Why plant?

By Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

When I set out to plant our church 30 years ago, I was asked, “Why plant new churches? Don’t we already have enough? Let’s strengthen the churches we have.”

It’s a fair question, and I answer it differently today than I did then.

The truth is, Jesus never commanded us to plant churches; he commanded us to make disciples. (Matthew 28:19-20) When we fulfill the mission to make disciples, the unavoidable result will be a church.

We see this in Acts 16, when Paul and Silas led Lydia to faith in Jesus at Philippi. She and members of her household were baptized. Then the Philippian jailer was saved, along with his household. Together they formed the first church on the European continent, and Paul’s letter to that church became the book of Philippians in our Bible. That church was born because Paul and Silas made disciples.

It has been said that when we make disciples we always get a church, but the reverse is not always true; when we start a church we don’t always get disciples. That’s because sometimes we plant worship services instead of churches; that is, instead of planting a network of disciples in relationship with each other we create an event that we hope will result in disciples in relationship with each other.

Starting with a cell group that multiplies is a great way to assure that the new work we begin will make disciples.

Korean blog (click here) 

Portuguese blog:

Por que plantar?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Quando comecei a plantar nossa igreja há 30 anos, me perguntaram: “Por que plantar novas igrejas? Já não temos o suficiente? Vamos fortalecer as igrejas que temos”.

É uma pergunta justa, e eu respondo de forma diferente hoje do que eu fiz na época.

A verdade é que Jesus nunca nos mandou plantar igrejas; ele nos mandou fazer discípulos. (Mateus 28:19-20) Quando cumprirmos a missão de fazer discípulos, o resultado inevitável será uma igreja.

Vemos isso em Atos 16, quando Paulo e Silas levaram Lídia à fé em Jesus em Filipos. Ela e os membros de sua família foram batizados. Então o carcereiro filipense foi salvo, junto com sua família. Juntos, eles formaram a primeira igreja no continente europeu, e a carta de Paulo a essa igreja tornou-se o livro de Filipenses em nossa Bíblia. Essa igreja nasceu porque Paulo e Silas fizeram discípulos.

Já foi dito que quando fazemos discípulos sempre temos uma igreja, mas o inverso nem sempre é verdade; quando começamos uma igreja, nem sempre conseguimos discípulos. Isso porque às vezes plantamos cultos em vez de igrejas; isto é, em vez de plantar uma rede de discípulos em relacionamento uns com os outros, criamos um evento que esperamos que resulte em discípulos em relacionamento uns com os outros.

Começar com uma célula que se multiplica é uma ótima maneira de assegurar que o novo trabalho que iniciamos fará discípulos.

Spanish blog:

¿Por qué plantar?

Por Steve Cordle, www.crossroadsumc.org

Cuando me propuse plantar nuestra iglesia hace 30 años, me preguntaron: “¿Por qué plantar nuevas iglesias? ¿No tenemos ya suficientes? Fortalezcamos las iglesias que tenemos”.  

Es una pregunta justa, y la respondo hoy de manera diferente a la de entonces.

La verdad es que Jesús nunca nos ordenó plantar iglesias; nos ordenó hacer discípulos. (Mateo 28:19-20) Cuando cumplimos la misión de hacer discípulos, el resultado inevitable será una iglesia.

Lo vemos en Hechos 16, cuando Pablo y Silas llevaron a Lidia a la fe en Jesús en Filipos. Ella y los miembros de su casa fueron bautizados. Luego el carcelero de Filipos fue salvado, junto con su familia. Juntos formaron la primera iglesia en el continente europeo, y la carta de Pablo a esa iglesia se convirtió en el libro de Filipenses en nuestra Biblia. Esa iglesia nació porque Pablo y Silas hicieron discípulos.

Se ha dicho que cuando hacemos discípulos siempre conseguimos una iglesia, pero lo contrario no siempre es cierto; cuando fundamos una iglesia no siempre conseguimos discípulos. Esto se debe a que a veces plantamos servicios de adoración en lugar de iglesias; es decir, en lugar de plantar una red de discípulos en relación con los demás, creamos un evento que esperamos que resulte en discípulos en relación con los demás.

Comenzar con un grupo celular que se multiplica es una gran manera de asegurar que la nueva obra que comenzamos hará discípulos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.