Ears to Hear, Eyes to See

By Scott Boren, The Center for Community and Mission  (www.mscottboren.org), Twitter@mscottboren

When you are building a team around God’s work in the world, we need to work with those who have ears to hear and eyes to see what God is up to in the world. If you don’t then you will be building a team around multiple agendas, and the team will not be pursuing God’s kingdom way.

For those who personally encountered Jesus 2000 years ago, when Jesus announced that he was bringing and demonstrating God’s kingdom, it would have stood out like a red stripe on a white wall. The way that Jesus revealed the kingdom was not something that anyone would have expected. They wanted a king like King David. They wanted a great temple, like that of Solomon. They wanted the Law, like the one instituted by Moses. No one—this cannot be reiterated enough—no one could have predicted that God’s way would look like self-sacrificial love hanging on a cross. The king that they expected was not supposed to die. 

The Israelites of the first century expected a normal king—their word for this was “Messiah” which is christos in the Greek New Testament—but that’s not what they got. And most did not see what was going on. John put it this way, “The true light that gives light to everyone was coming into the world. He was in the world, and though the world was made through him, the world did not recognize him. He came to that which was his own, but his own did not receive him” (John 1:9-11). They did not have ears to hear Jesus and his way.

Ears work on two levels. The first is obvious, as healthy ears have the ability to receive sound waves and process them. This is hearing on a physical level. However, ears hear on another level that is much harder to quantify. A “trained ear” hears things that most people cannot. An orchestra instructor can hear things that an untrained ear will miss. A mother hears a tone in her child voice that reveals distress. A man hears the laugh of his wife and his heart leaps.

This is what Jesus meant when he said, “He who has ears to hear, let him hear” (Mark 4:9).  There were some who heard Jesus’ words and saw Jesus’ life and they were able to see the way. Their ears had been prepared to hear what he was up to. But most had ears that were conditioned to hear on that which was normal. They were trapped by average.

This is true of those with whom we lead. Are you working with those who have ears to hear and eyes to see?”

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Ouvidos para ouvir, olhos para ver

Scott Boren, The Center for Community and Mission  (www.mscottboren.org), Twitter@mscottboren

Quando você está formando uma equipe para cumprir o trabalho de Deus no mundo, é preciso buscar trabalhar com aqueles que têm ouvidos para ouvir e olhos para ver o que Deus está fazendo. Caso contrário, você estará formando uma equipe com múltiplas agendas e esta equipe não estará atuando da maneira do Reino de Deus.

Para aquelas pessoas que se encontraram pessoalmente com Jesus há 2000 anos, quando Ele anunciou que estava trazendo e demonstrando o Reino de Deus, a sensação deve ter sido a de chegar a uma grande parede branca com uma enorme faixa vermelha no meio. A maneira como Jesus demonstrou o Reino era algo que ninguém esperava. Eles queriam um Rei como o Rei Davi. Eles queriam um grande templo, como o Templo de Salomão. Eles queriam a Lei, como a Lei instituída por Moisés. Ninguém, ninguém mesmo, poderia esperar que a maneira de Deus seria através de um amor que se ofereceria em sacrifício em uma cruz. O Rei que aquelas pessoas esperavam não morreria em uma cruz.

Os israelitas do primeiro século esperavam um Rei normal – a palavra que eles utilizavam era “Messias” que é traduzida por “Cristo” no Grego utilizado no Novo Testamento, mas não foi isso que eles receberam. E a maior parte deles não conseguiu ver o que estava acontecendo. João descreveu assim: “a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.” João 1:9-11. Eles não tinham ouvidos para ouvir Jesus e a sua maneira de viver.

Os ouvidos funcionam em dois níveis. O primeiro é óbvio, considerando que ouvidos saudáveis têm a capacidade de receber ondas de som e processá-las. Isto é ouvir, do ponto de vista físico. Entretanto, os ouvidos funcionam em outro nível que é muito mais difícil de quantificar. Um ouvido “treinado” ouve coisas que a maioria das pessoas não consegue ouvir. Um instrutor de uma orquestra consegue ouvir coisas que um ouvido não treinado certamente não consegue. Uma mãe consegue perceber um tom na voz de sua criança que denota sofrimento. Um homem ouve a som do riso de sua esposa e seu coração dispara.

É isso que Jesus quis dizer quando ele declarou: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.” Marcos 4:9. Algumas pessoas ouviam às palavras de Jesus e viam seu viver, e enxergavam o caminho. Seus ouvidos estavam prontos para ouvir o que Ele estava fazendo. Mas a maioria das pessoas tinham ouvidos que estavam condicionados a ouvir o que julgavam normal. Eles foram enganados pela normalidade da média.

Isso também é verdade para aquelas pessoas que lideramos. Você está trabalhando com aqueles que tem “ouvidos para ouvir e olhos para ver?

Spanish blog: 

Oídos para oír, ojos para ver 

Por Scott Boren, Centro para la Comunidad y la Misión (www.mscottboren.org), Twitter @ mscottboren 

Cuando estás formando un equipo en torno a la obra de Dios en el mundo, debemos trabajar con aquellos que tienen oídos para oír y ojos para ver lo que Dios está haciendo en el mundo. Si no lo haces así, estarás formando un equipo en torno a varias agendas y el equipo no seguirá el camino del reino de Dios. 

Aquellos que se encontraron personalmente con Jesús hace 2000 años, cuando Jesús anunció que estaba trayendo y mostrando el reino de Dios; eso se habría destacado como una franja roja en una pared blanca. La forma en que Jesús reveló el reino no era algo que nadie hubiera esperado. Querían un rey como el rey David, querían un gran templo, como el de Salomón, querían la Ley, como la instituida por Moisés. Nadie, esto no se puede reiterar lo suficiente, nadie podría haber predicho que el camino de Dios se vería como un amor abnegado colgado de una cruz. Se suponía que el rey que esperaban no iba a morir. 

Los israelitas del primer siglo esperaban a un rey normal; su palabra para referirse a ese rey era “Mesías”, que es “cristo” en el Nuevo Testamento griego, pero eso no es lo que obtuvieron. Y la mayoría no vio lo que estaba pasando. Juan lo expresó de esta manera: “La luz verdadera que ilumina a todos venía al mundo. Él estaba en el mundo, y aunque el mundo fue hecho a través de él, el mundo no lo reconoció. A lo suyo vino, pero los suyos no le recibieron” (Juan 1: 9-11). No tenían oídos para escuchar a Jesús y su camino. 

Las orejas funcionan en dos niveles. La primera es obvia, ya que los oídos sanos tienen la capacidad de recibir ondas sonoras y procesarlas. Esto es escuchar a nivel físico. Sin embargo, los oídos escuchan a otro nivel que es mucho más difícil de cuantificar. Un “oído entrenado” escucha cosas que la mayoría de la gente no puede. Un instructor de orquesta puede escuchar cosas que un oído inexperto se perderá. Una madre escucha un tono en la voz de su hijo que revela angustia. Un hombre escucha la risa de su esposa y su corazón da un salto. 

Esto es lo que Jesús quiso decir cuando dijo: “El que tenga oídos para oír, oiga” (Marcos 4: 9). Hubo algunos que escucharon las palabras de Jesús y vieron la vida de Jesús y pudieron ver el camino. Sus oídos estaban preparados para escuchar lo que estaba diciendo. Pero la mayoría tenía oídos que estaban condicionados para escuchar lo que era normal. Estaban atrapados en su realidad. 

Esto es ocurre con aquellos con quienes lideramos. ¿Trabajas con quienes tienen oídos para oír y ojos para ver? ” 

Leave a Reply

Your email address will not be published.