Before Starting the Transition

By Mario Vega, www.elim.org.sv

Before beginning the transition to cell church ministry, the Elim Church was already a dynamic, revived, and growing church. A very cohesive and passionate team of deacons, deaconesses and elders had been formed. Pastors were young and eager to work. The combination of these elements made it possible for the cells to thrive. The transition would have been more difficult if it had been a dry, discouraged church or worse, a church with a discouraged and frustrated pastor.

I feel quite confident that making the transition to cell ministry can provide a church with vision, purpose, and an effective model for making disciples. But there are things that the transition cannot do, like: give a call to a pastor who does not have it, give an anointing to someone who does not have it, put the Word of God on the lips of the preacher, and so forth. A minister with these types of problems should not think that the cells will change his condition or the church’s situation. These key issues must first be resolved first through  intimacy with God and sincerity of heart. A transition should not be considered until these fundamental issues are reviewed and affirmed.

Before starting the transition, then, it is essential to seriously reflect on one’s call to ministry, the quality of the relationship with God, the fullness of the Holy Spirit and the living out of God’s Word in preparation for preaching.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Antes de iniciar a transição

Por Mario Vega,  www.celulas.org.sv

Antes de iniciar a transição para o ministério da igreja em células, a Elim Church já era uma igreja dinâmica, avivada e em crescimento. Uma equipe muito coesa e apaixonada de diáconos, diaconisas e anciãos foi formada. Os pastores eram jovens e ansiosos para trabalhar. A combinação desses elementos possibilitou que as células prosperassem. A transição teria sido mais difícil se fosse uma igreja seca e desencorajada ou pior, uma igreja com um pastor desencorajado e frustrado.

Sinto-me bastante confiante de que fazer a transição para o ministério em células pode fornecer a uma igreja visão, propósito e um modelo eficaz para fazer discípulos. Mas tem coisas que a transição não pode fazer, como: ligar para um pastor que não tem visão, dar unção para quem não tem visão, colocar a Palavra de Deus na boca do pregador, e assim por diante . Um ministro com esses tipos de problemas não deve pensar que as células mudarão sua condição ou a situação da igreja. Essas questões-chave devem primeiro ser resolvidas através da intimidade com Deus e sinceridade de coração. Uma transição não deve ser considerada até que essas questões fundamentais sejam revisadas e confirmadas.

Antes de iniciar a transição, então, é essencial refletir seriamente sobre o chamado para o ministério, a qualidade do relacionamento com Deus, a plenitude do Espírito Santo e a vivência da Palavra de Deus em preparação para a pregação.

Spanish blog:

Antes de iniciar la transición

Por Mario Vega, www.elim.org.sv

Antes de iniciar la transición hacia el trabajo celular la iglesia Elim no comenzó de cero. Ya era una iglesia dinámica, avivada y en crecimiento. Se había logrado formar un equipo muy cohesionado y apasionado de diáconos, diaconisas y ancianos. Los pastores éramos jóvenes y con muchos deseos de trabajar. La combinación de estos elementos hizo posible que al adoptar las células se tuviera un resultado positivo pronto. La transición hubiera sido más dificultosa si se hubiera tratado de una iglesia seca, desmotivaba o, peor, con un pastor desalentado y frustrado.

Creo con bastante seguridad que el hacer la transición hacia el trabajo celular puede dotar a una iglesia de visión, propósito y un modelo efectivo para hacer discípulos. Pero hay cosas que la transición no puede hacer, por ejemplo: otorgar llamado a un pastor que no lo posee, darle unción a quien no la tiene, poner palabra de Dios en labios del predicador. Un ministro con este tipo de problemas no debe pensar que las células cambiarán su condición. Esos asuntos clave deben ser resueltos como corresponde: en intimidad con Dios y con mucha sinceridad. No se debería pensar en una transición mientras esos temas fundamentales no sean revisados y afirmados.

Antes de iniciar la transición, entonces, es fundamental hacer una reflexión seria sobre el llamado propio al ministerio, la calidad de la relación con Dios, la llenura del Espíritu Santo y la vivencia de la palabra de Dios para la predicación.

Leave a Reply

Your email address will not be published.