Bridging the Gap

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“Karen” hosted a cell group I led. Although she was anxious to grow spiritually in community, her husband, “Frank,” was not. So I was not surprised that when our group gathered at her house, Frank made it a point to work late and not be at home.

One night, though, he came home early enough that the group was still in his living room. We invited him to join us, but he politely declined and went upstairs. The next week, he came home as we were lingering over refreshments after the meeting. He met some of the members and seemed to enjoy the conversation.

One night, Frank was sitting in the living room as we began. He participated and returned the following week. He went on to surprise Karen with his spiritual growth, and became an active and important part of our cell’s ministry (and at worship, too.) 

Frank wasn’t looking for a group, but when it kept showing up in his living room, he discovered that he needed it!

Cell groups meeting in homes can be an effective evangelism strategy.

In the United States today, fewer unbelievers are open to an invitation to attend a worship service. They will not “come and see,” even if a friend invites them. If the lost will not come to the church, then the church – in the form of a cell group – can go to them.

The cell church strategy of meeting in homes can bring the church into the community. Meeting in homes, restaurants, schools and workplaces can bridge the gap between the church and the community. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Construindo uma Ponte

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“Karen” hospedou uma célula que eu liderava. Embora ela estivesse ansiosa para crescer espiritualmente em comunidade, seu marido “Frank” não compartillhava da mesma empolgação.  Então, não fiquei surpreso de ver que quando o nosso grupo passou a se reunir em sua casa, Frank fez questão de trabalhar até tarde e não estar em casa.

Uma noite, porém, ele chegou em casa cedo o suficiente para que o grupo ainda estivesse em sua sala de estar. Nós o convidamos para se juntar a nós, mas ele recusou educadamente e subiu as escadas. Na semana seguinte, ele chegou em casa enquanto nos demorávamos com refrescos depois da reunião. Ele conheceu alguns dos membros e pareceu gostar da conversa.

Certa noite, Frank estava sentado na sala de estar quando começamos. Ele participou e retornou na semana seguinte. Ele passou a surpreender Karen com seu crescimento espiritual e se tornou uma parte ativa e importante do ministério de nossa célula (e também no culto).

Frank não estava procurando por um grupo, mas quando continuávamos a nos reunir em sua sala de estar, ele descobriu que precisava de um!

Células reunidas nas casas podem ser uma estratégia eficaz de evangelismo.

Atualmente nos Estados Unidos, menos incrédulos estão abertos a um convite para participar de um culto de adoração. Eles não vão “vir e ver”, mesmo que um amigo os convide. Se os perdidos não vierem à igreja, então a igreja – na forma de uma célula – pode ir até eles.

A estratégia da igreja celular de se reunir em lares pode trazer a igreja para a comunidade. Reunir-se em casas, restaurantes, escolas e locais de trabalho pode construir a ponte entre a igreja e a comunidade.

Spanish blog:

Cerrando la brecha

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

“Karen” fue la anfitrióna de un grupo celular que dirigí. Aunque estaba ansiosa por crecer espiritualmente en comunidad, su esposo, “Frank”, no lo estaba. Así que no me sorprendió que cuando nuestro grupo se reuniera en su casa, Frank se propusiera trabajar hasta tarde y no estar en ahí.

Una noche, sin embargo, llegó a casa lo suficientemente temprano para que el grupo todavía estuviera reunido en su sala. Lo invitamos a unirse a nosotros, pero él declinó cortésmente y subió las escaleras. La semana siguiente, él regresó a casa ya que estábamos tomando refrescos después de la reunión. Conoció a algunos de los miembros y pareció disfrutar la conversación.

Una noche, Frank estaba sentado en la sala cuando comenzamos. Participó y regresó la semana siguiente. Continuó sorprendiendo a Karen con su crecimiento espiritual, y se convirtió en una parte activa e importante del ministerio de nuestra célula (y también en la adoración).

Frank no estaba buscando un grupo, pero cuando aparecía en su sala, ¡descubrió que lo necesitaba!

Los grupos celulares que se reúnen en los hogares pueden ser una estrategia eficaz de evangelismo.

En los Estados Unidos hoy, menos incrédulos están abiertos a una invitación para asistir a un servicio de adoración. No “vendrán y verán”, incluso si un amigo los invita. Si los perdidos no van a venir a la iglesia, entonces la iglesia, en forma de un grupo celular, puede ir a ellos.

La estrategia de la iglesia celular de reunirse en hogares puede llevar a la iglesia a la comunidad. Reunirse en hogares, restaurantes, escuelas y lugares de trabajo puede cerrar la brecha entre la iglesia y la comunidad.

Leave a Reply

Your email address will not be published.