Discipleship Begins Inside the Cell (part 1)

ralph

by Ralph Neighbour

Paul instructs Timothy, “And the things you have heard me say in the presence of many witnesses entrust to reliable people who will also be qualified to teach others.”

It is obvious that this refers to a small group situation. It also infers that Paul focused what he was saying to Timothy not in a one to one mentoring, but in a group setting.

While coaching is often considered rightly to be a one-on-one, it can also happen in a cell group setting. There are many impact moments in coaching that require cell coaching.

This is the reason I strongly endorse the use of the triad as an element of coaching. I John 2:12-14 introduces coaching at the most basic level of discipleship. A new believer has been “fathered” and begins the one-on-one coaching process. The one who “fathers” will meet with the “child” until he has become a “young man” who has learned how to overcome the evil one. The coaching then turns to assisting this “young man” to be a “father” by exposing him to encounters where a seeking person receives Christ. At that time, the father coaches the young man to coach the child.

As this becomes a culture, every ligament of the body becomes supportive. Coaching is no longer a skill to be learned and appropriated among only the mature leadership. It is an integral part of the life of Christ’s body, where no one looks only after their own interests, but also the interest of others.

The best coaching patterns begin where observation precedes explanation. So it is that Paul tells Timothy, “You observed what I did. Now copy my example.” If we would install that in every cell group by the addition of triads, coaching would not become a professional-level skill but rather a lifestyle.

Try it – you’ll like it!

Ralph

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Discipulado Começa Dentro da Célula (parte 1)

por Ralph Neighbour

Paulo instrui Timóteo, “E as coisas que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar a outros.”

É óbvio que isso se refere a uma situação de pequeno grupo. Isso também infere que Paulo focou o que estava dizendo a Timóteo não em uma tutoria de um a um, mas em um ambiente de grupo.

Enquanto o treinamento com frequência é considerado ser realizado corretamente de um-a-um, ele também pode acontecer em um ambiente de grupo de célula. Existem muitos momentos impactantes no treinamento que exige treinamento celular.

É por essa razão que eu endosso fortemente o uso da trade como um elemento de treinamento. IJoão 2:12-14 introduz o treinamento no nvel mais básico de discipulado. Um novo crente foi “concebido” e inicia o processo de treinamento um-a-um. Aquele que “concebeu” vai se reunir com a “criança” até que ele se torne um “jovem” que aprendeu a derrotar o maligno. O treinamento então retorna para auxiliar este “jovem” a ser um “pai”, expondo-o a encontros onde uma pessoa que busca recebe a Cristo. Neste momento, o pai treina o jovem a treinar a criança.

Conforme isso se torna uma cultura, todo ligamento do corpo torna-se um apoio. O treinamento não é mais uma habilidade a ser aprendida e apropriada apenas entre a liderança madura. É uma parte integral da vida do corpo de Cristo, onde ninguém busca apenas pelo seu próprio interesse, mas também pelo interesse dos outros.

O melhor padrão de treinamento começa onde a observação precede a explicação. Então é isso que Paulo diz a Timóteo, “Você observou o que eu fiz. Agora copie meu exemplo.” Se nós instalássemos isso em todo grupo de célula pela adição de trades, treinamento não se tornaria uma habilidade de nvel profissional, mas sim um estilo de vida.

Tente isso Рvoc̻ vai gostar!

Ralph

Spanish blog:

El discipulado comienza en la célula (parte 1)

Por Ralph Neighbour

Pablo instruye a Timoteo: “Y lo que has odo de mi ante muchos testigos, esto encarga a hombres fieles que sean idóneos para enseñar a otros. 2 Timoteo 2:2”

Es obvio que esto se refiere a una situación de un pequeño grupo. También se infiere que Pablo se enfocó en lo que estaba diciendo a Timoteo no en una tutora de uno a uno, pero en un ambiente de grupo.

Cuando se entrena es considerado a menudo el uno a uno, también puede ocurrir en un grupo celular. Hay muchos momentos de impacto en el entrenamiento que requieren entrenamiento celular.

Esta es la razón por la que adhiero firmemente el uso de la trada como elemento de entrenamiento.     1 Juan 2:12-14 presenta el entrenamiento en el nivel más básico del discipulado. Un nuevo creyente ha sido “engendrado” y comienza el proceso de entrenamiento de uno a uno. El que “lo engendro” se reunirán con el “niño” hasta que él se haya convertido en un “joven” que ha aprendido a superar el maligno. El entrenador luego se vuelve a ayudar a este “joven” para ser un “padre” al exponerlo a los encuentros que una persona está buscando al recibir a Cristo. En ese momento, el padre entrena al joven para entrenar al niño.

Como esto se convierte en una cultura, todas las coyunturas de su cuerpo llegan a ser de apoyo. El entrenamiento no es más una habilidad que hay que aprender y se ha apropiado entre sólo en el liderazgo maduro. Es una parte integral de la vida del cuerpo de Cristo, donde nadie mira sólo por sus propios intereses, sino también los intereses de los demás.

Los mejores patrones de entrenamiento comienzan cuando la observación precede a una explicación. As es lo que Pablo le dice a Timoteo: “Tú observaste lo que hice. Ahora copia mi ejemplo”. Si lo queremos instalar en cada grupo celular mediante la adición de las tradas, el entrenamiento no se convertira en una habilidad de nivel profesional, sino más bien una forma de vida.

Pru̩balo Рte va a gustar.

Ralph

Leave a Reply

Your email address will not be published.