Loved at Home

By Bill Mellinger, www.crestlinefbc.com

Why is it that our family of origin has such a strong influence on us even years after we have moved away from home? Could it be that our closest relationships in our home shape us? Don’t we want the people that know us best to love us most? In fact, don’t we want the people to love us most who know us best? Frankly, isn’t this also true of the Body of Christ? I believe a loving home is the best place for people to begin connecting with the Family of God.

In the “Cell driven church” ministry is driven by relationships. When we started to shift our ministry, we focused on the desire to become “a relational church that is sold out to Jesus.” This means that we want our ministry built on relationships. We want our relationships to grow out of our relationship with Jesus Christ.

Hebrews 10:24-25 NIV – “24 And let us consider how we may spur one another on toward love and good deeds, 25 not giving up meeting together, as some are in the habit of doing, but encouraging one another–and all the more as you see the Day approaching.”

Since are most important relationships are centered in our homes with the people we love, it is no wonder that home cells have the potential to encourage one another to significant spiritual growth. In the home cell, we have a place of love where we can use our gifts to serve one another, encourage one another, pray for one another, spur one another on to love and good deeds and most of all, love one another.

In the comfort of my home, I feel safe and accepted as I am. I feel loved and I willingly give love to my family. This makes hospitality so important. As I invite people into my home I am inviting them to share in the love and acceptance felt in our home. I am inviting people into the safety of my home where they can share themselves and be loved by others in our cell. When a home is filled with the love of Christ, it becomes a place where people can experience that love and even come into their own relationship with Christ.

When I think of the many “one another” phrases in Scripture, I think they find their greatest application in our homes. Home cells are just good because they are not in the formal setting of a church facility. They are meaningful because of the love that is evident in each home. As I invite people into my home, I am welcoming them into my life and inviting to experience the love of my household. Frankly, this invitation to “church” is the best invitation. I think it is even more important than inviting them to a church service. What do you think?

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Amado em Casa: Um Lar Amoroso é o melhor lugar para as pessoas começarem a se conectar com a Família de Deus.

Por Bill Mellinger

Por que nossa família de origem tem uma influência tão forte sobre nós mesmo anos depois de termos saído de casa? Será que nossos relacionamentos mais próximos em nossa casa nos moldam? Queremos que as pessoas que nos conhecem melhor nos amem mais, certo?  Na verdade, não queremos que nos amem mais as pessoas que nos conhecem melhor? Francamente, isso não é verdade também em relação ao Corpo de Cristo?

Na igreja guiada por células, o ministério é impulsionado pelos relacionamentos. Quando começamos a mudar nosso ministério, nos concentramos no desejo de nos tornar “uma igreja relacional que é entregue a Jesus”. Isso significa que queremos que nosso ministério seja construído sobre relacionamentos.  Queremos que nossos relacionamentos cresçam a partir de nosso relacionamento com Jesus Cristo.

Hebreus 10:24-25 NVI – “E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês veem que se aproxima o Dia.”

Como as relações mais importantes estão centradas em nossos lares com as pessoas que amamos, não é de admirar que as células domésticas tenham o potencial de encorajar umas às outras a um crescimento espiritual significativo. Na célula de casa, temos um lugar de amor onde podemos usar nossos dons para servir uns aos outros, encorajar um ao outro, orar uns pelos outros, estimular um ao outro para o amor e boas ações e, acima de tudo, amar uns aos outros.

No conforto da minha casa, sinto-me seguro e aceito como sou. Eu me sinto amado e de bom grado dou amor à minha família. Isso torna a hospitalidade muito importante. Ao convidar as pessoas para a minha casa, estou convidando-as a compartilhar o amor e a aceitação que sinto em nosso lar. Estou convidando as pessoas para a segurança da minha casa, onde elas podem compartilhar e ser amadas por outras pessoas em nossa célula. Quando uma casa é preenchida com o amor de Cristo, ela se torna um lugar onde as pessoas podem experimentar esse amor e até entrar em seu próprio relacionamento com Cristo.

Quando penso nas muitas frases “uns aos outros” das Escrituras, acho que elas encontram sua maior aplicação em nossos lares. Células domésticas são boas porque não estão no ambiente formal de uma igreja. Elas são significativos por causa do amor que é evidente em cada lar. Ao convidar as pessoas para a minha casa, recebo-as em minha vida e convido a experimentar o amor que existe nela. Honestamente, este convite para a “igreja” é o melhor convite. E eu acho que é ainda mais importante do que convidá-las para um culto na igreja.  O que você acha?

Spanish blog:

Amado en casa: Un hogar amoroso es el mejor lugar para que las personas comiencen a conectarse con la Familia de Dios.

Bill mellinger

¿Por qué es que nuestra familia de origen tiene una influencia tan fuerte en nosotros incluso años después de que nos mudamos de casa? ¿Podría ser que nuestras relaciones más cercanas en nuestro hogar nos moldean? ¿No queremos que las personas que nos conocen mejor nos amen más? De hecho, ¿no queremos que las personas que más nos aman nos conozcan mejor? Francamente, ¿no es esto también verdad del Cuerpo de Cristo?

En el ministerio de la “Iglesia impulsada por la células” es impulsado por las relaciones. Cuando comenzamos a cambiar nuestro ministerio, nos enfocamos en el deseo de convertirnos en “una iglesia relacional que se vende a Jesús”. Esto significa que queremos que nuestro ministerio se base en las relaciones. Queremos que nuestras relaciones crezcan a partir de nuestra relación con Jesucristo.

Hebreos 10: 24-25 NVI – “24 Preocupémonos los unos por los otros, a fin de estimularnos al amor y a las buenas obras. 25 No dejemos de congregarnos, como acostumbran hacerlo algunos, sino animémonos unos a otros, y con mayor razón ahora que vemos que aquel día se acerca”.

Dado que las relaciones más importantes se centran en nuestros hogares con las personas que amamos, no es de extrañar que las células en el hogar tengan el potencial de animarse unas a otras a un crecimiento espiritual significativo. En la célula del hogar, tenemos un lugar de amor donde podemos usar nuestros dones para servirnos unos a otros, alentarnos unos a otros, orar unos por otros, estimularnos mutuamente para amar y hacer buenas obras y, sobre todo, amarnos unos a otros.

En la comodidad de mi hogar, me siento seguro y aceptado como soy. Me siento amado y doy amor de buena gana a mi familia. Esto hace que la hospitalidad sea tan importante. Al invitar a personas a mi hogar, los invito a compartir el amor y la aceptación que sentimos en nuestro hogar. Invito a las personas a la seguridad de mi hogar donde pueden compartirse y ser amados por otros en nuestra célula. Cuando un hogar está lleno del amor de Cristo, se convierte en un lugar donde las personas pueden experimentar ese amor e incluso llegar a su propia relación con Cristo.

Cuando pienso en las muchas frases “unos a otros” en las Escrituras, creo que encuentran su mayor aplicación en nuestros hogares. Las células del hogar son buenas porque no están en el entorno formal de una iglesia. Son significativas por el amor que es evidente en cada hogar. Al invitar a las personas a mi hogar, les doy la bienvenida a mi vida y las invito a experimentar el amor de mi hogar. Francamente, esta invitación a la “iglesia” es la mejor invitación. Creo que es incluso más importante que invitarlos a un servicio al edificio de la iglesia. ¿Qué piensas?

Leave a Reply

Your email address will not be published.