Learning from Mistakes

coach_JoelFamilyWeb

By Joel Comiskey, check out  coaching 

I know pastors who tried cell church ministry, failed at it, and then became cell church critics. They say, “Oh yes, I tried cell church, and it didn’t work.” Or they might say, “Cell church works great in Korea and Africa  but not here in my city.” But often these pastors didn’t keep trying. They were not willing to make mid-course corrections, such as seeking out a coach, visiting another cell church, or reading relevant cell church literature.

The reality is that we rarely get things right the first time. Often we don’t do them right the third and fourth time either. In fact, we grow and mature through the trials and errors we make. Failure is the back door to success and God will bless our efforts.  Pastors and leaders who make it in cell ministry keep pressing on and don’t give up. They practice the title of John Maxwell’s book, Failing Forward. Making mistakes is part of life.  Proverbs 24:16 says, For though a righteous man falls seven times, he rises again, but the wicked are brought down by calamity.”

The cell church training track, for example, is rarely perfected the first time. A pastor and leadership team has to make numerous auto-corrections to perfect the training track. The same is true for any part of cell ministry such as coaching, vision casting, keeping statistics, setting goals, evangelizing, and disciple-making.

Whenever I think of giving up, I’m encouraged by those who overcame failure through persistence:

  • When Thomas Edison invented the light bulb, he tried over two thousand experiments before he got it to work. A young reporter asked him how it felt to fail so many times. He said, “I never failed once. I invented the light bulb. It just happened to be a two thousand-step process.”
  • Winston Churchill failed sixth grade. He did not become prime minister of England until he was sixty-two and then only after a lifetime of defeats and setbacks. His greatest contributions came when he was a “senior citizen.”
  • Albert Einstein did not speak until he was four years old and didn’t read until he was seven. His teacher described him as “mentally slow, unsociable, and adrift forever in his foolish dreams.” He was expelled and refused admittance to the Zurich Polytechnic School.
  • After years of progressive hearing loss, by age forty-six German composer Ludwig van Beethoven had become completely deaf. Nevertheless, he wrote his greatest music—including five symphonies during his later years.

Don’t worry about failed outcomes. Worry about the chances you miss when you don’t even try. Most good things come through testing and making mid-course corrections. If you wait to try until everything is perfect, you most likely will never get there. “But wait a minute,” you might say. “I want everything to be perfect before I try.” Sorry it doesn’t work that way. We learn from our mistakes.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Aprendendo com os Erros

Por Joel Comiskey

Eu sei que os pastores tentaram o ministério da igreja celular, falharam nisso e então se tornaram críticos da igreja celular. Eles dizem: “Oh sim, eu tentei a igreja celular, e isso não funcionou”. Ou eles podem dizer: “A igreja da célula funciona muito bem na Coreia e na África, mas não aqui na minha cidade”. Mas, muitas vezes, esses pastores não mantiveram tentando. Eles não estavam dispostos a fazer correções no meio do caminho, como procurar um treinador, visitar outra igreja celular ou ler literatura relevante da igreja celular.

A realidade é que raramente conseguimos as coisas bem na primeira vez. Muitas vezes, não os fazemos direito na terceira e na quarta vez também. Na verdade, crescemos e amadurecemos através das tentativas e erros que cometemos. A falha é a porta de trás do sucesso e Deus abençoará nossos esforços. Pastores e líderes que fazem isso no ministério celular continuam pressionando e não desistem. Eles praticam o título do livro de John Maxwell, Failing Forward (Falhando para Frente, em tradução livre). Cometer erros é parte da vida. Provérbios 24:16 diz: “Pois, embora um homem justo cai sete vezes, ressuscita, mas os ímpios são derrubados pela calamidade”.

O trilho de treinamento da igreja celular, por exemplo, raramente é aperfeiçoado pela primeira vez. Um pastor e equipe de liderança tem que fazer numerosas auto-correções para aperfeiçoar a pista de treino. O mesmo é verdade para qualquer parte do ministério das células, como o treinamento,  a seleção da visão, a manutenção de estatísticas, a definição de objetivos, a evangelização e a formação de discípulos.

Sempre que penso em desistir, sou encorajado por aqueles que superaram o fracasso através da persistência:

  • Quando Thomas Edison inventou a lâmpada, ele tentou mais de dois mil experimentos antes de começar a trabalhar. Um jovem repórter perguntou-lhe como sentiu em falhar tantas vezes. Ele disse: “Nunca falhei uma vez sequer. Eu inventei a lâmpada. Aconteceu um processo de dois mil passos “.
  • Winston Churchill falhou na sexta série. Ele não se tornou o primeiro-ministro da Inglaterra até os sessenta e dois anos de idade, e só depois de uma vida de derrotas e contratempos. Suas maiores contribuições vieram quando ele era um “cidadão senador”.
  • Albert Einstein não falou até os quatro anos de idade e não leu até os sete. Seu professor o descreveu como “mentalmente lento, insociável e à deriva para sempre em seus sonhos tolos”. Ele foi expulso e recusou a admissão na Escola Politécnica de Zurique.
  • Após anos de perda auditiva progressiva, aos 45 anos, o compositor alemão Ludwig van Beethoven ficou completamente surdo. No entanto, ele escreveu sua maior música – incluindo cinco sinfonias- durante seus últimos anos.

Não se preocupe com resultados falhados. Preocupe-se sobre as chances que você sente quando não tenta. A maioria das coisas boas ocorrem testando e fazendo correções intermediárias. Se você esperar para tentar até que tudo seja perfeito, você provavelmente nunca chegará lá. “Mas espere um minuto”, você pode dizer. “Quero que tudo seja perfeito antes de tentar.” Desculpe, não funciona assim. Nós aprendemos com nossos erros.

Spanish blog:

Aprendiendo de los errores

Por Joel Comiskey

Conozco pastores que intentaron implementar el ministerio de la iglesia celular, fracasaron en ello, y luego se convirtieron en críticos de esta. Ellos dicen: “Oh, sí, he intentado con la iglesia celular, y no funcionó.” O podrían decir, “La iglesia celular funciona muy bien en Corea y África, pero no aquí, en mi ciudad.” Pero a menudo estos pastores no siguen intentado. No estaban dispuestos a hacer correcciones a medio camino, como buscar un entrenador, visitar otra iglesia celular o leer literatura relevante de la iglesia celular.

La realidad es que raramente hacemos las cosas bien la primera. A menudo no las hacemos bien la tercera y cuarta vez tampoco. De hecho, crecemos y maduramos a través de los ensayos y errores que cometemos. El fracaso es la puerta trasera del éxito y Dios bendecirá nuestros esfuerzos; los pastores y los líderes que logran tener éxito en el ministerio celular siguen presionando y no se rinden. Ponen en practica el título del libro de John Maxwell, Failing Forward (El lado positivo del fracaso). Cometer errores es parte de la vida. Proverbios 24:16 dice:”Porque siete veces cae el justo, y vuelve a levantarse; Mas los impíos caerán en el mal.”

La pista de entrenamiento de la iglesia celular, por ejemplo, rara vez se perfecciona la primera vez. Un pastor y su equipo de liderazgo tiene que hacer numerosas auto-correcciones para perfeccionar la pista de entrenamiento. Lo mismo ocurre para cualquier parte del ministerio celular, como capacitaciones, visión, mantener estadísticas, establecer metas, evangelizar y hacer discípulos.

Cada vez que pienso en renunciar, me siento alentado por aquellos que superaron el fracaso a través de la persistencia:

  • Cuando Thomas Edison inventó la bombilla, probó más de dos mil experimentos antes de hacelo funcionar. Un joven reportero le preguntó cómo se sentía al fallar tantas veces. Él dijo: “Nunca fracasé. Inventé la bombilla, simplemente fue un proceso de dos mil pasos “.
  • Winston Churchill repitió sexto grado. No se convirtió en primer ministro de Inglaterra hasta los sesenta y dos años y sólo después de una vida de derrotas y contratiempos. Sus mayores contribuciones llegaron cuando él era un “anciano”.
  • Albert Einstein no habló hasta que tenía cuatro años y no leyó hasta que tenía siete años. Su maestro lo describió como “mentalmente lento, inadaptado y siempre a la deriva con sus sueños tontos”. Fue expulsado y se le negó ser admitido en la Escuela Politécnica de Zurich.
  • Después de años de pérdida auditiva progresiva, a los cuarenta y seis años, el compositor alemán Ludwig van Beethoven se había quedado completamente sordo. Sin embargo, escribió su mejor música, incluyendo cinco sinfonías durante sus últimos años.

No te preocupes por los resultados fallidos, preocúpate de las posibilidades que te pierdas cuando ni siquiera lo estas intentas. La mayoría de las cosas buenas vienen a través de pruebas y al hacer correcciones a mitad de curso. Si esperas a intentar hasta que todo sea perfecto, lo más probable es que nunca lo logres. “Pero espera un minuto”, podrías decir. “Quiero que todo sea perfecto antes de intentarlo.” Lo siento, no funciona de esa manera. Aprendemos de nuestros errores.

Leave a Reply

Your email address will not be published.