The Perfect Leader Doesn’t Exist

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, pastoral coaching available: www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html  (free first session available for those interested in receiving coaching)

When you look out at your current cell group and wonder, “Which of these people could lead the next group,?”   the correct answer is, “All of them!” Sure, some people are more ready now. Some people need to get equipped or trained. But there is no key characteristic you should look for. Quiet people can lead just as effectively as exuberant outgoing people. People with the gift of service can lead a growing group just like people with the gift of teaching or evangelism.

Jim Egli and I have been studying this question for many years. We have both discovered in separate statistical studies that particular characteristics don’t matter. In fact, every time we create a new research questionnaire we ask the small group leaders to answer basic questions about themselves. How old are they? How long have they been following Jesus? Are they married or single? Do they have a quiet or an outgoing personality? What is their primary spiritual gift? We compared leaders of different ages, varying educational levels, men and women, marrieds and singles.

We found that none of those things make a significant difference. We discovered that effective small group leaders don’t have a certain personality type, a specific gift, or a specific position in life. Anyone has the potential to become a great small group leader. To be honest,  we should probably quit asking these questions because every time we look at people’s answers and compare them to the growth of their groups, we get the same results from our statistical studies.

There is no perfect leader. The perfect leader is the person who depends on Jesus and others to do the work. What matters are several key behaviors that relate to loving God and loving others. Which people in your current group can obey the two greatest commandments, to love God with all they are and to love others like they love themselves (Mark 12:28-31)? All of them can! And this means that all of them have the potential to lead a thriving small group.

Participation is the key to growth. As members participate they become ministers of Jesus Christ.  They learn how to love one another,  use their gifts, and evangelize. They realize that it’s okay to fail—as long as they learn from their mistakes and keep trying.  Jesus molds them as they minister, and they become disciple-makers in the process.

Thoughts?

Joel

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

O Líder Perfeito Não Existe

Por Joel Comiskey, www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index.html (Primeira sessão gratuita disponível para aqueles interessados em receber treinamento)

Quando você olha para a sua célula atual e se pergunta: “Qual dessas pessoas poderia liderar o próximo grupo?”, a resposta correta é: “Todas!”. Claro, algumas pessoas estão mais prontas agora. Algumas pessoas precisam ser equipadas ou treinadas. Mas não há uma característica principal que você deve procurar. As pessoas quietas podem liderar de modo tão eficaz como as extrovertidas. Quem tem o dom do serviço pode liderar um grupo em crescimento assim como quem tem o dom do ensino ou de evangelismo.

Jim Egli e eu estamos estudando esta questão há muitos anos. Ambos descobrimos em estudos estatísticos separados que características particulares não importam. De fato, cada vez que criamos um novo questionário de pesquisa, pedimos aos líderes de pequenos grupos que respondam a perguntas básicas sobre si mesmos. Quantos anos eles tem? Há quanto tempo eles estão seguindo Jesus? Eles são casados ou solteiros? Eles têm uma personalidade silenciosa ou extrovertida? Qual é o seu dom espiritual primário? Comparamos líderes de diferentes idades, variando níveis educacionais, homens e mulheres, casados e solteiros.

Nós descobrimos que nenhuma dessas coisas faz uma diferença significativa. Descobrimos que os líderes de grupos pequenos eficazes não têm um certo tipo de personalidade, um dom específico ou uma posição específica na vida. Qualquer pessoa tem o potencial de se tornar um grande líder de pequeno grupo. Para sermos honestos, provavelmente devemos deixar de fazer essas perguntas porque toda vez que olhamos para as respostas das pessoas e as comparamos com o crescimento de seus grupos, obtemos os mesmos resultados de nossos estudos estatísticos.

Não existe um tipo de líder perfeito. O líder perfeito é a pessoa que depende de Jesus e dos outros para fazer a obra. O que importa são vários comportamentos-chave que se relacionam com amar a Deus e amar os outros. Quais pessoas do seu grupo atual podem obedecer aos dois maiores mandamentos, amar a Deus com tudo o que são e amar os outros como amam a si mesmas (Marcos 12:28-31)? Todos podem! E isso significa que todos eles têm o potencial de liderar um pequeno grupo próspero.

A participação é a chave para o crescimento. À medida que os membros participam, eles se tornam ministros de Jesus Cristo. Eles aprendem como amar uns aos outros, usar seus dons e evangelizar. Eles compreendem que não tem problema falhar, contanto que aprendam com seus erros e continuem tentando. Jesus os molda enquanto ministram, e eles se tornam discípulos no processo.

Pensamentos?

Spanish blog:

El líder perfecto no existe

Por Joel Comiskey, www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index_es.html (primera sesión gratis disponible para aquellos interesados en recibir entrenamiento)

Cuando miras a tu grupo celular actual y te preguntas, “¿Cuál de estas personas podría dirigir el siguiente grupo?”, La respuesta correcta es “¡Todos pueden!” Claro, algunas personas están más listas ahora. Algunas personas necesitan equiparse o entrenarse. Pero no hay ninguna característica clave que usted deba buscar. La gente tranquila puede dirigir con la misma eficacia que las personas exuberantes y salientes. Las personas con el don del servicio pueden dirigir a un grupo creciente al igual que las personas con el don de la enseñanza o el evangelismo.

Jim Egli y yo hemos estado estudiando esta pregunta por muchos años. Ambos hemos descubierto en los estudios estadísticos separados que las características particulares no importan. De hecho, cada vez que creamos un nuevo cuestionario de investigación pedimos a los líderes de grupos pequeños que respondan preguntas básicas sobre sí mismos. ¿Qué edad tienen? ¿Cuánto tiempo han estado siguiendo a Jesús? ¿Están casados o solteros? ¿Tienen una personalidad tranquila o saliente? ¿Cuál es su don espiritual primario? Comparamos líderes de diferentes edades, niveles educativos variables, hombres y mujeres, casados y solteros.

Encontramos que ninguna de esas cosas hace una diferencia significativa. Descubrimos que los líderes efectivos de grupos pequeños no tienen un cierto tipo de personalidad, un don específico o una posición específica en la vida. Cualquiera tiene el potencial de convertirse en un gran líder de grupo pequeño. Para ser honesto, probablemente deberíamos dejar de hacer estas preguntas porque cada vez que observamos las respuestas de las personas y las comparamos con el crecimiento de sus grupos, obtenemos los mismos resultados de nuestros estudios estadísticos.

No hay un líder perfecto. El líder perfecto es la persona que depende de Jesús y de otros para hacer el trabajo. Lo que importa son varias conductas clave que se relacionan con amar a Dios y amar a los demás. ¿Qué personas de su grupo actual pueden obedecer los dos mandamientos más grandes, amar a Dios con todo tu corazón y ama a tu prójimo como a tí mismos (Marcos 12: 28-31)? ¡Todos pueden! Y esto significa que todos ellos tienen el potencial de dirigir un próspero pequeño grupo.

La participación es la clave del crecimiento. A medida que los miembros participan se convierten en ministros de Jesucristo. Aprenden a amarse unos a otros, a usar sus dones y a evangelizar. Se dan cuenta de que está bien fallar, siempre y cuando aprendan de sus errores y sigan intentándolo. Jesús los moldea a medida que ministran, y se convierten en discípulos en el proceso.

¿Pensamientos?

Joel

The Training of New Leaders

coach_mario2016speaking

By Mario Vega, www.elim.org.sv

When a person is born again, he experiences deep gratitude for God’s work of salvation.  That gratitude is expressed in a fervent desire to serve God. In those early days, the person is ready to serve in any role out of pure gratitude. The desire to serve God is a symptom of spiritual health. When a person is ungrateful and doesn’t want to serve, often the reason is because of unconfessed sin, unsound doctrine, or not being in fellowship in the body of Christ. Whatever the cause, it is not normal for a Christian to lack desire to serve God.

Cell churches have in their favor that natural desire of believers to serve their savior. Cell leadership is a place to serve. The pastor does not need to force things. Becoming a cell leader should be presented as the natural step for every believer and not as an exceptional challenge for certain privileged people. That is why the equipping track must go from conversion to leadership. The training to become a leader should be the continuation of the training that every new believer receives.

In the church we make a distinction between member and leader,  but in the heart of the new believer there is no such difference. If becoming a leader is presented to the believer as a natural step, just like  water baptism, the person will proceed forward very naturally.  Yes, it has a lot to do with how leadership training is presented, so the more naturally it is presented, the more naturally people will proceed to become leaders. And in this way, the church will always have people willing to join the ranks of leadership.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Treinamento de Novos Líderes

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Quando uma pessoa nasce de novo, experimenta uma profunda gratidão pela obra de salvação de Deus. Essa gratidão é expressa em um fervoroso desejo de servir a Deus. Nesses primeiros dias, a pessoa está pronta para servir em qualquer papel por pura gratidão. O desejo de servir a Deus é um sintoma de saúde espiritual. Quando uma pessoa é ingrata e não quer servir, muitas vezes a razão é o pecado não confessado, doutrina errada, ou não haver companheirismo no corpo de Cristo. Qualquer que seja a causa, não é normal para um cristão a falta desejo de servir a Deus.

As igrejas em células têm em seu favor o desejo natural dos convertidos de servir ao seu salvador. A liderança celular é um lugar para servir. O pastor não precisa forçar as coisas. Tornar-se um líder de célula deve ser apresentado como o passo natural para cada crente e não como um desafio excepcional para alguns privilegiados. É por isso que o caminho para a liderança (trilho de treinamento) deve ir da conversão à liderança. O treinamento para se tornar um líder deve ser a continuação do treinamento que cada novo convertido recebe.

Na igreja fazemos uma distinção entre membro e líder, mas no coração do novo convertido não há tal diferença. Se se tornar um líder é apresentado a ele como um passo natural, assim como o batismo nas águas, a pessoa vai caminhar para alcançá-lo. Sim, tem muito a ver com a forma como o treinamento de liderança é apresentado, portanto, quanto mais naturalmente for apresentado, mais naturalmente as pessoas se tornarão líderes. E desta forma, a igreja sempre terá pessoas dispostas a juntarem-se às posições da liderança.

Spanish blog:

El entrenamiento de nuevos líderes

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Cuando una persona nace de nuevo experimenta profundo agradecimiento por la obra de salvación recibida. Esa gratitud se expresa en un deseo ferviente de servir a Dios. No importa cuál sea el rol en el que se le sirva, lo importante es hacerlo. Es un síntoma de salud espiritual el deseo de servir a Dios. Aquellas personas que no lo experimentan es porque algo está mal en sus vidas. Pudiera ser un pecado no confesado, el no poseer una sana doctrina o no gozar de la comunión con los hermanos. Cualquiera sea la causa, no es normal que un cristiano no posea el deseo de servir a Dios.

Las iglesias celulares tienen a su favor ese deseo natural de los creyentes por servir a su salvador. El liderazgo celular es un espacio de servicio, consecuentemente, el pastor no necesita forzar las cosas. El llegar a ser líder de célula debe ser presentado como el paso natural de todo creyente y no como un desafío excepcional para algunos privilegiados. Es por eso que la ruta del líder debe ir desde la conversión hasta el liderazgo. El entrenamiento para ser líder debe ser la continuación de la formación que todo nuevo creyente recibe.

Es dentro de la iglesia donde se hace diferencia entre miembro y líder. Pero, en el corazón del nuevo creyente no existe esa diferencia. Si el ser líder se le presenta como un paso natural, al igual que el bautismo en agua, la persona procederá a darlo. Tiene mucho que ver la manera cómo se presenta el entrenamiento para líderes. Mientras más naturalmente se presente más naturalmente las personas procederán a convertirse en líderes. De esa manera, la iglesia siempre tendrá personas dispuestas a alistarse en las filas del liderazgo.

The Importance of Movement

coaches_steveCordleCropped

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Just like a body of water, a healthy cell group requires movement, or else it will stagnate.

In a healthy cell, there needs to be movement in three directions:

  1. Movement into the group: new people becoming part of the group (evangelism)
  2. Movement within the group: members of the group moving toward ministry and leadership (discipleship and equipping)
  3. Movement out of the group: some members leave with a new leader to start a new group. (multiplication)

The healthiest groups will experiences flow in all of these areas. A lack of movement in any one of these will stunt the spiritual and numerical growth of the ministry.

The second area of discipleship and equipping makes the other two possible. In a healthy group, each of the members will be taking steps toward spiritual maturity and toward group leadership.

Joel Comiskey’s research has shown that group leadership is not a gift-based ministry, but rather a maturity-based ministry. That means anyone can grow to the point they can help someone else grow. Our job as ministry leaders is to create the systems and environment for that to happen.

Do you have a set of steps that guide members in their faith development? Do you have a step-by-step process for becoming a group leader? Does everyone in your group know what that is?

Steve

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Importância do Movimento

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Assim como um rio, uma célula saudável requer movimento, ou então vai ficar estagnada.

Em uma célula saudável, é necessário que haja movimento em três direções:

  1. Movimento de fora para dentro do grupo: novas pessoas se tornando membros do grupo (evangelismo);
  2. Movimento dentro do grupo: membros do grupo avançando no ministério e na liderança (discipulado e equipamento);
  3. Movimento de dentro para fora do grupo: alguns membros saem com um novo líder para começar um novo grupo (multiplicação).

Os grupos mais saudáveis terão fluxos de experiências em todas essas áreas. A falta de movimento em qualquer uma dessas direções vai impedir o crescimento espiritual e numérico do ministério.

A segunda área do discipulado e do equipamento torna possíveis as outras duas. Em um grupo saudável, cada um dos membros estará avançando para a maturidade espiritual e para a liderança do grupo.

A pesquisa de Joel Comiskey mostrou que a liderança da célula não é um ministério baseado em dons, mas sim em maturidade. Isso significa que qualquer um pode crescer até o ponto de poder ajudar outra pessoa a crescer. Nosso trabalho como líderes de ministério é criar os sistemas e o ambiente para que isso aconteça.

Você tem um conjunto de etapas que orientam os membros no desenvolvimento de sua fé? Você tem um processo passo-a-passo para se tornar um líder de célula? Todos em seu grupo sabem o que é isso?

Spanish blog:

La Importancia del Movimiento

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Al igual que un cuerpo de agua, un grupo de células sanas requiere movimiento, o de lo contrario se estancará.

En una célula sana, es necesario que haya movimiento en tres direcciones:

1. Movimiento en el grupo: nuevas personas que pasan a formar parte del grupo (evangelismo)
2. Movimiento dentro del grupo: miembros del grupo que se mueven hacia el ministerio y el liderazgo (discipulado y equipamiento)
3. Movimiento fuera del grupo: algunos miembros se van con un nuevo líder para iniciar un nuevo grupo. (multiplicación)

Los grupos más saludables experimentarán flujos en todas estas áreas. Una falta de movimiento en cualquiera de estas cosas impedirá el crecimiento espiritual y numérico del ministerio.

La segunda área de discipulado y equipamiento hace posibles las otras dos. En un grupo sano, cada uno de los miembros estará tomando pasos hacia la madurez espiritual y hacia el liderazgo grupal.

La investigación de Joel Comiskey ha demostrado que el liderazgo de grupo no es un ministerio basado en los dones sino un ministerio basado en la madurez. Esto significa que cualquier persona puede crecer hasta el punto que puede ayudar a otra persona a crecer. Nuestro trabajo como líderes del ministerio es crear los sistemas y el ambiente para que esto suceda.

¿Tiene un conjunto de pasos que guían a los miembros en su desarrollo de la fe? ¿Tiene un proceso paso a paso para convertirse en un líder de grupo? ¿Todos en su grupo saben lo que es?

Steve

Natural Spirituality

coaches_jeffTun2011By Jeff Tunnell

When an infant is born into the world, it immediately needs to be joined to a family for its protection and care. That infant is totally dependent on others and needs to be nurtured. Parents don’t need to be encouraged to love their newborn child–it is a natural response.

In the Kingdom of Jesus we add additional variables for the spiritual life. Those leading someone to new faith in Christ are responsible to help them discover their family. While the new born-again believer has built-in empathy and love for his/her Savior, they are still vulnerable and need protection. If not assimilated into a small group family, their chances of survival diminish.

I was introduced to Christ by street ministers who did not live in my own town. They led me to salvation in Christ and then returned to their homes more than 50 miles away. My faith wandered for three months not knowing there was a spiritual family to join. I quickly returned to my previous sinful habits and could have easily lost my relationship with Christ. Thankfully the Holy Spirit had a wonderful grip on my heart and led me to a series of gatherings that helped me understand my need for the family of Jesus.

Soon thereafter I joyfully discovered the Life of Christ more fully in the home of new friends and spiritual family members! My spiritual infancy was secured by these more mature believers who functioned as spiritual parents. I had a promising future to grow into christian adulthood.

Personally, I think it would be ideal for an individual to come to know Christ in a cell group. They would be born again in the midst of their family and all of the natural responses would follow: acceptance, love, care, nurturing, and growth.

In this family atmosphere of love and support, the new infant soon becomes a functioning part of the family and begins to take on their own responsibilities in the kingdom of God.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Espiritualidade Natural

Por Jeff Tunnell

Quando uma criança nasce no mundo, ela precisa ser unida imediatamente a uma família para sua proteção e cuidado. Esse bebê é totalmente dependente dos outros e precisa ser nutrido. Os pais não precisam ser encorajados a amar o recém-nascido, pois é uma resposta natural.

No Reino de Jesus nós acrescentamos variáveis adicionais para a vida espiritual. Aqueles que levam alguém à nova fé em Cristo são responsáveis por ajudá-los a descobrir sua família. Enquanto os convertidos recém-nascidos tem empatia e amor por seu Salvador, eles ainda são vulneráveis e precisam de proteção. Se não forem assimilados na família de um pequeno grupo, suas chances de sobrevivência diminuirão.

Fui apresentado a Cristo por ministros de rua que não moravam em minha cidade. Eles me levaram à salvação em Cristo e depois voltaram para suas casas a mais de 50 milhas de distância. Minha fé vagou por três meses sem que eu soubesse que havia uma família espiritual para me juntar. Eu rapidamente voltei aos meus hábitos pecaminosos anteriores e poderia facilmente ter perdido meu relacionamento com Cristo. Felizmente, o Espírito Santo apertou meu coração de uma forma maravilhosa e me levou a uma série de reuniões que me ajudaram a entender minha necessidade pela família de Jesus.

Pouco tempo depois, eu descobri com alegria a Vida de Cristo mais plenamente na casa de novos amigos e membros da família espiritual! Minha infância espiritual foi assegurada por esses crentes mais maduros que foram como pais espirituais. Eu tinha um futuro promissor para crescer na idade adulta da vida cristã.

Pessoalmente, acho que seria ideal um indivíduo conhecer Cristo em uma célula. Eles nasceriam de novo no meio de sua família e todas as respostas naturais seriam: aceitação, amor, cuidado, nutrição e crescimento.

Nesta atmosfera familiar de amor e apoio, o novo bebê logo se torna uma parte funcional da família e começa a assumir suas próprias responsabilidades no Reino de Deus.

Spanish blog:

Espiritualidad natural
Por Jeff Tunnell

Cuando un bebé nace en el mundo, inmediatamente necesita ser unido a una familia para su protección y cuidado. Ese bebé es totalmente dependiente de otros y necesita ser nutrido. Los padres no necesitan ser animados a amar a su hijo recién nacido – es una respuesta natural.

En el Reino de Jesús añadimos variables adicionales para la vida espiritual. Aquellos que llevan a alguien a una nueva fe en Cristo son responsables de ayudarles a descubrir a su familia. Mientras que el creyente nacido de nuevo a empotrado empatía y amor por su Salvador, que siguen siendo vulnerables y necesitan protección. Si no se asimila a una familia de grupos pequeños, sus posibilidades de supervivencia disminuyen.

Me presentaron a Cristo los ministros callejeros que no vivían en mi propia ciudad. Me llevaron a la salvación en Cristo y luego regresaron a sus hogares a más de 50 millas de distancia. Mi fe vagó por tres meses sin saber que había una familia espiritual a la cual me podría unir. Volví rápidamente a mis hábitos pecaminosos anteriores y podría haber perdido fácilmente mi relación con Cristo. Afortunadamente el Espíritu Santo tuvo un maravilloso agarre en mi corazón y me llevó a una serie de reuniones que me ayudaron a entender mi necesidad con la familia de Jesús.

Poco después, ¡descubrí con alegría la Vida de Cristo en el hogar de nuevos amigos y miembros de la familia espiritual! Mi infancia espiritual fue asegurada por estos creyentes más maduros que funcionaban como padres espirituales. Tenía un futuro prometedor para crecer en la adultez cristiana.

Personalmente, creo que sería ideal para un individuo llegar a conocer a Cristo en un grupo de células. Ellos nacerían de nuevo en medio de su familia y todas las respuestas naturales seguirían: aceptación, amor, cuidado, nutrición y crecimiento.

En esta atmósfera familiar de amor y apoyo, el nuevo bebé pronto se convierte en una parte funcional de la familia y comienza a asumir sus propias responsabilidades en el reino de Dios.

Jeff

Circle Up

coaches-rob3Web

By Pastor Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Be careful not to underestimate the power of the “circle.” Let me explain. Inevitably, the clear majority of cell churches have a linear approach to the training of cell leaders. Typically, it looks like: Potential cell leader completes course of study “1,” he/she now is enrolled in course of study “2,” and when he/she finishes course of study “2,” off to course of study “3.” Now, these studies may be brilliantly written, passionately delivered, and intellectually stimulating. But, this linear approach needs to be challenged. To me, life looks more like a circle than a step by step “line.”

Simply put, while we desire to equip others for cell ministry, life is happening! When you provide to your (potential) leaders a circular training experience, then you are joining them in their real-life journey. You are coming alongside them in a practical, reasonable, and workable manner. You are acknowledging that they have a life that may not always mesh with the calendar of the church.

Some questions to consider: Is there pliability and flexibility in your approach to equip others? Is the senior pastor doing all the equipping or are others able to equip? What about group size? Can your equipping be done with 3 or 30 people? Can your equipping be delivered in a living room, sitting around a cafe table, or in a worship center? Can a cell leader train others?
I trust the point of these questions is clear: Diversify how you equip your (potential) leaders. Everyone does not have to be equipped the same way for all time.

In summation, if your training experience is linear (lacking fluidity and flexibility), then maybe it’s time to circle up.
Comments?

Rob

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Forme um Círculo

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Tenha cuidado para não subestimar o poder do “círculo”. Deixe-me explicar. Inevitavelmente, a maioria das igrejas em células tem uma abordagem linear para o treinamento de líderes de células. Normalmente, é assim: potenciais líderes de célula completam o curso de estudo “1”, depois são matriculados no curso de estudo “2”, e quando terminam o curso de estudo “2”, vão para o curso de estudo “3”. Agora, esses estudos podem ser brilhantemente escritos, passionalmente entregues e intelectualmente estimulantes. Mas, essa abordagem linear precisa ser desafiada. Para mim, a vida parece mais um círculo do que um passo a passo em linha.

Simplificando, enquanto desejamos equipar os outros para o ministério celular, a vida está acontecendo! Quando você fornece aos seus líderes (potenciais) uma experiência de treinamento circular, então você está se juntando a eles em sua jornada da vida real. Você está vindo ao lado deles de uma maneira prática, razoável e viável. Você está reconhecendo que eles têm uma vida que nem sempre pode se mesclar com o calendário da igreja.

Algumas questões a considerar: Existe maleabilidade e flexibilidade na sua abordagem para equipar os outros? O pastor sênior está fazendo todo o equipamento ou outras pessoas também são capazes de equipar? E quanto ao tamanho do grupo? O método de equipar pode ser feito com 3 ou 30 pessoas? O equipamento pode acontecer em uma sala de estar com as pessoas sentadas em torno de uma mesa de café, ou em um centro de adoração? Um líder de célula pode treinar os outros?

Creio que o ponto destas perguntas é claro: diversifique a forma como você equipa seus líderes (em potencial). As pessoas não precisam ser equipadas da mesma maneira para sempre.

Em suma, se sua experiência de treinamento é linear (com falta de fluidez e flexibilidade), então talvez seja hora de mudar para um círculo.

Comentários?

Rob

Spanish blog: 

Circulos arriba

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Tenga cuidado de no subestimar el poder del “círculo”. Permítanme explicar. Inevitablemente, la clara mayoría de las iglesias celulares tienen un enfoque lineal para el entrenamiento de líderes celulares. Normalmente, parece que: El Líder potencial de la célula completa el curso de estudio “1”, ahora está inscrito en el curso de estudio “2”, y cuando termina el curso de estudio “2”, hasta el curso de estudio “3”. Ahora, estos estudios pueden ser brillantemente escritos, pasionalmente entregados, e intelectualmente estimulantes. Pero, este enfoque lineal necesita ser desafiado. Para mí, la vida se parece más a un círculo que a una “línea” de paso a paso.

En pocas palabras, mientras deseamos equipar a otros para el ministerio celular, ¡la vida está sucediendo! Cuando usted proporciona a sus líderes (potenciales) una experiencia de entrenamiento circular, entonces se unen a ellos en su viaje de la vida real. Usted viene junto a ellos de una manera práctica, razonable y factible. Ustedes están reconociendo que tienen una vida que no siempre se acopla con el calendario de la iglesia.

Algunas preguntas a considerar: ¿Hay flexibilidad y flexibilidad en su enfoque para equipar a otros? ¿El pastor está haciendo todo el equipamiento o son capaces de equipar a otros? ¿Qué pasa con el tamaño del grupo? ¿Puede su equipo ser hecho con 3 o 30 personas? ¿Puede su equipo ser entregado en una sala de estar, sentado en torno a una mesa de café, o en un centro de adoración? ¿Puede un líder celular entrenar a otros?

Confío en que el punto de estas preguntas es claro: Diversificar cómo equipar a sus líderes (potenciales). Todo el mundo no tiene que estar equipado de la misma manera para todo el tiempo.

En suma, si su experiencia de entrenamiento es lineal (falta de fluidez y flexibilidad), entonces tal vez es hora de hacer un círculo.

¿Comentarios?

Rob

Seeing Leadership Potential in Everyone

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey

There’s a good chance that the next leaders that emerge from your group are very different than you. It’s so easy to want to find one kind of person to lead the group or be part of the team, but the reality is that there is no one best person.

Some of the best people don’t appear to be the best. They are the weakest, fumble the most, and seem the most unprepared. Sometimes we fail to see emerging leadership because we are looking for the wrong things. We often look for those who mesh with our personality but pass over those who follow a different drummer.

Samuel misjudged the Lord’s choice for the second king of Israel because he focused on height and stature:   “Samuel saw Eliab and thought, ‘Surely the LORD’s anointed stands here before the LORD.’ But the LORD said to Samuel, ‘Do not consider his appearance or his height, for I have rejected him. The LORD does not look at the things man looks at. Man looks at the outward appearance, but the LORD looks at the heart'” (1 Samuel 16:6-7).

Jesse was just as surprised that his older children were not elected. He had not even considered inviting shepherd boy David to the ceremony. But even though David was a “ruddy” young boy, “. . . the LORD said, ‘Rise and anoint him; he is the one!'” (1 Samuel 16:11-12).

God tends to use the “ruddy, young boys” that are fully committed to him. Our tendency is to hang educational nooses around budding leaders. Yet, the harvest is so plentiful and the laborers are so few that God would have us look at all leadership possibilities around us.

When you look out at your current small group and wonder, “Which of these people could lead a great small group?” the correct answer is, “All of them!” Sure, some people are more ready now. Some people need to get equipped or trained. But there is no key characteristic you should look for. Quiet people are as good at leading groups as outgoing people. People with the gift of service can lead a growing group just like people with the gift of teaching or evangelism.

Jim Egli and I have been studying this question for many years. We have both discovered in separate statistical studies that particular characteristics don’t matter. Our recent research embodied in our upcoming 2017 book Groups that Thrive: Seven Surprising Discoveries about Life-Giving Small Groups once again confirm that the things that matter are not people’s characteristics or age or season in life. What matters are several key behaviors that relate to loving God and loving others. Which people in your current group can obey the two greatest commandments, to love God with all they are and to love others like they love themselves (Mark 12:28-31)? All of them can! And this means that all of them have the potential to lead a thriving small group.

Take a moment to consider Jesus’ own recruits. His twelve closest followers appear to be incredibly unexceptional. They were a motley crew of ordinary people. But Jesus invested in them and through them ignited a movement that would reach millions, even billions of people. God wants to use your small group in a similar way if you’ll see God’s potential in each person to change the world.

In the month of March, we’ll talk about seeing everyone as a potential member of a leadership team. Here are the themes we’ll cover in March:

  • (March 05-11) Taking the next step. For many the first step is joining a cell, then participating, but why not see each one as participating on a leadership team. Some will become point people but not all.
  • (March 12-18).  Obstacles to taking the next step: I can’t do it, not enough knowledge, don’t have the gift of leadership, and so forth. These myths should be debunked. Rather, people grow best when they are involved.
  • (March 19-25; due date March 17).  The place of equipping in preparing new leaders, coaching in sustaining them, and vision casting during the celebration service.
  •  (March 26-April 01; due date March 24).  God uses weak vessels. Often the best cell leaders are the weakest. Pride is the main hindrance to effective cell leadership.

Share here your experiences about seeing the potential in every person in the cell.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Vendo o Potencial para Liderança em Todos

Por Joel Comiskey

Há uma boa chance de que os próximos líderes que emergirem de seu grupo sejam muito diferentes de você. É muito fácil querer encontrar um tipo de pessoa para liderar o grupo ou para fazer parte da equipe, mas a realidade é que não há uma pessoa melhor que as outras.

Algumas das melhores pessoas não parecem ser as melhores. Elas são as mais fracas, se atrapalham mais e parecem ser as mais despreparadas. Às vezes não conseguimos ver a liderança emergindo porque estamos procurando pelas coisas erradas. Nós frequentemente procuramos aqueles que combinam com nossa personalidade, mas passamos batido por aqueles que seguem um ritmo diferente.

Samuel julgou mal a escolha do Senhor para o segundo rei de Israel porque ele se concentrou na altura e estatura: “Quando chegaram, Samuel viu Eliabe e pensou: ‘Com certeza este aqui é o que o Senhor quer ungir’. O Senhor, contudo, disse a Samuel: ‘Não considere a sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei. O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração'” (1 Samuel 16:6-7).

Jessé ficou tão surpreso que seus filhos mais velhos não foram eleitos. Ele não tinha sequer pensado em convidar o pastor de ovelhas Davi para a cerimônia. Mas mesmo que Davi fosse um jovem garoto “corado”, “…o Senhor disse a Samuel: ‘É este! Levante-se e unja-o'” (1 Samuel 16:11-12).

Deus tende a usar os “jovens garotos corados” que estão totalmente comprometidos com Ele. Nossa tendência é pendurar cordões educativos ao redor de líderes em ascensão. No entanto, a colheita é tão abundante e os trabalhadores são tão poucos que Deus quer que olhemos para todas as possibilidades de liderança ao nosso redor.

Quando você olha para o seu pequeno grupo atual e se pergunta: “Qual dessas pessoas poderia liderar um ótimo pequeno grupo?”, a resposta correta é: “todas elas!”. Claro, algumas pessoas estão mais prontas agora. Algumas pessoas precisam ser equipadas ou treinadas. Mas não há nenhuma característica principal que você deve procurar. As pessoas tranquilas são tão boas em liderar grupos como as pessoas extrovertidas. Pessoas com o dom do serviço podem liderar um grupo crescente, assim como as pessoas com o dom de ensinar ou de evangelismo.

Jim Egli e eu temos estudado essa questão há muitos anos. Ambos descobrimos em estudos estatísticos separados que características específicas não importam. Nossa pesquisa recente incorporada em nosso próximo livro de 2017 Groups that Thrive: Seven Surprising Discoveries about Life-Giving Small Groups (“Grupos que Prosperam: Sete Descobertas Surpreendentes sobre Pequenos Grupos Cheios de Vida”, em tradução livre) mais uma vez confirma que as coisas que importam não são as características das pessoas, sua idade ou época da vida. O que importa são vários comportamentos-chave que se relacionam com amar a Deus e amar os outros. Quais pessoas do seu grupo atual podem obedecer aos dois maiores mandamentos, amar a Deus com tudo o que são e amar os outros como amam a si mesmas (Marcos 12:28-31)? Todas elas podem! E isso significa que todas têm o potencial de liderar um pequeno grupo próspero.

Tire um momento para considerar os próprios recrutas de Jesus. Seus doze seguidores mais próximos parecem ser incrivelmente nada excepcionais. Eles eram um grupo heterogêneo de pessoas comuns. Mas Jesus investiu neles e, por meio deles, inflamou um movimento que atingiria milhões, até bilhões de pessoas. Deus quer usar seu pequeno grupo de uma maneira similar se você ver o potencial de Deus em cada pessoa para mudar o mundo.

No mês de março, nós vamos falar sobre ver todas as pessoas como um potencial membro da equipe de liderança. Se você gostaria de receber os blogs de março por e-mail, clique aqui. Aqui estão os temas que serão abordados nesse mês:

  • (05 a 11 de março) Tomando o próximo passo. Para muitos, o primeiro passo é se juntar a uma célula e depois participar, mas por que não ver cada um como um participante de uma equipe de liderança? Alguns vão se tornar líderes, mas não todos.
  • (12 a 18 de março) Obstáculos para dar o próximo passo: não posso fazer isso, não tenho conhecimento suficiente, não tenho o dom da liderança, e assim por diante. Esses mitos devem ser descartados. Pelo contrário, as pessoas crescem melhor quando estão envolvidas.
  • (19 a 25 de março) O momento de equipar na preparação de novos líderes, treinar para sustentá-los, e o lançamento da visão durante o culto de celebração.
  • (26 de março a 01 de abril) Deus usa vasos fracos. Muitas vezes, os líderes das melhores células são os mais fracos. O orgulho é o principal obstáculo à liderança celular eficaz.

Compartilhe aqui suas experiências sobre ver o potencial em todas as pessoas da célula.

Joel Comiskey

Spanish blog:

Viendo el potencial de liderazgo en todos

Por Joel Comiskey, http://www.joelcomiskeygroup.com/coaching/index_es.html

Hay una buena probabilidad de que los próximos líderes que surjan de tu grupo sean muy diferentes a ti. Es tan fácil querer encontrar un tipo de persona específico para dirigir el grupo o para que sea parte del equipo, pero la realidad es que no existe tal cosa como “la mejor persona”.

Algunas de las mejores personas no parecen ser las mejores. Son las más débiles, las más torpes, y parecieran ser las menos preparadas. A veces fallamos en ver un liderazgo emergente porque estamos buscando las cosas equivocadas. A menudo buscamos a aquellos que se ajustan a nuestra personalidad, pero pasamos por alto a aquellos que son diferentes.

Samuel juzgó erróneamente la elección del Señor para el segundo rey de Israel, porque se enfocó en la estatura y en el porte: … “él vio a Eliab, y dijo: De cierto delante de Jehová está su ungido. Y Jehová respondió a Samuel: No mires a su parecer, ni a lo grande de su estatura, porque yo lo desecho; porque Jehová no mira lo que mira el hombre; pues el hombre mira lo que está delante de sus ojos, pero Jehová mira el corazón”. Samuel 16:6-7).

Isaí estaba igualmente sorprendido de que sus hijos mayores no fueran elegidos. Ni siquiera había considerado invitar al pastor David a la ceremonia. Pero, aunque David era un jovencito rubio de mejillas rosadas, …  el SEÑOR dijo: “Levántate y úngelo, porque éste es”. (1 Samuel 16: 11-12)

Dios tiende a usar a “jovencitos de mejillas rosadas” que estén plenamente comprometidos con él. Nuestra tendencia es bloquear por motivos de falta de preparación a los líderes en ciernes. Sin embargo, la cosecha es tan abundante y los obreros son “tan” pocos que Dios quiere que veamos todas las posibilidades de liderazgo que nos rodean.

Cuando veas a tu grupo pequeño y te preguntes, “¿Cuál de estas personas podría dirigir un grandioso grupo pequeño?” La respuesta correcta deberá ser: “¡Todos ellos!” Claro, algunas personas ya están más preparadas. Algunas personas necesitan ser equipadas o entrenadas. Pero no hay ninguna característica clave que debas buscar. Las personas calladas o introvertidas son tan buenas dirigiendo grupos, como las personas extrovertidas. Las personas con el don de servicio pueden dirigir un grupo que está en crecimiento, como las personas con el don de enseñanza o evangelismo.

Jim Egli y yo hemos estado estudiando esta pregunta por muchos años. Ambos hemos descubierto a través de estudios estadísticos separados que las características particulares no importan. Nuestra investigación reciente la cual encontrarás en nuestro próximo libro del 2017 Groups that Thrive: Seven Surprising Discoveries about Life-Giving Small Groups (Grupos que prosperan): Siete Sorprendentes Descubrimientos sobre Grupos Pequeños que Dan Vida), una vez más confirma que las cosas que importan no son las características de las personas, ni la edad, ni la época en la que se encuentra en su vida. Lo que importa son varias conductas clave que se relacionan con amar a Dios y amar a los demás. ¿Qué personas de tu grupo actual pueden obedecer los dos mandamientos más grandes, amar a Dios con todo su ser y amar a los demás como se aman a sí mismos (Marcos 12: 28-31)? ¡Todos ellos pueden hacerlo! Y esto significa que todos ellos tienen el potencial de dirigir un grupo pequeño que prospere.

Tómate un momento para considerar a los propios reclutas de Jesús. Sus doce seguidores más cercanos parecen increíblemente excepcionales. Eran un grupo heterogéneo de gente común. Pero Jesús invirtió en ellos y, a través de ellos, encendió un movimiento que alcanzaría millones, incluso billones de personas. Dios quiere usar a tu grupo pequeño de una manera similar si ves el potencial de Dios en cada persona para cambiar el mundo.

En el mes de marzo, hablaremos acerca de ver a todos como un miembro potencial de un equipo de liderazgo. Si deseas recibir los blogs de marzo en tu correo electrónico, haz clic aquí. Estos son los temas que abordaremos en marzo:

  • (Marzo 05-11) Tomando el siguiente paso. Para muchos, el primer paso es unirse a una célula, luego participar, pero ¿por qué no ver a cada uno de ellos como participantes de un equipo de liderazgo? Algunos se convertirán en personas determinantes, pero no todos.
  • (Marzo 12 al 18) Obstáculos para dar el siguiente paso: No puedo hacerlo, no tengo suficiente conocimiento, no tengo el don del liderazgo, y así sucesivamente. Estos mitos deben ser derribados. Por el contrario, las personas crecen mejor cuando se involucran.
  • (Marzo 19-25, fecha de vencimiento 17 de marzo). El lugar de equipamiento para la preparación de nuevos líderes, la supervisión en el sostenimiento de ellos, y el lanzamiento de la visión durante el servicio de la celebración.
  • (26 de marzo – 01 de abril, fecha de vencimiento 24 de marzo). Dios usa vasijas débiles. A menudo, los mejores líderes de célula son los más débiles. El orgullo es el principal obstáculo para el liderazgo celular eficaz.

Comparte aquí tus experiencias sobre ver el potencial en cada persona en la célula.

Joel Comiskey

Multiplication Is Empowering People So They Take Ownership Of The Group

coaches_robLAY-web

By Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil, www.celulas.com.br

In Brazil we have short statements that reveal NT Church values. The first one, from twenty years ago is: “Each house a church, and each member a minister or priest” This is a very big paradigm shift towards the priesthood of all believers, instead of focusing only on holy men and women as priests. The Reformation taught this but failed to live it.

Christ’s disciples became Ministers by ministering with Jesus. All theoretical training is good if the focus is ministry, but the cell leader must empower all cell members to serve and minister in the cell and even outside the cell. Each person has a potential that needs to be developed. Not only natural abilities, but also the spiritual gifts. The leader is responsible to create an atmosphere and freedom where the gifts can flow and develop naturally. It can become messy in the beginning, but the process will help people become all that God has called them to be. It sets the cell members up for a greater sense of responsibility for each other. Every one is responsible to edify the body. (gr. Oikodomeo).

Help us God!!

Robert Lay

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Multiplicação Consiste em Capacitar as Pessoas para que Tomem Posse do Grupo

Por Robert Lay, Ministério Igreja em Células Brasil, www.celulas.com.br

No Brasil nós temos breves declarações que revelam os valores da Igreja do Novo Testamento. A primeira, de vinte anos atrás, é: “Cada casa uma igreja e cada membro um ministro ou sacerdote”. Esta é uma mudança de paradigma muito grande em direção ao sacerdócio de todos os crentes, em vez de se concentrar somente em homens e mulheres santos como sacerdotes. A Reforma ensinou isso, mas não conseguiu viver essa realidade.

Os discípulos de Cristo se tornaram ministros ao ministrar com Jesus. Todo o treinamento teórico é bom se o foco for o ministério, mas o líder da célula deve capacitar todos os membros da célula para servirem e ministrarem na célula e até mesmo fora dela. Cada pessoa tem um potencial que precisa ser desenvolvido. Não só as habilidades naturais, mas também os dons espirituais. O líder é responsável por criar uma atmosfera e uma liberdade onde os dons possam fluir e se tornar naturalmente. Essa atmosfera pode ficar confusa no começo, mas o processo ajudará as pessoas a se tornarem tudo o que Deus as chamou para serem. Ela levanta os membros da célula para terem um maior senso de responsabilidade uns pelos outros. Cada um é responsável por edificar o corpo. (grego Oikodomeo).

Ajude-nos, Deus!

Robert Lay
Spanish blog:

La multiplicación está dando el poder a la gente para que se apropie del grupo

Por Robert Lay, Ministerio de la Iglesia Celular Brasil, www.celulas.com.br

En Brasil tenemos breves declaraciones que revelan los valores de la Iglesia en el Nuevo Testamento. La primera, fue hace veinte años: “Cada casa es una iglesia y cada miembro es un ministro o sacerdote”. Este es un gran cambio de paradigma hacia el sacerdocio de todos los creyentes, en lugar de concentrarse sólo en los hombres y mujeres santos como predicadores. La Reforma enseñó esto, pero no lo logró.

Los discípulos de Cristo se convirtieron en ministros ministrando con Jesús. Todo el entrenamiento teórico es bueno si el enfoque es el ministerio, pero el líder celular debe capacitar a todos los miembros de la célula para servir y ministrar en la célula e incluso fuera de la célula. Cada persona tiene un potencial que necesita ser desarrollado. No sólo las habilidades naturales, sino también los dones espirituales. El líder es responsable de crear una atmósfera y libertad donde los dones pueden fluir y desarrollarse naturalmente. Puede llegar a ser desordenado al principio, pero el proceso ayudará a las personas a convertirse en todo lo que Dios les ha llamado a ser. Estableciendo miembros de la célula para un mayor sentido de la responsabilidad los unos a otros. Cada uno es responsable de edificar el cuerpo. (Gr Oikodomeo).

Ayúdanos a Dios.

Robert Lay

Leaders Are Free to Listen to The Lord

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

When we formed our prototype groups a few years ago, we worked hard to maintain a similar structure and format to our meetings. It was important to develop a mindset for relational ministry that would last after the initial phases. Today, our groups maintain the general format of Welcome (icebreaker question), Worship (songs are prepared ahead), Word (application of the text from the Sunday sermon), and Witness/Work (connecting the Word to our unchurched friends and family). Although the general format is the same for each group, leaders have the freedom and responsibility to adjust their group experience to meet the needs of the their group.

As I wrote the paragraph above I thought of the many ways that group leaders adjust the components to meet the needs of their groups. A Ladies’ Group prepares songs for their group and even does studies that don’t follow the Sunday sermon. A Men’s Group does not sing but they worship with the Word and prayer. A Youth Group selects music that fits their culture and adjusts the study to apply to the lives of our youth. Application of the Word of God to life is paramount to every group. Each group utilizes the gifts of the spirit to minister to and with one another. Most important, every group is committed to reaching their Oikos with the love of Christ and to introduce them to people in their groups.

Group leaders who understand the principles of cell ministry need to be able to adjust the cell meeting to fit the needs of their group. The principles of cell ministry are what matter not the precise plan that I have written. I want our people to minister to one another, to apply the Word of God to their lives, and to build relationships with the unchurched in their Oikos. I want the groups to get to know the people that others in their group care about reaching for Christ. I want them to be free to meet needs even if that means veering from the prescribed plan and maybe even jettisoning it completely.

Last week one of the leaders of a Girls Youth Group talked about how she changed the whole plan to minister to some specific needs of people in her group. Inside I started to say whoa and then I thought about the incredible ministry time that they had and I quickly affirmed what she had done. God is in control, not me. I trust the leaders to listen to the needs of their group and to listen to the Lord.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Os Líderes São Livres Para Ouvirem o Senhor

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Quando formamos nossos grupos protótipos há alguns anos atrás, trabalhamos duro para manter uma estrutura e um formato semelhantes em nossas reuniões. Era importante desenvolver uma mentalidade para um ministério relacional que duraria após as fases iniciais. Hoje, nossos grupos mantêm o formato geral de Boas-vindas (pergunta quebra-gelo), Adoração (louvores preparados antecipadamente), Palavra (aplicação do texto do sermão dominical) e Testemunhos/Obra (conectando a Palavra aos nossos amigos e família não convertidos). Embora o formato geral seja o mesmo para cada grupo, os líderes têm a liberdade e a responsabilidade de ajustar sua experiência de grupo para atender às necessidades de seu grupo.

Conforme eu escrevia o parágrafo acima, eu pensei sobre as muitas maneiras que os líderes de célula ajustam os componentes para satisfazer as necessidades de seus grupos. Um grupo de mulheres prepara canções para seu grupo e até faz estudos que não seguem o sermão do domingo. Um grupo de homens não canta, mas eles adoram com a palavra e a oração. Um grupo de jovens seleciona músicas que se encaixam em sua cultura e ajusta o estudo para se aplicar às suas vidas. A aplicação da Palavra de Deus à vida é primordial para cada grupo. Cada grupo utiliza os dons do espírito para ministrar uns aos outros. Mais importante ainda, eles estão empenhados em alcançar os círculos relacionais (Oikos) de cada membro com o amor de Cristo e apresentá-los às pessoas do grupo.

Os líderes de célula que entendem os princípios do ministério celular precisam ser capazes de ajustar a reunião celular para atender às necessidades de seu grupo. Os princípios do ministério celular são o que não importa, e não o plano preciso que eu escrevi. Quero que nosso povo sirva uns aos outros, aplique a Palavra de Deus em suas vidas e construa relacionamentos com os não convertidos em seus Oikos. Eu quero que os grupos conheçam as pessoas com as quais os membros se preocupam para que elas alcancem a Cristo. Eu quero que eles sejam livres para atender às necessidades, mesmo que isso signifique se afastar do plano prescrito e talvez até mesmo descartá-lo completamente.

Na semana passada, uma das líderes de um Grupo de Moças Jovens falou sobre como ela mudou todo o plano para ministrar a algumas necessidades específicas das pessoas de seu grupo. Dentro de mim comecei a dizer “uau” e então eu pensei sobre o tempo de ministério incrível que elas tiveram e eu rapidamente dei respaldo ao que ela tinha feito. Deus está no controle, não eu. Confio nos líderes para escutarem as necessidades de seu grupo e para ouvirem o Senhor.

Spanish blog:

Los líderes son libres de escuchar al Señor

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Cuando formamos nuestros grupos de prototipos hace unos años atrás, trabajamos duro para mantener una estructura y formato similar a nuestras reuniones. Era importante desarrollar una mentalidad para el ministerio relacional que duraría después de las fases iniciales. Hoy en día, nuestros grupos mantienen el formato general de Bienvenida (pregunta del rompehielos), Adoración (canciones preparadas por adelantado), Palabra (aplicación del texto de la predicación dominical) y Testimonios/ Trabajo (conectando la Palabra a nuestros amigos y familia sin iglesia). Aunque el formato general es el mismo para cada grupo, los líderes tienen la libertad y la responsabilidad de ajustar su experiencia grupal para satisfacer las necesidades de su grupo.

Al escribir el párrafo anterior, pensé en las muchas maneras en que los líderes de grupo ajustan los componentes para satisfacer las necesidades de sus grupos. Un Grupo de Damas prepara canciones para su grupo e incluso hace estudios que no siguen la predicación dominical. Un grupo de hombres no canta, sino que adoran con la Palabra y la oración. Un grupo de jóvenes selecciona música que se adapta a su cultura y ajusta el estudio para aplicarlo a las vidas de nuestros jóvenes. La aplicación de la Palabra de Dios a la vida es primordial para cada grupo. Cada grupo utiliza los dones del espíritu para ministrar entre sí. Lo más importante es que cada grupo está comprometido a alcanzar a sus Oikos con el amor de Cristo y a presentarlos a las personas de sus grupos.

Los líderes de grupo que entienden los principios del ministerio celular deben ser capaces de ajustar la reunión celular para adaptarse a las necesidades de su grupo. Los principios del ministerio celular son lo que no importa el plan exacto que he escrito. Quiero que nuestro pueblo se ministre unos a otros, que aplique la Palabra de Dios en sus vidas y que establezca relaciones con los inconversos en su Oikos. Quiero que los grupos conozcan a la gente ya que otros en su grupo se preocupan de alcanzar a Cristo. Quiero que sean libres para satisfacer las necesidades, incluso si eso significa cambiar el plan prescrito y tal vez incluso deshacerse de él por completo.

La semana pasada, uno de los líderes de un grupo juvenil de chicas habló sobre cómo cambió todo el plan para ministrar a algunas necesidades específicas de las personas de su grupo. En el interior empecé a decir wow y luego pensé en el tiempo de ministerio increíble que tenían y rápidamente afirmó lo que había hecho. Dios está en control, no yo. Confío en que los líderes escuchen las necesidades de su grupo y escuchen al Señor.

Bill

The Cell Church Philosophy

coach_mario2016speaking

By Mario Vega, www.elim.org.sv

In contrast to traditional churches where believers have a passive and consumer role, cell churches are committed to helping each member become actively involved  both the cell and the celebration. The believer is seen as one who should take care of his brothers and dedicates himself to encourage them by his example so that they take on leading roles. The nature of the cell church is that everyone participates. Each one develops his or her own gift for the edification of the body. So being a cell church implies an essential change in the philosophy of how one understands being a church and the role that corresponds to each believer. In essence, it is the transition from a priestly system to an evangelical one. That is, to move from a theological model where the pastor is a mediator between God and the congregation to a model in which each person goes directly to God without the need of a mediator and sees himself responsible for caring for his brothers.

The issue is not only about adopting a working methodology with cells but to make a change of mentality regarding how the church is understood and the role of each one of the members. The change should not only take place in the pastor but also in the congregation.  The pastor needs to formulate the  values, open spaces of participation, delegate to others, and then encourage those who are already ministering.  As the pastor succeeds in transferring the new philosophy to his members, he will succeed in multiplying disciples who assume leadership responsibilities.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Filosofia da Igreja em Células

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Em contraste com as igrejas tradicionais onde os crentes têm um papel passivo e consumidor, as igrejas em células estão empenhadas em ajudar cada membro a se envolver ativamente tanto na célula como no culto de celebração. O crente é visto como alguém que deve cuidar de seus irmãos e se dedica a incentivá-los pelo seu exemplo para que assumam papéis de liderança. A natureza da igreja em células é que todos participam. Cada um desenvolve seu próprio dom para a edificação do Corpo. Portanto, ser uma igreja celular implica uma mudança essencial na filosofia de como se entende ser uma igreja e o papel que corresponde a cada crente. Em essência, é a transição de um sistema sacerdotal para um evangélico. Ou seja, passar de um modelo teológico onde o pastor é um mediador entre Deus e a congregação para um modelo em que cada pessoa vai diretamente a Deus sem a necessidade de um mediador e é ele próprio responsável por cuidar de seus irmãos.

A questão não é apenas adotar uma metodologia de trabalho com células, mas fazer uma mudança de mentalidade sobre como a igreja é compreendida e o papel de cada um dos membros. A mudança não deve acontecer apenas com o pastor, mas ele deve transferí-la para a congregação através da pregação e do ensino. O pastor precisa formular os valores, abrir espaços de participação, delegar a outros e, então, incentivar aqueles que já estão ministrando. Conforme o pastor consegue transferir a nova filosofia para seus membros, ele terá sucesso na multiplicação de discípulos que assumem responsabilidades de liderança. Trata-se de mudar a maneira como o Cristianismo é compreendido.

Spanish blog:

La filosofía de la iglesia celular

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Contrario a las iglesias tradicionales donde los creyentes poseen un rol pasivo y de consumidores, las iglesias celulares se empeñan en que cada miembro se involucre activamente en responsabilidades tanto en la celebración como en las casas. El creyente es visto como alguien que debe tomar cuidado de sus hermanos y se decida a animarlos con su ejemplo para que asuman roles protagónicos.

La naturaleza de la iglesia celular es la de una amplia participación de sus miembros. Cada uno desarrolla su propio don para edificación del cuerpo. De manera que ser una iglesia celular implica un cambio esencial en la filosofía de cómo se entiende el ser iglesia y el papel que le corresponde a cada creyente. En el fondo, se trata del paso de un sistema sacerdotalista a uno evangélico. Es decir, pasar de un modelo teológico en donde el pastor es un mediador entre Dios y la congregación a un modelo en el cual cada persona va directamente a Dios sin necesidad de mediador y se ve responsable por cuidar de sus hermanos.

Como puede verse, el asunto no es solamente de adoptar una metodología de trabajo con células sino de realizar un cambio de mentalidad con respecto a cómo se entiende la iglesia y el papel de cada uno de los miembros. El cambio no solamente debe darse en el pastor sino que éste debe trasladarlo a la congregación con sus enseñanzas, la formulación de valores, el abrir espacios de participación, la delegación y el ánimo a los que ya trabajan. En la medida que el pastor tenga éxito en trasladar la nueva filosofía a sus miembros, tendrá éxito en multiplicar discípulos que asuman responsabilidades de liderazgo. Es cambiar la manera cómo se entiende el cristianismo.

A Simple Tool for Engaging Every Small Group Member in Ministry  

coaches_JimEgil

By Jim Egli, Practical Small Group & Multisite Insights & Free Resources: www.jimegli.com

There is a simple tool that my wife Vicki and I have used repeatedly in leading small groups to help us engage every member in ministry. Typically after a group has been going for at least 3 weeks we pass out a piece of paper that looks like this:

SMALL GROUP INVOLVEMENT SIGN-UP SHEET

“Under his (Christ’s) direction, the whole body is fitted together perfectly. As each part does its own special work, it helps the other parts grow, so that the whole body is healthy and growing and full of love.” (Ephesians 4:16, NLT)

Each small group at our church is like a family. Together we experience Jesus’ love and share it with others. Each person in the group plays an important role and the group grows “as each part does its own special work.” We want each person to serve in ways that they find enjoyable and rewarding as they contribute to the life of the group.

Please indicate any ways that you would be willing to serve. It is fine to try something out and decide later that you do not want to do it or that you would like to do something else instead. As the group grows and changes we can easily change roles.

Coordination Roles:

____    Small Group Leader or Co-leader

____    Small Group Apprentice (willing to serve as an assistant in preparation for leading my own Small Group in the future)

____    Small Group Assistant (willing to serve as an assistant to the leaders)

____    Meal Coordinator

____    Worship Leader (arranging for weekly worship in the group)

____    Children’s Ministry Coordinator (arranging childcare as needed)

____    Fun Coordinator (planning fun events every month or so)

____    Outreach Organizer

____    Other: ___________________________________________________________

Serving:

Please indicate which of the following you are willing to do either often or occasionally.

Often   Occasional

____         ____   Lead the Icebreaker Question

____         ____   Lead the Bible Discussion

____         ____   Host the meeting or a party

____         ____   Lead the ministry/prayer time

____         ____   Help with the children’s ministry

____         ____   Lead worship

____         ____   Other: _________________________________________________

Your name: ____________________________________________________________

Have people complete this one-page sheet at the group and immediately pass it in. Do not let them take it home. It will get lost and never make its way back to you!

Point out to people that you might not necessarily involve them in they way that they choose because multiple people might choose the same thing, or there might be other considerations.

We have repeatedly found that almost everyone will sign up for something that is appropriate for them and that fits their current passions, gifts, and spiritual maturity.

Because as Ephesians 4 says the body of Christ is healthy and growing as EVERY part does its work. Everyone in your group can be involved and help your group thrive and grow.

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Uma Ferramenta Simples para Engajar Cada Membro do Pequeno Grupo no Ministério

Por Jim Egli, Practical Small Group & Multisite Insights & Free Resources: www.jimegli.com

Há uma ferramenta simples que minha esposa Vicki e eu usamos repetidamente na liderança de pequenos grupos para nos ajudar a envolver cada membro no ministério. Normalmente, depois um grupo estar funcionando há pelo menos 3 semanas, nós passamos uma folha de papel que se parece com isto:

FOLHA DE INSCRIÇÃO PARA O ENVOLVIMENTO NO PEQUENO GRUPO

“Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função” (Efésios 4:16).

Cada pequeno grupo em nossa igreja é como uma família. Juntos, experimentamos o amor de Jesus e o compartilhamos com os outros. Cada pessoa no grupo desempenha um papel importante e o grupo cresce “na medida em que cada parte realiza a sua função”. Queremos que todos sirvam de maneiras que achem agradáveis e gratificantes conforme contribuem para a vida do grupo.

Por favor, indique qualquer forma que você estaria disposto a servir. Não tem problema tentar algo e decidir depois que você não quer mais fazer isso, ou que você gostaria de fazer outra coisa. À medida que o grupo cresce e muda, podemos mudar facilmente os papeis.

Papéis de Coordenação:

____    Líder ou Co-Líder de Pequeno Grupo

____    Aprendiz de Pequeno Grupo (disposto a servir como um assistente em preparação para liderar meu próprio Pequeno Grupo no futuro)

____    Assistente de Pequeno Grupo (disposto a servir como um assistente dos líderes)

____    Coordenador da Refeição

____    Líder de Adoração (organizando semanalmente a adoração do grupo)

____    Coordenador do Ministério Infantil (organizando o cuidado infantil conforme a necessidade)

____    Coordenador da Diversão (planejando eventos divertidos a cada mês)

____    Organizador de Evangelismo

____    Outros: ___________________________________________________________

Servir:

Por favor, indique qual dos seguintes você está disposto a fazer, com frequência ou ocasionalmente.

Com Frequência   Ocasionalmente

____         ____   Liderar a Questão do Quebra-Gelo

____         ____   Liderar a Discussão Bíblica

____         ____   Ser anfitrião da reunião ou de uma festa

____         ____   Liderar o momento de ministração/oração

____         ____   Ajudar no ministério infantil

____         ____   Liderar a adoração

____         ____   Outros: _________________________________________________

Seu nome: ____________________________________________________________

Peça às pessoas que preencham esta folha no grupo e imediatamente a devolvam. Não deixe que a levem para casa. Ela vai ser perdida e nunca mais vai votar para você!

Deixe claro para as pessoas que você pode não necessariamente envolvê-las no que escolheram, porque várias pessoas podem ter escolhido a mesma coisa ou pode haver outras considerações.

Nós descobrimos repetidamente que quase todo mundo vai se inscrever para algo que é apropriado para eles e que se encaixa em suas paixões, dons e maturidade espiritual.

Porque como Efésios 4 diz que o Corpo de Cristo é saudável e cresce à medida que CADA parte faz o seu trabalho. Todos em seu grupo podem ser envolvidos e ajudar seu grupo a prosperar e crescer

Spanish blog:

Una herramienta sencilla para involucrar a cada miembro de un pequeño grupo en el Ministerio

Jim Egli, Prácticos pequeños grupos & Información de grupos & Recursos Gratuitos: www.jimegli.com

Hay una herramienta sencilla que mi esposa Vicki y yo hemos usado repetidamente en dirigir los pequeños grupos para ayudarnos a involucrar a cada miembro en el ministerio. Por lo general, después de que el grupo se ha estado reuniendo por al menos 3 semanas, pasamos un pedazo de papel que se parece a esto:

HOJA DE INSCRIPCIÓN PARA PEQUEÑOS GRUPOS

Bajo su dirección (de Cristo), todo el cuerpo se ajusta perfectamente. Como cada parte hace su trabajo especial, ayuda a las otras partes a crecer, de modo que todo el cuerpo esté sano y creciendo y lleno de amor. “(Efesios 4:16, NLT)

Cada grupo pequeño en nuestra iglesia es como una familia. Juntos experimentamos el amor de Jesús y lo compartimos con otros. Cada persona en el grupo juega un papel importante y el grupo crece “Así cada parte hace su propio trabajo especial” Queremos que cada persona sirva de formas que encuentran agradable y gratificante, ya que contribuyen a la vida del grupo.

Por favor indique cualquier manera que usted estaría dispuesto a servir. Está bien probar algo y decidir más tarde que no quieres hacerlo o que te gustaría hacer otra cosa en su lugar. A medida que el grupo crece y cambia, podemos cambiar fácilmente los roles.

Roles de Coordinación:

____      Líder de Grupo Pequeño o Co-Líder

____      Aprendiz de Grupo Pequeño (dispuesto a servir como asistente en preparación para dirigir su propio Grupo Pequeño en el futuro)

____      Asistente de grupo pequeño (dispuesto a servir como asistente de los líderes)

____      Coordinador de comidas

____      Líder de Adoración (haciendo arreglos para el culto semanal en el grupo)

____      Coordinador del Ministerio de Niños (haciendo arreglos para el cuidado de niños según sea necesario)

____      Coordinador de Diversión (planificación de eventos divertidos cada mes)

____      Organizador de Alcance

____      Otro: ___________________________________________________________

Servicio:

Por favor indique cuál de los siguientes está dispuesto a hacer ya sea a menudo u ocasionalmente.

Frecuentemente              Ocasionales

____                                      ____      Dirigir la pregunta del rompehielos

____                                      ____      Dirigir la discusión de la Biblia

____                                      ____      Organizar la reunión o una fiesta

____                                      ____      Dirigir el ministerio / tiempo de oración

____                                      ____      Ayudar con el ministerio de los niños

____                                      ____      El culto principal

____                                      ____      Otro: _________________________________________________

Tu nombre: ____________________________________________________________

Haga que la gente complete esta hoja en el grupo e inmediatamente pásela. No permita que se la lleven a la casa. Se perderá y nunca volverá a usted.

Señale a la gente que usted no puede necesariamente involucrarlos en la forma que ellos eligen porque varias personas pueden elegir la misma cosa, o puede haber otras consideraciones.

Hemos encontrado repetidamente que casi todo el mundo se inscribirá para algo que es apropiado para ellos y que se ajuste a sus pasiones actuales, los dones y la madurez espiritual.

Así como en Efesios 4 dice que el cuerpo de Cristo es saludable y crece, así como CADA parte hace su trabajo. Todos en su grupo pueden estar involucrados y ayudar a su grupo a crecer y crecer.

Jim