Adapting & Improving as We Make Disciples That Make Disciples

By Aaron Lemuel De La Torre, Iglesia Bautista de la Comunidad in Hidalgo, Texas , https://www.comunidadiglesia.com/

Over the past couple of months, our church, as well as many other cell-group churches, have been adapting to the new “normal” caused by COVID-19. The challenges we are facing in our new “normal” as the body of Christ cannot be avoided; on the contrary, we must adapt and improve as we continue to press on. In Leadership Without Easy Answers, Ronald A. Heifetz (1994) argues that leaders should be aware that the answer to difficult situations will not be simple or pain-free, instead, we must embrace the fact that we will have to “learn new ways” to resolve the problem (p. 2). In facing persecution, the early church did not surrender to the oppression aimed at having them renounce their faith. Instead, they adapted their structure and gathered in homes to provide hospitality, edify one another, and create a healthy balance between small group gatherings and large group gatherings (Atkinson & Comiskey, 2014, pp. 83-85). 

There are several adaptations and improvements that have been necessary, such as focusing on connecting with individuals using an online platform. We know that 75-90% of individuals that come to know Jesus as their Lord and Savior reported that a friend or family member was responsible for them being saved. As we move forward with conducting our cell groups, great celebrations, coaching, and route on an online format, we have focused on improving our ability to connect with people and allowing the Holy Spirit to use us to reach those who are lost and to develop disciples that make disciples. It might not be possible to replace the effect of the face to face encounter; however, that should not prevent us from striving to connect with individuals as they also adapt to the changes created by COVID-19.

Ralph Neighbour, Jr. has long argued that churches should move away from busy activities or programs and instead focus on helping fellow believers realize that they were called to help others partake in building up others in the body of Christ. During this time, it has become increasingly clear that we must improve our ability to execute every component of the cell-group church. Each element of the cell-group church aims at creating disciples that make disciples. Therefore, as we move to thrive during this pandemic, we have been intentional about improving every component of the cell-group church. We have decided to invest time and resources into better understanding and executing each component of the cell group church.

As Christians living in a post-modern society, we reaped the benefits from Christians that came before us that set out to accomplish the great commission. Christians must always understand that the overarching goal is to make disciples that make disciples. Therefore, our church has embarked on improving our ability to communicate the overarching goal, which is to make disciples that make disciples. We have been increasingly intentional about explaining how every component of the cell group church aims at fulfilling the great commission. Our prayer is that as we continue to adapt and improve various areas of our church, we may always assure that the changes contribute to fulfilling the great commission.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Adaptando e aprimorando enquanto fazemos discípulos que fazem discípulos

Aaron Lemuel De La Torre, Iglesia Bautista de la Comunidad in Hidalgo, Texas. https://www.comunidadiglesia.com/

Nos últimos meses, assim como muitas outras igrejas em células, a nossa igreja vem se adaptando ao novo “normal” causado pela pandemia do COVID-19. Os desafios que temos enfrentado no nosso novo “normal” como corpo de Cristo não podem ser evitados; ao invés disso, nós precisamos nos adaptar e aperfeiçoar enquanto continuamos avançando. No livro “Leadership Without Easy Answers” (ainda sem tradução para o português), Ronald A. Heifetz (1994) argumenta que líderes devem estar cientes de que as respostas para situações difíceis não serão simples e talvez sejam doloridas.  Precisamos abraçar a ideia de que será necessário “aprender novos caminhos” se quisermos resolver o problema (p.2). Ao sofrer perseguição, a igreja primitiva não se rendeu à opressão que exigia a renúncia de sua fé. Em vez disso, eles adaptaram sua estrutura, reuniram-se nos lares promovendo a hospitalidade e a edificação mútua, e criando assim um equilíbrio saudável entre encontros de grupos pequenos e grande. s

Diversas adaptações e aprimoramentos foram necessários, como por exemplo focar no contato com as pessoas por meio de uma plataforma online. Comiskey  declara que entre 75% a 90% dos indivíduos que vêm a conhecer a Cristo como Senhor e Salvador informaram que um amigo ou membro da família foi o responsável por sua salvação. À medida que prosseguimos conduzindo nossas reuniões de células, cultos, e supervisão no formato online, nós focamos em aprimorar nossa habilidade de alcançar as pessoas e permitir que o Espírito Santo nos use para atingirmos aqueles que estão perdidos, desenvolvendo discípulos que fazem discípulos. Talvez não seja possível substituir o potencial do encontro face-a-face, no entanto isso não deve impedir nosso esforço para nos conectar com indivíduos enquanto eles também se adaptam aos desafios criados pelo COVID-19.

Há muito tem sido debatido que as igrejas deveriam afastar-se de atividades ou programas e ao invés disso focar sua atenção em levar outros crentes ao entendimento de que eles mesmos foram chamados a ajudar outros a participar da construção do Corpo de Cristo. Hoje em dia, está cada vez mais claro que devemos melhorar nossa capacidade de trabalhar cada componente da estrutura de uma igreja em células. Cada parte de uma igreja em células tem por objetivo o desenvolvimento de discípulos que fazem discípulos. Assim é que à medida que caminhamos para superar as dificuldades durante esta pandemia, precisamos atuar de maneira intencional em cada um destes pontos. Nós decidimos investir tempo e recursos para compreendermos e atuarmos atendendo a cada ponto da estrutura de uma igreja em células.

Enquanto cristãos vivendo numa sociedade pós-moderna, colhemos os frutos da vida de cristãos que vieram antes de nós e decidiram viver cumprindo a grande comissão. Os cristãos devem sempre entender que o objetivo final é fazer discípulos que fazem discípulos. Portanto, a nossa igreja decidiu por melhorar nossa habilidade de comunicar este objetivo final, que é de fazer discípulos que fazem discípulos. Nós temos sido cada vez mais intencionais em explicar como cada um dos componentes da igreja em células deve ter por objetivo cumprir a grande comissão. Nossa oração é que à medida que continuamos a nos adaptar e melhorar em diversas áreas da igreja, possamos também estar certos de que cada uma destas mudanças contribui para o cumprimento da grande comissão.

Spanish blog:

Adaptación y mejora a medida que hacemos discípulos que hacen discípulos

Por Aaron Lemuel De La Torre, Iglesia Bautista de la Comunidad en Hidalgo, Texas, https://www.comunidadiglesia.com/

En los últimos meses, nuestra iglesia, así como muchas otras iglesias celulares, se han adaptado a la nueva “normalidad” causada por la COVID-19. Los desafíos que enfrentamos en nuestra nueva “normalidad” como el cuerpo de Cristo no se pueden evitar; por el contrario, debemos adaptarnos y mejorar a medida que continuamos avanzando. En Liderazgo sin respuestas fáciles, Ronald A. Heifetz (1994) argumenta que los líderes deben ser conscientes de que la respuesta a situaciones difíciles no será simple o sin dolor, sino que debemos aceptar el hecho de que tendremos que “aprender nuevas formas “Para resolver el problema (pág. 2). Al enfrentar la persecución, la iglesia primitiva no se rindió a la opresión destinada a que renunciaran a su fe. En cambio, adaptaron su estructura y se reunieron en hogares para brindar hospitalidad, edificarse mutuamente y crear un equilibrio saludable entre las reuniones de grupos pequeños y las reuniones de grupos grandes.

Hay varias adaptaciones y mejoras que han sido necesarias, como centrarse en conectarse con personas que utilizan una plataforma en línea. Es conocido que el 75-90% de las personas que llegan a conocer a Jesús como su Señor y Salvador informaron que un amigo o familiar fue responsable de que se salvaran. A medida que avanzamos con la conducción de nuestros grupos celulares, grandes celebraciones, entrenamiento y rutas en un formato en línea, nos hemos centrado en mejorar nuestra capacidad de conectarnos con las personas y permitir que el Espíritu Santo nos use para alcanzar a los que están perdidos y desarrollar discípulos que hacen discípulos. Puede que no sea posible reemplazar el efecto del encuentro cara a cara; sin embargo, eso no debería evitar que nos esforcemos por conectarnos con las personas, ya que también se adaptan a los cambios creados por la COVID-19.

Se ha argumentado durante mucho tiempo que las iglesias deberían alejarse de las actividades o programas ocupados y, en lugar de eso, centrarse en ayudar a los creyentes a darse cuenta de que fueron llamados a ayudar a otros a participar en la construcción de otros en el cuerpo de Cristo. Durante este tiempo, se ha vuelto cada vez más claro que debemos mejorar nuestra capacidad para ejecutar cada componente de la iglesia celular. Cada elemento de la iglesia celular apunta a crear discípulos que hagan más discípulos. Por lo tanto, a medida que avanzamos para prosperar durante esta pandemia, hemos tenido la intención de mejorar cada componente de la iglesia celular. Hemos decidido invertir tiempo y recursos en una mejor comprensión y ejecución de cada componente de la iglesia celular.

Como cristianos que viven en una sociedad posmoderna, cosechamos los beneficios de los cristianos que nos precedieron y que se propusieron cumplir la gran comisión. Los cristianos siempre deben entender que el objetivo general es hacer discípulos que hagan discípulos. Por lo tanto, nuestra iglesia se ha embarcado en mejorar nuestra capacidad de comunicar el objetivo general, que es hacer discípulos que hagan discípulos. Hemos sido cada vez más intencionales al explicar cómo cada componente de la iglesia celular apunta a cumplir con la gran comisión. Nuestra oración es que a medida que continuamos adaptándonos y mejorando varias áreas de nuestra iglesia, siempre podemos asegurarnos de que los cambios contribuyan al cumplimiento de la gran comisión.

Sumate a la Obra Misionera a Pueblos No Alcanzados

Leave a Reply

Your email address will not be published.