Dealing with Common Group Problems

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, coaching available here (free first session available for those interested in receiving coaching)

I had a recent opportunity to visit specific groups and meet with leaders. Between visiting the groups and meeting with the leaders, I noticed four specific problems. These problems are common to all cell groups worldwide. In fact, I’ve noticed them all over the world.

Here they are:

  1. Problem people in the group. In this particular group there were asylum seekers from a particular country, which I will not mention in this newsletter. These refugees tended to flood the Life groups, hoping to find help. They became a source of irritation to many groups which felt they were too bold in asking for money. The church had to deal with this situation, making a rule that each Life group should only have one refugee and that asking for money was off-limits. But this is just one example of problem people in groups throughout the world. Other problem people include gossipers, dysfunctional people who don’t know how to relate to others, and debaters.
  2. The tendency to give advice, rather than listening. As we visited the groups, we noticed this common problem. There was a tendency to offer counsel and to try to correct the problem after someone shared deeply. While members might have the answers, often the greatest healing comes through careful listening, rather than giving immediate answers that tend to shut people down. Now there is a time and a place to give answers. For example, approaching the person individually after the Life group is a great time to share biblical truth. Another option is after diligently listening to the person to say something like, “I hear what you are saying. I wrestled with this issue myself and Jesus showed me this Scripture. . . “
  3. Dealing with the talkers (and getting the shy to talk). Dealing with the talkers was a common problem with those leaders who signed up to talk with us. I also noticed this problem in one of the groups I visited. Yet, this is also an age-old problem in cell groups worldwide. Left unchecked, a talker can ruin the group and the leader needs to know how to deal with him or her.
  4. Neglecting key parts of the Life group (Icebreaker, worship, etc.). Two of the three Life Groups I visited were exemplary and life-giving. However, I visited one group that failed to do an icebreaker, and I felt lost. A new person would have felt the same way. Keeping the group moving and a balanced diet of Welcome, Worship, Word, and Works really helps bring life. Granted, there are times when the Spirit moves differently, but unless that happens, it’s best to follow a balanced Life group order.

In the month of June, we’ll explore this topic more in-depth. If you’d like to receive these twenty blogs in your inbox, press here. We’ll cover:

  • June 04-10: How to deal with problem people.
  • June 11-17: The tendency to give advice rather than listening.
  • June 18-24: Dealing with those who talk too much (or helping those who talk too little).
  • June 25-July 01: Following a balanced order in the Life Group–not neglecting the key parts of the Life group.

Have you noticed these problems in your own cell group? Different ones? Feel free to comment here.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do google. Quando recebemos a tradução normal, a publicaremos no site imediatamente

Lidar com problemas comuns do grupo

Por Joel Comiskey, coaching disponvel aqui (primeira sessão gratuita disponvel para quem está interessado em receber coaching)

Em maio, Celyce e eu ministramos durante duas semanas na Tailândia na Igreja Evangélica de Banguecoque (BCE). Juntamente com a realização de seminários e pregações, tivemos a oportunidade de visitar três grupos de vida e consultar os lderes individualmente. Os lderes foram encorajados a se inscrever para se encontrar com Celyce e eu pessoalmente em quatro dias diferentes.

Entre a visita dos grupos e o encontro com os lderes, reparei em quatro problemas especficos. Esses problemas não são exclusivos de Bangkok. Na verdade, eu notei eles em todo o mundo. Porque eles são problemas universais, eles também apareceram nos grupos Life em Bangkok.

Aqui estão eles:

  1. Problema pessoas no grupo. No caso da Tailândia, existem muitos requerentes de asilo de um pas especfico, o que não mencionarei neste boletim informativo. Esses refugiados tendiam a inundar os grupos da Vida, na esperança de encontrar ajuda. Eles se tornaram uma fonte de irritação para muitos grupos que achavam que eram muito ousados ​​em pedir dinheiro. O BCE teve que lidar com esta situação, estabelecendo uma regra segundo a qual cada grupo da Vida deveria ter apenas um refugiado e que pedir dinheiro estava fora dos limites. Mas este é apenas um exemplo de pessoas problemáticas em grupos em todo o mundo. Outras pessoas problemáticas incluem gossipers, pessoas disfuncionais que não sabem como se relacionar com outras pessoas e debatadores.
  2. A tendência de dar conselhos, em vez de ouvir. Ao visitar os grupos, notamos esse problema comum. Havia uma tendência para oferecer conselhos e tentar corrigir o problema depois que alguém compartilhou profundamente. Enquanto os membros podem ter as respostas, muitas vezes a maior cura vem através de uma escuta cuidadosa, ao invés de dar respostas imediatas que tendem a fechar as pessoas. Agora há um tempo e um lugar para dar respostas. Por exemplo, abordar a pessoa individualmente após o grupo Life é um ótimo momento para compartilhar a verdade bblica. Outra opção é depois de ouvir diligentemente a pessoa para dizer algo como: “Eu ouço o que você está dizendo. Eu lutei com essa questão e Jesus me mostrou essa Escritura …”
  3. Lidando com os conversadores (e ficando tmido para falar). Lidar com os interlocutores era um problema comum com os lderes que se inscreveram para conversar conosco. Eu notei também esse problema em um dos grupos que visitei. No entanto, este também é um problema antigo em grupos de células em todo o mundo. Sem controle, um falador pode arruinar o grupo e o lder precisa saber como lidar com ele ou ela.
  4. Negligenciando partes-chave do grupo Life (quebra-gelo, adoração, etc.). Dois dos três Grupos de Vida que visitei na Tailândia foram exemplares e de vida. Eu até escrevi sobre um deles em um blog recente. No entanto, visitei um grupo que não conseguiu fazer um quebra-gelo e me senti perdido. Uma nova pessoa sentira o mesmo. Esse mesmo grupo bombardeou o tempo de adoração, e não estávamos preparados para a lição que se seguiu. Manter o grupo em movimento e uma dieta equilibrada de Bem-Vindo, Adoração, Palavra e Obras realmente ajuda a trazer a vida. Concedido, há momentos em que o Esprito se move de forma diferente, mas, a menos que isso aconteça, é melhor seguir uma ordem de grupo de Vida equilibrada.

No mês de junho, exploraremos esse tema mais profundamente. Se você quiser receber esses vinte blogs na sua caixa de entrada, pressione aqui. Vamos cobrir:

  • 04 a 10 de junho: como lidar com pessoas problemáticas.
  • 11 a 17 de junho: a tendência de dar conselhos ao invés de ouvir.
  • 18 a 24 de junho: lidar com aqueles que falam demais (ou ajudar aqueles que falam muito pouco).
  • 25 de junho a 01 de julho: seguindo uma ordem equilibrada no Grupo Vida – não negligenciando as partes-chave do grupo Vida.

Você notou esses problemas em seu próprio grupo de células? Diferentes? Não hesite em comentar aqui.

Spanish blog:

Tratando con Problemas Comunes en las Células.

En Mayo, Celyce y yo ministramos por dos semanas en Tailandia en la Iglesia Evangélica de Bangkok (ECB, por sus siglas en Ingles). Llevando a cabo seminarios y predicaciones, también tuvimos la oportunidad de visitar tres células y compartir individualmente con los lderes, quienes fueron animados a reunirse con Celyce y  conmigo personalmente en cuatro das diferentes.

Entre las visitas a las células y las reuniones con los lderes, observe cuatro problemas en especfico. Estos problemas no son exclusivos de Bangkok. De hecho, los he notado en todo el mundo. Y debido a que son problemas universales, también existen en Bangkok.

Estos son:

  1. Cómo tratar con personas problemáticas. En el caso de Tailandia, encontramos a solicitantes de asilo, de un pas en especfico, el cual no mencionaré en este boletn. Los refugiados asistan a las células de manera masiva, esperando encontrar ayuda. ECB trato con esta situación, teniendo una regla, en la cual cada célula solo poda atender a un refugiado; y el pedir dinero estaba prohibido. Este es sólo un ejemplo de personas problemáticas en las células en todo el mundo. Otras personas problemáticas son los chismosos, personas disfuncionales que no saben cómo relacionarse con los demás, y las personas a las que les gusta entrar en polémica.
  2. La tendencia de aconsejar antes de escuchar. A medida que  visitábamos las células, observamos un problema en especfico. Haba una tendencia a ofrecer consejera y tratar de corregir un problema antes de que el asistente lo compartiera de una manera profunda. Aunque los miembros de las células pueden tener las respuestas, con frecuencia la mayor sanidad llega a través de una escucha cuidadosa, en lugar de dar una respuesta inmediata que tiende a callar a las personas. Claro, hay un tiempo y lugar para dar respuestas. Por ejemplo, acercarse a la persona de manera individual, después de la célula es una gran oportunidad para compartir una verdad bblica.
  3. Tratando con los que hablan mucho (y hacer que los tmidos hablen). Tratar con las personas que hablan mucho fue una temática común entre los lderes que se anotaron para hablar con nosotros. También observe este problema en uno de los grupos que visite. Sin embargo, esta es una situación longeva que se da en los grupos celulares alrededor del mundo. Pero si no se controla, estas personas pueden perjudicar la célula; de esta manera el lder debe saber cómo tratar con estas.
  4. Descuidar aspectos claves en la célula (dinámicas rompehielo, adoración, etc.). Dos de las tres células que visite en Tailandia fueron ejemplares y llenas de vida. Incluso escrib acerca de ellas en un reciente blog. Sin embargo, visite un grupo que falló en realizar una dinámica rompehielo, y me hizo sentir perdido. Un miembro nuevo en la célula se hubiera sentido de la misma manera. En la misma célula se intensifico el tiempo de adoración, y no nos sentamos preparados para la enseñanza que se dio luego. Mantener al grupo en movimiento y en una dieta balanceada de Bienvenida, Adoración, Palabra y Obras ayudan verdaderamente a traer vida a la misma. Claro que hay momentos en el que el Espritu se mueve de manera diferente, pero a menos que ese sea el caso, lo mejor es seguir un orden balanceado en la célula.

En el Mes de Junio, exploraremos este tema de manera más profunda. Si te gustara recibir los veinte blogs en tu inbox, presiona aqu. Se incluiran:

  • Junio 04-10: Cómo tratar con personas problemáticas.
  • Junio 11-17: La tendencia de aconsejar antes de escuchar.
  • Junio 18-24: Tratando con los que hablan mucho (y hacer que los tmidos hablen).
  • Junio 25-Julio 01: Siguiendo un  orden equilibrado en la célula – sin descuidar  las partes clave de la misma.

¿Has observado estos problemas en tu propia célula? ¿Diferentes? No dudes en dejar tu comentario aqu.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Free Facilitator PDF download

This book on how to facilitate a small group will help your ministry

You have Successfully Subscribed!