Twenty years on

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

It has been more than twenty years ago that our church decided to take the plunge and pursue a cell-based ministry strategy. I wish I could say that we immediately began a steady growth in numbers and enthusiasm. It didn’t work out exactly that way.

At first we experienced a mixture of success and frustration.  We saw many lives changed while others resisted and objected. We adopted some parts of the cell strategy, but were unaware or not ready to adopt other pieces. At one point we pulled back, reorganized, and then started again.

At times I had serious doubts as to whether cell church ministry would work for us. In some ways it would have been easier to do ministry in a form which is more in line with people’s expectations.

But something inside of me wouldn’t let me let go of the dream. I can’t say I caught the vision of the cell church; rather, the cell church vision caught me. I couldn’t shake it. I was driven to pursue the cell-based ministry, not because of the size of church it can grow, but because of the quality of disciple it can develop. In my visits to thriving cell churches, I met numerous church members and cell leaders who demonstrated the character of Christ in ways I had rarely seen. When asked, they could readily articulate their church’s vision. More than that, reaching and discipling unreached people was regarded as a normal activity, and most members knew how to do it (or at least how to learn to do so).

I asked myself: “What kind of church do I want to invest my life in building?” I knew I didn’t want to settle for simply persuading people to attend services, give and behave. I yearned for a church that could become a Kingdom movement as I read about in the book of Acts. I longed to see unreached people deeply transformed into the image of Jesus.  I saw so much potential for authentic New Testament life in the cell approach that I was determined to figure out how it could work in our setting.

Since then, our church has indeed grown many times bigger than it was. Even more, we have seen leaders and pastors developed and deployed for the Kingdom. After twenty years, I am more committed than ever to a cell-based ministry.

Korean blog: (click here)  

Portuguese blog:

Há mais de 20 anos

Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Faz mais de 20 anos que nossa igreja decidiu dar este passo e abraçar a estratégia do ministério baseado em células. Eu gostaria de poder dizer que nós imediatamente começamos a apresentar um crescimento constante em números e em entusiasmo, mas não foi exatamente assim que aconteceu.

No início experimentamos uma mistura de sucesso e frustração. Vimos muitas vidas sendo mudadas, enquanto outros resistiam e rejeitavam. Adotamos algumas partes da estratégia de células, mas não conhecíamos ou não estávamos prontos para outras partes. Houve um momento em que paramos tudo, reorganizamos e então recomeçamos.

Em diversos momentos eu tive sérias dúvidas se o ministério em células funcionaria conosco. Em certos aspectos, teria sido mais simples exercer o ministério de uma maneira que estivesse mais alinhada com as expectativas das pessoas.

Mas alguma coisa dentro de mim não permitia que eu abandonasse este sonho. Eu não posso declarar que tivesse abraçado a visão da igreja em células, penso que foi a visão que me abraçou. Eu não conseguia sair deste abraço. Eu estava decidido a viver o ministério em células, não por causa do tamanho que a igreja pode alcançar, mas pela qualidade do discípulo que esta estratégia pode produzir. Em minhas visitas a igrejas em células bem-sucedidas, eu conheci muitos membros e líderes que demonstravam o caráter de Cristo de maneiras que eu raramente tinha observado. Ao serem perguntados pela visão da igreja, eles imediatamente a descreviam muito bem. Mais ainda, alcançar as pessoas e discipular era reconhecido como uma atividade normal e a maioria dos membros sabiam como fazê-lo, ou pelo menos como poderiam aprender sobre isso.

Então eu me perguntei: “Que tipo de igreja eu quero investir minha vida para construir?” Eu sabia que não ia me contentar em simplesmente convencer as pessoas a frequentarem os cultos, doar e comportar-se adequadamente. Eu ansiava por uma igreja que pudesse vir a ser um movimento do Reino de Deus como eu lia no livro de Atos. Eu queria muito assistir pessoas que ainda não conheciam a Deus serem profundamente transformadas de acordo com a imagem de Jesus. Eu percebi que no ministério em células havia muito potencial para uma vida como descrita no Novo Testamento e eu estava determinado a descobrir como isso poderia acontecer conosco.

Desde então, nossa igreja cresceu muitas vezes em seu tamanho original. Mais ainda, temos visto líderes e pastores sido desenvolvidos e enviados à serviço do Reino. Depois de vinte anos, estou mais comprometido com o ministério em células do que jamais estive.

Spanish blog:

Veinte años después

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Hace más de veinte años que nuestra iglesia decidió dar el paso y seguir una estrategia de ministerio basado en células. Ojalá pudiera decir que comenzamos de inmediato con un crecimiento constante en número y entusiasmo. No funcionó exactamente de esa manera.

Al principio experimentamos una mezcla de éxito y frustración. Vimos muchas vidas cambiadas mientras que otras se resistieron y se quejaron. Adoptamos algunas partes de la estrategia celular, pero no sabíamos o no estábamos listos para adoptar otras. En un momento dado, nos retiramos, nos reorganizamos y luego comenzamos de nuevo.

A veces tenía serias dudas sobre si el ministerio de la iglesia celular funcionaría para nosotros. De alguna manera, hubiera sido más fácil hacer el ministerio en una forma más acorde con las expectativas de la gente.

Pero algo dentro de mí no me dejaba soltar el sueño. No puedo decir que capté la visión de la iglesia celular; más bien, la visión de la iglesia celular me atrapó. No pude sacudirlo. Fui impulsado a seguir el ministerio basado en células, no por el tamaño de la iglesia que puede crecer, sino por la calidad de discípulo que puede desarrollar. En mis visitas a iglesias celulares prósperas, conocí a numerosos miembros de la iglesia y líderes celulares que demostraron el carácter de Cristo en formas que rara vez había visto. Cuando se les preguntó, pudieron articular fácilmente la visión de su iglesia. Más que eso, alcanzar y discipular a personas no alcanzadas se consideraba una actividad normal, y la mayoría de los miembros sabían cómo hacerlo (o al menos cómo aprender a hacerlo).

Me pregunté: “¿En qué tipo de iglesia quiero invertir mi vida en construir?” Sabía que no quería conformarme con simplemente persuadir a las personas para que asistieran a los servicios, dieran y se comportaran. Anhelaba una iglesia que pudiera convertirse en un movimiento del Reino, como leí en el libro de los Hechos. Anhelaba ver a las personas no alcanzadas profundamente transformadas a la imagen de Jesús. Vi tanto potencial para la vida auténtica del Nuevo Testamento en el enfoque celular que estaba decidido a descubrir cómo podría funcionar en nuestro entorno.

Desde entonces, nuestra iglesia ha crecido mucho más de lo que era. Aún más, hemos visto líderes y pastores desarrollados y desplegados para el Reino. Después de veinte años, estoy más comprometido que nunca con un ministerio celular.

Leave a Reply

Your email address will not be published.