Family matters

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

In his book, When Church was a Family, Joseph Hellerman points out that Jesus called his followers, “family.” “Who are my mother and my brothers?” Jesus asked. Then he looked at those seated in a circle around him and said, “Here are my mother and my brothers! Whoever does God’s will is my brother and sister and mother” (Mark 3:33-35).

The church is a family of those God has made alive in Christ.

In the New Testament times, families did not look like the nuclear family of 21st century United States. In the group culture of the Middle East, mothers, fathers, siblings, grandparents, cousins, and more all lived close to one another. They were there for support and guidance for all the events of life.

For example, when a woman gave birth, she was not on her own. Her mother and aunts were probably nearby to relieve her when she was tired, to counsel her when the baby wouldn’t stop crying, and so on. That meant she had a lot less stress than the isolated Western mothers of today.

Cell groups are a way to structure around the family of God. It is too easy to remain isolated if the only time we gather is for a large-group worship service or program. When we are part of a group, we can share our lives, not just a row. That makes a huge difference.

Recently our church did a survey of our members to see how they were doing. We saw that members of groups had less anxiety than those who were not. Group members were actively caring for one another, so few felt that they were on their own.

Cell groups are not just a church growth strategy, they are the best structure for living out our calling as the family of God. 

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Família importa

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Em seu livro, Quando a Igreja era uma Família, (tradução livre), Joseph Hellerman aponta que Jesus chamou seus seguidores, “família.” “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?”, perguntou ele. Então olhou para os que estavam assentados ao seu redor e disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos! Quem faz a vontade de Deus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. (Marcos 3:33-35)

A igreja é uma família daqueles que Deus tem feito vivos em Cristo.

Nos tempo do Novo Testamento, famílias não se pareciam com a família nuclear do século 21 dos Estados Unidos. No grupo cultural do Oriente Médio, mães, pais, irmãos, avós, primos e até mais, todos viviam próximos uns dos outros. Eles estavam lá para dar apoio e direção em todos os eventos da vida.

Por exemplo, quando uma mulher dava a luz, ela não estava por conta própria. A mãe dela e suas tias estavam provavelmente por perto para aliviá-la quando ela estava cansada, para aconselhá-la quando o bebê não parasse de chorar, e por aí vai. Isso quer dizer que ela tinha muito menos estresse que as mães isoladas do Ocidente de hoje.

Grupos de células são um meio de estruturar acerca da família de Deus. É muito fácil se manter isolado se o único tempo que nos juntamos é no culto de adoração do grupo grande ou programas. Quando nós somos parte de um grupo, nós podemos compartilhar nossas vidas, não apenas sentados nas fileiras. Isso faz uma enorme diferença.

Recentemente nossa igreja fez uma pesquisa entre nossos membros para ver como eles estavam indo. Nós percebemos que os membros de grupos tinham menos ansiedade do que aqueles que não estavam em grupos. Membros dos grupos eram ativos no cuidado uns dos outros, então poucos se sentiam como se eles estivessem por conta própria.

Grupos de células não é apenas uma estratégia de crescimento de igreja, eles são a melhor estrutura para viver nosso chamado como a família de Deus.

Spanish blog:

La familia importa 

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

En su libro, Cuando la Iglesia era una familia (When Church was a Family), Joseph Hellerman señala que Jesús llamó a sus seguidores, “familia”. “¿Quiénes son mi madre y mis hermanos?” Jesús preguntó. Luego miró a los que estaban sentados en círculo a su alrededor y dijo: “¡Aquí están mi madre y mis hermanos! Quien hace la voluntad de Dios es mi hermano, mi hermana y mi madre ”(Marcos 3: 33-35).

La iglesia es la familia de aquellos que Dios ha vivificado en Cristo.

En los tiempos del Nuevo Testamento, las familias no se parecían a la familia nuclear de los Estados Unidos del siglo XXI. En la cultura grupal de Medio Oriente, madres, padres, hermanos, abuelos, primos y más vivían cerca el uno del otro. Estaban allí para recibir apoyo y orientación para todos los eventos de la vida.

Por ejemplo, cuando una mujer dio a luz, no estaba sola. Su madre y sus tías probablemente estaban cerca para aliviarla cuando estaba cansada, para aconsejarla cuando el bebé no dejara de llorar, y así sucesivamente. Eso significaba que tenía mucho menos estrés que las madres occidentales aisladas de hoy.

Los grupos celulares son una forma de estructurarse alrededor de la familia de Dios. Es demasiado fácil permanecer aislado si la única vez que nos reunimos es para un servicio o programa de adoración de grupos grandes. Cuando somos parte de un grupo, podemos compartir nuestras vidas, no solo una fila. Eso hace una gran diferencia.

Recientemente nuestra iglesia hizo una encuesta a nuestros miembros para ver cómo les iba. Vimos que los miembros de los grupos celulares tenían menos ansiedad que los que no asistían a uno. Los miembros del grupo se cuidaban activamente unos a otros, por lo que pocos sentían que estaban solos.

Los grupos celulares no son solo una estrategia de crecimiento de la iglesia, son la mejor estructura para vivir nuestro llamado como la familia de Dios.

Leave a Reply

Your email address will not be published.