The Gift of Hospitality

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Receiving guests well at your group and Sunday’s Celebration is very important.  A few years ago, I received this email from a lady and daughter who attended Cypress Creek Church for the first time.  I’m giving you an edited version.

“Hello, Pastor Campbell.  My daughter (three years old) and I visited Cypress Creek this morning for the first time. I’m a single mommy with tons of family support and a teacher at Dahlstrom Junior High. I was raised in Dallas, went to Baylor, moved to Austin for Grad school ten years ago, and never left. The Principal at my school (who is a CCC member) suggested we try Cypress Creek. Before my boss had arrived on the CCC campus, my daughter had already made four friends.  Their parents offered to take me over to the Children’s Center and show me how the kids’ ministry works.  My daughter has had a lot of health issues, so we are pretty much an overly clingy duo. I had prayed she would feel confident and free to go to the kids’ time. She did. A four-year-old girl showed her all of the toys as her mother invited me to a group. I received a total of four hugs from ladies I met this morning, and my daughter said she felt God’s love all around her…. Me too. What a truly lovely morning. See you next week and thank you.”

These guests were embraced (literally), loved, and guided well on their initial visit to Celebration.  Further, one of CCC’s moms (who leads a group with her husband) invited this mom and child to a group.  YES!  YES!  Way to go!

Indeed, CCC misses the mark on many occasions regarding hospitality.  I am saddened when this takes place.  Yet, we press on seeking to express this spiritual gift of hospitality.

“Lord, give us eyes to see and caring hearts to help others experience a community of faith and relational Christianity.”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Dom da Hospitalidade

Pelo pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Receber bem os convidados em seu grupo e na Celebração do domingo é muito importante. Alguns anos atrás, recebi este e-mail de uma senhora e filha que participaram da Igreja Cypress Creek pela primeira vez. Estou lhe dando uma versão editada.

“Olá, Pastor Campbell. Minha filha (três anos) e eu visitei Cypress Creek esta manhã pela primeira vez. Eu sou uma mãe solteira com um monte de apoio familiar e uma professora no Dahlstrom Junior High. Eu fui criada em Dallas, fui para Baylor, me mudei para Austin para a escola de graduação há dez anos e nunca mais fui embora. O diretor da minha escola (que é membro da sua igreja) sugeriu que tentássemos a Cypress Creek. Antes que meu chefe chegasse no campus da igreja, minha filha já havia feito quatro amigos. Seus pais se ofereceram para me levar ao Centro de Crianças e me mostrar como o ministério das crianças funciona. Minha filha teve muitos problemas de saúde, então somos uma dupla excessivamente pegajosa. Eu pedi que ela se sentisse confiante e livre para ir com as crianças. Ela fez isso. Uma garota de quatro anos mostrou-lhe todos os brinquedos enquanto a mãe dela me convidava para um grupo. Recebi um total de quatro abraços de senhoras que conheci esta manhã, e minha filha disse que sentiu o amor de Deus ao seu redor… Eu também. Que manhã verdadeiramente amável. Vejo você na próxima semana e obrigada. ”

Esses convidados foram abraçados (literalmente), amaram e guiaram-se bem na sua visita inicial ao culto de Celebração. Além disso, uma das mães da igreja (que lidera um grupo com seu marido) convidou essa mãe e filho para um grupo. SIM! SIM! Assim que se faz!

De fato, a Igreja Cypress Creek perde a marca em muitas ocasiões em relação à hospitalidade. Fico triste quando isso ocorre. No entanto, pressionamos a procurar expressar este dom espiritual da hospitalidade.

“Senhor, nos dê olhos para ver e corações cuidadosos para ajudar os outros a experimentar uma comunidade de fé e cristianismo relacional”.

Spanish blog:

El regalo de la hospitalidad

Por el pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Recibir invitados de buena manera en tu célula y la celebración del domingo es muy importante. Hace unos años, recibí este correo electrónico de una señora y su hija. Ellas asistieron a Cypress Creek Church por primera vez. Les mostrare una versión editada.

“Hola, Pastor Campbell. Mi hija (tres años) y yo visitamos Cypress Creek esta mañana por primera vez. Soy una madre soltera con toneladas de apoyo familiar y maestra en Dahlstrom Junior High. Crecí en Dallas, fui a Baylor, me mudé a Austin para la escuela de posgrado hace diez años, y nunca me fui. El director de mi escuela (que es miembro de CCC) sugirió que asistiéramos a Cypress Creek. Antes de que mi jefe llegara al campus de la CCC, mi hija ya había hecho cuatro amigos. Sus padres me ofrecieron llevarme al Centro de Niños y mostrarme cómo funciona el ministerio. Mi hija ha tenido muchos problemas de salud, así que somos un dúo excesivamente unido. Había orado para que ella se sintiera segura y libre de ir al tiempo de los niños y así lo hizo, una niña de cuatro años le mostró todos los juguetes mientras su madre me invitaba a una célula. Recibí un total de cuatro abrazos de mujeres que conocí esta mañana, y mi hija me dijo que sentía el amor de Dios a su alrededor… Yo también. Que mañana tan encantadora. Nos vemos la próxima semana y gracias”.

Estos invitados fueron abrazados (literalmente), amados y guiados de buena manera en su visita inicial a Celebración (servicio dominical). Además, una de las madres de CCC (que lidera un grupo con su esposo) invitó a esta madre e hija a una célula. ¡SÍ! ¡SÍ! ¡Esta es la manera!

De hecho, CCC pierde la marca en muchas ocasiones con respecto a la hospitalidad. Me entristezco cuando esto sucede. Sin embargo, seguimos buscando expresar este don espiritual de la hospitalidad.

“Señor, danos ojos para ver y cuidar corazones para ayudar a otros a experimentar una comunidad de fe y cristianismo relacional”.

Don’t Wait for the Brick

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

A young and successful executive was traveling down a neighborhood street, going a bit too fast in his new Jaguar.  He was watching for kids darting out from between parked cars and slowed down when he thought he saw something.  As his car passed, no children appeared.  Instead, a brick smashed into the Jag’s side door! He slammed on the brakes and spun the Jag back to the spot from where the brick had been thrown. He jumped out of the car, grabbed some kid and pushed him up against a parked car shouting, “What was that all about and who are you? Just what the heck are you doing?!!”  Building up a head of steam he went on. “That’s a new car, and that brick you threw is going to cost a lot of money. Why did you do it?!!”  “Please, mister, please. I’m sorry, I didn’t know what else to do!” pleaded the youngster.  “I threw the brick because no one else would stop.”

Tears were dripping down the boy’s chin as he pointed around the parked car.  “It’s my brother,” he said. “He rolled off the curb, fell out of his wheelchair, and I can’t lift him up.”  Sobbing, the boy asked the executive, “Would you please help me get him back into his wheelchair?  He’s hurt, and he’s too heavy for me.”  Moved beyond words, the driver tried to swallow the rapidly swelling lump in his throat.

He lifted the young man back into the wheelchair and took out his handkerchief and wiped the scrapes and cuts, checking to see that everything was going to be okay.  “Thank you and God bless you,” the grateful child said to him.

The man then watched the little boy push his brother down the sidewalk toward their home. It was a long walk back for the man to his Jaguar…a long, slow walk.  He never did repair the side door.  He kept the dent to remind him not to go through life so fast that someone must throw a brick at you to get your attention.

God whispers in your soul and speaks to your heart.  Sometimes when you don’t have time to listen, He must throw a “brick” at you.  It’s your choice:  Listen to the whisper — or wait for the brick.

“Be still [quit striving] and know that I am God…”   Psalm 46:10

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Não Espere Pelo Tijolo”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Um executivo jovem e bem sucedido estava viajando por uma rua de bairro, indo um pouco rápido demais em sua nova Jaguar. Ele estava tomando cuidado com crianças que passavam pelos carros estacionados e diminuía a velocidade quando achava que via alguma coisa. À medida que seu carro passou, nenhuma criança apareceu. Em vez disso, um tijolo esmagou a porta lateral do Jaguar! Ele freiou rapidamente e virou o Jaguar de volta ao ponto de onde o tijolo tinha sido jogado. Ele pulou do carro, pegou um garoto e o empurrou contra um carro estacionado gritando: “O que foi isso e quem é você? O que diabos você está fazendo?!”. Com vapor saindo de sua cabeça, ele continuou: “Esse é um carro novo, e aquele tijolo que você jogou vai custar muito dinheiro. Por que você fez isso?”. “Por favor, senhor, por favor. Desculpe, eu não sabia mais o que fazer!”, implorou o jovem. “Eu joguei o tijolo porque ninguém mais quis parar”.

As lágrimas escorriam pelo queixo do menino enquanto ele apontava para um carro estacionado. “É meu irmão”, disse ele. “Ele desceu o meio-fio, caiu de sua cadeira de rodas e não consigo levantá-lo”. Soluçando, o menino perguntou ao executivo: “Você poderia me ajudar a levá-lo de volta à sua cadeira de rodas? Ele está machucado e ele é muito pesado para mim”. Movido e sem palavras, o motorista tentou engolir rapidamente o nó em sua garganta.

Ele levantou o jovem de volta para a cadeira de rodas, pegou seu lenço e limpou os arranhões e cortes, verificando se tudo estava bem. “Obrigado e Deus te abençoe”, disse-lhe o menino grato.

O homem então observou o menino empurrar seu irmão pela calçada em direção a sua casa. Foi uma longa caminhada de volta para o homem para o seu Jaguar… Uma caminhada longa e lenta. Ele nunca consertou a porta lateral. Ele manteve o amassado para lembrá-lo de não passar pela vida tão rápido a ponto de alguém precisar jogar um tijolo em você para chamar sua atenção.

Deus sussurra em sua alma e fala ao seu coração. Às vezes, quando você não tem tempo para ouvir, ele precisa jogar um “tijolo” em você. É sua escolha: ouça o sussurro, ou aguarde o tijolo.

“Aquietai-vos [pare de se esforçar], e sabei que eu sou Deus…” Salmos 46:10.

Spanish blog:

“No esperes por el ladrillo”

por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Un joven y exitoso ejecutivo iba manejando por una calle del vecindario, iba un poco rápido en su nuevo Jaguar. Estaba observando a los niños que salían de entre los coches estacionados y frenaba cuando pensaba que había visto algo. Cuando él paso con su coche, no aparecieron niños, en su lugar, un ladrillo se estrelló contra la puerta lateral de su ¡Jaguar!. Frenó violentamente y giró el carro de vuelta al lugar donde el ladrillo había sido arrojado. Saltó del coche, agarró a un niño y lo empujó contra un carro que estaba  estacionado, y comenzó a gritar: “¿Qué fue todo eso y quién eres? ¿Qué diablos estás haciendo? ” muy enojado continuó. “Ese es un coche nuevo, y ese ladrillo que lanzaste va a costar mucho dinero. ¿Por qué lo hiciste? ” Por favor, señor, por favor. ¡Lo siento, no sabía qué más hacer! “, Imploró el joven. “Tiré el ladrillo porque nadie más se detuvo.”

Las lágrimas caían por la barbilla del niño, mientras señalaba a un lado del coche aparcado. -Es mi hermano -dijo-. “Se bajó de la acera, se cayó de su silla de ruedas, y no puedo levantarlo.” Sollozando, el niño le preguntó al ejecutivo, “¿Podría por favor ayudarme a subirlo a su silla de ruedas? Está herido, y es demasiado pesado para mí. Movido más allá de las palabras, el conductor trató de tragar el nudo en su garganta.

Levantó al joven de nuevo en la silla de ruedas y sacó su pañuelo y limpió los rasguños y cortes, cerciorandose de que todo estuviera bien. “Gracias y que Dios le bendiga” le dijo el niño muy  agradecido.

El hombre entonces observó al niño empujar a su hermano por la acera hacia su casa. Para este hombre fue un largo camino de regreso a su Jaguar … un largo y lento camino. Nunca reparó la puerta lateral, dejó la abolladura para recordarse que no iría  por la vida tan rápido,  que alguien debe lanzarle un ladrillo para conseguir su atención.

Dios susurra a tu alma y habla a tu corazón. A veces cuando no tienes tiempo para escuchar, Él debe lanzarte un “ladrillo”. Es tu elección: escuchar el susurro – o esperar por el ladrillo.

“Estad quietos (deja de pelear) conoced que yo soy Dios… ”

Salmos 46:10

Grit

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Angela Lee Duckworth (2013) asks in a TED talk presentation, “But what if doing well in school and in life depends on much more than your ability to learn quickly and easily?” As her monologue continues, she answers this question. “One characteristic emerged as a significant predictor of success. And it wasn’t social intelligence. It wasn’t good looks, physical health, and it wasn’t IQ. It was GRIT… a passion and perseverance for very long-term goals… living like it’s a marathon, not a sprint.”

Duckworth administered high school Juniors surveys regarding this grit factor. The findings suggest that grit is the number one factor in seeing a student graduate from high school. Grit supersedes family income, test scores, and safety in schools. Comparable results were found when West Point cadets and children participating in the National Spelling Bee were surveyed. Grit was the key factor in determining if a cadet would stay in military service or if a child would advance deeper in the competition.

Grit entails resolution, fortitude and courage. While there is immense value in excellent IQ scores, raw talent, and a healthy home life, it appears that true grit wins.

Duckworth asks, “How do I build grit in kids? What do I do to teach kids a solid work ethic? How do I keep them motivated for the long run?” Her candid answer is “I don’t know.” I appreciate her honesty. She is, however, impressed with the work of Dr. Carol Dweck from Stanford University. Dweck postulates that “the ability to learn is not fixed, that it can change with your effort…This idea is called ‘growth mindset’.” Dweck explains, “When kids read and learn about the brain and how it changes and grows in response to challenge, they’re much more likely to persevere when they fail, because they don’t believe that failure is a permanent condition.”

I trust and believe in a God who created me including my mind, body, soul, and spirit. Everything I am comes from Him. With that said, pursuing a strong work ethic, perseverance, and grit are a noble pursuit for all.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Fibra

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Angela Lee Duckworth (2013) pergunta em uma apresentação de comunicação TED: “Mas e se para se sair bem na escola e na vida depender em muito mais do que em sua capacidade de aprender de forma rápida e fácil?”. Conforme seu monólogo continua, ela responde esta pergunta. “Uma característica surgiu como um importante preditor de sucesso. E não é inteligência social. Não é boa aparência, saúde física ou QI. É FIBRA… uma paixão e perseverança para objetivos a longo prazo… viver como uma maratona e não como uma corrida de velocidade”.

Duckworth realizou exames no ensino médio em relação a este fator fibra. Os achados sugerem que a fibra é o fator número um ao ver um estudante graduado do ensino médio. A fibra substitui a renda familiar, os resultados dos exames e a segurança nas escolas. Resultados comparáveis foram encontrados quando cadetes da West Point e crianças que participaram do Concurso Nacional de Ortografia foram pesquisados. A fibra foi o fator-chave para determinar se um cadete permaneceria no serviço militar ou se uma criança avançaria mais na competição.

Fibra implica resolução, fortaleza e coragem. Embora exista um valor imenso em excelentes pontuações de QI, talento bruto e vida familiar saudável, parece que a fibra verdadeira ganha.

Duckworth pergunta: “Como faço para construir essa fibra nas crianças? O que eu faço para ensinar às crianças uma sólida ética de trabalho? Como faço para mantê-las motivados a longo prazo?”. Sua resposta sincera é “Não sei”. Agradeço sua honestidade. No entanto, ela está impressionada com o trabalho da Dra. Carol Dweck da Universidade de Stanford. Dweck postula que “a capacidade de aprender não é fixa, mas pode mudar com seus esforços… Essa idéia é chamada de ‘mentalidade de crescimento'”. Dweck explica: “Quando as crianças lêem e aprendem sobre o cérebro e sobre como ele muda e cresce em resposta aos desafios, elas são muito mais propensas a perseverar quando falham, porque não acreditam que essa falha seja uma condição permanente”.

Confio e acredito em um Deus que me criou, incluindo minha mente, corpo, alma e espírito. Tudo o que eu sou vem dele. Com isso, perseguir uma forte ética de trabalho, perseverança e fibra é uma busca nobre para todos.

Spanish blog:

Determinación

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Angela Lee Duckworth (2013), pregunta en una presentación  TED: “Pero ¿y si desenvolverse bien en la escuela y en la vida depende mucho más que tu habilidad para aprender rápida y fácilmente?” Mientras su monólogo continúa, ella responde esta pregunta. “Una característica surgió, como un indicador significativo de éxito. Y no era la inteligencia social, no era una buena apariencia, salud física, y no era el CI (coeficiente intelectual). Fue la DETERMINACIÓN … una pasión y perseverancia por objetivos a muy largo plazo … viviendo como si fuera un maratón, no una pequeña carrera “.

Duckworth ha administrado encuestas en colegios secundarios sobre este factor de la determinación. Los resultados sugieren que la determinación es el factor número uno al ver a un estudiante graduarse de la escuela secundaria. La determinación  reemplaza el ingreso familiar, los resultados de las pruebas y la seguridad en las escuelas. Se encontraron resultados comparables cuando se encuestó a los cadetes de West Point y a los niños que participaban en la National Spelling Bee (Concurso de deletreo); la determinación fue el factor clave para saber si un cadete permanecería en servicio militar o si un niño avanzaría más en la competencia.

La determinación  implica resolución, fortaleza y coraje. Si bien hay un valor inmenso en excelentes calificaciones de CI, talento en bruto y una vida hogareña saludable, parece que la verdadera determinación gana.

Duckworth pregunta: “¿Cómo construyo determinación en los niños? ¿Qué hago para enseñar a los niños una sólida ética de trabajo? ¿Cómo puedo mantenerlos motivados a largo plazo? “Mi respuesta sincera es” No lo sé. “Aprecio su honestidad, sin embargo, está impresionada con el trabajo del Dra. Carol Dweck de la Universidad de Stanford. Dweck postula que “la capacidad de aprender no es fija, que puede cambiar con tu esfuerzo … Esta idea se llama” mentalidad de crecimiento “. Dweck explica:” Cuando los niños leen y aprenden sobre el cerebro y de la manera de cómo cambia y crece en respuesta a los desafíos, son mucho más propensos a perseverar cuando fallan, porque no creen que el fracaso es una condición permanente “.

Confío y creo en un Dios que me creó incluyendo mi mente, cuerpo, alma y espíritu. Todo lo que soy viene de él. Con eso dicho, perseguir una ética fuerte de trabajo, perseverencia, y determinación es una búsqueda noble para todos.

Integration to Cell Life Versus Cell Gathering

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Integrating others into cell life does not mean simply attending a cell gathering each week. Integration means joining up with others in a set of relationships. One lady recently said, “My husband is out of his element during our actual cell gathering, but when our cell group ministers through sports camps in a poor neighborhood, he comes alive.”

In a recent survey, 67% of Americans resist change. I must confess I don’t get this reality. I’m in the minority. I embrace change. I like change. Mind you; I’m not for change just for change sake. I am, however, for change that keeps things fresh, exciting, life-giving, and battles the mundane.

Is it time for a wakeup call for your cell? Certainly, you’ve heard the phrase: “Familiarity breeds contempt.” Maybe a change for how you do cell life is at hand. This change may attract those that reduce cell life to merely showing up at a meeting. Your desire to integrate others just might expand as you think creatively. Let me give you one thought on how you might change the life of your cell group.

For illustrative purposes, let’s agree that a healthy cell gathers together weekly. Joel is a big advocate of such a thought, and I concur. Gathering together weekly does not mean that the cell has to do the same thing every week. Isn’t this correct? For example, what would it look like if your cell gathered together the first and third week of every month in a home for a “traditional” cell gathering? In other words, your cell connects with God and each other in a living room filled with worship, discussion, prayer, and more. I trust there is a lot of laughter, encouragement, and such in the house.

Let’s continue. Now, what would it look like if on the second week of each month your cell served the neighborhood? For example, your cell hosted a free cookout for your block, cleaned up the neighborhood park, or spruced up an elderly neighbor’s yard. Indeed, your worship would look different this week!

Further, what if your cell served the city on the fourth week of every month? Your cell could feed the homeless, rake up leaves at the city park, or replenish the local food bank. I’m convinced that a cell needs to permeate the neighborhood and city with the love of Christ. The suggested methodology described above will help one battle the mundane.

Break out of the four walls. Get visible. Meet needs. Be the hands and feet of Christ. I trust that you will find new life in your set of relationships as you serve others.

Comments?

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Integração à Vida Celular Versus Reunião Celular”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Integrar os outros na vida das células não significa simplesmente frequentar uma reunião celular toda semana. Integração significa juntar-se com outros em um conjunto de relacionamentos. Uma senhora disse recentemente: “Meu marido está fora do seu elemento durante a nossa reunião celular, mas quando a nossa célula ministra através de campos de esportes em um bairro pobre, ele ganha vida”.

Em uma pesquisa recente, descobriu-se que 67% dos americanos resistem à mudança. Devo confessar que não entendo essa realidade. Estou na minoria. Eu aceito a mudança. Eu gosto de mudar. Cuidado com você; Eu não mudo apenas por gostar de mudança. Eu gosto, no entanto, de mudanças que mantêm as coisas frescas, excitantes, vivificantes e batalham o mundano.

Será que é hora de um chamado de ativação para sua célula? Provavelmente você já ouviu a frase: “A familiaridade gera desdém”. Talvez seja necessária uma mudança para a vida celular. Essa mudança pode atrair aqueles que reduzem a vida celular a apenas comparecer em uma reunião. Seu desejo de integrar os outros só pode expandir-se à medida que você pensa criativamente. Deixe-me dar-lhe um pensamento sobre como você pode mudar a vida da sua célula.

Para fins ilustrativos, vamos concordar que uma célula saudável se reúne semanalmente. Joel é um grande defensor de tal pensamento, e eu concordo. Mas reunir semanalmente não significa que a célula tenha que fazer a mesma coisa todas as semanas. Certo? Por exemplo, como seria se a sua célula se reunisse na primeira e na terceira semana de cada mês em uma casa para uma reunião celular “tradicional”? Em outras palavras, sua célula se conecta com Deus e entre eles em uma sala cheia de adoração, discussão, oração e muito mais. Eu confio que há muita risada, encorajamento na casa.

Vamos continuar. Agora, como seria se na segunda semana de cada mês, sua célula servisse o bairro? Por exemplo, sua célula ofereceu um piquenique gratuito para o seu quarteirão, limpou o parque do bairro ou arrumou o quintal de um vizinho idoso. De fato, sua adoração ficaria diferente esta semana!

Além disso, e se sua célula servisse a cidade na quarta semana de cada mês? Sua célula poderia alimentar os sem-teto, recolher as folhas secas no parque da cidade ou reabastecer o banco local de alimentos. Estou convencido de que uma célula precisa permear o bairro e a cidade com o amor de Cristo. A metodologia sugerida descrita acima ajudará a lutar contra o mundano.

Saia das quatro paredes. Fique visível. Conheça as necessidades. Seja as mãos e os pés de Cristo. Eu confio que você encontrará uma nova vida em seu conjunto de relacionamentos à medida que você serve os outros.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

“La integración a la vida celular frente a la reunión celular”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Integrar a otros en la vida celular no significa simplemente asistir a una reunión celular cada semana. Integración, significa unirse con otros en un conjunto de relaciones. Recientemente una señora me dijo: “Mi esposo está fuera de su elemento durante nuestra reunión celular, pero cuando nuestro grupo celular ministra a través de campamentos deportivos en un barrio pobre, Él se anima”.

En una encuesta reciente, el 67% de los estadounidenses se resisten al cambio. Debo confesar que no entiendo esto;  yo soy parte de la minoría, abrazo el cambio, me gusta el cambio. Eso sí; no me gusta el cambio sólo por el hecho de cambiar. No obstante, me gusta el cambio que mantiene las cosas frescas, emocionante, que da vida, y que batalla contra lo mundano.

¿Es hora de una llamada de atención para tu célula? Seguramente, has escuchado  la frase: “La familiaridad engendra desprecio.” Tal vez un cambio en la manera en que desarrollas tu vida celular está cerca. Este cambio puede atraer a aquellos, que reducen su vida celular a simplemente estar en una reunión. Su deseo de integrar a otros, podría expandirse a medida que piensa de manera creativa. Déjame darte una idea sobre cómo podrías cambiar la vida de tu grupo celular.

Para fines ilustrativos, hay que estar de acuerdo en que una célula sana se reúne semanalmente. Joel es un gran defensor de este pensamiento, y  yo estoy de acuerdo con él. Reunirse semanalmente no significa que la célula tiene que hacer lo mismo cada semana. ¿No es esto correcto? Por ejemplo, ¿qué aspecto tendría si su célula se reuniera la primera y tercera semana de cada mes en un hogar para una reunión de célula “tradicional”? En otras palabras, su célula se conecta con Dios y con los demás en una sala llena de adoración, discusión, oración y más. Se que hay mucha risa y animo en esta casa.

Continuemos. Ahora, ¿cómo sería su célula si en la segunda semana de cada mes, sirviera en el vecindario? Por ejemplo, su célula hace una barbacoa gratis para su cuadra, limpia el parque del vecindario, o arregla el patio de un vecino mayor. Claro que, su adoración se vería diferente esa semana!

Además, ¿qué pasaría si su célula sirve a la ciudad en la cuarta semana de cada mes? Su célula podría alimentar a los desamparados, recoger las hojas en el parque de la ciudad, o recolectar víveres para el banco de alimentos local. Estoy convencido de que una célula necesita permear el barrio y la ciudad con el amor de Cristo. La metodología sugerida,  anteriormente ayudará a la batalla en contra de lo mundano.

Sal de las cuatro paredes. Hazte visible. Satisface las necesidades. Se las manos y los pies de Cristo. Confío en que encuentres una nueva vida en tu conjunto de relaciones mientras sirves a los demás.

¿Comentarios?

Rob

How One Pastor Experienced Relief

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Let me tell you a brief story about my friend Patrick.

I will not soon forget a conversation I had with Patrick during my third visit to his country while driving from his hometown of Redcliffe to the nation’s capital of Harare. I had noticed that the various churches that he had planted in Zimbabwe revolved around his personality, vision, passion and fabulous leadership skills. Yet, I did not say anything to Patrick. I observed him answering unending phone calls and running continual errands while simultaneously trying to pastor a growing church and lead his own family. On this day, Patrick began our conversation. “Rob, I’m tired. Everything revolves around me. I am the hub in the middle of the wheel. Nothing goes forward without me. It seems as if I would die, then the ministry would cease to exist.” I smiled and let him continue. I listened to him for at least one hour. I hurt for him. This is a man who has a gigantic heart for God and his country. I sensed God was ready to show up in that rented SUV and He did.

I did my best to extend care and comfort to Patrick. I praised him for being an incredible man after God’s own heart. I encouraged him to ponder the structure of the twenty-six churches that he planted. I made some observations based on my previous visits to the churches in this exotic land. By the end of our dialogue, God spoke to Patrick, and he has never been the same. He determined that he must empower his people, stop trying to be everything to everybody, and transition to cell life and cell structure.

Can you imagine Patrick’s surprise upon returning to Zimbabwe after a six-month absence (visiting friends in the States and the UK) and learning that the church he pastors doubled in size due to the multiplication of healthy, life-giving cells?

Granted, Patrick made a shift in the structure of the church. I’m thinking that most folks reading this post need a minor tweak here or there concerning integration. With that said, here are a few final thoughts.

Be intentional concerning integrating people into a cell group (a set of relationships). Talk about cell life as you are working with a not-yet believer. Invite others to a cell group during Celebration services. Highlight your cell groups via print, social media and verbally from the stage. Have a consistent flow of stories through print or verbal testimonies at Celebration services.

Comments?

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Como Um Pastor Experimentou Alívio”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Deixe-me contar uma breve história sobre meu amigo Patrick.

Não vou esquecer tão facilmente uma conversa que tive com Patrick durante a minha terceira visita ao seu país enquanto dirigia de sua cidade natal de Redcliffe para a capital do país, Harare. Eu notei que as várias igrejas que ele plantou no Zimbábue giravam em torno de sua personalidade, visão, paixão e habilidades incríveis de liderança. No entanto, eu não disse nada ao Patrick. Observei-o respondendo telefonemas intermináveis e executando tarefas contínuas enquanto tentava simultaneamente pastorear uma igreja crescente e liderar sua própria família. Neste dia, Patrick começou nossa conversa. “Rob, eu estou cansado. Tudo gira em torno de mim. Eu sou o centro no meio da roda. Nada vai para frente sem mim. Parece que eu morresse, o ministério deixaria de existir”. Eu sorri e o deixei continuar. Eu o ouvi por pelo menos uma hora. Eu sofri por ele. Este é um homem que tem um coração gigantesco para Deus e para seu país. Percebi que Deus estava pronto para aparecer naquele SUV alugado e Ele apareceu.

Eu fiz o meu melhor para estender cuidado e conforto ao Patrick. Eu o elogiei por ser um homem incrível segundo o coração de Deus. Incentivei-o a ponderar a estrutura das vinte e seis igrejas que plantou. Eu fiz algumas observações com base em minhas visitas anteriores às igrejas nesta terra exótica. Ao final do nosso diálogo, Deus falou com Patrick, e ele nunca mais foi o mesmo. Ele determinou que deveria capacitar seu povo, deixaria de tentar ser tudo para todos e transicionaria para a vida celular e a estrutura celular.

Você pode imaginar a surpresa de Patrick ao retornar ao Zimbábue depois de ficar ausente por seis meses (para visitar amigos nos EUA e no Reino Unido) e descobrir que a igreja que ele pastoreia dobrou em tamanho devido à multiplicação de células sadias e vivificantes?

Isso porque Patrick mudou a estrutura de sua igreja. Penso que a maioria das pessoas que lêem esta publicação precisa de um pequeno ajuste aqui ou ali em relação à integração. Com isso dito, aqui estão alguns pensamentos finais.

Seja intencional quanto à integração de pessoas em uma célula (um conjunto de relacionamentos). Fale sobre a vida celular enquanto trabalha com uma pessoa que ainda não é convertida. Convide as pessoas para uma célula durante os cultos de celebração. Destaque suas células através de impressos, mídia social e verbalmente no púlpito. Tenha um fluxo consistente de histórias através de testemunhos impressos ou verbais nos cultos de celebração.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

Como un Pastor Experimentó Alivio ”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Permítanme contarles una breve historia acerca de mi amigo Patrick.

No olvidaré una conversación que tuve con Patrick durante mi tercera visita a su país, mientras conducía desde su ciudad natal de Redcliffe a la capital de la nación de Harare. Había notado que las varias iglesias que había plantado en Zimbabwe giraban en torno a su personalidad, visión, pasión y fabulosas habilidades de liderazgo, sin embargo, no le dije nada de esto a Patrick. Lo observé contestando interminables llamadas telefónicas y atendiendo continuas tareas, y al mismo tiempo tratando de pastorear una iglesia en crecimiento y dirigir a su propia familia. En este día, Patrick comenzó nuestra conversación. “Rob, estoy cansado, todo gira en torno a mí, soy el centro, en el centro de la rueda, nada sale adelante sin mí, parece como si me muriera, entonces el ministerio dejaría de existir”. Sonreí y lo deje continuar. Lo escuché por lo menos una hora. Me sentia mal por él. Este es un hombre que tiene un corazón gigantesco para Dios y su país. Y sentí que Dios estaba listo para aparecer en esa camioneta alquilada y Él lo hizo.

Hice todo lo posible para ayudar y consolar a Patrick, le hice saber que es un hombre increíble según el corazón de Dios, lo animé a reflexionar sobre la estructura de las veintiséis iglesias que ha plantado; le hice algunas observaciones basadas en mis visitas anteriores a las iglesias en esta tierra exótica. Al final de nuestro diálogo, Dios habló con Patrick, y él nunca fue el mismo. El tuvo la determinación de que debe potenciar a su pueblo, dejar de tratar de ser todo, y hacer la transición a la vida y estructura celular.

¿Puedes imaginar la sorpresa de Patrick al regresar a Zimbabwe después de una ausencia de seis meses (visitando amigos en los Estados Unidos y el Reino Unido) y sabiendo que la iglesia que el pastorea se duplico en tamaño debido a la multiplicación de las vivificantes y saludables células?

En resumen, Patrick hizo un cambio en la estructura de la iglesia. Pienso que la mayoría de la gente leyendo este post necesita un pequeño arreglo aquí o allí con respecto a la integración. Con esto dicho, aquí están algunos pensamientos finales.

Se proactivo con respecto a la integración de personas a las células (un conjunto de relaciones). Habla acerca de las células, cómo si lo hicieras con alguien no cristiano. Invita a otras personas a una célula durante los servicios de Celebración (culto). Haz resaltar tu célula a través de impresiones, medios sociales y verbalmente desde el púlpito. Ten un flujo constante de historias a través de testimonios impresos o verbales en los servicios de Celebración. (Culto)

Comentarios?

Rob

Soul Care and Sabbath Rest

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey wrote: “Statistics say that the leader’s spiritual life is the most important in both pastoring a cell group and making disciples who make disciples that result in multiplication.”

One way to maintain spiritual health and avoid burnout is by honoring the Sabbath (“cease to exist, to stop, to bring things to a halt, a DAY OF REST”).  The command to observe the Sabbath is one of the Big Ten, isn’t it?

Here are some things to consider regarding the Sabbath:

Sabbath is a matter of rest, not ritual.

“Work six days only, but the seventh day must be a day of total rest.”  Exodus 31:15a

“He leads me beside quiet waters, he restores my soul.”               Psalm 23:2

“Come with me by yourselves to a quiet place and get some rest.”                  Mark 6:31

“It’s useless to rise up early and go to bed late and work your worried fingers to the bone.  Don’t you know He enjoys giving rest to those he loves?”                                        Psalm 127:2

One’s principle behind the Sabbath will determine the priority of the Sabbath (Mark 2:23-28).

The Sabbath is a matter of good, not greed (Matthew 12:9-12).

The Sabbath is a matter of Lordship over legalism.

“For the Son of Man is Lord of the Sabbath.”  Matthew 12:8

Now, consider the following three questions.  First, what day each week is your Sabbath?  How do you refresh your spirit?  What do you need to change in your schedule?

Before you move on to something else right now, please read Isaiah 58:12-14.

Comments?

 Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Cuidado da Alma e Descanso Sabático

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey escreveu: “As estatísticas dizem que a vida espiritual do líder é o mais importante, tanto ao pastorear uma célula como ao fazer discípulos que fazem discípulos e que resultam na multiplicação”.

Uma maneira de manter a saúde espiritual e evitar o esgotamento é honrar o Sábado/Dia Sabático (“deixar de existir, parar, dar uma pausa nas coisas, um DIA DE DESCANÇO”). A ordenança para guardar o sábado é uma das Dez Grandes, não é?

Aqui estão algumas coisas a considerar em relação ao sábado:

O sábado é uma questão de descanso, não um ritual.

“Em seis dias qualquer trabalho poderá ser feito, mas o sétimo dia é o sábado, o dia de descanso” (Êxodo 31:15a).

“Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranquilas” (Salmos 23:2).

Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco (Marcos 6:31).

“Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ama” (Salmos 127:2).

O princípio de alguém por trás do sábado determinará a prioridade do sábado (Marcos 2:23-28).

O sábado é uma questão de bem, não de ganância (Mateus 12:9-12).

O sábado é uma questão de Senhorio sobre o legalismo.

“Pois o Filho do homem é Senhor do sábado” (Mateus 12:8).

Agora, considere as seguintes três perguntas. Primeiro, que dia da semana é o seu dia sabático? Como você renova seu espírito? O que você precisa mudar na sua agenda?

Antes que você faça outra coisa agora, por favor leia Isaías 58:12-14.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

Cuidando del alma y el reposo sabático

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Joel Comiskey escribió: “Las estadísticas dicen que la vida espiritual del líder es la más importante tanto en el pastoreo celular como en hacer discípulos que hagan discípulos, que resultan en la multiplicación”.

Una manera de mantener la salud espiritual y evitar el agotamiento es honrando el sábado (“dejar de existir, detenerse, ponerle un alto a todo, un DÍA DE DESCANSO”). La orden de observar el Sábado es uno de los Diez Mandamientos. ¿no?

Aquí hay algunos aspectos a considerar con respecto al sábado:

El Sábado es una cuestión de descanso, no de ritual.

“Durante seis días se podrá trabajar, pero en el séptimo, el sábado, será de reposo consagrado al Señor.” Éxodo 31: 15 NVI

“En verdes pastos me hace descansar. Junto a tranquilas aguas me conduce, él restaura mi alma.” Salmo 23: 2 NVI

“Vengan conmigo ustedes solos a un lugar tranquilo y descansen un poco” Marcos 6:31 NVI

“En vano madrugan ustedes, y se acuestan muy tarde, para comer un pan de fatigas, porque Dios concede el sueño a sus amados” Salmo 127: 2 NVI

El principio propio, acerca del Sábado determinará la prioridad del mismo. (Marcos 2: 23-28). NVI

El sábado es una cuestión de bien, no de avaricia (Mateo 12: 9-12). NVI

El Sábado es una cuestión de Señorío sobre el legalismo.

“Sepan que el Hijo del Hombre es Señor del sábado.” Mateo 12: 8 NVI

Ahora, considera las siguientes tres preguntas. Primero, ¿qué día de la semana es tu Sábado? ¿Cómo refrescas tu espíritu? ¿Qué necesitas cambiar en tu horario?

Antes de hacer algo más, lee en este momento, Isaías 58: 12-14.

¿Comentarios?

Rob

My Mistake:  Being Slow to Resolve Conflict

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

In the first year of our existence as a church family, we experienced zero conflict.  Yes, that is a big statement and one that is hard to believe.  It is, however, true.  Eventually, I began to understand the phrase “motion causes friction.”  Conflict seeped into our church family.

I was slow to resolve conflict. This was a mistake on my part.  I thought the conflict would go away.  When “it” hung around, I hired a “hit man.”  As John Maxwell says, “It’s the Al Capone Remedy.”  This means I would ask a fellow pastor or even cell leader to handle the conflict.  Therefore, I wouldn’t have to deal directly with conflict, and everything would march down the road of “Biblical community” just fine.   Indeed, sometimes the conflict was resolved without any involvement on my part.  Other times, I was simply in denial and lacked the courage to lead well during conflictive times.

We choose to avoid confronting conflict because of fear.  Here are some fears that most of us wrestle with in this context:

  • Fear of being disliked
  • Fear of being misunderstood
  • Fear of rejection
  • Fear of making things worse
  • Fear of the unknown.

I had to learn through God’s grace, love and strength to eradicate these fears through the Holy Spirit within me.  I had to choose faith in Him over fear.  I would like to believe that I have made progress in leading through conflict.  Certainly, I don’t wake up in the morning looking forward to dealing with conflict.  I’m sure the same is true for you.

Years ago, I heard this phrase:  It is more rewarding to resolve a conflict than it is to dissolve a relationship.   Give it some thought.

Learn from my mistake.

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Meu Erro: Ser Lento em Resolver Conflitos

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

No primeiro ano da nossa existência como uma igreja familiar, nós não experimentamos nenhum conflito. Sim, essa é uma grande declaração e uma difícil de se acreditar. É, no entanto, verdade. Eventualmente, eu comecei a acreditar na frase “o movimento causa fricção.” O conflito se infiltrou na nossa igreja familiar.

Eu era devagar para resolver conflitos. Isso foi um erro da minha parte. Eu pensava que o conflito iria embora. Quando isso acontecia, eu chamava um “homem de sucesso”. Como John Maxwell diz, “É o Remédio de Al Capone.” Isso significa que eu perguntaria para um companheiro pastor ou mesmo um líder de célula para lidar com o conflito. Portanto, eu não teria que lidar diretamente com ele, tudo caminharia para a estrada da “Comunidade Bíblica” perfeitamente. De fato, às vezes o conflito se resolvia sem nenhum envolvimento meu. Outras vezes, eu estava simplesmente em negação e faltava a coragem para lidar bem durante momentos conflituosos.

Nós escolhemos evitar confrontar o conflito por causa do medo. Aqui estão alguns medos que a maioria de nós lutávamos nesse contexto:

  • Medo de sofrer antipatia
  • Medo de ser incompreendido
  • Medo de rejeição
  • Medo de tornar as coisas piores
  • Medo do desconhecido

Eu tive que aprender por meio da graça, do amor e da força de Deus para erradicar esses medos através do Espírito Santo dentro de mim. Eu tive que escolher a fé nEle em vez do medo. Eu gostaria de acreditar que eu obtive progresso em liderar através do conflito. Certamente eu não acordo na manhã ansioso por lidar com ele. Eu tenho certeza que é a mesma verdade com você.

Anos atrás eu ouvi essa frase: É mais recompensador resolver um conflito do que é dissolver um relacionamento. Pense nisso.

Aprenda com o meu erro.

Rob

Spanish blog:

“Mi error: ser lento en resolver un conflicto”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

En el primer año de nuestra existencia como familia de la iglesia, experimentamos cero conflictos. Sí, esa es una declaración grande y una que es difícil de creer. Sin embargo, es cierto. Con el tiempo, comencé a entender la frase “el movimiento causa fricción”. El conflicto se infiltró en nuestra familia de la iglesia.

Yo era lento para resolver el conflicto. Esto fue un error de mi parte. Pensé que el conflicto desaparecería. Cuando “el conflicto” se quedo, y contrate a un sicario. Como John Maxwell dijo: “Es el Remedio Al Capone”. Esto significa que pediría a un pastor compañero o líder de la célula que manejara el conflicto. Por lo tanto, no tendría que lidiar directamente con el conflicto, y todo marcharía por el camino de la “comunidad bíblica” muy bien. De hecho, a veces el conflicto se resolvió sin ninguna participación de mi parte. Otras veces, yo estaba simplemente en la negación y no tenía el coraje de dirigir bien durante los tiempos conflictivos.

Elegimos evitar los enfrentamientos y conflictos debido al miedo. Aquí hay algunos temores que la mayoría de nosotros luchamos con en este contexto:

  • Miedo a no ser gustado
  • Miedo a ser malentendido
  • Miedo al rechazo
  • Miedo a empeorar las cosas
  • Miedo a lo desconocido.

Tuve que aprender a través de la gracia de Dios, el amor y la fuerza a erradicar en estos temores a través del Espíritu Santo dentro de mí. Tuve que elegir la fe en Él por miedo. Me gustaría creer que he progresado en la dirección a través del conflicto. Ciertamente, no me despierto en la mañana con ganas de lidiar con el conflicto. Estoy seguro que lo mismo te pasa a ti.

Hace años, escuché esta frase: Es más gratificante resolver un conflicto de lo que es disolver una relación. Dale un poco de reflexión.

Aprende de mi error.

Rob

One Cell Gathering:  Two Primary Questions

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Last week in my blog post, I presented a sample outline for the Community Group leaders at Cypress Creek Church.  Most leaders not only appreciate this tool but use a good portion of the suggested outline.  Further, the leaders know to be sensitive to the Holy Spirit’s direction during the gathering.

We also utilize a “two primary questions” format for Community Groups that are not following the weekly message.  I lead such a group.  In this men’s Community Group, we read one chapter from the Bible each week.  The men are asked to read the chapter before their arrival, and the thought provoking question (see below) is emailed to them two days before the gathering.  Currently, we are reading through the book of Acts.  Here’s how the CG flows:

  • As a group, we read a prayer out loud together.  Currently, we are utilizing the “Serenity Prayer.”
  • A few men read the chapter out loud.
  • As the CG leader, I ask “what do you see and what do you want to talk about?
  • A hearty discussion ensues.

When the discussion has taken its course, I ask the thought provoking question.  Asking this question after the chapter discussion is purposeful as the Bible chapter needs to be discussed first.  One example of a TPQ is :

  • “If you could lead one person to Jesus Christ, then who would that be?”
  • Cast vision for multiplication of the CG.
  • Close in prayer.

This format for any CG meets the “Up, In and Out” components desired in the gathering.  This model is easy to emulate as new groups are multiplied.

Comments?

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Uma Célula:  Duas Questões Principais”

Por Rob Campbell

www.cypresscreekchurch.com

Na semana passada no meu post do blog, eu apresentei um esboço da estrutura para os líderes dos pequenos grupos na Cypress Creek Church. A maioria dos líderes não só aprecia essa ferramenta, mas usa uma boa parte do esboço sugerido. Além disso, os líderes sabem ser sensíveis à direção do Espírito Santo durante a reunião.

Também utilizamos um formato de “duas perguntas primárias” para grupos que não estão seguindo a mensagem semanal. Eu lidero um grupo assim. Neste grupo de homens, lemos um capítulo da Bíblia a cada semana. Os homens são convidados a ler o capítulo antes da reunião, e a pergunta provocadora (veja abaixo) é enviada por e-mail para eles dois dias antes da reunião. Atualmente, estamos lendo o livro de Atos. Veja como a célula flui:

  • Como grupo, lemos juntos uma oração em voz alta. Atualmente, estamos utilizando a “Oração da Serenidade”;
  • Alguns homens leem o capítulo em voz alta;
  • Como líder da célula, pergunto: “O que você vê e o que você quer falar?”;
  • Começa uma discussão cordial.

Quando a discussão tomou seu curso, eu faço a pergunta provocadora. Fazer esta pergunta após a discussão do capítulo é proposital, pois o capítulo bíblico precisa ser discutido primeiro. Um exemplo de pergunta provocadora é:

  • “Se você pudesse levar uma pessoa a Jesus Cristo, quem seria?”;
  • Compartilhamento da visão para a multiplicação da célula;
  • Encerramos em oração.

Este formato para qualquer célula abrange os componentes “Para Cima, Para Dentro e Para Fora” desejados na reunião. Este modelo é fácil de reproduzir conforme novos grupos são multiplicados.

Comentários?

Rob

Spanish blog:

“La reunión celular: dos preguntas principales”

Por Rob Campbell

Www.cypresscreekchurch.com

La semana pasada en mi blog, presenté un bosquejo de la muestra para los líderes del grupo de la comunidad en la iglesia de Cypress Creek. La mayoría de los líderes no solo apreciaron esta herramienta, sino que usaron una buena porción del esquema sugerido. Además, los líderes saben que son sensibles a la dirección del Espíritu Santo durante la reunión.

También utilizamos un formato de “dos preguntas principales” para los Grupos Comunitarios que no siguen el mensaje semanal. Dirijo ese grupo. En este grupo de hombres de la comunidad, leemos un capítulo de la Biblia cada semana. Se les pide a los hombres que lean el capítulo antes de que lleguen, y la pregunta que suscita el pensamiento (véase más abajo) les es enviada por correo electrónico dos días antes de la reunión. Actualmente estamos leyendo el libro de Hechos. Así es como fluye el grupo celular:

  • Como grupo, leemos una oración en voz alta juntos. Actualmente, estamos utilizando la “Oración de la Serenidad”.
  • Algunos hombres leen el capítulo en voz alta.
  • Como líder del Grupo Celular, pregunto “¿qué ves y de qué quieres hablar?
  • Se inicia una discusión animada.

Cuando la discusión ha tomado su curso, hago la pregunta provocadora. Haciendo esta pregunta después de la discusión del capítulo es el propósito ya que el capítulo de la Biblia necesita ser discutido primero. Un ejemplo es el siguiente:

  • “Si pudieras dirigir a una persona a Jesucristo, ¿quién sería?”
  • Usa tu visión para la multiplicación del Grupo celular.
  • Cierre con una oración.

Este formato es para cualquier grupo celular que cumple con los componentes “Arriba, dentro y fuera” deseados en la reunión. Este modelo es fácil de emular a medida que se multiplican los nuevos grupos.

¿Comentarios?

Rob

Helping Cell Leaders be Successful

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Regarding this week’s blog posts on the cell lesson, please see below a recent sample from the church where I serve, Cypress Creek Church, Wimberley/San Marcos, Texas.  Please know that CCC’s cell leaders desire this help AND know that this is a straightforward guide.  All cell leaders must allow the Holy Spirit to direct the gathering as He desires.

COMMUNITY GROUP OUTLINE

“HEAVEN:  What it Be and What it Ain’t”

WELCOME

Would you rather die peacefully at age 60 surrounded by friends or painfully and alone at age 85?

If you could wake up tomorrow in the body of someone else and assume his or her life, would you do it?  If so, who would you pick?

WORSHIP

Read Joshua 24:14-18.  Pray for each family unit present by name.  Ask God to increase his blessing; to restore; to make strong each family that would choose to serve him.

WORD

  1. What might be a simple description of heaven to tell someone who isn’t a believer in Christ?
  2. Read Col. 3:1-2.  How does an individual set his/her sights on the “realities of heaven?”
  3. Do you have any anxiety or fear about living in heaven?
  4. For you personally, what will be the two greatest things about your existence in heaven?
  5. When we think about coming together in heaven, how does that help with today’s challenges?

WORKS

Minister to any person present who may be unsure about his/her eternal destiny.  Extend a time for any person present to receive Christ.  Pray for each other as you strive to “live for heaven.”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Ajudando os Líderes de Célula a Terem Sucesso”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

No que diz respeito aos posts desta semana sobre a lição da célula, por favor, veja abaixo uma amostra recente da igreja onde sirvo, a Cypress Creek Church em Wimberley/San Marcos – Texas. Por favor, saiba que os nossos líderes de células desejam essa ajuda E saibam que este é um guia objetivo e direto. Todos os líderes de célula devem permitir que o Espírito Santo dirija o encontro como Ele deseja.

ESTRUTURA DO GRUPO COMUNITÁRIO

“CÉU: O que ele é e o que não é”

BOAS-VINDAS

Você preferiria morrer em paz e cercado de amigos aos 60 anos, ou sofrendo e sozinho aos 85 anos?

Se você acordasse amanhã no corpo de outra pessoa e pudesse assumir a vida dessa pessoa, você faria isso? Se sim, quem você escolheria?

ADORAÇÃO

Leia Josué 24:14-18. Ore por cada unidade familiar presente pelo nome. Peça a Deus para aumentar Suas bênçãos, para restaurar e para fortalecer cada família que escolhe servi-Lo.

PALAVRA

  1. Qual seria uma descrição simples do céu para dizer a alguém que não acredita em Cristo?
  2. Leia Col. 3:1-2. Como uma pessoa mantém sua visão nas “realidades do céu”?
  3. Você tem alguma ansiedade ou medo relacionado a viver no céu?
  4. Para você, quais serão as duas melhores coisas sobre a sua existência no céu?
  5. Quando pensamos sobre irmos juntos para o céu, como isso nos ajuda com os desafios que vivemos atualmente?

MINISTRAÇÃO

Ministre a qualquer pessoa que possa estar insegura sobre seu destino eterno. Tenha um tempo para qualquer pessoa presente que queira receber a Cristo. Orem uns pelos outros conforme vocês se esforçam para “viver para o céu”.

Spanish blog:

“Ayudando a los líderes de la célula a ser exitosos”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Con respecto a las publicaciones de esta semana en la lección de los grupos celulares, por favor vea abajo una muestra reciente de la iglesia donde sirvo, Cypress Creek Church, Wimberley/San Marcos, Texas. Por favor, sepa que los líderes celulares de CCC desean esta ayuda Y saben que esta es una guía sencilla. Todos los líderes celulares deben permitir que el Espíritu Santo dirija la reunión como Él desea.

GRUPO COMUNITARIO

“EL CIELO: Lo que es y lo que no es”

BIENVENIDO

¿Prefieres morir pacíficamente a los 60 años rodeado de amigos o dolorosamente y solo a los 85 años?

Si pudieras despertar mañana en el cuerpo de otra persona y asumir su vida, ¿lo harías? Si es así, ¿a quién elegirías?

ALABANZA

Lee Josué 24: 14-18. Ore por cada familia presente por su nombre. Pide a Dios que aumente su bendición; para restaurar; Para hacer fuerte a cada familia que eligiera servirle.

PALABRA DE DIOS

  1. ¿Cuál podría ser una simple descripción del cielo para decirle a alguien que no es un creyente en Cristo?
  2. Lee Col 3: 1-2. ¿Cómo un individuo fija su mirada en las “realidades del cielo?”
  3. ¿Tienes alguna ansiedad o temor de vivir en el cielo?
  4. Para usted personalmente, ¿cuáles serán las dos cosas más grandes acerca de su existencia en el cielo?
  5. Cuando pensamos en unirnos en el cielo, ¿cómo ayuda eso con los desafíos de hoy?

TRABAJOS

Ministra a cualquier persona presente que pueda estar insegura acerca de su destino eterno. Extienda un tiempo para que cualquier persona presente reciba a Cristo. Oren unos por otros mientras se esfuerzan por “vivir para el cielo”.

Outside the Meeting

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

What takes place outside a cell meeting is as important (if not more important) than what takes place during a cell meeting. It’s the difference between simply going to a cell meeting and flowing in cell life. Prayer, care, counsel and encouragement from a cell leader to a cell member during the week (outside of a cell meeting) is essential, vital, and necessary.

The people who make a difference in your life are not the ones with the most credentials, the most money, or the most awards. They are people who offer you care and a listening ear. They are the ones who genuinely display their love to you.

As a matter of perspective, answer the following:

  • Name the five wealthiest people in the world.
  • Name the last five Heisman trophy winners.
  • Name the last half dozen Academy Award winners for best actor and actress.

I trust that very few of us remember the headlines of yesterday. Yes, the individuals above can be considered the best in their respective fields. Yet, one day the applause dies. Awards will tarnish. Achievements are forgotten. Faces and names disappear from our memory.

To clarify your perspective, answer the following:

  • Name three teachers who aided your journey through school.
  • Name three friends who helped you through a difficult time.
  • Name five people you enjoy spending time with.

Chances are high that you have been reminded of important people in your life who have displayed their love to you. Love is a verb. Love is action oriented. Love never fails. Perfect love casts out fear. Those who love and care for you– show up. They are present in your times of sorrow, discouragement, and despair. They also rejoice in your victories, successes, and triumphs.

I hope that a few of your cell members fit into this category. This may be one indication that you are experiencing cell LIFE and not just a cell meeting once a week.

Korean blog:

Spanish blog:

“Fuera de la reunión”

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Lo que ocurre fuera de una reunión celular es tan importante (si no más importante) que lo que ocurre durante una reunión celular. Es la diferencia entre ir a una reunión celular y fluir en la vida celular. La oración, el cuidado, el consejo y el estímulo de un líder celular a un miembro celular durante la semana (fuera de una reunión celular) es esencial, vital y necesario.

Las personas que marcan la diferencia en su vida no son las que tienen más credenciales, más dinero o más premios. Son personas que le ofrecen cuidado y un oído que escucha. Ellos son los que genuinamente muestran su amor por ti.

Como cuestión de perspectiva, conteste lo siguiente:

  • Nombra a las cinco personas más ricas del mundo.
  • Nombra los últimos cinco ganadores del trofeo Heisman.
  • Nombra a la última media docena de ganadores del Oscar por mejor actor y actriz.

Confío en que muy pocos de nosotros recordemos los titulares de ayer. Sí, los individuos de arriba pueden ser considerados como los mejores en sus respectivos campos. Sin embargo, un día muere el aplauso. Los premios se empañarán. Se olvidan los logros. Caras y nombres desaparecen de nuestra memoria.

Para aclarar su perspectiva, conteste lo siguiente:

  • Nombre a tres maestros que ayudaron a su viaje a través de la escuela.
  • Nombre a tres amigos que le ayudaron en un momento difícil.
  • Nombre a cinco personas con las que disfruta pasar tiempo.

Las posibilidades son altas de que hayas recordado personas importantes en tu vida que te han mostrado su amor. El amor es un verbo. El amor es orientado a la acción. El amor nunca falla. El amor perfecto echa fuera el miedo. Aquellos que aman y cuidan de ti, aparecen. Están presentes en sus tiempos de dolor, desaliento y desesperación. También se regocijan en tus victorias, éxitos y triunfos.

Espero que algunos de los miembros de su grupo celular encajen en esta categoría. Esto puede ser una indicación de que está experimentando la VIDA celular y no sólo una reunión celular una vez por semana.

Portuguese blog:

Fora da Reunião

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

O que acontece fora de uma reunião de célula é tão importante (se não mais importante) do que o que acontece durante uma reunião de célula. É a diferença entre simplesmente ir a uma reunião de célula e fluir na vida da célula. Oração, cuidado, conselho e encorajamento de um líder de célula para um membro durante a semana (fora da reunião de célula) é essencial, vital e necessário.

As pessoas que fazem diferença na sua vida não são as que possuem as maiores credenciais, mais dinheiro, ou mais prêmios. Elas são pessoas que te oferecem cuidado e um ouvido ouvinte. Elas são as que expõem genuinamente seu amor por você.

Como uma questão de perspectiva, responda o seguinte:

  • Nomeie as cinco pessoas mais abastadas no mundo.
  • Nomeie os últimos cinco ganhadores do troféu Heisman
  • Nomeie a última meia dúzia de ganhadores do Oscar para melhor ator e melhor atriz.

Eu acredito que pouquíssimos de nós lembramos das manchetes de ontem. Sim, os indivíduos acima podem ser considerados os melhores em seus respectivos campos. No entanto, um dia os aplausos morrem. Prêmios se tornarão manchados. Conquistas são esquecidas. Rostos e nomes desaparecem de nossa memória.

Para tornar mais clara sua perspectiva, responda o seguinte:

  • Nomeio três professores que ajudaram na sua jornada através da escola.
  • Nomeie três diferentes amigos que te ajudaram em um momento difícil.
  • Nomeie as cinco pessoas com as quais você gosta de passar o tempo.

Há grandes chances de você ter sido lembrado de pessoas importantes na sua vida que exibiram seu amor por você. O amor é um verbo. O amor é uma ação orientada. O amor nunca falha. O amor perfeito lança fora o medo. Aqueles que te amam e se importam com você- aparecem. Eles estão presentes em momentos de tristeza, desencorajamento e desespero. Eles também se regozijam em suas vitórias, sucessos e triunfos.

Eu espero que alguns de seus membros se encaixem nessa categoria. Essa pode ser a indicação de que você está experimentando a VIDA da célula e não apenas uma reunião uma vez por semana.