Cell and Celebration in the Organic Cell Church System

coach_JoelCelyce

by Joel Comiskey

In the organic cell church system, the cell is the crown jewel. It’s not just a small group or a means to bring more church growth. The cell is the church!

People often ask me what kind of homogeneous grouping is better: Men’s cells? Women’s cells? Family cells? Youth cell meetings? I always respond, “they are all good.” “The main thing,” I tell them, “is to start with a holistic definition that truly describes the cell as the church.” I promote this definition: a group of 3-15 that meets weekly outside the church building for the purpose of evangelism, community, and spiritual growth with the goal of making disciples who make disciples that results in multiplication.

Jesus lives in the cell and he makes disciples through it. Don’t lower the bar and cheapen your definition to accommodate people. The cell is the crown jewel and must remain pure.

So what about the larger gathering in the organic cell church system? We must remember that the early church primarily met in house churches, but those house churches were not independent entities. At times the house churches gathered regularly together for larger meetings, as we can see in both Jerusalem and Corinth. At other times those gatherings were less frequent.

Organic cell churches see the celebration as the gathering of the cells together to worship the living God, receive God’s Word, and get marching orders for the following week. Mario Vega, the lead pastor of Elim, writes,

We only keep statistics for what takes place in cell gatherings and don’t keep track of how many attend the celebration services. For Elim members, the cells are the church. The celebration is to celebrate together and enjoy the oneness of the body of Christ.

Elim considers the cell meetings as the primary place of ministry, while not neglecting the importance of gathering those house groups to hear God’s Word and worship the Creator.

Preaching focuses on expounding God’s inerrant Word to make sure the leaders and members are well grounded in biblical truth. Then the teaching and preaching is reinforced in the house church setting through lessons that correlate with the preaching. For many this will prove to be a radical shift. Some might even think of it as diminishing the value of the large church services. I actually argue that this approach elevates the celebration service as people will attend not as spectators and spiritual consumers but as worshiper and participants.

This has practical implications on areas like announcements and vision casting. Announcements should focus on how your church is reaching people through the cell groups and to give members a vision about what the church is doing to reach new areas through house-to-house ministry. Vision casting in these celebration meetings should be geared around existing cells and envisioning new groups. If there are visitors in the larger gatherings, try to connect them to cell members who will welcome them into a new family.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

A Célula e o Culto de Celebração na Sistema Orgânico da Igreja em Células

Por Joel Comiskey

No sistema orgânico de igreja em células, a célula é a joia da coroa. Não é apenas um grupo ou um meio para trazer mais crescimento para a igreja. A célula é a igreja!

As pessoas frequentemente me perguntam qual tipo de agrupamento homogêneo é melhor: células de homens? Células de mulheres? Células de famlias? Encontros de jovens? Eu sempre respondo, “eles são todos bons.” “A coisa principal”, eu digo-lhes, “é começar com uma definição holstica que verdadeiramente descreve a célula como a igreja.” Eu promovo essa definição: um grupo de 3-15 pessoas que se reúne semanalmente fora do prédio da igreja com o propósito de evangelismo, comunidade e crescimento espiritual com o objetivo de fazer discpulos que fazem discpulos que resultam em multiplicação.

Jesus vive na célula e Ele faz discpulos através dela. Não barateie a sua definição para acomodar as pessoas. A célula é a jóia da coroa e deve permanecer pura.

E o encontro maior no sistema orgânico de igreja em células? Devemos lembrar que a igreja primitiva se reunia principalmente em igrejas domésticas, mas essas igrejas domésticas não eram entidades independentes. Às vezes, as igrejas domésticas se reuniram regularmente em conjunto para reuniões maiores, como podemos ver tanto em Jerusalém e Corinto. Em outros momentos, esses encontros foram menos frequentes.

Igrejas de células orgânicas veem a celebração como o encontro das células juntas para adorar o Deus vivo, receber a Palavra de Deus, e obter ordens de marcha para a semana seguinte. Mario Vega, o pastor principal da Elim, escreve:

Nós só mantemos estatsticas para o que acontece em encontros celulares e não mantemos o controle de quantos participam dos cultos de celebração. Para os membros de Elim, as células são a igreja. A celebração é feita para celebrar juntos e desfrutar a unidade do corpo de Cristo.

A Elim considera as reuniões celulares como o principal local de ministério, sem negligenciar a importância de reunir os grupos domésticos para ouvir a Palavra de Deus e adorar o Criador.

A pregação concentra-se em expor a Palavra inerrante de Deus para garantir que os lderes e os membros estejam bem fundamentados na verdade bblica. Então o ensino e a pregação são reforçados no ambiente da igreja doméstica através de palavras que se correlacionam com a pregação. Para muitos, isso irá revelar-se como uma mudança radical. Alguns podem até pensar nisso como uma diminuição do valor dos grandes cultos da igreja. Eu na verdade argumento que esta abordagem eleva o culto de celebração conforme as pessoas vão participando não como espectadores e consumidores espirituais, mas como adoradores e participantes.

Isto tem implicações práticas sobre áreas como anúncios e lançamento da visão. Anúncios devem se concentrar em como a sua igreja está alcançando as pessoas através dos grupos de células e para dar aos membros uma visão sobre o que a igreja está fazendo para alcançar novas áreas por meio do ministério de casa em casa. O lançamento da visão nestas reuniões de celebração deve ser orientado em torno de células existentes e tentando descobrir novos grupos. Se houver visitantes nos grandes encontros, tente conectá-los a membros de célula que irão recebê-los em uma nova famlia.

Spanish blog:

La célula y la celebración en el sistema orgánico de la iglesia celular

Por Joel Comiskey

En el sistema orgánico de la iglesia celular, la célula es la joya de la corona. Es no sólo un grupo pequeño o un medio para lograr un mayor crecimiento de la iglesia. ¡La célula es la iglesia!

La gente a menudo me pregunta qué tipo de agrupación homogénea es mejor: ¿las células de los hombres? ¿Las células de las mujeres? ¿Las células familiares? ¿Las células de jóvenes? Yo siempre respondo, “todos son buenos”. “Lo más importante,” les digo, “es comenzar con una definición integral que verdaderamente describa la célula como la iglesia” Promuevo esta definición: Un grupo de 3-15 que se reúne semanalmente fuera del edificio de la iglesia con el propósito de evangelizar, la comunidad y el crecimiento espiritual con el objetivo de hacer discpulos que hagan discpulos que se traduce en la multiplicación.

Jesús vive en la célula y hace discpulos a través de tal. No bajes la barra y abarates la definición para dar cabida a las personas. La célula es la joya de la corona y debe seguir siendo pura.

Entonces, ¿Qué tal la reunión más grande en el sistema orgánico de la iglesia celular? Debemos recordar que la iglesia primitiva se reuna principalmente en casas/iglesias, pero esas casas/iglesias no eran entidades independientes. En esos momentos las casas/iglesias se reunan regularmente para las reuniones más grandes, las podemos ver en Jerusalén y Corinto. En otras ocasiones esos encuentros fueron menos frecuentes.

Las iglesias celulares orgánicas ven la celebración como la recolección de las células juntas para adorar al Dios vivo, recibir la Palabra de Dios, y recibir órdenes de marcha para la semana siguiente. Mario Vega, el pastor principal de Elim, escribe:

Sólo mantenemos las estadsticas para lo que ocurre en las reuniones celulares y no mantenemos un registro de cuántos asisten a los servicios de celebración. Para los miembros de Elim, las células son la iglesia. La celebración es para celebrar juntos y disfrutar de la unidad del cuerpo de Cristo.

Elim considera las reuniones celulares como el lugar principal del ministerio, pero sin olvidar la importancia de reunir a los grupos celulares para escuchar la Palabra de Dios y adorar al Creador.

La predicación se concentra en exponer la infalible Palabra de Dios y asegurarse de que los lderes y los miembros están bien fundados en la verdad bblica. Después, la enseñanza y la predicación se refuerza en el entorno de la iglesia celular a través de lecciones que se correlacionan con la predicación. Para muchos, esto resultará ser un cambio radical. Algunos incluso podran pensar en ella como la disminución del valor de los grandes servicios de la iglesia. En realidad, yo sostengo que este enfoque eleva el servicio de la celebración como personas que asistirán no como espectadores y consumidores espirituales, sino como fieles participantes.

Esto tiene implicaciones prácticas en áreas como los anuncios y fomentar visión. Los anuncios deben concentrarse en la forma en que la iglesia está llegando a la gente a través de los grupos celulares y para dar a los miembros una visión acerca de lo que la iglesia está haciendo para llegar a las nuevas áreas a través del ministerio de casa en casa. La visión en estas reuniones de celebración debe orientarse alrededor de las células existentes y ambicionar nuevos grupos. Si hay visitantes en las reuniones más grandes, traten de conectarlos a los miembros de la célula, para que le den la bienvenida a una nueva familia.

2 thoughts on “Cell and Celebration in the Organic Cell Church System

Leave a Reply

Your email address will not be published.