Avoiding the Mentality of the “Dones”

robert

by Robert Lay, Cell Church Ministry Brazil

It is easy to understand the situation of faithful church members getting bored because of years and years of the same thing. In my observation the dones comprise 10 to 15% of those faithful people who do all the work to keep the structure of the machine-church running. This is no fun. Programs and events have a limit to them. They wear out and seem to have little or no results. Cell churches, on the other hand, offer every believer the opportunity to serve in a cell, where every member is a priest, and where every house is a church. Winning people, training/discipling, and then sending them out leaves no room for boredom.

There is another problem, though. Some cell systems over-work their people, over burden them, and eventually burn them out. The result is family, health, and financial problems. What is the answer? The major focus in all of this should be to focus ministry efforts and energy in people and not in programs that repeat themselves over and over until people are done. The basic goal of the church should be to reach out to people. God so loved people. He sent His Son to save people. The Holly Spirit fills people. God uses people in contrast to programs. When we concentrate on people, boredom flees. Why? Because every person is different, there are always new experiences, and ministry gives us exciting challenges.

Let’s always remember that the church is a dynamic movement, and not a static monument. People get tired in spending their time and money in preserving monuments. Instead they prefer to invest their time and money in expanding movements. And pastors should avoid extremes, so that they themselves to not become done with ministry through burning out.

Help us God!

Robert M. Lay
Cell Church Ministry Brazil

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Evitando a Mentalidade dos “Fartos

por Robert Lay, Ministério da Igreja em Células no Brasil

É fácil compreender a situação dos membros fiéis da igreja ficando entediados por causa de anos e anos da mesma coisa. Na minha observação os fartos compreendem de 10 a 15% dessas pessoas fiéis que fazem todo o trabalho para manter a estrutura da máquina da igreja funcionando. Isso não é divertido. Programas e eventos tem um limite para eles. Eles se desgastam e parecem ter pouco ou nenhum resultado. As igrejas em células, por outro lado, oferecem a cada convertido a oportunidade de servir em uma célula, onde cada membro é um sacerdote e onde cada casa é uma igreja. Ganhar pessoas, treinar/discipular e depois enviá-las não deixa espaço para o tédio.

No entanto, há outro problema. Alguns sistemas celulares dão muito trabalho para seu povo, sobrecarregam as pessoas e, eventualmente, as esgotam. Os resultados são problemas familiares, de saúde e financeiros. Qual é a resposta? O foco principal em tudo isso deveria ser o de concentrar os esforços e a energia do ministério em pessoas, e não em programas que se repetem mais e mais até que as pessoas fiquem fartas. O objetivo básico da igreja deveria ser alcançar pessoas. Deus amou tanto as pessoas. Ele enviou Seu Filho para salvar pessoas. O Esprito Santo enche as pessoas. Deus usa pessoas em contraste com programas. Quando nos concentramos nas pessoas, o tédio foge. Por quê? Porque cada pessoa é diferente, há sempre novas experiências, e o ministério nos dá desafios emocionantes.

Vamos sempre lembrar que a igreja é um movimento dinâmico, e não um monumento estático. As pessoas se cansam de gastar seu tempo e dinheiro em conservar monumentos. Em vez disso, elas preferem investir seu tempo e dinheiro em expandir movimentos. E os pastores devem evitar os extremos, para que eles mesmos não fiquem fartos do ministério por conta do esgotamento. 

Ajude-nos, Deus!

Robert M. Lay
Ministério da Igreja em Células no Brasil

Spanish blog:

Evitando la mentalidad de los "hastiados"
Por Roberto Lay, Iglesia Celular del Ministerio Brasil

Es fácil de comprender la situación de los fieles miembros de la iglesia sintiéndose aburridos debido a años y años de lo mismo. En mi observación los hastiados comprenden el 10 a 15% de esas personas fieles que hacen todo el trabajo para mantener la estructura de la máquina-iglesia en funcionamiento. Esto no es divertido. Los programas y eventos tienen un lmite para ellos. Se desgastan y parecen tener poco o ningún resultado. Las iglesias celulares, por otro lado, ofrecen a todo creyente la oportunidad de servir en una célula, donde cada miembro es un predicador, y donde cada casa es una iglesia. Ganar gente, formación/discipulado y luego enviarlos fuera no deja lugar para el aburrimiento.

Hay otro problema, sin embargo. Algunos sistemas de células sobre trabajan a su gente, les dan sobre carga, y con el tiempo los agotan. El resultado es la familia, la salud y los problemas financieros. ¿Cuál es la respuesta? El enfoque principal en todo esto debe ser concentrarse en los esfuerzos del ministerio y de la energa en la gente y no en los programas que se repiten una y otra vez hasta que las personas se hastan. El objetivo básico de la iglesia debe ser alcanzar a la gente. Dios amó tanto a las personas. Él envió a su Hijo para salvarlos. El Espritu los llena. Dios usa la gente en contraste con los programas. Cuando nos concentramos en las personas, el aburrimiento huye. ¿Por Qué? Porque cada persona es diferente, siempre hay nuevas experiencias, y el ministerio nos da retos apasionantes.

Recordemos siempre que la iglesia es un movimiento dinámico, y no un monumento estático. La gente se cansa de usar su tiempo y dinero en monumentos conservantes. En cambio ellos prefieren invertir su tiempo y dinero en la expansión de los movimientos. Y los pastores deben evitar los extremos, para que ellos mismos no se hasten con el ministerio a través del agotamiento.

¡Ayúdanos a Dios!

Robert M. Lay
Iglesia Celular del Ministerio Brasil

1 thought on “Avoiding the Mentality of the “Dones”

  • Well said Robert!

    The dictionary defines “amen” to mean, “it is so; so be it (used after a prayer, creed, or other formal statement to express solemn ratification or agreement).”

    AMEN !

Leave a Reply

Your email address will not be published.