First Things First

por Mario Vega, www.elim.org.sv

There are many tasks imposed on leaders. Some of those tasks are part of his job and others are what people think they should do. But, each leader must have priorities. And the first priority is to foster the relationships that lead to making disciples; that is, focusing on those who will become future leaders. That priority demands all the attention and all the efforts of the leader. Consequently, there will be other things that he will not be able to do, no matter how hard he tries. But leaving things undone is a necessary counterpart when you want to achieve extraordinary results.

It should not be considered a failure not to do everything that people believe the leader should do. The reality is that it’s not humanly possible. Therefore, if the leader is dedicated to trying to do everything, he will end up doing nothing. On the contrary, he should focus on his priority, and yes, there will always be things left undone.  It will not matter what is left to do if what was done was the priority. If the leader works on his priority, he will automatically lose balance by dedicating more time to one thing to the detriment of another. So, the problem is not that he will lose his balance, because he must lose it. Rather, he must prioritize and concentrate on his essential work of making disciples that in turn will make other disciples.

Korean blog

Portuguese blog:

O Mais Importante Primeiro

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Existem muitas tarefas impostas aos líderes. Algumas dessas tarefas fazem parte de seu trabalho e outras são o que as pessoas acham que eles deveriam fazer. Contudo, cada líder deve ter prioridades. E a primeira delas é nutrir as relações que levam a fazer discípulos; isto é, manter o foco naqueles que se tornarão futuros líderes. Essa prioridade exige toda a atenção e todos os esforços do líder. Consequentemente, haverá outras coisas que ele não poderá fazer, por mais que tente. Mas deixar de fazer certas coisas é uma contrapartida necessária quando você deseja alcançar resultados extraordinários.

Não pode ser considerado um fracasso não fazer tudo o que as pessoas acreditam que o líder deveria fazer. A realidade é que isso não é humanamente possível. Portanto, se o líder é dedicado a tentar fazer tudo, ele acabará fazendo nada. Pelo contrário, ele deve se concentrar em sua prioridade. Em qualquer caso, sempre haverá coisas que não serão feitas. Não vai importar o que faltou fazer se a prioridade foi feita. Se o líder trabalhar em sua prioridade, ele perderá automaticamente o equilíbrio dedicando mais tempo a uma coisa em detrimento de outra. Então, o problema não é que ele perderá o equilíbrio, porque ele de fato deve perdê-lo. Em vez disso, ele deve priorizar e se concentrar em seu trabalho essencial de fazer discípulos que, por sua vez, farão outros discípulos.

Spanish blog:

El enfoque prioritario del líder.

por Mario Vega, www.elim.org.sv

Hay muchas tareas que se le imponen a los líderes. Algunas de esas tareas son parte de su trabajo y otras son las que las personas creen que debe hacer. Pero, cada líder debe poseer una prioridad. Esa prioridad debe ser la de fomentar las relaciones que conducen a hacer discípulos; es decir, personas que luego asumirán la tarea del liderazgo. Esa prioridad demanda toda la atención y todos los esfuerzos del líder. Consecuentemente, habrá otras cosas que no alcanzará a hacer por mucho que se esfuerce. Pero, dejar cosas sin hacer es una contrapartida necesaria cuando se quieren obtener resultados extraordinarios.

No se debe considerar una falta el no hacer todo lo que la gente cree que el líder debe hacer. Eso es humanamente imposible. Por tanto, si el líder se dedica a tratar de hacer todo terminará haciendo nada. Por el contrario, debe enfocarse en su prioridad. De todas maneras siempre habrá cosas que no se harán. No importará lo que se deje de hacer si lo que sí se hizo fue la prioridad. Si el líder trabaja en su prioridad perderá automáticamente el equilibrio al dedicar más tiempo a una cosa en detrimento de otra. Así pues, la dificultad no está en que pierda el equilibrio, ya que deberá perderlo. La dificultad es que lo pierda descuidando su trabajo esencial de hacer discípulos que a su vez generan otros discípulos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.