Take Time to be Holy

By Joel Comiskey, An Appointment with the King

I’ve been coaching pastors for the last 20 years. Normally, pastors want me to coach them because they desire to improve their small group ministry, whether they are transitioning, planting, or just want to fine-tune their groups. They soon discover, however, that my coaching involves more than small groups. I ask questions about their marriage, day off, and devotional time.

Why? Because small group ministry is about making disciples who make disciples, and the first  disciple is the pastor. The spiritual and physical health of the lead pastor is essential for effective ministry to happen. Of course the same is true for team members, leaders, and supervisors.

When asking about the quiet time, I’m always thrilled when the pastor gives me a clear, consistent answer about spending time with Jesus. Why? Because Jesus meets us in the quiet time, fills us, and prepares us for the day. The quiet time is like pushing a reset button and starting over. No matter what has happened beforehand, Jesus gives us new strength, vision, and anointing when we spend time with him. Jesus said, “Each day has enough trouble of its own” (Matthew 6:34). Yesterday’s blessing and anointing won’t prepare you to face today’s cares, trials and heartaches. We need fresh nourishment from Jesus today.

I confess that I didn’t always believe in the importance of making my quiet time a daily activity. At times when I was too busy, I’d say, “I’m too busy today, God, I’ll do extra devotions tomorrow.” I didn’t realize how much I would need fresh nourishment today—as well as tomorrow.

We don’t have our quiet time in order to be acceptable before God. The truth is that Jesus has already made us holy and righteous (2 Corinthians 5:21).The message of the Protestant reformation is that we are made righteous by Jesus Christ and not by good works. The quiet time, therefore, is a response to His love. Because Jesus loves us and has made us righteous by His blood, we desire to spend time with Him and know Him more intimately.   We long to be with Him—not because we have to, but because we want to. 

Tozer, a spiritual leader of the twentieth century, says, “We pursue God because and only because He has first put an urge within us that spurs us to pursuit.”  God’s grace births a desire in us to spend time with him. We simply respond to His love and desire to enter His presence.

When we realize how desperately we need God’s fullness, we will want to take time to spend with Him each day.  The reality, however, is that finding that time won’t be easy. The hymn Take Time to Be Holy expresses the hardest thing in spending time with God. We will most likely never find time; we will have to take it from the other demands that crowd and press on us.

Korean blog: (click here

Portuguese blog:

Reserve Um Tempo Para Ser Santo

Por Joel Comiskey,  Um Encontro com o Rei

Tenho supervisionado pastores nos últimos 20 anos. Normalmente, os pastores querem que eu os supervisione porque eles desejam melhorar seu ministério de pequenos grupos, estejam eles em transição, plantando ou apenas querendo ajustar seus grupos. Eles logo descobrem, no entanto, que minha supervisão envolve mais do que pequenos grupos. Faço perguntas sobre seu casamento, dia de folga e tempo de devoção.

Por quê? Porque o ministério de pequenos grupos trata de fazer discípulos que fazem discípulos, e o primeiro discípulo é o pastor. A saúde espiritual e física do pastor líder é essencial para que o ministério eficaz aconteça. É claro que o mesmo se aplica a membros da equipe, líderes e supervisores.

Quando pergunto sobre o momento de silêncio, sempre fico emocionado quando o pastor me dá uma resposta clara e consistente sobre como passar tempo com Jesus. Por quê? Porque Jesus nos encontra na hora do silêncio, nos preenche e nos prepara para o dia. O tempo de silêncio é como apertar um botão de reset e começar de novo. Não importa o que tenha acontecido antes, Jesus nos dá nova força, visão e unção quando passamos tempo com ele. Jesus disse: “Cada dia já tem problemas suficientes” (Mateus 6:34). A bênção e a unção de ontem não vão prepará-lo para enfrentar as preocupações, as provações e as dores de hoje. Precisamos de alimento fresco de Jesus hoje.

Confesso que nem sempre acreditei na importância de fazer do meu tempo de silêncio uma atividade diária. Às vezes, quando estava muito ocupado, dizia: “Estou muito ocupado hoje, Deus, farei devoções extras amanhã.” Eu não sabia o quanto eu precisaria de alimentos frescos hoje – assim como amanhã.

Não temos nosso tempo de silêncio para sermos aceitáveis diante de Deus. A verdade é que Jesus já nos tornou santos e justos (2 Coríntios 5:21). A mensagem da reforma protestante é que somos feitos justos por Jesus Cristo e não por boas obras. O momento de silêncio, portanto, é uma resposta ao Seu amor. Porque Jesus nos ama e nos tornou justos pelo Seu sangue, desejamos passar tempo com Ele e conhecê-Lo mais intimamente. Desejamos estar com Ele – não porque precisamos, mas porque queremos.

W. Tozer, um líder espiritual do século vinte, diz: “Buscamos Deus porque e somente porque Ele primeiro colocou em nós um desejo que nos estimula a persegui-lo”. A graça de Deus gera em nós o desejo de passar tempo com ele. Simplesmente respondemos ao Seu amor e desejo de entrar em Sua presença.

Quando percebemos o quão desesperadamente precisamos da plenitude de Deus, vamos querer reservar um tempo para ficar com Ele todos os dias. A realidade, no entanto, é que encontrar esse tempo não será fácil. O hino Take Time to Be Holy (Reserve Um Tempo Para Ser Santo) expressa a coisa mais difícil em passar tempo com Deus. Provavelmente nunca encontraremos tempo; teremos que tirar das outras demandas que nos aglomeram e nos pressionam.

Spanish blog:

Tómate el tiempo para ser santo

 

Por Joel Comiskey, una cita con el rey

 

He estado entrenando pastores durante los últimos 20 años. Normalmente, los pastores quieren que los entrene porque desean mejorar su ministerio de grupos pequeños, ya sea que estén en transición, plantando o simplemente quieran afinar sus grupos. Pronto descubren, sin embargo, que mi entrenamiento involucra más que grupos pequeños. Hago preguntas sobre su matrimonio, día libre y tiempo devocional.

 

¿Por qué? Porque el ministerio de grupos pequeños se trata de hacer discípulos que hacen discípulos, y el primer discípulo es el pastor. La salud espiritual y física del pastor principal es esencial para que suceda un ministerio eficaz. Por supuesto, lo mismo ocurre con los miembros del equipo, los líderes y los supervisores.

 

Cuando pregunto sobre el tiempo de silencio, siempre me emociono cuando el pastor me da una respuesta clara y consistente sobre pasar tiempo con Jesús. ¿Por qué? Porque Jesús se encuentra con nosotros en el tiempo de silencio, nos llena y nos prepara para el día. El tiempo de silencio es como presionar un botón de reinicio y comenzar de nuevo. No importa lo que haya sucedido de antemano, Jesús nos da nueva fuerza, visión y unción cuando pasamos tiempo con él. Jesús dijo: “Cada día tiene suficientes problemas propios” (Mateo 6:34). La bendición y la unción de ayer no lo prepararán para enfrentar las preocupaciones, las pruebas y las angustias de hoy. Necesitamos alimento fresco de Jesús hoy.

 

Confieso que no siempre creí en la importancia de hacer de mi tiempo de tranquilidad una actividad diaria. En momentos en que estaba demasiado ocupado, decía: “Estoy demasiado ocupado hoy, Dios, haré devociones adicionales mañana”. No me di cuenta de cuánto necesitaría alimentos frescos hoy, así como mañana.

 

No tenemos nuestro tiempo de tranquilidad para ser aceptables ante Dios. La verdad es que Jesús ya nos ha hecho santos y justos (2 Corintios 5:21). El mensaje de la reforma protestante es que somos hechos justos por Jesucristo y no por buenas obras. El tiempo de quietud, por lo tanto, es una respuesta a su amor. Debido a que Jesús nos ama y nos ha hecho justos por Su sangre, deseamos pasar tiempo con Él y conocerlo más íntimamente. Anhelamos estar con Él, no porque tengamos que hacerlo, sino porque queremos.

 

W. Tozer, un líder espiritual del siglo XX, dice: “Buscamos a Dios porque y solo porque Él primero ha puesto un impulso dentro de nosotros que nos lleva a buscarlo”. La gracia de Dios genera en nosotros el deseo de pasar tiempo con él. Simplemente respondemos a Su amor y deseo de entrar en Su presencia.

 

Cuando nos demos cuenta de cuán desesperadamente necesitamos la plenitud de Dios, querremos tomarnos un tiempo para pasar con Él todos los días. La realidad, sin embargo, es que encontrar ese momento no será fácil. El himno Take Time to Be Holy (toma tiempo para ser santo) expresa lo más difícil de pasar tiempo con Dios. Lo más probable es que nunca encontremos tiempo; tendremos que tomarlo de las otras demandas que se agolpan y presionan sobre nosotros. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.