Bring Back The Celebration

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Throughout our lives we have many reasons to celebrate, in some countries it appears they come up with any reason for a celebration!

Over the years of traveling the world, working with Churches in all streams and denominations, I often wonder why fun and celebration seems to dissipate once we enter Church doors. We call ourselves a community, a family, but in all those things, fun, laughter, and celebrations take place.

It’s easy in ministry to get bogged down with all the trials: personal, family, wider Church issues, people problems and of course the building. It can be a relentless bombardment of drama, causing us to often wonder where this “light burden” and “easy yoke” that was promised has gone (Matthew 11:28-30). It can also be easy to get caught up in the times of ease, causing us to forget to be thankful.

I know for me, with all I’ve done and am currently involved with, I could never have done any of it in my own strength. It’s because of Him and His grace to use me. All the glory goes to Him. I try to remember—and often forget–to celebrate the moments of victories along the way.

Let’s bring the celebration back into the celebration. PAZ Churches are a great example at bringing a celebratory atmosphere into their celebration. When people are saved, cells multiply, or after encounters, they like to celebrate. . Once a year they celebrate their cell multiplications across the city, broadcasting their leaders speaking on TV, then after a countdown, every cell lights fireworks. The sky is lit up as far as the eye can see. What a great sense of being part of something bigger than yourself and celebrating like David who “danced before the Lord with all His might” (2 Samuel 6:14).

Let the Celebration live up to its name… a celebration of the King!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esta é uma tradução do google. Assim que a tradução normal for recebida, ela será postada no site da JCG.

Trazer de volta a celebração
 
Por Andrew Kirk, diretor da geração 2, site – www.G2gMandate.org, Social Media – @ G2gMandate

Ao longo de nossas vidas, temos muitas razões para comemorar, em alguns países parece que eles vêm com qualquer motivo para uma celebração!
 
Ao longo dos anos viajando pelo mundo, trabalhando com Igrejas em todos os rios e denominações, muitas vezes me pergunto por que a diversão e a celebração parecem se dissipar quando entramos nas portas da Igreja. Nós nos chamamos de comunidade, uma família, mas em todas essas coisas, diversão, risos e celebrações acontecem.
 
É fácil no ministério se atolar com todas as provações: pessoal, família, questões mais amplas da Igreja, problemas com as pessoas e, claro, o prédio. Pode ser um bombardeio implacável de drama, fazendo com que nos perguntemos sempre onde este “fardo leve” e “jugo suave” que foi prometido se foi (Mateus 11: 28-30). Também pode ser fácil ser pego nos momentos de facilidade, fazendo com que nos esqueçamos de sermos gratos.

Sei que para mim, com tudo o que fiz e com o qual estou envolvido atualmente, nunca consegui fazer nada disso com minhas próprias forças. É por causa dele e da sua graça de me usar. Toda a glória vai para ele. Eu tento lembrar – e freqüentemente esqueço – de celebrar os momentos de vitórias ao longo do caminho.

Vamos trazer a festa de volta para a comemoração. Igrejas PAZ são um grande exemplo em trazer uma atmosfera comemorativa em sua celebração. Quando as pessoas são salvas, as células se multiplicam ou depois dos encontros, elas gostam de comemorar. . Uma vez por ano eles celebram suas multiplicações de celular pela cidade, transmitindo seus líderes falando na TV, depois de uma contagem regressiva, cada célula acende fogos de artifício. O céu está iluminado até onde os olhos podem ver. Que grande sensação de fazer parte de algo maior do que você e celebrar como Davi que “dançou perante o Senhor com todo o seu poder” (2 Samuel 6:14).
 
Deixe a celebração fazer jus ao seu nome … uma celebração do rei!

Spanish blog:

Trayendo de vuelta la celebracion

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2, sitio web – www.G2gMandate.org, Social Media – @ G2gMandate

¡A lo largo de nuestras vidas tenemos muchas razones para celebrar, en algunos países parece que surgen con cualquier razón para una celebración!

A lo largo de los años de viajar por el mundo, trabajando con iglesias de todas las corrientes y denominaciones, a menudo me pregunto por qué la diversión y la celebración parecen disiparse una vez que entramos en las puertas de la Iglesia. Nos llamamos comunidad, familia, pero en todos, la diversión, la risa y las celebraciones tienen lugar.

En el ministerio es fácil quedarse atascado con todas las pruebas: personales, familiares, problemas más amplios de la Iglesia, problemas con las personas y, por supuesto, el edificio. Puede ser un incansable bombardeo de drama, lo que nos hace preguntarnos a menudo a dónde se ha ido esta “carga ligera” y el “yugo fácil” que se prometió (Mateo 11: 28-30). También puede ser fácil quedar atrapado en los momentos de tranquilidad, haciendo que nos olvidemos de estar agradecidos.

Lo sé por mi cuenta, con todo lo que he hecho y con lo que estoy involucrado actualmente, nunca podría haber hecho nada de eso con mis propias fuerzas. Es por causa de Él y de Su gracia que me usa. Toda la gloria es para Él. Intento recordar, y con frecuencia olvidar, celebrar los momentos de victorias en el camino.

Vamos a traer la celebración de nuevo a la celebración. Las iglesias PAZ son un gran ejemplo al traer un ambiente de celebración a su celebración. Cuando las personas se salvan, las células se multiplican, o después de los encuentros, les gusta celebrar. . Una vez al año celebran sus multiplicaciones de celulares en toda la ciudad, transmitiendo a sus líderes hablando en la televisión, y luego, después de una cuenta regresiva, cada célula enciende fuegos artificiales. El cielo está iluminado hasta donde alcanza la vista. Qué gran sensación de ser parte de algo más grande que uno mismo y de celebrar como David, quien “bailaba ante el Señor con todas sus fuerzas” (2 Samuel 6:14).

Que la celebración cumpla con su nombre … ¡una celebración del rey!

Leave a Reply

Your email address will not be published.