Why Before How

bill

by Bill Mellinger, Crestline First Baptist Church, http://www.crestlinefbc.com/

When we started our transition from a program-based model for ministry to a cell model, I did not use the term cell. There were a number of reasons for this including the fact that some in the church had a negative view of cells because of some previous experience. Frankly, they did not like “how” things had been done and so they were opposed to cells. Others were afraid that the pastor would know too much about their personal lives if they shared in a cell. Some thought the word cell had a negative connotation due to the formation of terrorist cells and the fear of them following the attack of the Trade Center and the Pentagon on 9-11.

Instead of talking about cells, we talked about becoming a “relational church that is sold out for Jesus.” “How” we do things is important. We need to act out of love, as 1 Corinthians makes pretty clear. Love is also the basis of our “why” we do things. Isn’t the answer to “why” more important than “how”?

I want our church to be a “relational church.” I want the people to grow in their relationship with God while building relationships with one another and with people in their Oikos who do not have a personal relationship with Christ. I don’t want us to be sold out to a program. Instead I want us to be sold out to Jesus Christ and His mission to make disciples of all people. Why? We were created as relational beings, meant to have a relationship with God and to have healthy relationships with one another. Isn’t this the summary of the Law: love God and love your neighbor?

Strategies can change and probably should, but the reason we do things probably does not change. When I came to this church, I told them that they might disagree with how I do things because I am imperfect. But more important is the “why” I do something. The answer to why is about purpose. It is about mission.

Why are you a follower of Jesus Christ? Why do you do ministry the way you do? Your answer will definitely influence “how” you live and minister. I am trying to become like Jesus Christ and I want the people around me to know Jesus too. I am driven by my relationship with Jesus and my desire to do His will. This is why I want our church to be a relational church that is sold out for Jesus.

This past week, a man from my Oikos dropped in to ask for prayer. He told the people with me that he “feels something special when I pray.” I was able to tell him that what he feels is Jesus Christ in me. I want him to know “why” I am the person I am. He is one of the reasons “why” I do cell ministry.

Comments?

Bill

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

“Por que” Antes de “Como”

Bill Mellinger

Quando nós começamos nossa transição de um modelo baseado em um programa para o ministério a um modelo celular, eu não usei o termo célula. Existia um número de razões para isso, incluindo o fato de que algumas pessoas na igreja tinham uma visão negativa das células devido às suas experiências anteriores. Francamente, eles não gostavam “como” as coisas foram feitas e então eles eram contrários às células. Outros tinham medo de que o pastor soubesse muito sobre suas vidas pessoais se eles as compartilhassem em uma célula. Alguns pensavam que a palavra “célula” tinha uma conotação negativa devido à formação de células terroristas e o medo delas após o ataque do Trade Center e do Pentágono em 11/09/2001.

Em vez de falar sobre as células, nós conversamos sobre como se tornar uma “igreja relacional que é totalmente comprometida com Jesus”. “Como” nós fazemos as coisas é importante. Nós precisamos agir com amor, como 1 Corntios deixa muito claro. O amor é também a base de “por que” nós fazemos as coisas. A resposta ao “por que” não é mais importante que a de “como”?

Eu quero que nossa igreja seja uma “igreja relacional”. Eu quero que as pessoas cresçam em seu relacionamento com Deus enquanto constroem relacionamentos uns com os outros e com as pessoas em suas Oikos que não têm um relacionamento pessoal com Cristo. Eu não quero que sejamos comprometidos com um programa. Em vez disso, eu quero que sejamos comprometidos com Jesus Cristo e com Sua missão de fazer discpulos de todas as nações. Por que? Nós fomos criados como seres relacionais, destinados a ter um relacionamento com Deus e a ter relacionamentos saudáveis uns com os outros. Este não é o resumo da Lei: amar a Deus e amar o próximo?

As estratégias podem mudar e provavelmente vão, mas a razão pela qual fazemos as coisas provavelmente não muda. Quando eu vim a essa igreja, eu lhes disse que eles poderiam discordar de como eu faço as coisas porque eu sou imperfeito. Mas mais importante é o porquê de eu fazer algo. A resposta ao “por que” está relacionada a propósito. Está relacionada a missão.

Por que você é um seguidor de Jesus Cristo? Por que você faz o seu ministério dessa forma? Sua resposta definitivamente vai influenciar “como” você vive e ministra. Eu estou tentando me tornar como Jesus Cristo e eu quero que as pessoas ao meu redor conheçam Jesus também. Eu sou guiado pelo meu relacionamento com Jesus e meu desejo de fazer a Sua vontade. É por essa razão que eu quero que nossa igreja seja uma igreja relacional comprometida com Jesus.

Na semana passada, um homem da minha Oikos apareceu para pedir por oração. Ele disse às pessoas comigo que ele “sente algo especial quando eu oro”. Eu pude lhe dizer que o que ele sente é Jesus Cristo em mim. Eu quero que ele saiba “por que” eu sou essa pessoa. Ele é uma das razões “por que” eu faço o ministério celular.

Comentários?

Bill

Spanish blog:

¿Por qué? Antes de ¿Cómo?

Bill Mellinger

Cuando comenzamos nuestra transición de un modelo basado en programas para ministerios a un modelo celular, no utilicé el término célula. Hubo una serie de razones para esto, incluyendo el hecho de que algunos en la iglesia tenan una visión negativa de las células debido a alguna experiencia previa. Francamente, no les gustaba “cómo” se haban hecho las cosas por lo que se oponan a las células. Otros tenan miedo de que el pastor llegara a conocer demasiado sobre sus vidas personales si compartan en una célula. Algunos pensaban que la palabra célula tena una connotación negativa debido a la formación de células terroristas y el temor de ellos tras el atentado de las Torres Gemelas y el Pentágono el 11 de septiembre.

En vez de hablar sobre células, hablamos acerca de convertirnos en una “iglesia relacional que se entrega por Jesús”. “Cómo” hacemos las cosas es importante. Tenemos que demostrar con hechos nuestro amor, como lo establece claramente 1 Corintios. El amor es también la base de “por qué” hacemos las cosas. ¿No es la respuesta al “por qué” más importante que la de “cómo”?

Quiero que nuestra iglesia sea una “iglesia relacional”. Quiero que la gente a crezca en su relación con Dios, mientras construye relaciones con los demás y con la gente en sus Oikos que no tienen una relación personal con Cristo. No quiero que nos vendamos a un programa. En lugar de eso quiero que nos vendamos a Jesús Cristo y su misión de hacer discpulos a todas las personas. ¿Por qué?  Porque hemos sido creados como seres relacionales, con la intención de tener relaciones sanas con los demás y con Dios. ¿No es este el resumen de la Ley: amar a Dios y amar al prójimo?

Las estrategias pueden cambiar y probablemente deberan, pero la razón por la que hacemos las cosas probablemente no cambiará. Cuando vine a esta iglesia, les dije que probablemente no estaran de acuerdo con la forma en que hago las cosas porque yo soy imperfecto. Pero lo más importante es el “por qué” hago algo. La respuesta al por qué trata sobre el propósito. Trata de la misión.

¿Por qué eres seguidor de Jesucristo? ¿Por qué haces ministerio como lo haces? Tu respuesta sin duda influirá en  “cómo” vives y ministras. Estoy tratando de llegar a ser como Jesucristo y quiero que las personas a mi alrededor conozcan a Jesús también. Mi motivación es mi relación con Jesús y mi deseo de hacer su voluntad. Esta es la razón por la que quiero que nuestra iglesia sea una iglesia relacional que se entregue por Jesús.

La semana pasada, un hombre de mi Oikos vino a pedir oración. Le dijo a la gente que está conmigo que él “siente algo especial cuando oro”. Tuve la oportunidad de decirle que lo que siente es a Jesucristo en m. Yo quiero que sepa “por qué” soy la persona que soy. Él es una de las razones del “por qué” yo hago ministerio celular.

¿Comentarios?

Bill

1 thought on “Why Before How

  • Doris writes:

    Dear Mr. Mellinger,

    Part of your correspondance pleases me, the other bothers me.

    I like the way you don’t let the “hows” dictate.

    I’ve heard it said, “It’s the motivation that matters,” I believe that MOTIVATION matters. I don’t think it matters what it is. I just

    wamt to be motivated to do the Lord’s will.

    Thank you,

    Your sister,

    Doris

Leave a Reply

Your email address will not be published.