Theology Gives Wings to Cell Ministry

By Joel Comiskey, check out Joel’s latest book, Living in Victory

When I first started studying cell ministry, I became enamored with its potential for church growth, but I didn’t prioritize the theological side of cell ministry as much as the pragmatic aspect.

My first book, Home Cell Group Explosion, focused on the rapid multiplication and evangelism of cells, and then my second book, Reap the Harvest, emphasized the growth of cell churches based on common principles. At that time, I was a missionary in Ecuador, and our cell church was seeing amazing church growth. I believed certain leaders in the cell movement were not pragmatic enough. I wanted to show the world that cell church had to work for it to have relevance.

In June 1998, I toured five major U.S. cities for Touch Publications, my book publisher. My seminar topic was cell church. Most of the pastors who attended were struggling. They simply were not experiencing the rapid church growth I highlighted in my books. Most of them talked about their long, long transition and the difficulties of cell ministry. 

I moved to North America in 2001 from Ecuador. I jumped right into the battle , coaching pastors, doing seminars, and even planted a cell church with another pastor. I intended to find the keys that would unlock a cell church explosion in the United States and the Western world.

Church growth was much slower in the West. I could “grow a church” more quickly by not emphasizing cell ministry! Some people told us they were looking for a church in which they wouldn’t be known. One Christian said to me, “I need a church where I don’t have to do much.” Very few were interested in the additional commitments of cell ministry. Some churches were “growing” by not requiring much of their members and allowing them to remain anonymous. 

Over a long period of time, I began to see cell ministry as much more than a technique of church growth. I realized that my former church growth theology was deficient. I came to understand that biblical truth is the final judge of church growth or any other philosophy of ministry.

Theology gives wings to cell ministry because it provides the basis for implementation in both receptive and non-receptive areas. Following the cell church strategy does not result in instant church growth. It takes time to change traditional thinking, develop the lay people to do the work of the ministry, and engage in relational evangelism. Some churches might even lose members in early stages of the process.

Cell church principles and practices must be built on a biblical foundation if churches are to become healthier and make more and better disciples. It’s not a quick growth strategy, but rather, a biblical one. Cell groups provide the environment to form disciples. No matter where the church is established, in areas of rapid growth or slow growth, cell ministry must depend on biblical truth rather than outward results.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Teologia Dá Asas para Ministério em Célula

Por Joel Comiskey, novo livro “Living in Victory” disponível.

Quando eu comecei a estudar ministério em célula, eu me apaixonei com seu potencial de crescimento de igreja, mas eu não priorizei o lado teológico do ministério em célula tanto quanto do aspecto pragmático.

Meu primeiro livro, Explosão do Grupo Celular no Lar, [tradução livre], focou na rápida multiplicação e evangelismo das células, e então o meu segundo livro, Ceifando a Colheita, [tradução livre], enfatizou o crescimento das igrejas em células embasadas em princípios comuns. Naquele tempo, eu era um missionário no Equador, e nossa igreja em célula estava vendo um incrível crescimento da igreja. Eu acreditava que alguns líderes no movimento celular não eram pragmáticos o suficiente. Eu queria mostrar ao mundo que igreja em célula tinha que funcionar para que ela tivesse relevância.

Em junho de 1998, eu fiz um tour pelas cinco maiores cidades dos EUA pela Touch Publications, a editora do meu livro. Meu tópico de seminário era igreja em célula. A maioria dos pastores que participaram estava em crise. Eles simplesmente não estavam experimentando o rápido crescimento que eu destacava em meus livros. A maioria deles falou sobre suas longas, longas transições e as dificuldades do ministério em célula.

Eu me mudei do Equador para a América do Norte em 2001. Eu mergulhei de cabeça na supervisão de pastores, fazendo seminários e até plantei uma igreja em célula com outro pastor. Eu pretendia encontrar as chaves que desbloqueariam uma explosão da igreja em célula nos Estados Unidos e no mundo Ocidental.

O crescimento da igreja era muito mais lento no Oeste. Eu poderia “fazer crescer uma igreja” mais rapidamente ao não enfatizar o ministério em célula! Algumas pessoas nos disseram que elas estavam buscando uma igreja em que não seriam conhecidas. Um cristão me disse “eu preciso de uma igreja onde eu não tenha que fazer muito.” Pouquíssimos estavam interessados em compromissos adicionais do ministério em célula. Algumas igrejas estavam “crescendo” por não requer muito de seus membros e permitindo-os a permanecer anônimos.

Depois de um longo período de tempo, eu comecei a ver o ministério em células como muito mais do que uma técnica de crescimento de igreja. Eu percebi que a teologia de crescimento da minha igreja anterior era deficiente. Eu cheguei ao entendimento que a verdade bíblica é o julgamento final do crescimento da igreja ou qualquer outra filosofia de ministério.

A teologia dá asas para o ministério em célula porque ela provê a base para implementação em ambas as áreas receptivas e não receptivas. Seguir a estratégia de igreja em célula não resulta em crescimento instantâneo da igreja. Leva tempo para mudar o pensamento tradicional, desenvolver as pessoas leigas para fazer o trabalho do ministério e engajar no evangelismo relacional. Algumas igrejas podem perder membros nos estágios iniciais do processo.

Os princípios e práticas da igreja em célula precisam ser construídos na fundação bíblica se as igrejas querem se tornar saudáveis e fazer mais e melhores discípulos. Não é uma estratégia de crescimento rápido, ao contrário, uma estratégia bíblica. Grupos de células providenciam o ambiente para formar discípulos. Não importa onde a igreja esta estabelecida, em áreas de crescimento rápido ou de crescimento vagaroso, o ministério em célula precisa depender da verdade bíblica ao invés de resultados externos.

Spanish blog:

La teología da alas al ministerio celular

Por Joel Comiskey, el nuevo libro “Living in Victory” (Viviendo en Victoria) ya está disponible.

Cuando comencé a estudiar el ministerio celular, me enamoré de su potencial para el crecimiento de la iglesia, pero no prioricé el lado teológico del ministerio celular tanto como el aspecto pragmático.

Mi primer libro, Explosión del grupo celular en casa (Home Cell Group Explosion), se centró en la multiplicación rápida y la evangelización de las células, y luego mi segundo libro, Recoge la Cosecha (Reap the Harvest), enfatizó el crecimiento de las iglesias celulares basadas en principios comunes. En ese momento, yo era misionero en Ecuador, y nuestra iglesia celular estaba viendo un crecimiento asombroso. Creía que ciertos líderes del movimiento celular no eran lo suficientemente pragmáticos. Quería mostrarle al mundo que la iglesia celular tenía que trabajar para que tuviera relevancia.

En junio de 1998, realicé una gira por cinco ciudades estadounidenses importantes para Touch Publications, mi editora de libros. El tema de mi seminario fue la iglesia celular. La mayoría de los pastores que asistieron estaban pasando apuros, simplemente no estaban experimentando el rápido crecimiento de la iglesia que destaqué en mis libros. La mayoría de ellos habló sobre su larga, larga transición y las dificultades del ministerio celular.

Me mudé a América del Norte en 2001 venía de Ecuador. Salté directamente a la batalla, entrenando pastores, dando seminarios e incluso planté una iglesia celular con otro pastor. Tenía la intención de encontrar las llaves que abrirían la explosión de una iglesia celular en los Estados Unidos y el mundo occidental.

El crecimiento de la iglesia fue mucho más lento en Occidente. ¡Podría “hacer crecer una iglesia” más rápidamente si no enfatizaba el ministerio celular! Algunas personas nos dijeron que estaban buscando una iglesia en la que no serían conocidos. Un cristiano me dijo: “Necesito una iglesia en la que no tenga que hacer mucho”. Muy pocos estaban interesados ​​en los compromisos adicionales del ministerio celular. Algunas iglesias estaban “creciendo” al no requerir mucho de sus miembros y permitirles permanecer en el anonimato.

Durante un largo período de tiempo, comencé a ver el ministerio celular como mucho más que una técnica de crecimiento de la iglesia. Me di cuenta de que la teología del crecimiento de mi iglesia anterior era deficiente. Llegué a comprender que la verdad bíblica es el juez final del crecimiento de la iglesia o cualquier otra filosofía del ministerio.

La teología da alas al ministerio celular porque proporciona la base para la implementación tanto en áreas receptivas como no receptivas. Seguir la estrategia de la iglesia celular no resulta en un crecimiento instantáneo de la membresía. Se necesita tiempo para cambiar el pensamiento tradicional, desarrollar a los miembros para hacer el trabajo del ministerio y participar en el evangelismo relacional. Algunas iglesias incluso pueden perder miembros en las primeras etapas del proceso.

Los principios y prácticas de la iglesia celular deben construirse sobre una base bíblica para que las iglesias sean más saludables y tengan más y mejores discípulos. No es una estrategia de crecimiento rápido, sino más bien bíblica; los grupos celulares proporcionan el entorno para formar discípulos. No importa dónde se establezca la iglesia, en áreas de crecimiento rápido o lento, el ministerio celular debe depender de la verdad bíblica en lugar de los resultados externos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.