One Person at a Time

By Aaron Lemuel De La Torre, Iglesia Bautista de la Comunidad in Hidalgo, Texas, https://www.comunidadiglesia.com/

I have often felt overwhelmed by the many challenges in ministry–especially when I think about living out Christ’s great commission in Matthew 28:19-20. Every day there appears to be a greater need for the good news of Jesus Christ to be shared with members in our community. It’s easy to question how much one person can get done. Then I think about the cell church model and how the priesthood of every believer is emphasized and promoted. Jesus intended the great commission to be carried out by all believers.

Although there are several important components in the cell church model, coaching is a vital part of making disciples that make disciples. In the cell church model, coaches, according to Comiskey in “Coach: Empower Others to Effectively Lead a Small Group,” encourage, nourish, and challenge cell groups leaders to grow and multiply their cell group. Although the term coach is a modern term, it can be observed in Scripture. One primary example of an individual that encouraged, nourished, and challenged early church leaders was Paul.

Paul decided to press towards God’s plan for his life through developing individuals that would also communicate the message of Jesus Christ. Paul selected a young man to develop named Timothy, which he called his son in the faith in 1 Timothy 1:2. Paul’s intention was to train Timothy so that Timothy could then teach the next generation of disciples of Christ. Paul trained Timothy not merely through words but through spending time with him and leading by example. Timothy was present during troublesome times as Paul, and other fellow companions shared the gospel, such as when Paul and Silas were beaten and jailed as stated in Acts 16:24-34.

Paul was tackling the challenge of sharing the gospel through devoting time to individuals that could in turn do the same with others. Paul encouraged, nourished, and challenged Timothy to grow and teach others. Just as Paul did, coaches must also dedicate time to individuals and teach them with more than just words. In our coaching episodes with Joel Comiskey, it is common for him to stress the importance of listening and letting the person being coached do most of the talking. There must be a genuine interest in the well-being and spiritual development of the individual that is being coached.

Many generations were reached thanks to Paul’s development of Timothy and Timothy’s development of others. We should also be encouraged about coaching individuals as we encourage, nourish, and challenge them. If we model Scripture, we can be sure that God will use us and those we coach to share the gospel until Christ returns.  

Korean blog: (click here)

Portuguese blog:

Uma pessoa de cada vez

Aaron Lemuel De La Torre, Iglesia Bautista de la Comunidad em Hidalgo, no estado do Texas, https://www.comunidadiglesia.com/

Frequentemente eu me sinto sobrecarregado pelos inúmeros desafios do ministério, especialmente quando penso sobre viver a grande comissão de Cristo, descrita em Mateus 28:19-20. A cada dia aparece uma nova necessidade para que as boas novas de Cristo sejam compartilhadas com os membros da nossa comunidade. É fácil perceber e questionar o quanto uma só pessoa poderia conseguir fazer. Então, penso sobre o modelo da igreja em células e como o sacerdócio de todos os crentes é enfatizado e promovido nesse modelo. A intenção de Jesus era de que a grande comissão fosse desempenhada por todos os crentes.

Certamente há diversos componentes importantes no modelo da igreja em células, mas a supervisão é uma parte vital para fazer discípulos que fazem discípulos. De acordo com Comiskey, no livro “Supervisão: Empodere pessoas para liderar eficazmente uma célula” (tradução livre do título, ainda não disponível em português), os supervisores encorajam, nutrem e desafiam os líderes de células a crescer e multiplicar seus grupos. Apesar do termo “supervisor” ou “coach” ser uma expressão contemporânea, seu sentido pode ser observado nas Escrituras. Um dos principais exemplos de uma pessoa que encorajava, nutria e desafiava os líderes da igreja primitiva era Paulo. 

Paulo decidiu cumprir o plano de Deus para sua vida através do treinamento e capacitação de pessoas que pudessem também comunicar a mensagem de Jesus Cristo ao mundo. Paulo selecionou um jovem chamado Timóteo para seu treinamento e em 1 Timóteo 1:2 se refere a ele como seu filho na fé. Paulo treinou Timóteo para que ele pudesse por sua vez capacitar a próxima geração de discípulos de Cristo. O treinamento de Paulo não era feito apenas com palavras, mas passando tempo com ele e liderando-o pelo seu próprio exemplo. Timóteo estava presente quando Paulo e outros companheiros passaram por dificuldades por compartilhar o evangelho, como por exemplo quando Paulo e Silas foram açoitados e aprisionados, conforme lemos em Atos 16:24-34.

Paulo estava cumprindo o desafio de compartilhar o evangelho através da iniciativa de dedicar tempo a algumas pessoas que poderiam, por sua vez, fazer o mesmo com mais pessoas. Paulo encorajava, nutria e desafiava Timóteo a crescer e a ensinar outras pessoas. Assim como Paulo fazia, os supervisores de hoje devem dedicar tempo a outras pessoas e ensiná-los com mais do que palavras. Em nossos treinamentos com Joel Comiskey, é bem comum vê-lo enfatizar a importância de ouvir e permitir que a pessoa que está sendo supervisionada tenha a maior parte da conversa. É preciso haver um interesse genuíno em seu bem-estar e em seu desenvolvimento espiritual.

Muitas gerações foram alcançadas graças à capacitação e ao treinamento dedicados a Timóteo e a posterior dedicação de Timóteo a outras pessoas. Nós também podemos ser encorajados a respeito da supervisão de pessoas, à medida que nós mesmos encorajamos, nutrimos e os desafiamos. Se utilizarmos as Escrituras como nosso modelo, podemos estar certos de que seremos usados por Deus, assim como as pessoas que supervisionarmos e com quem compartilharmos o evangelho, até que Cristo volte.

Spanish blog:

Una persona a la vez

Por Aaron Lemuel De La Torre, Iglesia Bautista de la Comunidad en Hidalgo, Texas,
https://www.comunidadiglesia.com/

A menudo me he sentido abrumado por los muchos desafíos en el ministerio, especialmente cuando pienso en vivir la gran comisión de Cristo en Mateo 28: 19-20. Cada día parece haber una mayor necesidad de compartir las buenas nuevas de Jesucristo con los miembros de nuestra comunidad. Es fácil preguntarse cuánto puede hacer una persona. Luego pienso en el modelo de iglesia celular y en cómo se enfatiza y promueve el sacerdocio de cada creyente. Jesús tenía la intención de que la gran comisión fuera realizada por todos los creyentes.

Aunque hay varios componentes importantes en el modelo de iglesia celular, el entrenamiento es una parte vital para hacer discípulos que hacen discípulos. En el modelo de la iglesia celular, los entrenadores o supervisores, según Comiskey en “Capacitar a otros para liderar un grupo pequeño de manera efectiva”, alientan, nutren y desafían a los líderes de los grupos celulares a crecer y multiplicar su grupo celular. Aunque el término entrenador es un término moderno, se puede observar en las Escrituras. Un ejemplo principal de una persona que alentó, nutrió y desafió a los líderes de la iglesia primitiva fue Pablo.

Pablo decidió avanzar hacia el plan de Dios para su vida mediante el desarrollo de personas que también comunicarían el mensaje de Jesucristo. Pablo seleccionó a un joven para desarrollarse llamado Timoteo, al que llamó su hijo en la fe en 1 Timoteo 1: 2. La intención de Pablo era entrenar a Timoteo para que Timoteo pudiera enseñar a la próxima generación de discípulos de Cristo. Pablo entrenó a Timoteo no solo con palabras, sino pasando tiempo con él y liderando con el ejemplo. Timoteo estuvo presente durante tiempos difíciles como Pablo, y otros compañeros compartieron el evangelio, como cuando Pablo y Silas fueron golpeados y encarcelados como se indica en Hechos 16: 24-34.

Pablo estaba enfrentando el desafío de compartir el evangelio al dedicar tiempo a las personas que a su vez podían hacer lo mismo con los demás. Pablo animó, nutrió y desafió a Timoteo a crecer y enseñar a otros. Al igual que Pablo, los entrenadores también deben dedicar tiempo a las personas y enseñarles con algo más que palabras. En nuestros episodios de entrenamiento con Joel Comiskey, es común que él enfatice la importancia de escuchar y dejar que la persona que recibe el entrenamiento hable la mayor parte del tiempo. Debe haber un interés genuino en el bienestar y el desarrollo espiritual del individuo que está siendo entrenado.

Se alcanzó a muchas generaciones gracias al desarrollo de Pablo de Timoteo y al desarrollo de Timoteo de otros. También debemos animarnos a entrenar a las personas a medida que las alentamos, las nutrimos y las desafiamos. Si modelamos las Escrituras, podemos estar seguros de que Dios nos usará a nosotros y a aquellos a quienes entrenamos para compartir el evangelio hasta que Cristo regrese. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.