Why shouldn’t we focus on planting churches?

By Roberto Bottrel [serving European churches, challenging them to make disciple-makers through cells that multiply (centraldna.org). Author of the book Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church (available @amazon.com)]

I have been traveling through Europe and have seen many church-planting initiatives, but still, the results are not so exciting: only very small churches that struggle to move on. I started asking myself why we are working so much and not being so effective. After learning about how many started new churches and also talking to several church planters, I see that we might be making a huge mistake: We are not focusing on the most important.

This is what I have seen in Brazil and in many countries in Europe, when we want to plant a new church: we gather a team, go to the new place, start a meeting in a home and slowly gather some new people (most of the times, stranded Christians in the area). After a few months, the original home doesn’t fit anymore, so the new group rents a facility and starts the desired Sunday services. “Victory! We have planted a new church.” Then, the church will grow to 40 people or sometimes up to 60, but very few new believers, very few baptisms, hardly any new leaders. Very little disciple-making. And it goes on like that for several years. But since the focus was on planting a church, we are ok. “Mission accomplished”. No, sorry. The mission has not been accomplished.

When we read through the New Testament do we find any commandments about planting churches? “Go and plant churches in all nations!” No, nothing like that. When Paul went on his journeys he never said that he was out there to plant churches – “…my only aim is to finish the race and complete the task the Lord Jesus has given me—the task of testifying to the good news of God’s grace.” (Acts 20:24 NIV). What we read about Paul is that “… in Damascus he had preached fearlessly in the name of Jesus. (…) in Jerusalem, speaking boldly in the name of the Lord. (Acts 9:27-28). He was not focused in planting churches. He was focused in sharing the Good News, in preaching the Gospel. He was focused on fulfilling the great Commission. Paul was all about making disciples!

The result of this very clear focus was that the many new disciples would get together and start living out their faith, building this new community of believers. Then they would get organized and raise the leadership of that group. The new church was always a consequence of making disciples.

God is on the move. Why? God loves people. He wants to reach the lost. And He told us to love people and bring them to him. He told us to preach the Gospel. He told us to make disciples. That is what it is all about. But, you may ask, what about the church? Don’t worry! It is HIS church and he left it very clear: “… I will build my church…” (Matthew 16:18 NIV)

In a next blog I will share about what happens when we go to a new place and the focus is not on planting a new church.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Por que não devemos nos concentrar em plantar igrejas?

Por Roberto Bottrel (servindo igrejas europeias, desafiando-as a fazerem discípulos e discipuladores através de células que multiplicam [centraldna.org]. Autor do livro Multiplication, The challenge before every Christian, every Leader, and the Church [disponível em @amazon.com])

Eu tenho viajado pela Europa e tenho visto muitas iniciativas de plantação de igrejas, mas ainda assim, os resultados não são tão empolgantes: apenas igrejas muito pequenas que lutam para seguir em frente. Comecei a me perguntar por que estamos trabalhando tanto e não estamos sendo tão eficazes. Depois de aprender sobre quantas pessoas abriram novas igrejas e também conversando com vários plantadores de igrejas, vejo que podemos estar cometendo um grande erro: não estamos nos concentrando no mais importante.

Isso é o que tenho visto no Brasil e em muitos países da Europa quando queremos plantar uma nova igreja: reunimos uma equipe, vamos ao novo local, começamos uma reunião em uma casa e lentamente juntamos algumas pessoas novas (na maioria das vezes, cristãos da região que estão sem igreja). Depois de alguns meses, a casa original não serve mais, então o novo grupo aluga uma instalação e inicia os desejados cultos de domingo. “Vitória! Nós plantamos uma nova igreja”. Então, a igreja crescerá para 40 pessoas ou às vezes até 60, mas com poucas conversões, pouquíssimos batismos e dificilmente novos líderes. Muito pouco discipulado. E isso continua por vários anos. Mas como o foco estava em plantar uma igreja, estamos bem. “Missão cumprida”. Não, desculpe. A missão não foi cumprida.

Quando lemos o Novo Testamento, encontramos algum mandamento sobre plantar igrejas? “Vá e plante igrejas em todas as nações!” Não, nada disso. Quando Paulo foi em suas jornadas, ele nunca disse que ele estava lá fora para plantar igrejas – “… se tão somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus” (Atos 20:24 NVI). O que lemos sobre Paulo é que “… em Damasco ele havia pregado destemidamente em nome de Jesus. (…) em Jerusalém, falado corajosamente em nome do Senhor” (Atos 9:27-28). Ele não estava focado em plantar igrejas. Ele estava focado em compartilhar as Boas Novas ao pregar o Evangelho. Ele estava focado em cumprir a Grande Comissão. Paulo se dedicava totalmente a fazer discípulos!

O resultado desse foco muito claro foi que muitos novos discípulos se juntaram e começaram a viver sua fé, construindo uma nova comunidade de convertidos. Então eles se organizaram e levantaram a liderança desse grupo. A nova igreja sempre foi uma consequência de fazer discípulos.

Deus está agindo. Por quê? Deus ama as pessoas. Ele quer alcançar os perdidos. E Ele nos disse para amar as pessoas e trazê-las para Ele. Ele nos disse para pregar o Evangelho. Ele nos disse para fazer discípulos. É disso que se trata. Mas você pode perguntar, e a igreja? Não se preocupe! A igreja é DELE e ele deixou muito claro: “… edificarei a minha igreja…” (Mateus 16:18 NVI).

Em um próximo blog, vou compartilhar sobre o que acontece quando vamos a um novo local e o foco não está em plantar uma nova igreja.

Spanish blog:

¿Por qué no deberíamos enfocarnos en plantar iglesias?

Por Roberto Bottrel [sirviendo a iglesias europeas, desafiándolos a hacer discípulos a través de células que se multiplican ( centraldna.org). Autor del libro Multiplicación, El desafío ante cada cristiano, cada líder y la Iglesia (disponible en amazon.com)]

He estado viajando por Europa y he visto muchas iniciativas de plantación de iglesias, pero aún así, los resultados no son tan emocionantes: solo iglesias muy pequeñas que luchan por seguir adelante. Comencé a preguntarme por qué trabajamos tanto y no somos efectivos. Después de enterarme de cuántas nuevas iglesias comenzaron y también de hablar con varios plantadores de iglesias, veo que podríamos estar cometiendo un gran error: no nos estamos enfocando en lo más importante.

Esto es lo que he visto en Brasil y en muchos países de Europa, cuando queremos plantar una nueva iglesia: reunimos un equipo, vamos al nuevo lugar, comenzamos una reunión en un hogar y lentamente reunimos algunas personas nuevas (la mayoría de veces, cristianos varados en la zona). Después de unos meses, la casa original ya no encaja, por lo que el nuevo grupo alquila una instalación y comienza los servicios dominicales deseados. “¡Victoria! Hemos plantado una nueva iglesia ”. Luego, la iglesia crecerá a 40 personas o, a veces, hasta 60, pero muy pocos nuevos creyentes, muy pocos bautismos, casi ningún nuevo líder, muy pocos discípulados. Y así continúa durante varios años. Pero como el enfoque estaba en plantar una iglesia, estamos bien, “Misión cumplida”, NO, lo siento, La misión no se ha cumplido.

Cuando leemos el Nuevo Testamento, ¿encontramos algún mandamiento sobre la plantación de iglesias? “¡Id y plantad iglesias en todas las naciones!” No, nada de eso. Cuando Pablo emprendió sus viajes, nunca dijo que estaba allí para plantar iglesias. “… mi único objetivo es terminar la carrera y completar la tarea que el Señor Jesús me ha encomendado: la tarea de dar testimonio de las buenas nuevas de La gracia de Dios. ”(Hechos 20:24 NVI). Lo que leemos acerca de Pablo es que “… en Damasco había predicado sin temor en el nombre de Jesús. (…) en Jerusalén, hablando audazmente en el nombre del Señor. (Hechos 9: 27-28). Él no estaba enfocado en plantar iglesias. Estaba enfocado en compartir la Buena Nueva, en predicar el Evangelio. Estaba enfocado en cumplir la gran comisión. ¡Para Pablo todo era hacer discípulos!

El resultado de este enfoque muy claro fue que los muchos nuevos discípulos se reunirían y comenzarían a vivir su fe, construyendo esta nueva comunidad de creyentes. Luego se organizarían y elevarían el liderazgo de ese grupo. La nueva iglesia fue siempre una consecuencia de hacer discípulos.

Dios está en movimiento. ¿Por qué? Porque Dios ama a la gente, Él quiere alcanzar a los perdidos; y nos dijo que amáramos a las personas y se las trajéramos. Nos dijo que predicáramos el evangelio, nos dijo que hiciéramos discípulos. De eso es lo que se trata. Pero, tu puedes preguntar, ¿qué pasa con la iglesia? No te preocupes Es SU iglesia y lo dejó muy claro: “… edificaré mi iglesia …” (Mateo 16:18 NIV)

En un próximo blog compartiré sobre lo que sucede cuando vamos a un nuevo lugar y el enfoque no está en plantar una nueva iglesia.

1 thought on “Why shouldn’t we focus on planting churches?

  • you are really true i have seen many missionaries coming to Africa most especially to Uganda to plant and establish new churches only for business when you want to plant new church let it for people of that land start pioneer Evangelism be rooted in the word o f GOD

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *