Why be cell-based?

steveWhy be cell-based?

by Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Our methodology is shaped by our theology. What we do is based on what we believe.

If cell groups are going to be the base of a church, it will be because making disciple-makers is the leadership’s central goal and commitment.

In making the transition to a cell-based ministry model, it is easy to get preoccupied with structures (the “how”) and overlook the theological foundations (the “why”). For example, it is easy to focus on making cells the base of the church by eliminating other programs and activities. But unless there is a clear and widespread commitment to the goal of making disciple-makers, this generally fails.

One of the reasons cell-based ministry doesn’t come naturally to the U.S. church is that we have a fundamentally different assumption about ministry. All of our models assume that a successful church has a lot of people attending weekend worship and believing in Jesus. The assumption is that this happens as irreligious people attend and get involved with the church. In other words, it is the church’s activity that makes disciples, and the people support the church’s mission. Thus, equipping the saints for ministry means helping them use their spiritual gifts in the multitude of ministries which will result in more disciples.

In contrast, the target of the cell-based church is to make irreligious people into disciples who make disciples. It isn’t “the church” that makes disciples, it is the disciples themselves who do so. The leadership doesn’t see the believers as cogs in the disciple-making system of the church, they see the believers as the “system” itself.

If our goal is to make disciple-makers, and if we believe that it is not systems but disciples who make disciples, then it will be natural to focus our energies and resources on the essential relational disciple-making environment: “the cell”. We won’t call people to numerous other ministries – only those which promote the development of disciple-makers who lead cells. We won’t have battles about which ministries to support.

What does your church’s current structure reveal about what you believe?

Steve

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Porque basear-se em células?

por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Nossa metodologia é moldada pela nossa teologia. O que fazemos é baseado no que cremos.

Se as células serão a base da igreja, isso se dará porque fazer discpulos fazedores de discpulos é o objetivo e compromisso central da liderança.

Ao fazer a transição para um ministério baseado em células, é fácil preocupar-se com as estruturas (o “que”) e negligenciar a fundação teológica (o “porque”). Por exemplo, é fácil focar no fazer das células a base da igreja eliminando outros programas e atividades. Mas a não ser que haja um comprometimento claro e bem difundido do objetivo de fazer discpulos fazedores de discculos, isto geralmente falha.

Uma das razões do ministério baseado em células não crescer naturalmente na igreja dos EUA é que nós temos fundamentalmente diferentes suposições sobre o ministério. Todos os nossos modelos assumem que uma igreja de sucesso tem muitas pessoas participando da adoração semanalmente e crendo em Jesus. Em outras palavras, são as atividades da igreja que faz os discpulos, e as pessoas apoiam a missão da igreja. Deste modo, equipar os santos para o ministério significa ajudá-los a usar seus dons espirituais na multidão de ministérios que resultarão em mais discpulos.

Em contrapartida, o alvo da igreja baseada em célula é tornar pessoas sem religião em discpulos que fazem discpulos. Não é “a igreja” que faz discpulos, são os próprios discpulos que o fazem. A liderança não vê os crentes como engrenagens no sistema de fazedores de discpulos da igreja, Eles veem os discpulos como o próprio “sistema”.

Se nosso objetivo é fazer fazedores de discpulos, e nós cremos que isto não é o sistema mas os discpulos que fazem discpulos, então será natural focarmos nossas energias e recursos na essência do ambiente de relacionamento de fazedores de discpulos: “A célula”. Não chamaremos as pessoas para outros numerosos ministérios – apenas aqueles que desenvolveram o fazedores de discpulos que lideram células. Não teremos batalhas ao respeito de qual ministério apoiar.

O que a atual estrutura da sua igreja revela sobre o que você acredita?

Steve

Spanish blog:

¿Por qué basarse en células?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Nuestra metodologa está determinada por nuestra teologa. Lo que hacemos es la base de lo que creemos.

Si los grupos celulares van a ser la base de una iglesia, será porque hacer hacedores de discpulos es la meta y el compromiso central del liderazgo.

Al hacer la transición a un modelo de ministerio basado en células, es fácil de conseguir preocupaciones con estructuras (el “cómo”) y pasar por alto los fundamentos teológicos (el “por qué “). Por ejemplo, es fácil concentrarse en hacer células con la base de la iglesia mediante la eliminación de otros programas y actividades. Pero a menos que haya un compromiso claro y generalizado a la meta de hacer discpulos que hacen discpulos, esto generalmente falla.

Una de las razones por las cuales el ministerio basado en células no viene naturalmente a la Iglesia americana porque tenemos fundamentalmente diferentes suposiciones  acerca del ministerio. Todos nuestros modelos suponen que toda iglesia exitosa tiene una gran cantidad de personas que asisten a la adoración del fin de semana y que creen en Jesús. La suposición es que esto sucede cuando la gente no religiosa asista y se involucre con la iglesia. En otras palabras, es la actividad de la iglesia que hace discpulos y el pueblo que apoya la misión de la iglesia. Por lo tanto, equipar a los santos para el ministerio significa ayudarlos a utilizar sus dones espirituales en la multitud de los ministerios que dará como resultado más discpulos.

Por el contrario, el objetivo de la iglesia basada en células es transformar a la gente no religiosa en discpulos que hacen discpulos. No es “la iglesia” que hace discpulos, son los propios discpulos que lo hacen. El liderazgo no ve a los creyentes como engranajes en el sistema de hacer discpulos para la iglesia, ven a los creyentes como el “sistema” en s mismo.

Si nuestro objetivo es hacer hacedores de discpulos, y si creemos que no se trata de sistemas sino discpulos que hacen discpulos, entonces será natural enfocar nuestras energas y recursos en el entorno esencial de hacer discpulos relacionales: “la célula”. No vamos a llamar a la gente a muchos otros ministerios – sólo aquellos que promueven el desarrollo de los hacedores de discpulos dirigen las células. No vamos a tener batallas sobre cual ministerio vamos apoyar.

¿Cuál revela la estructura actual de su iglesia sobre lo que usted cree?

Steve

Leave a Reply

Your email address will not be published.