sempre são doces e seu rosto expressou sua reação.

Certamente, estou afirmando o óbvio. Um bebê aprende a andar por tentativa e erro, fazendo e caindo. É assim que as pessoas aprendem a liderar também. Eu não digo “ande” para o meu neto e depois o deixo ir. Muito menos diria a um novo convertido para liderar um grupo sem um apoio de passo a passo.

Esta semana um homem me chamou para perguntar sobre o Grupo de Vida (célula) que se reúne em nossa casa. Ele disse que não é digno de participar. Quando ele compartilhou quão zangado estava com Deus por causa da morte de seu filho, eu entendi o motivo de suas reservas. Embora ele tenha tentado assistir a nossa celebração de domingo, eu percebo que este homem vai precisar de ajuda antes de estar pronto para liderar outras pessoas em um ambiente celular. No entanto, esse mesmo homem me pediu para convidar seu amigo para o Grupo de Vida. Ele tinha tentado fazer com que essa pessoa comparecesse sem ele. Interessante, ele já está no caminho do desenvolvimento da liderança.

Alguns dos membros do nosso grupo têm dificuldade em ler em voz alta. Alguns são introvertidos e quietos. No entanto, eu me lembro de um momento recentemente quando tive que entregar as notas para um deles e pedi-lhe para ler as perguntas. Esta pessoa fez um excelente trabalho mesmo que nunca pensasse que poderia liderar. Durante uma reunião de grupo, eu trabalho para envolver todos na conversa, às vezes até mesmo limitando a participação daqueles que são mais falantes. É incrível ouvir algumas das percepções de pessoas que normalmente não compartilham.

Existe realmente algum método melhor para aprender do que fazendo e caindo?

Spanish blog:

¿Qué pasa si me caigo?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

¿Has visto a un niño moverse a través de las etapas del desarrollo eventualmente aprendendo a caminar? Alguien dijo una vez que la razón por la cual los niños nacen pequeños es para que no tengan mucho que caer. El hecho es que un niño pequeño aprende a caminar gateando, rodando, estirándose, bamboleando y cayéndose. ¿Se puede imaginar tratando de enseñar a un niño pequeño a caminar dándoles un libro, una presentación en PowerPoint o mostrándoles un video? Si ellos pudieran entender cualquiera de ellos, ¿Podrían realmente mantenerse quietos lo suficiente para escuchar toda la lección?

Mi nieto de seis meses está tratando lentamente de empujarse por el suelo. Se pone de pie en las piernas temblorosas si usted lo mantiene en una posición vertical. Su principal método de aprendizaje es poner las cosas en su boca. Hoy se enteró de que las fresas no siempre son dulces y su cara expresó su reacción.

Seguramente, estoy declarando lo obvio. Un bebé aprende a caminar por ensayo y error, por hacer y por caer. Así es como la gente aprende a liderar también. No le digo “camina” a mi nieto y luego lo dejo ir. Tampoco diría a un nuevo creyente que dirija a un grupo sin apoyo paso a paso.

Esta semana un hombre me llamó para preguntarme acerca del Grupo de Vida que se reúne en nuestra casa. Dijo que no es digno de asistir. Cuando compartió lo airado que estaba con Dios por la muerte de su hijo, entendí algunas de sus reservas. Mientras él ha tratado de asistir a nuestra celebración del domingo, me doy cuenta de que este hombre va a necesitar ayuda antes de que esté listo para dirigir a otros en un entorno celular. Sin embargo, esta misma persona me pidió que invitara a su amigo al Grupo de Vida. Había intentado que esa persona asistiera sin él. Interesante, ya está en el camino del desarrollo del liderazgo.

Algunos de los miembros de nuestro grupo tienen dificultades para leer en voz alta. Algunos son introvertidos y callados. Sin embargo, recuerdo un tiempo reciente cuando tuve que entregar las notas a uno de ellos y les pedí que leyeran las preguntas. Esta persona hizo un trabajo excelente a pesar de que nunca pensaría que podría dirigir el grupo. Durante una reunión de grupo, trabajo para involucrar a todos en la conversación, a veces incluso limitando la participación de aquellos que son más habladores. Es increíble escuchar algunas de las ideas de personas que normalmente no comparten.

¿Hay realmente un mejor método para aprender, aparte de hacer y caer?

Bill

Leaders Are Free to Listen to The Lord

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

When we formed our prototype groups a few years ago, we worked hard to maintain a similar structure and format to our meetings. It was important to develop a mindset for relational ministry that would last after the initial phases. Today, our groups maintain the general format of Welcome (icebreaker question), Worship (songs are prepared ahead), Word (application of the text from the Sunday sermon), and Witness/Work (connecting the Word to our unchurched friends and family). Although the general format is the same for each group, leaders have the freedom and responsibility to adjust their group experience to meet the needs of the their group.

As I wrote the paragraph above I thought of the many ways that group leaders adjust the components to meet the needs of their groups. A Ladies’ Group prepares songs for their group and even does studies that don’t follow the Sunday sermon. A Men’s Group does not sing but they worship with the Word and prayer. A Youth Group selects music that fits their culture and adjusts the study to apply to the lives of our youth. Application of the Word of God to life is paramount to every group. Each group utilizes the gifts of the spirit to minister to and with one another. Most important, every group is committed to reaching their Oikos with the love of Christ and to introduce them to people in their groups.

Group leaders who understand the principles of cell ministry need to be able to adjust the cell meeting to fit the needs of their group. The principles of cell ministry are what matter not the precise plan that I have written. I want our people to minister to one another, to apply the Word of God to their lives, and to build relationships with the unchurched in their Oikos. I want the groups to get to know the people that others in their group care about reaching for Christ. I want them to be free to meet needs even if that means veering from the prescribed plan and maybe even jettisoning it completely.

Last week one of the leaders of a Girls Youth Group talked about how she changed the whole plan to minister to some specific needs of people in her group. Inside I started to say whoa and then I thought about the incredible ministry time that they had and I quickly affirmed what she had done. God is in control, not me. I trust the leaders to listen to the needs of their group and to listen to the Lord.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Os Líderes São Livres Para Ouvirem o Senhor

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Quando formamos nossos grupos protótipos há alguns anos atrás, trabalhamos duro para manter uma estrutura e um formato semelhantes em nossas reuniões. Era importante desenvolver uma mentalidade para um ministério relacional que duraria após as fases iniciais. Hoje, nossos grupos mantêm o formato geral de Boas-vindas (pergunta quebra-gelo), Adoração (louvores preparados antecipadamente), Palavra (aplicação do texto do sermão dominical) e Testemunhos/Obra (conectando a Palavra aos nossos amigos e família não convertidos). Embora o formato geral seja o mesmo para cada grupo, os líderes têm a liberdade e a responsabilidade de ajustar sua experiência de grupo para atender às necessidades de seu grupo.

Conforme eu escrevia o parágrafo acima, eu pensei sobre as muitas maneiras que os líderes de célula ajustam os componentes para satisfazer as necessidades de seus grupos. Um grupo de mulheres prepara canções para seu grupo e até faz estudos que não seguem o sermão do domingo. Um grupo de homens não canta, mas eles adoram com a palavra e a oração. Um grupo de jovens seleciona músicas que se encaixam em sua cultura e ajusta o estudo para se aplicar às suas vidas. A aplicação da Palavra de Deus à vida é primordial para cada grupo. Cada grupo utiliza os dons do espírito para ministrar uns aos outros. Mais importante ainda, eles estão empenhados em alcançar os círculos relacionais (Oikos) de cada membro com o amor de Cristo e apresentá-los às pessoas do grupo.

Os líderes de célula que entendem os princípios do ministério celular precisam ser capazes de ajustar a reunião celular para atender às necessidades de seu grupo. Os princípios do ministério celular são o que não importa, e não o plano preciso que eu escrevi. Quero que nosso povo sirva uns aos outros, aplique a Palavra de Deus em suas vidas e construa relacionamentos com os não convertidos em seus Oikos. Eu quero que os grupos conheçam as pessoas com as quais os membros se preocupam para que elas alcancem a Cristo. Eu quero que eles sejam livres para atender às necessidades, mesmo que isso signifique se afastar do plano prescrito e talvez até mesmo descartá-lo completamente.

Na semana passada, uma das líderes de um Grupo de Moças Jovens falou sobre como ela mudou todo o plano para ministrar a algumas necessidades específicas das pessoas de seu grupo. Dentro de mim comecei a dizer “uau” e então eu pensei sobre o tempo de ministério incrível que elas tiveram e eu rapidamente dei respaldo ao que ela tinha feito. Deus está no controle, não eu. Confio nos líderes para escutarem as necessidades de seu grupo e para ouvirem o Senhor.

Spanish blog:

Los líderes son libres de escuchar al Señor

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Cuando formamos nuestros grupos de prototipos hace unos años atrás, trabajamos duro para mantener una estructura y formato similar a nuestras reuniones. Era importante desarrollar una mentalidad para el ministerio relacional que duraría después de las fases iniciales. Hoy en día, nuestros grupos mantienen el formato general de Bienvenida (pregunta del rompehielos), Adoración (canciones preparadas por adelantado), Palabra (aplicación del texto de la predicación dominical) y Testimonios/ Trabajo (conectando la Palabra a nuestros amigos y familia sin iglesia). Aunque el formato general es el mismo para cada grupo, los líderes tienen la libertad y la responsabilidad de ajustar su experiencia grupal para satisfacer las necesidades de su grupo.

Al escribir el párrafo anterior, pensé en las muchas maneras en que los líderes de grupo ajustan los componentes para satisfacer las necesidades de sus grupos. Un Grupo de Damas prepara canciones para su grupo e incluso hace estudios que no siguen la predicación dominical. Un grupo de hombres no canta, sino que adoran con la Palabra y la oración. Un grupo de jóvenes selecciona música que se adapta a su cultura y ajusta el estudio para aplicarlo a las vidas de nuestros jóvenes. La aplicación de la Palabra de Dios a la vida es primordial para cada grupo. Cada grupo utiliza los dones del espíritu para ministrar entre sí. Lo más importante es que cada grupo está comprometido a alcanzar a sus Oikos con el amor de Cristo y a presentarlos a las personas de sus grupos.

Los líderes de grupo que entienden los principios del ministerio celular deben ser capaces de ajustar la reunión celular para adaptarse a las necesidades de su grupo. Los principios del ministerio celular son lo que no importa el plan exacto que he escrito. Quiero que nuestro pueblo se ministre unos a otros, que aplique la Palabra de Dios en sus vidas y que establezca relaciones con los inconversos en su Oikos. Quiero que los grupos conozcan a la gente ya que otros en su grupo se preocupan de alcanzar a Cristo. Quiero que sean libres para satisfacer las necesidades, incluso si eso significa cambiar el plan prescrito y tal vez incluso deshacerse de él por completo.

La semana pasada, uno de los líderes de un grupo juvenil de chicas habló sobre cómo cambió todo el plan para ministrar a algunas necesidades específicas de las personas de su grupo. En el interior empecé a decir wow y luego pensé en el tiempo de ministerio increíble que tenían y rápidamente afirmó lo que había hecho. Dios está en control, no yo. Confío en que los líderes escuchen las necesidades de su grupo y escuchen al Señor.

Bill

Fog and Rearview Mirrors

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

This week we have had fog almost every evening. Fog on a mountain road can be very dangerous. The curves are dangerous enough in the dark but even more precarious when you can only see a few feet in front of you. We drove some of our students home from the Youth Life Group and I could barely see in my rearview mirror because of the fog. One of the girls has such a steep drive that I was sure we were going to back off the driveway and careen down the hill. It didn’t help that I remembered her mother doing just that with their Jeep. Do you ever feel that your ministry is in a fog without a rearview mirror?

Just like we need to be able to see where we are going when driving, it helps to plan where we are going in ministry. I don’t make New Year’s resolutions but I do like to take the time at the end of the year to evaluate where we have been and to give some thought to what we may need to change in the future. My leadership team evaluates me at the end of each year. This is a time for them to encourage me for some of the growth that we have experienced and to look for areas that may need improvement. I have found these times of evaluation to be inspiring and even deeply moving. Rather than fearing the evaluation, I look forward to them. Sometimes they even come with financial rewards as well.

How clearly can you see where you need to go this year? Have you take time to evaluate the successes, weaknesses and challenges of the last year? Have your cell leaders taken inventory? Have they looked back as well as looked to the future. Moving forward without planning is a little like driving in a fog without a rearview mirror. You and your groups are vulnerable to making mistakes or just pulling off the road and stopping because you have not planned as a team for the future.

We all know that resolutions get quickly forgotten. Good planning and wise counsel can help you in the foggiest of times. Solomon has some good thoughts about planning. Proverbs 15:22 “Plans fail for lack of counsel, but with many advisers they succeed.” Proverbs 16:3 “Commit to the LORD whatever you do, and he will establish your plans.” Proverbs 19:21 “Many are the plans in a person’s heart, but it is the LORD’s purpose that prevails.” Proverbs 20:18 “Plans are established by seeking advice; so if you wage war, obtain guidance.”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Neblina e Espelhos Retrovisores

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Essa semana tivemos nevoeiro quase todas as noites. Nevoeiro em uma estrada de montanha pode ser muito perigoso. As curvas são bastante perigosas no escuro, mas ainda mais precárias quando você só pode ver alguns metros na frente de você. Nós estávamos levando alguns de nossos estudantes para casa depois da célula e eu mal podia enxergar no meu espelho retrovisor por causa da névoa. Uma das meninas dirigiu tão bruscamente que eu estava certo de que íamos sair da estrada e descer colina abaixo. Não ajudou que eu me lembrasse de sua mãe fazendo exatamente isso com seu Jeep. Você já sentiu que seu ministério está em uma névoa sem um espelho retrovisor?

Assim como precisamos ser capazes de ver onde estamos indo ao dirigir, ajuda planejar onde vamos no ministério. Eu não faço resoluções de Ano Novo, mas eu gosto de tirar um tempo no final do ano para avaliar onde estamos e para pensar um pouco sobre o que pode ser necessário mudar no futuro. Minha equipe de liderança me avalia no final de cada ano. Este é um tempo para eles me encorajarem para o crescimento que temos experimentado e para procurar áreas que podem precisar de melhoria. Eu descobri que esses momentos de avaliação são inspiradores e até mesmo profundamente comoventes. Em vez de temer a avaliação, eu a aguardo com expectativa. Às vezes, eles ainda vêm com recompensas financeiras.

Quão claramente você pode ver onde precisa ir neste ano? Você tem tempo para avaliar os sucessos, fraquezas e desafios do ano passado? Os seus líderes de célula fizeram um inventário? Eles olharam para trás, bem como para o futuro? Avançar sem planejamento é um pouco parecido como dirigir em um nevoeiro sem um espelho retrovisor. Você e suas células são vulneráveis a cometer erros ou apenas sair da estrada e parar porque vocês não planejaram o futuro como uma equipe.

Todos nós sabemos que as resoluções são esquecidas facilmente. Um bom planejamento e conselhos sábios podem e ajudar nos períodos mais nebulosos. Salomão tem alguns bons pensamentos sobre o planejamento. Provérbios 15:22: “Onde não há conselho, frustram-se os projetos; mas com a multidão de conselheiros se estabelecem”. Provérbios 16:3: “Entrega ao Senhor as tuas obras, e teus desígnios serão estabelecidos”. Provérbios 19:21: “Muitos são os planos no coração do homem; mas o desígnio do Senhor, esse prevalecerá”. Provérbios 20:18: “Os projetos se confirmam pelos conselhos; assim, pois, com prudência faze a guerra”.

Spanish blog:

Niebla y retrovisores

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Esta semana hemos tenido niebla casi todas las noches. La niebla en una carretera de montaña puede ser muy peligrosa. Las curvas son bastante peligrosas en la oscuridad, pero aún más precarias cuando sólo puedes ver unos pocos metros delante de ti. Condujimos a algunos de nuestros estudiantes a casa del Grupo de vida de Jóvenes y podía ver muy poco por el retrovisor debido a la niebla. Una de las chicas tenía una unidad tan empinada que estaba seguro de que íbamos a salirnos bajando la colina. No me ayudó recordar a su madre haciendo eso con su Jeep. ¿Alguna vez ha sentido que su ministerio se está nublando sin un retrovisor?

Al igual que tenemos que ser capaces de ver a dónde vamos cuando conducimos, ayuda a planificar hacia dónde vamos en el ministerio. No hago resoluciones de Año Nuevo, pero me gusta tomar el tiempo al final del año para evaluar dónde hemos estado y para reflexionar sobre lo que puede que tengamos que cambiar en el futuro. Mi equipo de liderazgo me evalúa al final de cada año. Este es un tiempo para que me alienten por algo del crecimiento que hemos experimentado y para buscar áreas que pueden necesitar mejoras. He encontrado que estos tiempos de evaluación son inspiradores e incluso profundamente conmovedores. En lugar de temer la evaluación, los espero con interés. A veces incluso vienen con recompensas financieras también.

¿Con cuánta claridad puede ver dónde tiene que ir este año? ¿Ha tomado tiempo para evaluar los éxitos, debilidades y desafíos de este año que paso? ¿Han tenido sus líderes celulares inventario? Han mirado hacia atrás, así como miró hacia el futuro. Avanzar sin planificación es un poco como conducir en la niebla sin un retrovisor. Usted y sus grupos son vulnerables a cometer errores o simplemente dejar el camino y detenerse porque no han planeado como un equipo para el futuro.

Todos sabemos que las resoluciones se olvidan rápidamente. Buena planificación y consejo sabio puede ayudarle en los tiempos más nublados. Solomon tiene buenos pensamientos sobre la planificación. Proverbios 15:22 “Los planes fracasan por falta de consejo, pero con muchos consejeros tienen éxito”. Proverbios 16: 3 “Confía al SEÑOR lo que hagas, y él establecerá tus planes.” Proverbios 19:21 “Muchos son los planes en el corazón de una persona, pero es el propósito del SEÑOR que prevalece.” Proverbios 20:18 “Los planes se establecen por consejo, por lo que, si usted hace la guerra, obtenga orientación.”

Bill

Who Is Beside You?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

In 1 Thessalonians 5:11, we are challenged to “encourage one another and build each other up.” In verse 12 “to acknowledge those who work hard among you.” Then in verse 14, we are urged to  “encourage the disheartened.” Literally, the word for encourage is to call to one’s side. Sometimes it is actually translated to plead with someone like when Jairus pleaded with Jesus to heal his daughter. Jesus uses the word in his blessing for those who mourn in “for they will be comforted” (Matthew 5:4). The strength of encouragement is in the act of coming alongside of another. I think that one of the strengths of the cell structure is that we are constantly calling people to our side.

When I am coaching my cell leaders, I want to come by their side and encourage them personally and in their work. One question I ask every time we meet is how I can help them. I listen to the good things that are happening in their cells and I listen to their challenges. I don’t try to give them advice, instead I want stand at their side and encourage what they are doing. The best way I can do this is to pray with them and for them.

As we near the end of the year, we are thinking about the coming of the Jesus our Messiah who came to be with us. He is God with us. When Jesus ascended to Heaven, he told us that he was sending the Holy Spirit to come alongside of us. The Comforter, the encourager, is with us and helps us to serve the Lord and one another. God the Spirit calls us to his side and then encourage us to call people to our side. This should be the work we do when we are coaching; when we are meeting in a cell; when we are ministering to someone who does not yet know Christ.

When our second son began playing soccer, he was more concerned with the other players than he was with scoring. More than once, a player from the other team would fall to the ground and instead of taking advantage of the moment, he would stop and help the other child to his feet. He understood the role of calling someone to his side. For the strongly competitive, he would have been ridiculed. I like the picture I see of him assisting even a competitor. This is the work we are to do for our cell leaders. Maybe our best coaching is a hug and a prayer at another’s side. What do you think?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quem está ao seu lado?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Em 1Tessalonicenses 5:11, nós somos desafiados a “encorajar uns aos outros e edificar uns aos outros”. No verso 12 diz para “ter consideração para com os que se esforçam no trabalho entre vocês”. E no verso 14, somos exortados a “encorajar os desanimados”. Literalmente, a palavra “encorajar” é chamar para perto. Na verdade, algumas vezes ela é traduzida como “implorar para alguém”, como quando Jairo implorou para Jesus curar sua filha. A força do encorajamento está no ato de chamar para perto. Jesus usa a palavra em sua bênção para aqueles que choram “porque eles serão consolados” (Mateus 5: 4). Eu acredito que um dos fortes da estrutura celular é que nós estamos constantemente chamando as pessoas para perto de nós.

Quando eu treino meus líderes de célula, eu quero estar ao lado deles e encorajá-los pessoalmente em seus trabalhos. Uma pergunta que eu faço toda vez que nós encontramos é “como eu posso ajudá-los”. Eu ouço sobre as coisas boas que estão acontecendo em suas células e escuto seus desafios. Eu não tento dar conselhos á eles, ao invés disso eu desejo estar ao lado deles e encorajar aquilo que eles estão fazendo. A melhor maneira que eu posso fazer isso é orar com eles e por eles.

Como estamos próximos do fim do ano, nós estamos pensando sobre a vinda de Jesus, nosso Messias, que veio para nós. Ele é Deus conosco. Quando Jesus ascendeu ao céu, Ele nos disse que enviaria o Espírito Santo para ficar ao nosso lado. O Consolador, o Encorajador, está conosco e nos ajuda a servir o Senhor e uns aos outros. O Espírito de Deus nos chama para perto e então nos encoraja a chamarmos pessoas para perto de nós. Este deve ser o trabalho que fazemos quando estamos treinando; quando nos reunimos em uma célula; quando estamos ministrando alguém que ainda não conhece Cristo.

Quando o nosso segundo filho começou a jogar futebol, ele se preocupava mais com os outros jogadores do que com a pontuação. Mais de uma vez, um jogador do outro time caía no chão e, ao invés de tirar vantagem do momento, ele parava e ajudava a outra criança. Ele entendeu a função de trazer alguém para perto. Para alguém muito competitivo, ele teria sido ridicularizado. Eu gosto da imagem que tenho dele ajudando até mesmo um competidor. Este é o trabalho que devemos fazer com os nossos líderes de células. Talvez o nosso melhor treino seja um abraço e uma oração ao lado de outro. O que você acha?

Spanish blog:

¿Quién está a tu lado?

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

En 1 Tesalonicenses 5:11, nos desafían a “animarnos unos a otros y edificaos los unos a otros”. En el versículo 12 “para reconocer a los que trabajan duro entre ustedes”. Luego, en el versículo 14, se nos insta a “animar a los desanimados”. Literalmente, la palabra para animar es llamar a un lado. A veces se traduce realmente para abogar con alguien como cuando Jairo le rogó a Jesús que sanara a su hija. Jesús usa la palabra en su bendición para los que lloran “porque ellos serán consolados” (Mateo 5: 4). La fuerza del estímulo está en el acto de venir al lado de otro. Creo que una de las fortalezas de la estructura celular es que estamos constantemente llamando a la gente a nuestro lado.

Cuando estoy entrenando a los líderes de mi célula, quiero estar a su lado y animarlos personalmente y en su trabajo. Una pregunta que hago cada vez que nos reunimos es cómo puedo ayudarlos. Escucho las cosas buenas que están sucediendo en sus células y escucha sus desafíos. No trate de darles consejos, sino que quiero estar a su lado y animar a lo que están haciendo. La mejor manera que puedo hacer esto es orar con ellos y por ellos.

Al acercarnos al final del año, estamos pensando en la venida del Jesús nuestro Mesías que vino a estar con nosotros. Él es Dios con nosotros. Cuando Jesús subió al Cielo, nos dijo que estaba enviando al Espíritu Santo para que viniera al lado de nosotros. El Consolador, el animador, está con nosotros y nos ayuda a servir al Señor y a los demás. Dios el Espíritu nos llama a su lado y nos anima a llamar a la gente a nuestro lado. Este debe ser el trabajo que hacemos cuando estamos entrenando; Cuando nos encontramos en una célula; Cuando estamos ministrando a alguien que aún no conoce a Cristo.

Cuando nuestro segundo hijo comenzó a jugar al fútbol, ​​estaba más preocupado con los otros jugadores que con anotar el gol. Más de una vez, un jugador del otro equipo cayó al suelo y en lugar de aprovechar el momento, se detuvo y ayudó al otro niño a ponerse en pie. Comprendía el papel de llamar a alguien a su lado. Para el fuertemente competitivo, habría sido ridiculizado. Me gusta la imagen que veo de él ayudando incluso a un competidor. Este es el trabajo que debemos hacer para nuestros líderes celulares. Tal vez nuestro mejor entrenamiento sea un abrazo y una oración al lado de otro. ¿Qué piensas?

Bill

Let Us Prophesy

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

1 Corinthians 14:4 NIV – “Anyone who speaks in a tongue edifies themselves, but the one who prophesies edifies the church.”

When I was in seminary, my homiletics professor signaled the importance of preaching by emphasizing that we need to be able to say, “Thus says the Lord” when we are proclaiming the Word of the Lord. I take that responsibility very seriously. I do not want to be speaking anything but the Lord’s word when I preach. I have even prayed that people will forget anything I say that is not from the Lord. Some would disagree with me, but I see my role when I preach as the work of a prophet, forth telling the Word of God. As I prophesy, I am supposed to edify the church. This is one of the main responsibilities of Apostles, Prophets, Pastors and Teachers according to Ephesians 4:11-13.

In a cell, we don’t have one preacher but many who are supposed to encourage and build up one another. When we share a word of encouragement from the Lord, isn’t that prophesying? What about when someone comes up with some counsel after seeking the Lord in prayer? Is it really that unusual to hear from the Lord when we are earnestly asking for His guidance and counsel?

Some groups fall into advice giving. We hear a prayer need and respond with what we think the person should do. That is more about sharing our opinion than it is about speaking what God wants us to say. We don’t need each other’s opinions; we need Godly counsel that comes from the Word of God and the anointing of the Holy Spirit. It doesn’t build anyone up just to give someone our opinion. In fact, maybe we should make certain that we have gone faithfully to the Lord before we even open our mouths with advice that we think is great.

Is your cell open to the Holy Spirit ministering through people in your group? If believe that God has anointed us to serve Him and one another, would it be that odd for Him to speak to someone in the group through us? I must say, I pray for Him to do that with every sermon, so why wouldn’t I want Him to speak through the people in the cell? For some of you, this is too controversial because it sounds too charismatic. We may be uncomfortable with the idea of giving a “word of knowledge.” However, don’t we believe that God speaks through His Word today? 2 Timothy 3:16 says, “All Scripture is God-breathed and is useful for teaching, rebuking, correcting and training in righteousness, so that the servant of God may be thoroughly equipped for every good work.”

I want the Holy Spirit to speak to us every time that we are together. I would much rather hear from the Lord than from the opinions of men.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Vamos Profetizar

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

1 Coríntios 14:4 (NVI) “Quem fala em língua a si mesmo se edifica, mas quem profetiza edifica a igreja.”

Quando eu estava no seminário, meu professor de homilética apontou a importância da pregação, enfatizando que precisamos ser capazes de dizer: “Assim diz o Senhor” quando estamos proclamando a Palavra dEle. Eu levo essa responsabilidade muito a sério. Eu não quero falar nada a não ser a palavra do Senhor quando prego. Tenho até orado para que as pessoas se esqueçam de tudo o que eu digo que não é do Senhor. Alguns discordam de mim, mas vejo meu papel quando prego como o trabalho de um profeta, dizendo a Palavra de Deus. Ao profetizar, eu devo edificar a igreja. Esta é uma das principais responsabilidades dos Apóstolos, Profetas, Pastores e Mestres de acordo com Efésios 4: 11-13.

Em uma célula, nós não temos um só pregador, mas muitos que devem encorajar e edificar uns aos outros. Quando compartilhamos uma palavra de encorajamento do Senhor, isso não é profetizar? E quando alguém vem com algum conselho depois de procurar o Senhor em oração? É realmente tão incomum ouvir algo da parte do Senhor quando estamos pedindo seriamente por Sua orientação e conselho?

Alguns grupos caem por apenas dar conselhos. Ouvimos uma necessidade de oração e respondemos com o que pensamos que a pessoa deveria fazer. Isso é mais compartilhar a nossa opinião do que falar sobre o que Deus quer que digamos. Não precisamos das opiniões um do outro; precisamos do conselho de Deus, que vem da Palavra e da unção do Espírito Santo. Não edificamos ninguém por simplesmente dar a nossa opinião. Na verdade, talvez devêssemos ter certeza de que somos fiel ao Senhor antes mesmo de abrirmos a boca com conselhos que achamos serem ótimos.

Sua célula está aberta para o Espírito Santo ministrar através das pessoas do grupo? Se acreditamos que Deus nos ungiu para servi-Lo e servir uns aos outros, seria tão estranho se Ele falasse com alguém do grupo através de nós? Eu confesso que, oro para que Ele faça isso em cada sermão, então por que eu não quero que Ele fale através das pessoas na célula? Para alguns de vocês, isso é muito controverso porque soa muito carismático. Podemos nos sentir desconfortáveis com a idéia de dar uma “palavra de conhecimento”. No entanto, não acreditamos que hoje Deus fala através de Sua Palavra? 2 Timóteo 3:16-17 diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” (NVI)

Eu desejo que o Espírito Santo fale conosco sempre que estivermos juntos. Eu prefiro muito mais ouvir o Senhor do que as opiniões dos homens.

Spanish blog:

Profeticemos

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

1 Corintios 14: 4 “Todo aquel que habla en lengua se edifica, pero el que profetiza edifica a la iglesia”.

Cuando estaba en el seminario, mi profesor de homilética señaló la importancia de la predicación subrayando que necesitamos ser capaces de decir: “Así dice el Señor” cuando proclamamos la Palabra del Señor. Tomo esa responsabilidad muy en serio. No quiero hablar nada más que la palabra del Señor cuando predico. Incluso he orado para que la gente olvide todo lo que digo que no es del Señor. Algunos estarían en desacuerdo conmigo, pero veo mi papel cuando predico como la obra de un profeta, diciendo la Palabra de Dios. Como yo profetizo, se supone que edificaré la iglesia. Esta es una de las principales responsabilidades de los Apóstoles, Profetas, Pastores y Maestros según Efesios 4:11-13.

En una célula, no tenemos un predicador, sino muchos que se supone que deben alentar y construir uno al otro. Cuando compartimos una palabra de aliento del Señor, ¿no es eso profetizar? ¿Qué pasa cuando alguien viene con algún consejo después de buscar al Señor en oración? ¿Es realmente inusual escuchar al Señor cuando estamos pidiendo seriamente su guía y consejo?

Algunos grupos caen en dar consejos. Escuchamos una necesidad de oración y respondemos con lo que pensamos que la persona debe hacer. Eso es más sobre compartir nuestra opinión que sobre hablar lo que Dios quiere que digamos. No necesitamos las opiniones de los demás; Necesitamos el consejo de Dios que viene de la Palabra de Dios y la unción del Espíritu Santo. No construye a nadie solo para dar a alguien nuestra opinión. De hecho, tal vez deberíamos asegurarnos de que hemos ido fielmente al Señor antes de abrir la boca con consejos que creemos que son grandes.

¿Está su célula abierta al Espíritu Santo ministrando a través de personas en su grupo? Si creemos que Dios nos ha ungido para servirle a Él y a los demás, ¿sería extraño para Él hablar con alguien del grupo a través de nosotros? Debo decir, yo oro por Él para que haga eso con cada predicación, así que ¿por qué no querría que Él hablara a través de la gente en la célula? Para algunos de ustedes, esto es demasiado polémico porque suena demasiado carismático. Podemos sentirnos incómodos con la idea de dar una “palabra de conocimiento”. Sin embargo, ¿no creemos que Dios habla a través de Su Palabra hoy? 2 Timoteo 3:16 dice: “Toda la Escritura es inspirada por Dios y útil para enseñar, para reprender, para corregir y para instruir en justicia, para que el siervo de Dios sea perfectamente preparado para toda buena obra”.

Quiero que el Espíritu Santo nos hable cada vez que estamos juntos. Preferiría escuchar al Señor que a las opiniones de los hombres.

If We Are The Body

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

In 2003, Casting Crowns popularized the song “If We Are the Body.” The song says, “(But) if we are the body, why aren’t His arms reaching? Why aren’t His hands healing? Why aren’t His words teaching? And if we are the body, why aren’t His feet going? Why is His love not showing them there is a way? Author and performer Mark Hall challenges the Church to be the living Body of Christ.

Jesus taught that the greatest commandment is to love God and to love one another (Mark 12:29-31). Paul adds that the entire law is summarized by “Love your neighbor as yourself” (Galatians 5:14). This is where the cell church shines. In a cell, we are the Body of Christ. Cell church is built on the principles of the “one anothers.” We build up one another, serve one another, carry one another’s burdens, exhort one another, confess our faults one to another, pray for one another, weep with one another, and rejoice with one another.

One of the key differences between traditional study groups and cells is the commitment to apply the Word by ministering to one another and the community through our groups. How many times have we taken significant time to pray through a need or concern of one or our members? We don’t build up one another by giving cheap advice. We take one another’s burdens to the Lord and allow the Lord to speak to us and through us.

“If we are the body,” why aren’t we building the kind of relationships that will cause people to daily experience the love of Jesus Christ? In our cells, we have the opportunity to care for one another, even the unchurched, so that people experience the love of God and His Body in tangible ways.

Our cell has started a ministry to the poor in our community because we want to be God’s hands and arms in this community. We pray over people knowing that Jesus is touching people through us. We listen to God, seek His counsel and allow God to speak through us. We are the Body of Christ.

A couple of years ago a man in our group was diagnosed with terminal cancer. We began holding our group at his home. Some meetings were held in his bedroom around his bed. Our group was there to support his wife and to carry her through the time since he went to be with the Lord. We love them both and cried as well as celebrated his life. We continue to support her as she walks the journey as a widow. We also assist her in extending God’s love to many of his friends so that some day they too will join Jeff in Heaven. Together, we are being the Body of Christ.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Nós Somos o Corpo

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Em 2002, a banda Casting Crowns tornou popular a música “Se Nós Somos o Corpo”. A música diz: “Mas se somos o corpo por quê Seus braços não estão alcançando? Por quê Suas mãos não estão curando? Por quê Suas palavras não estão ensinando? E se somos o corpo por quê Seus pés não estão indo? Por quê Seu amor não está mostrando-lhes que há um caminho?”. O autor e cantor Mark Hall desafia a Igreja a ser o Corpo vivo de Cristo.

Jesus ensinou que o maior mandamento é amar a Deus e amar uns aos outros (Marcos 12:29-31). Paulo acrescenta que toda a Lei é resumida por “Ame o próximo como a si mesmo” (Gálatas 5:14). É aí que a Igreja em Células brilha. Em uma célula, nós somos o Corpo de Cristo. A Igreja em Células é construída sobre os princípios do “uns aos outros”. Nós edificamos uns aos outros, servimos uns aos outros, carregamos os fardos uns dos outros, exortarmos uns aos outros, confessamos as nossas faltas uns aos outros, oramos uns pelos outros, chorar uns com os outros, e nos alegramos uns com os outros.

Uma das principais diferenças entre os grupos de estudos tradicionais e as células é o compromisso de aplicar a Palavra ministrando uns aos outros e à comunidade através de nossos grupos. Quantas vezes nós tiramos um tempo significativo para orar por uma necessidade ou preocupação dos nossos membros? Nós não edificamos uns aos outros dando conselhos baratos. Nós levamos os fardos uns dos outros ao Senhor e permitimos que o Senhor fale conosco e através de nós.

“Se nós somos o Corpo”, por que não estamos construindo o tipo de relacionamento que fará com que as pessoas experimentem diariamente o amor de Jesus Cristo? Em nossas células, nós temos a oportunidade de cuidar uns dos outros, mesmo dos não-cristãos, para que as pessoas experimentem o amor de Deus e Seu Corpo de maneiras tangíveis.

Nossa célula iniciou um ministério para os pobres em nossa comunidade porque nós queremos ser as mãos e os braços de Deus nessa comunidade. Nós oramos sobre as pessoas sabendo que Jesus está tocando a vida delas através de nós. Nós ouvimos a Deus, buscamos o Seu conselho e deixamos que Deus fale através de nós. Nós somos o Corpo de Cristo.

Dois anos atrás um homem em nosso grupo foi diagnosticado com câncer terminal. Nós começamos a reunir o nosso grupo em sua casa. Algumas reuniões foram realizadas em seu quarto ao redor de sua cama. Nosso grupo estava lá para apoiar sua esposa e para carregá-la depois que ele foi para o Senhor. Nós amamos os dois e choramos, da mesma forma que celebramos a sua vida. Nós continuamos a apoiá-la enquanto ela continua sua jornada como uma viúva. Nós também a ajudamos a estender o amor de Deus a muitos de seus amigos para que algum dia eles também se juntem a Jeff no Céu. Juntos, nós estamos sendo o Corpo de Cristo.

Spanish blog:

Si somos el cuerpo

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

En 2003, Casting Crowns popularizó la canción “Si somos el cuerpo”. La canción dice: “Pero si somos el cuerpo, ¿por qué no están alcanzando sus brazos? ¿Por qué no sanan sus manos? ¿Por qué no enseñan sus palabras? Y si somos el cuerpo, ¿por qué no se mueven sus pies? ¿Por qué su amor no les muestra que hay un camino? Autor e intérprete Mark Hall desafía a la Iglesia a ser el cuerpo vivo de Cristo.

Jesús enseñó que el mandamiento más grande es amar a Dios y amarse unos a otros (Marcos 12: 29-31). Pablo añade que toda ley se resume en “Ama a tu prójimo como a ti mismo” (Gálatas 5:14). Aquí es donde la iglesia celular brilla. En una célula, somos el Cuerpo de Cristo. La Iglesia Celular se construye sobre los principios del “uno al otro”. Nos edificamos unos a otros, nos servimos unos a otros, cargamos las cargas de los demás, exhortamos unos a otros, confesamos nuestros pecados unos a otros, oramos unos a otros, Y nos regocijamos los unos con otros.

Una de las principales diferencias entre los grupos de estudio tradicionales y las células es el compromiso de aplicar la Palabra al ministrar unos a otros a la comunidad a través de nuestros grupos. ¿Cuántas veces hemos tomado un tiempo significativo para orar a través de una necesidad o preocupación de uno o de nuestros miembros? No nos construimos unos a otros dando consejos baratos. Tomamos las cargas de los demás al Señor y permitimos que el Señor nos hable a nosotros a través de nosotros.

“Si somos el cuerpo”, ¿por qué no estamos construyendo el tipo de relaciones que harán que la gente experimente diariamente el amor de Jesucristo? En nuestras células, tenemos la oportunidad de cuidarnos unos a otros, incluso los no creados, para que las personas experimenten el amor de Dios y Su Cuerpo de maneras tangibles.

Nuestra célula ha comenzado un ministerio a los pobres en nuestra comunidad porque queremos ser las manos y los brazos de Dios en esta comunidad. Oramos sobre las personas sabiendo que Jesús está tocando a la gente a través de nosotros. Escuchamos a Dios, buscamos su consejo y permitimos que Dios hable a través de nosotros. Somos el Cuerpo de Cristo.

Hace un par de años un hombre de nuestro grupo fue diagnosticado con cáncer terminal. Comenzamos a reunir nuestro grupo en su casa. Algunas reuniones se celebraron en su dormitorio alrededor de su cama. Nuestro grupo estaba allí para apoyar a su esposa y apoyarla en el tiempo hasta que fue a estar con el Señor. Amamos a los dos y lloramos, así como celebramos su vida. Seguimos apoyándola mientras camina por el camino como viuda. También la ayudamos a extender el amor de Dios a muchos de sus amigos para que algún día ellos también se unan a Jeff en el Cielo. Juntos, estamos siendo el Cuerpo de Cristo.