Natural Development Of Cell Members Into Leaders, part 1

By Ralph Neighbour

While playing as a small child, my shoe lace became untied. Dr. Ben was walking by,, having just finished a house call. I whimpered, “Dr. Ben, please tie my shoe!” That had always worked with my mother. With a loving smile, she fixed everything for her little boy.

“Young man, why don’t you tie your own shoe?” said Dr. Ben. “I don’t know how,” I answered.

Instead of tying my shoe for me, he taught me how, step by step. First he showed me how he did it. Then he made me try, over and over, until I had done it several times. Why do I remember that after about 87 years? It was the first time someone took the time to show and train me.

When I got my first bike, my Dad patiently coached me until I could take off safely on my own. He did the same when I turned sixteen and started to drive his car.

The time to begin developing leadership is at the birth of new believers. The first step is to focus attention on the new presence of God living inside their skin. We have not paid enough attention to helping the new believer sense the activity of the indwelling Presence: “But you know Him, for He lives with you and will be in you” (John 14:17).

The cell is the context for the little child to experience the activity of God in the sharing times. When confession leads to anointed responses by others, the leader should take advantage of the moment to point out how God inspired the spiritual energy that flowed. By pointing this out, the new believer will be sensitized to the power of prophesying (I Cor. 14:3).

Nothing is as important for spiritual maturity than knowing God. A little child in the typical family knows nothing about Daddy except he hugs me and sometimes plays with me. To be a future Father this babe must “know Him who is from the beginning.” If little emphasis is given to supernatural events in cell life when the level rises to God-controlled moments, leadership will rise at the human level of skill rather than anointing.

Pastor Mario Vega shares the story of his early development when he preached an early sermon . The pastor of Elim at the time commented, “That was ok, but you did not have the anointing.” Frustrated, Vega tried several more time but got the same response – no anointing. Then one day at a street meeting an atheist heckler was interrupting the message and the Holy Spirit took over. He spoke with great passion and the pastor said, “That was the anointing. Now you know the difference!”

God-anointed leadership must be observed and then experienced early in the life of a believer.

If the cell leader will be a “Dr. Ben” in the cell, maturity will grow in the little children as they watch and then experience the divine flow of God ministering through them.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Desenvolvimento Natural de Membros da Célula em Líderes, parte 1

Por Ralph Neighbour

Enquanto eu brincava quando criança, meu cadarço ficou desamarrado. O Dr. Ben estava passando após terminar de atender a chamada de uma casa. Eu choraminguei: “Dr. Ben, por favor amarre meu sapato!”. Isso sempre funcionou com minha mãe. Com um sorriso amoroso, ela consertava tudo para o seu garotinho.

“Meu jovem, por que você não amarra seu próprio sapato?”, disse o Dr. Ben. “Eu não sei como”, eu respondi.

Em vez de amarrar meu sapato para mim, ele me ensinou como, passo a passo. Primeiro ele me mostrou como ele fazia. Então ele me fez tentar, mais e mais, até que eu consegui amarrar várias vezes. Por que eu me lembro disso depois de 87 anos? Foi a primeira vez que alguém teve tempo para me mostrar e me treinar.

Quando peguei minha primeira bicicleta, meu pai me treinou pacientemente até que eu pudesse “decolar” com segurança sozinho. Ele fez o mesmo quando fiz dezesseis anos e comecei a dirigir o carro dele.

A hora de começar a desenvolver a liderança é no nascimento dos novos crentes. O primeiro passo é concentrar a atenção na nova presença de Deus que vive dentro de suas peles. Não prestamos atenção suficiente para ajudar o novo convertido a sentir a atividade da Presença em seu interior: “Mas vocês O conhecem porque Ele está com vocês e viverá em vocês” (João 14:17).

A célula é o contexto para a criança pequena experimentar a atividade de Deus nos momentos de compartilhar. Quando a confissão leva à respostas ungidas das outras pessoas, o líder deve aproveitar o momento para apontar como Deus inspirou a energia espiritual que fluiu. Ao apontar isso, o novo convertido vai ser sensibilizado ao poder de profetizar (1 Cor. 14:3).

Nada é tão importante para a maturidade espiritual do que conhecer a Deus. Uma criança pequena da família típica não sabe nada sobre o papai, a não ser que “ele me abraça e às vezes brinca comigo”. Para ser um futuro pai, este bebê deve “conhecer Aquele que é desde o princípio”. Se pouca ênfase é dada a eventos sobrenaturais na vida celular quando o nível sobe para momentos controlados por Deus, a liderança crescerá no nível humano de habilidade, em vez de em unção.

O pastor Mario Vega compartilha a história de seu desenvolvimento inicial quando pregou um sermão. O pastor de Elim na época comentou: “Foi tudo bem, mas você não tem a unção”. Frustrado, Vega tentou várias outras vezes, mas obteve a mesma resposta – nenhuma unção. Então, um dia em uma reunião na rua, um ateu questionador estava interrompendo a mensagem e o Espírito Santo assumiu. Mario falou com grande paixão e seu pastor disse: “Essa foi a unção. Agora você sabe a diferença!”.

A liderança ungida por Deus deve ser observada e então experimentada logo no início da vida de um convertido.

Se o líder de célula for um “Dr. Ben” na célula, a maturidade vai crescer nos “pequeninos” à medida que eles  assistem e experimentam o fluir divino de Deus ministrando através deles.

Spanish blog:

Desarrollo natural de los miembros de la célula para convertirse en líderes, parte 1

Por Ralph Neighbor

Mientras jugaba cuando era un pequeño niño, la cinta de mis zapatos se desataba. El Dr. Ben estaba caminando, acababa de terminar una visita a domicilio. Lloriqueé, “Dr. ¡Ben, por favor, ate mi zapato! “Eso siempre había funcionado con mi madre. Con una sonrisa amorosa, arreglaba todo para su pequeño niño.

“Joven, ¿por qué no te atas tu propio zapato?”, Dijo el Dr. Ben. “No sé cómo hacerlo”, le respondí.

En lugar de atarme el zapato, me enseñó cómo hacerlo, paso a paso. Primero me mostró cómo lo hacía él. Luego me hizo probar, una y otra vez, hasta que lo hice varias veces. ¿Por qué recuerdo eso después de unos 87 años? Era la primera vez que alguien se tomaba el tiempo para mostrarme y entrenarme.

Cuando tuve mi primera bicicleta, mi papá me guió pacientemente hasta que pude montarla sólo. Él hizo lo mismo cuando cumplí dieciséis años y comencé a conducir su carro.

El momento de comenzar a desarrollar liderazgo es en el nacimiento de nuevos creyentes. El primer paso es enfocar la atención en la nueva presencia de Dios viviendo dentro de su piel. No hemos prestado suficiente atención para ayudar al nuevo creyente a sentir la actividad de la Presencia que mora en nosotros: “Pero tú lo conoces, porque Él vive contigo y estará en ti” (Juan 14:17).

La célula es el contexto para que el niño pequeño experimente la actividad de Dios en los momentos que tenemos para compartir. Cuando la confesión conduce a respuestas ungidas por otros, el líder debe aprovechar el momento para señalar cómo Dios inspiró la energía espiritual que fluyó. Al señalar esto, el nuevo creyente será sensibilizado al poder de profetizar (I Corintios 14: 3).

Nada es tan importante para la madurez espiritual como conocer a Dios. Un niño pequeño en una típica familia no sabe nada de papá, salvo que lo abraza y a veces juega con él. Para ser un futuro padre, este niño debe “conocer a Aquel que es desde el principio”. Si se da poco énfasis a los eventos sobrenaturales en la vida celular cuando el nivel se eleva a los momentos controlados por Dios, el liderazgo aumentará en el nivel humano de habilidad en lugar de la unción.

El pastor Mario Vega comparte la historia de su desarrollo al inicio de su ministerio, cuando predicó uno de sus primeros sermones. El pastor de Elim en el momento comentó: “Estuvo bien, pero no tuve la unción”. Frustrado, Vega intentó varias veces más pero obtuvo la misma respuesta: no había unción. Entonces, un día, en una reunión en la calle, un ateo interrumpió el mensaje y el Espíritu Santo se hizo cargo. Él habló con gran pasión y el pastor dijo: “Esa fue la unción. ¡Ahora conoces la diferencia! ”

El liderazgo ungido por Dios debe ser observado y luego experimentado al inicio de la vida de un creyente.

Si el líder de la célula será un “Dr. Ben ” en el grupo, la madurez crecerá en los niños pequeños mientras miran y luego experimentan el flujo divino de Dios ministrando a través de ellos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Free Facilitator PDF download

This book on how to facilitate a small group will help your ministry

You have Successfully Subscribed!