Never Let a Good Crisis Go to Waste

By Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

Sir Winston Churchill is credited with first saying, “Never let a good crisis go to waste.” He said it in the mid-1940s as we were approaching the end of World War ll. This expression is now commonly applied to economic or diplomatic crises that can be exploited to advance political agendas. The US Government followed this maxim following 9/11, when it began to curtail political freedoms. Governments around the world are using it now with COVID-19 to further their ends.

The Church, however, seems never to capitalize on a good crisis. I am a product of the Jesus Movement of the 1960’s, and the move of the Holy Spirit among Jews. In the midst of the Viet Nam war and political upheaval, 1000s of us were birthed into the Kingdom. Yet, for whatever reason, the churches did not embrace us, and much of the harvest was never conserved. The two Sundays following 9/11 saw a record increase in church attendance. Churches did very little, and attendance and faith plummeted within the month. Both times, the Church let a good crisis go to waste. The same pattern appears true with the Rwandese genocide and the political upheaval in Kenya following the 2007 elections.

Crises today swirl around the church. We have a worldwide COVID-19 crisis. East Africa has recently been ravaged by billions of locusts, one swarm alone 37mi long by 25mi wide. Wave two is expected to be 20x larger, leaving devastation and famine. Will we let these crises go to waste also?

People are gripped with fear. Our God has said, “Do not fear, for I am with you”. People are panicked. Our God has said, “My peace I give to you.” People are devoid of hope. Our God is the “God of hope”. These are not platitudes to mouth to those who are desperate. God forbid! These are realities we are to model in our own day-to-day lives, manifesting His Life in the midst of crises, even in the midst of physical isolation. How? He alone can show us. But, if we do not shine His light now in the darkness around us, the darkness will only grow darker.

The ministering purpose of Christ is not for the cell, but the world. This is a time for the church to speak prophetically to those in the darkness around us. Yes, prophecy is given for consolation, and comfort, and encouragement. God knows we need these! But God also raises up those who can speak prophetically to nations, and call cities and nations to repentance, not because God has caused these crises, but because He reigns supreme above them. God calls upon His people to humble themselves, pray and seek His face. He can heal our lands.

In whatever crisis the Church finds herself, it is never about the crisis. It is about how we are to engage God in the midst of crisis. How will you engage Him in these crises? Never let a good crisis go to waste!

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Nunca desperdice uma boa crise

Pelo Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com.

Sir Winston Churchill é creditado com o primeiro ditado: “Nunca disperdice uma boa crise”. Ele disse isso em meados da década de 1940, quando estávamos nos aproximando do final da Segunda Guerra Mundial. Essa expressão agora é comumente aplicada a crises econômicas ou diplomáticas que podem ser exploradas para promover agendas políticas. O governo dos EUA seguiu essa máxima após o 11 de setembro, quando começou a reduzir as liberdades políticas. Governos de todo o mundo estão usando agora com o COVID-19 para promover seus fins.

A Igreja, no entanto, parece nunca capitalizar uma boa crise. Eu sou um produto do movimento de Jesus da década de 1960, e o movimento do Espírito Santo entre os judeus. No meio da guerra do Vietnã e da revolta política, milhares de nós nasceram no Reino. Contudo, por qualquer motivo, as igrejas não nos abraçaram e grande parte da colheita nunca foi conservada. Os dois domingos seguintes ao 11 de setembro viram um aumento recorde na freqüência à igreja. As igrejas fizeram muito pouco, e a assistência e a fé despencaram dentro de um mês. Nas duas vezes, a Igreja desperdiçou uma boa crise. O mesmo padrão parece verdadeiro com o genocídio de Ruanda e a revolta política no Quênia após as eleições de 2007.

Hoje as crises cercam em torno da igreja. Temos uma crise mundial de COVID-19. A África Oriental foi recentemente devastada por bilhões de gafanhotos, um enxame sozinho a 37 milhões de comprimento por 25 milhões de largura. A onda dois deve ser 20 vezes maior, deixando devastação e fome. Vamos deixar que essas crises também sejam desperdiçadas?

As pessoas são dominadas pelo medo. Nosso Deus disse: “Não temas, porque eu estou contigo”. As pessoas estão em pânico. Nosso Deus disse: “Minha paz vos dou.” As pessoas são desprovidas de esperança. Nosso Deus é o “Deus da esperança”. Estes não são banalidades de boca para aqueles que estão desesperados. Deus não permita! Essas são realidades que devemos modelar em nossas próprias vidas cotidianas, manifestando Sua Vida no meio de crises, mesmo no meio do isolamento físico. Como? Ele sozinho pode nos mostrar. Mas, se não brilharmos Sua luz agora nas trevas que nos rodeiam, as trevas só se tornarão mais escuras.

O propósito ministerial de Cristo não é para a célula, mas para o mundo. Este é um momento para a igreja falar profeticamente àqueles nas trevas ao nosso redor. Sim, profecia é dada para consolo, conforto e encorajamento. Deus sabe que precisamos disso! Mas Deus também levanta aqueles que podem falar profeticamente às nações e chamar cidades e nações ao arrependimento, não porque Deus causou essas crises, mas porque Ele reina supremo acima delas. Deus apela ao Seu povo para se humilhar, orar e buscar o Seu rosto. Ele pode curar nossas terras.

Em qualquer crise que a Igreja se encontre, nunca se trata da crise. É sobre como devemos envolver Deus no meio da crise. Como você o envolverá nessas crises? Nunca deixe uma boa crise desperdiçar!

Spanish blog:

Nunca dejes que una buena crisis se desperdicie

Por el Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com.

A Sir Winston Churchill se le atribuye haber dicho por primera vez: “Nunca dejes que se desperdicie una buena crisis”. Lo dijo a mediados de la década de 1940 cuando nos acercamos al final de la Segunda Guerra Mundial. Esta expresión ahora se aplica comúnmente a las crisis económicas o diplomáticas que pueden ser explotadas para avanzar en las agendas políticas. El gobierno de los Estados Unidos siguió esta máxima después del 11 de septiembre, cuando comenzó a reducir las libertades políticas. Los gobiernos de todo el mundo lo están utilizando ahora con COVID-19 para promover sus fines.

La Iglesia, sin embargo, parece nunca capitalizar una buena crisis. Soy producto del movimiento de Jesús de los años sesenta y del movimiento del Espíritu Santo entre los judíos. En medio de la guerra de Vietnam y la agitación política, miles de nosotros nacimos en el Reino. Sin embargo, por alguna razón, las iglesias no nos abrazaron, y gran parte de la cosecha nunca fue conservada. Los dos domingos posteriores al 11 de septiembre vieron un aumento récord en la asistencia a la iglesia. Las iglesias hicieron muy poco, y la asistencia y la fe se desplomaron en un mes. En ambas ocasiones, la Iglesia dejó pasar una buena crisis. El mismo patrón parece haber ocurrido con el genocidio ruandés y la agitación política en Kenia después de las elecciones de 2007.

Las crisis hoy arremolinan alrededor de la iglesia. Tenemos una crisis mundial de COVID-19. África oriental ha sido devastada recientemente por miles de millones de langostas, un enjambre solo de 37 millas de largo por 25 millas de ancho. Se espera que la ola dos sea 20 veces más grande, dejando devastación y hambruna. ¿Dejaremos que estas crisis se desperdicien también?

Las personas están atrapadas por el miedo. Nuestro Dios dice: “No temas, porque yo estoy contigo”; la gente está en pánico, nuestro Dios dice: “Mi paz te doy”; las personas carecen de esperanza, nuestro Dios es el “Dios de la esperanza”. Estos no son lugares comunes para aquellos que están desesperados. ¡Dios no lo quiera! Estas son realidades que debemos modelar en nuestra propia vida cotidiana, manifestando Su vida en medio de crisis, incluso en medio del aislamiento físico. ¿Cómo? Él solo nos puede mostrar. Pero, si no brillamos con Su luz ahora en la oscuridad que nos rodea, la oscuridad será más negra. 

El propósito ministrante de Cristo no es para la célula, sino para el mundo. Este es un momento para que la iglesia hable proféticamente a aquellos en la oscuridad que nos rodea. Sí, la profecía se da para ayudar, consolar y alentar. ¡Dios sabe que necesitamos de ellos! Pero Dios también levanta a aquellos que pueden hablar proféticamente a las naciones, y llamar a las ciudades y a las naciones al arrepentimiento, no porque Dios haya causado estas crisis, sino porque Él reina por encima de ellas. Dios llama a su pueblo a humillarse, orar y buscar su rostro. Él puede sanar nuestras tierras.

En cualquier crisis que se encuentre la Iglesia, nunca se trata de la crisis. Se trata de cómo debemos involucrar a Dios en medio de la crisis. ¿Cómo lo involucrarás en estas crisis? ¡Nunca dejes que una buena crisis se desperdicie!

Leave a Reply

Your email address will not be published.