Lifting Leaders from Within

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesus is full of the Spirit of God– His source for power.  He empowers you for ministry through His Spirit.  Next, Jesus desires to release His power to his followers.  Finally, as a leader, I must follow the example of Jesus and be a conduit of God’s power in the lives of others to release them for ministry.  Therefore, as a pastor (or a cell leader), God uses me to empower others for ministry.  This reality has nothing to do with my power, but God’s power through me as Jesus exemplified in His earthly ministry.

We see this impartation of leadership ability throughout the scriptures.  “The Lord took some of the spirit that was upon Moses and put it upon the seventy elders, and they shall bear the burden of the people with you, that you may not bear it alone” (Numbers 11:17).   As Moses prepared to relinquish his leadership role with the people of Israel, he said of Joshua (his successor), “Take Joshua, the son of Nun, a man in whom is the spirit, and lay your hand upon him.  Give him some of your authority so the whole Israelite community will obey him” (Numbers 27:18, 20).  Be reminded of how David was selected by God to rule Israel.  “Then Samuel took the horn of oil, and anointed him in the midst of his brothers; and the Spirit of the Lord came mightily upon David from that day forward” (I Samuel 16:33).

There are many more examples, but let’s focus in on you.  Who partnered with God in empowering you to minister?  Who believed in you?  Who encouraged you?  Who mentored you in your abilities, spiritual gifts and talents?  Who took the time to listen to the dream that God put in your heart?  Now, are you God’s conduit for empowering others?  Or, are you all God needs in your field or area to do the work of ministry?  How is God using you in empowering others for ministry?

Christian Schwarz writes, “Leaders of growing churches concentrate on empowering other Christians for ministry.  They do not use lay workers as ‘helpers’ in attaining their own goals and fulfilling their own visions.  Rather, they invert the pyramid of authority so that the leader assists Christians to attain the spiritual potential God has for them.”

Scott Peck wrote in A World Waiting to be Born: “Increasingly, the civil leader or manager begins to sense that the power of her position is not hers. It is not her possession; it is not hers to possess. The power belongs to God, and the proper role of the civil leader is merely to be a conduit and to steward that power as God’s agent.  Merely!  What a paradox!  To exercise temporal power with civility is to undertake a role of great glory, and it can only be undertaken with genuine humility.”

A spiritual leader saturated with the humility of Christ releases others for ministry so that God’s power may be extended.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Levantando Líderes de Dentro

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesus é cheio do Espírito de Deus – Sua fonte de poder. Ele capacita você para o ministério através do Seu Espírito. Em seguida, Jesus deseja liberar Seu poder para Seus seguidores. Finalmente, como líder, devo seguir o exemplo de Jesus e ser um canal do poder de Deus na vida dos outros para liberá-los para o ministério. Portanto, como pastor (ou líder de célula), Deus me usa para capacitar os outros para o ministério. Esta realidade não tem a ver com o meu poder, mas com o poder de Deus através de mim, como Jesus exemplificou em Seu ministério terrestre.

Nós vemos essa impartição da habilidade de liderar por toda a Bíblia. “Eu descerei e falarei com você; e tirarei do Espírito que está sobre você e o porei sobre eles. Eles o ajudarão na árdua responsabilidade de conduzir o povo, de modo que você não tenha que assumir tudo sozinho” (Números 11:17). Quando Moisés se preparou para renunciar seu papel de liderança com o povo de Israel, ele disse sobre Josué (seu sucessor): “Chame Josué, filho de Num, homem em quem está o Espírito, e imponha as mãos sobre ele. Dê-lhe parte da sua autoridade para que toda a comunidade de Israel lhe obedeça” (Números 27:18,20). Lembre-se de como Davi foi escolhido por Deus para liderar Israel. “Então Samuel tomou o vaso de azeite, e o ungiu no meio de seus irmãos; e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi” (1Samuel 16:33).

Há muitos outros exemplos, mas vamos nos concentrar em você. Quem cooperou com Deus para capacitá-lo a ministrar? Quem acreditou em você? Quem o encorajou? Quem o orientou em suas habilidades, dons e talentos espirituais? Quem separou tempo para ouvir o sonho que Deus colocou em seu coração? Agora, você é um canal de Deus para capacitar outras pessoas? Ou Deus só precisa de você em seu campo ou área para fazer a obra do ministério? Como Deus está usando você para capacitar os outros para o ministério?

Christian Schwarz escreve: “Líderes de igrejas crescentes concentram-se em capacitar outros cristãos para o ministério. Eles não usam trabalhadores leigos como ‘ajudantes’ para alcançar seus próprios objetivos e cumprir suas próprias visões. Em vez disso, eles invertem a pirâmide de autoridade para que o líder ajude os cristãos a alcançarem o potencial espiritual que Deus tem para eles”.

M. Scott Peck escreveu em A World Waiting to be Born (“Um Mundo Esperando Para Nascer”, em tradução livre): “Cada vez mais, o líder ou gerente civil começa a sentir que o poder de sua posição não é dele. Não é sua posse; não é dele para que possua. O poder pertence a Deus, e o papel apropriado do líder civil é meramente ser um canal e administrar esse poder como agente de Deus. Apenas! Que paradoxo! Exercer o poder temporal com civilidade é assumir um papel de grande glória, e só pode ser realizado com humildade genuína”.

Um líder espiritual saturado com a humildade de Cristo libera outros para o ministério para que o poder de Deus possa ser estendido.

Spanish blog:

Levantando líderes desde dentro

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesús está lleno del Espíritu de Dios, es su fuente de poder. Él te empodera para el ministerio a través de Su Espíritu. Luego, Jesús desea liberar su poder a sus seguidores. Finalmente, como líder, debes seguir el ejemplo de Jesús y ser un conducto del poder de Dios en la vida de los demás; para poder liberarlos en el ministerio. Por lo tanto, como pastor (o líder de una célula), Dios me usa para empoderar a otros para el ministerio. Esta realidad no tiene nada que ver con mi poder, sino con el poder de Dios a través de mí, como lo ejemplificó Jesús en su ministerio terrenal.

Vemos esta impartición de la capacidad de liderazgo a través de las Escrituras. “El Señor tomó del espíritu que estaba sobre Moisés y lo puso sobre los setenta ancianos, y ellos llevarán la carga del pueblo contigo, para que no tengas que soportarlo solo” (Números 11:17). Mientras Moisés se preparaba para renunciar a su papel de liderazgo con el pueblo de Israel, dijo de Josué (su sucesor): “Toma a Josué, hijo de Nun, un hombre en quien está el espíritu, y pon tu mano sobre él. Dale algo de tu autoridad para que toda la comunidad israelita lo obedezca “(Números 27:18, 20). Recuerda cómo David fue seleccionado por Dios para gobernar a Israel. “Y Samuel tomó el cuerno del aceite, y lo ungió en medio de sus hermanos; y desde aquel día en adelante el Espíritu de Jehová vino sobre David. Se levantó luego Samuel, y se volvió a Ramá.”(I Samuel 16:13).

Hay muchos más ejemplos, pero centrémonos en ti. ¿Quién se asoció con Dios para empoderarte para ministrar? ¿Quién creyó en ti? ¿Quién te animó? ¿Quién te mentoró en tus habilidades, dones espirituales y talentos? ¿Quién se tomó el tiempo de escuchar el sueño que Dios puso en tu corazón? Ahora, ¿eres el conducto de Dios para empoderar a los demás? O, ¿eres todo lo que Dios necesita en tu campo o área para hacer el trabajo del ministerio? ¿Cómo te está usando Dios para empoderar a otros para el ministerio?

Christian Schwarz escribe: “Los líderes de las iglesias en crecimiento se concentran en capacitar a otros cristianos para el ministerio. No usan a los trabajadores laicos como ‘ayudantes’ para alcanzar sus propios objetivos y cumplir sus propias visiones. Más bien, invierten la pirámide de la autoridad para que el líder ayude a los cristianos a alcanzar el potencial espiritual que Dios tiene para ellos “.

Scott Peck escribió en A World Waiting to Born: “Cada vez más, el líder civil o gerente comienza a sentir que el poder de su posición no es de él. No es su posesión; no es de el, para poseer. El poder le pertenece a Dios, y el rol apropiado del líder civil es meramente ser un conducto y administrar ese poder como el agente de Dios. ¡Simplemente! ¡Qué paradoja! Ejercer el poder temporal con civilidad es asumir un papel de gran gloria, y solo puede llevarse a cabo con genuina humildad “.

Un líder espiritual lleno con la humildad de Cristo liderará a otros para el ministerio y que el poder de Dios se extienda.

Care and Comfort in the Cell Church

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

This week, the bloggers here at JCG are posting their thoughts on the biblical basis for the cell church.  This post centers on God’s desire (rooted in the scriptures) for us to comfort others.  First, let me share a story.

Recently, a man approached me right before a Sunday A.M. Celebration service.  He asked if I could spend some time with him and counsel him. I told him I would love to get to know him, but I wasn’t good at long-term counseling. I enjoy change, and I lose passion for long-term counseling quick. As the days unfolded, we met.

The man was low and told his story to me through many tears. His wife of a few decades was filing for divorce. He was out of work and fearful of losing a child as well. I expressed my sorrow. I was impressed with his ability to walk through his darkness with integrity, grace, and the love of God. That would certainly not be easy given his lot. Further, he accepted a good portion of responsibility for his life condition.

I encouraged him to be a part of a cell group. He responded, “No thanks.” I replied, “What do you mean? I think you’ll find some good support through a set of relationships.” He stated, “Don’t need no cell group. I’ve got one already. They have sustained me through this pain and agony.”

I asked him, “How have they sustained you?”

He said, “They have listened to me and have loved me.”

To my knowledge, in this cell group– there are no professional counselors or trained clergy. There are, however, people present who have walked through pain, hurt, disappointment, and loss…AND they are intent on helping the downtrodden.

2 Corinthians 1:4 reads, “He comforts us in all our troubles so that we can comfort others. When others are troubled, we will be able to give them the same comfort God has given us.”

Cell ministry is team ministry in which the pastor is not propped up as the almighty counselor, “go- to guy,” and Bible answer man. Cell ministry empowers people to be the hands and feet of Christ. One is not alone to traverse the valleys of life.

This week, may your cell and the cells of your church be the listening ears and the hearts of love for the hurting.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

“Cuidado e Conforto na Igreja em Células”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Esta semana, os blogueiros aqui da JCG estão publicando seus pensamentos sobre a base bíblica para a igreja celular. Este post se centraliza no desejo de Deus (enraizado nas Escrituras) para que confortemos os outros. Primeiro, deixe-me compartilhar uma história.

Recentemente, um homem se aproximou de mim logo antes de um culto de celebração de domingo de manhã. Ele perguntou se eu poderia passar algum tempo com ele e aconselhá-lo. Eu disse a ele que adoraria conhecê-lo, mas que eu não era bom no aconselhamento de longo prazo. Eu gosto da mudança, e perco a paixão pelo aconselhamento de longo prazo rápido. À medida que os dias se desenrolaram, nos encontramos.

O homem contou sua história com muitas lágrimas. Sua esposa de algumas décadas estava pedindo o divórcio. Ele estava sem trabalho e temeroso de perder um filho também. Eu expressei minha tristeza. Fiquei impressionado com sua habilidade de atravessar a escuridão com integridade, graça e com o amor de Deus. Isso certamente não seria fácil devido a sua situação de vida. Além disso, ele aceitou uma boa parte da responsabilidade por sua condição de vida.

Eu o encorajei a fazer parte de um grupo de célula. Ele respondeu: “Não, obrigado.” Então eu disse: “O que você quer dizer? Eu acho que você encontrará um bom suporte através de um conjunto de relacionamentos.” Ele afirmou:” Não preciso de nenhum grupo de célula. Já tenho um. Eles me sustentaram através dessa dor e agonia “.

Perguntei-lhe: “Como eles sustentaram você?”

Ele disse: “Eles me ouviram e me amaram”.

Pelo que eu sei, neste grupo celular não há conselheiros profissionais ou líderes treinados. Há, no entanto, pessoas presentes que atravessaram a dor, a ferida, o desapontamento e a perda… E elas estão empenhadas a ajudar os oprimidos.

2 Coríntios 1:4 está escrito, “Que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações.”

O ministério celular é o ministério da equipe em que o pastor não é sustentado como o conselheiro todo-poderoso, o cara para quem devemos correr, e o homem da resposta bíblica. O ministério da célula capacita as pessoas para serem as mãos e os pés de Cristo. Ninguém está sozinho para percorrer os vales da vida.

Esta semana, que a sua célula e as células da sua igreja sejam os ouvidos que escutam e os corações de amor pelos feridos.

Spanish blog:

“Cuidado y apoyo en la iglesia celular”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Esta semana, los bloggers en JCG están publicando sus pensamientos sobre la base bíblica de la iglesia celular. Esta publicación se centra en el deseo de Dios (arraigado en las Escrituras) para que podamos consolar a los demás. Primero, déjame compartir una historia.

Recientemente, un hombre se me acercó justo antes del Servicio de celebración del domingo por la mañana. Me preguntó si podía pasar un tiempo con él y aconsejarlo. Le dije que me encantaría conocerlo, pero que yo no era bueno para el asesoramiento a largo plazo. Yo disfruto el cambio y pierdo la pasión por el asesoramiento a largo plazo rápidamente. A medida que transcurrieron los días, nos reunimos.

El fue breve y me contó su historia a través de muchas lágrimas. Su esposa de unas pocas décadas estaba solicitando el divorcio, Él estaba sin trabajo y temeroso de perder a un niño también. Expresé mi dolor; pero me impresionó su habilidad para caminar en toda esa oscuridad con integridad, gracia y en el amor de Dios. Eso ciertamente no sería fácil dado su sufrir. Además, aceptó una buena parte de la responsabilidad por su condición de vida.

Lo animé a ser parte de un grupo celular, pero Él respondió: “No, gracias”. A lo que yo respondí: “¿Qué quiere decir?, Creo que encontrará un buen apoyo a través de una serie de relaciones “. Él indicó:” No necesito ningún grupo celular “. Ya tengo uno. Me han sostenido a través de este dolor y agonía “.

Le pregunté: “¿Cómo le han sostenido?”

Él dijo: “Me han escuchado y me han amado”.

Que yo sepa, en este grupo celular no hay consejeros profesionales o hermanos entrenados. Sin embargo, hay personas que han pasado por dolor, sufrimiento, decepción y pérdida … Y tienen la intención de ayudar a los oprimidos.

2 Corintios 1: 4 dice: “El cual nos consuela en todas nuestras tribulaciones, para que podamos también nosotros consolar a los que están en cualquier tribulación, por medio de la consolación con que nosotros somos consolados por Dios.”

El ministerio celular, es un ministerio de equipo, en el que el pastor no es nombrado como el consejero todopoderoso, “la persona a la que siempre acudir” o el hombre de la respuesta bíblica. El ministerio celular les permite a las personas ser las manos y los pies de Cristo; uno no está solo para atravesar los valles de la vida.

Esta semana, que tu célula y las células de tu iglesia, sean oídos que escuchan y corazones de amor para el dolor.

Focus

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Al Ries writes in his book, Focal Point, that there are four things you can do to improve the quality of your life and work.

  1. You can do more of certain things.
  2. You can do less of certain things.
  3. You can start to do things you are not doing at all today.
  4. You can stop doing certain things altogether.

Dave Browning in his book, Deliberate Simplicity (a great read, by the way!), comments on the four options above. He writes, “While the traditional church tends to choose doors 1 and 3, the Deliberately Simple church looks at what is behind doors 2 and 4. By doing less of certain things, and stopping other things altogether, energy and resources can be reinvested in the few things really worth doing.”

Pastor Wade Hodges once stated, “If becoming a part of a church places people in an environment that encourages them to live more frenetic lives than they were living before, then we are going about doing church the wrong way.”

Browning writes, “What is the simplest thing that could possibly work?” He suggests that we “jettison other elements even if they have traditionally been associated with progress.”

One more thought from Browning: “One of the questions that takes the church back to basics is, how would we do church if we didn’t have electricity? Your answer will undoubtedly push you back to the essence of the church and away from the artificiality of modernity.”

Comments?

Rob
Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Foco”

por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Al Ries escreve em seu livro Ponto Focal que existem quatro coisas que você pode fazer para melhorar a qualidade da sua vida e do seu trabalho.

  1. Você pode fazer mais de certas coisas.
  2. Você pode fazer menos de certas coisas.
  3. Você pode começar a fazer coisas que não está fazendo hoje.
  4. Você pode parar totalmente de fazer certas coisas.

Dave Browning em seu livro, Deliberate Simplicity (uma ótima leitura, por sinal!), comenta sobre as quatro opções acima. Ele escreve: “Enquanto a igreja tradicional tende a escolher as portas 1 e 3, a igreja deliberadamente simples olha o que está atrás das portas 2 e 4. Ao fazer menos certas coisas e parar totalmente outras, energia e recursos podem ser reinvestidos nas poucas coisas que realmente valem a pena serem feitas”.

O pastor Wade Hodges declarou uma vez: “Se se tornar parte de uma igreja coloca as pessoas em um ambiente que as encoraja a viverem vidas mais frenéticas do que viviam antes, então estamos vivendo a igreja do jeito errado”.

Browning escreve: “Qual é a coisa mais simples que poderia funcionar?” Ele sugere “descarte os outros elementos, mesmo que eles tradicionalmente tenham sido associados ao progresso”.

Mais um pensamento de Browning: “Uma das perguntas que leva a igreja de volta ao básico é: como faríamos a igreja se não tivéssemos eletricidade? Sua resposta, sem dúvida, o levará de volta à essência da igreja e longe da artificialidade da modernidade”.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

La Importancia de Enfocar

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Al Ries escribe en su libro, Focal Point, que hay cuatro cosas que se pueden hacer para mejorar la calidad de tu vida y trabajo.

  1. Puedes hacer más de ciertas cosas.
  2. Puedes hacer menos de ciertas cosas.
  3. Puedes comenzar a hacer cosas que no estás haciendo en absoluto ahora.
  4. Puedes dejar de hacer ciertas cosas por completo.

Dave Browning en su libro, Deliberate Simplicity (¡una gran lectura, por cierto!), Comenta las cuatro opciones anteriores. Él escribe: “Mientras que la iglesia tradicional tiende a elegir las puertas 1 y 3, la iglesia Deliberadamente simple mira lo que está detrás de las puertas 2 y 4. Al hacer menos cosas y detener otras cosas por completo, la energía y los recursos se pueden reinvertir en las pocas cosas que realmente vale la pena hacer “.

El pastor Wade Hodges dijo una vez: “Si convertirse en parte de una iglesia coloca a las personas en un entorno que las anime a llevar vidas más frenéticas que antes, entonces haremos iglesia de la manera equivocada”.

Browning escribe: “¿Cuál es la cosa más simple que podría funcionar?” Sugiere que “abandonemos otros elementos, incluso si tradicionalmente se han asociado con el progreso”.

Un pensamiento más de Browning: “Una de las preguntas que lleva a la iglesia a los fundamentos básicos es, ¿cómo haríamos iglesia si no tuviéramos electricidad? Tu respuesta, sin duda, te empujará de regreso a la esencia de la iglesia y lejos de la artificialidad de la modernidad “.

¿Comentarios?

Rob

Passion

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Those with passion have a servant’s heart and a burning desire to pursue God.

Jesus was a passionate person. Watch his passion and zeal displayed in the following scenario.

“When it was almost time for the Jewish Passover, Jesus went up to Jerusalem. In the temple courts he found men selling cattle, sheep and doves, and others sitting at tables exchanging money. So he made a whip out of cords, and drove all from the temple area, both sheep and cattle; he scattered the coins of the money changers and overturned their tables. To those who sold doves he said, ‘Get these out of here! How dare you turn my Father’s house into a market!’?” (John 2:13-16).

Jesus was passionate about the temple which he wanted to protect as a house of prayer.

Passion is our personal motivation that overflows into the lives of others. Yes, passion is contagious. The passion of Paul and Silas is evident as they are accused of “turning the world upside down” (Acts 17:6) for the gospel of Christ. You will know passion when the pain is greater than the reward.

Antoine de Saint Exupery is noted for saying, “If you want to build a ship, don’t drum up the men to gather wood, divide the work, and give orders. Instead, teach them to yearn for the vast and endless sea.”

We are looking for men and women who have a passion for the sea of the harvest.

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

PAIXÃO

Pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Aqueles com paixão têm o coração de um servo e um ardente desejo de perseguir Deus.

Jesus era uma pessoa apaixonada. Observe sua paixão e zelo no cenário a seguir.

“Estando próxima a páscoa dos judeus, Jesus subiu a Jerusalém. E achou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e também os cambistas ali sentados; e tendo feito um azorrague de cordas, lançou todos fora do templo, bem como as ovelhas e os bois; e espalhou o dinheiro dos cambistas, e virou-lhes as mesas; e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio.” (João 2:13-16 AA)

Jesus era apaixonado pelo templo, o qual queria proteger como uma casa de oração.

A paixão é a nossa motivação pessoal que transborda para dentro da vida dos outros. Sim, a paixão é contagiosa. A paixão de Paulo e Silas é evidente quando são acusados de “causar alvoroço por todo o mundo” (Atos 17: 6) para o evangelho de Cristo. Você conhecerá a paixão quando a dor for maior do que a recompensa.

Antoine de Saint-Exupéry é notado por dizer: “Se você quiser construir um navio, não convoque homens para juntar madeira, dar ordens e dividir o trabalho. Antes, ensine-os a desejar o eterno e distante mar”.

Estamos à procura de homens e mulheres que tenham paixão pelo mar da colheita.

Rob

Spanish blog:

PASIÓN

Por el pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Los que tienen pasión, tienen el corazón de un siervo y un deseo ardiente de seguir a Dios.

Jesús era una persona apasionada. Mira su pasión y celo en el siguiente relato.

“Estaba cerca la pascua de los judíos; y subió Jesús a Jerusalén, y halló en el templo a los que vendían bueyes, ovejas y palomas, y a los cambistas allí sentados. Y haciendo un azote de cuerdas, echó fuera del templo a todos, y las ovejas y los bueyes; y esparció las monedas de los cambistas, y volcó las mesas; y dijo a los que vendían palomas: Quitad de aquí esto, y no hagáis de la casa de mi Padre casa de mercado.” (Juan 2:13-16)

Jesús era un apasionado del templo que quería protegerlo como una casa de oración.

La pasión es nuestra motivación personal que se desborda en las vidas de los demás. Sí, la pasión es contagiosa, la pasión de Pablo y Silas es evidente ya que están acusados ??de “trastornar el mundo” (Hechos 17: 6) por el evangelio de Cristo. Sólo conoceremos la pasión cuando el dolor sea mayor que la recompensa.

Antoine de Saint Exupery es conocido por decir: “Si quieres construir un barco, no empieces por buscar madera, cortar tablas o distribuir el trabajo. Evoca primero en los hombres y mujeres el anhelo del mar libre y ancho”.

Estamos buscando hombres y mujeres que tengan una pasión por el mar de la cosecha.

Rob

The Gift of Hospitality

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Receiving guests well at your group and Sunday’s Celebration is very important.  A few years ago, I received this email from a lady and daughter who attended Cypress Creek Church for the first time.  I’m giving you an edited version.

“Hello, Pastor Campbell.  My daughter (three years old) and I visited Cypress Creek this morning for the first time. I’m a single mommy with tons of family support and a teacher at Dahlstrom Junior High. I was raised in Dallas, went to Baylor, moved to Austin for Grad school ten years ago, and never left. The Principal at my school (who is a CCC member) suggested we try Cypress Creek. Before my boss had arrived on the CCC campus, my daughter had already made four friends.  Their parents offered to take me over to the Children’s Center and show me how the kids’ ministry works.  My daughter has had a lot of health issues, so we are pretty much an overly clingy duo. I had prayed she would feel confident and free to go to the kids’ time. She did. A four-year-old girl showed her all of the toys as her mother invited me to a group. I received a total of four hugs from ladies I met this morning, and my daughter said she felt God’s love all around her…. Me too. What a truly lovely morning. See you next week and thank you.”

These guests were embraced (literally), loved, and guided well on their initial visit to Celebration.  Further, one of CCC’s moms (who leads a group with her husband) invited this mom and child to a group.  YES!  YES!  Way to go!

Indeed, CCC misses the mark on many occasions regarding hospitality.  I am saddened when this takes place.  Yet, we press on seeking to express this spiritual gift of hospitality.

“Lord, give us eyes to see and caring hearts to help others experience a community of faith and relational Christianity.”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Dom da Hospitalidade

Pelo pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Receber bem os convidados em seu grupo e na Celebração do domingo é muito importante. Alguns anos atrás, recebi este e-mail de uma senhora e filha que participaram da Igreja Cypress Creek pela primeira vez. Estou lhe dando uma versão editada.

“Olá, Pastor Campbell. Minha filha (três anos) e eu visitei Cypress Creek esta manhã pela primeira vez. Eu sou uma mãe solteira com um monte de apoio familiar e uma professora no Dahlstrom Junior High. Eu fui criada em Dallas, fui para Baylor, me mudei para Austin para a escola de graduação há dez anos e nunca mais fui embora. O diretor da minha escola (que é membro da sua igreja) sugeriu que tentássemos a Cypress Creek. Antes que meu chefe chegasse no campus da igreja, minha filha já havia feito quatro amigos. Seus pais se ofereceram para me levar ao Centro de Crianças e me mostrar como o ministério das crianças funciona. Minha filha teve muitos problemas de saúde, então somos uma dupla excessivamente pegajosa. Eu pedi que ela se sentisse confiante e livre para ir com as crianças. Ela fez isso. Uma garota de quatro anos mostrou-lhe todos os brinquedos enquanto a mãe dela me convidava para um grupo. Recebi um total de quatro abraços de senhoras que conheci esta manhã, e minha filha disse que sentiu o amor de Deus ao seu redor… Eu também. Que manhã verdadeiramente amável. Vejo você na próxima semana e obrigada. ”

Esses convidados foram abraçados (literalmente), amaram e guiaram-se bem na sua visita inicial ao culto de Celebração. Além disso, uma das mães da igreja (que lidera um grupo com seu marido) convidou essa mãe e filho para um grupo. SIM! SIM! Assim que se faz!

De fato, a Igreja Cypress Creek perde a marca em muitas ocasiões em relação à hospitalidade. Fico triste quando isso ocorre. No entanto, pressionamos a procurar expressar este dom espiritual da hospitalidade.

“Senhor, nos dê olhos para ver e corações cuidadosos para ajudar os outros a experimentar uma comunidade de fé e cristianismo relacional”.

Spanish blog:

El regalo de la hospitalidad

Por el pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Recibir invitados de buena manera en tu célula y la celebración del domingo es muy importante. Hace unos años, recibí este correo electrónico de una señora y su hija. Ellas asistieron a Cypress Creek Church por primera vez. Les mostrare una versión editada.

“Hola, Pastor Campbell. Mi hija (tres años) y yo visitamos Cypress Creek esta mañana por primera vez. Soy una madre soltera con toneladas de apoyo familiar y maestra en Dahlstrom Junior High. Crecí en Dallas, fui a Baylor, me mudé a Austin para la escuela de posgrado hace diez años, y nunca me fui. El director de mi escuela (que es miembro de CCC) sugirió que asistiéramos a Cypress Creek. Antes de que mi jefe llegara al campus de la CCC, mi hija ya había hecho cuatro amigos. Sus padres me ofrecieron llevarme al Centro de Niños y mostrarme cómo funciona el ministerio. Mi hija ha tenido muchos problemas de salud, así que somos un dúo excesivamente unido. Había orado para que ella se sintiera segura y libre de ir al tiempo de los niños y así lo hizo, una niña de cuatro años le mostró todos los juguetes mientras su madre me invitaba a una célula. Recibí un total de cuatro abrazos de mujeres que conocí esta mañana, y mi hija me dijo que sentía el amor de Dios a su alrededor… Yo también. Que mañana tan encantadora. Nos vemos la próxima semana y gracias”.

Estos invitados fueron abrazados (literalmente), amados y guiados de buena manera en su visita inicial a Celebración (servicio dominical). Además, una de las madres de CCC (que lidera un grupo con su esposo) invitó a esta madre e hija a una célula. ¡SÍ! ¡SÍ! ¡Esta es la manera!

De hecho, CCC pierde la marca en muchas ocasiones con respecto a la hospitalidad. Me entristezco cuando esto sucede. Sin embargo, seguimos buscando expresar este don espiritual de la hospitalidad.

“Señor, danos ojos para ver y cuidar corazones para ayudar a otros a experimentar una comunidad de fe y cristianismo relacional”.

Don’t Wait for the Brick

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

A young and successful executive was traveling down a neighborhood street, going a bit too fast in his new Jaguar.  He was watching for kids darting out from between parked cars and slowed down when he thought he saw something.  As his car passed, no children appeared.  Instead, a brick smashed into the Jag’s side door! He slammed on the brakes and spun the Jag back to the spot from where the brick had been thrown. He jumped out of the car, grabbed some kid and pushed him up against a parked car shouting, “What was that all about and who are you? Just what the heck are you doing?!!”  Building up a head of steam he went on. “That’s a new car, and that brick you threw is going to cost a lot of money. Why did you do it?!!”  “Please, mister, please. I’m sorry, I didn’t know what else to do!” pleaded the youngster.  “I threw the brick because no one else would stop.”

Tears were dripping down the boy’s chin as he pointed around the parked car.  “It’s my brother,” he said. “He rolled off the curb, fell out of his wheelchair, and I can’t lift him up.”  Sobbing, the boy asked the executive, “Would you please help me get him back into his wheelchair?  He’s hurt, and he’s too heavy for me.”  Moved beyond words, the driver tried to swallow the rapidly swelling lump in his throat.

He lifted the young man back into the wheelchair and took out his handkerchief and wiped the scrapes and cuts, checking to see that everything was going to be okay.  “Thank you and God bless you,” the grateful child said to him.

The man then watched the little boy push his brother down the sidewalk toward their home. It was a long walk back for the man to his Jaguar…a long, slow walk.  He never did repair the side door.  He kept the dent to remind him not to go through life so fast that someone must throw a brick at you to get your attention.

God whispers in your soul and speaks to your heart.  Sometimes when you don’t have time to listen, He must throw a “brick” at you.  It’s your choice:  Listen to the whisper — or wait for the brick.

“Be still [quit striving] and know that I am God…”   Psalm 46:10

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Não Espere Pelo Tijolo”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Um executivo jovem e bem sucedido estava viajando por uma rua de bairro, indo um pouco rápido demais em sua nova Jaguar. Ele estava tomando cuidado com crianças que passavam pelos carros estacionados e diminuía a velocidade quando achava que via alguma coisa. À medida que seu carro passou, nenhuma criança apareceu. Em vez disso, um tijolo esmagou a porta lateral do Jaguar! Ele freiou rapidamente e virou o Jaguar de volta ao ponto de onde o tijolo tinha sido jogado. Ele pulou do carro, pegou um garoto e o empurrou contra um carro estacionado gritando: “O que foi isso e quem é você? O que diabos você está fazendo?!”. Com vapor saindo de sua cabeça, ele continuou: “Esse é um carro novo, e aquele tijolo que você jogou vai custar muito dinheiro. Por que você fez isso?”. “Por favor, senhor, por favor. Desculpe, eu não sabia mais o que fazer!”, implorou o jovem. “Eu joguei o tijolo porque ninguém mais quis parar”.

As lágrimas escorriam pelo queixo do menino enquanto ele apontava para um carro estacionado. “É meu irmão”, disse ele. “Ele desceu o meio-fio, caiu de sua cadeira de rodas e não consigo levantá-lo”. Soluçando, o menino perguntou ao executivo: “Você poderia me ajudar a levá-lo de volta à sua cadeira de rodas? Ele está machucado e ele é muito pesado para mim”. Movido e sem palavras, o motorista tentou engolir rapidamente o nó em sua garganta.

Ele levantou o jovem de volta para a cadeira de rodas, pegou seu lenço e limpou os arranhões e cortes, verificando se tudo estava bem. “Obrigado e Deus te abençoe”, disse-lhe o menino grato.

O homem então observou o menino empurrar seu irmão pela calçada em direção a sua casa. Foi uma longa caminhada de volta para o homem para o seu Jaguar… Uma caminhada longa e lenta. Ele nunca consertou a porta lateral. Ele manteve o amassado para lembrá-lo de não passar pela vida tão rápido a ponto de alguém precisar jogar um tijolo em você para chamar sua atenção.

Deus sussurra em sua alma e fala ao seu coração. Às vezes, quando você não tem tempo para ouvir, ele precisa jogar um “tijolo” em você. É sua escolha: ouça o sussurro, ou aguarde o tijolo.

“Aquietai-vos [pare de se esforçar], e sabei que eu sou Deus…” Salmos 46:10.

Spanish blog:

“No esperes por el ladrillo”

por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Un joven y exitoso ejecutivo iba manejando por una calle del vecindario, iba un poco rápido en su nuevo Jaguar. Estaba observando a los niños que salían de entre los coches estacionados y frenaba cuando pensaba que había visto algo. Cuando él paso con su coche, no aparecieron niños, en su lugar, un ladrillo se estrelló contra la puerta lateral de su ¡Jaguar!. Frenó violentamente y giró el carro de vuelta al lugar donde el ladrillo había sido arrojado. Saltó del coche, agarró a un niño y lo empujó contra un carro que estaba  estacionado, y comenzó a gritar: “¿Qué fue todo eso y quién eres? ¿Qué diablos estás haciendo? ” muy enojado continuó. “Ese es un coche nuevo, y ese ladrillo que lanzaste va a costar mucho dinero. ¿Por qué lo hiciste? ” Por favor, señor, por favor. ¡Lo siento, no sabía qué más hacer! “, Imploró el joven. “Tiré el ladrillo porque nadie más se detuvo.”

Las lágrimas caían por la barbilla del niño, mientras señalaba a un lado del coche aparcado. -Es mi hermano -dijo-. “Se bajó de la acera, se cayó de su silla de ruedas, y no puedo levantarlo.” Sollozando, el niño le preguntó al ejecutivo, “¿Podría por favor ayudarme a subirlo a su silla de ruedas? Está herido, y es demasiado pesado para mí. Movido más allá de las palabras, el conductor trató de tragar el nudo en su garganta.

Levantó al joven de nuevo en la silla de ruedas y sacó su pañuelo y limpió los rasguños y cortes, cerciorandose de que todo estuviera bien. “Gracias y que Dios le bendiga” le dijo el niño muy  agradecido.

El hombre entonces observó al niño empujar a su hermano por la acera hacia su casa. Para este hombre fue un largo camino de regreso a su Jaguar … un largo y lento camino. Nunca reparó la puerta lateral, dejó la abolladura para recordarse que no iría  por la vida tan rápido,  que alguien debe lanzarle un ladrillo para conseguir su atención.

Dios susurra a tu alma y habla a tu corazón. A veces cuando no tienes tiempo para escuchar, Él debe lanzarte un “ladrillo”. Es tu elección: escuchar el susurro – o esperar por el ladrillo.

“Estad quietos (deja de pelear) conoced que yo soy Dios… ”

Salmos 46:10

Grit

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Angela Lee Duckworth (2013) asks in a TED talk presentation, “But what if doing well in school and in life depends on much more than your ability to learn quickly and easily?” As her monologue continues, she answers this question. “One characteristic emerged as a significant predictor of success. And it wasn’t social intelligence. It wasn’t good looks, physical health, and it wasn’t IQ. It was GRIT… a passion and perseverance for very long-term goals… living like it’s a marathon, not a sprint.”

Duckworth administered high school Juniors surveys regarding this grit factor. The findings suggest that grit is the number one factor in seeing a student graduate from high school. Grit supersedes family income, test scores, and safety in schools. Comparable results were found when West Point cadets and children participating in the National Spelling Bee were surveyed. Grit was the key factor in determining if a cadet would stay in military service or if a child would advance deeper in the competition.

Grit entails resolution, fortitude and courage. While there is immense value in excellent IQ scores, raw talent, and a healthy home life, it appears that true grit wins.

Duckworth asks, “How do I build grit in kids? What do I do to teach kids a solid work ethic? How do I keep them motivated for the long run?” Her candid answer is “I don’t know.” I appreciate her honesty. She is, however, impressed with the work of Dr. Carol Dweck from Stanford University. Dweck postulates that “the ability to learn is not fixed, that it can change with your effort…This idea is called ‘growth mindset’.” Dweck explains, “When kids read and learn about the brain and how it changes and grows in response to challenge, they’re much more likely to persevere when they fail, because they don’t believe that failure is a permanent condition.”

I trust and believe in a God who created me including my mind, body, soul, and spirit. Everything I am comes from Him. With that said, pursuing a strong work ethic, perseverance, and grit are a noble pursuit for all.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Fibra

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Angela Lee Duckworth (2013) pergunta em uma apresentação de comunicação TED: “Mas e se para se sair bem na escola e na vida depender em muito mais do que em sua capacidade de aprender de forma rápida e fácil?”. Conforme seu monólogo continua, ela responde esta pergunta. “Uma característica surgiu como um importante preditor de sucesso. E não é inteligência social. Não é boa aparência, saúde física ou QI. É FIBRA… uma paixão e perseverança para objetivos a longo prazo… viver como uma maratona e não como uma corrida de velocidade”.

Duckworth realizou exames no ensino médio em relação a este fator fibra. Os achados sugerem que a fibra é o fator número um ao ver um estudante graduado do ensino médio. A fibra substitui a renda familiar, os resultados dos exames e a segurança nas escolas. Resultados comparáveis foram encontrados quando cadetes da West Point e crianças que participaram do Concurso Nacional de Ortografia foram pesquisados. A fibra foi o fator-chave para determinar se um cadete permaneceria no serviço militar ou se uma criança avançaria mais na competição.

Fibra implica resolução, fortaleza e coragem. Embora exista um valor imenso em excelentes pontuações de QI, talento bruto e vida familiar saudável, parece que a fibra verdadeira ganha.

Duckworth pergunta: “Como faço para construir essa fibra nas crianças? O que eu faço para ensinar às crianças uma sólida ética de trabalho? Como faço para mantê-las motivados a longo prazo?”. Sua resposta sincera é “Não sei”. Agradeço sua honestidade. No entanto, ela está impressionada com o trabalho da Dra. Carol Dweck da Universidade de Stanford. Dweck postula que “a capacidade de aprender não é fixa, mas pode mudar com seus esforços… Essa idéia é chamada de ‘mentalidade de crescimento'”. Dweck explica: “Quando as crianças lêem e aprendem sobre o cérebro e sobre como ele muda e cresce em resposta aos desafios, elas são muito mais propensas a perseverar quando falham, porque não acreditam que essa falha seja uma condição permanente”.

Confio e acredito em um Deus que me criou, incluindo minha mente, corpo, alma e espírito. Tudo o que eu sou vem dele. Com isso, perseguir uma forte ética de trabalho, perseverança e fibra é uma busca nobre para todos.

Spanish blog:

Determinación

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Angela Lee Duckworth (2013), pregunta en una presentación  TED: “Pero ¿y si desenvolverse bien en la escuela y en la vida depende mucho más que tu habilidad para aprender rápida y fácilmente?” Mientras su monólogo continúa, ella responde esta pregunta. “Una característica surgió, como un indicador significativo de éxito. Y no era la inteligencia social, no era una buena apariencia, salud física, y no era el CI (coeficiente intelectual). Fue la DETERMINACIÓN … una pasión y perseverancia por objetivos a muy largo plazo … viviendo como si fuera un maratón, no una pequeña carrera “.

Duckworth ha administrado encuestas en colegios secundarios sobre este factor de la determinación. Los resultados sugieren que la determinación es el factor número uno al ver a un estudiante graduarse de la escuela secundaria. La determinación  reemplaza el ingreso familiar, los resultados de las pruebas y la seguridad en las escuelas. Se encontraron resultados comparables cuando se encuestó a los cadetes de West Point y a los niños que participaban en la National Spelling Bee (Concurso de deletreo); la determinación fue el factor clave para saber si un cadete permanecería en servicio militar o si un niño avanzaría más en la competencia.

La determinación  implica resolución, fortaleza y coraje. Si bien hay un valor inmenso en excelentes calificaciones de CI, talento en bruto y una vida hogareña saludable, parece que la verdadera determinación gana.

Duckworth pregunta: “¿Cómo construyo determinación en los niños? ¿Qué hago para enseñar a los niños una sólida ética de trabajo? ¿Cómo puedo mantenerlos motivados a largo plazo? “Mi respuesta sincera es” No lo sé. “Aprecio su honestidad, sin embargo, está impresionada con el trabajo del Dra. Carol Dweck de la Universidad de Stanford. Dweck postula que “la capacidad de aprender no es fija, que puede cambiar con tu esfuerzo … Esta idea se llama” mentalidad de crecimiento “. Dweck explica:” Cuando los niños leen y aprenden sobre el cerebro y de la manera de cómo cambia y crece en respuesta a los desafíos, son mucho más propensos a perseverar cuando fallan, porque no creen que el fracaso es una condición permanente “.

Confío y creo en un Dios que me creó incluyendo mi mente, cuerpo, alma y espíritu. Todo lo que soy viene de él. Con eso dicho, perseguir una ética fuerte de trabajo, perseverencia, y determinación es una búsqueda noble para todos.

Integration to Cell Life Versus Cell Gathering

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Integrating others into cell life does not mean simply attending a cell gathering each week. Integration means joining up with others in a set of relationships. One lady recently said, “My husband is out of his element during our actual cell gathering, but when our cell group ministers through sports camps in a poor neighborhood, he comes alive.”

In a recent survey, 67% of Americans resist change. I must confess I don’t get this reality. I’m in the minority. I embrace change. I like change. Mind you; I’m not for change just for change sake. I am, however, for change that keeps things fresh, exciting, life-giving, and battles the mundane.

Is it time for a wakeup call for your cell? Certainly, you’ve heard the phrase: “Familiarity breeds contempt.” Maybe a change for how you do cell life is at hand. This change may attract those that reduce cell life to merely showing up at a meeting. Your desire to integrate others just might expand as you think creatively. Let me give you one thought on how you might change the life of your cell group.

For illustrative purposes, let’s agree that a healthy cell gathers together weekly. Joel is a big advocate of such a thought, and I concur. Gathering together weekly does not mean that the cell has to do the same thing every week. Isn’t this correct? For example, what would it look like if your cell gathered together the first and third week of every month in a home for a “traditional” cell gathering? In other words, your cell connects with God and each other in a living room filled with worship, discussion, prayer, and more. I trust there is a lot of laughter, encouragement, and such in the house.

Let’s continue. Now, what would it look like if on the second week of each month your cell served the neighborhood? For example, your cell hosted a free cookout for your block, cleaned up the neighborhood park, or spruced up an elderly neighbor’s yard. Indeed, your worship would look different this week!

Further, what if your cell served the city on the fourth week of every month? Your cell could feed the homeless, rake up leaves at the city park, or replenish the local food bank. I’m convinced that a cell needs to permeate the neighborhood and city with the love of Christ. The suggested methodology described above will help one battle the mundane.

Break out of the four walls. Get visible. Meet needs. Be the hands and feet of Christ. I trust that you will find new life in your set of relationships as you serve others.

Comments?

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Integração à Vida Celular Versus Reunião Celular”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Integrar os outros na vida das células não significa simplesmente frequentar uma reunião celular toda semana. Integração significa juntar-se com outros em um conjunto de relacionamentos. Uma senhora disse recentemente: “Meu marido está fora do seu elemento durante a nossa reunião celular, mas quando a nossa célula ministra através de campos de esportes em um bairro pobre, ele ganha vida”.

Em uma pesquisa recente, descobriu-se que 67% dos americanos resistem à mudança. Devo confessar que não entendo essa realidade. Estou na minoria. Eu aceito a mudança. Eu gosto de mudar. Cuidado com você; Eu não mudo apenas por gostar de mudança. Eu gosto, no entanto, de mudanças que mantêm as coisas frescas, excitantes, vivificantes e batalham o mundano.

Será que é hora de um chamado de ativação para sua célula? Provavelmente você já ouviu a frase: “A familiaridade gera desdém”. Talvez seja necessária uma mudança para a vida celular. Essa mudança pode atrair aqueles que reduzem a vida celular a apenas comparecer em uma reunião. Seu desejo de integrar os outros só pode expandir-se à medida que você pensa criativamente. Deixe-me dar-lhe um pensamento sobre como você pode mudar a vida da sua célula.

Para fins ilustrativos, vamos concordar que uma célula saudável se reúne semanalmente. Joel é um grande defensor de tal pensamento, e eu concordo. Mas reunir semanalmente não significa que a célula tenha que fazer a mesma coisa todas as semanas. Certo? Por exemplo, como seria se a sua célula se reunisse na primeira e na terceira semana de cada mês em uma casa para uma reunião celular “tradicional”? Em outras palavras, sua célula se conecta com Deus e entre eles em uma sala cheia de adoração, discussão, oração e muito mais. Eu confio que há muita risada, encorajamento na casa.

Vamos continuar. Agora, como seria se na segunda semana de cada mês, sua célula servisse o bairro? Por exemplo, sua célula ofereceu um piquenique gratuito para o seu quarteirão, limpou o parque do bairro ou arrumou o quintal de um vizinho idoso. De fato, sua adoração ficaria diferente esta semana!

Além disso, e se sua célula servisse a cidade na quarta semana de cada mês? Sua célula poderia alimentar os sem-teto, recolher as folhas secas no parque da cidade ou reabastecer o banco local de alimentos. Estou convencido de que uma célula precisa permear o bairro e a cidade com o amor de Cristo. A metodologia sugerida descrita acima ajudará a lutar contra o mundano.

Saia das quatro paredes. Fique visível. Conheça as necessidades. Seja as mãos e os pés de Cristo. Eu confio que você encontrará uma nova vida em seu conjunto de relacionamentos à medida que você serve os outros.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

“La integración a la vida celular frente a la reunión celular”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Integrar a otros en la vida celular no significa simplemente asistir a una reunión celular cada semana. Integración, significa unirse con otros en un conjunto de relaciones. Recientemente una señora me dijo: “Mi esposo está fuera de su elemento durante nuestra reunión celular, pero cuando nuestro grupo celular ministra a través de campamentos deportivos en un barrio pobre, Él se anima”.

En una encuesta reciente, el 67% de los estadounidenses se resisten al cambio. Debo confesar que no entiendo esto;  yo soy parte de la minoría, abrazo el cambio, me gusta el cambio. Eso sí; no me gusta el cambio sólo por el hecho de cambiar. No obstante, me gusta el cambio que mantiene las cosas frescas, emocionante, que da vida, y que batalla contra lo mundano.

¿Es hora de una llamada de atención para tu célula? Seguramente, has escuchado  la frase: “La familiaridad engendra desprecio.” Tal vez un cambio en la manera en que desarrollas tu vida celular está cerca. Este cambio puede atraer a aquellos, que reducen su vida celular a simplemente estar en una reunión. Su deseo de integrar a otros, podría expandirse a medida que piensa de manera creativa. Déjame darte una idea sobre cómo podrías cambiar la vida de tu grupo celular.

Para fines ilustrativos, hay que estar de acuerdo en que una célula sana se reúne semanalmente. Joel es un gran defensor de este pensamiento, y  yo estoy de acuerdo con él. Reunirse semanalmente no significa que la célula tiene que hacer lo mismo cada semana. ¿No es esto correcto? Por ejemplo, ¿qué aspecto tendría si su célula se reuniera la primera y tercera semana de cada mes en un hogar para una reunión de célula “tradicional”? En otras palabras, su célula se conecta con Dios y con los demás en una sala llena de adoración, discusión, oración y más. Se que hay mucha risa y animo en esta casa.

Continuemos. Ahora, ¿cómo sería su célula si en la segunda semana de cada mes, sirviera en el vecindario? Por ejemplo, su célula hace una barbacoa gratis para su cuadra, limpia el parque del vecindario, o arregla el patio de un vecino mayor. Claro que, su adoración se vería diferente esa semana!

Además, ¿qué pasaría si su célula sirve a la ciudad en la cuarta semana de cada mes? Su célula podría alimentar a los desamparados, recoger las hojas en el parque de la ciudad, o recolectar víveres para el banco de alimentos local. Estoy convencido de que una célula necesita permear el barrio y la ciudad con el amor de Cristo. La metodología sugerida,  anteriormente ayudará a la batalla en contra de lo mundano.

Sal de las cuatro paredes. Hazte visible. Satisface las necesidades. Se las manos y los pies de Cristo. Confío en que encuentres una nueva vida en tu conjunto de relaciones mientras sirves a los demás.

¿Comentarios?

Rob

How One Pastor Experienced Relief

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Let me tell you a brief story about my friend Patrick.

I will not soon forget a conversation I had with Patrick during my third visit to his country while driving from his hometown of Redcliffe to the nation’s capital of Harare. I had noticed that the various churches that he had planted in Zimbabwe revolved around his personality, vision, passion and fabulous leadership skills. Yet, I did not say anything to Patrick. I observed him answering unending phone calls and running continual errands while simultaneously trying to pastor a growing church and lead his own family. On this day, Patrick began our conversation. “Rob, I’m tired. Everything revolves around me. I am the hub in the middle of the wheel. Nothing goes forward without me. It seems as if I would die, then the ministry would cease to exist.” I smiled and let him continue. I listened to him for at least one hour. I hurt for him. This is a man who has a gigantic heart for God and his country. I sensed God was ready to show up in that rented SUV and He did.

I did my best to extend care and comfort to Patrick. I praised him for being an incredible man after God’s own heart. I encouraged him to ponder the structure of the twenty-six churches that he planted. I made some observations based on my previous visits to the churches in this exotic land. By the end of our dialogue, God spoke to Patrick, and he has never been the same. He determined that he must empower his people, stop trying to be everything to everybody, and transition to cell life and cell structure.

Can you imagine Patrick’s surprise upon returning to Zimbabwe after a six-month absence (visiting friends in the States and the UK) and learning that the church he pastors doubled in size due to the multiplication of healthy, life-giving cells?

Granted, Patrick made a shift in the structure of the church. I’m thinking that most folks reading this post need a minor tweak here or there concerning integration. With that said, here are a few final thoughts.

Be intentional concerning integrating people into a cell group (a set of relationships). Talk about cell life as you are working with a not-yet believer. Invite others to a cell group during Celebration services. Highlight your cell groups via print, social media and verbally from the stage. Have a consistent flow of stories through print or verbal testimonies at Celebration services.

Comments?

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Como Um Pastor Experimentou Alívio”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Deixe-me contar uma breve história sobre meu amigo Patrick.

Não vou esquecer tão facilmente uma conversa que tive com Patrick durante a minha terceira visita ao seu país enquanto dirigia de sua cidade natal de Redcliffe para a capital do país, Harare. Eu notei que as várias igrejas que ele plantou no Zimbábue giravam em torno de sua personalidade, visão, paixão e habilidades incríveis de liderança. No entanto, eu não disse nada ao Patrick. Observei-o respondendo telefonemas intermináveis e executando tarefas contínuas enquanto tentava simultaneamente pastorear uma igreja crescente e liderar sua própria família. Neste dia, Patrick começou nossa conversa. “Rob, eu estou cansado. Tudo gira em torno de mim. Eu sou o centro no meio da roda. Nada vai para frente sem mim. Parece que eu morresse, o ministério deixaria de existir”. Eu sorri e o deixei continuar. Eu o ouvi por pelo menos uma hora. Eu sofri por ele. Este é um homem que tem um coração gigantesco para Deus e para seu país. Percebi que Deus estava pronto para aparecer naquele SUV alugado e Ele apareceu.

Eu fiz o meu melhor para estender cuidado e conforto ao Patrick. Eu o elogiei por ser um homem incrível segundo o coração de Deus. Incentivei-o a ponderar a estrutura das vinte e seis igrejas que plantou. Eu fiz algumas observações com base em minhas visitas anteriores às igrejas nesta terra exótica. Ao final do nosso diálogo, Deus falou com Patrick, e ele nunca mais foi o mesmo. Ele determinou que deveria capacitar seu povo, deixaria de tentar ser tudo para todos e transicionaria para a vida celular e a estrutura celular.

Você pode imaginar a surpresa de Patrick ao retornar ao Zimbábue depois de ficar ausente por seis meses (para visitar amigos nos EUA e no Reino Unido) e descobrir que a igreja que ele pastoreia dobrou em tamanho devido à multiplicação de células sadias e vivificantes?

Isso porque Patrick mudou a estrutura de sua igreja. Penso que a maioria das pessoas que lêem esta publicação precisa de um pequeno ajuste aqui ou ali em relação à integração. Com isso dito, aqui estão alguns pensamentos finais.

Seja intencional quanto à integração de pessoas em uma célula (um conjunto de relacionamentos). Fale sobre a vida celular enquanto trabalha com uma pessoa que ainda não é convertida. Convide as pessoas para uma célula durante os cultos de celebração. Destaque suas células através de impressos, mídia social e verbalmente no púlpito. Tenha um fluxo consistente de histórias através de testemunhos impressos ou verbais nos cultos de celebração.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

Como un Pastor Experimentó Alivio ”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Permítanme contarles una breve historia acerca de mi amigo Patrick.

No olvidaré una conversación que tuve con Patrick durante mi tercera visita a su país, mientras conducía desde su ciudad natal de Redcliffe a la capital de la nación de Harare. Había notado que las varias iglesias que había plantado en Zimbabwe giraban en torno a su personalidad, visión, pasión y fabulosas habilidades de liderazgo, sin embargo, no le dije nada de esto a Patrick. Lo observé contestando interminables llamadas telefónicas y atendiendo continuas tareas, y al mismo tiempo tratando de pastorear una iglesia en crecimiento y dirigir a su propia familia. En este día, Patrick comenzó nuestra conversación. “Rob, estoy cansado, todo gira en torno a mí, soy el centro, en el centro de la rueda, nada sale adelante sin mí, parece como si me muriera, entonces el ministerio dejaría de existir”. Sonreí y lo deje continuar. Lo escuché por lo menos una hora. Me sentia mal por él. Este es un hombre que tiene un corazón gigantesco para Dios y su país. Y sentí que Dios estaba listo para aparecer en esa camioneta alquilada y Él lo hizo.

Hice todo lo posible para ayudar y consolar a Patrick, le hice saber que es un hombre increíble según el corazón de Dios, lo animé a reflexionar sobre la estructura de las veintiséis iglesias que ha plantado; le hice algunas observaciones basadas en mis visitas anteriores a las iglesias en esta tierra exótica. Al final de nuestro diálogo, Dios habló con Patrick, y él nunca fue el mismo. El tuvo la determinación de que debe potenciar a su pueblo, dejar de tratar de ser todo, y hacer la transición a la vida y estructura celular.

¿Puedes imaginar la sorpresa de Patrick al regresar a Zimbabwe después de una ausencia de seis meses (visitando amigos en los Estados Unidos y el Reino Unido) y sabiendo que la iglesia que el pastorea se duplico en tamaño debido a la multiplicación de las vivificantes y saludables células?

En resumen, Patrick hizo un cambio en la estructura de la iglesia. Pienso que la mayoría de la gente leyendo este post necesita un pequeño arreglo aquí o allí con respecto a la integración. Con esto dicho, aquí están algunos pensamientos finales.

Se proactivo con respecto a la integración de personas a las células (un conjunto de relaciones). Habla acerca de las células, cómo si lo hicieras con alguien no cristiano. Invita a otras personas a una célula durante los servicios de Celebración (culto). Haz resaltar tu célula a través de impresiones, medios sociales y verbalmente desde el púlpito. Ten un flujo constante de historias a través de testimonios impresos o verbales en los servicios de Celebración. (Culto)

Comentarios?

Rob

Soul Care and Sabbath Rest

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey wrote: “Statistics say that the leader’s spiritual life is the most important in both pastoring a cell group and making disciples who make disciples that result in multiplication.”

One way to maintain spiritual health and avoid burnout is by honoring the Sabbath (“cease to exist, to stop, to bring things to a halt, a DAY OF REST”).  The command to observe the Sabbath is one of the Big Ten, isn’t it?

Here are some things to consider regarding the Sabbath:

Sabbath is a matter of rest, not ritual.

“Work six days only, but the seventh day must be a day of total rest.”  Exodus 31:15a

“He leads me beside quiet waters, he restores my soul.”               Psalm 23:2

“Come with me by yourselves to a quiet place and get some rest.”                  Mark 6:31

“It’s useless to rise up early and go to bed late and work your worried fingers to the bone.  Don’t you know He enjoys giving rest to those he loves?”                                        Psalm 127:2

One’s principle behind the Sabbath will determine the priority of the Sabbath (Mark 2:23-28).

The Sabbath is a matter of good, not greed (Matthew 12:9-12).

The Sabbath is a matter of Lordship over legalism.

“For the Son of Man is Lord of the Sabbath.”  Matthew 12:8

Now, consider the following three questions.  First, what day each week is your Sabbath?  How do you refresh your spirit?  What do you need to change in your schedule?

Before you move on to something else right now, please read Isaiah 58:12-14.

Comments?

 Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Cuidado da Alma e Descanso Sabático

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey escreveu: “As estatísticas dizem que a vida espiritual do líder é o mais importante, tanto ao pastorear uma célula como ao fazer discípulos que fazem discípulos e que resultam na multiplicação”.

Uma maneira de manter a saúde espiritual e evitar o esgotamento é honrar o Sábado/Dia Sabático (“deixar de existir, parar, dar uma pausa nas coisas, um DIA DE DESCANÇO”). A ordenança para guardar o sábado é uma das Dez Grandes, não é?

Aqui estão algumas coisas a considerar em relação ao sábado:

O sábado é uma questão de descanso, não um ritual.

“Em seis dias qualquer trabalho poderá ser feito, mas o sétimo dia é o sábado, o dia de descanso” (Êxodo 31:15a).

“Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranquilas” (Salmos 23:2).

Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco (Marcos 6:31).

“Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ama” (Salmos 127:2).

O princípio de alguém por trás do sábado determinará a prioridade do sábado (Marcos 2:23-28).

O sábado é uma questão de bem, não de ganância (Mateus 12:9-12).

O sábado é uma questão de Senhorio sobre o legalismo.

“Pois o Filho do homem é Senhor do sábado” (Mateus 12:8).

Agora, considere as seguintes três perguntas. Primeiro, que dia da semana é o seu dia sabático? Como você renova seu espírito? O que você precisa mudar na sua agenda?

Antes que você faça outra coisa agora, por favor leia Isaías 58:12-14.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

Cuidando del alma y el reposo sabático

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey escribió: “Las estadísticas dicen que la vida espiritual del líder es la más importante tanto en el pastoreo celular como en hacer discípulos que hagan discípulos, que resultan en la multiplicación”.

Una manera de mantener la salud espiritual y evitar el agotamiento es honrando el sábado (“dejar de existir, detenerse, ponerle un alto a todo, un DÍA DE DESCANSO”). La orden de observar el Sábado es uno de los Diez Mandamientos. ¿no?

Aquí hay algunos aspectos a considerar con respecto al sábado:

El Sábado es una cuestión de descanso, no de ritual.

“Durante seis días se podrá trabajar, pero en el séptimo, el sábado, será de reposo consagrado al Señor.” Éxodo 31: 15 NVI

“En verdes pastos me hace descansar. Junto a tranquilas aguas me conduce, él restaura mi alma.” Salmo 23: 2 NVI

“Vengan conmigo ustedes solos a un lugar tranquilo y descansen un poco” Marcos 6:31 NVI

“En vano madrugan ustedes, y se acuestan muy tarde, para comer un pan de fatigas, porque Dios concede el sueño a sus amados” Salmo 127: 2 NVI

El principio propio, acerca del Sábado determinará la prioridad del mismo. (Marcos 2: 23-28). NVI

El sábado es una cuestión de bien, no de avaricia (Mateo 12: 9-12). NVI

El Sábado es una cuestión de Señorío sobre el legalismo.

“Sepan que el Hijo del Hombre es Señor del sábado.” Mateo 12: 8 NVI

Ahora, considera las siguientes tres preguntas. Primero, ¿qué día de la semana es tu Sábado? ¿Cómo refrescas tu espíritu? ¿Qué necesitas cambiar en tu horario?

Antes de hacer algo más, lee en este momento, Isaías 58: 12-14.

¿Comentarios?

Rob