Body Life

By Jay Firebaugh, Director of Small Groups at New Life Church in Gahanna/ Columbus, Ohio.

I still hear the words ringing in my ears from Bill Beckham when I was just a “pup” learning cell ministry: “The goal of the cell is body life.” (Imagine it being said with a heavy Texas twang.) The goal isn’t to simply have a group of people together studying the Bible or to form a prayer circle or even a great group of people fellowshipping together. No! A cell or small group needs to continually be aiming to create a community of people who are choosing to live life together. It means that they will show up for each other. It means they are committed to not only a weekly gathering, but to the growth and well-being of each of the people that make up that group.

Often what happens in cell/small group churches is that we create groups where the leader is responsible to care for the people in their group. This is good! It’s Exodus 18 and the decentralizing of ministry away from the “pastor being the one who does all the care”. But this is only half way to your desired outcome!

A good cell leader is always looking for ways to get “cross polarization” happening between the members of the group. Not, “You have a need, call me”, but “We are the body of Christ to and for each other. So when I am in need, I call out to the other parts of my body to help me.”

So how does a small group leader create this? First, it is important to talk about community A LOT. Establish the expectation that this is what we’re striving for. Second, is to emphasize groups as not just a place you join for your benefit. This is often the way we convince people to be part of a group – by talking about how it will benefit them. But being part of a group is serving as well as being served, stepping up to benefit others – not just how you benefit.

Third, teach your people to think of the small group as “our group”. Help them take ownership of it. Small groups are often too leader-centered: The leader does most of the talking; When we do an activity or ministry function, the leader plans it all; If the leader can’t be there, the group doesn’t meet. Instead, help your people take ownership of the group:

  • Share in bringing snack
  • Rotate meeting in each other’s homes
  • Have different people lead different parts of your gathering.

The desire is shared ownership. The success of our group is up to all of us. When someone has a need, we all  rise to meet it.

Korean blog (click here)

Portuguese blog:

Vivendo como um só corpo

Jay Firebaugh, Diretor dos Grupos Pequenos na Igreja “New Life” em Gahanna/Columbus, no estado americano de Ohio.

As palavras do Bill Beckham ainda ressoam em meus ouvidos, da época em que eu era apenas um “filhotinho” aprendendo sobre o Ministério em Células: “O objetivo da célula é a vida como um só corpo” (Imagine isso sendo dito com um forte sotaque texano). O objetivo não é simplesmente ter um grupo de pessoas estudando a Bíblia juntos, ou formando um círculo de oração, e nem mesmo um grupo de pessoas que gostam muito de conviver em harmonia. Não! A célula ou grupo pequeno, precisa ter sempre como alvo criar uma comunidade de pessoas que querem viver a vida juntos. Isso significa que essas pessoas vão estar lá, sempre que um deles precisar. Isso significa que eles estão comprometidos com muito mais do que um encontro semanal; estão comprometidos com o crescimento e o bem-estar de cada uma das pessoas que formam aquele grupo.

Frequentemente acontece de se formarem grupos ou células onde o líder é o responsável pelo cuidado das pessoas do grupo. Tudo bem, isso é bom também! É o cumprimento do que está em Êxodo 18 e significa que aquela igreja optou por descentralizar o ministério e desfazer a condição em que “o pastor é quem cuida de todos”. Mas isso é apenas metade do que se deseja!

Um bom líder de células está sempre procurando por maneiras de conectar os membros do grupo uns aos outros. Isso é o oposto à estratégia de “Se você precisar de alguma coisa, me procure”. É mais do tipo “Nós somos o Corpo de Cristo e isso significa que somos corpo uns para os outros”. Então, se eu tenho uma necessidade, eu peço ajuda às outras partes do corpo.

E como um líder de células pode criar este ambiente? Em primeiro lugar, é importante falar MUITO sobre comunhão. Estabeleça a expectativa de que é isso que o grupo vai conseguir, é isso que o grupo está buscando. Depois, enfatize sempre que os grupos não existem para que cada pessoa se beneficie. Esta é normalmente a estratégia que utilizamos para que alguém faça parte de um determinado grupo – descrevendo como será bom para ele ou ela. Mas fazer parte de um grupo significa servir, assim como ser servido, fazendo-se presente para o bem de outras pessoas, não apenas para seu próprio bem.

Por fim, ensine as pessoas a pensar no pequeno grupo como “o seu grupo”. Ajude-os a tomar posse do grupo, torná-lo seu. Os pequenos grupos têm a tendência de ficar centrados no líder: o líder é quem mais fala; o líder planeja as atividades; se o líder não está disponível, o grupo nem se reúne. Ao invés destas coisas, certifique-se de que todas as pessoas se tornem “proprietárias” do grupo:

  • As pessoas podem cuidar de lanches e preparativos
  • Alterne as casas onde o grupo se reúne
  • Cuide para que pessoas diferentes fiquem responsáveis por cada parte do encontro

O objetivo é que todos sejam proprietários do grupo. O sucesso de um grupo depende de todos. Quando alguém precisar de algo, todos vamos juntos providenciar tudo o que for necessário.

Spanish blog:

La vida del cuerpo

Por Jay Firebaugh, Director de Grupos Pequeños en New Life Church en Gahanna/Columbus, Ohio.

Todavía escucho las palabras de Bill Beckham resonando en mis oídos cuando yo era solo un “cachorro” aprendiendo el ministerio celular: “El objetivo de la célula es la vida del cuerpo”. (Imagínese que se dice con un fuerte acento de Tejano). El objetivo no es simplemente tener un grupo de personas juntas estudiando la Biblia o formando un círculo de oración o incluso un gran grupo de personas confraternizando juntas. ¡No! Una célula o un grupo pequeño necesita tener el objetivo continuo de crear una comunidad de personas que elijan vivir la vida juntos. Significa que aparecerán el uno para el otro. Significa que están comprometidos no solo con una reunión semanal, sino con el crecimiento y el bienestar de cada una de las personas que conforman ese grupo.

A menudo, lo que sucede en las iglesias de células/grupos pequeños es que creamos grupos en los que el líder es responsable de cuidar a las personas de su grupo. ¡Esto es bueno! Es Éxodo 18 y la descentralización del ministerio lejos del “pastor que es el que hace todo el cuidado”. ¡Pero esto es solo la mitad del camino hacia el resultado deseado!

Un buen líder celular siempre está buscando formas de lograr que ocurra una “polarización cruzada” entre los miembros del grupo. No, “Tienes una necesidad, llámame”, sino “Somos el cuerpo de Cristo los unos para los otros. Entonces, cuando estoy en necesidad, llamo a las otras partes de mi cuerpo para que me ayuden”.

Entonces, ¿cómo crea esto un líder de grupo pequeño? Primero, es importante hablar MUCHO sobre la comunidad. Establezca la expectativa de que esto es por lo que nos estamos esforzando. En segundo lugar, es enfatizar los grupos no solo como un lugar al que te unes para tu beneficio. Esta es a menudo la forma en que convencemos a las personas para que formen parte de un grupo: hablando de cómo les beneficiará. Pero ser parte de un grupo es servir además de ser servido, dar un paso adelante para beneficiar a los demás, no solo cómo se beneficia usted.

Tercero, enseñe a su gente a pensar en el grupo pequeño como “nuestro grupo”. Ayúdalos a tomar posesión de él. Los grupos pequeños a menudo están demasiado centrados en el líder: el líder habla la mayor parte del tiempo; Cuando hacemos una actividad o función ministerial, el líder lo planea todo; Si el líder no puede estar allí, el grupo no se reúne. En su lugar, ayude a su gente a hacerse cargo del grupo:

  • Compartir en llevar el refrigerio
  • Rote la reunión en los hogares de los demás.
  • Haga que diferentes personas dirijan diferentes partes de su reunión.

El deseo es propiedad compartida. El éxito de nuestro grupo depende de todos nosotros. Cuando alguien tiene una necesidad, todos nos levantamos para satisfacerla.

Leave a Reply

Your email address will not be published.