One, Two, Three – GO!

ralph

(Part One)

by Ralph Neighbour

Wikipedia defines numerology as “any belief in the purported divine, mystical . . . relationship between a number and some coinciding events.”
Adam needed Eve, so the number “two” became connected with having a “suitable helper” (Hebrew ezer). And together, the two were able to produce “baby” – and now we have the significance of three.

God divided Israel into 12 tribes and the Israelites were divided into groups of 10 for Passover celebrations. There are 144,000 in Revelation 7:4 and in Revelation 7:9 “a great multitude that no one can count.”

We have a tendency in the cell world to be enamored by the number 12 or 2. Some have deified them as the perfect number causing growth. One Brazilian pastor even replaced the Cross on the front of the sanctuary with the High Priest’s breastplate containing 12 stones, the “sacred” number.

Can we agree that any number, in the proper setting, is the “right” number, but to give prominence to any number may be to breed one more passing fad?

ONE, — When Paul prayed for direction in Acts 16:9, he was alone. There are times when One is the intimate way to meet God.

TWO, –When Jesus sent the disciples and the seventy to penetrate the lost, He sent them in Twos.

THREE, –He defined His Presence as becoming a part of Two or Three “gathered in His name.”

TWELVE –His prototype for His new body was the calling of the Twelve, but He chose Three of them to be closest to Himself.

120 –He entered 120 at Pentecost and they quickly multiplied to 3,000 who went in small groups from house to house.

Let’s sublimate our passion for numbers with proper settings!

The setting sets the number. Mentoring often takes place one on one: that involves Two.

But there is greater power in groups of Three because community now exists. People first experience intimate community in a triad.

Community begins with Three and ends with Twelve. Why? Because of this formula: N x N –N = CL (Number of people, times number of people, minus number of people, equals communication lines). After 132 “CL’s” you enter into public gatherings mode where intimacy is impossible.

I writhe in agony when some pastor brags to me about his groups who he has allowed to grow to 25 or 45. Through ignorance, he has destroyed the value of his home cells!

The proper setting for intimacy with God is “One” person in the closet.

The proper setting for working with unbelievers is to send “Twos” into households, to live among the family and find the “Man of Peace.”

The proper setting for mentoring, as Jesus said, is in “Two or Three” with Him making the Fourth person.

The proper setting for a Cell is a gathering of three to twelve.

Comments?

Ralph

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Um, Dois, Três – JÁ! (Parte Um)

por Ralph Neighbour

[Eu, Joel Comiskey, quero me desculpar por apresentar erroneamente Ralph na sua visão do discipulado um a um no meu último boletim informative. Agora percebi que Ralph acredita que o discipulado deve ser feito em grupos de três como ele explicará neste blog e no seguinte.]

Wikipedia define numerologia como “qualquer crença em suposta divindade, mstica… relacionamento entre um número e alguns eventos coincidentes”.
Adão precisava de Eva, então o número “dois” se conectou a ter um “ajudador adequado” (Hebreu ezer). E juntos, os dois foram capazer de produzir um “bebê” – e agora temos o significado de três.

Deus dividiu Israel em 12 tribos e os Israelitas foram divididos em grupos de 10 para comemorarem a Páscoa. Existem 144,000 em Apocalipse 7:4 e em Apocalipse 7:9 “uma grande multidão que ninguém pode contar”.

Tendemos no mundo da célula de nos apaixonarmos pelos números 12 ou 2. Alguns os têm divinificado como o número perfeito para gerar crescimento. Um pastor Brasileiro até substituiu a Cruz na frente do santuário com a couraça do sumo sacerdote contendo 12 pedras, o número “sagrado”.

Podemos concordar que qualquer número, ajustado apropriadamente, é o número “correto”, mas dar notoriedade a qualquer número não pode ser o sinal de mais um modismo passageiro?

UM – Quando Paulo orou por direcionamento em Atos 16:9, ele estava sozinho. Existem momentos em que UM é o modo mais ntimo de se encontrar com Deus.

DOIS – Quando Jesus enviou os discpulos e os setenta para alcançar os perdidos, Ele os enviou em grupos de DOIS.

TRÊS – Ele definiu Sua Presença como sendo a parte de Dois ou TRÊS “reunidos em Seu nome”.

DOZE – Seu protótipo para Seu novo corpo era o chamado dos Doze, mas Ele escolheu Três deles para estarem mais perto Dele.

120 – Ele entrou com 120 no dia de Pentencostes e rapidamente multiplicou para 3000 aqueles que foram em grupos pequenos de casa em casa.

Vamos sublimar a nossa paixão por números como uma fixação apropriada!

As definições definem os numerous. Mentorear geralmente ocorre um a um: isto envolve DOIS.

Mas há maior poder em grupos de TRÊS porque a comunhão existe agora. As pessoas primeiro experienciam comunhão ntima com os grupos de três.

Comunhão inicia com TRÊS e termina com DOZE. Porque? Por causa desta equação: N x N- N = LC (número de pessoas vezes número de pessoas menos número de pessoas dá linhas de comunicação). Depois de 132 “LC’s” você adentra em modo de grandes reuniões onde a intimidade é impossvel.

Me contorco em agonia quando alguns pastores vangloriam-se a mim sobre os grupos que eles permitiram crescer com 25 ou 45. Pela ignorância, ele destruiu os valores da sua célula!

A configuração apropriada para intimidade com Deus é de “uma “ perto de você.

A configuração apropriada para se trabalar com os incrédulos é de enviar “DOIS” às casas, viver entre as famlias e encontrar o “Homem de Paz”.

A configuração apropriada para mentorear, como Jesus disse,é de “DOIS ou TRÊS” com ele fazendo sendo a Quarta pessoa.

A configuração apropriada para uma célula é uma reunião de três a doze.

Comentários?

Ralph

Spanish blog:

Uno, dos, tres – ¡Vamos! (Primera parte)
Por Ralph Neighbour

Wikipedia define la numerologa como "cualquier creencia en la supuesta divina, mstica. . . relación entre un número y algunos eventos coincidentes".

Adán necesitaba de Eva, por lo que el número "dos" se conectó con tener una "ayuda idónea" (hebreo ezer). Y juntos, los dos fueron capaces de producir un "bebé" – y ahora tenemos el significado de tres.

Dios dividió a Israel en 12 tribus y los israelitas fueron divididos en grupos de 10 para las celebraciones de la Pascua. Hay 144,000 en Apocalipsis 7:4 y en Apocalipsis 7:9 "una gran multitud que nadie puede contar."

Tenemos una tendencia en el mundo celular de estar enamorado del número 12 o 2. Algunos los han deificado como el número perfecto causando crecimiento. Un pastor brasileño incluso sustituyó la cruz en la frente del santuario con el pectoral del Sumo Sacerdote que contiene 12 piedras, el número "sagrado".

¿Podemos estar de acuerdo que cualquier número, en la posición correcta, es el número "correcto", pero para dar prominencia a cualquier número debemos criar una moda más pasajera?

Uno,- Cuando Pablo oró por dirección en Hechos 16:9, él estaba solo. Hay momentos en que uno es el camino ntimo para encontrarse con Dios.

Dos,- Cuando Jesús envió a los discpulos y los setenta para penetrar a los perdidos, los envió de dos en dos.

Tres,- Definió su presencia en donde dos o tres estén "reunidos en Su nombre".

Doce,- Su prototipo de su nuevo cuerpo era la vocación de los Doce, pero Él escogió a tres de ellos a ser los más cercanos a s mismo.

120- Él entró en 120 en el Pentecostés y ellos rápidamente se multiplicaron en 3,000 que fueron grupos pequeños de casa en casa.

Vamos a sublimar nuestra pasión por los números con los ajustes adecuados.

La configuración establece la cantidad. El aconsejar a menudo se lleva a cabo de uno a uno: esto involucra a dos.

Pero hay mayor poder en grupos de tres, porque existe la comunidad. Las personas experimentan primera comunidad ntima de una trada.

La comunidad comienza con tres y termina con Doce. ¿Por qué? Por esta fórmula: N x N -N=CL (Número de personas, multiplicado por el número de personas, menos número de personas, es igual a las lneas de comunicación). Después de 132 "CL" ya entras a reuniones públicas donde la intimidad es imposible.

Me retuerzo de dolor cuando algún pastor se jacta conmigo diciéndome que a permitido crecer a sus grupos de 25 o 45. A través de la ignorancia, ha destruido el valor de origen de sus células.

El ajuste adecuado para la intimidad con Dios es "Una" sola persona.

La configuración adecuada para trabajar con los inconversos es de "dos en dos" en las casas, para vivir entre la familia y encontrar el "Hombre de Paz".

El ajuste adecuado para el asesoramiento, como los dijo Jesús, se encuentra en "dos o tres" con Él como la cuarta persona.

La configuración adecuada para una reunión celular es de tres a doce.

¿Comentarios?

Ralph

Leave a Reply

Your email address will not be published.