Observe to Prevent

By Gerardo Campos, district pastor at Elim Church, www.elim.org.sv

David Cho says that the most important role in cell ministry is that of the coach.  The church needs them so much! But what do the best coaches do? Among the great virtues that a coach must have is to be far-sighted, that is, to anticipate problems before they occur. This is only possible through great observation that  leads to asking deep questions, such as, What needs to be improved? For example, when the coach visits a cell group, it’s important to observe and discern the good things and those areas that need work.  Are destructive habits forming? What’s worthy of praise? Another great question is, “What would happen if…?  Generating insightful questions lead the coach to foresee those things that damage, deform and spoil the cells.

I usually have meetings with my team of coaches of the district that I coordinate in Elim, and on one occasion we discussed how to prevent a cell from closing that was going to lose the leader. It was then that Ricardo Mejía said that he had been a coach for twenty years and that he had never closed a single cell. Everyone was surprised and some were even skeptical. He explained how he had done it. It turns out that Ricardo was a far-sighted person when coaching. He could tell in advance when a host could not continue opening his or her house, so with anticipation he would look for someone else. He also learned in advance when a cell leader would not continue leading the cell, and he looked for someone else in advance. I admire Ricardo’s persistent work!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Observar para Prevenir

Por Gerardo Campos, pastor de distrito na Elim Church, www.elim.org.sv

David Cho diz que o papel mais importante no ministério celular é o do treinador. A igreja precisa muito deles! Mas o que os melhores treinadores fazem? Entre as grandes virtudes que um treinador deve ter, ele deve ser perspicaz, isto é, antecipar os problemas antes que eles ocorram. Isso só é possível através de uma grande observação que leva a fazer perguntas profundas, como: O que precisa ser melhorado? Por exemplo, quando o treinador visita uma célula, é importante observar e discernir como estão as coisas. Os hábitos destrutivos estão se formando? O que é digno de louvor? Outra ótima pergunta é: “O que aconteceria se…?”. Gerar perguntas perspicazes leva o treinador a prever as coisas que danificam, deformam e estragam as células.

Normalmente, tenho reuniões com minha equipe de treinadores de distrito que coordeno em Elim e, em uma ocasião, discutimos como impedir que uma célula fechasse e que ela perdesse o líder. Foi então que Ricardo Mejía disse que era treinador há vinte anos e que nunca havia fechado uma única célula. Todos ficaram surpresos e alguns ficaram até céticos em relação às suas palavras. Ele explicou como havia feito isso. Acontece que Ricardo era uma pessoa perspicaz quando treinava. Ele sabia com antecedência quando um anfitrião não podia continuar abrindo a casa para a célula, portanto, com antecipação, procurava outra pessoa. Ele também notava com antecedência quando um líder de célula não podia continuar liderando a célula e procurava outra pessoa com antecedência. Eu admiro seu trabalho persistente!

Spanish blog:

Observar para prevenir

Por Gerardo Campos, pastor de distrito na Elim Church, www.elim.org.sv

David Cho dice que el rol más importante en el ministerio celular es el del supervisor. ¡Cuánto los  necesita la iglesia! Pero ¿qué hacen los mejores supervisores? Entre las grandes virtudes que un supervisor ha de tener está el de ser un previsor, es decir, anticiparse a los problemas antes que ocurran. Eso será posible a través de una buena observación que le lleve a preguntarse siempre que visite una célula ¿Cómo están las cosas allí? ¿Se están formando hábitos destructivos? Generar una serie de respuestas a la pregunta ¿Qué pasaría si…? También le llevarán a prever aquellas cosas que dañan, deforman y echan a perder las células.

Suelo tener reuniones con el equipo de supervisores y supervisoras del distrito que coordino en Elim, y en cierta ocasión discutíamos sobre cómo evitar que una célula se cierre, eso comúnmente ocurre cuando se pierde al líder. Fue entonces cuando Ricardo Mejía dijo que tenía veinte años de ser supervisor y que a través de todo ese tiempo nunca había cerrado una sola célula. Todos se sorprendieron y algunos hasta se mostraron escépticos a sus palabras, ante lo cual él explicó cómo lo había logrado. Resulta que Ricardo era todo un previsor al supervisar, lograba darse cuenta cuándo un anfitrión no podría seguir dando su casa para la célula, al platicar con los líderes conocía también cuándo alguno tendría inconvenientes para seguir al frente de la célula; y era así como trabajaba anticipadamente en las soluciones. ¡Admiro su persistente trabajo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.