The Habit of Making Disciples

By Joel Comiskey, check out  coaching 

Jim Berry writes in his book, The Power of Habit,  ”The kind of life we lead today is essentially the product of our habits – our daily routines, our daily processes.” In this month’s newsletter, I talked about Freddy Noble’s church in Manhattan, New York. I first gave a seminar there in 2005, and at that time, the church had been transitioning for a couple years. I rejoice that today cell ministry has become a habit for him and his people.  Freddy continues to lead a cell group, coaches and equips leaders, and gives clear vision and direction to the church.

Even today, Freddy has to guard against well-meaning people who blur the vision, but the good news is that it’s far easier now to stay on course than before. Why? Because cell ministry has become part of the culture. It’s a lifestyle, a habit. The members attend cells each week as part of who they and what they do. Yes, Freddy still has to occasionally say “no” to competing programs, but most of the members are becoming disciples through cell ministry and their example speaks loudly and clearly about the vision of the church. Paul pointed to the changed lives of his disciples when people had questions,

You yourselves are our letter, written on our hearts, known and read by everyone. You show that you are a letter from Christ, the result of our ministry, written not with ink but with the Spirit of the living God, not on tablets of stone but on tablets of human hearts” (2 Corinthians 3:2).

Freddy simply points to what the church is already doing when people have other agendas. He encourages everyone to start the process of becoming a disciple through cell ministry, rather than just sitting and watching others minster.

I coach another pastor who recently said to me, “Joel, my goal this year is for my people to really understand that cell ministry is all about making disciples who make disciples.  Four years ago, I thought that changing the coaching structure would make the difference, but I failed to help the people grasp the deeper value of the why of cell ministry, and the importance of disciple-making.”

This pastor confessed to me that for many years he was focused on outward, structural changes but now realizes that the key is making cell ministry a life-style and habit. This pastor is looking for permanent change in his church.

Former prime minister of the United Kingdom, Margaret Thatcher,  once said, “Watch your actions for they become…habits. Watch your habits, for they become your character. And watch your character, for it becomes your destiny.”  What about you? Is cell ministry a habit? Whether your leading a group, attending one, or pastoring a church, ask Jesus to deepen your convictions and habits so that making disciples becomes a lifestyle.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Hábito de Fazer Discípulos

Por Joel Comiskey

Jim Berry escreve em seu livro The Power of Habit (O Poder do Hábito, em tradução livre): “O tipo de vida que levamos hoje é essencialmente o produto de nossos hábitos – nossas rotinas diárias, nossos processos diários.” No boletim deste mês, falei sobre a igreja de Freddy Noble em Manhattan, Nova york. O ministério celular se tornou um hábito para ele e seu povo. Eu dei um seminário lá pela primeira vez em 2005 e, naquela época, a igreja estava em transição há alguns anos. Alegro-me que hoje o ministério celular se tornou um hábito para ele e seu povo. Freddy continua a liderar uma célula, treina e equipa líderes e dá visão clara e direção à igreja.

Mesmo hoje, Freddy tem que se proteger contra pessoas bem-intencionadas que obscurecem a visão, mas a boa notícia é que agora é muito mais fácil continuar no caminho do que antes. Por quê? Porque o ministério celular se tornou parte da cultura. É um estilo de vida, um hábito. Os membros comparecem nas células a cada semana como parte de quem eles são e do que fazem. Sim, Freddy ainda tem que ocasionalmente dizer “não” para programas concorrentes, mas a maioria dos membros estão se tornando discípulos através do ministério de células e seu exemplo fala alto e claramente sobre a visão da igreja. Paulo apontou para as vidas mudadas de seus discípulos quando as pessoas tinham perguntas:

“Vocês mesmos são a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos.Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos” (2 Coríntios 3:2-3).

Freddy simplesmente aponta para o que a igreja já está fazendo quando as pessoas têm outras agendas. Ele encoraja todos a iniciar o processo de se tornar um discípulo através do ministério de células, ao invés de apenas sentar e assistir os outros ministrarem.

Eu treino outro pastor que me disse recentemente:

Joel, meu objetivo este ano é que meu povo realmente entenda que o ministério de células é sobre fazer discípulos que fazem discípulos. Há quatro anos achei que mudar a estrutura de treinamento faria a diferença, mas não consegui ajudar as pessoas a compreender o valor mais profundo do porquê do ministério celular e a importância de fazer discípulos.

Este pastor confessou que por muitos anos ele estava focado em mudanças estruturais externas, mas agora percebe que a chave é tornar o ministério celular um estilo de vida e hábito. Este pastor está procurando uma mudança permanente em sua igreja.

A ex-primeira ministra do Reino Unido, Margaret Thatcher, disse certa vez: “Cuidado com suas ações, pois elas se tornam… hábitos. Observe seus hábitos, pois eles se tornam seu caráter. E observe seu caráter, pois ele se torna seu destino”. E você? O ministério celular é um hábito? Quer você esteja liderando uma célula, frequentando uma ou pastoreando uma igreja, peça a Jesus que aprofunde suas convicções e hábitos para que fazer discípulos se torne um estilo de vida.

Spanish blog:

El hábito de hacer discípulos.

Por Joel Comiskey

Jim Berry escribe en su libro The Power of Habit, “El tipo de vida que llevamos hoy es esencialmente el producto de nuestros hábitos: nuestras rutinas diarias, nuestros procesos diarios”. En la carta de este mes, hablé sobre la iglesia de Freddy Noble en Manhattan, Nueva York. El ministerio celular se ha convertido en un hábito para él y su gente. Primero di un seminario allí en 2005, y en ese momento, la iglesia había estado en transición durante un par de años. Me alegra que hoy el ministerio celular se haya convertido en un hábito para ellos. Freddy sigue liderando un grupo celular, entrena y equipa a los líderes, y les da una visión y dirección claras a la iglesia.

Incluso ahora, Freddy tiene que protegerse de las personas bien intencionadas que hacen que la visión se vuelva borrosa, pero la buena noticia es que ahora es mucho más fácil mantenerse en el rumbo correcto. ¿Por qué? Porque el ministerio celular se ha convertido en parte de su cultura; es un estilo de vida, un hábito. Los miembros asisten a las células cada semana como parte de lo que son y de lo que hacen. Sí, Freddy todavía tiene que decir “no” ocasionalmente a los programas que compiten con las células, pero la mayoría de los miembros se están convirtiendo en discípulos a través del ministerio celular y su ejemplo habla alto y claro sobre la visión de la iglesia. Pablo señaló las vidas restauradas  de sus discípulos cuando la gente tenía preguntas,

Nuestras cartas sois vosotros, escritas en nuestros corazones, conocidas y leídas por todos los hombres; siendo manifiesto que sois carta de Cristo expedida por nosotros, escrita no con tinta, sino con el Espíritu del Dios vivo; no en tablas de piedra, sino en tablas de carne del corazón.”(2 Corintios 3: 2).

Freddy simplemente señala lo que la iglesia ya está haciendo cuando las personas tienen otras agendas. Él alienta a todos a comenzar el proceso de convertirse en un discípulo a través del ministerio celular, en lugar de simplemente sentarse y mirar a los demás ministrar.

Ayudo a otro pastor que recientemente me dijo: “Joel, mi objetivo este año es que mi gente realmente entienda que el ministerio celular se trata de hacer discípulos que hagan discípulos. Hace cuatro años, pensé que cambiar la estructura de entrenamiento marcaría la diferencia, pero falle al no ayudar a las personas a comprender el valor más profundo, del porqué del ministerio celular, así como la importancia de hacer discípulos.”

Este pastor me confesó que durante muchos años se había centrado en los cambios estructurales externos, pero ahora se da cuenta de que la clave es hacer del ministerio celular un estilo de vida y un hábito. Este pastor está buscando un cambio permanente en su iglesia.

La ex primer ministra del Reino Unido, Margaret Thatcher, dijo: “Cuida tus acciones porque se convierten en… hábitos”. Cuida tus hábitos, ya que se convierten en tu carácter. Y cuida tu carácter, porque este se convierte en tu destino”. ¿Qué hay cerca de ti? ¿Es el ministerio celular un hábito? Ya sea que seas líder de una célula, asistas a una o pastorees una iglesia, pídele a Jesús que profundice tus convicciones y hábitos para que hacer discípulos se convierta en un estilo de vida.

2 thoughts on “The Habit of Making Disciples

  • Thanks Joel for this article. I have come to learn that making disciples should always be at the center of any church planting exercise. It has taken a few years to get our leaders to realize that the cell is designed for raising other cell leaders. What I find is that a new cell leader is so happy that they finally have 4 or 5 regular attenders, that they become satisfied and stop reaching out. If making disciples becomes a habit, we can keep doing it regardless of location or how many disciples we have already brought to Jesus.

    • We have found this very true as well. The leader needs to constantly help the members to exercise their muscles and grow in evangelism. Thanks for sharing

Leave a Reply to Ade Cancel reply

Your email address will not be published.