The Basic Pitfall of Youth Cells

mario

by Mario Vega, http://www.elim.org.sv/

According to the 2013-2014 Human Development Report of the United Nations, El Salvador is the country with the highest rate of youth homicide in the world. With an index of 92 murders per 100,000 inhabitants, El Salvador claims more young lives than Colombia, Venezuela, Guatemala, Brazil or any of the other violent countries that you might have read about.

Given this reality, the church in El Salvador must ask itself: What does it mean to be God’s people in a country where the lives of young people are not appreciated at all? What does the God of abundant life expect from his people? No doubt the church should be as concerned as God is about his creatures killing each other. If the gospel is the hope of humanity, then the church should be concerned about rescuing the precious lives of young people.

That is the reason why we at Elim take youth cells seriously and look at them as a matter of life or death. We in El Salvador realize that only the gospel can help a young man draw a line in the sand to follow Jesus rather than joining a violent gang. A serious mistake in youth cell ministry is to promote these cells as a nice hobby or a way to have a fun time. The burning reality of life should drive us to give youth cells the serious attention they deserve.

I do realize that in other countries, the social situation might be different. Yet one thing remains true: youth ministry is a matter of life or death. Deep down, Jesus is only one who can save from hell and grant life eternal. Without Jesus, young people have no hope. This is reason enough to promote youth cells with urgency and passion.

Comments?

Mario

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Os Obstáculos Básicos das Células de Jovens

por Mario Vega, www.elim.org.sv/

De acordo com o Relatório de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas 2013-2014, El Salvador é o pas com o maior número de homicdio entre os jovens do mundo. Com ndice de 92 homicdios por 100,000 habitantes, El Salvador afirma ter mais jovens vivos do que a Colombia, Venezuela, Guatemala, Brasil ou qualquer outra nação violenta que você já tenha lido a respeito.

Dada essa realidade, a igreja em El Salvador deve se perguntar: O que significa ser povo de Deus em uma nação onde as vidas dos jovens não é nenhum pouco valorizada? O que o Deus de vida abundante espera do seu povo? Não há dúvidas que a igreja deveria se preocupar com a sua criação que está se matando da mesma forma que Deus se preocupa. Se o evangelho é a esperança da humanidade, então a igreja deveria se preocupar em resgatar as preciosas vidas desses jovens.

Esta é a razão pela qual nós da Elim levamos as células de jovens tão seriamente e olhamos para eles como uma questão de vida ou morte. Nós em El Salvador percebemos que apenas o evangelho pode ajudar um jovem desenhar uma linha na areia para seguir Jesus ao invés de aderir a uma gangue violenta. Um erro grave no ministério de células de jovens é promover estas células como sendo um passatempo legal ou uma maneira de se divertir. Esta realidade incediante da vida deve nos conduzir para dar às células de jovens a devida atenção que elas merecem.

Eu reconheço que em outros pases a situação social pode ser diferente. No entanto, uma coisa é verdade: o ministério de jovens é uma questão de vida ou morte. Bem lá no fundo, Jesus é o único que pode salvar do inferno e conceder a vida eterna. Sem Jesus, os jovens não têm esperança. Isto é motivo suficiente para promover células de jovens com urgência e paixão.

Comentários?

Mario

Spanish blog:

El error básico del trabajo con células juveniles

por Mario Vega

De acuerdo con el Informe de Desarrollo Humano 2013-2014 de la Organización de las Naciones Unidas, El Salvador es el pas con la tasa de homicidio juvenil más alta del planeta. Con un ndice de 92 asesinatos por cada 100,000 habitantes El Salvador cobra más vidas de jóvenes por arriba de Colombia, Venezuela, Guatemala, Brasil y los demás pases violentos.

Ante tal realidad, la iglesia en El Salvador se pregunta: ¿Qué significa ser pueblo de Dios en un pas donde la vida de los jóvenes no se aprecia en nada? ¿Qué espera de su pueblo el Dios de la vida en abundancia? Sin duda que a la iglesia debe preocuparle tanto como a Dios le preocupa el que sus criaturas se destruyan entre s. Si el evangelio es la esperanza de la humanidad, entonces la iglesia debe lanzarse al rescate de las valiosas vidas de los jóvenes.

Esa es la razón por la que en nuestro caso, el trabajo con las células juveniles toma un carácter de vida o muerte. Solo el evangelio puede trazar el lmite para que un joven se integre o no en una pandilla violenta. Un grave error en el trabajo con células juveniles sera tomarlo como un pasatiempo o como una manera de juego. La quemante realidad no da lugar a tomar las cosas sin la seriedad que amerita.

En otros pases, la situación social es diferente o muy diferente. Pero, algo sigue siendo verdad: es un asunto de vida o muerte. En el fondo, Jesús es quien establece la diferencia entre vida y muerte. Sin él los jóvenes no tienen esperanza. Suficiente motivo para que se haga el trabajo de las células juveniles con urgencia y pasión.

Mario

Leave a Reply

Your email address will not be published.