Asking Powerful Questions in Cell

By Twyla Brickman,

[I, Joel Comiskey, am excited to present Twyla, who has been part of the Cell Church movement for over thirty years, Twyla and her husband, Les, have ministered in Nairobi, Kenya since 2008. She is the creator of the well-known “Boot Camp” (now called Exploring Cell Life) and other cell resources. The following blog is an excerpt from her “The Cell En-CELL-clopedia,” a work of almost 1,000 pages in downloadable pdf format for easy use available at www.strategiccell.com.]

Questions are a big part of any cell gathering. During the Welcome, you kick off the cell by asking an icebreaker question. During the Word, you ask questions to make personal application.  However, your interaction with your cell can’t be scripted! You never know what they may share, to what statements you’ll need to respond, or additional questions you may need to ask to probe that lead into ministry.

Besides the formal questions you ask in cell, as a Cell Leader you are also calling and meeting with your cell members weekly in order to get to know them and provide pastoral care. Asking closed questions won’t get the job done! Only using open-ended questions will you truly be able to find out about them, their lives, needs, concerns, feelings, ideas, etc.

A simple working definition of a closed question is one that can be answered with “yes” or “no”. In a closed question you are really making a statement that you want either confirmed or denied. So often you may do this without even realizing it, but you will not gain new information. The conversation does not go anywhere since you have asked a question that requires only a one-word answer. Sometimes we kill the discussion or conversation ourselves without realizing it due to the use of closed questions!

In contrast to closed questions, open-ended questions require an explanation. It can’t be answered with “yes” or “no”. The person answering is required to think, disclose more of themselves, and provide a fuller answer. How can you be sure you are asking open-ended questions? Begin the question with HOW, WHY, DESCRIBE, TELL ABOUT, or WHAT. Such a question will illicit a deeper response.

Here are some sample Open Questions:

  • Tell me a little more about that.
  • What was significant to you about that experience?
  • How’s school going?
  • What’s been happening in your life during the last week?
  • Describe your feelings as a result of that conversation.
  • Why do you think it hurt you so badly?

To go even deeper, use a Direct question that points straight to the heart of the issue:

  • Who benefits most from that course of action?
  • How does that response line up with Scripture?

Ownership Questions focus on taking responsibility or being proactive:

  • What do YOU think the answer is?
  • How might your actions have contributed to the problem?
  • What do you think God is trying to form in your character in this situation?

Revealing Questions help us look at a situation in a fresh way:

  • What is God’s heart for this person right now? How does He see them?
  • If you could do anything in this area, with unlimited resources, what would it be?

It’s a learned skill, so keep practicing! You will get what you ask for…just be sure you’re asking the right kinds of questions!

You do not have because you do not ask. James 4:2b

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Fazendo Perguntas Poderosas na Célula

Por Twyla Brickman

[Eu, Joel Comiskey, estou animado para apresentar Twyla, que faz parte do movimento da Igreja em Células há 30 anos. Twyla e seu marido Les têm ministrado em Nairóbi, Quênia, desde 2008. Ela é a criadora do famoso “Boot Camp” (“Campo de Treinamento”, em tradução livre, agora chamado de “Exploring Cell Life”- “Explorando a Vida Celular”, em tradução livre) e outros recursos celulares. O seguinte blog é um trecho de “The Cell En-CELL-clopedia”, um trabalho de quase 1.000 páginas em formato pdf para download para uso fácil, disponvel no site www.strategiccell.com]

As perguntas são uma grande parte de qualquer reunião celular. Durante as “Boas-vindas”/Recepção, você inicia a célula fazendo uma pergunta de quebra-gelo. Durante a Palavra, você faz perguntas para fazer uma aplicação pessoal. No entanto, sua interação com sua célula não pode ser engessada! Você nunca sabe o que eles podem compartilhar, quais as afirmações que você precisará responder, ou perguntas adicionais que você precisará fazer para explorar essa liderança no ministério.

Além das perguntas formais que você faz na célula, como lder de célula você também deve ligar e se reunir semanalmente com seus membros da célula para conhecê-los e fornecer cuidados pastorais. Fazer perguntas fechadas não vai funcionar! Somente usando perguntas abertas você realmente poderá descobrir sobre eles, suas vidas, necessidades, preocupações, sentimentos, ideias, etc.

Uma definição simples de uma questão fechada é aquela que pode ser respondida com “sim” ou “não”. Em uma pergunta fechada, você está realmente fazendo uma declaração que deseja que seja confirmada ou negada. Muitas vezes, você pode fazer isso sem sequer perceber, mas você não ganhará novas informações. A conversa não chega a lugar algum, pois você fez uma pergunta que exige uma resposta de apenas uma palavra. Às vezes, matamos a discussão ou a conversa, sem perceber isso devido ao uso de perguntas fechadas!

Em contraste com perguntas fechadas, questões abertas requerem uma explicação. Elas não podem ser respondidas com “sim” ou “não”. A pessoa que responde é obrigada a pensar, revelar mais de si mesma e fornecer uma resposta mais completa. Como você pode ter certeza de que está fazendo perguntas abertas? Comece a pergunta com COMO, POR QUE, DESCREVA, FALE SOBRE ou O QUE. Tal questão irá exigir uma resposta mais profunda.

Aqui estão alguns exemplos de Questões Abertas:

  • Fale-me um pouco mais sobre isso.
  • O que foi significante para você nessa experiência?
  • Como está a escola?
  • O que aconteceu na sua vida na última semana?
  • Descreva os sentimentos que você teve com essa conversa.
  • Por que você acha que isso te machuca tanto?

Para ir ainda mais profundo, use uma pergunta Direta que aponte diretamente para o coração da questão:

  • Quem se beneficia mais desse tipo de ação?
  • Como essa resposta se alinha com as Escrituras?

Perguntas de Propriedade se concentram em assumir a responsabilidade ou ser proativo:

  • Qual você acha que é a resposta?
  • Como as suas ações podem ter contribudo para o problema?
  • O que você acha que Deus está tentando formar em seu caráter nessa situação?

Perguntas reveladoras ajudam-nos a olhar para uma situação de forma diferente:

  • O que está no coração de Deus para essa pessoa agora? Como ele a vê?
  • Se você pudesse fazer qualquer coisa nessa área com recursos ilimitados, o que você faria?

Isso é uma habilidade aprendida, então continue praticando! Você receberá o que você pedir… Apenas tenha certeza de que está fazendo o tipo certo de perguntas!

Não têm, porque não pedem. Tiago 4:2b

Spanish blog:

Haciendo preguntas poderosas en la célula

Por Twyla Brickman

[Yo, Joel Comiskey, estoy emocionado de presentar a Twyla, que ha sido parte del movimiento de la Iglesia Celular por más de treinta años, Twyla y su esposo, Les, han ministrado en Nairobi, Kenia desde 2008. Ella es la creadora del reconocido “Boot Camp” (ahora llamado Exploring Cell Life) y otros recursos celulares. El siguiente blog es un extracto de su “The Cell En-CELL-clopedia”, una obra de casi 1.000 páginas en formato pdf descargable para su fácil uso, disponible en www.strategiccell.com.]

Las preguntas son una gran parte de cualquier célula. Durante la bienvenida, inicia haciendo preguntas para romper el hielo; durante la Palabra, haz preguntas para hacer aplicaciones personales. ¡Sin embargo, tu interacción con la célula no debe estar planeada! Ya que no conoces lo que los miembros podran compartir, las opiniones a las que tendrás que responder, o las preguntas adicionales que necesitaras contestar.

Además de las preguntas formales que haces en la célula, como lder debes llamar y reunirte con los miembros de esta en la semana, para poder conocerles y para proveerles atención pastoral. ¡Hacer preguntas cerradas no hará que cumplas con tú tarea! solo haciendo preguntas abiertas serás verdaderamente capaz de conocer acerca de ellos, de sus vidas, necesidades, preocupaciones, sentimientos, ideas, etc.

Una simple definición para una pregunta cerrada es, una que se puede responder con “s” o un “no”. En una pregunta cerrada lo que realmente estás haciendo es una declaración de que deseas ya sea una confirmación o negación. Muy a menudo harás esto incluso sin notarlo, pero as no obtendrás nueva información. La conversación no va a ninguna parte; ya que has hecho una pregunta que requiere sólo una respuesta de una palabra. ¡A veces nosotros mismos matamos la discusión o la conversación sin darnos cuenta, debido al uso de preguntas cerradas!

En contraste con las preguntas cerradas, las preguntas abiertas requieren de una explicación. No se puede responder con “s” o “no”. La persona que responde tiene que pensar, revelar más de s mismo y dar una respuesta más completa. ¿Cómo puede estar seguro de que está haciendo preguntas abiertas? Empieza la pregunta con un CÓMO, POR QUÉ, DESCRIBA, CUENTEME ACERCA DE, ó QUÉ. Dicha pregunta dará paso a una respuesta más profunda.

Aqu hay algunos ejemplos, Preguntas Abiertas:

  • Cuéntame un poco más sobre eso.
  • ¿Qué significó para ti esa experiencia?
  • ¿Cómo va la escuela?
  • ¿Qué ha estado sucediendo en tu vida durante la última semana?
  • Describe tus sentimientos como resultado de esa conversación.
  • ¿Por qué crees que te duele tanto?

Para ir aún más profundo, utiliza una pregunta directa que señala directamente al corazón del problema:

  • ¿Quién se beneficia más de ese curso de acción?
  • ¿Cómo se ajusta esa respuesta con la Escritura?

Las preguntas de propiedad se centran en asumir la responsabilidad o ser proactivos:

  • ¿Cuál piensas que es la respuesta?
  • ¿Cómo han contribuido tus acciones al problema?
  • ¿Qué crees que Dios está tratando de formar en tu carácter con esta situación?

Las preguntas reveladoras nos ayudan a mirar la situación de una manera fresca:

  • ¿Cómo es el corazón de Dios con esta persona en este momento? ¿Cómo los ve El?
  • Si pudieras hacer algo en esta área, con recursos ilimitados, ¿cuál sera?

Es una habilidad que se debe de aprender, as que sigue practicando! Obtendrás lo que pides… ¡sólo asegúrate de que estas haciendo el tipo correcto de preguntas!

No tenéis lo que deseáis, porque no peds. Santiago 4: 2b

Leave a Reply

Your email address will not be published.