M.A.W.L. Flavor #2

By Jim Corley, Pastor, writer, and leader, J. Michael Corley has preached in churches from San Francisco to Moscow; and done training events on four continents. He currently lives in Arizona with his wife, Lynetta. His book, Shadowing Jesus, The Traveler  is available at here.

Wolfgang Simson notes that Jesus discipled using a strategy called “M.A.W.L.” Model, Assist, Watch, Leave. (See yesterday’s blog). A variation on that theme emerged in Jerusalem.

Stunned by his Caesarea trip, Peter rushed back to Jerusalem. When he got home he was in hot water:

when Peter went up to Jerusalem, the circumcision party criticized him, saying, “You went to uncircumcised men and ate with them.” Acts 11:2

In Acts 15, Paul reported that he had practiced what I will call MAWL Flavor #1. He discipled for a short time in a region, then packed his bags. This pattern resembled Jesus’. Except that, instead of floating into the sky and leaving for “a long time” (Mt. 25:5), Paul drifted from town to town to return several months later.

Later a beachhead was established in Ephesus, Paul’s pattern changed. He transitioned from a pioneering strategy (Flavor #1), to the work of saturation (Flavor #2). Instead of Model, Assist, Watch, Leave; his pattern moved to Model, Assist, Watch, Launch. He stayed in Ephesus and launched his apprentices. They scattered to the winds. Consequently, the pace of multiplication increased.

Both flavors smack of humility. Both require that the discipler release their novices to the care of the Spirit. This takes enough modesty to believe that what is most important is the mission and not the coach.

How effective was this second approach? Luke lets us look under the hood: “This went on for two years, so that all the Jews and Greeks who lived in the province of Asia heard the word of the Lord.”

Demetrius was one of Paul’s enemies. With alarm, he reported:

. . . this fellow Paul has convinced and led astray large numbers of people here in Ephesus and in practically the whole province of Asia. He says that man-made gods are no gods at all. Acts 19:25-26 NIV

Paul’s own assessment is found in 1 Corinthians 16:8-9: “But I will stay on at Ephesus until Pentecost, because a great door for effective work has opened to me, and there are many who oppose me” (NIV).

Modeling Idea: Because of Herod, Joseph, Mary and Jesus had to escape to a foreign country (Mt. 2:14). Challenge cell groups to compete with each other in outgiving one another by having an Angel Tree where groups bring gifts for immigrant children to your Christmas celebration service.

Assisting Idea: Help your cell leaders put together a Christmas Eve caroling night for their groups, by providing some resources like caroling song books and maps of areas to be covered. Then gather everyone for a midnight Christmas Eve Celebration where leaders report their experiences.

Watching Idea: Host a Christmas Eve celebration where cell leaders have all the leadership roles. Help them prepare so they can excel. Then stand back and watch them shine.

Launching Idea: Offer a free gift-wrapping service at a local shopping center. Plan with cell leaders to make sure there are adequate supplies. Schedule the time slots that groups are responsible to be on duty. Task someone to video the event that includes interviews with those whose gifts are being wrapped. Make sure you stay away that day. Then show the video at the Christmas Eve celebration and applaud the ministry of those groups and their leaders.

Are you following one of the patterns modeled by Jesus or Paul? Are you doing what they did, the way they did it? If not, maybe you should sample one of these flavors of MAWL.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

M.A.W.L. SABOR #2

Por Jim Corley, Pastor, escritor e líder, J. Michael Corley pregou nas igrejas de São Francisco a Moscou; e realizou eventos de treinamento em quatro continentes. Ele atualmente mora no Arizona com sua esposa, Lynetta. Seu livro, Shadowing Jesus, The Traveler (“Copiando Jesus, O Viajante”, em tradução livre) está disponível aqui.

Wolfgang Simson percebeu que Jesus discipulava usando uma estratégia chamada “M.A.W.L.” Modele, Ajude, Assista, Parta (veja o blog de ontem). Uma variação nesse tema surgiu em Jerusalém.

Atordoado por sua viagem a Cesaréia, Pedro correu de volta a Jerusalém. Quando ele chegou em casa, ele estava em água quente:

Quando Pedro voltou para Jerusalém, os que eram à favor da circuncisão o criticaram, dizendo: “você foi a homens incircuncisos e comeu com eles” Atos 11:2.

Em Atos 15, Paulo informou que ele praticou o que chamarei de Sabor MAWL #1. Ele discipulava por um curto período de tempo em uma região, depois empacotava as malas. Esse padrão se assemelhava a Jesus. Exceto que, em vez de flutuar no céu e partir para “um longo tempo” (Mt. 25:5), Paulo foi de cidade em cidade para retornar vários meses depois.

Mais tarde, uma base foi estabelecida em Éfeso, o padrão de Paulo mudou. Ele passou de uma estratégia pioneira (Sabor #1), para o trabalho de saturação (Sabor #2). Em vez de Modelar, Ajudar, Assistir e Pregar, seu padrão mudou-se para Modelar, Ajudar, Assistir, Lançar. Ele ficou em Éfeso e lançou seus aprendizes. Eles se espalharam pelos quatro ventos. Consequentemente, o ritmo da multiplicação aumentou.

Ambos os sabores são humildes. Ambos exigem que o discipulado liberte seus aprendizes para o cuidado do Espírito. Isso exige bastante modéstia para acreditar que o que é mais importante é a missão e não o treinador.

Quão eficaz foi essa segunda abordagem? Lucas nos deixa olhar sob o capô: “Isso durou dois anos, de modo que todos os judeus e gregos que moravam na província da Ásia ouviram a palavra do Senhor”.

Demétrio era um dos inimigos de Paulo. Com alarde, ele informou:

… este indivíduo, Paulo, está convencendo e desviando grande número de pessoas aqui em Éfeso e em quase toda a província da Ásia. Diz ele que deuses feitos por mãos humanas não são deuses. Atos 19:25-26 NVI

A avaliação de Paulo é encontrada em 1 Coríntios 16:8-9: “8 Mas permanecerei em Éfeso até o Pentecoste, porque se abriu para mim uma porta ampla e promissora; e há muitos adversários” (NVI).

Ideia de Modelo: Por causa de Herodes, José, Maria e Jesus tiveram que escapar para um país estrangeiro (Mt 2:14). Desafie as células para competirem entre si para vencerem umas às outras em ter uma árvore de natal onde os grupos trazem presentes para crianças imigrantes para o seu culto de celebração do Natal.

Ideia de Ajuda: ajude seus líderes celulares a prepararem uma noite de Natal para suas células, fornecendo alguns recursos como livros de canções natalinas e mapas de áreas a serem cobertas. Em seguida, juntem-se para uma celebração da véspera de Natal da meia-noite onde os líderes relatam suas experiências.

Ideia de Observação: Organize um culto da Noite de Natal onde os líderes de célula tenham todos os papeis de liderança. Ajude-os a se prepararem para que possam ser excelentes. Então fique de pé no fundo e veja-os brilhar.

Ideia de Lançamento: ofereça serviço gratuito de embrulho de presentes em um centro comercial local. Planeje com os líderes celulares para garantir que haja suprimentos adequados. Programe os intervalos de tempo em que os grupos são responsáveis para estar de plantão. Encarregue alguém para o vídeo do evento que inclui entrevistas com aqueles cujos presentes estão sendo embrulhados. Certifique-se de ficar longe nesse dia. Depois, mostre o vídeo na celebração da Noite de Natal e aplauda o ministério dessas células e seus líderes.

Você está seguindo um dos padrões modelados por Jesus ou Paulo? Você está fazendo o que eles fizeram, da maneira que eles fizeram? Caso contrário, talvez você deva provar um desses sabores da MAWL.

Spanish blog:

El sabor del M.A.M.R. # 2

Por Jim Corley, pastor, escritor y líder, J. Michael Corley ha predicado en iglesias desde San Francisco hasta Moscú; realizo eventos de entrenamiento en cuatro continentes. Actualmente vive en Arizona con su esposa, Lynetta. Su libro, Shadowing Jesus, The Traveler está disponible aquí.

Wolfgang Simson señala que Jesús discipuló usando una estrategia llamada “M.A.M.R.” Modelar, Asistir, Mirar, Retirarse. (Ver el blog de ayer). Una variación de ese tema surgió en Jerusalén.

Sorprendido por su viaje a Cesarea, Pedro se apresuró a regresar a Jerusalén. Cuando llegó a casa, descubrio que estaba con el agua hasta el cuello:

Y cuando Pedro subió a Jerusalén, disputaban con él los que eran de la circuncisión, diciendo: ¿Por qué has entrado en casa de hombres incircuncisos, y has comido con ellos?

Hechos 11:2-3

En Hechos 15, Pablo informó que había practicado lo que llamaré el sabor MAMR # 1. Él discipuló por un corto tiempo en una región, luego hizo las maletas y partió. Este patrón se parecía al de Jesús; excepto que, en lugar de flotar en el cielo y marcharse por “un largo tiempo” (Mt. 25: 5), Pablo se desplazó de pueblo en pueblo para regresar varios meses después.

Más tarde, se estableció un foco de discipulado en Éfeso, el patrón de Pablo cambió. Pasó de una estrategia pionera (Sabor n. ° 1) al trabajo de saturación (Sabor n. ° 2). En lugar de Modelar, Asistir, Mirar, Retirarse; su patrón se movió a Modelar, Asistir, Mirar, Lanzar. Se quedó en Éfeso y puso en marcha a sus aprendices, que se dispersaron en todas las direcciones. En consecuencia, el ritmo de multiplicación aumentó.

Ambos sabores huelen a humildad, ambos requieren que el discipulador libere a sus novicios al cuidado del Espíritu. Esto requiere suficiente modestia para entender que lo más importante es la misión y no el entrenador.

¿Qué tan efectivo fue este segundo enfoque? Lucas nos deja ver detrás del telón: “Esto continuó durante dos años, de modo que todos los judíos y griegos que vivían en la provincia de Asia escucharon la palabra del Señor”.

Demetrio fue uno de los enemigos de Pablo. Con alarma, informó:

. . . Les consta además que el tal Pablo ha logrado persuadir a mucha gente no solo en Éfeso, sino en casi toda la provincia de Asia. Él sostiene que no son dioses los que se hacen con las manos. Hechos 19: 25-26 NVI

La propia evaluación de Pablo se encuentra en 1 Corintios 16: 8-9: “Pero me quedaré en Éfeso hasta Pentecostés, porque se me ha presentado una gran oportunidad para un trabajo eficaz, a pesar de que hay muchos en mi contra.” (NVI)

Idea para modelar: a causa de Herodes, José, María y Jesús tuvieron que escapar a un país extranjero (Mt. 2:14). Desafía a los grupos celulares a competir entre sí para reunir la mayor cantidad de regalos, al tener un “Árbol de Ángeles” donde los células traen regalos para los niños inmigrantes a su servicio de celebración de Navidad.

Idea para asistir: ayuda a los líderes de tus células a organizar una Noche de villancicos en Nochebuena para sus reuniones, proporcionándoles algunos recursos como cancioneros y mapas de las áreas que se cubrirán. Luego reúne a todos para una celebración de Nochebuena en la medianoche donde los líderes informrn acerca de sus experiencias.

Idea para mirar: organiza una celebración de Nochebuena en la que los líderes de las células asuman todos los roles de liderazgo. Ayúdalos a prepararse para que puedan sobresalir. Luego, retrocede y míralos brillar.

Idea de lanzamiento: Ofrece un servicio gratuito de envoltura de regalos en un centro comercial local. Planifica con los líderes celulares para asegurarte de que tengan los suministros adecuados. Programa los intervalos de tiempo en los cuales que las células sean responsables de estar en servicio, tambien deja encargado a alguien para tomar un video del evento, que incluya entrevistas con las personas cuyos regalos están siendo envueltos. Asegúrate de mantenerte alejado ese día. Luego, muestra el video en la celebración de Nochebuena y aplaude el ministerio de esas células y sus líderes.

¿Estás siguiendo uno de los patrones modelados por Jesús o Pablo? ¿Estás haciendo lo que hicieron, la forma en que lo hicieron? Si no, tal vez deberías probar uno de estos sabores de MAMR/MAML.

M.A.W.L.

By Jim Corley, Pastor, writer, and leader, J. Michael Corley has preached in churches from San Francisco to Moscow; and done training events on four continents. He currently lives in Arizona with his wife, Lynetta. His most recent book, Shadowing Jesus, The Pioneer is available at Amazon.

Jesus repeated one command, “Follow me!” I think he meant, “Do what I do. Do it the same way I do it.” What did Jesus do?

There were remarkable miracles. Over one hundred gallons of water was turned into wine, as good as Chateau Lafite Rothschild 2009 ($1,200/bottle).

Lazarus was raised from the dead. Deaf people, without the benefit of cochlear implants, could hear laughter, and eavesdrop on the whisper of rain on thatched roofs.

Jesus also told compelling stories. Two thousand years later, people cannot consider themselves well-informed if they’ve never heard of camels squeezing through a needle’s eye or prodigal sons being baby boomerangs.

Jesus did all those attention-getting things. We could try to do those things. But what occupied the bulk of his time? Wasn’t it his strategic investment in a bunch of guys? Between the big events, Jesus quietly practiced a persistent lifestyle of developing disciples. Maybe that should be our focus.

Wolfgang Simson claims that the secret sauce in Jesus’ discipleship coaching ministry was a strategy he labels M.A.W.L.

Model: The Coach demonstrated how to practice the art of discipling.

Assist: The Master discipler assisted those being discipled to do what was demonstrated.

Watch: The Master observed his apprentices practice the skills being trained.

Leave: The Coach removed himself from the ministry context to allow the disciples to take responsibility.

Jesus recruited twelve. He discipled them for three years. Then, like a hot-air balloon, he ascended into the clouds with a promise, “You finish the job. I’ll be back!”

Surprisingly, for many years, none of the Apostles left Jerusalem. Even after persecution erupted, the Twelve didn’t budge:

And there arose on that day a great persecution against the church in Jerusalem, and they were all scattered throughout the regions of Judea and Samaria, except the apostles. . . Acts 8:1

There are hints that a variation on the leaving theme was emerging. It doesn’t seem to have been intentional on the part of the Apostles. Rather, it looks like it was inadvertently kick-started by a young terrorist called Saul of Tarsus.

After persecution erupted, Peter left Jerusalem on a short-term missions trip. He traveled as far as Caesarea. At Cornelius’ villa, Peter had a startling revelation:

Then Peter began to speak: “I now realize how true it is that God does not show favoritism but accepts from every nation the one who fears him and does what is right. Acts 10:34-35

During the Christmas season, we celebrate Jesus coming into the world. Wherever you might be in the MAWL process, you can help those you are discipling by helping them focus of God’s priceless gift.

Modeling Idea: Host a Christmas party with great food where the gift theme is for a family in need. Then invite that family to the party.

Assisting Idea: Help your apprentice leader put together an expanded worship time that expresses joy in the fact that Immanuel came into our world.

Watching Idea: Urge your apprentice leader to help the group host a free child care event so parents can go Christmas shopping. Then stand back and see how they handle the pressure of leading. Be ready to celebrate what they did well.

Leaving Idea: Schedule a Children’s Birthday Party for Jesus that your group will host in your absence. Express your confidence in their ability. Then celebrate the results.

Next we’ll look at that second flavor of M.A.W.L.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

M.A.W.L.

Por Jim Corley, pastor, escritor e líder, J. Michael Corley pregou nas igrejas de San Francisco a Moscou e realizou eventos de treinamento em quatro continentes. Ele atualmente mora no Arizona com sua esposa, Lynetta. Seu livro mais recente, Shadowing Jesus, The Pioneer (Imitando Jesus, O Pioneiro, em tradução livre) está disponível aqui.

Jesus repetiu um comando: “Siga-me!” Eu acho que Ele quis dizer, “Faça o que eu faço. Faça da mesma maneira que eu faço.” O que Jesus fez?

Havia milagres notáveis. Mais de cem galões de água foram transformados em vinho, tão bons quanto o vinho Chateau Lafite Rothschild 2009 (US $ 1.200/garrafa).

Lázaro foi ressuscitado dentre os mortos. As pessoas surdas, sem o benefício de implantes cocleares, podiam ouvir risos e escutar o sussurro de chuva em telhados de palha.

Jesus também contou histórias convincentes. Dois mil anos depois, as pessoas não podem se considerar bem informadas se nunca ouviram falar de camelos passando pelo buraco de uma agulha ou filhos pródigos indo e voltando para casa por razões financeiras.

Jesus fez todas essas coisas que chamavam a atenção. Poderíamos tentar fazer essas coisas. Mas o que ocupou a maior parte de Seu tempo? Seu investimento estratégico não estava em um grupo de caras? Entre os grandes eventos, Jesus praticou silenciosamente um estilo de vida persistente de desenvolvimento de discípulos. Talvez esse seja nosso foco.

Wolfgang Simson afirma que o tempero secreto no ministério de treinamento de discipulado de Jesus era uma estratégia que ele chama de M.A.W.L. (M.A.A.D. em tradução livre).

Modelo: o Treinador demonstrou como praticar a arte do discipulado.

Ajuda: o Discipulador Mestre ajudou aqueles que eram discipulados a fazer o que foi demonstrado.

Assista: o Mestre observou que seus aprendizes praticavam as habilidades treinadas.

Parta: o Treinador se retirou do contexto do ministério para permitir que os discípulos assumissem a responsabilidade.

Jesus recrutou doze. Ele os discipulou por três anos. Então, como um balão de ar quente, ele subiu às nuvens com uma promessa: “Vocês terminam o trabalho. Eu voltarei!”

Surpreendentemente, por muitos anos, nenhum dos Apóstolos deixou Jerusalém. Mesmo depois que a perseguição entrou em erupção, os Doze não se moveram:

Atos dos Apóstolos 8 –  1. Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judeia e da Samaria.

Há sugestões de que uma variação no tema do êxodo estava emergindo. Não parece ter sido intencional por parte dos Apóstolos. Em vez disso, parece que foi inadvertidamente iniciado por um jovem terrorista chamado Saul de Tarso.

Depois que a perseguição entrou em erupção, Pedro deixou Jerusalém em uma viagem de missões de curto prazo. Ele viajou até Cesareia. Na villa de Cornélio, Pedro teve uma revelação surpreendente:

Atos dos Apóstolos 10 –  34. Então Pedro, tomando a palavra, disse: Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas; 35. mas que lhe é aceitável aquele que, em qualquer nação, o teme e pratica o que é justo.

Durante a época do Natal, celebramos a chegada de Jesus ao mundo. Onde quer que você esteja no processo MAWL, você pode ajudar aqueles que você está discipulando, ajudando-os a se concentrar no presente inestimável de Deus.

Ideia de Modelagem: Tenha em sua casa uma festa de Natal com comida gostosa, onde o tema do presente é para uma família que precisa. Em seguida, convide essa família para a festa.

Ideia de ajuda: ajude o seu líder aprendiz a juntar um tempo de adoração expandido que expressa a alegria no fato de que o Emanuel entrou em nosso mundo.

Ideia de Observação: Estimule o seu aprendiz de líder a ajudar o grupo a hospedar um evento gratuito de cuidado de crianças para que os pais possam ir às compras de Natal. Então permaneça e veja como eles lidam com a pressão de liderar. Esteja pronto para comemorar o que eles fizeram bem.

Ideia de partir: Programe uma Festa de Aniversário Infantil para Jesus que o seu grupo irá hospedar na sua ausência. Expresse sua confiança em suas habilidades. Em seguida, comemore os resultados.

Em seguida, veremos esse segundo sabor do M.A.W.L.

Spanish blog:

M.A.M.R.

Por Jim Corley, pastor, escritor y líder, J. Michael Corley ha predicado en iglesias desde San Francisco hasta Moscú; realizo eventos de entrenamiento en cuatro continentes. Actualmente vive en Arizona con su esposa, Lynetta. Su libro más reciente, Shadowing Jesus, The Pioneer está disponible aquí.

Jesús repitió una orden: “Sígueme”. Creo que él quiso decir: “Haz lo que yo hago”. Hazlo de la misma manera que yo lo hago “. ¿Qué hizo Jesús?

Hubo milagros notables. Más de cien galones de agua se convirtieron en vino, tan bueno como el Chateau Lafite Rothschild 2009 ($ 1,200 / botella).

Lázaro fue levantado de la muerte. Las personas sordas, sin ayuda de los implantes cocleares, podían escuchar la risa y escuchar el susurro de la lluvia en los techos de paja.

Jesús también contó historias convincentes. Dos mil años más tarde, las personas no pueden considerarse bien informadas si nunca han oído hablar de camellos que se abren paso por el ojo de una aguja o de hijos prodigios que siendo pequeños bumerans.

Jesús hizo todas esas cosas que llaman la atención. Podríamos intentar hacer esas cosas, pero, ¿qué ocupaba la mayor parte de su tiempo? ¿No fue su inversión estratégica en un grupo de muchachos? Entre los grandes eventos, Jesús silenciosamente practicó un estilo de vida persistente en los discípulos que desarrolló. Quizás ese debería ser nuestro enfoque.

Wolfgang Simson afirma que la salsa secreta en el ministerio de entrenamiento de discipulado de Jesús fue una estrategia que llama M.A.M.R.

Modelar: El entrenador demostró cómo practicar el arte de discipular.

Asistir: el discipulador maestro ayudó a los discipulados a hacer lo que se demostró.

Mirar: el Maestro observó que sus aprendices practican las habilidades que se están entrenando.

Retirarse: el Entrenador se retiró del contexto del ministerio para permitir que los discípulos asuman la responsabilidad.

Jesús reclutó doce. Él los discipuló por tres años, luego, como un globo de aire caliente, ascendió a las nubes con una promesa: “Terminen el trabajo. ¡Vuelvo enseguida!”

Sorprendentemente, durante muchos años, ninguno de los Apóstoles salió de Jerusalén. Incluso después de que la persecución estalló, los Doce no se movieron:

En aquel día hubo una gran persecución contra la iglesia que estaba en Jerusalén; y todos fueron esparcidos por las tierras de Judea y de Samaria, salvo los apóstoles… Hechos 8:1

Hay indicios de que estaba surgiendo una variación en el tema de la partida. No parece haber sido intencional por parte de los Apóstoles. Por el contrario, parece que fue inadvertidamente iniciado por un joven terrorista llamado Saulo de Tarso.

Después de que la persecución estalló, Pedro salió de Jerusalén en un viaje misionero a corto plazo; viajó hasta Cesarea. En la villa de Cornelio, Pedro tuvo una revelación sorprendente:

Entonces Pedro, abriendo la boca, dijo: En verdad comprendo que Dios no hace acepción de personas, sino que en toda nación se agrada del que le teme y hace justicia. Hechos 10:34-35

Durante la temporada de Navidad, celebramos a Jesús viniendo al mundo. Donde sea que te encuentres en el proceso MAMR, puedes ayudar a aquellos a quienes estás discipulando; ayudáles a enfocarse en el regalo invaluable de Dios.

Idea para modelar: Organiza una fiesta de Navidad con buena comida, donde el tema del regalo es para una familia necesitada. Luego invita a esa familia a la fiesta.

Idea para asistir: ayuda a su líder aprendiz a armar un tiempo de adoración amplio que exprese alegría por el hecho de que Emmanuel vino a nuestro mundo.

Idea para mirar: solicita a tu líder aprendiz que ayude a la célula  a organizar un evento gratuito de cuidado infantil para que los padres puedan ir de compras navideñas. Luego retírate y mira cómo manejan la presión de liderar. Prepárate para celebrar lo que hicieron bien.

Idea para retirarse: Programa una fiesta de cumpleaños para Jesús, que tú célula organizará en tu ausencia. Expresa tu confianza en su habilidad, luego celebra los resultados.

A continuación, veremos ese segundo sabor de M.A.M.R.

God Is the Center of the Cell

coach_mario2016speakingBy Mario Vega, www.elim.org.sv

God created man to have fellowship with him, and so God visited Adam in the garden of Eden. The fellowship continued until the moment when man sinned. From then on, God began his efforts to reestablish fellowship with his creation. Initially he tried to do it by selecting Abraham. God established a covenant with Abraham and his offspring based on altars and animal sacrifices. From the patriarchs, he established a new people, the nation of Israel. Some centuries later through Moses, God gave them the law to live in holiness, and  so he could dwell among them. In fact, the tabernacle was designed to be at the center of the Israelite camp.

But God’s people sinned again and again, and the tabernacle of God had to be taken out of the camp. Later, Solomon built the temple for the dwelling of God in the midst of his people. But, in the deportation, Ezekiel the prophet could see how the glory of God left the temple and his people due to their repeated sins. But, God did not renounce his desire to dwell among his people.

God sent his only son, not only to dwell among men but also to become a man. By taking human nature, God decided to unite with man forever; that’s why his name is Emmanuel. When He ascended to the father, Jesus continued to be present in the midst of his people, his church, which is his mystical body. Wherever two or three meet in his name, he is always present. The presence of God in the midst of men is a reality in every cell. God’s desire comes true every time his people come together; he has fellowship with us when we have fellowship with one another. In each cell it is a wonderful reality that is repeated as many times as the believers come together in his name.

 Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Deus É O Centro Da Célula

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Deus criou o homem para ter comunhão com ele, e Deus visitou Adão no jardim do Éden. A irmandade continuou até o momento em que o homem pecou. A partir de então, Deus começou seus esforços para restabelecer a comunhão com sua criação. Inicialmente ele tentou fazê-lo selecionando Abraão. Deus estabeleceu uma aliança com Abraão e sua prole com base em altares e sacrifícios de animais. Dos patriarcas, ele estabeleceu um novo povo, a nação de Israel. Alguns séculos depois, através de Moisés, Deus lhes deu a lei para viver em santidade, e assim ele poderia habitar entre eles. De fato, o tabernáculo foi projetado para estar no centro do campo israelita.

Mas o povo de Deus pecou uma e outra vez, e o tabernáculo de Deus teve que ser retirado do campo. Mais tarde, Salomão construiu o templo para a habitação de Deus no meio do seu povo. Mas, na deportação, Ezequiel, o profeta, podia ver como a glória de Deus deixou o templo e seu povo devido aos seus pecados repetidos. Mas, Deus não renunciou ao desejo de habitar entre seu povo.

Deus enviou seu único filho, não só para habitar entre os homens, mas também para se tornar um homem. Ao tomar a natureza humana, Deus decidiu se unir com o homem para sempre; é por isso que o nome dele é Emmanuel. Quando Ele ascendeu ao pai, Jesus continuou a estar presente no meio do seu povo, a sua igreja, que é o seu corpo místico. Onde dois ou três se encontram em seu nome, Ele está sempre presente. A presença de Deus no meio dos homens é uma realidade em cada célula. O desejo de Deus se torna realidade toda vez que seu povo se junta; Ele tem comunhão conosco quando temos comunhão uns com os outros. Em cada célula é uma realidade maravilhosa que é repetida tantas vezes quanto os crentes se juntam em seu nome.

Spanish blog:

Dios en el centro de la célula

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Dios creó al hombre para tener comunión con él. Dios visitaba a Adán en el jardín, en Edén. La comunión continuó hasta el momento en que el hombre pecó. A partir de entonces, Dios inició sus esfuerzos para restablecer su comunión con su creación. Inicialmente trató de hacerlo seleccionando a un hombre justo. Él era Abraham y estableció relación con él y sus hijos por medio de sacrificios en los altares que construyeron. De los patriarcas formó un nuevo pueblo que fue Israel. Algunos siglos después, a través de Moisés, les entregó la ley para que vivieran en santidad y él pudiera morar entre ellos. De hecho, el tabernáculo fue diseñado para estar al centro del campamento israelita.

Pero, el pueblo pecó muchas veces y el tabernáculo de Dios tuvo que ser sacado del campamento. Posteriormente, Salomón construyó el templo para morada de Dios en medio de su pueblo. Pero, en la deportación, el profeta Ezequiel pudo ver cómo la gloria de Dios abandonaba el templo y a su pueblo a causa de sus repetidos pecados. Pero, Dios no renunció a su deseo de morar con su pueblo. Fue así como envió a su único hijo. Esta vez Dios no solamente vino a morar entre los hombres sino que se hizo hombre. Al tomar la naturaleza humana, Dios decidió unirse para siempre con el hombre; por eso su nombre es Emmanuel. Al ascender al padre, Jesús continuó presente en medio de su pueblo, su iglesia, que es su cuerpo místico. Dondequiera que se reúnan dos o tres en su nombre él está siempre presente. La presencia de Dios en medio de los hombres es una realidad en cada célula. El deseo de Dios se hace realidad cada vez que su pueblo se reúne; él tiene comunión con nosotros cuando nosotros tenemos comunión los unos con los otros. En cada célula es una maravillosa realidad que se repite todas las veces que los creyentes lo deseen.

Bringing the Meaning of Christmas to the Cell

By Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

For unto us a Child is born, Unto us a Son is given; And the government will be upon His shoulder. And His name will be called Wonderful, Counselor, Mighty God, Everlasting Father, Prince of Peace. ~ Isaiah 9:6

When I hear those words, my heart is stirred and a lump forms in my throat.  A Son is given for us.  Each year, as we celebrate the birth of Christ, many are focused on the colorful lights and the gift giving, but unto US a Son is given.  This is our real eternal gift.

Cell Groups have the distinct opportunity to share this gift and the real meaning of Christmas with those in their neighborhoods, workplaces, and families.  Many will not come to church, but most will join you for a Christmas Party with your Cell Group!

Plan a party with your group; make it an outreach, not just to celebrate with those in your group, but invite those you have been praying for all year.  Here are a few ideas to help you get you started:

Make invitations and have your group members to hand them out.

Create a fun environment:

  •   Decorate
  •   Play festive music
  •   Serve good food (Make it a potluck and taste everyone’s goodies!)
  •   Have nametags, so everyone can get to know each other

Plan a couple of Christmas Games

  •   Google Christmas Icebreaker Games for ideas; Minute-to-Win It Games are a lot of fun

Bring in Jesus!

  •   Sing a couple of Christmas Carols together, but first explain the meaning of the song. (Don’t forget to have the words for those that don’t know them)
  •   Ask a member to share their testimony of how they started coming to the group and what it has meant for them
  •   Tell the real Christmas Story, by reading it from the Bible, from a Children’s Bible or have different people share different parts

Pray

  •   Before the party starts, pray for those who have been invited. Pray that they will not only come, but that they will feel welcomed and accepted.
  •   Pray before the food is served and then a brief prayer at the close of the party (ask if anyone has any special prayer requests)

Follow-up

  •   Connect with those that attended and invite them to church, your next group meeting or out for coffee
  •   Send notecards thanking them for attending

No matter how you and your Cell Group celebrate the Son that was given to us, invite those that don’t know Him yet, to join you and welcome them.  Next year they may be your Cell Group Leader!

Happy Celebrating!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Trazendo O Significado Do Natal Para A Célula

Por Michelle Geoffrey,

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”

Isaías 9:6

Quando ouço essas palavras, meu coração se agita e um nó se forma na minha garganta. Um filho é dado por nós. Todos os anos, quando celebramos o nascimento de Cristo, muitos se concentram nas luzes coloridas e na entrega de presentes, mas a US um Filho é dado. Este é o nosso presente eterno real.

Os Grupos Celulares têm a oportunidade de compartilhar este presente e o verdadeiro significado do Natal com aqueles em seus bairros, locais de trabalho e famílias. Muitos não virão para a igreja, mas a maioria vai se juntar a você para uma festa de Natal com seu grupo celular!

Planeje uma festa com seu grupo; faça um esforço para trazer serviços, não apenas para comemorar com os do seu grupo, mas convide aqueles que você tem orado por todo o ano. Aqui estão algumas ideias para ajudá-lo a começar:

Faça convites e peça aos membros do seu grupo para distribuí-los.

Crie um ambiente divertido:

  • Decore;
  • Toque música festiva;
  • Sirva boa comida (faça com que seja uma seleção ao acaso e experimente as coisas deliciosas de todo mundo!);
  • Faça etiquetas com os nomes, para que todos possam se conhecer.

Planeje alguns jogos de Natal

  • Procure no Google ideias de jogos de quebra-gelos Natalinos; jogos de desafios de um minuto são muito divertidos.

Traga Jesus!

  • Cante um par de canções natalinas juntos, mas primeiro explique o significado da música. (Não se esqueça de ter as letras para aqueles que não as conhecem)
  • Peça aos membros para compartilhar seus testemunhos de como começaram a frequentar o grupo e o que isso significou para eles; *Conte a verdadeira História de Natal, lendo isso da Bíblia, de uma Bíblia infantil ou faça com que diferentes pessoas compartilhem partes diferentes.

Ore

  • Antes do início da festa, ore por aqueles que foram convidados. Ore para que eles não só venham, mas que se sintam bem-vindos e aceitos.
  • Ore antes de a comida ser servida e depois faça uma breve oração no final da festa (pergunte se alguém tem pedidos de oração especiais).

Acompanhe

  • Conecte-se com aqueles que participaram e convide-os para a igreja, para a próxima reunião do grupo ou para um café;
  • Envie cartões agradecendo pela participação.

Não importa como você e seu Grupo Celular celebram o Filho que nos foi dado, convide aqueles que ainda não o conhecem para se juntar a você e dê boas-vindas a eles. No próximo ano, eles podem ser o seu Líder de grupo celular!

Feliz Celebração!

Spanish blog: 

Llevando el Significado de la Navidad a la Célula

Por Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

 Porque un niño nos es nacido, hijo nos es dado, y el principado sobre su hombro; y se llamará su nombre Admirable, Consejero, Dios Fuerte, Padre Eterno, Príncipe de Paz. ~ Isaías 9: 6

Cuando escucho esas palabras, mi corazón se agita y se forma un nudo en mi garganta. Un hijo es dado por nosotros cada año, cuando celebramos el nacimiento de Cristo, muchos se enfocan en las luces de colores y en los obsequios, pero  se nos dio a un Hijo. Este es nuestro verdadero regalo eterno.

Los grupos celulares tienen una clara oportunidad de compartir este regalo y el verdadero significado de la Navidad con aquellos en sus vecindarios, lugares de trabajo y familias. Muchos no irán a la iglesia, ¡pero la mayoría se unirán a ti para una fiesta de Navidad con tu célula!

Planifica una fiesta con tu célula; conviértelo en un alcance, no solo para celebrar con aquellos en tu grupo, sino para invitar a aquellos a quienes has estado orando durante todo el año. Aquí hay algunas ideas para ayudarte a comenzar

Haz invitaciones y haz que los miembros de tu célula los distribuyan

Crea un ambiente divertido:

  • Decora
  • Pon música festiva
  • Sirve buena comida (¡conviértela en una comida improvisada y prueba las delicias de todos!)
  • Haz etiquetas con nombres, para que todos puedan conocerse

Planea un par de juegos de Navidad

  • Busca en Google, juegos navideños para romper el hielo para que tengas nuevas ideas; Los juegos rápidos son muy divertidos

¡Habla de Jesús!

  • Canta un par de villancicos, pero primero explica el significado de la canción. (No olvides explicar las canciones para aquellos que no las conocen)
  • Pídele a un miembro que comparta su testimonio de cómo comenzaron a venir al grupo y qué significó para ellos
  • Cuéntales la verdadera historia de Navidad, leyéndola de la Biblia, de una Biblia para niños o que diferentes personas compartan diferentes partes

Ora

  • Antes de que comience la fiesta, ora por aquellos que han sido invitados. Ora para que no solo vengan, sino que se sientan bienvenidos y aceptados.
  • Ora antes de que se sirva la comida y luego una haz una breve oración al final de la celebración (pregunta si alguien tiene alguna petición especial de oración)

Da seguimiento

  • Relaciónate con los que asistieron e invítalos a la iglesia, a la próxima reunión grupal o a tomar un café
  • Envía tarjetas de agradecimiento por haber asistir

No importa la manera cómo tú y la célula celebren al Hijo que nos fue dado, invita a aquellos que aún no lo conocen a que se unan a ustedes y lo reciban. ¡El año que viene, uno de ellos podría ser tu líder de célula!

¡Feliz celebración!

Groups at Christmas celebration services

coaches_steveCordleCropped

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

In our area, Christmas Eve celebration services are among the highest attended of the year. Many guests and unreached people will be present, and so there are many opportunities for group members to serve. Because our church has seven Christmas Eve services, it is difficult to arrange for the whole group to attend at the same time. So,

  • Before Christmas Eve, spend time praying as a group for lost people (including who they will invite) to attend and to respond to the Gospel. Afterwards, let the group know how many came to Christ.
  • Distribute a list of serving opportunities and share with each other how each will be serving and at what time. Opportunities include: greeting at the doors and in the parking lot, singing in the choir or worship team, serving communion, ushering people to seats, providing child care for the babies and toddlers, praying during a service. Many group members choose to serve at more than one service.

At the next group meeting, members share how they saw God at work throughout the night.

This connects the celebration with the cell, and allows the members to see God at work in both.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Grupos Nos Cultos de Celebração de Natal

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Em nossa área, os cultos de celebração da Véspera de Natal estão entre os mais frequentados no ano. Muitos convidados e pessoas não alcançadas estarão presentes e, portanto, há muitas oportunidades para que os membros do grupo sirvam. Porque nossa igreja tem sete cultos de Véspera de Natal, é difícil providenciar para que todo o grupo compareça ao mesmo tempo. Assim,

  • Antes da Véspera de Natal, passe tempo orando como grupo pelas pessoas perdidas (incluindo quem elas vão convidar) para participar e responder ao Evangelho. Depois, deixe o grupo saber quantos vieram a Cristo.
  • Distribua uma lista de oportunidades de serviço e compartilhe um com o outro como cada um estará servindo e a que horas. As oportunidades incluem: saudar nas portas e no estacionamento, cantar no coro ou na equipe de adoração, servir a Comunhão, levar as pessoas às cadeiras, oferecer assistência infantil para bebês e crianças pequenas, orar durante um culto. Muitos membros do grupo optam por servir em mais de um culto.

Na próxima reunião do grupo, os membros compartilham como eles viram Deus no trabalho durante toda a noite.
Isso conecta a Celebração com a célula e permite que os membros vejam Deus no trabalho em ambos.

Spanish blog:

Las células y los servicios de celebración de Navidad.

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

En nuestra área, los servicios de celebración de Nochebuena se encuentran entre los más concurridos del año. Muchos invitados y personas que aún no conocen de Dios estarán presentes, por lo que hay muchas oportunidades para que los miembros de la célula sirvan. Debido a que nuestra iglesia tiene siete servicios de Nochebuena, es difícil hacer arreglos para que todo el grupo asista al mismo tiempo. Asi que:

  • Antes de Nochebuena, dedica un tiempo de oración con la célula para que las personas inconversas (también por sus invitados) asistan y respondan al Evangelio. Después, informa a la célula acerca de cuántos vinieron a Cristo.
  • Distribuye una lista de oportunidades para servir e informale a todos la manera en que cada uno hará y tambien en qué momento. Las oportunidades incluyen: dar la bienvenida en la entrada y en el estacionamiento, cantar en el coro o en el grupo de adoración, servir la comunión, acompañar a las personas a los asientos, brindar cuidado infantil a los bebés y niños pequeños, orar durante un servicio. Muchos miembros de la célula eligen servir en más de un servicio.

En la próxima reunión de la célula, los miembros comparten cómo vieron el trabajo de Dios durante la noche.

Esto conecta el servicio de celebración con la célula, y permite a los miembros ver a Dios trabajando en ambas áreas.

Party with a Purpose

coaches_steveCordleCropped

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Cell group Christmas parties are an opportunity to strengthen the relational bonds of the group as well as to celebrate the activity of God.

Over the years, the groups that I have led have ended the calendar year with a special event that looks like this:

1) Dinner. Everyone brings something to contribute. People usually bring one of their specialties, so the meal is always delicious. Around the table conversation usually turns toward family Christmas traditions and memories, so we learn about more one another. Eating together fosters a stronger family tie.

2. Communion with appreciation. After the meal I explain to the group that we are going to share Communion with each other in a special way. I start by picking a group member and tell that person one specific way their life or example has influenced me toward Jesus that year. Then I serve them communion. That member then takes the elements, picks another person in the group and does the same thing. Kneeling in front of that person, they share a way in which they were impacted by that individual and serves communion. This continues until the whole group receives and shares. As the leader, I am always served last (that way no one in the group feels like they’ve neglected)

The evening is always impactful (often tear-filled) as people feel loved and hear someone describe how their life has made a difference, usually without them realizing it. This event celebrates the way God has been at work in the group through the members, and underscores the value of relational discipleship in the cell. A great way to celebrate Christmas as a group!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Festeje Com Um Propósito

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org/

As festas de Natal do grupo celular são uma oportunidade para fortalecer os laços relacionais do grupo e para celebrar a atividade de Deus.

Ao longo dos anos, os grupos que liderei encerraram o ano civil com um evento especial que se parece com isto:

1) Jantar. Todo mundo traz algo para contribuir. As pessoas geralmente trazem uma de suas especialidades, então a comida sempre é deliciosa. Ao redor da mesa, a conversa geralmente se volta para as tradições e memórias de Natal da família, então aprendemos mais uns sobre os outros. Comer juntos promove um laço familiar mais forte.

2. Comunhão com agradecimento. Após a refeição, explico ao grupo que vamos compartilhar a Comunhão uns com os outros de maneira especial. Eu começo por escolher um membro do grupo e dizer a essa pessoa uma forma específica que sua vida ou exemplo me influenciaram em direção a Jesus naquele ano. Então eu lhes sirvo a Comunhão. Esse membro então tira os elementos, escolhe outra pessoa no grupo e faz o mesmo. Ajoelhados diante dessa pessoa, eles compartilham uma maneira pela qual foram afetados por esse indivíduo e servem a Comunhão. Isso continua até que todo o grupo receba e compartilhe. Como líder, sempre sou servido no final (dessa forma, ninguém no grupo se sente o último escolhido).

Esta noite é impactante (muitas vezes cheia de lágrimas), pois as pessoas se sentem amadas e ouvem alguém descrever como sua vida fez a diferença, geralmente sem que elas percebessem. Este evento celebra o modo como Deus tem trabalhado no grupo através dos membros e ressalta o valor do discipulado relacional na célula. Uma ótima maneira de celebrar o Natal como um grupo!

Spanish blog:

Una Fiesta con un propósito

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org/

Las fiestas de Navidad del grupo celular son una oportunidad para fortalecer los lazos relacionales del grupo y para celebrar la actividad de Dios.

Con los años, las células que he liderado han terminado el año calendario con un evento especial que se realiza así:

  1. Cena. Todos aportan algo para contribuir. La gente suele traer un plato especial, por lo que la comida siempre es deliciosa. Alrededor de la mesa, la conversación generalmente se trata acerca de las tradiciones y recuerdos navideños en familia, por lo que aprendemos más unos de otros. Comer juntos fomenta un vínculo familiar más fuerte.
  2. Comunión con aprecio. Después de la comida, le explico a la célula que vamos a compartir un momento de Comunión entre nosotros de una manera especial. Empiezo seleccionando a un miembro de la célula y le mencionó un aspecto específico en que su vida o ejemplo me han influenciado hacia Jesús en ese año; luego de esto ocurre la comunión. Ese miembro toma los elementos, elige a otra persona en la célula y hace lo mismo. Arrodillándose frente a esa persona, comparten la manera en que fueron impactados por ese individuo y esto crea comunión. Esto continúa hasta que toda la célula reciba y comparta. Siendo el líder, siempre participo al final (de esa manera nadie en la célula se siente mal por ser elegido hasta el final).

Esta noche es impactante (a menudo llena de lágrimas) ya que las personas se sienten amadas y escuchan a alguien describir cómo su vida ha marcado la diferencia, generalmente sin que se den cuenta. Este evento celebra la forma en que Dios ha estado trabajando en la célula a través de los miembros, y subraya el valor del discipulado relacional en esta. ¡Una excelente manera de celebrar la Navidad como célula!

Jesus is the Reason for the Season

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

The angels in Luke 2 couldn’t contain the good news about an extraordinary babe in the manger. And this season we celebrate the God-man who came to give us:

Knowledge: Jesus gave us true knowledge of the Father. He portrayed a loving, caring Father–so different from the impersonal deities of that time period. Jesus showed us that God is love. In fact, He loved the world so much He came down Himself to die for the sins of the world.

Purpose: The incarnation, death, and resurrection of Jesus gives us reason to live. Christ’s birth and death sets us free to live holistic, joyful lives. We are not a freak accident of nature. Rather, God has a perfect plan for each of us, and one day we will live forever with Him in heaven.

Dignity: Christ’s birth among the lowly reminds us that God desires to reach all of His creation. While on earth, Jesus demonstrated his love for the oppressed, the impoverished, the sick, and those on the margins of society. Jesus gave new dignity to women. Christ’s birth gives new new confidence and hope.

Christmas is all about Christ, and it’s a privilege to share this knowledge with others. Christmas is a great time to invite people to the cell group to focus on  Jesus, enjoy a meal, or reach out through meeting needs as a group.

Since cell church is a two wing ministry, the cells come together to celebrate Christ and to invite those who don’t know Jesus. This year, Christmas eve is December 24, so it’s a great opportunity to exalt Jesus and share the good news that Christ came to rescue men and women from death to life.

In December, let’s talk about focusing on Jesus in cell and celebration. We will only blog for two weeks and then take a break from December 17, 2017 to January 07, 2018. We’ll cover:

  • December 03-09. Exalting Jesus in the cell. Jesus loves sinners and he would be honored to have a special house party in his name where non-Christians would be present. Or maybe a gift exchange while honoring the greatest gift, Christ’s coming to this earth
  • December 10-16.  Celebrating Jesus in the larger gathering. Sunday celebration is a great time to invite pre-Christians who feel obligated to attend a religious Christian service. Cell members can also participate in honoring Jesus during the celebration service by inviting people and taking part in the service.

Feel free to share about how you are honoring Jesus this year.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Jesus É A Razão Da Temporada

Por Joel Comiskey

Os anjos em Lucas 2 não poderiam conter as boas notícias sobre um bebê extraordinário na manjedoura. E nesta temporada celebramos o Deus-homem que veio nos dar:

Conhecimento: Jesus nos deu o verdadeiro conhecimento do Pai. Ele retratou um pai amoroso e atencioso – tão diferente das divindades impessoais desse período de tempo. Jesus nos mostrou que Deus é amor. Na verdade, Ele amou o mundo tanto que Ele mesmo desceu Ele para morrer pelos pecados do mundo.

Objetivo: a encarnação, a morte e a ressurreição de Jesus nos dá razão para viver. O nascimento e a morte de Cristo nos libertam para viver uma vida holística e alegre. Não somos um acidente raro da natureza. Pelo contrário, Deus tem um plano perfeito para cada um de nós, e um dia viveremos para sempre com Ele no Céu.

Dignidade: o nascimento de Cristo entre os humildes nos lembra que Deus deseja alcançar toda a Sua criação. Enquanto estava na terra, Jesus demonstrou seu amor pelos oprimidos, os empobrecidos, os doentes e os que estão à margem da sociedade. Jesus deu nova dignidade às mulheres. O nascimento de Cristo dá nova confiança e esperança.

O Natal é tudo sobre Cristo, e é um privilégio compartilhar esse conhecimento com os outros. O Natal é uma ótima ocasião para convidar as pessoas para o grupo celular a se concentrar em Jesus, desfrutar de uma refeição ou alcançar as necessidades da reunião como um grupo.

Uma vez que a igreja celular é um ministério de duas asas, as células se juntam para celebrar Cristo e convidar aqueles que não conhecem Jesus. Este ano, a véspera de Natal é 24 de dezembro, por isso é uma ótima oportunidade para exaltar a Jesus e compartilhar as boas novas de que Cristo veio resgatar homens e mulheres da morte à vida.

Em dezembro, vamos falar sobre focar em Jesus na célula e no culto de celebração. Nós só teremos o blog por duas semanas e depois daremos uma pausa de 17 de dezembro de 2017 a 07 de janeiro de 2018. Vamos abordar:

  • 03 a 09 de dezembro. Exaltando Jesus na célula. Jesus ama os pecadores e Ele ficaria honrado em ter uma festa especial da casa em Seu nome onde os não-cristãos estarão presentes. Ou talvez uma troca de presentes enquanto honra o maior presente, a vinda de Cristo a esta terra.
  • 10 a 16 de dezembro. Comemorando Jesus na reunião maior. A celebração do domingo é um ótimo momento para convidar pré-cristãos que se sentem obrigados a participar de um culto religioso cristão. Os membros da célula também podem participar na honra de Jesus durante o serviço de celebração, convidando as pessoas e participando do culto.

Sinta-se livre para compartilhar sobre como você está honrando Jesus neste ano.

Spanish blog:

Jesús es la razón de la celebración 

por Joel Comiskey

Los ángeles en Lucas 2, no podían contener las buenas noticias sobre un bebé extraordinario que estaba en el pesebre. Y esta temporada celebramos al Dios-hombre que vino a darnos:

Conocimiento: Jesús nos dio el verdadero conocimiento del Padre. Representó a un Padre amoroso y afectuoso, tan diferente de las deidades impersonales de ese tiempo. Jesús nos mostró que Dios es amor; de hecho, Él amó tanto al mundo que descendió para morir por los pecados del mundo.

Propósito: la encarnación, la muerte y la resurrección de Jesús nos da una razón para vivir. El nacimiento y la muerte de Cristo nos hace libres para tener vidas holísticas y alegres. No somos un extraño accidente de la naturaleza, más bien, Dios tiene un plan perfecto para cada uno de nosotros, y un día viviremos para siempre con Él en el cielo.

Dignidad: el nacimiento de Cristo entre los humildes nos recuerda que Dios desea alcanzar toda su creación. Mientras estuvo en la tierra, Jesús demostró su amor por los oprimidos, los pobres, los enfermos y los marginados de la sociedad; Jesús le dio nueva dignidad a las mujeres. El nacimiento de Cristo nos da una nueva confianza y esperanza.

La Navidad se trata de Cristo, y es un privilegio compartir este conocimiento con otros. La Navidad es un buen momento para invitar a las personas al grupo celular y enfocarnos en Jesús, disfrutar de una comida o discutir las necesidades de la reunión en grupo.

Como la iglesia celular es un ministerio de dos áreas, las células se unen para celebrar a Cristo e invitar a aquellos que aun no le conocen. Este año, la víspera de Navidad es el 24 de diciembre, por lo que es una gran oportunidad para exaltar a Jesús y compartir las buenas nuevas de que Cristo vino a rescatar a hombres y mujeres de la muerte para vida.

En diciembre, hablemos de centrarnos en Jesús en nuestra célula y en los servicios de celebración. Solo publicaremos blogs por dos semanas y luego tomaremos un descanso del 17 de diciembre de 2017 al 7 de enero de 2018. Cubriremos:

  • Diciembre 03-09. Exaltando a Jesús en la célula. Jesús ama a los pecadores y se sentiría honrado de tener una fiesta especial en su nombre donde los no cristianos estén presentes. O tal vez un intercambio de regalos mientras se honra el mayor regalo, el regreso de Cristo a esta tierra.
  • Diciembre 10-16. Celebrando a Jesús en la reunión más grande. La celebración del domingo es un buen momento para invitar a los pre-cristianos que se sienten obligados a asistir a un servicio cristiano religioso. Los miembros de la célula también pueden participar honrando a Jesús durante el servicio de celebración invitando a las personas y participando en el servicio.

Siéntete libre de compartir acerca de cómo honras a Jesús este año.

A Tireless Hostess

coach_mario2016speakingMario Vega, www.elim.org.sv

At the beginning of my ministryin Elim Santa Ana, I trained an initial group of ten leaders. The training was prolonged and I took enough time to make all the concepts clear. At the same time, I was teaching the church on the topic of cell ministry. When everything was ready I asked the church for ten volunteers to host the first groups. But even though I asked several times, only nine hosts appeared. One of the leaders had to wait until a new host appeared.

Among those first nine leaders was Hortensia. She opened the doors of her home from the beginning and continued like this for years. The cell in her house multiplied many times, maybe 40 times and gave birth to an entire zone with its respective pastor. After about 10 years of serving as hostess, I thought that what she had done for the cause of the gospel was already enough and I thought she deserved a break. I talked to her zone pastor who also agreed with me that she deserved to rest. The cell in her house moved to another home, but, the next day, she came looking for me at the church. She was crying like a little girl and said to me,

“Please, tell me what has been my sin to have the cell taken away from me.”

I explained that there was no such sin but only consideration towards her for so many years as hostess and that she deserved a break. But she told me that the cell in her house was already part of her life and that she wanted to be a hostess, always.

She got her cell back on the following week. In September 2017, the Elim Church celebrated 30 years of continual cell ministry. Hortensia was on of the people we honored, for serving as a hostess for three decades. For her, having a cell in her house is a critical part of her lifestyle, her nature as a believer in Christ. Hortensia is an admirable example of love, passion and persistence.

Korean blog (click here)

 

Portuguese blog:

Um Hospedeiro Incansável

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

No início do meu ministério em Elim Santa Ana, treinei um grupo inicial de dez líderes. O treinamento foi prolongado e eu demorei bastante tempo para deixar claros todos os conceitos. Ao mesmo tempo, eu estava ensinando a igreja sobre o tema do ministério celular. Quando tudo estava pronto, pedi à igreja dez voluntários para hospedar os primeiros grupos. Mas mesmo que eu tenha perguntado várias vezes, apenas nove anfitriões apareceram. Um dos líderes teve que esperar até aparecer um novo anfitrião.

Entre os primeiros nove líderes estava Hortensia. Ela abriu as portas de sua casa desde o início e continuou assim por anos. A célula em sua casa se multiplicou muitas vezes, talvez 40 vezes e deu à luz uma zona inteira com seu respectivo pastor. Depois de cerca de 10 anos de atuação como anfitriã, pensei que o que ela tinha feito pela causa do evangelho já era suficiente e que ela merecia uma pausa. Falei com o pastor da zona que também concordou comigo que merecia descansar. A célula em sua casa mudou-se para outra casa, mas, no dia seguinte, ela veio me procurar na igreja. Ela estava chorando como uma menina e me disse:

“Por favor, me diga qual foi meu pecado para ter a célula tirada de mim”.

Eu expliquei que não havia nenhum pecado, mas apenas uma consideração para com ela por tantos anos como anfitriã e que ela merecia uma pausa. Mas ela me disse que a célula em sua casa já era parte de sua vida e que ela queria ser uma anfitriã, sempre.

Ela voltou a sua célula na semana seguinte. Em setembro de 2017, a Igreja Elim celebrou 30 anos de ministério celular contínuo. Hortensia estava entre as pessoas que honramos, por servir como anfitriã por três décadas. Para ela, ter uma célula em sua casa é uma parte crítica de seu estilo de vida, sua natureza como crente em Cristo. Hortensia é um admirável exemplo de amor, paixão e persistência.

Spanish blog:

Una anfitriona incansable

Mario Vega, www.elim.org.sv

Al comenzar el trabajo celular en Elim de Santa Ana, capacité a un grupo inicial de diez líderes. La capacitación fue prolongada y me tomé el tiempo suficiente para que todos los conceptos quedaran claros. Paralelamente, estaba enseñando a la iglesia sobre el tema. Cuando todo estuvo listo solicité a la iglesia diez voluntarios para ser los primeros anfitriones. Pero, por más esfuerzos que hice solamente aparecieron nueve anfitriones. Uno de los líderes tuvo que esperar hasta que surgiera un nuevo anfitrión.

Entre esos primeros nueve líderes se encontraba Hortensia. Ella abrió las puertas de su hogar desde el principio y continuó así por años. La célula en su casa se multiplicó muchas veces, quizá unas 40 veces y dio origen a toda una zona con su respectivo pastor. Después de unos 10 años de servir como anfitriona pensé que ya era bastante lo que ella había hecho por la causa del evangelio y consideré que merecía tener un descanso. Lo platiqué con su pastor de zona quien también estuvo de acuerdo conmigo en que ella merecía descansar. La célula en su casa se trasladó a otro hogar, pero, al día siguiente, llegó a buscarme a la iglesia. Ella lloraba como una niña y me decía:

– Por favor, dígame en qué he pecado para que me quite la célula-

Yo le expliqué que no había tal pecado sino solamente la consideración a sus muchos años como anfitriona y que merecía un descanso. Pero ella me dijo, que la célula en su casa ya era parte de su vida y que ella deseaba ser siempre una anfitriona.

La célula se le devolvió a la siguiente semana. En septiembre de 2017, se cumplieron 30 años de haber iniciado con el trabajo celular y Hortensia fue una de las homenajeadas por estas tres décadas sirviendo sin cesar como anfitriona. Para ella, el tener una célula en su casa es ya parte de su estilo de vida, de su naturaleza como cristiana. Un ejemplo admirable de amor, pasión y persistencia.

Houses and Hospitality, The Way of Jesus

coaches_robLAY-web

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

We all know Peter’s advice to practice hospitality (1 Peter 1:9), but this advice does not originate from him or the apostles.  They learned it from Jesus. The homes in the time of Jesus and the early church  became the new wineskin where the new wine was poured in. The house structure was flexible enough and could be stretched and expanded without bursting. Jesus new the power of the Gospel of the Kingdom needed flexible, low-cost structure that could spread easily and quickly.

The proximity of gatherings in homes provided double results. On the one side, it was the ideal environment for fellowship and edification of the Body of Christ, and on the other side, it was the ideal situation for unbelievers to have an encounter with Christ. The Church grew based on these two pillars.

Way too many activities in the traditional church happen in the Church Building. Our house and our table full of food are the best fellowship and evangelistic tools. Jesus liked to eat, even with sinners. Those who don’t know Jesus find an attractive environment and get in contact with the Christ that lives in us. When was the last time a sinner sat at the table with you in your house? So often we invite them to a Church Building. It’s far better to first invite them into our homes, then we can take them to a building for larger fellowship.

The homes were strategic and the ideal delivery system for Jesus’s salvation plan.

Let us consider this, change our habits, and adopt a Kingdom of God culture as our lifestyle!

Help us God!

Robert M. Lay, Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Casas e Hospitalidade, O Caminho de Jesus

Robert Lay, www.celulas.com.br

Todos conhecemos o conselho de Pedro para praticar a hospitalidade (1 Pedro 1: 9). Isso não é originário dos apóstolos. Eles aprenderam de Jesus. As casas no tempo de Jesus e a Igreja Primitiva tornaram-se o odre novo onde o vinho novo foi derramado. A estrutura da casa era suficientemente flexível e podia ser esticada e expandida sem estourar. Jesus sabia que o poder do Evangelho do Reino precisava de uma estrutura que poderia correr e se espalhar com baixo custo de implementação e excelentes resultados em troca.

Jesus determinou que a casa seria essa estrutura.

A proximidade de encontros em casas proporcionou resultados duplos. Por um lado, era o ambiente ideal para a comunhão e edificação do Corpo de Cristo e, por outro lado, era a situação ideal para os incrédulos terem um encontro com Cristo. A Igreja cresceu com base nesses dois pilares.

A hospitalidade é necessária hoje na igreja. Todas as atividades acontecem nos Edifícios da igreja. Nossa casa e nossa mesa, é claro, com comida, são as melhores ferramentas de evangelização e companheirismo. Jesus gostava de comer, mesmo com os pecadores. Aqueles que não conhecem Jesus encontram um ambiente atraente e entram em contato com o Cristo que vive em nós. Quando foi a última vez que um pecador se sentou à mesa com você em sua casa? Nós os convidamos para um edifício da igreja. É muito melhor primeiro convidá-los para nossas casas, então podemos levá-los a um prédio para uma maior irmandade.

As casas eram estratégicas e o sistema de entrega ideal para o plano de salvação de Jesus.

Que nós possamos considerar isso, mudar nossos hábitos e adotar uma cultura do Reino de Deus como nosso estilo de vida!

Ajude-nos a Deus!

Robert M. Lay, Ministério da Igreja Celular do Brasil

Spanish blog:

Los hogares y la hospitalidad, el camino de Jesús

Robert Lay, www.celulas.com.br

Todos conocemos el consejo de Pedro para practicar la hospitalidad (1 Pedro 1: 9). Esto no viene de los Apóstoles, lo aprendieron de Jesús. Los hogares en la época de Jesús y de la iglesia primitiva se convirtieron en el nuevo odre donde se vierte el vino nuevo. La estructura de la casa era lo suficientemente flexible y podía estirarse y expandirse sin estallar. Jesús, sabía que el poder del Evangelio del Reino, necesitaba una estructura que pudiera funcionar y difundirse con un bajo costo de implementación y grandes resultados en retorno.

Jesús determinó que los hogares serían esta estructura.

La proximidad de las reuniones en los hogares dio resultados por doble. Por un lado, era el ambiente ideal para el compañerismo y la edificación del Cuerpo de Cristo, y por el otro, era la situación ideal para que los incrédulos pudieran tener un encuentro con Cristo. La iglesia creció con base en estos dos pilares.

La hospitalidad es necesaria en la iglesia de hoy, ya que todas las actividades ocurren en los edificios de la iglesia. Nuestra casa y nuestra mesa, por supuesto con comida, son las mejores herramientas de compañerismo y evangelización. A Jesús le gustaba comer, incluso con los pecadores. Aquellos que no conocen a Jesús encuentran un ambiente atractivo y se ponen en contacto con el Cristo que vive en nosotros. Los invitamos al edificio de la iglesia, pero ¿Cuándo fue la última vez que un pecador se sentó a la mesa contigo en tu hogar? Es mucho mejor invitarlos primero a nuestros hogares, y luego podemos llevarlos a un edificio para una compañerismo más grande.

Los hogares eran estratégicos y también un sistema de entrega ideal para el plan de salvación de Jesús.

¡Consideremos esto, cambiemos nuestros hábitos y adoptemos una cultura del Reino de Dios como nuestro estilo de vida!

Ayúdanos a Dios!

Robert M. Lay,

Cell Church Ministry Brasil

On the Move

By Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

Is your Life Group on the move or stuck in a rut?

When I meet with Cell Group Leaders who feel their groups are stagnant, one of the first things I suggest is moving the Group to a different home.  At Celebration Church, we have found that the best practice is moving homes monthly or every six-weeks.  Here are the top five reasons:

#5 – Where are your groups located?  When groups are spread out geographically, it can be taxing on the members to travel far distances each week.  Moving the meeting around, allows members to have times where they can get to the group more quickly.

#4 – Do you have any inconsistent members?  If someone is hosting the group at their home they must be there.  Ask people that don’t come regularly to host for a month, so that they can see the benefits of attending regularly and hopefully create a new habit of attending each week.

#3 – Does your regular host home ever get worn out?  As leaders, we often say, “Yes.”  To avoid burn-out, we can move homes to create a sense of rest and invigoration to those that are weary.

#2 – Are new members coming to your group?  Each home has a different friend and family base of people that can be invited.  Someone that doesn’t know me, may not want to come to my house when they are invited. However they may go to a group that is at a friend’s house.

#1 – Do you have enough leaders?  When you move the group regularly, leaders emerge.  Ask the host to facilitate one of the meetings.  See how they help others to feel welcomed and acclimated to the group.  Leaders will rise up and when the group is accustomed to moving homes, it makes multiplication a little less daunting.

Many people will often say, “No” to hosting the group.  Be a problem solver and overcome the obstacles.  One of the members of my group, had recently moved out of a bad situation and had only an apartment with a bed on the floor.  That was it.  She said that she couldn’t host because she didn’t have anywhere for people to sit.  The group said they would sit on the floor.  The first week we sat on the floor, but the second week, a group member brought her a couch.  Over the next month of meetings in her home, her apartment was filled.  She had everything she needed physically and received even more than spiritually and emotionally because she saw how  much she was loved by the group and Jesus.  If she had not agreed to host the group, that would not have happened.

Meeting in different homes each month let’s you know what people need physically, spiritually, and emotionally.  Hosting Cell Groups should be a regular part of shared ministry within the group.  This helps everyone to take part and have ownership of the meeting and to truly be the Cell Group they were meant to be.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Em Movimento

Por  Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

O seu grupo de vida está em movimento ou está preso em uma rotina?

Quando me encontro com os Líderes de Grupos Celulares que sentem que seu grupo está estagnado, uma das primeiras coisas que eu sugiro é mover o Grupo para uma casa diferente. Na Celebration Church, descobrimos que a melhor prática é mover casas mensalmente ou a cada seis semanas. Aqui estão os cinco principais motivos:

# 5 – Onde estão localizados os seus grupos? Quando os grupos estão espalhados geograficamente, pode ser tributado aos membros que viajem distâncias grandes a cada semana. Mover a reunião de lugar permite que os membros tenham momentos em que eles possam chegar ao grupo mais rápido.

# 4 – Você tem membros inconsistentes? Se alguém está hospedando o grupo em sua casa, eles devem estar lá. Peça às pessoas que não vêm regularmente para hospedar por um mês, para que possam ver os benefícios de frequentar regularmente e, com sorte, criar um novo hábito de participar de cada semana.

# 3 – A sua casa de acolhimento regular se desgastou? Como líderes, muitas vezes dizemos “Sim” muitas vezes, e ter reuniões grupais em nossa casa é uma delas. Para evitar a exaustão, podemos mudar as casas para criar uma sensação de descanso e revigor para aqueles que estão cansados.

# 2 – Novos membros estão chegando no seu grupo? Cada casa tem um amigo diferente e base familiar de pessoas que podem ser convidadas. Alguém que não me conhece pode não querer ir à minha casa quando eles são convidados. No entanto, eles podem ir a um grupo que está na casa de um amigo.

# 1 – Você tem líderes suficientes? Quando você move o grupo regularmente, os líderes emergem. Peça ao anfitrião para facilitar uma das reuniões. Veja como eles ajudam os outros a se sentirem bem-vindos e se acalmam ao grupo. Os líderes se levantarão e quando o grupo é usado para mudar de casas, e torna a multiplicação um pouco menos assustadora.

Muitas pessoas dirão: “Não” para hospedar o grupo. Seja um solucionador de problemas e supere os obstáculos. Uma dos membras do meu grupo tinha se mudado recentemente de uma situação ruim e tinha apenas um apartamento com uma cama no chão. Foi isso. Ela disse que não poderia hospedar porque não tinha lugar para que as pessoas se sentassem. O grupo disse que se sentaria no chão. Na primeira semana nos sentamos no chão, mas na segunda semana, um membro do grupo trouxe-lhe um sofá. Durante o próximo mês de reunião em sua casa, seu apartamento foi preenchido. Ela tinha tudo o que precisava fisicamente, e recebeu ainda mais do que isso espiritualmente e emocionalmente porque viu o quanto ela era amada pelo grupo e por Jesus. Se ela não concordasse em hospedar o grupo, isso não teria acontecido.

Reúna-se em diferentes casas a cada mês, permita que você saiba o que as pessoas precisam fisicamente, espiritualmente e emocionalmente. Ser anfitrião de um grupo de célula deve ser uma parte regular do ministério compartilhado dentro do grupo. Isso ajuda todos a participar e ter a posse da reunião e realmente ser o Grupo Celular que deveriam ser.

Spanish blog:

En movimiento

Por Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

¿Está tu célula en movimiento o estancada en una rutina?

Cuando me reúno con los líderes de los grupos celulares que sienten que su célula está estancada, una de las primeras cosas que sugiero es mover la célula a un hogar diferente. En Celebration Church, hemos encontrado que la mejor práctica es mover a la célula mensualmente o cada seis semanas. Estas son las cinco razones principales:

# 5 – ¿Dónde están ubicadas tus células? Cuando las células se distribuyen geográficamente, ya que puede ser agotador para los miembros viajar largas distancias cada semana. Mover la reunión permite que los miembros tengan momentos en los que puedan llegar a la célula más rápido.

# 4 – ¿Tienes miembros inconsistentes? Si alguien aloja a la célula en su casa, esta persona debe estar allí. Pregúnteles a las personas que no acuden regularmente, que sean anfitriones por un mes, para que puedan ver los beneficios de asistir regularmente y, con suerte, crear un nuevo hábito de asistir cada semana.

# 3 – ¿Alguna vez se ha cansado su casa anfitriona? Como líderes, a menudo decimos “Sí”, y tener un grupo en nuestra casa es uno de ellos. Para evitar el agotamiento, podemos mover las células para crear una sensación de descanso y fortalecimiento a aquellos que están cansados.

# 2 – ¿Vienen nuevos miembros a tu célula? Cada hogar tiene una base de amigos y familiares diferentes que pueden ser invitados. Alguien que no me conoce, puede que no quiera venir a mi casa cuando los invite. Sin embargo, pueden ir a una célula que está en la casa de uno de sus amigos.

# 1 – ¿Tienes suficientes líderes? Cuando mueves a la célula de manera regular, los líderes surgirán. Pídele al anfitrión que facilite una de las reuniones. Observa cómo ayudan a otros a sentirse bienvenidos y cómodos en la célula. Los líderes se levantarán y cuando la célula esté acostumbrada a cambiar casas, la multiplicación será un poco menos difícil.

Mucha personas dirán “No” para ser anfitriones de células, pero debes ser un solucionador de problemas y supera los obstáculos. Uno de los miembros de mi célula, recientemente había salido de una mala situación y solo tenía un departamento con una cama en el piso, eso era todo. Ella dijo que no podía ser anfitriona porque no tenía lugar para que la gente se sentara, pero la célula dijo que se sentarían en el piso. La primera semana nos sentamos en el piso, pero la segunda semana, un miembro de la célula le trajo un sofá. Durante el mes siguiente teniendo la reunión en su casa, su departamento estaba lleno. Ella tenía todo lo que necesitaba físicamente, pero recibió aún más que eso, espiritual y emocionalmente porque vio cuánto la amaba la célula y Jesús. Si ella no hubiera aceptado ser la anfitriona de la célula, todo eso no habría sucedido.

Reunirse en diferentes hogares cada mes les permite saber a las personas lo que  necesitan física, espiritual y emocionalmente. Ser anfitrión de una célula debe ser un área común del ministerio compartido dentro del grupo. Esto ayuda a todos a participar, a ser propietarios de la reunión y a convertirse realmente en  la célula que están destinados a ser.