Slipping Away to Pray

Gilbert Silva, lead pastor of House of Praise in Lorain, Ohio, www.hopchurch.org

In my second year as a lead pastor, I was diagnosed with a heart condition called Myocarditis. This condition led to arrhythmias (irregular heart rhythms). At first, I didn’t understand everything about my condition or even how the heart worked, but I knew how I felt when my heart was sick and out of rhythm. I felt fatigued, anxious and irritable. A few years later the Lord touched my heart and healed me of this severe condition. However, every now and then my heart experiences brief episodes of arrhythmia and it’s in those moments that I am reminded of how important it is for the heart to be beat in rhythm. In the same way it’s so important for our spiritual heart to beat with the rhythm of God’s heart.

Ministering to people and making disciples can be rewarding but, at the same time it can be draining and leads to spiritual fatigue. It’s in moments like these that we can lose sight of doing things with the right heart. As a result, we start to see ministry as a burden and obligation instead of a privilege and a joy. Because we are called as leaders to serve those entrusted to our care, we must guard out hearts with all diligence. The best place to do this is in the place of prayer.

One of my ministry life scriptures is found in Proverbs 4:23, “Guard your heart above all else, for it determines the course of your life.” One of the best ways to guard our hearts is to make prayer a priority. Prayer is not only a place of communion with God, it is also place of reconnecting with the heartbeat of God for the people entrusted to our care. Prayer empowers us to lead the church, a cell group and our families.

Jesus modeled this by breaking away regularly to pray. Luke writes that Jesus Himself would often slip away to the wilderness and pray (Luke 5:16). Did you notice that he would “slip away”? Sometimes we need to slip away from the demands and responsibilities that occupy our minds or from the people and things that demand our time to find a place where we can commune with God and hear His heartbeat.

As leaders, we are all wired differently when it comes to how we pray. Some like to pray walking back and forth, others like to kneel, and yet others enjoy walking out in nature while they talk to God. Our styles and forms of prayer are not as important as making sure that we slip away and commune with God to listen to His heart.

Making disciples and ministering to people requires that our hearts are beating with the heart of God. I’m referring to a heart that loves like Jesus, serves like Jesus, and ministers out of gratitude. This kind of heartbeat is found in the place of prayer. We need to learn to slip away and pray.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Retirando-se para Orar

Gilbert Silva, pastor líder da Casa de Oração em Lorain, Ohio, www.hopchurch.org

Em meu segundo ano como um pastor líder, eu fui diagnosticado com uma condição cardíaca chamada Miocardite. Essa condição levou a arritmias (batidas irregulares do coração). De início, eu não entendia tudo sobre minha condição ou mesmo como o coração funcionava, mas eu sabia como eu sentia quando meu coração estava doente e fora de ritmo. Eu sentia fadigado, ansioso e irritável. Alguns anos depois o Senhor tocou meu coração e curou-me dessa condição severa. Entretanto, de vez em quando meu coração experiencia episódios rápidos de arritmia e é nesses momentos que eu sou lembrado de quão importante é para o coração bater no ritmo. Do mesmo modo que é importante para nosso coração espiritual bater no ritmo do coração de Deus.

Ministrar ao povo e fazer discípulos pode ser recompensador, mas ao mesmo tempo isso pode ser desgastante e levar a fatiga espiritual. É em momentos como esse que nós podemos perder de vista o fazer coisas com o coração certo. Como resultado, nós começamos a ver o ministério como um fardo e uma obrigação ao invés de um privilégio e uma alegria. Porque nós somos chamados como líderes para servir aqueles confiados ao nosso cuidado, nós precisamos guardar nossos corações com toda diligência. O melhor lugar para fazer isso é no lugar de oração.

Uma das escrituras de vida do meu ministério é encontrado em Provérbios 4:23,  “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.” Uma das melhores maneiras de guardar nossos corações é fazer da oração uma prioridade. Oração não é somente um lugar de comunhão com Deus, é também um lugar de reconectar com a batida do coração de Deus ao povo confiado ao nosso cuidado. Oração nos habilita a liderar a igreja, um grupo de célula e nossas famílias.

Jesus modelou isso ao regularmente parar para orar. Lucas escreve que Jesus frequentemente retiraria a si mesmo para os desertos e orava (Lucas 5:16). Você notou que ele se “retirava”? Às vezes nós precisamos nos retirar das demandas e responsabilidades que ocupam nossas mentes ou das pessoas e coisas que demandam nosso tempo e encontrar um lugar onde nós podemos relacionar com Deus e ouvir as batidas de Seu coração.

Como líderes, nós estamos todos conectados diferentemente quando o assunto é como nós oramos. Alguns gostam de orar andando de um lado para outro, outros gostam de ajoelhar, e outros ainda preferem andar pela natureza enquanto eles falam com Deus. Nossos estilos e formas de oração não são tão importantes tanto quanto garantir que nós nos retiramos e relacionamos com Deus e ouvimos Seu coração.

Fazer discípulos e ministrar às pessoas requer que nossos corações estejam batendo com o coração de Deus. Eu estou me referindo a um coração que ama como Jesus, serve como Jesus e ministra com gratidão. Esse tipo de batida do coração é encontrado no lugar de oração. Nós precisamos aprender a nos retirar e orar.

Spanish blog:

Escapandose para orar

Gilbert Silva, pastor principal de House of Praise en Lorain, Ohio, www.hopchurch.org

En mi segundo año como pastor principal, me diagnosticaron una afección cardíaca llamada miocarditis. Esta condición condujo a arritmias (ritmos cardíacos irregulares). Al principio, no entendía todo acerca de mi condición o incluso cómo funcionaba el corazón, pero sabía cómo me sentía cuando mi corazón estaba enfermo y fuera de ritmo. Me sentía fatigado, ansioso e irritable. Unos años más tarde, el Señor tocó mi corazón y me curó de esta severa condición. Sin embargo, de vez en cuando mi corazón experimenta breves episodios de arritmia y es en esos momentos que recuerdo lo importante que es para el corazón latir al ritmo. De la misma manera, es muy importante que nuestro corazón espiritual lata al ritmo del corazón de Dios.

Ministrar a las personas y hacer discípulos puede ser gratificante, pero al mismo tiempo puede ser agotador y provocar fatiga espiritual. Es en momentos como estos que podemos perder de vista hacer las cosas con el corazón correcto. Como resultado, comenzamos a ver el ministerio como una carga y obligación en lugar de un privilegio y una alegría. Debido a que somos llamados como líderes para servir a los encargados de nuestro cuidado, debemos proteger los corazones con toda diligencia. El mejor lugar para hacer esto es en el lugar de oración.

Una de las escrituras de mi vida ministerial se encuentra en Proverbios 4:23, “Protege tu corazón por encima de todo, porque determina el curso de tu vida”. Una de las mejores maneras de proteger nuestros corazones es hacer de la oración una prioridad. La oración no es solo un lugar de comunión con Dios, también es un lugar de reconexión con el latido de Dios para las personas confiadas a nuestro cuidado. La oración nos capacita para dirigir la iglesia, un grupo celular y nuestras familias.

Jesús modeló esto separándose regularmente del grupo para orar. Lucas escribe que Jesús mismo a menudo se escapaba al desierto y oraba (Lucas 5:16). ¿Te diste cuenta de que dice “escaparía”? A veces necesitamos escapar de las demandas y responsabilidades que ocupan nuestras mentes o de las personas y las cosas que demandan nuestro tiempo para encontrar un lugar donde podamos comunicarnos con Dios y escuchar sus latidos.

Como líderes, todos estamos conectados de manera diferente cuando se trata de cómo oramos. A algunos les gusta orar caminando de un lado a otro, a otros les gusta arrodillarse, y otros disfrutan de caminar en la naturaleza mientras hablan con Dios. Nuestros estilos y formas de oración no son tan importantes como el asegurarnos de escabullirnos y comunicarnos con Dios para escuchar su corazón.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *