God Is the Center of the Cell

coach_mario2016speakingBy Mario Vega, www.elim.org.sv

God created man to have fellowship with him, and so God visited Adam in the garden of Eden. The fellowship continued until the moment when man sinned. From then on, God began his efforts to reestablish fellowship with his creation. Initially he tried to do it by selecting Abraham. God established a covenant with Abraham and his offspring based on altars and animal sacrifices. From the patriarchs, he established a new people, the nation of Israel. Some centuries later through Moses, God gave them the law to live in holiness, and  so he could dwell among them. In fact, the tabernacle was designed to be at the center of the Israelite camp.

But God’s people sinned again and again, and the tabernacle of God had to be taken out of the camp. Later, Solomon built the temple for the dwelling of God in the midst of his people. But, in the deportation, Ezekiel the prophet could see how the glory of God left the temple and his people due to their repeated sins. But, God did not renounce his desire to dwell among his people.

God sent his only son, not only to dwell among men but also to become a man. By taking human nature, God decided to unite with man forever; that’s why his name is Emmanuel. When He ascended to the father, Jesus continued to be present in the midst of his people, his church, which is his mystical body. Wherever two or three meet in his name, he is always present. The presence of God in the midst of men is a reality in every cell. God’s desire comes true every time his people come together; he has fellowship with us when we have fellowship with one another. In each cell it is a wonderful reality that is repeated as many times as the believers come together in his name.

 Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Deus É O Centro Da Célula

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Deus criou o homem para ter comunhão com ele, e Deus visitou Adão no jardim do Éden. A irmandade continuou até o momento em que o homem pecou. A partir de então, Deus começou seus esforços para restabelecer a comunhão com sua criação. Inicialmente ele tentou fazê-lo selecionando Abraão. Deus estabeleceu uma aliança com Abraão e sua prole com base em altares e sacrifícios de animais. Dos patriarcas, ele estabeleceu um novo povo, a nação de Israel. Alguns séculos depois, através de Moisés, Deus lhes deu a lei para viver em santidade, e assim ele poderia habitar entre eles. De fato, o tabernáculo foi projetado para estar no centro do campo israelita.

Mas o povo de Deus pecou uma e outra vez, e o tabernáculo de Deus teve que ser retirado do campo. Mais tarde, Salomão construiu o templo para a habitação de Deus no meio do seu povo. Mas, na deportação, Ezequiel, o profeta, podia ver como a glória de Deus deixou o templo e seu povo devido aos seus pecados repetidos. Mas, Deus não renunciou ao desejo de habitar entre seu povo.

Deus enviou seu único filho, não só para habitar entre os homens, mas também para se tornar um homem. Ao tomar a natureza humana, Deus decidiu se unir com o homem para sempre; é por isso que o nome dele é Emmanuel. Quando Ele ascendeu ao pai, Jesus continuou a estar presente no meio do seu povo, a sua igreja, que é o seu corpo místico. Onde dois ou três se encontram em seu nome, Ele está sempre presente. A presença de Deus no meio dos homens é uma realidade em cada célula. O desejo de Deus se torna realidade toda vez que seu povo se junta; Ele tem comunhão conosco quando temos comunhão uns com os outros. Em cada célula é uma realidade maravilhosa que é repetida tantas vezes quanto os crentes se juntam em seu nome.

Spanish blog:

Dios en el centro de la célula

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Dios creó al hombre para tener comunión con él. Dios visitaba a Adán en el jardín, en Edén. La comunión continuó hasta el momento en que el hombre pecó. A partir de entonces, Dios inició sus esfuerzos para restablecer su comunión con su creación. Inicialmente trató de hacerlo seleccionando a un hombre justo. Él era Abraham y estableció relación con él y sus hijos por medio de sacrificios en los altares que construyeron. De los patriarcas formó un nuevo pueblo que fue Israel. Algunos siglos después, a través de Moisés, les entregó la ley para que vivieran en santidad y él pudiera morar entre ellos. De hecho, el tabernáculo fue diseñado para estar al centro del campamento israelita.

Pero, el pueblo pecó muchas veces y el tabernáculo de Dios tuvo que ser sacado del campamento. Posteriormente, Salomón construyó el templo para morada de Dios en medio de su pueblo. Pero, en la deportación, el profeta Ezequiel pudo ver cómo la gloria de Dios abandonaba el templo y a su pueblo a causa de sus repetidos pecados. Pero, Dios no renunció a su deseo de morar con su pueblo. Fue así como envió a su único hijo. Esta vez Dios no solamente vino a morar entre los hombres sino que se hizo hombre. Al tomar la naturaleza humana, Dios decidió unirse para siempre con el hombre; por eso su nombre es Emmanuel. Al ascender al padre, Jesús continuó presente en medio de su pueblo, su iglesia, que es su cuerpo místico. Dondequiera que se reúnan dos o tres en su nombre él está siempre presente. La presencia de Dios en medio de los hombres es una realidad en cada célula. El deseo de Dios se hace realidad cada vez que su pueblo se reúne; él tiene comunión con nosotros cuando nosotros tenemos comunión los unos con los otros. En cada célula es una maravillosa realidad que se repite todas las veces que los creyentes lo deseen.

Leave a Reply

Your email address will not be published.