Building a Team of People who Hear and See

By Scott Boren, The Center for Community and Mission  (www.mscottboren.org), Twitter@mscottboren

Entering a team around Jesus’ kingdom way cannot be forced on people. Many may agree with the vision, but that does not mean that they actually “see” it. However, it’s hard to know the difference between those who say they see God’s kingdom reality and those who really see it. Let’s consider four basic ways of seeing.

First are those people that only want religious meetings. They scoff at the idea of sharing regular meals together, praying and fasting together, and holding each other accountable. They had rather have a broad range of surface-level friends instead of having a primary group with whom they are share life.

In the second group, you find people who might be attracted to the way of Jesus but the realities of busyness, work schedules, family life, and other commitments make it unrealistic to jump into life together.  The idea is compelling. They know that they want it, but their life habits preclude them from doing it well. Such people usually have to take their busy lives to the cross and see what they are willing to invest their lives in. Trying to add the way of Jesus on top of their busyness is a recipe for mediocrity. Often these people are some of the most committed in the church, but they must first go to the cross and avoid the temptation of doing one more thing. Those who catch the vision for this quickly and are willing to make changes—that is go to the cross—are ready to go to the next level.

A third group would include those who might desire the way of Jesus, but they need to develop the ability to see what God is doing. They only see it at a distance. They need to learn from those who have been down the road with Jesus ahead of them. Or they need to walk together with the team and learn together as they go.

A fourth group includes those who are ready and able to enter into and experiment with being a team based around the presence of Jesus and his countercultural way of being in the world. They have a sense of urgency for more.

Leading a team in Jesus’ kingdom way is not just about gathering a team and possessing good leadership skills. It involves facilitating a path for others to see what Jesus is up to in the midst of the team. After all, he is the real leader. Maybe we should actually lead as if this were true.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Construindo uma equipe de pessoas que ouvem e vêem

Scott Boren, The Center for Community and Mission  (www.mscottboren.org), Twitter@mscottboren

Não se pode obrigar alguém a participar de uma equipe que esteja centrada na maneira que Jesus ensinou sobre o seu Reino. Muitos até concordam com a visão, mas isso não significa necessariamente que eles efetivamente “ver” o que isso significa. Entretanto é bem difícil entender a diferença entre aqueles que dizem que conseguem enxergar a realidade do Reino de Deus e aqueles que de fato conseguem “ver”. Consideremos aqui quatro formas de “ver”.

Em primeiro lugar, há pessoas que querem apenas os encontros religiosos. Eles torcem o nariz para a ideia de compartilhar uma refeição, orar ou jejuar juntos, e comprometer-se mutuamente em seu viver. Eles preferem ter um número maior de amigos superficiais do que contar com um grupo com quem efetivamente compartilhem suas vidas.

No segundo grupo encontraremos pessoas que até são atraídas pelo estilo de Jesus, mas suas realidades de negócios, agendas profissionais, vida familiar e outros compromissos tornam o salto para a vida em comunhão algo irrealista. A ideia atrai. Eles sabem que querem viver assim, mas os hábitos formados os impedem de ter sucesso. Essas pessoas normalmente precisam levar suas vidas ocupadas até a cruz e decidir se de fato estão decididas a investir suas vidas assim. Tentar adicionar o estilo de Jesus como mais uma camada em cima dos seus afazeres é uma receita pronta para a mediocridade. Frequentemente estas pessoas fazem parte do grupo mais comprometido da igreja, mas primeiro precisam ir até a cruz e vencer a tentação de fazer mais uma coisa. Aqueles que conseguem perceber isso rapidamente e estiverem dispostos a mudar (ir até a cruz) podem então prosseguir para o próximo nível. 

O terceiro grupo incluiria aquelas pessoas que talvez desejem o estilo de Jesus, mas eles ainda precisam desenvolver a habilidade de ver o que Deus está fazendo. Eles só conseguem ver bem de longe. Eles precisam aprender com aqueles que já estão caminhando com Jesus há mais tempo. Ou ainda podem caminhar com a equipe e aprender em grupo à medida que caminham.

Um quarto grupo inclui aqueles que estão prontos e são capazes de experimentar a vida em uma equipe que busca a presença de Jesus e seu jeito controverso de lidar com o mundo. Eles têm um senso de urgência para mais do que já são. 

Liderar uma equipe no Reino de Jesus e seu estilo, não é apenas juntar pessoas e contar com habilidades de lideranças. Isso envolve preparar o caminho para que outras pessoas consigam ver o que Jesus está fazendo em meio à equipe. Afinal de contas, Ele é o líder verdadeiro. Talvez nós devamos liderar partindo desta verdade.

Spanish blog:

Construya un equipo de personas que oyen y ven 

Por Scott Boren, Centro para la Comunidad y la Misión (www.mscottboren.org), Twitter @ mscottboren 

Entrar en un equipo que está formado alrededor del reino de Jesús no puede ser forzado a las personas. Muchos pueden estar de acuerdo con la visión, pero eso no significa que realmente la “vean”. Sin embargo, es difícil saber la diferencia entre quienes dicen que ven la realidad del reino de Dios y quienes realmente lo ven. Consideremos cuatro formas básicas de ver. 

Primero están aquellas personas que solo quieren reuniones religiosas. Se burlan de la idea de compartir comidas regulares juntos, orar y ayunar juntos, y responsabilizarse mutuamente. Prefieren tener una amplia gama de amigos superficiales en lugar de tener un grupo principal con el que compartir la vida. 

En el segundo grupo, encontrarás personas que podrían sentirse atraídas por el camino de Jesús, pero la realidad del ajetreo diario, los horarios de trabajo, la vida familiar y otros compromisos hacen que sea poco realista saltar a la vida juntos. La idea es convincente y saben que lo quieren, pero sus hábitos de vida les impiden hacerlo bien. Estas personas generalmente tienen que llevar sus ocupadas vidas a la cruz y ver en qué están dispuestas a invertir sus vidas. Tratar de agregar el camino de Jesús a sus ocupaciones es una receta para la mediocridad. A menudo, estas personas son algunas de las más comprometidas en la iglesia, pero primero deben ir a la cruz y evitar la tentación de hacer siempre una cosa más. Aquellos que captan la visión de esto rápidamente y están dispuestos a hacer cambios, es decir, ir a la cruz, están listos para pasar al siguiente nivel. 

Un tercer grupo incluiría a aquellos que podrían desear el camino de Jesús, pero necesitan desarrollar la capacidad de ver lo que Dios está haciendo. Lo ven, pero a la distancia. Necesitan aprender de aquellos que han recorrido el camino con Jesús delante de ellos. O necesitan caminar junto con el equipo y aprender juntos a medida que avanzan. 

Un cuarto grupo incluye a aquellos que están listos y capaces de entrar y experimentar como un equipo basado en la presencia de Jesús y su forma contracultural de estar en el mundo. Tienen un sentido de urgencia por más. 

Liderar un equipo a la manera del reino de Jesús no se trata solo de reunir un equipo y poseer buenas habilidades de liderazgo. Implica facilitar un camino para que otros vean lo que está haciendo Jesús en medio del equipo. Después de todo, él es el verdadero líder. Tal vez deberíamos liderar como si esto fuera cierto. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.