So What?

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Pastor Bill Mellinger, Crestline First Baptist;  www.crestlinefbc.com

When we began the transition to a cell church, I asked all of our groups to do sermon-based lessons. This week our youth minister asked for permission to do some lessons on identity, purity, and some other subjects related specifically to youth. We discussed the value of sermon-based groups and the more important principle of our groups being focused on biblical application.

I think that the unity developed with groups applying the sermon to their lives has been invaluable in the development of our ministry. Participants of all ages have been studying and applying the same biblical message. This focus has greatly enhanced our unity and shared vision for ministry.

A friend of mine used to tell me that whenever he taught or preached a sermon, he always asked the question “So what?” Think of any biblical text. For example, we are not that far from Easter. Let’s say that you are preaching about Simon the Cyrene carrying Jesus’ cross. You might have some great insights into this man who was able to carry the cross of Jesus. However, without answering the “So what” question you may just have an interesting story. The story takes on meaning when you are able to apply the story or message to your own life. So what? This question forces the speaker to consider how to apply the text.

I think that all groups studying and applying the same text has strengthened our church. It has meant that you could participate in any of our groups and participants would be learning the same lessons. It has also meant that only one person needed to develop the lesson material. Of course, we adapted lessons to apply to the participants. Many of the questions would be the same while some questions get changed for the youth or even for a women’s group.

Today, some of our groups use creative curriculum for their lessons. Most of our groups remain focused on sermon-based lessons. The subject material has not been our chief concern. We want people to apply the Word of God to their lives. It is great when the whole church is on the same subject. This is no longer a requirement for our groups, although it is still my preference.

The next time you prepare a lesson or a sermon, ask yourself, “So what?” What is the point of your message? How will people apply it? This questions keeps you focused on action not just entertainment. Go ahead and “So what?” this blog.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

E Da?

Por Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Quando começamos a transição para uma igreja em células, pedi a todas as nossas células que fizessem lições baseadas no sermão. Esta semana nosso ministro de jovens pediu permissão para fazer algumas lições sobre identidade, pureza e alguns outros assuntos especificamente relacionados à juventude. Discutimos o valor das células baseadas na pregação e o princpio mais importante de nossos grupos serem focados na aplicação bblica.

Penso que a unidade desenvolvida com as células que aplicam o sermão às suas vidas tem sido inestimável no desenvolvimento do nosso ministério. Participantes de todas as idades têm estudado e aplicado a mesma mensagem bblica. Este enfoque aumentou muito a nossa unidade e a visão compartilhada para o ministério.

Um amigo meu costumava me dizer que sempre que ele ensinava ou pregava um sermão, ele sempre fazia a pergunta “E da?”. Pense em qualquer texto bblico. Por exemplo, não estamos muito longe da Páscoa. Vamos dizer que você está pregando sobre Simão de Cirene carregando a cruz de Jesus. Você pode ter algumas grandes ideias sobre este homem que foi capaz de carregar a cruz de Jesus. No entanto, sem responder à pergunta “E da?”, você pode apenas ter uma história interessante. A história assume significado quando você é capaz de aplicar a história ou mensagem para sua própria vida. E da? Esta questão obriga o orador a considerar como aplicar o texto.

Acho que o fato de todos os grupos estudarem e aplicarem o mesmo texto fortaleceu a nossa igreja. Isso significou que você poderia participar de qualquer um dos nossos grupos e os participantes estariam aprendendo as mesmas lições. Significou também que somente uma pessoa tinha que desenvolver o material da lição. É claro que nós adaptamos as lições para aplicar aos participantes. Muitas das perguntas permanecem as mesmas, enquanto outras são adaptadas para os jovens ou mesmo para uma célula mulheres.

Hoje, alguns de nossos grupos tem um currculo criativo para suas lições. A maioria dos nossos grupos permanece focada em lições baseadas nos sermões. O assunto não tem sido nossa principal preocupação. Queremos que as pessoas apliquem a Palavra de Deus em suas vidas. É ótimo quando toda a igreja está no mesmo assunto, mas isso não é mais um requisito para nossas células, embora ainda seja minha opção preferida.

A próxima vez que você preparar uma lição ou uma pregação, pergunte a si mesmo: “E da?”. Qual é o ponto de sua mensagem? Como as pessoas vão aplicá-la? Essas perguntas mantêm você focado na ação, não apenas no entretenimento. Vá em frente e pergunte “E da?” para este blog.

Spanish blog:

¿Y qué?

Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Cuando comenzamos la transición a la iglesia celular, ped a todos nuestros grupos que hicieran lecciones basadas en la predicación. Esta semana nuestro ministro juvenil pidió permiso para hacer algunas lecciones sobre identidad, pureza, y algunos otros temas relacionados especficamente con la juventud. Discutimos el valor de los grupos basados ​​en la predicación y el principio más importante de que nuestros grupos estén enfocados en la aplicación bblica.

Creo que la unidad desarrollada con los grupos que aplican la predicación a sus vidas ha sido inestimable en el desarrollo de nuestro ministerio. Los participantes de todas las edades han estado estudiando y aplicando el mismo mensaje bblico. Este enfoque ha mejorado mucho nuestra unidad y nuestra visión compartida en el ministerio.

Un amigo mo sola decirme que siempre que enseñaba o predicaba, siempre haca la pregunta “¿Y qué?” Piensa en cualquier texto bblico. Por ejemplo, no estamos tan lejos de la Pascua. Digamos que usted está predicando sobre Simón el Cirene llevando la cruz de Jesús. Usted puede tener algunas grandes ideas sobre este hombre que fue capaz de llevar la cruz de Jesús. Sin embargo, sin responder a la pregunta “¿Y qué?”, ​​Puede que tengas una historia interesante. La historia toma sentido cuando se puede aplicar la historia o el mensaje a su propia vida. ¿Y qué? Esta pregunta obliga al orador a considerar cómo aplicar el texto.

Creo que todos los grupos que estudian y aplican el mismo texto han fortalecido a nuestra iglesia. Esto significa que usted podra participar en cualquiera de nuestros grupos y los participantes estaran aprendiendo las mismas lecciones. También ha significado que sólo una persona necesita desarrollar el material de la lección. Por supuesto, hemos adaptado las lecciones para aplicar a los participantes. Muchas de las preguntas seran las mismas mientras que algunas preguntas se cambian para la juventud o incluso para un grupo de mujeres.

Hoy en da, algunos de nuestros grupos usan el currculo creativo para sus lecciones. La mayora de nuestros grupos se concentran en las lecciones basadas en la predicación. El tema no ha sido nuestra principal preocupación. Queremos que la gente aplique la Palabra de Dios a sus vidas. Es grande cuando toda la iglesia está sobre el mismo tema. Esto ya no es un requisito para nuestros grupos, aunque sigue siendo mi preferencia.

La próxima vez que prepare una lección o un sermón, pregúntese: “¿Y qué?” ¿Cuál es el punto de su mensaje? ¿Cómo lo aplicará la gente? Esta pregunta te mantiene concentrado en la acción no sólo entretenimiento. Adelante y “¿Y qué?” Este blog.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Free Facilitator PDF download

This book on how to facilitate a small group will help your ministry

You have Successfully Subscribed!