Connecting People from Celebration to Cell (part 1)

joel

by Joel Comiskey

Sometimes pastors fail. I heard about one church in the U.S. whose pastor committed adultery. The church was devastated. Large numbers left and many were deeply hurt and offended. The associate pastor told me that he observed an interesting phenomenon. Those who stayed and weathered the storm were those who faithfully attended a cell group. Why? Because those involved with a home cell group were already pastored, fed, and ministered to. They had a community of believers with whom they shared life, and they didn’t depend on the lead pastor to personally shepherd them.

Let’s face it, milling around and talking to people after the sermon simply does not provide deep fellowship that the N.T. talks about (koinonia). Going to a baseball game with a large group from the church doesn’t either. The reality is that those who only attend celebration are only experiencing half of the church. I’ve also noticed that Sunday-only people are normally the ones who hop to another church when they don’t agree with the pastor’s preaching, the type of worship service, or the lack of a favorite program.

Thus, a key goal in the cell church is to make sure those attending the larger gathering are also intimately involved in a cell group. So what can we do to connect these people to the cell? We talked last week about how the lead pastor’s cell involvement and passion is critical in getting others involved. The pastor also needs to continually teach the biblical base for cell ministry so that the people know "why" they should be involved in a cell. We also mentioned last week that cell participation is critical among the key leaders of the church (e.g., elders, staff, those in ministry, etc.). So what else can be done?

The phrase that comes to my mind is "create a desire." One of the best ways to create a desire is through cell testimonies on Sunday morning. I remember when Rachel gave a testimony on Sunday morning about how she had found true friendship through her Life Group and how that she was growing spiritually for the first time in her Christian life. Her passion winsomely reminded the non-cell people to join a group.

I always encourage churches to buy a large map of the city, place it on a professionally done backboard, and then pinpoint the church’s cell groups on the map. Place the map in a prominent place in the church so people can see where the cells meet and be reminded of cell life. Ask a passionate cell person to stand by the map, answer questions, and give guidance to those interested in attending a cell group. There are other strategies that we’ll explore on next week’s blog.

Joel

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Conectando as Pessoas do Culto de Celebração com a Célula (parte 1) 

por Joel Comiskey

Às vezes os pastores falham. Eu ouvi sobre uma igreja nos Estados Unidos cujo pastor cometeu adultério. A igreja ficou devastada. Um grande número de pessoas saiu da igreja e muitas ficaram profundamente magoadas e ofendidas. O pastor associado me disse que ele observou um fenômeno interessante. Aqueles que permaneceram e resistiram à tempestade eram os que participavam fielmente de um grupo celular. Por quê? Porque aqueles que estavam envolvidos com um grupo celular caseiro já eram pastoreados, alimentados e ministrados. Eles tinham uma comunidade de crentes com quem eles compartilhavam a vida, e eles não dependiam do pastor principal para pastoreá-los pessoalmente.

Vamos encarar a realidade, ficar vagando e conversando com as pessoas depois do sermão simplesmente não fornece a comunhão profunda sobre a qual o NT fala (koinonia). Ir a um jogo de beisebol com um grande grupo da igreja também não. A realidade é que aqueles que comparecem somente ao culto de celebração estão experimentando apenas metade da igreja. Eu também notei que as “pessoas só de domingo” são normalmente as que pulam para outra igreja quando não concordam com a pregação do pastor, com o tipo de culto de adoração ou a falta de um programa favorito.

Assim, um objetivo-chave na igreja em células é certificar-se de que os participantes do encontro maior também estejam intimamente envolvidos em um grupo de células. Então o que podemos fazer para conectar essas pessoas com a célula? Nós conversamos na semana passada sobre como o envolvimento pessoal e a paixão do pastor principal são fundamentais para conseguir que outras pessoas se envolvam. O pastor também precisa ensinar continuamente a base bblica para o ministério celular, de modo que as pessoas saibam "por que" elas devem estar envolvidas em uma célula. Nós também mencionamos na semana passada que a participação celular é fundamental entre os principais lderes da igreja (por exemplo, os anciãos, a equipe, aqueles no ministério, etc.). Então, o que mais pode ser feito? 

A frase que me vem à mente é "criar um desejo." Uma das melhores maneiras de criar um desejo é através de testemunhos de células no domingo. Eu me lembro de quando Rachel deu um testemunho na manhã de domingo sobre como ela tinha encontrado a verdadeira amizade através de seu grupo e como ela estava crescendo espiritualmente pela primeira vez em sua vida cristã. Sua paixão lembrou as pessoas que não pertenciam a uma célula de participarem de um grupo. 

Eu sempre incentivo as igrejas a comprarem um grande mapa da cidade, colocá-lo em um encosto feito profissionalmente e, depois, identificar os grupos celulares da igreja no mapa. Coloque o mapa em um lugar de destaque na igreja para que as pessoas possam ver onde as células se encontram e sejam lembradas da vida celular. Pergunte a uma pessoa apaixonada de uma célula para ficar perto do mapa, responder perguntas e dar orientações para os interessados em participar de uma célula. Existem outras estratégias que nós vamos explorar no blog da próxima semana.

Joel

Spanish blog:

Conectando almas de la Celebración a la célula (parte 1)

Por Joel Comiskey

Algunos Pastores fallan. Escuche que una iglesia en los Estados Unidos que el pastor cometió adulterio. La iglesia fue devastada. Multitudes se fueron y muchos otros fueron lastimados y ofendidos. El pastor asociado me dijo que el observó un fenómeno interesante. Aquellos que se quedaron y calmaron la tormenta fueron aquellos que fielmente atendan el grupo celular. ¿Por qué? Por qué aquellos que se encontraban involucrados con un grupo celular ya haban sido pastoreados, alimentado y entrenado.  Ellos tienen una comunidad de creyentes con quien ellos comparten su vida, y ellos no dependan del Pastor al ser  pastoreados personalmente.

Seamos claros, sonrer y hablar con los miembros después de la predicación simplemente no provee una amistad ntima como la que hablan en el nuevo testamento (Koinomia). Tampoco yendo a un juego de béisbol con un grupo de la iglesia. La realidad es que aquellos que solo asisten a la celebración, solo experimentan la mitad de la iglesia. También noté que las personas que asisten solo los domingos son los que normalmente brincan a otra iglesia, cuando no están de acuerdo con la predicación del pastor, el tipo de servicio de alabanza o la falta de un programa favorito.

La clave de la iglesia celular es asegurarse que aquellos que asisten a la celebración también están envueltos ntimamente en un grupo celular. Entonces, ¿Qué podemos hacer para conectar estas personas a la célula? Lo hablamos la semana pasada, en como el Pastor se envuelve en la célula y su pasión es crtica en llegar a envolver a otros. El pastor también necesita enseñar continuamente la base bblica en el ministerio celular, para que la gente sepa el “porque” ellos deberan de estar envueltos en la célula. También mencionamos la semana pasada que la participación de los lderes clave de la iglesia en la célula es crtica. (Por ejemplo los ancianos, diáconos, aquellos en el ministerio, etc.) Entonces, ¿Qué otra cosa se puede hacer?

La frase que se viene a mi mente es “Crea un deseo”. Una de las mejores maneras de crear un deseo es por medio de los testimonios en la célula el domingo en la mañana. Recuerdo cuando Rachel dio su testimonio un domingo en la mañana en el como ella encontró una verdadera amistad por medio de su grupo celular, y como ella estaba creciendo espiritualmente por primera vez en su vida como Cristiana. Su pasión me hizo recordar a las personas sin un grupo celular que se unieran a un grupo.

Siempre animo a las iglesias a que compren un mapa grande de la ciudad, que lo coloquen de una manera muy profesional en un pizarrón, y que pongan pines de los grupos celulares en el mapa. Coloque el mapa en un lugar visible en la iglesia para que las personas puedan ver las reuniones celulares y que recuerden la vida celular. Le ped a una persona apasionada en la célula que se parara a un lado del mapa, para responder preguntas, y dar gua a aquellas personas que se encuentran interesadas en atender a un grupo celular. Hay muchas más estrategias que exploraremos en el blog de la siguiente semana.

Joel

Leave a Reply

Your email address will not be published.