Transitioning Well: the Need for Leadership and Patience

coaches_jeffTun2011

By Jeff Tunnell

Working with a small group of people from our local community hospital district has recently become one of my responsibilities. Our task is to develop new strategies that lead to positive patient experience outcomes.  As the group set out to work on the plan it impressed me to find, included in the plan outline, a directive statement offering the following guidance; “Keep in mind that you can’t really implement the plan you create without senior leadership being at the helm and committed to achieving great patient care.  The CEO, (Chief Executive Officer), CFO, (Chief Financial Officer), CNO (Chief Nursing Officer), Physicians, and the Board of Directors must all be onboard to effectively lead the cultural change that will eventually change the structures of patient care and family satisfaction.”  Our primary discussions revolved around a basic tenet of change that says, “You cannot change a structure until you change a culture.”  We understand we are at the beginning of a long journey and it will take much time to accomplish.

Follow the Leader

I believe, and have practiced successfully, this same directive in cell church ministry.  Assembling our leadership into a team that was mutually supportive and shared a common vision took time.  The Senior Pastor had to be the key leader.  The prototype cell approach to transitioning from program church to cell church was recommended.  We spent time building relationship and trust with our co-laborers in Christ.  We investigated and understood the vision and process of changing a culture.  We did not begin altering structures (training process, discipleship track, programs already functioning and in place, etc) until the hearts of the leaders were fully persuaded into embracing the new culture of cell ministry.

Next; Slowly we began making purposeful changes that supported the new structures and cultural changes.  Please hear me on this: Do not attack or defame old methods, they have served you well.  Honor them, but let them begin to die off and drop away (mourn them, think: funeral) as you embrace the new life-giving practices within the cell system.

Illustrate

Our weekly prototype cell group meeting had been processing our culture changes for more than one year.  At that time we were reading the book Leading Change, by John P. Kotter (recommended highly).  I walked into the group meeting 30 minutes late, on purpose, with purpose.  Facing them with a tired look, I told them the reason for being late was that I had just come from the church property where our building was consumed by a fire (not true, but part of an exercise to see what the responses would be).  One member asked, “Will our insurance rebuild it?”, another responded, “No problem, we’ll organize into cells right away, that is what we want anyway, right?”.  Others chimed in until I disclosed my exercise to them.  It helped us immediately understand that all group members don’t adopt new cultures at the same speed.  And we knew we were not as ready to launch cells as we imagined.

Change the culture within first; the external supportive structures second.  Don’t become anxious.  Think slow cook, not microwave.

Jeff

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Transicionando bem: a necessidade de liderança e paciência.

Por Jeff Tunnell

Trabalhar com um grupo pequeno de pessoas do nosso hospital local comunitário tornou-se recentemente uma das minhas responsabilidades. Nossa tarefa é desenvolver novas estratégias que conduzam a resultados de experiências positivas do paciente. Como o grupo se propôs para trabalhar no plano, impressionei-me ao encontrar uma instrução com a seguinte orientação: “Tenha em mente que você não pode  implementar o plano que você criou sem que a liderança mais antiga esteja a frente e empenhada em alcançar o melhor cuidado do paciente.” O CEO (sigla inglesa de Chief Executive Officer, em português “Diretor Executivo), o Diretor Financeiro, o chefe de Enfermagem, os médicos e o Conselho de Administração devem estar todos a bordo para conduzir, de forma eficaz, a mudança cultural que acabará por alterar as estruturas de assistência ao paciente e a satisfação da famlia.” Nossas primeiras discussões giravam em torno de um princpio básico de mudança que diz: “Você não pode mudar uma estrutura até mudar uma cultura.” Nós entendemos que estamos no incio de uma viagem longa e vai demorar muito tempo para conclu-la.

Siga o lder.

Eu acredito, e tenho praticado com sucesso, nessa mesma diretriz em ministérios de igreja em células. Juntar a nossa liderança em um time que se apoiava mutuamente e compartilhava uma visão comum levou tempo. O pastor sênior tinha que ser o lder-chave. Foi recomendada a abordagem da célula modelo como transição de uma igreja baseada em programas para uma igreja em células. Nós gastamos tempo construindo relacionamentos e confiança com os nossos co-trabalhadores em Cristo. Nós investigamos e entendemos a visão e o processo de mudar a cultura. Nós não iniciamos as modificação das estruturas (processo de treinamento, trilho de discipulado, programas que já estavam funcionando e no lugar, etc)  até que os corações dos lderes estivessem totalmente convencidos em adotar a nova cultura de ministério celular.

Em seguida, nós começamos lentamente a fazer mudanças intencionais que sustentavam as novas estruturas e as mudanças culturais. Por favor, dê ouvidos a isso: não ataque ou difame métodos antigos, eles te serviram bem. Honre eles, mas deixe-os começar a morrer e caia fora (lamente-os, pense: enterro) conforme você for adotando as novas práticas que dão vida dentro do sistema celular.

Ilustrando:

Nossa reunião semanal de célula modelo esteve processando nossas mudanças de cultura por mais de um ano. Naquela época, estávamos lendo o livro Liderando Mudanças, de John P. Kotter (Editora Elsevier – Campus, 2013), (altamente recomendado). Eu entrei na reunião do grupo com 30 minutos de atraso, de propósito, com um propósito. Encarando-os com um olhar cansado, eu disse a eles que a razão para estar atrasado era que eu tinha acabado de chegar da propriedade da igreja, onde o nosso prédio tinha sido consumido por um incêndio (não era verdade, mas parte de um exerccio para ver como seriam as respostas). Um membro perguntou: “Será que o nosso seguro irá reconstru-lo?”, outro respondeu: “Não tem problema, vamos nos reunir em células de imediato, que é o que queremos de qualquer maneira, certo?”. Outros entraram na conversa até que eu revelei o meu exerccio para eles. Isso nos ajudou imediatamente a entender que todos os membros do grupo não adotam novas culturas na mesma velocidade. E nós sabamos que eles não estavam tão prontos para começar as células como imaginávamos.

Mude a cultura de dentro, em primeiro lugar; e as estruturas de suporte externas em segundo. Não se torne ansioso. Pense no cozimento lento, não em microondas.

Jeff

Spanish blog:

Transicionando Bien: la necesidad de liderazgo y paciencia

Por Jeff Tunnell

Recientemente se ha convertido en una de mis responsabilidades trabajar con un pequeño grupo de personas de un Centro hospitalario en nuestra comunidad local. Nuestra tarea es desarrollar nuevas estrategias que conducen a resultados positivos de experiencia con el paciente. A medida que el grupo se dispuso a trabajar en el plan que me impresionó al encontrar, incluyendo en el esbozo del plan, una declaración directiva ofreciendo la siguiente orientación; “Tenga en cuenta que realmente no se puede poner en práctica el plan de crear sin un liderazgo mayor que está en el timón y compromiso con el logro de una gran atención con los pacientes. El CEO, (Director Ejecutivo), CFO (director financiero), CNO (Director de Enfermera), Médicos, y el Consejo de Administración ha de estar todos a bordo para dirigir con eficacia el cambio cultural que vaya a cambiar las estructuras de atención al paciente la familia y la satisfacción”. Nuestras discusiones principales giraron en torno a un principio básico del cambio que dice: “no se puede cambiar una estructura hasta que se cambie la cultura”. Entendemos que estamos en el comienzo de un largo viaje y que tomará mucho tiempo para lograrlo.

Sigue al lder

Creo, y he practicado con éxito, esta misma Directiva en el ministerio de la iglesia celular. Ensamblando nuestro liderazgo dentro de un equipo que fue de mutuo apoyo y comparte una visión común toma su tiempo. El pastor principal tena que ser el lder clave. Un prototipo celular de la transición de una iglesia de programas a una iglesia celular es recomendado. Pasamos tiempo en la construcción de relaciones de confianza y nuestros colaboradores en Cristo. Hemos investigado y comprendido la visión y el proceso de cambio de una cultura. No comenzamos la alteración de las estructuras (proceso de entrenamiento, pista de discipulado, programas ya en funcionamiento y en su lugar, etc.) hasta que los corazones de los lderes estaban completamente persuadidos a abrazar la nueva cultura del ministerio celular.

Siguiente; Poco a poco empezamos a hacer cambios intencionados, que apoyaron las nuevas estructuras y cambios culturales. Por favor, escúchame en esto: no ataques o difames los métodos antiguos, que le han servido bien. Honrarlos, pero deja que ellos comiencen a morir y suéltalos (llorarlos, piensa: el funeral) al aceptar las nuevas prácticas que dan la vida dentro del sistema celular.

Ilustrar

Nuestra reunión semanal del prototipo del grupo celular haba estado procesando los cambios de cultivo durante más de un año. En ese momento estábamos leyendo el libro Dirigiendo el Cambio, por John P. Kotter (muy recomendable). Entré en la reunión del grupo 30 minutos tarde, a propósito, con propósito. Enfrentándolos con una mirada cansada, les dije que la razón por la que llegue tarde era que acababa de venir de la propiedad de la iglesia, donde nuestro edificio fue consumido por un incendio (no es cierto, pero parte de un ejercicio era ver cuáles seran las respuestas). Un miembro preguntó, “¿Nuestro seguro la reconstruirá?”, Respondió otro, “No hay problema, vamos a organizarnos en las células de inmediato, es lo que queremos de todos modos, ¿verdad?”. Otros intervinieron hasta que revelé mi ejercicio a ellos. Me ayudó a entender inmediatamente que todos los miembros del grupo no adoptan nuevas culturas a la misma velocidad. Y sabamos que no estábamos tan listos para lanzar las células como nos imaginamos.

Cambia la cultura dentro primero; las estructuras de apoyo externos segundo. No estés ansioso. Piensa cocinar de manera lenta, no en microondas.

Jeff

Leave a Reply

Your email address will not be published.