Groups stretch us

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Many years ago I started one of the first groups ever in our church. At the initial meeting I laid out some of the ground rules: “In this group, we’re going to be real with each other. It’s not just a meeting. If you have a need at 2am, you can call someone in this group.”

Grace spoke up and said, “I’m not comfortable with people calling me at 2am.”

I said, “OK, don’t call Grace at 2 am.”

A few weeks later, I get a call from Grace (it was not 2am.) She said, “Would you tell the other members of the group that I’m in the hospital?” She had been on the way to work when she slipped on some ice and shattered her leg. She had to have surgery.

Over the next couple of weeks, the group members visited her almost every day. She gave them the keys to her new Audi so they could get it back to her home. She also gave them the keys to her apartment so they could take in the mail and make sure all was well.

When she was released they cared for her and made sure she had what she needed at home.

Grace told me later, “I don’t have any family in this area. I don’t know what I would have done without my small group.”

Life in a cell group stretched Grace to receive love and help in time of need, and it stretched the group to provide it. In the process, all were blessed and grew spiritually.  

That’s why we need circles (cells) and not just rows (celebration.)

Korean blog (Click here)

Portuguese blog:

Grupos nos esticam

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Muitos anos atrás, comecei um dos primeiros grupos de nossa igreja. Na reunião inicial, estabeleci algumas das regras básicas: “Neste grupo, seremos reais um com o outro. Isso bão é apenas uma reunião. Se você precisar às 2 da manhã, pode ligar para alguém deste grupo”.

Uma mulher chamada Graça: “Não me sinto confortável com as pessoas me ligarem às duas da manhã”.

Eu disse: “OK, não liguem para a Graça às duas da manhã.”

Algumas semanas depois, recebo uma ligação da Graça (não eram duas da manhã). Ela disse: “Você pode dizer aos outros membros do grupo que estou no hospital?” Ela estava a caminho do trabalho quando escorregou em um pouco de gelo e quebrou sua perna. Ela precisava fazer uma cirurgia.

Nas duas semanas seguintes, os membros do grupo a visitaram quase todos os dias. Ela lhes deu as chaves do seu Audi novo para que pudessem devolvê-lo à sua casa. Ela também deu as chaves do seu apartamento para que pudessem receber as correspondências e garantir que tudo estivesse bem.

Quando ela foi liberada, eles cuidaram dela e garantiram que ela tivesse o que precisava em casa.

Graça me disse mais tarde: “Eu não tenho família nesta área e não sei o que eu teria feito sem meu pequeno grupo. “

A vida em uma célula esticou a Graça para receber amor e ajuda em tempos de necessidade, e esticou o grupo para fornecer essas coisas. No processo, todos foram abençoados e cresceram espiritualmente.

É por isso que precisamos de círculos (células) e não apenas de fileiras (culto de celebração).

Spanish blog:

Las células nos hacen extender 

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Hace muchos años comencé uno de los primeros grupos celulares en nuestra iglesia. En la reunión inicial expuse algunas de las reglas básicas: “En este grupo, vamos a ser reales el uno con el otro. No es solo una reunión. Si tienes una necesidad a las 2 am, puedes llamar a alguien en este grupo “.

Grace habló y dijo: “No me siento cómoda con la gente que me llama a las 2 de la mañana”.

Le dije: “Está bien, no llames a Grace a las 2 de la mañana”.

Unas semanas más tarde, recibí una llamada de Grace (no eran las 2 de la madrugada). Ella dijo: “¿Les dirías a los otros miembros del grupo que estoy en el hospital?”. Estaba camino al trabajo cuando ella se resbaló con un poco de hielo y le destrozó la pierna. Tuvo que someterse a una cirugía.

Durante las siguientes dos semanas, los miembros del grupo la visitaron casi todos los días. Ella les dio las llaves de su nuevo Audi para que pudieran llevarla de vuelta a su casa. También les dio las llaves de su departamento para que pudieran recibir el correo y asegurarse de que todo estuviera bien.

Cuando fue dada de alta, la cuidaron y se aseguraron de que tuviera lo que necesitaba en casa.

Grace me dijo después: “No tengo ninguna familia en esta área. No sé qué habría hecho sin mi pequeño grupo “.

La vida en un grupo celular se extendió a Grace para recibir amor y ayuda en momentos de necesidad, y esa vida también se extendió al grupo para proporcionarlo. En el proceso, todos fueron bendecidos y crecieron espiritualmente.

Es por eso que necesitamos círculos (células) y no solo filas (servicio de celebración).

Leave a Reply

Your email address will not be published.