Go

By Joel Comiskey, check out: Facilitate

When my wife and I arrived in Costa Rica in April 1990, we were as green as gringos could be. As part of a one-year intensive Spanish study program, we longed to speak Spanish correctly because we knew we’d soon be missionaries in Ecuador, South America.

As we studied the Spanish language, we learned that God gives grace in weakness. Instead of saying, Quisiera conocerte, “I would like to get to know you,” I would say, Quisiera cocinarte, “I would like to cook you.” Some of my more hilarious Spanish blunders are not repeatable in public.

I began to learn Spanish when I was thirty-three years old. Sorting out the foreign Spanish sounds was difficult for me. To compensate for my lack of natural talent, I had to study for hours. Like a child, I learned the importance of following grammar rules and the logic of the Spanish language. I knew, however, that taking time in the beginning would have a long-term impact on my ministry in Latin America.

When I speak around the world, I often say to church members, “You are in training right now. If you can lead a cell, multiply it, and supervise the new leader, you can do the same thing anywhere in the world.”

Yes, some might need to learn a different culture and language, but Jesus pointed the way when he became incarnate in our world, born in a human context.

A few weeks ago, I did a seminar in Ecuador. The lead pastor in Ecuador had already planted eight cell churches and had only been in Ecuador for eight years. He was born again at Bethel International in Newark, led a cell, multiplied it several times, and then was sent as a missionary church planter to Ecuador.

God might have something similar for you.

God is a missionary God. He has a larger purpose for your cell than good fellowship. He wants you and your cell group to catch a heart for a lost world. One cell church I visited often asked the cells to conclude with intercessory prayer for the unreached peoples of the world. This cell church developed an excellent series of prayer profiles on unreached groups for other churches and cell groups to use.

But missions is not only “over there.” Jesus said, “But you will receive power when the Holy Spirit comes on you; and you will be my witnesses in Jerusalem, and in all Judea and Samaria, and to the ends of the earth” (Acts 1:8). Jerusalem refers to local city missions, Judea and Samaria are missions within the country, and the ends of the earth refers to cross-cultural missions. We need to ask God to give us a missionary heart for all three regions.

For October, let’s explore the topic of missions and the cell church. Pastors and leaders will write twenty blogs on this topic. If you’d like to receive these blogs in your email inbox each day, press here. We’ll cover: 

  • October 06-12: Biblical base for missions. God is a missionary God. We’ll explore how this applies to cell ministry throughout church history, starting with the New Testament church to the present day.
  • October 13-19:Cell groups are the perfect environment to prepare and send future missionaries. Those who can lead, multiply, and coach new leaders can repeat the process anywhere in the  world.
  • October 20-June 26:  Missionary activity within cell groups. What can cell groups do to participate in God’s missionary plan? Some groups pray for missionaries, practice short-term missions, keep in touch with missionaries, and then invite them to do things when they are in the country.
  • October 27-November 02: Local missions. Cells must have a purpose beyond themselves and local missions is essential. Multiplying a cell is a missionary activity. It’s hard but when we realize that Jesus has a missionary heart, we need to participate in planning, preparing, and then launching the new group. 

In your experience, what makes great team leaders? Please feel free to share here.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Por Joel Comiskey

Quando minha esposa e eu chegamos à Costa Rica em abril de 1990, éramos tão verdes quanto os gringos poderiam ser. Fazíamos parte de um programa intensivo de estudo de um ano em espanhol, pois desejávamos falar corretamente o espanhol porque sabíamos que em breve seríamos missionários no Equador, na América do Sul.

Ao estudarmos a língua espanhola, aprendemos que Deus dá graça na fraqueza. Em vez de dizer, Quisiera conocerte (Gostaria de conhecê-lo), eu dizia Quisiera cocinarte (Gostaria de cozinhar você). Alguns dos meus erros hilários de espanhol não são repetíveis em público.

Comecei a aprender espanhol aos trinta e três anos de idade. Classificar os sons espanhóis estrangeiros foi difícil para mim. Para compensar minha falta de talento natural, tive que estudar por horas e horas. Como uma criança, aprendi a importância de seguir as regras gramaticais e a lógica da língua espanhola. Eu sabia, no entanto, que dedicar algum tempo no começo teria um impacto a longo prazo em meu ministério na América Latina.

Quando falo por todo o mundo, muitas vezes digo aos membros da igreja: “Você está treinando agora. Se você pode liderar uma célula, multiplicar e supervisionar o novo líder, pode fazer a mesma coisa em qualquer lugar do mundo”.

Sim, isso pode exigir o aprendizado de uma cultura e idioma diferentes, mas Jesus apontou o caminho quando ele se encarnou em nosso mundo, nascido em nosso próprio contexto cultural.

Algumas semanas atrás, fiz um seminário no Equador. O pastor líder no Equador já havia plantado oito igrejas em células e só estava no Equador há oito anos. Ela nasceu de novo na Bethel International em Newark, liderou uma célula, multiplicou-a várias vezes e depois foi enviado como plantador de igrejas missionárias para o Equador.

Deus pode ter algo semelhante para você.

Deus é um Deus missionário. Ele tem um propósito maior para a sua célula do que uma boa comunhão. Ele quer que você e sua célula busquem o coração por um mundo perdido. Uma igreja em células que visitei frequentemente pedia às células que concluíssem com uma oração de intercessão pelos povos não alcançados do mundo. Esta igreja em células desenvolveu uma excelente série de perfis de oração em grupos não alcançados para outras igrejas e células usarem.

Mas as missões não estão apenas “lá”. Jesus disse: “Mas você receberá poder quando o Espírito Santo vier sobre você; e vocês serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra “(Atos 1: 8). Jerusalém se refere a missões locais da cidade, Judéia e Samaria são missões dentro do país, e os confins da terra se referem a missões interculturais. Precisamos pedir a Deus que nos dê um coração missionário para as três regiões.

Para outubro, vamos explorar o tópico das missões e da igreja em células. Pastores e líderes escreverão vinte blogs sobre esse assunto. Se você deseja receber esses blogs em sua caixa de entrada de e-mail todos os dias, clique aqui. Nós cobriremos:

• 06-12 de outubro: Base bíblica para missões. Deus é um Deus missionário. Vamos explorar como isso se aplica ao ministério de células ao longo da história da Igreja, começando pela igreja do Novo Testamento até os dias atuais.
• 13-19 de outubro: As células são o ambiente perfeito para preparar e enviar futuros missionários. Aqueles que podem liderar, multiplicar e treinar novos líderes podem repetir esse processo em qualquer lugar do mundo.
• 20 de outubro a 26 de junho: Atividade missionária dentro de células. O que as células podem fazer para participar do plano missionário de Deus? Alguns grupos oram pelos missionários, praticam missões de curto prazo, mantêm contato com os missionários e depois os convidam a fazer as coisas quando estão no país.
• 27 de outubro a 02 de novembro: Missões locais. As células devem ter um objetivo além de si mesmas e as missões locais são essenciais. Multiplicar uma célula é uma atividade missionária. É difícil, mas quando percebemos que Jesus tem um coração missionário, precisamos participar do planejamento, preparação e lançamento do novo grupo.
Na sua experiência, o que faz grandes líderes de equipe? Por favor, sinta-se livre para aqui.

Spanish blog:

 Ve

por Joel Comiskey

Cuando mi esposa y yo llegamos a Costa Rica en abril de 1990, estábamos tan verdes como los gringos pueden estar. Como parte de un programa intensivo de estudio de español de un año, deseábamos hablar español correctamente porque sabíamos que pronto seríamos misioneros en Ecuador, Sudamérica.

Al estudiar el idioma español, aprendimos que Dios da gracia en la debilidad. En lugar de decir, Quisiera conocerte, “Me gustaría conocerte”, diría, Quisiera cocinarte, “Me gustaría cocinarte”. Algunos de mis más divertidos errores en español no se pueden repetir en público.

Comencé a aprender español cuando tenía treinta y tres años. Resolver los sonidos extranjeros en español fue difícil para mí. Para compensar mi falta de talento natural, tuve que estudiar durante horas. Como un niño, aprendí la importancia de seguir las reglas gramaticales y la lógica del idioma español. Sin embargo, sabía que tomar tiempo al principio tendría un impacto a largo plazo en mi ministerio en América Latina.

Cuando hablo en todo el mundo, a menudo les digo a los miembros de la iglesia: “Estás entrenando ahora mismo. Si puedes liderar una célula, multiplicar y supervisar al nuevo líder, puedes hacer lo mismo en cualquier parte del mundo ”.

Sí, podría requerir aprender una cultura y un idioma diferentes, pero Jesús señaló el camino cuando se encarnó en nuestro mundo, nacido en nuestro propio contexto cultural.

Hace unas semanas, hice un seminario en Ecuador. El pastor principal en Ecuador ya había plantado ocho iglesias celulares y solo había estado en Ecuador durante ocho años. Nació de nuevo en Bethel International en Newark, dirigió una célula, la multiplicó varias veces y luego fue enviado como plantador de iglesias misioneras a Ecuador.

Dios podría tener algo similar para ti.

Dios es un Dios misionero. Él tiene un propósito más grande para tu célula que solamente buen compañerismo. Él quiere que tú y tu grupo celular tengan un corazón por un mundo perdido. Una iglesia celular que visité a menudo les pedía a las células que concluyeran con una oración intercesora por los pueblos no alcanzados del mundo. Esta iglesia celular desarrolló una excelente serie de perfiles de oración en grupos no alcanzados para que otras iglesias y grupos celulares puedan usarlos. 

Pero las misiones no son solo “allá”. Jesús dijo: “Pero recibirás poder cuando el Espíritu Santo venga sobre ti; y ustedes serán mis testigos en Jerusalén, y en toda Judea y Samaria, y hasta los confines de la tierra ”(Hechos 1: 8). Jerusalén se refiere a las misiones locales de la ciudad, Judea y Samaria son misiones dentro del país, y los confines de la tierra se refieren a misiones interculturales. Necesitamos pedirle a Dios que nos dé un corazón misionero para las tres regiones.

Para octubre, exploremos el tema de las misiones y la iglesia celular. Los pastores y líderes escribirán veinte blogs sobre este tema. Si deseas recibir estos blogs en tu bandeja de entrada de correo electrónico todos los días, presiona aquí. Cubriremos:

06-12 de octubre: base bíblica para las misiones. Dios es un Dios misionero. Exploraremos cómo esto se aplica al ministerio celular a lo largo de la historia de la iglesia, comenzando con la iglesia del Nuevo Testamento hasta nuestros días.

13-19 de octubre: los grupos celulares son el ambiente perfecto para preparar y enviar futuros misioneros. Aquellos que pueden liderar, multiplicar y entrenar a nuevos líderes pueden repetir el proceso en cualquier parte del mundo.

20 de octubre-26 de octubre: actividad misionera dentro de los grupos celulares. ¿Qué pueden hacer los grupos celulares para participar en el plan misionero de Dios? Algunos grupos oran por los misioneros, practican misiones a corto plazo, se mantienen en contacto con los misioneros y luego los invitan a hacer cosas cuando están en el país.

27 de octubre-02 de noviembre: Misiones locales. Las células deben tener un propósito más allá de sí mismas y las misiones locales son esenciales. Multiplicar una célula es una actividad misionera. Es difícil, pero cuando nos damos cuenta de que Jesús tiene un corazón misionero, debemos participar en la planificación, la preparación y el lanzamiento del nuevo grupo.

En tu experiencia, ¿qué hace grandes  a los líderes de equipo? Por favor, siéntete libre de compartir aquí.

Leave a Reply

Your email address will not be published.