Attack The Gates

By Andrew Kirk, Director of Generation 2 generation, Website – www.G2gMandate.org, Social Media – @G2gMandate

Often we try to keep “safe” by not proactively going to where sin is prevalent. For example, saying we should flee from youthful desires (which is a good thing to do) as an excuse not to engage with the lost. But there is a difference between fleeing immediate temptation and engaging with those in cultures that run counter to Biblical culture.

It’s great for cells to go together, with mutual accountability, to go to where the lost gather, to be a light in their midst. If we don’t take the steps of moving towards them, they may not move towards us.

I love what cells are doing in places like Papua, Indonesia, where they meet by basketball courts engaging with the youth of the nation; in England, where groups meet in pubs; in Thailand, where trafficked women are meeting in McDonalds. These are all where the lost, those in need – those in desperate need – of salvation are.

For many it’s really intimidating to enter a church building. Cells  play a huge role in offering a less intimidating environment for the unchurched.

Jesus was called a friend of sinners (Matthew 11:19), why would they call Him that if He was not hanging around them? Like Jesus, let’s become known as friends of sinners.

When in Caesarea-Philippi, Jesus said “…on this rock I will build my church, and the gates of Hades will not overpower it” (Matthew 16:18). When we read in the Bible about the gates of cities, these are defensive positions helping to slow down an invading army from taking the city.

Jesus was saying that His Church needs to be on the offensive, not in  defensive mode, which is how the church often acts. No, the gates of hell, the defenses of hell, shall not prevail against the attack of the church.

Where did Jesus say these words? In a safe place? A place where only the saved were? No, He said it while standing right in front of one of the most detestable locations – where people were worshiping the Greek god Pan, sacrificing children, engaging in sexual immorality, a place with a deep cave which was called “The Gates of Hell.” He was where the lost were.

Light was created for darkness and we are that light (Matthew 5:14-16), so let’s start to think more about how our small groups can engage those caught in darkness by meeting them at their gates.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Atacar os Portões

Por Andrew Kirk, diretor do ministério  Generation 2 generation, site: www.G2gMandate.org, mídias sociais: @G2gMandate

Muitas vezes tentamos nos manter “seguros”, não indo proativamente onde o pecado é predominante. Por exemplo, dizer que devemos fugir dos desejos da juventude (o que é uma coisa boa a fazer) como uma desculpa para não se envolver com os perdidos. Mas há uma diferença entre fugir da tentação imediata e se envolver com pessoas de culturas que vão contra a cultura bíblica.

É ótimo que as células andem juntas, com responsabilidade mútua, para ir até onde os perdidos se reúnem, para ser uma luz no meio deles. Se não nos movermos em direção a eles, eles podem não se mover em nossa direção.

Eu amo o que as células estão fazendo em lugares como Papua, na Indonésia, onde elas se encontram em quadras de basquete e se envolvem com a juventude da nação; na Inglaterra, onde células se reúnem em bares; na Tailândia, onde mulheres traficadas se reúnem no McDonalds. Estes são todos os lugares onde os perdidos que necessitam desesperadamente de salvação estão.

Para muitos, é realmente intimidador entrar em um prédio da igreja. As células desempenham um papel enorme na oferta de um ambiente menos intimidante para as pessoas que não têm igreja.

Jesus foi chamado de amigo de pecadores (Mateus 11:19). Por que chamariam Jesus dessa forma se Ele não andasse com os pecadores? Como Jesus, vamos nos tornar conhecidos como amigos dos pecadores.

Quando em Cesaréia de Filipe, Jesus disse: “…sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la” (Mateus 16:18). Quando lemos na Bíblia sobre os portões das cidades, vemos que eles são barreiras defensivas que ajudam a desacelerar um exército invasor de tomar a cidade.

Jesus estava colocando Sua Igreja na ofensiva, e não na defensiva, que é como a igreja age frequentemente. Não, os portões do inferno e suas defesas não prevalecerão contra o ataque da Igreja.

Onde Jesus disse essas palavras? Em um lugar seguro? Um lugar onde apenas os salvos estavam? Não, Ele disse isso enquanto estava de pé em frente a um dos locais mais detestáveis – onde as pessoas estavam adorando o deus grego Pan, sacrificando crianças, praticando a imoralidade sexual, um lugar com uma caverna profunda chamada “As Portas do Inferno”. Ele estava onde os perdidos estavam.

A luz foi criada para a escuridão e nós somos aquela luz (Mateus 5:14-16), então vamos começar a pensar mais sobre como nossos pequenos grupos podem envolver aqueles que são pegos nas trevas ao encontrá-los em seus portões.

Spanish blog:

Atacar las puertas

Por Andrew Kirk, Director de Generación 2, sitio web – www.G2gMandate.org, Social Media – @ G2gMandate

A menudo tratamos de mantenernos “seguros” al no ir proactivamente a donde prevalece el pecado. Por ejemplo, decir que deberíamos huir de los deseos juveniles (que es algo bueno de hacer) como excusa para no comprometernos con los perdidos. Pero hay una diferencia entre huir de la tentación inmediata y comprometerse con aquellos en culturas que van en contra de la cultura bíblica.

Es genial que las células vayan juntas, con responsabilidad mutua, para ir a donde se reúnen los perdidos, para ser una luz en medio de ellos. Si no damos los pasos para avanzar hacia ellos, es posible que no se muevan hacia nosotros.

Me encanta lo que hacen las células en lugares como Papua, Indonesia, donde se reúnen en las canchas de baloncesto que participan con los jóvenes de la nación; en Inglaterra, donde las células se reúnen en pubs; en Tailandia, donde se reúnen en McDonalds mujeres víctimas de trata . Estos son todos donde están los perdidos, los necesitados, los necesitados desesperadamente, de la salvación.

Para muchos es realmente intimidante entrar en un edificio de la iglesia. Las células juegan un papel muy importante al ofrecer un ambiente menos intimidante para los que no asisten a la iglesia.

Jesús fue llamado amigo de los pecadores (Mateo 11:19), ¿por qué lo llamarían a Él si no estuviera rodeado de ellos? Como Jesús, seamos conocidos como amigos de los pecadores.

Cuando en Cesarea de Filipos, Jesús dijo: “… sobre esta roca edificaré mi iglesia, y las puertas del Hades no la vencerán” (Mateo 16:18). Cuando leemos en la Biblia sobre las puertas de las ciudades, estas son posiciones defensivas que ayudan a frenar a un ejército invasor para que no tome la ciudad.

Jesús estaba diciendo a su iglesia a la ofensiva, no a la defensiva, que es como la iglesia a menudo actúa. No, las puertas del infierno, las defensas del infierno, no prevalecerán contra el ataque de la iglesia.

¿Dónde dijo Jesús estas palabras? ¿En un lugar seguro? ¿Un lugar donde solo estaban los salvos? No, lo dijo mientras estaba parado frente a uno de los lugares más detestables, donde la gente adoraba al dios griego Pan, sacrificando niños, practicando la inmoralidad sexual, un lugar con una cueva profunda que se llamaba “Las puertas del infierno”. “Estaba donde estaban los perdidos.

La luz fue creada para la oscuridad y nosotros somos esa luz (Mateo 5: 14-16), entonces comencemos a pensar más acerca de cómo nuestros grupos celulares pueden involucrar a los atrapados en la oscuridad al encontrarlos en sus puertas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.