When Less is Better

freddy

by Freddy Noble

Many churches and pastors sustain the wrong idea that if they have a lot of activities in their calendars, that is an indication of progress.  Very often churches fill their calendars with programs and activities for everyone. The reality, however, is that lots of activities are not an indication of progress.  You could be very active in a treadmill but not going anywhere.  That happens very frequently with churches that have a lot of programs but little development.

One of the most important keys in the cell church is to understand that the cells are the ministry of the church, not a ministry of it.  That is to say, the cells are the core of everything that the church does.  The functions of the church are fulfilled through the life of the cells and of course, of the congregation united in celebration.

That implies that we have to lighten the load of endless meetings and unproductive activities.  The Pastor and the church should prioritize the cells, the participation of the members in cells, and then preparing them to minister.

To do this effectively, we need to make modifications and changes.  The church and the pastor should be  able to eliminate or decrease everything that competes in time, budget, and personal with the development of cell ministry in the church. This means that many church activities could be channeled through, for example, Sunday activities or could be  functioning through the cells.

I asked the pastor of a prosperous cell church in New Jersey if he had the traditional “prayer meeting” (usually more Bible study than prayer) and his answer  was no.  The reason is that  the members gathered in cells to participate in prayer. Obviously, a church will need ministries as support  for the work of the celebration and more others.  However, the principle should be to give priority to cell life. The pastor should resist the pressures, discard ineffective traditions, have the courage to put aside  the idea of â€œWe Have Always Done So” and learn to say no to the multiple suggestions of programs and activities in order to focus his work on the task of evangelism, fellowship and edification that are carried out through the cells.

That could make the difference between effectiveness or the lack of it.  Then, less can be converted into better.

Comments?

Freddy

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quando Menos é Melhor

por Freddy Noble

Muitas igrejas e pastores sustentam a errônea ideia de que se eles tiverem uma gama muito grande de atividades nos seus calendários, isto indicará progresso. Muito frequentemente as igrejas enchem seus calendários com programas e atividades para todos. A realidade, entretanto, é que muitas atividades não são indicadores de sucesso. Você pode ser muito ativo numa esteira, mas não está indo a lugar algum. Isto acontece muito frequentemente com igrejas que têm muitos programas mas pouco investimento.

Um dos fatores mais imporantes na igreja em células é entender que as células são ministérios da igreja, não um ministério em si mesmo. Dizendo-se isso, as células são o núcleo de tudo que a igreja faz. As funções da igreja são alcançadas através da vida das células e, é claro, da congregação unida em celebração.

Isto implica que nós temos que suavizar o grande número de reuniões intermináveis e atividades não produtivas. O Pastor e a igreja devem priorizar as células, a participação dos membros nas células e então prepará-los para o ministério.

Para fazer isso efetivamente, precisamos passar por alterações e mudanças. A igreja e o pastor devem ser capazes de eliminar ou diminuir tudo que venha competir com tempo, orçamento e pessoal com o desenvolvimento do ministério das células na igreja. Isto significa que muitas atividades da igreja podem ser canalizadas para, por exemplo, atividades dominicais ou podem funcionar através das células.

Eu perguntei a um pastor próspero em igrejas em células em Nova Jersey se eles tinham os tradicionais “encontros de oração” (geralmente mais estudo bblico do que oração) e a resposta dele foi não. O motivo é que os membros se unem nas células para participar de orações. Obviamente a igreja necessitará de ministérios como apoio para o trabalho de celebração e alguns outros. Entretanto, o princpio deve ser o de dar prioridade à vida da célula. O pastor deve resistir às pressões, descartar as tradições ineficazes, ter a coragem de colocar de lado a ideia de “Sempre fizemos dessa forma” e aprender a dizer não às múltiplas sugestões de programas e atividades para focar seu trabalho na tarefa de evangelismo, amizade e edificação que são cumpridas através das células.

Isto pode ser a diferença entre a eficiência ou a falta dela. Então, menos pode ser transformado em melhor.

Comentários?

Freddy

Spanish blog:

Cuando Menos Es Mejor

Por Freddy Noble

Muchas iglesias y pastores sustentan la idea equivocada de que si tienen muchas actividades en su calendario eso es indicación de progreso. Muy a menudo las iglesias llenan sus calendarios de programas y actividades para todos los gustos .De hecho hay quienes abogan por e so.

Sin embargo, mucho movimiento, no es necesariamente señal de progreso. Ud puede estar muy activo en una caminadora estática, pero no va a ninguna parte. Eso ocurre a menudo con las iglesias que tienen muchos programas pero poco desarrollo.

Una de las claves importantes en la iglesia celular es entender que las células son el ministerio de la iglesia, no un ministerio de esta. Es decir, las células están en el núcleo del todo lo que la iglesia hace .Las funciones de la iglesia se cumplen a través de la vida de las células y por supuesto de la congregación reunida en celebración.

Eso implica que hay que aligerar la carga de reuniones interminables y de actividades poco productivas. El pastor y la iglesia deben darle prioridad a la vida de las células, la participación de los hermanos en ellas y el ministrar a través de ellas. Por lo tanto, hay que hacer modificaciones y cambios.

La iglesia y el pastor deben estar dispuestos a eliminar o por lo menos, minimizar todo aquello que compita en tiempo, presupuesto y personal con el desarrollo de la vida celular en la iglesia. Eso significa que muchas de las actividades de la iglesia, deben ser canalizadas, a través, por ejemplo, de las actividades dominicales, o pueden funcionar mediante las mismas células.

Pregunte a un pastor de una prospera iglesia celular en el área de New Jersey si tena cultos de oración entre semana y me contesto que no.La razón es que los hermanos reunidos en las células participan en la oración comunitaria. Ese puede no ser el caso de todas las iglesias pero es un buen ejemplo de “economa de tiempo”.

Obviamente, una iglesia necesitara ministerios de apoyo para las labores de celebración, y otras más. Sin embargo, el principio debe ser dar prioridad a la vida de la célula. El pastor debe resistir las presiones, desprenderse de tradiciones poco efectivas, tener el valor de dejar de lado la idea de que “siempre lo hemos hecho as” y aprender a decir que no a las múltiples sugerencias de actividades y programas, para enfocar su labor en las tareas de evangelización, compañerismo y edificación que se llevan a cabo mediante las células. Eso puede hacer la diferencia entre la efectividad y la falta de esta. Entonces menos se puede convertir en mejor.

Freddy

Leave a Reply

Your email address will not be published.