Listening: Its Power

By Ralph Neighbour

Has it ever impressed you that “hearing” is a synonym for “listening”? Hearing seems to add one dimension to listening, however: inner assimilation of the feelings and content in listening. Applying this concept to a home cell gathering connects the events that are a part of every authentic gathering of Christ’s body.

Before the manifesting of spiritual gifts can begin, there must be the communication of burdens, sins, pain, fears, etc. When this sharing occurs all members listen. Not all will “hear” the same way. One may listen to words spoken that trigger no inner response – (hearing) – and spiritual power will not be manifested. In others, what is listened to will be “heard” deep in the spiritual realm and energeia (spiritual gifts) will be manifested. This person will receive power from the Holy Spirit that will be appropriate to the issue shared. For an illness heard, the energeia of healing may be the empowering provided. For a deep sorrow, the Energeia of helping others in distress may manifest, etc.

Man-made home cells that never experience this spiritual power that responds to listening/hearing do not operate in the realm of God’s activity. They only operate in the flesh, not the Spirit. Eventually they will either die or become a “religious habit” that become tradition instead of Body Life. Those groups with spiritual ears will listen to both the needs of members and will also hear the voice of God empowering them with supernatural Spirit power.

These areas must be fully understood by those undergoing training to lead cells. If a cell leader is not sensitive to how to listen until he or she receives spiritual power for ministry, cell members will be robbed of truly anointed leaders. Further, it is in the group event that equipping best takes place. When I am leading a cell and one of the members has listened to the need and has received anointing for delivering a spiritual gift, I often pause and call attention to what has taken place. I may interview the member on the spot, asking, “Did you sense something spiritual was stirring you to share that just now?”

Listening also involves viewing body language that betrays feelings being experienced in the group members. A slumped body, a clenched fist, perspiring forehead, staring eyes, etc., betray nonverbal signals a perceptive leader will include in how he leads.

For example, I had a cell with a man who had been promised by that in exchange for many years of working in his factory he would one day inherit the business. His father then sold the company and walked away from his promise. The pain was tremendous in the son. An elderly couple came to the cell for the first time and when the husband spoke, I noticed anger and clenched fists in the posture of that man who has been betrayed. I did not know what was going on at this time but I did know I had a problem. I carefully steered the meeting until it closed and then learned for the first time that the voice tone of this elderly man exactly matched that of the father who sold the factory! In this case, observing the silence of a hurting person helped to restrict a possible negative outcome. The new visitor never learned why the other person so deeply resented him.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

O Poder de Escutar

De Ralph Neighbour

Alguma vez te impressionou que “escutar” seja sinônimo de “ouvir”? No entanto, o verbo “escutar” parece acrescentar uma dimensão ao ouvir: a assimilação interior dos sentimentos e do conteúdo de ouvir. Aplicar esse conceito a uma reunião de célula doméstica conecta os eventos que fazem parte de cada reunião autêntica do Corpo de Cristo.

Antes que a manifestação de dons espirituais possa começar, deve haver uma comunicação dos pesos, pecados, dor, medos, etc. Quando esse compartilhamento ocorre, todos os membros ouvem. Nem todos vão “escutar” da mesma maneira. Uma pessoa pode ouvir as palavras ditas e elas não provocam uma resposta interna – (escuta) – e o poder espiritual não se manifestará. Em outras pessoas, o que é ouvido será “escutado” profundamente no reino espiritual e energeia (dons espirituais) será manifestada. Essa pessoa receberá o poder do Espírito Santo que será apropriado para o assunto compartilhado. Quando uma doença é escutada, a energeia da cura pode ser a capacitação fornecida. Para uma tristeza profunda, o energeia de ajudar os outros em perigo pode se manifestar, etc.

Células caseiras feitas pelo ser humano que nunca experimentaram esse poder espiritual que responde à escuta/audição não operam no âmbito da atividade de Deus. Elas só operam na carne, não no Espírito. Eventualmente elas morrerão ou se tornarão um “hábito religioso” que vai virar uma tradição ao invés da Vida do Corpo. Aqueles grupos com ouvidos espirituais ouvirão as necessidades dos membros e também ouvirão a voz de Deus capacitando-os com o poder sobrenatural do Espírito.

Essas áreas devem ser totalmente compreendidas por aqueles que estão sendo treinados para liderar as células. Se um líder de célula não for sensível a como escutar até que ele ou ela receba o poder espiritual para o ministério, os membros da célula serão roubados de ter líderes verdadeiramente ungidos. Além disso, é no evento coletivo que ocorre o melhor processo de equipamento. Quando estou liderando uma célula e um dos membros escutou a necessidade e recebeu a unção para entregar um dom espiritual, muitas vezes paro e chamo a atenção para o que aconteceu. Eu posso entrevistar o membro no local, perguntando: “Você sentiu algo espiritual que estava mexendo com você para compartilhar isso agora?”

Escutar também envolve a visualização da linguagem corporal que trai sentimentos que estão sendo experimentados nos membros do grupo. Um corpo caído, um punho cerrado, testa transpirante, olhos fixos, etc., traem sinais não-verbais que um líder perceptivo incluirá na maneira como ele lidera.

Por exemplo, eu tinha uma célula com um homem a quem tinha sido prometido que em troca de muitos anos de trabalho numa fábrica, um dia ele herdaria o negócio. Contudo, seu pai vendeu a empresa e se afastou de sua promessa. A dor foi tremenda para o filho. Um casal de idosos chegou à célula pela primeira vez e, quando o marido falou, notei raiva e punhos cerrados na postura daquele homem que havia sido traído. Eu não sabia o que estava acontecendo naquele momento, mas sabia que havia um problema. Eu cuidadosamente conduzi a reunião até que ela terminou e então soube pela primeira vez que o tom de voz do homem idoso combinava exatamente com o do pai que vendeu a fábrica! Nesse caso, observar o silêncio de uma pessoa que está sofrendo ajudou a restringir um possível resultado negativo. O novo visitante nunca descobriu que aquele homem se ressentia tão profundamente dele.

Spanish blog:

Escuchando: Su Poder

Por Ralph Neighbor

¿Te ha impresionado alguna vez que “oír” sea un sinónimo de “escuchar”? Sin embargo, la audición parece añadir una dimensión a la escucha: la asimilación interna de los sentimientos y el contenido en la escucha. La aplicación de este concepto a una reunión celular en el hogar conecta los eventos que forman parte de cada reunión auténtica del cuerpo de Cristo.

  Antes de que la manifestación de los dones espirituales pueda comenzar, debe haber comunicación de problemas, pecados, dolor, miedos, etc. Cuando ocurre este intercambio, todos los miembros escuchan pero no todos “oirán” de la misma manera. Uno puede escuchar las palabras que no provocan una respuesta interna (audición) y el poder espiritual no se manifestará. En otros, lo que se escucha se “oirá” en lo profundo del reino espiritual y se manifestará la energeia (dones espirituales). Esta persona recibirá el poder del Espíritu Santo que será apropiado para el tema compartido. Para una enfermedad escuchada, la energeia de la curación puede ser la potenciación provista. Para un dolor profundo, la energía de ayudar a otros en peligro puede manifestarse, etc.

  Las células familiares hechas por el hombre que nunca experimentan este poder espiritual que responde a oír / escuchar no operan en el ámbito de la actividad de Dios. Sólo operan en la carne, no el Espíritu. Con el tiempo, morirán o se convertirán en un “hábito religioso” que se convertirá en tradición en lugar de una vida activa. Esas células con oídos espirituales escucharán las necesidades de los miembros y también escucharán la voz de Dios que los capacita con el poder del Espíritu sobrenatural.

Estas áreas deben ser comprendidas completamente por aquellos que se entrenan para liderar células. Si el líder de una célula no es sensible a cómo escuchar hasta que reciba el poder espiritual para el ministerio, a los miembros de la célula se les robará a los líderes verdaderamente ungidos. Además, es en el evento celular donde se lleva a cabo el mejor equipamiento. Cuando dirijo una célula y uno de los miembros ha escuchado la necesidad y ha recibido la unción para entregar un don espiritual, a menudo me detengo y llamo la atención sobre lo que ha ocurrido. Puedo entrevistar al miembro en el lugar, preguntando: “¿Sentiste que algo espiritual te estaba incitando a compartir eso justo ahora?”

  Escuchar también implica ver el lenguaje corporal que traiciona los sentimientos que se experimentan en los miembros del grupo. Un cuerpo desplomado, un puño cerrado, una frente sudorosa, ojos fijos, etc., traicionan las señales no verbales que un líder perceptivo incluirá en la forma en que dirige.

  Por ejemplo, tenía una célula con un hombre al que se me había prometido que, a cambio de muchos años de trabajo en su fábrica, algún día heredaría el negocio. Su padre luego vendió la compañía y se olvidó de su promesa. El dolor fue tremendo en el hijo. Una pareja de ancianos vino a la célula por primera vez y cuando el esposo habló, noté la ira y los puños cerrados en la postura de ese hombre que ha sido traicionado. No sabía qué estaba pasando en este momento, pero sí sabía que tenía un problema. Dirigí la reunión con cuidado hasta que se cerró y luego supe por primera vez que el tono de voz de este anciano coincidía exactamente con el del padre que vendió la fábrica. En este caso, observar el silencio de una persona herida ayudó a restringir un posible resultado negativo. El nuevo visitante nunca supo por qué a la otra persona le molestaba tanto.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Free Facilitator PDF download

This book on how to facilitate a small group will help your ministry

You have Successfully Subscribed!