Transparent Brokenness

By Scott Boren, The Center for Community and Mission  (www.mscottboren.org), Twitter@mscottboren

Jacob was smart. He was good with money. He set goals, and he worked to accomplish those goals. He was not afraid of hard work. He wanted his brother’s birthright, so he traded for it. He longed for his father’s blessing, so he deceived his father for it. Then he saw a woman. He worked for fourteen years to earn

her hand. After this he found a way to get rich.

Then, as we read the story in Genesis, Jacob headed back home with his wives and children. But his home was not a place of open arms. The last time he’d seen his brother Esau, he’d had to run for his life because he had stolen Esau’s birthright. Now, as he entered his homeland, his brother was coming to meet him. To appease Esau, Jacob sent him a gift of 220 goats, 220 sheep, thirty camels, fifty cows and thirty donkeys. He was trying to buy Esau’s love.

In Genesis 32:11, Jacob prays to God, “Save me, I pray, from the hand of my brother Esau, for I am afraid he will come and attack me, and also the mothers with their children.” But God did much more than that. On the night before the meeting with Esau, Jacob was alone, and the Bible says “a man wrestled with him till daybreak” (Genesis 32:24). As they wrestled, God touched Jacob’s hip and wrenched it. But before Jacob would let him go, he demanded a blessing. God changed Jacob’s name. Instead of being called Jacob, “the deceiver,” he would be forever called Israel, or “Godstruggler” (literally, “one who wrestles with God”). In fear, Jacob asked God to protect him and bless him. But the blessing did not come as expected.

God did not bless Jacob with strength to meet his brother. He did not give him more money to handle the problem. Nor did he make him smarter. Rather, he made him weaker. God blessed Jacob with brokenness. He brought him to the end of himself and gave him a permanent limp to remind him of his new name and his master.

After this blessing of brokenness, the walls came down between Jacob and his brother. Jacob came in humility and Esau came in forgiveness. God’s blessing coincides with brokenness. Often we think we should lead out of strength. “As a leader, I should be smarter than everyone else,” we tell ourselves. “I should be stronger and more successful.” But God does not want to make us stronger.

He wants to make us to live into our weakness and embrace who we are in it. This is the place of blessing! Larry Crabb writes, “Brokenness is a condition, one that is always there, inside, beneath the surface, carefully hidden for as long as we can keep a facade in place. We live in brokenness. We just don’t always see it, either in ourselves or in others.”

Give me broken leaders over those who lead out of bravado and strength any day. Broken leaders know their limitations. They do not live a lie by trying to be perfect. Only a broken heart can love. Only a person who has come to the end of self can be real.

—Adapted from Leading Small Groups in the Way of Jesus, pages 107-109

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Quebrantamento Transparente

Por Scott Boren, O Centro da Comunidade e Missão (www.mscottboren.org), Twitter @mscottboren

Jacó era esperto. Ele era bom com dinheiro. Ele estabeleceu metas e trabalhou para atingir esses objetivos. Ele não temia o trabalho duro. Ele queria o direito de primogenitura de seu irmão, então ele fez uma troca por isso. Ele ansiava pela bênção de seu pai, então ele enganou seu pai por isso. Então ele viu uma mulher. E trabalhou por catorze anos para ganhar a mão dela. Depois disso, ele encontrou uma maneira de ficar rico.

Então, quando lemos a história em Gênesis, Jacó voltou para casa com suas esposas e filhos. Mas sua casa não era um lugar de braços abertos. A última vez que ele viu seu irmão Esaú, ele teve que correr por sua vida porque ele havia roubado seu direito de nascimento. Agora, quando ele entrou em sua terra natal, seu irmão estava vindo para encontrá-lo. Para aplacar Esaú, Jacó enviou-lhe um presente de 220 cabras, 220 ovelhas, trinta camelos, cinquenta vacas e trinta jumentos. Ele estava tentando comprar o amor de Esaú.

Em Gênesis 32:11, Jacó ora a Deus: “Livra-me, rogo-te, das mãos de meu irmão Esaú, porque tenho medo que ele venha nos atacar, tanto a mim como às mães e às crianças”. Mas Deus fez muito  mais que isso. Na noite anterior à reunião com Esaú, Jacó estava sozinho, e a Bíblia diz “um homem lutou com ele até o amanhecer” (Gênesis 32:24). Enquanto lutavam, Deus tocou o quadril de Jacó e o deslocou. Mas antes de Jacó deixá-lo ir, ele exigiu uma bênção. Deus mudou seu nome. Em vez de ser chamado de Jacó, “o enganador”, ele seria para sempre chamado de Israel, ou “Godstruggler” (literalmente, “aquele que luta com Deus”).  Com medo, Jacó pediu a Deus para protegê-lo e abençoá-lo. Mas a bênção não veio como esperado.

Deus não abençoou Jacó com força para encontrar seu irmão. Ele não lhe deu mais dinheiro para lidar com o problema. Nem o fez mais esperto. Em vez disso, ele o fez mais fraco. Deus abençoou Jacó com quebrantamento. Ele o levou até o fim de si mesmo e lhe deixou manco permanentemente para lembrá-lo de seu novo nome e de seu mestre.

Depois dessa bênção de quebrantamento, os muros desabaram entre Jacó e seu irmão. Jacó veio em humildade e Esaú veio em perdão. A bênção de Deus coincide com o quebrantamento. Muitas vezes pensamos que devemos liderar através da força. “Como líder, eu deveria ser mais esperto do que as outras pessoas”, dizemos a nós mesmos. “Eu deveria ser mais forte e mais bem sucedido”. Mas Deus não quer nos tornar mais fortes.

Ele quer nos fazer viver em nossa fraqueza e abraçar quem somos nela. Este é o lugar da bênção! Larry Crabb escreve: “O quebrantamento é uma condição que está sempre lá, dentro, abaixo da superfície, cuidadosamente escondido enquanto pudermos manter uma fachada no lugar. Nós vivemos em quebrantamento. Nós nem sempre vemos isso, seja em nós mesmos ou nos outros”.

Dê-me líderes quebrantados em vez dos que que lideram com prepotência e força. Líderes quebrantados conhecem suas limitações. Eles não vivem uma mentira tentando ser perfeitos. Apenas um coração partido pode amar. Somente uma pessoa que chegou ao fim de si mesma pode ser real.

—Adaptado do livro Leading Small Groups in the Way of Jesus(“Liderando Pequenos Grupos no Caminho de Jesus”, em tradução livre, páginas 107-109).

Spanish blog:

Quebranto transparente

Por Scott Boren, El Centro para la Comunidad y la Misión (www.mscottboren.org), Twitter @ mscottboren

Jacob era inteligente. Él era bueno con el dinero. Estableció metas y trabajó para lograr esas metas; no le tenía miedo al trabajo duro. Quería el derecho de nacimiento de su hermano, así que lo cambió. Él anhelaba la bendición de su padre, por lo que engañó a su padre por ello. Luego vio a una mujer, trabajó durante catorce años para ganar su mano. Después de esto encontró una manera de hacerse rico.

Luego, mientras leíamos la historia en Génesis, Jacob regresó a casa con sus esposas e hijos. Pero su casa no era un lugar de brazos abiertos. La última vez que había visto a su hermano Esaú, había tenido que correr por su vida porque le había robado el derecho de nacimiento de Esaú. Ahora, al entrar en su tierra natal, su hermano venía a su encuentro. Para apaciguar a Esaú, Jacob le envió un regalo de 220 cabras, 220 ovejas, treinta camellos, cincuenta vacas y treinta burros. Estaba tratando de comprar el amor de Esaú.

En Génesis 32:11, Jacob ora a Dios: “Sálvame, te lo ruego, de la mano de mi hermano Esaú, porque me temo que vendrá y me atacará, y también a las madres con sus hijos”. Pero Dios hizo mucho más que eso. La noche antes de la reunión con Esaú, Jacob estaba solo, y la Biblia dice que “un hombre luchó con él hasta el amanecer” (Génesis 32:24). Mientras luchaban, Dios tocó la cadera de Jacob y la arrancó. Pero antes de que Jacob lo dejara ir, exigió una bendición. Dios cambió el nombre de Jacob. En lugar de llamarse Jacob, “el engañador”, se llamaría para siempre Israel o ” el luchador de Dios” (literalmente, “el que lucha con Dios”). Con miedo, Jacob le pidió a Dios que lo protegiera y lo bendijera. Pero la bendición no vino como se esperaba.

Dios no bendijo a Jacob con fuerza para encontrarse con su hermano. Él no le dio más dinero para manejar el problema. Tampoco lo hizo más inteligente. Más bien, lo hizo más débil. Dios bendijo a Jacob con quebrantamiento. Lo llevó hasta el final de sí mismo y le dio una cojera permanente para recordarle su nuevo nombre y su maestro.

Después de esta bendición de quebrantamiento, los muros cayeron entre Jacob y su hermano. Jacob vino en humildad y Esaú vino en perdón. La bendición de Dios coincide con el quebrantamiento. Muchas veces pensamos que deberíamos salirnos de la fuerza. “Como líder, debería ser más inteligente que todos los demás”, nos decimos a nosotros mismos. “Debería ser más fuerte y más exitoso”. Pero Dios no quiere hacernos más fuertes.

Él quiere hacernos vivir en nuestra debilidad y abrazar quiénes somos en ella. ¡Este es el lugar de bendición! Larry Crabb escribe: “El quebrantamiento es una condición, una que siempre está ahí, dentro, debajo de la superficie, cuidadosamente oculta durante el tiempo que podamos mantener una fachada en su lugar. Vivimos en el quebrantamiento. Simplemente no siempre lo vemos, ya sea en nosotros mismos o en otros “.

Dame líderes rotos sobre aquellos que lideran con valentía y fuerza cualquier día. Los líderes rotos conocen sus limitaciones. No viven una mentira tratando de ser perfectos. Sólo un corazón roto puede amar. Solo una persona que ha llegado al final del yo puede ser real.

—Adaptado de Liderar pequeños grupos en el camino de Jesús, páginas 107-109

Leave a Reply

Your email address will not be published.