Peering into 2022 – Goal-setting and Bounded Reality

By Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

As we peer into 2022 (Yes – I did say 2022. It is not an error), what kind of goals would God have us establish for 2021 in order for us to reach where He desires us to be entering 2022? Think with me about the men of Issachar. To make wise plans and set wise goals, like them, we, too, must understand the times and the seasons in which we live. But how?

Immediately, we are faced with a major roadblock. It is known as “Bounded Rationality”. Bounded rationality simply means that people make quite reasonable decisions based on the information they have. Our problem, however, is that we don’t have perfect information. How many saw Covid-19 coming? How many saw lockdowns coming? How many envisioned the world’s economy tanking? Information coming to us is incomplete, delayed, so our responses are also delayed. We react. We under-react or over-react.

Decision-makers (goal-setters) can’t respond to information they don’t have, can’t respond accurately to information that is inaccurate, and can’t respond in a timely manner to information that is late.

Within the bounds of what a leader in one part of a cell system can see and know, their behavior is reasonable. Removing one leader and putting in another is not likely to make a difference. Blaming individuals rarely creates a more desirable outcome. But, how often we blame others for not achieving our goals.

Change comes from stepping outside the limited information that can be seen from any single place in our system and getting an overview. From this wider perspective, information flows, goals can be restructured, and bounded rational actions will add up to the results that everyone wants.

So, how do we step out to gain a larger perspective and overview? As I read the Scriptures, I am amazed at the multitude of questions asked of God!

  • Gen. 18:23 Then Abraham drew near and said, “Will you indeed sweep away the righteous with the wicked?”  (Direct)
  • 2 Sam. 7:18 Then King David went in and sat before the LORD and said, “Who am I, O Lord GOD, and what is my house, that you have brought me thus far? (Open)
  • Hab. 1:1-3; 4-11 (Ownership)
  • Ex 4:1 “What if they will not believe me, or listen to what I say? For they may say, ‘The Lord has not appeared to you’”. (Revealing)

Goals are our direction-setters, the definers of discrepancies that demand action, the indicators of compliance, failure, or success. If our goal is defined badly, if it doesn’t measure what it’s supposed to measure, it can’t possibly produce a desirable effect.

When setting goals, even if we are asking God questions, we too often ask the wrong questions. By not asking the right questions, we continually set the wrong goals. We set goals around what is easily measured, rather than around what is important.

Tomorrow – How to ask the right questions, make the right decisions, to set the right goals.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Esquadrinhando 2022 – Definição de metas e realidade limitada

Por Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

Enquanto nós examinamos 2022 (Sim – eu disse 2022. Não é um erro), que tipo de metas Deus deseja que estabeleçamos para 2021 a fim de alcançarmos onde Ele deseja que nós entremos em 2022? Pense comigo sobre os homens de Issacar. Para fazer planos e metas sábios como eles, nós também devemos entender os tempos e as estações em que vivemos. Mas como?

Imediatamente, nós nos deparamos com um grande obstáculo. É conhecido como “Racionalidade Limitada”. Racionalidade limitada significa simplesmente que as pessoas tomam decisões bastante razoáveis com base nas informações de que dispõem. Nosso problema, no entanto, é que não temos informações perfeitas. Quantos viram o Covid-19 chegando? Quantos vimos bloqueios chegando? Quantos imaginaram a economia mundial afundando? As informações que chegam até nós são incompletas, atrasadas, então nossas respostas também demoram. Nós reagimos. Nós reagimos de forma insuficiente ou exagerada.

Os tomadores de decisão (definidores de metas) não podem responder às informações que não possuem, não podem responder com precisão às informações que são imprecisas e não podem responder em tempo hábil a informações que estão atrasadas.

Dentro dos limites que um líder de uma parte do sistema celular pode ver e saber, seu comportamento é razoável. Remover um líder e colocar outro provavelmente não fará diferença. Culpar os indivíduos raramente cria um resultado mais desejável. Mas, quantas vezes nós culpamos os outros por não alcançarmos nossos objetivos.

A mudança vem saindo das informações limitadas que podem ser vistas em qualquer lugar do nosso sistema e obtendo uma visão geral. A partir dessa perspectiva mais ampla, fluxos de informações, objetivos podem ser reestruturados e ações racionais limitadas irão somar aos resultados que todos desejam.

Então, como saímos para obter uma perspectiva mais ampla e visão geral? Ao ler as Escrituras, eu fico surpreso com a multidão de perguntas feitas a Deus!

  • Gn 18:23 Então Abraão se aproximou e disse: “Você realmente varrerá o justo com o ímpio?” (Direto)
  • 2 Sm. 7:18 Então o Rei Davi entrou, sentou-se perante o Senhor e disse: “Quem sou eu, Senhor Deus, e qual é a minha casa, que me trouxeste até agora? (Abrir)
  • Hc. 1:1-3; 4-11 (propriedade)
  • Êx 4:1 “E se eles não acreditarem em mim, ou ouvirem o que eu digo? Pois eles podem dizer: ‘O Senhor não te apareceu’”. (Revelando)


Os objetivos são os nossos definidores de direção, os definidores das discrepâncias que exigem ação, os indicadores de conformidade, fracasso ou sucesso. Se o nosso objetivo está mal definido, se não mede o que deveria medir, não pode produzir um efeito desejável.

Ao estabelecer metas, mesmo quando fazemos perguntas a Deus, muitas vezes fazemos as perguntas erradas. Por não fazer as perguntas certas, definimos continuamente as metas erradas. Definimos metas em torno do que é facilmente medido, em vez do que é importante.

Amanhã – Como fazer as perguntas certas, tomar as decisões certas e definir as metas certas.

Spanish blog:

Mirando hacia el 2022: establecimiento de objetivos y realidad conocida

Por Dr. Les Brickman, www.strategiccell.com

Mientras miramos al 2022 (Sí, dije 2022, no es un error), ¿qué tipo de metas quiere Dios que establezcamos para el 2021 a fin de que lleguemos a donde Él desea que entremos en el 2022? Piensa conmigo en los hombres de Isacar. Para hacer planes sabios y fijar metas sabias, como ellos, también nosotros debemos entender los tiempos y las estaciones en las que vivimos. ¿Pero cómo hacemos eso?

Inmediatamente, nos enfrentamos a un gran obstáculo. Se conoce como “Racionalidad limitada”. La racionalidad limitada simplemente significa que las personas toman decisiones bastante razonables basadas en la información que tienen. Nuestro problema, sin embargo, es que no tenemos la información perfecta. ¿Cuántos vieron venir el Covid-19? ¿Cuántos cuarentenas se vieron venir? ¿Cuántos imaginaban que la economía mundial se hundiría? La información que nos llega está incompleta, demorada, por lo que nuestras respuestas también se demoran y nosotros reaccionamos. Reaccionamos de forma insuficiente o exagerada.

Los responsables de la toma de decisiones (quienes establecen objetivos) no pueden responder a la información que no tienen, no pueden responder con precisión a la información que es inexacta y no pueden responder de manera oportuna a la información que llega tarde.

Dentro de los límites de lo que un líder en una parte de un sistema celular puede ver y saber, su comportamiento es razonable. No es probable que la eliminación de un líder y la colocación de otro marque la diferencia. Culpar a las personas rara vez crea un resultado más deseable. Pero, ¿con qué frecuencia culpamos a los demás por no lograr nuestras metas?

El cambio proviene de salir de la información limitada que se puede ver desde cualquier lugar de nuestro sistema y obtener una descripción general. Desde esta perspectiva más amplia, los flujos de información, los objetivos se pueden reestructurar y las acciones racionales limitadas se sumarán a los resultados que todos desean.

Entonces, ¿cómo salimos para obtener una perspectiva y una visión general más amplias? Mientras leo las Escrituras, ¡me asombra la multitud de preguntas que hacen de Dios!

  • Génesis 18:23 Entonces Abraham se acercó y dijo: “¿Verdaderamente barrerás al justo con el impío?” (Directa)
  • 2 Sam. 7:18 Entonces entró el rey David y se sentó delante del SEÑOR y dijo: Señor DIOS, ¿quién soy yo, y qué es mi casa para que me hayas traído hasta aquí? (Abierta)
  • Hab. 1: 1-3; 4-11 (propiedad)
  • Éxodo 4: 1 “¿Y si no me creen ni escuchan lo que digo? Porque pueden decir: ‘El Señor no se te ha aparecido’ ”. (Revelación)

Los objetivos son nuestras marcas de dirección, los que definen las discrepancias que exigen acción, los indicadores de cumplimiento, fracaso o éxito. Si nuestro objetivo está mal definido, si no mide lo que se supone que debe medir, no es posible que produzca un efecto deseable.

Al establecer metas, incluso si le hacemos preguntas a Dios, con demasiada frecuencia hacemos las preguntas equivocadas. Al no hacer las preguntas correctas, continuamente establecemos las metas equivocadas. Fijamos metas en torno a lo que se mide fácilmente, en lugar de lo que es importante.

Mañana: cómo hacer las preguntas correctas, tomar las decisiones correctas, establecer los objetivos correctos. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.