Keeping the Vision Alive and Healthy

Alvaro Cesar Ramirez , Senior Pastor at Comunidade Batista da Restauração, Belo Horizonte, Brazil, www.cbrd.com.br;  www.leaodatribodejuda.com 

I first thought that my biggest challenge as a cell church pastor was to deeply work on the principles and values until the entire  structure had shifted. Indeed it was a big challenge! We had to work hard to accomplish a complete transition.  We never skipped or ignored any step of the transition phase. Yes, it was difficult to transition our church, but there was something even more difficult.

Even though transitioning was hard, keeping the leaders motivated and the vision healthy was even  harder. I learned this along the way.

In his book Axioms, Bill Hybels says that vision leaks. And I have to agree. Some leaders lose their passion and vision and must be reminded continually about God’s purpose through cell ministry.

In our church, we have a “Vision Day” every other month. We invite all small group leaders, supervisors, coordinators and pastors to a number of workshops and vision casting activities. We spend the whole day together, morning, afternoon and evening.  We invite outside pastors to preach and to do the workshops. As the lead pastor, I always preach the main message. They must hear from me and see my passion for cell ministry.  All content on the Vision Day  has something to do with cell ministry.  We talk about topics such as: Why we do what we do? how to have exciting cell meetings, how do we fulfill the Great Commission, the leader’s prayer life, accountability, discipleship, and making disciples. We always want the vision to be clear and the leaders to be focused.

I can tell you that I have seen leaders bored in the vision and leaking a lot. But I have also seen these leaders brought back on track, as they experiencing the “Vision Day.” God gives them the grace to breath again.

Transitioning is hard, but keeping the vision healthy after years of doing cell ministry  is even harder. Lead pastors must be aware of it and make sure they are reinvigorating the vision when it starts to leak.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Mantendo a Visão Viva e Saudável

Por Alvaro Cesar Ramirez, Pastor Sênior da Comunidade Batista da Restauração, Belo Horizonte, Brasil, www.cbrd.com.br; www.leaodatribodejuda.com.

No início pensei que o meu maior desafio como pastor de uma igreja celular era trabalhar profundamente nos princípios e valores até que a estrutura inteira tivesse mudado. De fato, foi um grande desafio! Tivemos que trabalhar arduamente para alcançar uma transição completa. Nunca pulamos ou ignoramos qualquer etapa da fase de transição. Sim, foi difícil mudar a nossa igreja, mas havia algo ainda mais difícil.

Mesmo que a transição fosse difícil, manter os líderes motivados e a visão saudável era muito mais difícil. Aprendi isso ao longo do caminho.

Em seu livro Axiomas, Bill Hybels diz que a visão escapou. E eu tenho que concordar. Alguns líderes perdem a paixão e a visão e devem ser lembrados continuamente sobre o propósito de Deus através do ministério celular.

Em nossa igreja, temos um Dia da Visão a cada dois meses. Convidamos todos os líderes de pequenos grupos, supervisores, coordenadores e pastores para uma série de workshops e atividades de lançamento de visão. Passamos o dia inteiro juntos, manhã, tarde e noite. Convidamos pastores de fora para pregar e fazer oficinas. Como pastor principal, eu sempre prego a mensagem principal. Eles devem ouvir de mim! Todo o conteúdo deste dia é sobre a Visão. Nós conversamos sobre tópicos como: Por que fazemos o que fazemos? Como ter reuniões de células empolgantes; Como cumprir a Grande Comissão; A vida de oração do líder; A prestação de contas; O discipulado e Fazer discípulos. Nós sempre queremos que a visão seja limpa e que os líderes sejam focados.

Posso te dizer que vi líderes entediados na visão e deixando escapar muito. Mas eu também vi esses líderes trazidos de volta aos trilhos. Experimentar o “Dia da Visão” os fez respirar de novo.

A transição é difícil, mas manter a visão saudável depois de anos fazendo esse ministério é ainda mais difícil. Os pastores principais devem estar cientes disso e garantir que eles estejam revigorando a visão quando ela começa a escapar.

Spanish blog:

Manteniendo la visión viva y saludable

Por Alvaro Cesar Ramirez, pastor principal de Comunidade Batista da Restauração, Belo Horizonte, Brasil, www.cbrd.com.br; www.leaodatribodejuda.com.

Al principio pensé que mi mayor desafío como pastor de una iglesia celular era trabajar profundamente en los principios y valores hasta que toda la estructura cambiara. ¡De hecho fue un gran desafío! Tuvimos que trabajar duro para lograr una transición completa. Nunca omitimos ni ignoramos ningún paso de la fase de transición. Sí, fue difícil completar la transición de nuestra iglesia, pero había algo aún más difícil.

Aunque la transición fue difícil, mantener a los líderes motivados y la visión saludable fue aún más difícil. Aprendí esto en el camino.

En su libro Axiomas, Bill Hybels dice que la vista se filtra. Y tengo que estar de acuerdo. Algunos líderes pierden su pasión y visión y deben recordarse continuamente sobre el propósito de Dios a través del ministerio celular.

En nuestra iglesia, tenemos un Vision Day (Día de la Visión)cada dos meses. Invitamos a todos los líderes, supervisores, coordinadores y pastores de células, a una serie de talleres y actividades de lanzamiento de visión. Pasamos todo el día juntos, mañana, tarde y noche; invitamos a pastores externos a predicar y a hacer los talleres. Como el pastor general, siempre predico el mensaje principal. ¡Deben saber de mí! Todo el contenido de este día es sobre la Visión; hablamos sobre temas como: ¿Por qué hacemos lo que hacemos? Cómo tener reuniones emocionantes en la célula, Cómo cumplimos con la Gran Comisión, la vida de oración del líder, la responsabilidad, el discipulado y la formación de discípulos. Siempre queremos que la visión sea limpia y que los líderes estén enfocados.

Puedo decirte que he visto a los líderes aburridos en la visión y que llegan estancarse mucho. Pero también he visto a estos líderes volver a la normalidad; el hecho de experimentar el “Vision Day” les hizo respirar nuevamente.

La transición es difícil, pero mantener la visión saludable después de años de desarrollar este ministerio es aún más difícil. Los pastores líderes deben ser conscientes de ello y asegurarse de que están revigorizando la visión cuando comienza a estancarse.

Morals, Values, Practices

coaches_jeffTun2011

By Jeff Tunnell

Morals are cognitive (thinking, developed in our heads) Values are affective (feelings, held in our hearts). Practices develop from values. Therefore, “We practice what we value”.

For example: we may know in our minds (cognitive thought) that stealing is wrong (a moral), but if we continue to take things that are not ours (practice), we have not converted our thinking into a heart-felt value (affective, strong feelings about the moral).

The Bible illustrates the church as a body, whose Head is Jesus.  Those who lead each congregation must remain connected to the Head, understanding the mind of Christ.  The cognitive thoughts of Jesus (morals) conveyed to the leadership must be converted into values (strongly held beliefs), which in turn become the practices of the congregation.

Cell churches make the effort to think about and outline biblical values that will be held by and practiced throughout the congregation. These values will become themes that are included in messages at Celebration services (major gatherings of all cell groups).

Here are a few Cell Values:

  • Biblical Prayer
  • Relational evangelism
  • Training and Equipping – Ephesians 4:11-16
  • Personal Development – Hebrews 6:1-3; 1 Peter 2:1-3
  • Leadership development
  • Multiplication
  • Prayer for others – James 5:13-16
  • Community, Body life, Relationships – 1 Corinthians 12:12-28
  • Priesthood of the Believer
  • Accountability
  • Gifts of the Spirit Participation
  • Corporate worship – Acts 2:46
  • Quiet time with God and His word
  • Preaching and Teaching – Acts 20:20
  • Friendship
  • Marriage
  • Family
  • Mission participation, going and sending – Matthew 28:18-20; Romans 10:14-15

This month we are blogging about a strongly held Value of Jesus (discipleship) which ties the other values together. The underlined and bolded words below are a clear message from the Head, to be transferred to our hearts and practiced by the Body.

Matthew 28:18-20 Jesus came and told his disciples, “I have been given all authority in heaven and on earth. Therefore, go and make disciples of all the nations, baptizing them in the name of the Father and the Son and the Holy Spirit. Teach these new disciples to obey all the commands I have given you. And be sure of this: I am with you always, even to the end of the age.”

Let’s make disciples, who make disciples!

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Moral, Valores, Práticas
por Jeff Tunnell

A moral é cognitiva (pensamento, desenvolvida em nossas cabeças), Os valores são afetivos (sentimentos, mantidos em nossos corações). As práticas desenvolvem-se a partir de valores. Portanto, “praticamos o que valorizamos.”

Por exemplo: podemos saber em nossas mentes (pensamento cognitivo) que roubar é errado (uma moral), mas se continuarmos a tomar coisas que não são nossas (prática), não convertemos nosso pensamento em um valor sincero (sentimentos afetivos e fortes sobre a moral).

A Bíblia ilustra a igreja como um corpo, cuja Cabeça é Jesus. Aqueles que lideram cada congregação devem permanecer conectados à Cabeça, entendendo a mente de Cristo. Os pensamentos cognitivos de Jesus (moral) transmitidos à liderança devem ser convertidos em valores (crenças fortemente mantidas), que por sua vez tornam-se as práticas da congregação.

As igrejas celulares fazem o esforço de pensar sobre e delinear os valores bíblicos que serão realizados e praticados por toda a congregação. Esses valores se tornarão temas incluídos nas mensagens nos Cultos de Celebração (principais reuniões de todos os grupos de células).

Aqui estão alguns Valores de Células:

  • Oração Bíblica
  • Evangelismo relacional
  • Treinamento e Equipamento – Efésios 4: 11-16
  • Desenvolvimento Pessoal – Hebreus 6: 1-3; 1 Pedro 2: 1-3
  • Desenvolvimento de liderança
  • Multiplicação
  • Oração pelos outros – Tiago 5: 13-16
  • Comunidade, Vida do corpo, Relacionamentos – 1 Coríntios 12: 12-28
  • Sacerdócio do crente
  • Prestação de contas
  • Dons da Participação do Espírito
  • Adoração coletiva – Atos 2:46
  • Tempo em silêncio com Deus e Sua Palavra
  • Pregação e Ensino – Atos 20:20
  • Amizade
  • Casamento
  • Família
  • Participação da Missão, indo e enviando – Mateus 28:18-20; Romanos 10:14-15

Este mês, estamos escrevendo sobre um Valor de Jesus (discipulado) fortemente mantido que prende os outros valores juntos. As palavras sublinhadas e em negrito abaixo são uma mensagem clara da Cabeça, para ser transferida para nossos corações e praticada pelo Corpo.

Em Mateus 28:18-20 Jesus veio e disse a seus discípulos: “… Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.

Vamos fazer discípulos que fazem discípulos!

Jeff

Spanish blog:

Moralidad, valores, práctica

Por Jeff Tunnell

La moralidad es cognitiva (pensamiento, desarrollado en nuestras cabezas). Los valores son afectivos (sentimientos que se mantienen en nuestros corazones). Las prácticas se desarrollan a partir de valores. Por lo tanto, “Practicamos lo que valoramos”.

Por ejemplo: podemos saber en nuestras mentes (pensamiento cognitivo) que el robar es incorrecto (moralidad), pero si continuamos tomando cosas que no son nuestras (práctica), no hemos convertido nuestro pensamiento en un valor que es sentido por el corazón ( sentimientos afectivos y fuertes sobre la moral).

La Biblia ilustra a la iglesia como un cuerpo, cuya cabeza es Jesús. Aquellos que dirigen cada congregación deben permanecer conectados a la Cabeza, entendiendo la mente de Cristo. Los pensamientos cognitivos de Jesús (la moral) transmitidos al liderazgo deben convertirse en valores (creencias fuertemente arraigadas), que a su vez se convierten en prácticas de la congregación.

Las iglesias celulares hacen el esfuerzo de pensar y delinear los valores bíblicos que serán sostenidos y practicados por toda la congregación. Estos valores se convertirán en temas, que se incluirán en los mensajes de los servicios de celebración (reuniones principales de todos los grupos celulares). Aquí hay algunos Valores Celulares:

  • Oración Bíblica
  • Evangelismo relacional
  • Entrenamiento y equipamiento – Efesios 4: 11-16
  • Desarrollo personal – Hebreos 6: 1-3; 1 Pedro 2: 1-3
  • Desarrollo de liderazgo
  • Multiplicación
  • Oración por los demás – Santiago 5: 13-16
  • Comunidad, vida corporal, relaciones – 1 Corintios 12: 12-28
  • Sacerdocio del creyente
  • Responsabilidad
  • Regalos de la participación del Espíritu
  • Culto corporativo – Hechos 2:46
  • Tiempo de tranquilidad con Dios y su palabra
  • Predicación y enseñanza – Hechos 20:20
  • Amistad
  • Matrimonio
  • Familia
  • Participación de la misión, ir y enviar – Mateo 28: 18-20; Romanos 10: 14-15

Este mes estamos escribiendo acerca de un Fuerte valor hacia Jesús (discipulado) que une los otros valores. Las palabras subrayadas y en negrita a continuación son un mensaje claro de la Cabeza, para ser transferido a nuestros corazones y practicado por el Cuerpo.

Mateo 28: 18-20 Y Jesús se acercó y les habló diciendo: “Toda potestad me es dada en el cielo y en la tierra. Por tanto, id, y haced discípulos a todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre, y del Hijo, y del Espíritu Santo; enseñándoles que guarden todas las cosas que os he mandado; y he aquí yo estoy con vosotros todos los días, hasta el fin del mundo. Amén.”

Hagamos discípulos, ¡que hagamos discípulos!

Jeff

Going Back to Day One: the Cell Church

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

What does it mean to go back to day one in cell ministry? Mario Vega said it well, “There has to be a break with the idea that the main purpose is numerical growth and then to start focusing on making disciples as the essential goal. This reorientation of goals is the fundamental element that makes the difference between stagnation and the constant renewal of passion” (JCG blog on Wednesday, February 14, 2018).

Discipleship is the main purpose behind cell ministry. But what does it mean to be a disciple of Jesus? Paul tells us in Romans 8:29, “For those God foreknew he also predestined to be conformed to the image of his Son, . . .” We were predestined to be like Jesus! John says something similar, “But we know that when Christ appears, we shall be like him, for we shall see him as he is”(1 John 3:2). Being like Jesus is the goal of discipleship. The more we reflect Jesus in thought, word, and action, the closer we are to being like Jesus. Jesus chose the cell atmosphere to make his disciples like him, and so should we.

The cell church, however, is more than the cell. The celebration is also essential to help believers to become more like Jesus. The early Christians “. . . devoted themselves to the apostles’ teaching and to fellowship, to the breaking of bread and to prayer” (Acts 2: 42). Those believers were transformed into the image of Christ through the preaching of the Word. God has ordained pastors and leaders to preach the Word and perfect the saints (Ephesians 4:11-12).

Cell and celebration are critical components to transform believers. But cell churches have also noticed that a step-by-step equipping also helps believers become more like Jesus. In other words, certain in-depth biblical truths aren’t adequately covered in cell or celebration. Thus, the equipping helps believers in areas like basic doctrine, holiness, evangelism, devotions, and cell leadership. To learn more about equipping, click here. But what about those who are leaders? Current cell leaders need coaching. When someone becomes a cell leader, he or she must not be left alone. Coaching is essential to help the leader stay close to Jesus, keep the fire burning, and to stay balanced in the Christian life.

Cell church ministry is very simple: making disciples who make disciples through cell, celebration, equipping, and coaching. The goal is to become like Jesus. Prayer covers everything and is like the air the church breathes. When we talk about going back to day one, we’re talking about going back to the basics: cell, celebration, equipping, and coaching.

How are you doing on each of these areas? Remember the goal is helping others become more like Jesus. And the good news is that Jesus is alive and well and will give an abundance of wisdom and guidance—and we are even told he sits at the right hand of the Father and prays for us! (Romans 8:34). He is the head of the church and more interested than we are to make disciples who make disciples.

Korean blog (click here)

Portuguese  blog:

Voltando ao Primeiro Dia: a Igreja Celular

Por Joel Comiskey

O que significa voltar ao primeiro dia no ministério celular? Mario Vega disse isso bem: “Tem que haver uma ruptura com a ideia de que o objetivo principal é o crescimento numérico e então começar a focar em fazer discípulos como o objetivo essencial. Essa reorientação dos objetivos é o elemento fundamental que faz a diferença entre a estagnação e a constante renovação da paixão” (Blog do JCG na quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018).

O discipulado é o principal propósito por trás do ministério celular. Mas o que significa ser um discípulo de Jesus? Paulo nos diz em Romanos 8:29: “ Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, …” Nós fomos predestinados a ser como Jesus! João diz algo semelhante: “…. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é.” (1 João 3: 2). Ser como Jesus é o objetivo do discipulado. Quanto mais refletimos Jesus em pensamento, palavra e ação, mais próximos estamos de ser como Jesus. Jesus escolheu a atmosfera celular para tornar seus discípulos como Ele, e assim nós também devemos fazer.

A igreja celular, no entanto, é mais do que a célula. A celebração também é essencial para ajudar os fiéis a se tornarem mais como Jesus. Os primeiros cristãos “. . . perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” (Atos 2: 42). Esses crentes foram transformados na imagem de Cristo através da pregação da Palavra. Deus ordenou pastores e líderes para pregar a Palavra e aperfeiçoar os santos (Efésios 4: 11-12).

A célula e a celebração são componentes críticos para transformar os crentes. Mas as igrejas celulares também notaram que um equipamento passo a passo também ajuda os crentes a se tornarem mais como Jesus. Em outras palavras, certas verdades bíblicas em profundidade não são adequadamente cobertas na célula ou na celebração. Assim, o equipamento ajuda os crentes em áreas como doutrina básica, santidade, evangelismo, devocionais e liderança celular. Para saber mais sobre equipamento, clique aqui. E quanto aos que são líderes? Líderes celulares atuais precisam de treinamento. Quando alguém se torna um líder celular, ele ou ela não deve ser deixado sozinho. O treinamento é essencial para ajudar o líder a ficar perto de Jesus, a manter o fogo queimando e a permanecer equilibrado na vida cristã.

O ministério da igreja celular é muito simples: fazer discípulos que fazem discípulos através da célula, celebrações, equipamento e treinamento. O objetivo é se tornar como Jesus. A oração cobre tudo e é como o ar que a igreja respira. Quando falamos sobre voltar ao primeiro dia, estamos falando sobre voltar ao básico: célula, celebração, equipamento e treinamento.

 Como você está indo em cada uma dessas áreas? Lembre-se que o objetivo é ajudar outros a se tornarem mais como Jesus. E a boa notícia é que Jesus está vivo e bem e dará uma abundância de sabedoria e orientação – e até mesmo nos diz que Ele se senta à direita do Pai e intercede por nós! (Romanos 8:34). Ele é o ca?beça da igreja e mais interessado do que nós em fazer discípulos que fazem discípulos.

Spanish blog:

Volviendo al primer día: la iglesia celular

Por Joel Comiskey

¿Qué significa volver al primer día en el ministerio celular? Mario Vega lo dijo muy claro: “Tiene que haber una ruptura con la idea de que la finalidad principal es el crecimiento numérico y luego comenzar a centrarse en hacer discípulos como el objetivo esencial. Esta reorientación de los objetivos es el elemento fundamental que marca la diferencia entre el estancamiento y la renovación constante de la pasión “(blog de JCG el miércoles 14 de febrero de 2018).

El discipulado es el principal  propósito del ministerio celular. Pero, ¿qué significa ser un discípulo de Jesús? Pablo nos dice en Romanos 8:29, “Porque a los que antes conoció, también los predestinó para que fuesen hechos conformes a la imagen de su Hijo,. . . “¡Fuimos predestinados a ser como Jesús! Juan dice algo similar: “Pero sabemos que cuando él se manifieste, seremos semejantes a él, porque le veremos tal como él es” (1 Juan 3: 2). Ser como Jesús es el objetivo del discipulado. Cuanto más reflejamos a Jesús en pensamiento, palabra y acción, más nos acercamos a ser como Jesús. Él eligió la atmósfera celular  para hacer que sus discípulos fueran como él, y nosotros también debemos hacerlo.

La iglesia celular, sin embargo, es más que la célula. La celebración también es esencial para ayudar a los creyentes a ser más como Jesús. Los primeros cristianos “. . . se consagraron a las enseñanzas de los apóstoles, a la comunión, a el partir del pan y a la oración “(Hechos 2: 42). Esos creyentes fueron transformados a la imagen de Cristo a través de la predicación de la Palabra. Dios ha ordenado pastores y líderes para predicar la Palabra y perfeccionar a los santos (Efesios 4: 11-12).

La célula y la celebración son componentes críticos para transformar a los creyentes. Pero las iglesias celulares han notado que un equipamiento paso a paso también ayuda a los creyentes a ser más como Jesús. En otras palabras, ciertas verdades bíblicas profundas no están cubiertas adecuadamente en la célula  o en el servicio de celebración. Por lo tanto, el equipamiento ayuda a los creyentes en áreas como la doctrina básica, la santidad, el evangelismo, las devociones y el liderazgo celular. Para obtener más información sobre el equipamiento, haga clic aquí. ¿Pero qué hay de aquellos que son líderes? Los actuales líderes celulares necesitan entrenamiento; cuando alguien se convierte en líder de una célula, no deben dejarlo solo. El entrenamiento es esencial para ayudar al líder a permanecer cerca de Jesús, mantener el fuego encendido y mantener el equilibrio en la vida cristiana.

El ministerio de la iglesia celular es muy simple: hacer discípulos que hacen discípulos a través de la célula, la celebración, el equipamiento y el entrenamiento. El objetivo es llegar a ser como Jesús. La oración lo cubre todo y es como el aire que respira la iglesia. Cuando hablamos de volver al primer día, estamos hablando de volver a lo básico: célula, celebración, equipamiento y entrenamiento.

¿Cómo te va en cada una de estas áreas? Recuerda que la meta es ayudar a otros a ser más como Jesús. Y la buena noticia es que Jesús está vivo y muy bien y dará una abundancia de sabiduría y guía, ¡e incluso se nos dice que se sienta a la diestra del Padre y ora por nosotros! (Romanos 8:34). Él es el líder de la iglesia y está más interesado que nosotros en hacer discípulos que hagan discípulos.

Re-centering the Salt Shaker

By Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

My dear friend and mentor, Debbie Pell, often reminds me that I must re-center the salt shaker in my cell group and ministry.  What she means by this  is that at nice restaurants after the table is cleaned and set for the next guests, the salt shaker needs to go back to where it began to serve the next person.  No matter how many groups I lead and how many leaders I multiply, I must always remember to start from scratch with each person.  I must continuously disciple those the Lord puts in my path.

As we grow in cell ministry, we often get ahead of ourselves and build strategies and missions that forget to start with those around us that need someone to teach them the basics. I’m referring to basics such as reading the Bible, attending church and cell each week, and praying daily.  We try to find the latest social media venue or connect through technology and forget that true discipleship is relational and takes place over time.

Jesus discipled 12 men over a period of three plus years and then set them loose to spread the Gospel throughout the world.  Who are you spending time with on a regular basis to share life experiences with as well as teaching them all you know.  Regardless of how long you have been a believer in Christ, you can share what you know with someone else.

This can seem like a daunting task but look at what Jesus did with His disciples.  He ate with them, He prayed with them, and He ministered to others with them.  You can do that!

As you are making disciples, remember that a real disciple makes disciples, so teach those you disciple to raise up others.  Study the Gospel of John with them or find a discipleship book.  At Celebration, we use Live, Grow, Encounter, and Share written by Joel Comiskey.  They are a great resource to lead someone through and then ask them to lead someone else through it.

Start today and re-center your discipleship salt shaker.  Start with the basics and make disciples that make disciples.  Commit this year to bring the Great Commission to life in your cell group and church!

Then Jesus came to them and said, “All authority in heaven and on earth has been given to me. Therefore go and make disciples of all nations, baptizing them in the name of the Father and of the Son and of the Holy Spirit, and teaching them to obey everything I have commanded you. And surely I am with you always, to the very end of the age.” ~ Matthew 28:18-20

Korean blog (click here)

Portuguese blog: 

Re-centralizando o Saleiro

Por Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

Minha querida amiga e mentora, Debbie Pell, muitas vezes me lembra que devo re-centralizar o saleiro na minha célula e ministério. O que ela quer dizer é que, em restaurantes agradáveis depois que a mesa é limpa e preparada para os próximos convidados, o saleiro precisa voltar para onde estava no princípio a servir a próxima pessoa. Não importa quantos grupos eu lidere e quantos líderes eu multiplique, eu sempre devo me lembrar de começar do zero com cada pessoa. Devo continuamente discipular o que o Senhor coloca no meu caminho.

À medida que crescemos no ministério celular, muitas vezes nos antecipamos e criamos estratégias e missões que esquecem de começar com aqueles que estão ao nosso redor e que precisam de alguém para ensinar-lhes o básico: como ler a Bíblia, frequentar a igreja e as células semanalmente e orando diariamente. Tentamos encontrar o local mais frequentado recentemente nas mídias sociais ou conectar-nos através da tecnologia e esquecemos que o verdadeiro discipulado é relacional e ocorre ao longo do tempo.

Jesus discipulou 12 homens durante um período de mais de três anos e depois soltou-os para espalhar o Evangelho por todo o mundo. Com quem você está gastando tempo em uma base regular para compartilhar experiências de vida, além de ensinar tudo o que sabe? Independentemente de quanto tempo você tenha sido um crente em Cristo, você pode compartilhar o que você conhece com outra pessoa.

Isso pode parecer uma tarefa assustadora, mas veja o que Jesus fez com os Seus discípulos. Ele comeu com eles, orou com eles e ministrou aos outros com eles. Você pode fazer isso!

À medida que você está fazendo discípulos, lembre-se de que um verdadeiro discípulo faz discípulos, então ensine seus discípulos a levantarem outros. Estudar o Evangelho de João com eles ou encontrar um livro de discipulado. No culto de celebração usamos Live, Grow, Encounter e Share (Viver, Crescer, Encontrar e Compartilhar, em tradução livre), escrito por Joel Comiskey. Eles são ótimos recursos para ensinar alguém e depois pedir-lhe para ensinar outras pessoas através desses livros.

Comece hoje e centralize novamente o saleiro de seu discipulado. Comece com o básico e faça discípulos que fazem discípulos. Faça o compromisso neste ano para levar a grande comissão para a vida de sua célula e igreja!

Então, Jesus aproximando-se deles lhes assegurou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Portanto, ide e fazei com que todos os povos da terra se tornem discípulos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a obedecer a tudo quanto vos tenho ordenado. E assim, Eu estarei permanentemente convosco, até o fim dos tempos” – Mateus 28:18-20.

Spanish blog:

Llevando el Salero al centro

Por Michelle Geoffrey, www.celebrationchurch.org

Mi querida amiga y mentora, Debbie Pell, a menudo me recuerda que debo volver a centrar el salero en mis células y en mi ministerio. Lo que quiere decir con eso es que, en los buenos restaurantes después de limpiar y preparar la mesa para los siguientes invitados, el salero debe volver a donde comenzó a servir a la siguiente persona. No importa cuántos grupos lidere y cuántos líderes multiplique, siempre debo recordar empezar de cero con cada persona. Debo continuamente discipular a aquellos que el Señor pone en mi camino.

A medida que crecemos en el ministerio celular, a menudo nos adelantamos y construimos estrategias y misiones que nos hacen olvidar el iniciar con quienes nos rodean; los que necesitan que alguien les enseñe lo básico: como leer la Biblia, asistir a la iglesia y a la célula todas las semanas y orar diario. Intentamos encontrar el último lugar de los medios sociales o conectamos a través de la tecnología y olvidamos que el verdadero discipulado es relacional y tiene lugar a lo largo del tiempo.

Jesús discipuló a 12 hombres durante un período de más de tres años y luego los dejó en libertad para difundir el Evangelio en todo el mundo. ¿Con quién estás teniendo un tiempo para compartir experiencias de vida y enseñarles todo lo que sabes? Independientemente de cuánto tiempo hayas sido un creyente en Cristo, puedes compartir lo que sabes con otra persona.

Esto puede parecer una tarea desalentadora, pero mira lo que hizo Jesús con sus discípulos. Él comió con ellos, oró con ellos y ministró a otros con ellos. ¡Tu puedes hacer eso!

Mientras hacen discípulos, recuerden que un discípulo real hace  discípulos, así que enseñen a los discípulos a levantar a otros. Estudia el Evangelio de Juan con ellos o busca un libro de discipulado. En Celebration, usamos Live, Grow, Encounter and  Share escritos por Joel Comiskey. Son un gran recurso para guiar a alguien y luego pedirle que dirija a otra persona a través del mismo.

Comienza hoy y vuelve a centrar tu salero del discipulado. Comienza con lo básico y haz discípulos que hagan discípulos. ¡Comprométete este año a dar vida a la Gran Comisión en tu grupo celular y en tu iglesia!

Entonces Jesús vino a ellos y les dijo: ” Toda potestad me es dada en el cielo y en la tierra. Por tanto, id, y haced discípulos a todas las naciones, bautizándolos en el nombre del Padre, y del Hijo, y del Espíritu Santo; enseñándoles que guarden todas las cosas que os he mandado; y he aquí yo estoy con vosotros todos los días, hasta el fin del mundo. Amén. “. Mateo 28: 18-20

Awakening the Vision of Discipleship

coach_mario2016speakingBy Mario Vega, www.elim.org.sv

Charles Finney wrote: “Revival is a return to obeying God.” In fact, all spiritual awakening constitutes a break with previous traditions and behaviors. The heart of the cell is to make disciples who, in turn, make other disciples. But, many churches continue to place numerical growth as the core of their effort. There is no doubt that cell ministry has the essential component of evangelism, which produces growth. But if time passes by and you don’t focus on making effective disciples who make disciples, the expansion will cease and the church will stagnate.

For a renewal in cell ministry to occur, a turning from  false motivations must take place. There has to be a break with the idea that the main purpose is numerical growth and then to start focusing on making disciples as the essential goal. This reorientation of goals is the fundamental element that makes the difference between stagnation and the constant renewal of passion. Evangelism without discipleship will end in stagnation. But discipleship not only ensures evangelism but also leads new believers to a solidification of their Christian experience. Effective cell ministry is about building with blocks of stones a building that will last over time.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Despertando a Visão do Discipulado

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Charles Finney escreveu: “O avivamento é um retorno para a obediência à Deus”. Na verdade, todo despertar espiritual constitui uma ruptura com tradições e comportamentos anteriores. O coração das células é fazer discípulos que, por sua vez, façam outros discípulos. Contudo, muitas igrejas continuam a colocar o crescimento numérico como o núcleo do seu esforço. Não há dúvida de que o ministério celular tem o componente essencial do evangelismo, que produz crescimento. Mas se o tempo passar e você não adiciona a esse crescimento o elemento de fazer discípulos efetivos, a expansão cessará e a igreja vai se estagnar.

Para que ocorra uma renovação no ministério celular, deve-se encorajar uma interrupção nas motivações que o conduzem. Deve haver uma quebra com a ideia de que o objetivo principal é o crescimento numérico para se concentrar em fazer os discípulos como o objetivo essencial. Essa reorientação dos objetivos é o elemento fundamental que faz a diferença entre a estagnação do trabalho e a constante renovação da paixão. O evangelismo sem discipulado terminará em estagnação. Mas o discipulado não só garante o evangelismo, mas também leva os novos convertidos a uma solidificação de sua experiência cristã. Trata-se de construir com blocos de pedras um edifício que sobreviverá ao tempo.

Spanish blog:

El despertar hacia el discipulado

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Charles Finney escribió: «El avivamiento es un regreso a la obediencia a Dios». Por ese motivo, todo despertar espiritual constituye una ruptura con las tradiciones y conductas anteriores. El corazón del trabajo celular es hacer discípulos que, a su vez, hagan a otros discípulos. Pero, muchas iglesias continúan colocando como el centro de su esfuerzo el crecimiento numérico. No hay duda que el trabajo celular posee el componente esencial del evangelismo, el cual, produce crecimiento. Pero si con el paso del tiempo a ese crecimiento no se le añade un hacer discípulos efectivo la expansión cesará y la iglesia se estancará.

Para que se produzca una renovación en el trabajo celular se debe fomentar una ruptura en las motivaciones que lo impulsan. Una ruptura con la idea de que la finalidad principal es el crecimiento en número para enfocarse en el hacer discípulos como la meta esencial. Esa reorientación de metas es el elemento fundamental que hace la diferencia entre el estancamiento del trabajo o la renovación constante de la pasión. El evangelismo sin discipulado terminará en estancamiento. Pero el discipulado no solamente asegura el evangelismo sino que conduce a los nuevos creyentes a una solidificación de su experiencia cristiana. Es construir con bloques de piedras un edificio que perdurará con el tiempo.

Lifting Leaders from Within

coaches-rob3Web

By Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesus is full of the Spirit of God– His source for power.  He empowers you for ministry through His Spirit.  Next, Jesus desires to release His power to his followers.  Finally, as a leader, I must follow the example of Jesus and be a conduit of God’s power in the lives of others to release them for ministry.  Therefore, as a pastor (or a cell leader), God uses me to empower others for ministry.  This reality has nothing to do with my power, but God’s power through me as Jesus exemplified in His earthly ministry.

We see this impartation of leadership ability throughout the scriptures.  “The Lord took some of the spirit that was upon Moses and put it upon the seventy elders, and they shall bear the burden of the people with you, that you may not bear it alone” (Numbers 11:17).   As Moses prepared to relinquish his leadership role with the people of Israel, he said of Joshua (his successor), “Take Joshua, the son of Nun, a man in whom is the spirit, and lay your hand upon him.  Give him some of your authority so the whole Israelite community will obey him” (Numbers 27:18, 20).  Be reminded of how David was selected by God to rule Israel.  “Then Samuel took the horn of oil, and anointed him in the midst of his brothers; and the Spirit of the Lord came mightily upon David from that day forward” (I Samuel 16:33).

There are many more examples, but let’s focus in on you.  Who partnered with God in empowering you to minister?  Who believed in you?  Who encouraged you?  Who mentored you in your abilities, spiritual gifts and talents?  Who took the time to listen to the dream that God put in your heart?  Now, are you God’s conduit for empowering others?  Or, are you all God needs in your field or area to do the work of ministry?  How is God using you in empowering others for ministry?

Christian Schwarz writes, “Leaders of growing churches concentrate on empowering other Christians for ministry.  They do not use lay workers as ‘helpers’ in attaining their own goals and fulfilling their own visions.  Rather, they invert the pyramid of authority so that the leader assists Christians to attain the spiritual potential God has for them.”

Scott Peck wrote in A World Waiting to be Born: “Increasingly, the civil leader or manager begins to sense that the power of her position is not hers. It is not her possession; it is not hers to possess. The power belongs to God, and the proper role of the civil leader is merely to be a conduit and to steward that power as God’s agent.  Merely!  What a paradox!  To exercise temporal power with civility is to undertake a role of great glory, and it can only be undertaken with genuine humility.”

A spiritual leader saturated with the humility of Christ releases others for ministry so that God’s power may be extended.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Levantando Líderes de Dentro

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesus é cheio do Espírito de Deus – Sua fonte de poder. Ele capacita você para o ministério através do Seu Espírito. Em seguida, Jesus deseja liberar Seu poder para Seus seguidores. Finalmente, como líder, devo seguir o exemplo de Jesus e ser um canal do poder de Deus na vida dos outros para liberá-los para o ministério. Portanto, como pastor (ou líder de célula), Deus me usa para capacitar os outros para o ministério. Esta realidade não tem a ver com o meu poder, mas com o poder de Deus através de mim, como Jesus exemplificou em Seu ministério terrestre.

Nós vemos essa impartição da habilidade de liderar por toda a Bíblia. “Eu descerei e falarei com você; e tirarei do Espírito que está sobre você e o porei sobre eles. Eles o ajudarão na árdua responsabilidade de conduzir o povo, de modo que você não tenha que assumir tudo sozinho” (Números 11:17). Quando Moisés se preparou para renunciar seu papel de liderança com o povo de Israel, ele disse sobre Josué (seu sucessor): “Chame Josué, filho de Num, homem em quem está o Espírito, e imponha as mãos sobre ele. Dê-lhe parte da sua autoridade para que toda a comunidade de Israel lhe obedeça” (Números 27:18,20). Lembre-se de como Davi foi escolhido por Deus para liderar Israel. “Então Samuel tomou o vaso de azeite, e o ungiu no meio de seus irmãos; e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi” (1Samuel 16:33).

Há muitos outros exemplos, mas vamos nos concentrar em você. Quem cooperou com Deus para capacitá-lo a ministrar? Quem acreditou em você? Quem o encorajou? Quem o orientou em suas habilidades, dons e talentos espirituais? Quem separou tempo para ouvir o sonho que Deus colocou em seu coração? Agora, você é um canal de Deus para capacitar outras pessoas? Ou Deus só precisa de você em seu campo ou área para fazer a obra do ministério? Como Deus está usando você para capacitar os outros para o ministério?

Christian Schwarz escreve: “Líderes de igrejas crescentes concentram-se em capacitar outros cristãos para o ministério. Eles não usam trabalhadores leigos como ‘ajudantes’ para alcançar seus próprios objetivos e cumprir suas próprias visões. Em vez disso, eles invertem a pirâmide de autoridade para que o líder ajude os cristãos a alcançarem o potencial espiritual que Deus tem para eles”.

M. Scott Peck escreveu em A World Waiting to be Born (“Um Mundo Esperando Para Nascer”, em tradução livre): “Cada vez mais, o líder ou gerente civil começa a sentir que o poder de sua posição não é dele. Não é sua posse; não é dele para que possua. O poder pertence a Deus, e o papel apropriado do líder civil é meramente ser um canal e administrar esse poder como agente de Deus. Apenas! Que paradoxo! Exercer o poder temporal com civilidade é assumir um papel de grande glória, e só pode ser realizado com humildade genuína”.

Um líder espiritual saturado com a humildade de Cristo libera outros para o ministério para que o poder de Deus possa ser estendido.

Spanish blog:

Levantando líderes desde dentro

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Jesús está lleno del Espíritu de Dios, es su fuente de poder. Él te empodera para el ministerio a través de Su Espíritu. Luego, Jesús desea liberar su poder a sus seguidores. Finalmente, como líder, debes seguir el ejemplo de Jesús y ser un conducto del poder de Dios en la vida de los demás; para poder liberarlos en el ministerio. Por lo tanto, como pastor (o líder de una célula), Dios me usa para empoderar a otros para el ministerio. Esta realidad no tiene nada que ver con mi poder, sino con el poder de Dios a través de mí, como lo ejemplificó Jesús en su ministerio terrenal.

Vemos esta impartición de la capacidad de liderazgo a través de las Escrituras. “El Señor tomó del espíritu que estaba sobre Moisés y lo puso sobre los setenta ancianos, y ellos llevarán la carga del pueblo contigo, para que no tengas que soportarlo solo” (Números 11:17). Mientras Moisés se preparaba para renunciar a su papel de liderazgo con el pueblo de Israel, dijo de Josué (su sucesor): “Toma a Josué, hijo de Nun, un hombre en quien está el espíritu, y pon tu mano sobre él. Dale algo de tu autoridad para que toda la comunidad israelita lo obedezca “(Números 27:18, 20). Recuerda cómo David fue seleccionado por Dios para gobernar a Israel. “Y Samuel tomó el cuerno del aceite, y lo ungió en medio de sus hermanos; y desde aquel día en adelante el Espíritu de Jehová vino sobre David. Se levantó luego Samuel, y se volvió a Ramá.”(I Samuel 16:13).

Hay muchos más ejemplos, pero centrémonos en ti. ¿Quién se asoció con Dios para empoderarte para ministrar? ¿Quién creyó en ti? ¿Quién te animó? ¿Quién te mentoró en tus habilidades, dones espirituales y talentos? ¿Quién se tomó el tiempo de escuchar el sueño que Dios puso en tu corazón? Ahora, ¿eres el conducto de Dios para empoderar a los demás? O, ¿eres todo lo que Dios necesita en tu campo o área para hacer el trabajo del ministerio? ¿Cómo te está usando Dios para empoderar a otros para el ministerio?

Christian Schwarz escribe: “Los líderes de las iglesias en crecimiento se concentran en capacitar a otros cristianos para el ministerio. No usan a los trabajadores laicos como ‘ayudantes’ para alcanzar sus propios objetivos y cumplir sus propias visiones. Más bien, invierten la pirámide de la autoridad para que el líder ayude a los cristianos a alcanzar el potencial espiritual que Dios tiene para ellos “.

Scott Peck escribió en A World Waiting to Born: “Cada vez más, el líder civil o gerente comienza a sentir que el poder de su posición no es de él. No es su posesión; no es de el, para poseer. El poder le pertenece a Dios, y el rol apropiado del líder civil es meramente ser un conducto y administrar ese poder como el agente de Dios. ¡Simplemente! ¡Qué paradoja! Ejercer el poder temporal con civilidad es asumir un papel de gran gloria, y solo puede llevarse a cabo con genuina humildad “.

Un líder espiritual lleno con la humildad de Cristo liderará a otros para el ministerio y que el poder de Dios se extienda.

Keeping Our Eye on the Ball

coaches_steveCordleCropped

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Because discipleship requires relationships, cell groups are ideal environments for making disciples.

However, simply gathering 10 people in a living room will not guarantee that they will love and obey Jesus. From time to time it is helpful to evaluate how effective our group’s disciple-making actually is.

Of course, we are not capable of seeing the hearts and minds of those in our groups. Our evaluations are partial and imperfect. But, as leaders, we can look at a few indicators and respond accordingly. For example:

  • do you see people obeying Jesus more frequently? If not, you might want to ask people for their action steps coming out of the time in the Word.
  • are people inviting and sharing their faith? If not, consider increasing the group’s prayer for unreached people, or plan outreach activities to do together. (Evangelism)
  • are people sharing the reality of their lives together? If not, look together at what the scriptures teach about community, then model transparency. Share meals together and encourage communication outside he group. (Fellowship)
  • are you experiencing the presence of Jesus in the meeting? If not, change up the way you are praising God (Worship)
  • is everyone involved in some way in the group’s ministry? If not, consider asking each one to take care of some aspect of the group. (Ministry)

A Bible discussion group will not necessarily produce disciples who make disciples. But a holistic group will change lives and communities.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Mantendo Nossos Olhos na Bola

Por Steve Cordle, Pastor Principal, Crossroads Church, www.crossroadsumc.org

Como o discipulado requer relacionamentos, as células são ambientes ideais para fazer discípulos. No entanto, simplesmente reunir 10 pessoas em uma sala de estar não garantirá que elas amem e obedeçam a Jesus. De vez em quando, é útil avaliar o quão eficaz nosso grupo realmente é em fazer discípulos.

Claro, não somos capazes de ver os corações e as mentes das pessoas em nossos grupos. Nossas avaliações são parciais e imperfeitas. Mas, como líderes, podemos observar alguns indicadores e responder de acordo. Por exemplo:

  • Você vê as pessoas obedecendo a Jesus com mais frequência? Caso contrário, você pode querer perguntar às pessoas por seus passos de ação após o momento de palavra.
  • As pessoas estão convidando e compartilhando sua fé? Se não, considere aumentar o momento de oração do grupo por pessoas que não conhecem Jesus, ou planeje atividades evangelísticas juntos (evangelismo).
  • As pessoas estão compartilhando a realidade de suas vidas juntos? Caso contrário, olhe em conjunto o que as Escrituras ensinam sobre a comunidade e então seja um exemplo de transparência. Compartilhem refeições juntos e incentive a comunicação fora do grupo (comunhão).
  • Você está experimentando a presença de Jesus na reunião? Se não, mude a forma como estão louvando a Deus (adoração).
  • Todos estão envolvidos de alguma forma no ministério celular? Se não, pense em pedir que cada pessoa cuide de algum aspecto do grupo (ministério).

Um grupo de discussão da Bíblia não vai necessariamente produzir discípulos que fazem discípulos. Mas um grupo holístico vai transformar vidas e comunidades.

Spanish blog:

Manteniendo la concentración

Por Steve Cordle, Pastor Principal, Iglesia Crossroads, www.crossroadsumc.org

Debido a que el discipulado requiere relaciones, los grupos celulares son entornos ideales para hacer discípulos. Sin embargo, el hecho reunir a 10 personas en un hogar, no garantizará que amarán y obedecerán a Jesús. De vez en cuando, es útil evaluar cuán efectivo es en realidad la fabricación de discípulos de nuestra célula.

Por supuesto, no somos capaces de ver los corazones y las mentes de aquellos en nuestras células. Nuestras evaluaciones son parciales e imperfectas; pero, como líderes, podemos ver algunos indicadores y responder en consecuencia a estos. Por ejemplo:

  •  ¿Ves a personas que obedecen a Jesús con más frecuencia? Si no es así, querrás pedirle a la gente que sus pasos de acción resalten en el tiempo de la Palabra.
  •  ¿Están las personas invitando y compartiendo su fe? Si no es así, considera aumentar la oración de la célula por las personas no alcanzadas, o planea actividades de acercamiento para desarrollarlas juntos. (Evangelización)
  •  ¿Comparten las personas la realidad de sus vidas? Si no, juntos lean lo que las Escrituras enseñan acerca de la comunidad, luego trabajen en la honestidad. Compartan comidas juntos y fomenten la comunicación fuera del grupo. (Compañerismo)
  •  ¿Estás experimentando la presencia de Jesús en la reunión? Si no, cambia la forma en que estás alabando a Dios (Adoración)
  •  ¿Están todos involucrados de alguna manera en el ministerio de la célula? Si no, considera pedirle a cada uno que se encargue de algún aspecto del grupo. (Ministerio)

Un grupo de discusión de la Biblia no necesariamente producirá discípulos que hagan discípulos. Pero un grupo holístico cambiará vidas y comunidades.

Day One in the Cell

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

So many things can go wrong in a small group:

  • Those who talk too much or too little
  • Extra grace required people
  • No place to meet
  • Dirty house after the group meets
  • People showing up late or staying too late
  • Boring lessons with too many questions

The list could goes on and on.

Books, websites, and ministries have been developed to resolve these small group problems. And most of the material and insight is excellent.

But is leading a small group mainly about solving problems? Is it all about the search for the perfect small group? Is there ever a time when problems will cease? The answer is no, no, and no. The reality is that God has a higher purpose for you and your small group.

To keep the “day one” excitement, it’s essential to understand a higher purpose for small groups. Jesus summed this purpose up when he told his small group to make disciples who make disciples. They understood what he was talking about. After all, they were formed and molded by Jesus for three years in an intimate small group. Before the ascension, Jesus told them to go out and make more discipleship groups (Matthew 28:18-20). And that’s just what they did after Pentecost as they formed house churches and made disciples (Acts 2:42-46).

The reality is that small group problems are here to stay. Cells are messy because they are intimately tied up in the lives of people who have problems. We all do. However, when the theme of making disciples who makes disciples motivates cell ministry, it makes sense. It becomes worthwhile.

I think of my own Life group. We know each other very well, both our strengths and weaknesses. But we meet weekly because we know Jesus wants us to become more like him, and he has chosen the small group atmosphere to mold us to be like him. This knowledge keeps us fresh as we practice the one-anothers, transparent sharing, reaching out, and multiplying new disciples. An unchurched neighbor joined our group recently. We have grown in the process of welcoming him into the life of the group.  Is it messy? Yes, the process of integrating new members is a challenge. is it worthwhile? Definitely. Why? Because there’s an eternal purpose behind it: making disciples who make disciples.

My book Making Disciples in the Twenty-First Century Church talks about the why of cell ministry. Have you read it?  Here’s a sample chapter.

Don’t get caught up in the external, outward problems or techniques of small group life. Take a step back and understand the broader purpose. You have the privilege of participating in Christ’s work of making disciples who make disciples. Pinch yourself. You are very fortunate indeed. Yes, God has chosen you and your group to further his kingdom purpose of multiplying house churches and making disciples in the process. Go back to day one.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Dia Um na Célula

por Joel Comiskey

Muitas coisas podem dar errado em um pequeno grupo:

• Pessoas que falam muito ou muito pouco
• Pessoas que requerem uma dose extra de graça
• Não ter um lugar para se reunir
• Casa suja depois da reunião
• Pessoas chegando tarde ou ficando até tarde após o término do grupo
• Estudos chatos com muitas perguntas

Essa lista poderia continuar sem fim.

Livros, sites e ministérios têm sido desenvolvidos para resolver esses problemas celulares. E a maior parte do material e das ideias são excelentes.

Mas liderar um pequeno grupo se trata principalmente de resolver problemas? Trata-se da pesquisa para ter um grupo perfeito? Chegará um tempo em que os problemas vão acabar? A resposta é não, não é não. A realidade é que Deus tem um propósito maior para você e seu pequeno grupo.

Para manter a emoção do “primeiro dia”, é essencial entender um propósito mais elevado para os pequenos grupos. Jesus resumiu este propósito quando ele disse a seu pequeno grupo para fazerem discípulos que fazem discípulos. Eles entenderam o que ele estava falando. Afinal, eles foram formados e moldados por Jesus por três anos em um pequeno grupo íntimo. Antes da ascensão, Jesus disse-lhes para saírem e fazerem mais grupos de discipulado (Mateus 28:18-20). E foi exatamente o que eles fizeram depois do Pentecostes quando formaram igrejas domésticas e fizeram discípulos (Atos 2:42-46).

A realidade é que os problemas celulares estão aqui para ficar. As células são bagunçadas porque estão intimamente ligadas à vida de pessoas que têm problemas. Todos nós temos. No entanto, quando o tema de fazer discípulos que fazem discípulos motiva o ministério celular, isso faz sentido. Tudo vale a pena.

Penso no meu próprio grupo Life. Nós nos conhecemos muito bem, tanto os nossos pontos fortes quanto os fracos. Mas nos encontramos semanalmente porque sabemos que Jesus quer que nos tornemos mais como ele, e ele escolheu a atmosfera do pequeno grupo para moldar-nos para sermos como ele. Este conhecimento nos mantém frescos à medida que praticamos o “uns aos outros”, o compartilhamento transparente, o alcance/evangelismo e a multiplicação de novos discípulos. Um vizinho que não é da igreja juntou-se ao nosso grupo recentemente. Crescemos no processo de recebê-lo na vida do grupo. É bagunçado? Sim, o processo de integração de novos membros é um desafio. Vale a pena? Definitivamente. Por quê? Porque há um propósito eterno por trás disso: fazer discípulos que fazem discípulos.

Meu livro Making Disciples in the Twenty-First Century Church (“Fazendo Discípulos na Igreja do Século Vinte e Um”, em tradução livre) fala sobre o porquê do ministério celular. Você já o leu? Aqui está um capítulo de amostra.

Não fique preso nos problemas externos ou em técnicas de vida em grupos pequenos. Dê um passo atrás e compreenda o propósito maior. Você tem o privilégio de participar da obra de Cristo de fazer discípulos que fazem discípulos. Belisque-se. Você é muito afortunado. Sim, Deus escolheu você e seu grupo para promover o propósito de Seu Reino de multiplicar igrejas domésticas e fazer discípulos no processo. Volte para o primeiro dia.

Spanish blog:

El primer dia en la célula

Por Joel Comiskey

Muchas cosas pueden salir mal en una célula:

  • Los que hablan demasiado o muy poco
  • Las personas que requieren más gracia
  • Cuando no hay lugar para reunirse
  • Casa sucia después de que el grupo se reúne
  • La gente llega tarde o se queda hasta demasiado tarde
  • Lecciones aburridas con demasiadas preguntas

La lista podría seguir y seguir.

Se han desarrollado libros, sitios web y ministerios para resolver estos problemas en las células. Y la mayor parte del material y la percepción de este, es excelente.

Pero, ¿liderar una célula, se trata principalmente de resolver problemas? ¿Se trata de la búsqueda de la célula perfecto? ¿Hay algún momento en que los problemas cesan? La respuesta es no, no y no. La realidad es que Dios tiene un propósito más elevado para ti y tu célula.

Para mantener el entusiasmo del “primer dia”, es esencial comprender un propósito más elevado para las células. Jesús resumió este propósito cuando le dijo a su célula que hiciera discípulos que hicieran discípulos. Ellos entendieron de lo que estaba hablando; después de todo, fueron formados y moldeados por Jesús durante tres años en un pequeño grupo íntimo. Antes de la ascensión, Jesús les dijo que fueran y crearan más grupos de discipulado (Mateo 28: 18-20). Y eso es exactamente lo que hicieron después de Pentecostés, ya que formaron iglesias en hogares y se hicieron discípulos (Hechos 2: 42-46).

La realidad es que los problemas de los grupos pequeños llegaron para quedarse. Las células son complicadas porque están íntimamente ligadas a la vida de las personas que tienen problemas; todos tenemos problemas. Sin embargo, cuando el tema de hacer discípulos que hacen discípulos motiva el ministerio celular, todo tiene sentido. Vale la pena.

Pienso en mi propia célula. Nos conocemos muy bien, tanto nuestras fortalezas como nuestras debilidades, pero nos reunimos semanalmente porque sabemos que Jesús quiere que nos parezcamos más a él, y él ha elegido la atmósfera de la célula para moldearnos y para que seamos como él. Este conocimiento nos mantiene frescos mientras juntos practicamos, compartimos de manera transparente, alcanzamos y multiplicamos nuevos discípulos. Un vecino, que no asiste a una iglesia se unió a nuestro grupo recientemente; hemos crecido en el proceso de darle la bienvenida a la vida de la célula. ¿Es esto desordenado? Sí, el proceso de integración de nuevos miembros es un desafío. ¿Vale la pena? Seguro. ¿Por qué? Porque hay un propósito eterno detrás de esto: hacer discípulos que hagan discípulos.

Mi libro Making Disciples in the Twenty-First Century Church (Haciendo Discípulos en la Iglesia del Siglo XXI) habla sobre el porqué del ministerio celular. ¿Lo has leído? Aquí hay un capítulo de muestra.

No te dejes atrapar por lo externo, los problemas o técnicas externas de la vida en célula. Da un paso atrás y entiende el propósito más amplio. Tienes el privilegio de participar en la obra de Cristo, de hacer discípulos que hacen discípulos. Pellizcate; eres muy afortunado en verdad. Sí, Dios te ha elegido a ti y a tu célula para promover el propósito de su reino de multiplicar las iglesias en hogares y hacer discípulos en el proceso. Regresa a ese primer día.

Re-igniting the passion in cell ministry

coach_mario2016speakingBy Mario Vega, www.elim.org.sv

Every visitation from God represents a break with the religious order. John the Baptist broke with the external ceremonies and focused on authentic repentance. Jesus broke with the Sabbath and other traditions to focus on compassion for the needy. God often brings his people back to the essentials, to what is truly important to himself and what is  revealed in his word. Charles Finney defined revival as “returning to obedience to God.”  When an awakening occurs, it is because people shake off accumulated traditions to go back to the basics, to return to obedience to God.

Adopting the cell model means setting aside the traditions that have accumulated for two thousand years (which have resulted in what is now called the church) to return to the New Testament model. Breaking with traditions is what stirs the initial cell passion and love for cell ministry. Sadly, movements tend to become institutional. Things become institutionalized when they lose their initial excitement and start becoming mechanical. To preserve the passion, one needs to go back to the source: to God word.  We find in Scripture  the renewal and freshness that we need to continue to obey God and not lose our first love. The Holy Spirit is the person who will sustain us continually until we complete our task.

Korean blog (click here)

Spanish blog:

Avivando la pasión en el trabajo celular

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Toda visitación de Dios representa una ruptura con el orden religioso. Juan el Bautista rompió con las ceremonias externas y se enfocó en un auténtico arrepentimiento. Jesús rompió con el sábado y otras tradiciones para enfocarse en la compasión por el necesitado. Como puede verse, era un regreso a lo esencial; lo que era verdaderamente importante para Dios. Eso, ha sido revelado en su palabra. Charles Finney definía el avivamiento como «un regreso a la obediencia a Dios». Cuando se produce un despertamiento es porque las personas se sacuden las tradiciones acumuladas para volver a lo esencial; para volver a la obediencia a Dios.

El adoptar el modelo celular significa dejar de lado las tradiciones que se han acumulado durante dos mil años (que han dado como resultado lo que hoy se entiende por iglesia) para volver al modelo del Nuevo Testamento. Esa ruptura en las tradiciones es la que provoca el ardor del primer amor en el trabajo celular. Pero, todo movimiento tiende a convertirse en una institución. Las cosas se institucionalizan cuando van perdiendo su ardor y van volviéndose mecánicas. Para conservar la pasión, se necesita volver a la fuente: a la palabra de Dios. Allí se encuentra la renovación y la frescura que necesitamos para continuar con perseverancia obedeciendo su palabra. El Espíritu Santo es la persona que nos sostendrá fielmente hasta culminar nuestra tarea.

Portuguese blog:

Reacendendo a paixão no ministério celular

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Toda visitação de Deus representa uma ruptura com a ordem religiosa. João Batista rompeu com as cerimônias externas e se centrou no arrependimento autêntico. Jesus rompeu com o Sábado e outras tradições para se concentrar na compaixão pelos necessitados. Deus muitas vezes traz seu povo de volta ao essencial, para o que é realmente importante para si mesmo, para as coisas reveladas em sua palavra. Charles Finney definiu o avivamento como “retornar à obediência de Deus”. Quando ocorre um despertar é porque as pessoas se livram das tradições acumuladas para voltar ao básico; para retornar à obediência de Deus.

Adotar o modelo celular significa deixar de lado as tradições que se acumularam há dois mil anos (que resultaram no que agora é chamado de igreja) para retornar ao modelo do Novo Testamento. Essa ruptura com as tradições é o que agita a paixão inicial da célula e o amor pelo ministério celular. Infelizmente, os movimentos tendem a se tornar instituições. As coisas se tornam institucionalizadas quando perdem sua emoção inicial e começam a se tornar mecânicas. Para preservar a paixão, é preciso voltar para a fonte: para a Palavra de Deus. Encontramos na Palavra de Deus a renovação e o frescor que precisamos para continuar a obedecer a Deus e não perder o primeiro amor. O Espírito Santo é a pessoa que nos sustentará fielmente até completarmos a nossa tarefa.

“As for me …. “

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

By Daphne Kirk, www.Gnation2gnation.com; Twitter: daphnekirk

“Day after day, in the temple courts and from house to house they never stopped teaching and proclaiming the good news that Jesus is the Messiah.” Acts 5: 42

” But as for me and my household, we will serve the Lord.”  Joshua 24: 15

The Body of Christ meeting in homes is not a new concept. Sadly, the concept of whole families, whole households, meeting in homes seems to have been lost. Joshua was very proactive in stating that his household would not just “hear the Word” or “be present” when the Word was read that they would be active in service.

The cell church movement has a great opportunity to combine these two Scriptures to empower families, release parents in the discipleship of their children, and give a clear statement in words and deed that God’s foundational community of family is to be protected, empowered and released to express the heart of His wider community – the Body of Christ.

Sadly I have been in situations where a cell meeting is in progress and the children of the family are excluded and just told to play in another room or to watch a TV program. This also has extended to children who come with their parents, or are left at home – so the parents can “worship without hindrance,” or “hear the Word without distraction.” What message does the cell give to the children or teenagers by not including them? God created the household, the family as his basic community.

The family is supposed to embrace the wider community, to open the doors of their homes and declare to the world that God’s community is alive, active and “serving Him together” as they meet “from house to house” proclaiming together the “good news that Jesus is the Messiah”.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

“Porém eu …. ”

Por Daphne Kirk, www.Gnation2gnation.com; Twitter: daphnekirk

“Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo.” Atos 5:42

“…porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.” Josué 24:15

O encontro do Corpo de Cristo em casas não é um conceito novo. Infelizmente, o conceito de famílias inteiras, lares inteiros encontrando-se em casas parece ter sido perdido. Josué foi muito proativo ao afirmar que sua família não apenas “ouviria a Palavra” ou “estaria presente” quando a Palavra foi lida que eles estariam ativos no serviço.

O movimento da igreja celular tem uma ótima oportunidade para combinar estas duas Escrituras para capacitar as famílias, liberar os pais no discipulado de seus filhos e dar uma declaração clara em palavras e ações de que a comunidade fundamental de Deus da família deve ser protegida, capacitada e liberada para expressar o coração de Sua comunidade mais ampla – o Corpo de Cristo.

Infelizmente, eu estive em situações em que uma reunião de célula estava em andamento e as crianças da família são excluídas e apenas mandadas a brincar em outra sala ou assistir a um programa de TV. Isso também se estendeu às crianças que vêm com seus pais- ou são deixadas em casa, para que os pais possam “adorar sem estorvos” ou “ouvir a Palavra sem distração”. Que mensagem a célula dá às crianças ou aos adolescentes ao não incluí-los? Deus criou o lar, a família, como sua comunidade básica.

A família deve abraçar a comunidade mais ampla, abrir as portas de suas casas e declarar ao mundo que a comunidade de Deus está viva, ativa e “O serve junta” enquanto se encontra “de casa em casa” proclamando as “boas novas que Jesus é o Messias “.

Spanish blog:

“En cuanto a mi…. ”

Por Daphne Kirk, www.Gnation2gnation.com; Twitter: daphnekirk

“Y todos los días, en el templo y por las casas, no cesaban de enseñar y predicar a Jesucristo.”
Hechos 5: 42

“Pero yo y mi casa serviremos a Jehová.”. Josué 24: 15

El encuentro del Cuerpo de Cristo en los hogares no es un concepto nuevo. Lamentablemente, el concepto de familias, hogares completos, reuniones en hogares parece haberse perdido. Josué fue muy proactivo al afirmar que su familia no solo “escucharía la Palabra” o “estaría presente” cuando se leyera la Palabra, sino que estarían activos en el servicio.

El movimiento de la iglesia celular tiene una gran oportunidad de combinar estas dos Escrituras, para empoderar a las familias, dar libertad a los padres en el discipulado de sus hijos y dar una declaración concisa con palabras y hechos de que la comunidad de familia fundamental de Dios debe ser protegida, empoderada y liberada para expresar el corazón de su comunidad más amplia: el Cuerpo de Cristo.

Tristemente, he estado en situaciones en las que una célula está en progreso, y los niños de la familia son excluidos y solo se les dice que jueguen en otra habitación o que miren un programa de televisión. Esto también se ha extendido a los niños que vienen con sus padres, o se quedan en casa, para que los padres puedan “adorar sin obstáculos” u “escuchar la Palabra sin distracciones”. ¿Qué mensaje le da la célula a los niños o adolescentes, al no incluirlos? Dios creó el hogar, la familia como su comunidad principal.

Se supone que la familia abraza a la comunidad en general, abre las puertas de sus hogares y declara al mundo que la comunidad de Dios está viva, activa y “sirviéndole a Él ” mientras se reúnen “de casa en casa” proclamando juntos las “buenas nuevas de que Jesús es el Mesías “.